Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

24
Mai 12

1. Introdução

 

“O Diabo manipula o dinheiro e tal como diz o Ministro transforma-nos todos em COISOS!”

 

Respeitar a cultura do povo incógnito, é preservar até à eternidade a memória de todos os nossos antepassados, por mais insignificantes que os considerem, respeitando-os por tudo o que sofreram por nós e também por toda a felicidade que criaram e nos proporcionaram e que com os seus descendentes, sempre sonharam poder partilhar – sendo esta a última esperança ainda intacta desta humanidade gostosamente alienada, caminhando servilmente e como opção paga, para a escravidão e extinção sem futuro e sem glória.

 

(EU)

2. Apresentação

 

Nasceu no Sardoal, distrito de Santarém, em 1915.

Aos 18 anos veio para Albufeira, onde começou a trabalhar com uma máquina de rua no Largo Eng.º Duarte Pacheco. Mais tarde monta o seu próprio estúdio em casa, tendo-se dedicado à arte de bem fotografar em estúdio.

As suas fotografias constituem um registo da história do concelho, sendo frequentemente utilizadas em diversas publicações.

O fotógrafo veio a falecer aos 69 anos, na cidade de Albufeira.

 

(WEB)

 

Retrato de Fausto Napier

                                                                          

3. Primeiro e Único

 

Fausto Napier nasceu no Sardoal, em 3 de Abril de 1915. Aos 18 anos radicou-se em Albufeira, começando a trabalhar como fotógrafo num largo, usando uma antiga “máquina de rua”. Sabe-se que aprendeu as artes fotográficas com o mestre espanhol Manuel Aljom. Mais tarde montou o seu próprio estúdio mas nunca deixou de ser um “repórter do exterior”.

 

Vista parcial da vila de Albufeira

 

Registou pessoas, paisagens, artérias urbanas, praias, fábricas, obras públicas e até acontecimentos marcantes como as cheias de 1949 e a enorme devastação que provocaram.

 

Inundações de 1949 na parte antiga

 

Das fotos mais populares, destacam-se as tiradas nos anos 60 ao famoso cantor inglês Cliff Richard, que em 1968 ganhou o Festival da Eurovisão.

 

Cliff Richards nos anos 60

 

Fausto Napier foi o primeiro fotógrafo de Albufeira e o único durante décadas. Ali criou raízes, casando em Março de 1957, com Ilda da Encarnação, uma natural da terra. Faleceu em 8 de Outubro de 1984. Em 1993, a Câmara de Albufeira organizou uma primeira exposição das suas obras.

 

(MSJ)

 

4. De Máquina na Mão

 

“Apesar de não ter nascido em Albufeira, Fausto Napier merece a homenagem que o Município lhe presta ao dar o seu nome a uma das artérias da cidade. Durante décadas registou em chapas fotográficas as belezas de uma pacata vila piscatória, ainda muito longe do advento do turismo, os seus usos e costumes e as gentes que lhe davam vida.

 

Praia de Albufeira

 

Começou por fotografar as pessoas, no sistema então usual e conhecido por “à la minute” e foi o primeiro a abrir um estúdio na então conhecida como estrada da Quarteira, hoje Rua do MFA (…). Recordo-me de no início dos anos cinquenta, quando como estudante no Colégio da Orada, residia em Albufeira, ver o Fausto Napier percorrer as ruas da então vila, de máquina na mão, subindo a longa escadaria que ligava a rua à casa onde residia e tinha instalado o seu estúdio. Alto e magro, mesmo muito alto para o porte habitual dos habitantes de então, fazia lembrar um cidadão inglês ou escandinavo. Chegado a Albufeira quando o basquetebol do Imortal dava os primeiros passos, não sei se terá sido convidado para a sua prática e aceitado pois não existem registos (…).

 

(AAM)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:03

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Fausto

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO