Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Polo Sul de Marte

Domingo, 11.07.21

“Com os Norte-Americanos (iniciativa do estado/privada) e os Chineses (iniciativa do estado) ─ estes últimos já tendo a sua própria Estação Espacial ─ a terem ambos como objetivo, depois de instalarem uma base na Lua, seguindo-se uma outra, mas agora em Marte.”

Imagem da superfície do planeta Marte (hoje a mais de 370 milhões de Km da Terra), localizada numa região de latitude/longitude 86,5° Norte/290,5° Oeste, ou seja, na calote polar sul (Polo Sul): com diferentes texturas contrastando entre si e construindo na nossa mente (aqui inserida num mundo estranho, alienígena), um rasto podendo ter sido deixado sendo na Terra por serpentes.

PIA24719.jpg

Texturas

Polo Sul de Marte

(PIA 24719)

 

Mostrando-nos esta área gelada do Planeta Vermelho, num registo adquirido pelos instrumentos óticos da sonda 2001 MARS ODYSSEY, em 29 de janeiro (de 2021). Um planeta de momento tendo três veículos motorizados ativos (Rover Curiosity e Rover Perseverance dos EUA e Rover Zhurong da China) movimentando-se à sua superfície (incluindo um deles ─ o Rover Perseverance ─ um helicóptero experimental, o INGENUITY), para além de sondas orbitais e do (carro) Roadster da Tesla (para lá igualmente se dirigindo), tripulado por STARMAN e sendo acompanhado na sua viagem pelo som do músico pop David Bowie.

Um planeta inóspito, desértico, radioativo, tóxico, sem atmosfera nem água visível e nestas condições ambientais extremas, sem vestígios/sinais de qualquer tipo de Vida, no entanto num passado bem longínquo (de biliões de anos) podendo ter tido isto tudo e hoje, ainda preservar algo do existente nesses dias, da “outra Vida de Marte”: como por exemplo depósitos subterrâneos de água e a partir daí podendo vir algo mais.

(imagem: photojournal.jpl.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:42

Antárctida - a superfície gelada

Quinta-feira, 10.11.11

A deslocação do glaciar de Pine Island em direcção ao mar tem acelerado ao longo dos últimos anos. Esta situação pode ter graves consequências para o futuro a nível global.

 

 

Como se pode constatar nesta imagem, as consequências desse fenómeno já se verificam sobre esta superfície gelada, com a progressão do aparecimento de fendas.

 

 

Torna-se impressionante a nossa capacidade de aceitar factos consumados como este – sem uma única hesitação ou mera interrogação, sobre a credibilidade de quem nos orienta neste mundo – em que uma tremenda muralha natural de gelo de um colossal continente gelado, pode ser derrubado nuns míseros anos por aqueles que dependem dele, como num caso de vida ou de morte.

 

 

Aqui se pode verificar o aparecimento de diversas fissuras na camada superficial do gelo, evoluindo para fendas cada vez mais largas e com o aparecimento de zonas líquidas à superfície. Tudo parece começar a transformar-se, num puzzle de difícil resolução.

 

(Imagens – EarthSky)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:26