Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Mar 20

Mais uma vez evidenciando como os nossos órgãos dos sentidos nos podem induzir em erro, uma imagem (1) do que poderia muito bem ser (para Mika Zinkova) a do Cristo-Rei do Rio de Janeiro (Brasil) – uma estátua de 1931 na sua famosa posição de braços abertos: tal como poderia ser em Portugal numa réplica de 1959, a do Santuário Nacional do Cristo-Rei (localizado na margem sul do rio Tejo no concelho de Almada).

 

Mila-Zinkova-sw1_1583968771_lg.jpg

1

Farol  das Ilhas Farallon

10.03.2020

(costa de São Francisco na Califórnia)

 

E com o seu observador ao capturar esta imagem a estranhar o que os seus olhos lhe proporcionavam − usufruindo de um registo fotográfico estranho, belo e não tanto raro como isso (até como o mesmo, apresenta no seu canal do YouTube) – até porque o Cristo-Rei (do Rio de Janeiro) se localizava (não a ocidente, ao largo da costa da Califórnia, no oceano Pacífico) a oriente, no litoral brasileiro virado para o oceano Atlântico e a mais de 11.000Km de distância (do local onde se encontrava aquando do registo).

 

1024px-Fata_Morgana_Example.jpg

2

Fenómeno Fada Morgana

Um barco flutuando como que suspenso no ar

(2012/Queensland na Austrália)

 

De facto e como seria obvio não se tratando de uma imagem do Cristo-Rei do Rio (nem de outra qualquer réplica sua) mas da imagem (4) de um farol das ilhas Farallon (costa de São Francisco/Califórnia/EUA) apresentando visualmente e à distância (dos nossos olhos) esta cor e forma como resultado de um efeito ótico – uma miragem denominada Fada Morgana: “uma feiticeira (Fada Morgana) meia-irmã do Rei Artur que, segundo a lenda, era uma fada que conseguia mudar de aparência.” (wikipedia.org)

 

fatamorgana_zinkova_2000.jpg

3

Fenómeno Fata Morgana

Criando a ilusão do aparecimento de uma vaga no horizonte

(2008/costa norte-americana do Pacífico)

 

Para lá da miragem e da ficção com este fenómeno (nada estranho apesar de mais habitual noutras regiões, apenas meteorológico) a ter uma explicação científica: devido a uma inversão térmica (intensa) verificada perto da superfície terrestre (entre camadas de ar quente e de ar frio), podendo-se obter uma imagem invertida de um determinado objeto (como se usássemos uma lente, alterando a velocidade de uma onda atravessando dois meios e até alterando-lhe o aspeto e a cor em seu redor), imagem essa distorcida e como que parecendo flutuar.

 

Farallon_1957_CGNW.jpg

4

Farol das Ilhas Farallon

1957

(Coast Guard Museum Northwest)

 

Um fenómeno visível da parte da manhã e em dias depois de uma noite fria com amanhecer frio, mais comum de se observar em vales (e entre montanhas elevadas), no Ártico e na Antártida. Mas por vezes surgindo noutros locais, com uma das mais célebres (segundo a Wikipédia) a ser a que aparece a sul de Itália (estreito de Messina). E com outros efeitos produzidos (pela nossa Feiticeira, a Fada Morgana):

 

Light passing through this layer can be distorted and stretched in fantastical ways, causing ghost ships to float in midair (3), turning the full Moon into a rectangular block, and raising false walls of water (2).” (spaceweather.com)

 

(imagens: Mika Zinkova/youtube.com – Timpaananen/wikipedia.org

− Mika Zinkova/nasa.gov − Coast Guard Museum Northwest/wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:31

21
Dez 16

Talvez não!

 

A uma semana de distância da data comemorativa do aparecimento da Estrela de Natal (anunciando o nascimento do nosso Salvador a 25 de Dezembro),

Eis que inopinadamente na Terra um farol se reacende fazendo-nos de novo acreditar:

Ou num fenómeno natural (Red Stripes) ou num outro artificial

(provavelmente de origem humana).

 

Numa demonstração clara de que muito do que se passa na Terra ainda é do nosso total desconhecimento, as câmaras da ISS estacionadas no espaço e orbitando à distância de 340Km o nosso planeta, registaram no passado dia 18 (ontem) imagens do que poderia muito bem ser uma fonte de energia emitindo da superfície (ou do interior da própria litosfera), dirigida ao exterior (ao Espaço) e de cor avermelhada.

 

mqdefault.jpg

Red Pulse At International Space Station

 

Um fenómeno para qualquer um de nós naturalmente desconhecido, rapidamente esclarecido (não rigorosamente explicado) por especialistas de serviço, na esmagadora dos casos completamente esquecido (já que tanta coisa nos sobrecarrega), mas que no entanto alguns desesperadamente agarrados às Teorias da Conspiração se recusam determinantemente a largar (terminada a Esperança que eles ainda tinham na Terra).

 

A partir deste episódio (em principio único e circunscrito) podendo-se construir facilmente o cenário (neste mundo tudo é possível) de podermos estar perante Comunicações Alienígenas (certamente que não seremos um caso exclusivo nos vários Universos), dirigidas a partir do interior da Terra (litosfera), atravessando toda a atmosfera (daí a cor vermelha) e perdendo-se definitivamente nos muitos trilhos do Espaço.

 

Nunca deixando de lado acontecimentos adicionais de relevo (talvez relacionados) e ocorrendo simultaneamente no tempo (como é o caso seguinte):

 

Earthquakes Warning:

‘Unexplained Vibrations’ Heard Across Earth

Scientists are warning that the Earth appears to be “ringing like a bell”

Following a series of large earthquakes near the Pacific.

 

sddefault.jpg

 Mysterious "vibration" detected around the World | Source: Unknown!

 

8 hours after the Thursday earthquakes off the coast of California, seismograms shows the globe mysteriously vibrating and “ringing like a bell,” which scientists have warned is a precursor to a much bigger mega-earthquake.

 

Hours before the massive Solomon Islands earthquake struck, a mysterious vibration was detected on seismographs all across the planet as our videographer proves to us using charts from the USGS.

 

Looking like a classic earthquake on the USGS monitoring charts, there were NO earthquakes reported during the time period this mysterious vibration/pulse anomaly showed up on the govt charts for almost an hour, showing up not only all across America, but all across the Earth.

(Sean Adl-Tabatabai/yournewswire.com)

 

Tão útil para leigos e loucos como para eruditos menos loucos.

 

Devendo ser ficção mas pertencendo à realidade (pelo menos à nossa – mesmo que apenas sonhada ou imaginada mas no final sendo integrada na construção do nosso edifício mental), suscitando-nos logo aí a dúvida e provocando como reação um novo estado de alerta (num sinal inequívoco da preservação da espécie): uma comunicação será sempre (no mínimo) uma Reunião ou uma Interseção de Conjuntos.

 

O problema é que pela mesma lógica este contacto agora iniciado (segundo os contadores de histórias alternativas ou adeptos das teorias conspirativas) poderá ter consequências tanto boas (reunião) como más (intersecção). Pelo menos no que se trata de operações entre conjuntos nas Reuniões todos os elementos pertencem (como iguais) ao mesmo conjunto final; já nas Interseções são muitas as variações.

 

(imagens e legendas: mp3download-stafaband.info e youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:24

05
Mar 11

Farol de Alexandria

 

O Farol de Alexandria foi criado por Ptolomeu, o rei do Egipto, em 290 A.C. e tinha 117 metros de altura. Com um grande espelho interno reflectia a luz do sol e orientava as embarcações. A noite usava-se o fogo para o farol brilhar. Em 1480 ele foi desmontado para se erguer um forte no local e restos do farol podem ser vistos submersos no mar.

 

Almanaque Estação

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:56

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO