Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Fev 12

Facto

 

O primeiro tipo explica ao segundo tipo a situação em que se encontra o segundo tipo (que parece não compreender ainda a situação em que se encontra), mas diz-lhe para não se preocupar muito com o caso, pois ele lá estará para o ajudar. Apesar de existirem pessoas que não acreditam em nada do que ele diz! Em consequência disso, o segundo tipo fica meio entalado e preocupado com o seu dinheiro, discorrendo alucinadamente sobre os seus progressos substanciais na aprendizagem deficitária. O primeiro tipo, já farto desta conversa de crianças, sem dinheiro para gastar e ameaçando com birras complicadas, lá roda marafado a sua cabeça em torno do seu eixo num arco de 360 graus e diz-lhe que sim e que é já para hoje. Finalmente o segundo tipo vai-se embora e o primeiro tipo já pode descansar.

 

Diálogo (TVI):

 

2.ºtipo de pé, 1.ºtipo sentado – terá algum significado?

 

 

1.ºTipo

Se no final precisarmos de fazer um ajustamento ao programa (português) depois de tomadas as grandes decisões sobre a Grécia, isso é essencial…mas depois se for necessário um ajustamento do programa português nós estaremos preparados.

 

2.ºTipo

Agradecemos muito.

 

1.ºTipo

De nada.

 

1.ºTipo

O problema é que os membros do parlamento alemão e a opinião pública da Alemanha, não acreditam que as nossas decisões são sérias porque não acreditam nas nossas decisões sobre a Grécia.

 

2.ºTipo

Mas fizemos progressos substanciais no quadro europeu.

 

1.ºTipo

- Sim, vocês fizeram progressos.

 

2.ºTipo

 - Sim fizemos. E agora precisamos de trabalhar…hoje.

 

Hipocrisia

 

A hipocrisia é uma opção de vida na qual se assume completamente que as aparências iludem e em que se pode ter um retorno total dos nossos investimentos, desde que alienados não pensemos nos outros e assumamos que em qualquer altura da nossa vida alienada, poderemos também deixar de ser pensados, ou seja, exterminados.

 

Notícia (CM):

 

Gaspar e o ministro alemão

 

 

Os regulamentos do centro de imprensa do Conselho de Ministros da União Europeia são claros no que respeita à divulgação de imagens relativas às reuniões e, sobretudo, aos chamados “tours de table”, momentos em que os ministros já se encontram na sala e em que conversam informalmente entre si.

Numa folha de papel discretamente afixada numa parede da sala de imprensa explicam-se as 13 regras gerais em aplicação. O ponto número seis refere que os jornalistas que efetuam a gravação dessas ocasiões devem garantir que as câmaras captam apenas o som ambiente e não as conversas entre os ministros. E explicita que, caso as conversas sejam gravadas, as mesmas não podem ser difundidas.

A Renascença sabe que o ministro alemão ficou furioso com a divulgação da conversa e que exige agora que os jornalistas sejam proibidos de gravar as conversas informais entre os ministros que antecedem as reuniões, algo que, no entanto, dificilmente será aceite.
Também a representação de Portugal junto da União Europeia terá manifestado o seu desagrado pelo sucedido.

Esta é uma discussão recorrente, que surge sobretudo quando a divulgação do conteúdo das conversas em causa desagrada aos protagonistas que, noutras ocasiões, não deixam de fazer uso da presença das câmaras para transmitir imagens e mensagens às respetivas opiniões públicas. Em última análise, em causa estará sempre o interesse público das mesmas.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:47

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

No Reino da Hipocrisia

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO