Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Mar 18

[Em Estado de Alerta pela Agitação Marítima]

 

Com as temperaturas em Portugal a variarem entre os - 0,1⁰C (mínima nas Penhas Douradas) e os + 19,3⁰C (máxima em Castro Marim),

 

Com o máximo de precipitação a atingir os 76,3mm (na Madeira/Areeiro)

 

‒ No continente com 14,6mm (no Cabril/Montalegre)

 

E com o vento a registar rajadas máximas de V = 133,49Km/h (na Madeira/Lombo da Terça)

 

‒ No continente com V = 59Km/h (na Fóia)

 

A caraterizarem fortemente o dia de ontem (quinta-feira 8 de Março, vésperas da chegada da tempestade FÉLIX),

 

hs-iberia-2018-03-09T1500.jpghs-iberia-2018-03-10T1500.jpghs-iberia-2018-03-11T0000.jpg

Ondulação ‒ Previsão da altura significativa

Sexta-feira/15h, Sábado/15h e Domingo/00h

(fonte: IPMA)

 

Esta sexta-feira com todo o continente sob um manto cinzento de chuva (nuvens) e de vento moderado e com as temperaturas de momento (14:30) a andarem entre os 6,8⁰C (Penhas Douradas) e os 16,5⁰C (Aveiro e Sagres),

 

Mantêm-se sensivelmente as mesmas condições meteorológicas de ontem (de vento e de chuva) sendo apenas de relevar o agravamento do estado do mar

 

‒ Estando previstas para hoje e para toda a costa portuguesa ondas de 3 a 4,5 metros (no domingo sobretudo na costa ocidental podendo atingir os 7,5 metros).

 

E devido à aproximação e passagem da tempestade Félix com a mesma colocando a Madeira e todo o norte de Portugal continental em Alerta Laranja (exceção feita à sua ponta leste),

 

Para além de se estender ainda (o alerta) por todo o litoral continental (do rio Minho ao rio Guadiana) e como consequência da forte ondulação (marítima) prevista,

 

Com ondas a surgirem que segundo as previsões poderão atingir os 12 metros (de altura).

 

(dados e imagens: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:21

08
Mar 18

A caminho do fim da estação do Inverno (20 de Março) e com a grande maioria do território do continente a atravessar um período de seca severa/extrema, eis que finalmente chega a chuva (diminuindo mesmo que ligeiramente os efeitos da seca) mas infelizmente (no que toca à região do Algarve e ao Sotavento Algarvio uma das zonas mais afetadas pela seca) acompanhada por fenómenos (outros) atmosféricos extremos ‒ como os Tornados.

 

Um fenómeno para o Futuro (e como se vê para o Presente) já falado há anos atrás (até no Algarve como uma das zonas a poder ser atingida) ou já não tivéssemos tido outros fenómenos semelhantes como resultado do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas (que se vão registando um pouco por todo o Mundo): como o de 2012 entrando por Lagoa (Carvoeiro), derivando de seguida para o interior (atravessando Lagoa e prosseguindo) e atingindo ainda e violentamente a cidade de Silves (já no interior algarvio).

 

Para já com as Entidades Locais (públicas e privadas e como numa grande parceria) parecendo mais preocupadas com o impacto turístico ‒ dirigindo desde logo a sua atenção (para eles Obrigatória) para a recuperação das estruturas de praia (veremos o que acontece aqui na Praia do Peneco) ‒ mas agora com outras (só porque algo de óbvio já se passou na Praia do Vau/Portimão) como a de Queda das Falésias.

 

image 1.jpg image 2.jpg

Evolução meteorológica prevista

Este mês entre as 18:00 do dia 8 (5ªf) e as 18:00 do dia 9 (6ªf)

Nos dias 8/9 apresentando piores condições do tempo em Portugal

(fonte: sat24.com)

 

Depois de Ana, Bruno, Carmen, David e finalmente Emma ‒ isto para só falarmos de tempestades batizadas pelos serviços meteorológicos Portugueses (IPMA), Espanhóis (AEMET) e Franceses (METÉOFRANCE), já que outras tempestades também nos acabaram por atingir (mesmo que em menor grau) como Eleanor (oriunda do norte/Reino Unido) e mais recentemente a Besta de Leste (oriunda do Ártico/Síbéria) ‒ eis que o Oráculo Coletivo da Nova Tríade Meteorológica acaba de nos anunciar a chegada de uma nova tempestade (respeitando religiosamente a ordem alfabética): equiparando as tempestades quanto ao género (masculino/feminino), depois de 2 nomes masculinos e de 3 nomes femininos surgindo agora a Tempestade FÉLIX (e logo no Dia da Mulher/8 de Março aproveitando o género masculino a oportunidade ‒ ou não estivesse já em desvantagem de género por 2-3 ‒ de forma a não deixar distanciar ainda mais o feminino).

 

img_797x448$2018_03_06_17_25_20_288675.jpg

É difícil prever ocorrência de tornados em Portugal

Previstas (5ª/6ª feira) rajadas de vento superiores a 100Km/h no nosso país

Com o IPMA em alerta e anunciando uma situação mais crítica para o fim-de-semana

(fonte: sabado.pt)

 

E assim com a palavra Meteorologia por tantas vezes repetida e introduzida na nossa cabeça (como se algo de extraordinário e de inesperado se passasse a nível do clima e do tempo ‒ ou não se constatasse já há muito tempo o aparecimento de fenómenos contribuindo para o Aquecimento Global e para as Alterações Climáticas), chegando-se ao ponto (por vezes ao seu cúmulo) de transformar o que seria no passado um período de mero Meu Tempo (muitas vezes suportando-se condições meteorológicas mais extremas e sem grandes condições económicas para as combater prevenindo-se) ‒ ainda-por-cima ocorrendo na estação de Inverno (em geral fria e com muita precipitação sobre a forma de chuva ou de gelo) ‒ numa ocorrência quase extrema (ou com grandes probabilidades de em determinadas condições de evolução puder vir a ser) e sendo equiparada (adjetivada) a uma Tempestade: apesar de aqui adjetivada (como tempestade) sendo apenas mais um período temporal e banal apresentando condições de mau tempo (chuva, vento e agitação marítima) que ainda há poucos anos atrás nos levaria (normalmente e sem grandes avisos e olhando apenas para o céu) a prevenir nos agasalhos, nos transportes, nas habitações e na especial proteção a crianças e idosos - como hoje mas sem alvoroço mediático.

 

attachment_more_big.jpg

Chuva com congelação ocorrida a 27 de Fevereiro de 2018 ‒ 10:00 ‒ Lamego/Viseu

Quando a chuva com temperaturas acima de 0⁰C atinge superfícies com temperaturas negativas

(fonte: IPMA)

 

Com a chegada da depressão FÉLIX em formação em torno do arquipélago dos Açores (recordando-nos no passado como referência para a previsão meteorológica em Portugal e na Europa, da importância do Anticiclone dos Açores) prevendo-se para os próximos dias o agravamento do estado do tempo (mas com subida das temperaturas), com mais chuva e mais vento (o parâmetro mais intenso em terra) e agitação marítima. Mantendo-se assim as condições atmosféricas atuais, por vezes com mais chuva e tendo-se que dar particular atenção ao vento: podendo ser forte e sob a forma de rajadas e suscitando a preocupação sobre o possível aparecimento de outros fenómenos atmosféricos extremos ‒ como os ocorridos no Algarve (de novo exposto a condições semelhantes) com 2 tornados entre 1 e 5 de Março (deste ano) e rajadas de vento chegando a atingir os 180Km/h.

 

(imagens: sat24.pt ‒ sábado.pt ‒ João Canelas/ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:11

Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO