Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Fev 16

“In Historic First, Einstein's Gravitational Waves Detected Directly”
(Calla Cofield – livescience.com)

 

A melhor forma de compreendermos o Espaço onde estamos integrados, é olharmos atentamente à nossa volta e começarmos por compreender as coisas mais simples. A partir daí é interiorizar e ir adicionando mais coisas, sejam grandes ou pequenas, sejam cheias ou vazias, tal como acontece no Espaço. E isso é o Universo e Um dos parâmetros a Gravidade.

 

water-drop.jpg

Blue water drop background
(psdgraphics.com)

 

Depois de muito conhecerem, observarem, experimentarem e praticarem (mas tudo teoricamente como é evidente), as cabeças extraordinárias que nas últimas décadas têm definido os limites do nosso mundo (certificando-os segundo critérios iluminados), chegaram por observação direta a uma notável confirmação.

 

“In a highly anticipated announcement today (Feb. 11), researchers affiliated with the Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory (LIGO) reported the detection of gravitational waves. The signal picked up by LIGO came from the collision of two black holes and was detected on Sept. 14, 2015 by LIGO's twin detectors in Livingston, Louisiana and Hanford, Washington, scientists said.” (Calla Cofield – livescience.com)

 

Quando era jovem e me iniciei no Universo da Leitura, dos primeiros livros que me chegaram às mãos e que li com imensa curiosidade (e talvez espanto dadas as leituras convencionais), um deles recordo-me bem (como se fosse hoje e pela capa apresentada) foi o livro Universo Vivo da autoria de Jimmy Guieu (Nº5/Coleção Argonauta/Livros do Brasil/1950).

 

“Não são poucos os que pensam ser a Terra, como todos os planetas, uma molécula que faz parte de um grande corpo – o Universo. Essa teoria (que como todas as teorias, só é aceitável até prova em contrário) desenvolve-se neste romance de uma forma que ultrapassa os limites do conhecimento humano, entrando no campo aberto da Ficção Científica.” (skoob.com.br)

 

Já nessa altura achava a teoria apresentada como verdadeiramente fascinante (confirmando o que anteriormente estudara na área das ciências da matemática), com a introdução do símbolo e da noção de infinito e com a sua extensão sem origem nem fim ao espaço infinitamente pequeno e ao espaço infinitamente grande – enquanto já se falava de outros mundos paralelos (alargando com isso o nosso espectro de compreensão e de identificação).

 

dnews-files-2016-02-gravitational-waves2-670x440-1

Computer simulation of the gravitational waves generated by 2 closely-orbiting black holes
(NASA/livescience.com)

 

“This cosmic crash sent gravitational waves streaming outward at the speed of light, causing ripples in the fabric of space-time, similar to how a dropped pebble disturbs a still pond. Researchers said the collision occurred 1.3 billion years ago between black holes that were about 29 and 36 times more massive than the sun, respectively.” (Calla Cofield – livescience.com)

 

No fundo o Espaço era um e existira desde sempre, replicando-se em todas as direções e provido de movimento, alterando a energia e a sua forma visível – a matéria. E a Alma dessa matéria era o seu eletromagnetismo: de uma forma visível ou invisível lá estava ele sempre presente. Dessa forma comunicando, interagindo e dando evolução à Grande Coisa (uma espécie de Big Bang ou algo também de estrondoso) – única, infinita e auto consciente.

 

“Unlike light waves, gravitational waves don't get distorted or altered by interactions with matter as they race through space; they therefore carry "pure" information about the objects and events that created them, according to LIGO researchers.” (Calla Cofield – livescience.com)

 

Não sendo pois de admirar que tudo se mexa por interação infinita de pontos criando um grande corpo, manifestando-se de seguida como construção e expressão desse conjunto e sucessivamente renovando-se como por ondas e propagando-se sem fim numa projeção – de um centro de outros corpos para um centro corporal, estendendo-se por transferência em todas as direções (como se fosse um buraco negro).

 

“Como quando atirava uma pequena pedra para o meio de um lago e inesperadamente, face à pequenez desta e ao seu desaparecimento imediato, me via perante um cenário maravilhoso por misterioso onde toda a superfície do corpo líquido se contorcia tal e qual como se tivesse prazer, atingindo no fim o orgasmo e assinalando a sua presença (da energia que a pedra tinha e de como a transmitia).”

 

Com as ondas de gravidade a serem agora finalmente detetadas e como tal, tendo nalgum tipo de origem, um ponto-focal por nós definido (de forma a ser possível a nossa compreensão) e claramente dinâmico. E interagindo com outros como variável, logo dependente.

 

“Na fluida dinâmica, ondas de gravidade são ondas geradas em um meio fluido, ou na interface entre dois meios (por exemplo, entre a atmosfera e o oceano), que ocorrem devido entre à interação de duas forças: o princípio de Arquimedes (que tende a fazer com que matéria no meio flutue) e a gravidade (que puxa a matéria em direção à superfície).” (wikipedia.org)

 

FRATERLUZ - Lei de Causa e Efeito vs Lei de Ação

Carma – Ação e Reação – Causa e Efeito
(fraterluz.blogspot.pt)

 

Sejam gravíticas ou gravitacionais, todas estas forças cósmicas (movimentando-se por ondas e assim atravessando espaços) estão interligadas entre si respondendo a uma só relação e à construção de um conjunto bem definido (o que não significa limitado – para tal contando ainda com os buracos negros, de modo a estabelecer canais alternativos e instantâneos de comunicação): e face a todas as forças da Natureza em presença, na realidade apenas um simples fenómeno facilmente compreensível e até por nós diariamente praticado (por isso estarmos vivos) de ação-reação. Numa estrutura aleatória mas conforme o caos e a ordem (talvez por acaso e/ou necessidade).

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:45

03
Jan 15

No seguimento de Fins do Mundo da Treta

 

Devido ao tão falado ALINHAMENTO PLANETÁRIO a ocorrer já no próximo domingo dia 4 de Janeiro, vou-me manter extremamente atento durante todo esse dia a todas as sensações vindas do ambiente que me rodeia, tentando dessa forma e de um modo concludente confirmar e experienciar em toda a sua plenitude o momento que se avizinha.

 

kate-upton-si-swimsuit-issue-zero-g.jpg

Kate Upton

 

Antecedendo os momentos também já previstos de eventos catastróficos a ocorrerem já este mês devido a esse mesmo alinhamento (ou seja o tempo de TEMPESTADE), nesse domingo usufruiremos de uma sensação de leveza temporária que talvez nunca mais tenhamos oportunidade de voltar a sentir (ou seja o tempo de BONANÇA).

 

Nesse dia de concretização de mais um histórico alinhamento planetário no interior do Sistema Solar (entre estes corpos celestes e a sua estrela de referência), a força de gravidade terrestre será inevitavelmente afectada, podendo mesmo sonhar-se com um momento de GRAVIDADE ZERO: nesse domingo e no preciso momento, muitos recordes se poderão bater!

 

E se tal não acontecer, será apenas mais uma FRAUDE. Mas também mais uma história para ler, entreter e adormecer.

 

(imagem – Sports Illustrated/2014)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:09

16
Nov 14

Mais um Corpo Celeste Misterioso, Convidando à Imaginação e Suscitando a Aventura

 

A Bola que Brilha e que Anda

 

FRB_444281880EDR_F0251860FHAZ00216M_.JPG

Imagem 1

 

Duas novas imagens do distante planeta Marte, localizadas na região onde o veículo da sonda CURIOSITY continua a fazer as suas visitas exploratórias. E presenteando-nos por vezes (e com o auxílio da NASA) com cenários no mínimo curiosos.

 

As duas primeiras imagens foram obtidas a partir do site da NASA/JPL no dia 19 de Janeiro deste ano. Pode-se ver perto do centro da primeira imagem (1) uma bola branca e brilhante sobre a superfície de Marte.

 

Continuando no mesmo cenário e minutos mais tarde, o mesmo objecto de origem desconhecida aparece agora noutra localização (2). Num intervalo de quinze minutos as câmaras do ROVER registaram os movimentos desta bola brilhante em solo marciano.

 

FRB_444281603EDR_F0251848FHAZ00216M_.JPG

Imagem 2

 

Será na realidade Marte um mundo completamente desprovido de vida, árido e desértico e sem um único pingo de água ou outro tipo qualquer de micro organismos, que a confirme e/ou a proporcione (a vida)? Nem mesmo uma espécie externa ao planeta?

 

Face à muralha que por vezes é colocada entre nós e a realidade, deixando-nos apenas vislumbrar partes minoritárias e menos importantes da mesma – aplicando-nos de uma forma indelével mas eficaz um filtro mental – não é de admirar o aparecimento de histórias como esta.

 

As imagens são-nos livremente fornecidas e nós apenas nos limitamos a interpretá-las. E isto não é Conspiração mas apenas Análise e Interpretação – um mero exercício mental com o único objectivo de tentarmos compreender (já que não nos esclarecem de certos pormenores exibidos pelas imagens).

 

A Pedra que Levita e Não Cai

 

mars levitating rock.jpg

Imagem 3

 

E agora voltemo-nos para outra imagem também bastante interessante e que nos leva até a pôr em causa o valor indicado para a força da gravidade no planeta Marte: pelo menos no caso do planeta Terra e referindo-me aos casos de levitação de objectos, apesar de muitas notícias afirmarem a existência dessa possibilidade (pelo menos natural), pessoalmente nunca presenciei uma.

 

Nesta imagem (3) obtida pelo ROVER CURIOSITY a 19 de Janeiro (e aparecendo inopinadamente no meio dum cenário árido e desértico, pejado de centenas de pequenos calhaus mergulhados na fina poeira marciana), eis que diante de nós e como que virtualmente suspenso na ténue atmosfera envolvendo o planeta Marte, nos aparece um calhau sobre a sua superfície, não a tocando e permanecendo acima dela como se levitasse.

 

A ocorrência de tal facto no planeta Marte é no entanto uma impossibilidade: sabendo-se que a força de gravidade no planeta vermelho é pouco maior que 1/3 da gravidade terrestre seria um pouco difícil a qualquer tipo de objecto (natural) como o aqui visualizado (e por menos denso que fosse), flutuar assim sobre o solo. Nem que se deslocasse por efeito de (fortes) ventos marcianos. Artificial? Não parece.

 

mars levitating rock, nasa curiosity images, curio

Imagem 4

 

Desde sempre que o planeta Marte tem estado envolvido numa rede intrincada de rumores e de mistérios, que conjuntamente com a nossa Lua (e uns quantos cometas mais próximos e conhecidos) mais têm preenchido os nossos pensamentos e a nossa imaginação, transportando-nos incessantemente e como náufragos à procura de salvação, para outros mundos alternativos com outras histórias para oferecer.

 

A imagem ampliada do objecto (4) em possível levitação (temporária) sobre o solo (pretensamente morto) de Marte, se por um lado levanta mais algumas dúvidas sobre o que na verdade se passará no planeta (a todos os seus níveis), não nos consegue afastar das teorias antigas sobre a possibilidade de aí ter existido vida (veja-se o caso dos Canais de Marte) ou de mesmo agora ainda por lá existir algo. Mas afastando-nos sempre da explicação mais fácil e decepcionante de que estaríamos apenas perante mais um erro de paralaxe.

 

Como se pode assim constatar são apenas os cépticos que duvidam da primeira explicação dada, mesmo que ela seja científica e oficial. Para os cépticos estão reservados todos os defeitos associados aos órgãos dos sentidos (para já não falar da mais que certa existência de uma grave anomalia de funcionamento, a nível de processamento cerebral) – e para os outros (os servidores e seus fiéis) a certeza da execução de um serviço eficaz ou então o da integral concretização dos seus desejos (dos profetas).

 

(imagens: humansarefree.com e ufo-blogger.com/NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:09

02
Set 12

No filme “ET – O Extraterrestre” o seu realizador Steven Spielberg já nos informava da possibilidade de existência de vida noutros planetas de galáxias distantes

 

Conversações com a supervisão organizacional de um grupo restrito e selecionado de humanoides oriundos do sistema solar, constituído por elementos do núcleo fundamental de eruditos e iluminados representantes das duas grandes potências terrestres – russa e norte-americana – e nomeados nos anos setenta por uma comissão de acompanhamento constituída por responsáveis pelas missões secretas do programa Apollo, na sua última fase da colaboração americano-soviética, na tentativa de descobrir evidências da existência de vida no nosso misterioso satélite, a Lua.

 

Já se suspeitava há muito tempo da existência de bases de origem desconhecida na Lua à semelhança da base lunar ALPHA da série Espaço 1999

 

“Delegação terrestre visita bases na Lua a convite da Aliança”?

(INF – FS/12.91)

 

Face ao impasse anteriormente divulgado por setores secretos e privilegiados da sociedade algarvia e que se cruzam com os interesses de empresários locais, maioritariamente favoráveis a uma intervenção económica e urbana profunda nas infraestruturas já existentes no concelho, mantem-se suspensas as negociações entre representantes terrestres e outros representantes externos pertencentes à Aliança. O que não significa que tudo esteja parado, apenas porque estamos na época alta do turismo e do lazer.

 

Por esse motivo ganham mais relevo certas informações que nos tinham chegado às mãos poucos dias antes, vindo de fontes oposicionistas a esta Aliança e às quais ainda não tínhamos dado a real importância e prioridade, dada a grande dificuldade de por esta altura podermos cruzar informações e confirmar a veracidade de certas noticias que nos vão chegando.

 

Servindo-se do pretexto da chegada do Rover CURIOSITY a Marte e num gesto de boa vontade os extraterrestres solicitaram mais uma vez os serviços da Aliança

 

Uma delas refere-se ao facto de uma larga comitiva da Aliança na qual se integrava uma embaixada representativa de Albufeira – daí a presença por essa altura do Primeiro-Ministro e do Presidente da Republica na região do Algarve, provavelmente para tratar também de detalhes secretos referentes à planificação da viagem e estabelecimento de estratégias de intervenção – se ter deslocado numa nave alienígena em direção ao nosso satélite artificial a Lua, para um tempo ainda indeterminado de negociações. Muitas movimentações e convulsões se registaram entretanto entre a classe dirigente do país e as suas sociedades secretas organizadas, tendo já levado à concretização de muitas ações de vingança e denúncia, como a da divulgação de listas de elementos ligados à maçonaria, dado alguns deles estarem ligados a sociedades, com ligações antigas aos extraterrestres.

 

A Lua – satélite artificial de origem extraterrestre construída à imagem da Estação Espacial DEATH STAR no filme Guerra das Estrelas

 

A Lua seria um satélite artificial da Terra aí colocada pelos extraterrestres não só para vigilância constante do planeta e da sua evolução tranquila, como para proteção da Terra contra o impacto de grandes meteoritos, servindo uma das faces da Lua, como escudo de proteção. Daí uma das faces da Lua estar tão sobrecarregada por crateras resultantes de diversos impactos ocorridos ao longo dos seculos, o que já não acontece com a outra face; e a outra curiosidade já conhecida e confirmada da força da gravidade não ser sempre igual em toda a superfície lunar, sendo diferente conforme estamos na zona oculta ou não, do nosso satélite.

 

Protótipo de um elevador lunar apresentado este ano numa conferência realizada na cidade norte-americana de Seattle provavelmente já em construção

 

Além de tudo isto – e concordando com a teoria de que a Lua seria oca no seu interior, estando coberta por uma camada forte e espessa de crosta, coberta por poeiras à sua superfície – este astro serviria como um portal de comunicações entre outras galáxias pertencentes à Aliança, permitindo viagens instantâneas entre locais diferenciados do Universo, situados a milhões e milhões de anos-luz.

 

Com o início das missões Apollo a NASA esteve sempre interessada na instalação de uma base na Lua acabando no entanto o seu desejo por colidir com o poderoso interesse e intervenção dos militares 

 

Assim os nossos enviados à Lua estariam instalados em bases subterrâneas já existentes há muito tempo no nosso satélite – e confirmado pelas sucessivas missões Apollo – situadas na face oculta da Lua, de modo a se manter um certo ambiente de privacidade e confidencialidade. Estaria também planeada na elaboração anterior do roteiro da nossa embaixada algarvia, uma viagem de estudo ao planeta Marte, onde os observadores seriam convidados a visitar as instalações aí existentes, além de efetuarem uma visita obrigatória ao Museu Antigo de Marciano e às proximidades da cratera Gale e do Monte Sharp para verem ao vivo as movimentações do Rover CURIOSITY e ouvirem uma mensagem do Presidente Obama realizado no Terra e agora emitido de Marte.

 

Modelo da nave alienígena utilizada ao serviço da Aliança no transporte dos enviados à Lua e que alguns populares dizem ter visto um destes dias à noite estacionado no aeroporto de Beja

 

O lançamento secreto desta nave em direção à Lua efetuou-se a partir de instalações secretas e subterrâneas existentes nas proximidades das construções da barragem do Alqueva, tendo o seu percurso sido monitorizado pelos potentes radares existentes na Foia e acompanhado atentamente por técnicos pertencentes á Aliança, a partir da sala de controlo existente na zona de Albufeira e construída sob o canal de escoamento de aguas residuais há pouco tempo completamente enterrados. A sala de controlo seria alimentada pelas células voltaicas já instaladas no concelho – e concelhos limítrofes – as quais seriam reforçadas mais tarde na sua quantidade e potencia disponibilizada, consequência das previsíveis necessidades do aumento de energia pedida à rede.

 

A não utilização consciente dos avanços científicos e tecnológicos postos à disposição de todo o mundo apenas por interesses e estratégias particulares como é o caso do abandono do investimento na energia solar é sempre condenável e criminosa

 

Uma das últimas notícias de relevo a chegar às nossas mãos, seria a de que uma fação oposicionista dentro do atual partido do poder e inimiga das ações desenvolvidas pela Aliança em Portugal – por não concordar com as contrapartidas e as luvas oferecidas – estaria a optar como estratégia de ação e boicote a estas forças, o desinvestimento brutal do nosso país no desenvolvimento das energias renováveis e suas técnicas de utilização.

 

“Acreditando no que muitos dizem, muito do que Hollywood nos oferece antecipando a realidade – dizendo ser ficção (cientifica) – poderá ser mesmo verdade”!

 

(imagens – Google.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:07

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO