Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Mai 18

Uma questão (elucidativa na resposta) dirigida pelo diário Times of Israel a um alto-dirigente político israelita (Avi Dichter), ao ser colocado perante a situação de conflito (desde já com mais de 60 mortos e mais de 2000 feridos registados num só dia) provocada pelas manifestações de protesto de cidadãos palestinianos próximo da fronteira entre Israel e Palestina.

 

DdLCfDHVAAE_1qJ.jpg large B.jpgDdLCfDHVAAE_1qJ.jpg large A.jpg

Israel Vs. Palestina

Com a filha de Donald Trump cerca de 1hora de um lado

E com 60 mortos e 2000 feridos durante 24 horas do outro

Maio 2018

 

5749521.jpg

Faixa de Gaza

Segundo a definição e a lei internacional sob um tipo de apartheid

Bombardeamente nos arredores de Tuffah

Julho 2014

 

Times of Israel:

(Referindo-se à tentativa dos palestinianos

De passar a fronteira entre Palestina e Israel)

 

Aren´t you worried about

A possible border breach on Monday?

(Não está preocupado com o possível aparecimento

De mais uma brecha na fronteira?)

 

Avi Dichter:

(Explicando como Israel resolveria o problema

Dessa passagem não autorizada de palestinianos)

 

No.

We have enough ammunition for everyone.

(Não.

Temos munições suficientes para todos.)

 

[Ou: “De como os Políticos postos a nu se revelam como visceralmente criminosos ‒ habitando um Mundo de Cegos e pelos mesmos Projetado ‒ sendo nas suas ações inapelável e irreversivelmente um Nojo.”]

 

Desde que no ano de 1947 após o fim da II Guerra Mundial e sob direção dos Vencedores ‒ desse período Catastrófico da História da Europa bem demonstrador de tudo o que de mais tenebroso o Homem é capaz de fazer a si e à sua própria espécie ‒ os líderes políticos de então sujeitos aos mais diversos tipos de pressão (social, económica e financeira dada a destruição da Europa e o caos instalado no Mundo, ainda visto e partilhado sob uma perspetiva colonial) decidiram resolver o problema de um dos principais contingentes de vítimas (os Judeus) desse Grande Conflito da Humanidade tendo durado 6 anos (1939/1945),

 

‒ Com antecedentes (sinais/avisos) bem claros e sucessivos avisando do que aí vinha (como terá sido o caso da Guerra Civil de Espanha travada de 1936 a 1939) e posteriormente ‒ ultrapassado este período de tragédia Humana ‒ concluindo-se não ter o mesmo (período experimental) servido minimamente de lição (e aprendizagem) continuando a replicar-se indiferentemente (como nada se tivesse passado) no tempo (com a ocorrência de conflitos como a Guerra da Indochina, a Guerra do Vietname, as Guerras do Golfo)

 

Um povo inteiro desde o tempo do Império Romano habitando uma região do Médio-Oriente denominada (pelos mesmos romanos) como Palestina e então localizada entre o mar Mediterrânico e o que é hoje a fronteira terrestre com a Arábia Saudita e o Iraque, viu-se forçado por entidades exteriores à sua (própria e tradicional) evolução territorial e geracional ‒ na defesa do seu território e da sua integridade e soberania ‒ a partilhar as suas terras, memórias e culturas (ancestrais) com outro povo completamente estranho (numa terra para os mesmos antes bem distante ou desconhecida e como tal igualmente estranha),

 

‒ Aproveitando-se a ocasião (a ocasião faz o ladrão) para definir politico-geograficamente uma região (por parte dos países ocidentais, coloniais e vencedores da II Grande Guerra para com as suas colónias) partindo-a em 3 e distribuindo-as pelo que é hoje a Jordânia, Israel e pelo que deveria ser a Palestina (Faixa de Gaza e Cisjordânia)

 

Acabando de imediato (no ano seguinte de 1948) perseguido, pondo-se em fuga e quase que sendo pulverizado (para não utilizar o termo bem conhecido pelos judeus exterminados).

 

Unilateralmente com o Estado de Israel a declarar a sua Independência (com a cumplicidade passiva dos EUA e das potências aliados ocidentais) e a originar de imediato e como resposta (já prevista) o eclodir de um violento conflito militar com todos os restantes países árabes da região (Guerra entre Israel e árabes de 1948/49),

 

Egito, Síria, Iraque, Jordânia, Líbano e Arábia Saudita (com Israel o vencedor)

 

Palestinian_refugees.jpg

Refugiados palestinianos

Em fuga das suas terras devido à declaração unilateral de Independência de Israel

Originando a 1ª Guerra Israelo-Árabe

Palestina ‒ 1948

 

src.adapt.960.high.yasser_arafat_110613.1383764513

Yasser Arafat

Fundador da Fatah (em 1959)

Posteriormente líder da OLP (desde 1969)

Damasco ‒ Síria ‒ 1970

 

E já depois de desrespeitar a resolução da ONU de 1947 que lhe atribuía direitos (um país Israel) mas também deveres (respeitando o país do outro a Palestina) ‒ a chamar a si a outra parte (do território antes partilhado entre judeus e palestinos) fazendo a partir daí sempre o que quis, expropriando, expulsando e não tendo outra hipótese final e definitiva (pelo menos para já) encostando, concentrando, degradando e destruindo (matando):

 

Em pleno século XXI com a maior prisão a céu aberto e sem qualquer tipo de obrigação (individual ou coletiva) na manutenção das condições mínimas de sobrevivência das pessoas aí detidas (criminosos ou inocentes, homens, mulheres e crianças),

 

‒ Por excedentárias sendo retiradas da sua anterior categoria de sujeitos e recolocadas na prateleira dos subobjectos ‒

 

A estar localizada na Palestina na Faixa de Gaza. Segundo notícias recentes com uma revolta a ocorrer na Prisão (Faixa de Gaza) obrigando as autoridades policiais (os israelitas) a intervirem e com o balanço (entre os detidos os palestinos) a cifrar-se em cerca de 60 mortos e uns 2000 feridos (segundo as autoridades apenas usando fumo e balas/explosivas? de borracha) ‒ e em uníssono com os EUA e Israel a culparem os mortos e os feridos (dado o escândalo e Crime de Guerra até com franceses e ingleses a afastarem-se) chegando a acusar o Governo (da Palestina) de oferecer uns 500 (dólares) a todos os seus cidadãos que na manifestação tenham com uma bala israelita no corpo (mesmo podendo morrer ou ficar amputado).

 

Mas afinal quem dispara, logo com balas explosivas e para criar amputados?

 

Enquanto no mesmo momento e em Jerusalém,

 

‒ Segundo a resolução da ONU de 1947 declarado território Internacional e com Telavive até aos dias de hoje sendo considerada a capital de Israel

 

O eterno mediador do conflito israelo-palestiniano (os norte-americanos) agora sob a presidência e tutela de Donald Trump (e dos seus Militares apontando em alternativa para o Irão), tomava para si uma das partes (a maior) desligando-se (da condução do processo) por não querer saber da outra (a parte menor):

 

Mandando para a Cerimónia a filha (de cera) sendo acompanhada pelo genro (de barro), ambos sendo básicos e compatíveis com o amigo israelita (segurando na mão o rastilho) e com o homem do botão (fornecedor da pólvora decisiva) para a construção do artefacto tornando o ambiente incendiário-explosivo. E a ser mais que óbvio o material indicado para incinerar (os pelos líderes israelitas considerados como sub-humanos).

 

Por último com os principais grupos ou movimentos de resistência palestinianos (certamente todos armados),

 

‒ Tendo origem no movimento de protesto e de revolta do povo árabe (expulso das suas terras) e congregando os grupos de resistência clandestinos de então (antes dispersos) em torno de uma grande organização a OLP (fundada em 1964) liderada pelo já lendário Yasser Arafat (nascido em 1929 no Cairo ‒ segundo o próprio em Jerusalém ‒ e tendo falecido em 2004 em Paris, suspeito de vítima de envenenamento pelos Serviços secretos Israelitas a conhecida Mossad ‒ uma espécie de GESTAPO, PIDE, CIA ou KGB)

 

Como a Al-Fatah (início dos Anos 50), a Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP/desde 1967), a Frente Democrática para a Libertação da Palestina (FDLP/desde 1969), a Jihad Islâmica (Palestiniana/79 a 81) e o Hamas (desde 1987),

 

Na sua altura e como o é agora o Hamas e a Al-Fatah a serem considerados Efetivamente & Combatendo-os como grupos Terroristas (governando atualmente a Palestina);

 

10 Dos Maiores Ataques Terroristas Registados No Século XXI

(iniciando-se pelo 11 de Setembro)

 

Ano

 

Atentado

Autor

Alvo

Mortos

2001

Ataque 11 Setembro

Al-Qaeda (sauditas)

EUA

2996

2004

Tomada reféns escola Beslan

Separatistas chechenos (apoiados p’ Al-Qaeda)

Rússia

385

2004

Atentado estação ferroviária Madrid

Al-Qaeda

Espanha

192

2007

Bombardeamento comunidade Yazidi

Al-Qaeda (e sauditas)

Iraque

Mais de 796

2014

Massacre Campo Speicher (Tikrit)

Estado Islâmico (e sauditas)

Iraque

Mais de 1576

2015

Atentado

Paris

Estado Islâmico

França

137

2016

Atentado

Nice

Estado Islâmico

França

87

2017

Bombardeamento Mogadishu

Grupo ligado Al-Qaeda

Somália

587

2017

Ataque

Sinai

Estado Islâmico

Egito

311

2017

Ataque

Kabul

Taliban

Afeganistão

Mais de 150

Com a esmagadora maioria destes brutais atentados a terem origem nos terroristas bons

‒ Como a Al-Qaeda e o Estado Islâmico, terroristas mas apoiados pelos EUA/Sauditas ‒

E não pelos terroristas maus como os palestinianos do Hamas (da Al-Fatah ou da OLP) ou os iranianos do Hezbollah apoiados pelos Russos (e talvez pelos Chineses)

 

E no entanto não englobando nesse grupo dadas as mesmas senão piores consequências (mortais), grupos como os dos terroristas da Al-Qaeda e até do Exército Islâmico apesar das palavras (e assim mantendo as aparências) Efetivamente Financiando-os (e até do Hezbollah umas vezes aliado outras vezes inimigo, agora do lado de lá pela sua ligação ao Irão).

 

[Avi Dichter - responsável do comité de Negócios Estrangeiros e Defesa de Israel)]

 

(dados da tabela: wikipedia.org ‒ imagens: nytimes.com/independent.co.uk/wikipedia.org/wordpress.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:03

15
Abr 18

From

“Yes We Can”

To

“Catch Me If You Can”

 

Vivendo-se um momento Histórico de um dos Máximos de Hipocrisia Humana, substituindo-se o Verdadeiro e o Falso pelo Praticamente Verdadeiro e pelo Praticamente Falso: dispensando desde logo provas e defensores (parasitas e intermediários) e deixando a decisão na mão dos acusadores (os oráculos oficiais).

 

88435-catch_me-dreamworks.jpg

Catch Me If You Can

(um filme de Steven Spielberg com Leonardo DiCaprio)

 

Com a população do planeta Terra (entre 257 países e territórios) estimada em mais de 7,6 mil milhões de seres humanos (e com 192 estados-membros integrando a maior organização intergovernamental Mundial a ONU, ou seja, quase 75% do total), três Estados representando apenas 6% da População Mundial (mas por outro lado representando mais de 42% do investimento global em armamento) – EUA, Reino Unido e França – decidiram mais uma vez e unilateralmente (com a liderança a ser assumida pelos EUA, apenas acompanhado pelo Entreposto e pelo novo Dançarino) fazer Justiça pelas próprias mãos, desrespeitando simultaneamente toda a Comunidade Internacional e utilizando as agora na moda Fake News: de uma forma rápida e simplificada colocando todo o Mundo à beira de uma nova Guerra Mundial não Convencional (sendo convencional com feridos e mortos) mas Nuclear (não sendo convencional com mortos a prazos variáveis), baseando a construção de todo este cenário de Guerra e de Ataque Eminente aos seus próprios países – e como tal (e segundo as suas Profecias) ao Resto do Mundo – numa mistura de ingredientes nunca julgados possíveis de se juntarem e de se interligarem (e até de se fundirem, criando uma nova Ideologia dirigida ao objeto, entretanto e no decorrer do processo já com o sujeito transformado num subobjecto) formando um composto sólido e para a esmagadora maioria aparentemente credível. Juntando apenas Mentiras (Fake News) com muita Hipocrisia (“Faz o que eu digo mas não faças o que eu faço”). E assim no dia 13 de Abril (ainda sexta-feira dia de azar, mas só para os lados de Washington) – já sábado (dia 14 de madrugada) na capital da Síria (Damasco) – com a Tríade liderada pelos Excecionais apoiada esmagadoramente pelos Média e Senhores da Guerra e pelas estratégicas, sucessivas e implantadas Fake News (sem dúvida excecionais nos resultados obtidos a curto-prazo), invocando mais um pretenso Ataque Químico do regime de Bashar al-Assad sobre a população Síria (depois de um outro russo sobre a população inglesa) a responder durante uns quinze minutos com mísseis e bombardeamentos (dizem que com o dobro do impacto do de há um ano atrás também como resposta a um Ataque Químico do regime mas nunca confirmado) de novo sobre o já tão martirizado povo da Síria, pelos vistos podendo ainda ser sujeito à prossecução do genocídio. E com três pessoas nada recomendáveis como TRUMP, MAY e MACRON – acusando, julgando e condenando – a decidirem o futuro do Mundo como se não existissem muitos outros (7,15 mil milhões) com os mesmos direitos à existência. Um caminho minado e extremamente perigoso – até para o líder da Tríade (os EUA) quanto mais para os acompanhantes (Reino Unido e França) – numa ameaça e insulto a outras grandes potências (estando ao lado de quem estiverem sendo todos perigosos): como a China, a Índia, a Rússia, o Japão e a Alemanha entre outros (e a estes se juntando os outros países nucleares como o Paquistão, a Coreia do Norte e Israel). E com qualquer um dos Blocos EUA-RÚSSIA-CHINA com todas as suas ogivas nucleares (num total global aproximado de umas 14.900 mais de 14.000) a poder ser o detentor da agora inequívoca e válida Quase Verdade (cada um logicamente com a sua) e como justificação a poder destruir muitas outras terras e em conjunto toda a Terra (e num Evento ao Nível da Extinção exterminando o Homem, a raça dominante habitando o planeta, dita racional e inteligente).

 

(imagem: dreamworksanimation.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:26

14
Abr 18

[E de Força-Bruta vinda de todas as direções, cometendo genocídio e terraplanando o planeta – impunemente e com o selo de garantia mortal da ONU!]

 

Com Theresa a exigir um Ataque Rápido, com Trump a desejar um Ataque Duro e com Macron simplesmente a Dançar (recordando-nos Sarkosy o dançarino de Merkel).

 

Última Hora 1

Facto

O Ataque da Grande Coligação Ocidental

US/UK/França

Sábado dia 14 de Abril pela hora do jantar (em Washington) e ainda de madrugada em Lisboa (antes do nascer-do-sol em Damasco) o Presidente dos EUA com o apoio do Governo do Reino Unido e do Presidente da França ordenou um ataque à Síria: pretensamente tendo como objetivo locais associados ao estudo, desenvolvimento, produção e armazenamento do arsenal químico sírio (em princípio um projeto há muito encerrado e confirmado oficialmente por entidades internacionais especializadas e creditadas), com um deles localizado precisamente no meio de Damasco numa zona densamente povoada e na qual nem uma “intervenção cirúrgica salvará os aí residentes. Estando programado para hoje (pelo menos antes do ataque) a partida dos inspetores de armas químicas (do OPCW) para Duma na Síria.

 

9659042-3x2-940x627.jpg

Um míssil sobrevoando a capital da Síria Damasco

14 Abril 2018

(onde se encontram mutos refugiados da Guerra Civil Síria)

 

Num cenário de luta sem quartel entre duas fações Militares (trabalhando ambas para o mesmo Complexo Industrial-Militar) atualmente ainda em confronto (mas com a aparentemente mais moderada a perder terreno muito rapidamente) no interior da Administração Norte-Americana,

 

– De forma a tomarem nas suas próprias mãos o controlo total da (atual e real) Política Externa (assente na sua larga supremacia militar) dos EUA, por delegação do Presidente nesses seus fiéis apoiantes (afastando-se dos civis, refugiando-se nos militares)

 

Continua simultaneamente a desenvolver-se (de momento e erradamente parecendo suspensa) uma nova crise em torno do Conflito Sírio (quando menos se esperava agora que a Guerra Civil Síria parecia aproximar-se do fim com a derrota do Estado Islâmico e a vitória das tropas leais ao regime sírio),

 

Com os EUA a ameaçarem a atacar a Síria (desde a Guerra ilegal do Iraque sob o pretexto repetitivo, já cansativo e nunca confirmado da utilização de armas químicas),

 

E a Rússia em tipo de resposta a avisar para então terem cuidado:

 

Ou seja num ato de extrema loucura política por nunca vista (superior à de David Cameron ao propor o plebiscito sobre o Brexit) e num processo de construção inquisitorial (e de molde diabólico) de um culpado nunca imaginado (nem mesmo por George Orwell) mas materializado por projetado (nos Média),

 

– Com a líder da Ilha Theresa May (depois de sucessivos pontapés no Continente) a clamar por uma Guerra contra Putin (chamando hipocritamente a si os 27 dos ex-28) colocando à disposição de Trump um submarino e comportando-se como um Boneco (descontrolado e nas mãos de alguém)

 

E prevendo-se como mencionado anteriormente a vitória (na Casa Branca e ao lado de Trump) da estratégia da Intervenção Militar (dos Falcões, os mais duros e intervencionistas),

 

Sobre a do diálogo, do compromisso e da Diplomacia (como Política Externa)

 

Última Hora 2

Questão

E no meio desta Guerra

Onde está a Europa?

Com a estação de TV estatal a relatar o início do ataque aéreo levado a cabo pelos EUA/UK/França à capital Damasco, podendo-se observar no céu noturno rastos luminosos provavelmente da aviação, misseis e antimísseis (com a defesa antiaérea Síria a afirmar ter abatido uma dúzia desses misseis) e com as forças comandadas pelos EUA (à distância provavelmente do Mediterrânico) a afirmarem ser uma missão de punição e de aviso (à Síria como subentendendo-se à Rússia e ao Irão) mas de apenas um dia. Mas para evitar confusões avisando-se antecipadamente (e de novo) os russos, ficando-se a gora a aguardar a reação (ao ataque) dos mesmos. O verdadeiro objetivo de israelitas (ensaiando) e de norte-americanos (concretizando).

 

14dc-prexy1-master768.jpg

Donald Trump de costas voltadas a Síria

Para Duma e para o Mundo

(mantendo por tempo indeterminado a guerra e a morte)

 

Sendo previsível que entre as duas propostas (limite) colocadas em cima da mesa, uma delas seja a Verdadeira e a outra (talvez antes escolhida) a revogada: colocando-se a escolha entre uma Repetição (tendo como Alvo aparente a Síria) ou uma Provocação (tendo como Alvo real a Rússia).

 

Depois do afastamento de Rex Tillerson “o mole” (Secretário de Estado) e da chegada de John Bolton “o duro” (aparentemente como Conselheiro de Segurança de Donald Trump),

 

– Tendo nós um pouco de cultura e de memória um dos cérebros na Administração Bush de toda a orquestração que levou ao engodo e tragédia da Guerra do Iraque

 

Com a opção de Ataque Cirúrgico de aviso e de castigo (como ocorrido há cerca de um ano e pretensamente pelos mesmos motivos igualmente nunca provados) a perder irremediavelmente terreno (cada hora que passa),

 

E com os Militares apoiados por John Bolton (mesmo com o mais moderado James Mattis ainda presente e sendo a única voz a prever o pior cenário),

 

Querendo premiar Donald Trump (levando-o à ação e ao palco da Política Externa subindo a popularidade) e arrancar no processo (e fartos de esperar pelo Pentágono),

 

Propondo algo muito mais profundo como a destruição de todas as infraestruturas governamentais (que ainda restam de pé na Síria) destruindo definitivamente o Estado (repartindo o território) e sendo necessário levando tudo à frente (ou seja sírios, iranianos e russos).

 

Numa Via bem Aberta tendo a direção do Irão e com os norte-americanos a sugerirem a não existência da Rússia assim como não ingerência da China (para já não falar do Outro Mundo transformado na ONU num vazio).

 

(imagens: abc.net.au e nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 05:05

12
Abr 18

“Russia vows to shoot down any and all missiles fired at Syria.

Get ready Russia, because they will be coming, nice and new and “smart!”

You shouldn’t be partners with a Gas Killing Animal

Who kills his people and enjoys it!”

(Donlald J. Trump/@realDonaldTrump/twitter.com)

 

ap17315382310704.jpg

 

A horas de mais uma possível (com Donald Trump e o seu Twitter tudo sendo imprevisível) intervenção militar dos Estados Unidos da América (no Médio-Oriente) a pedido da Administração da Casa Branca (como aparente resposta à preocupação do seu mais fiel Entreposto localizado numa ilha da Europa e liderado por Theresa May, o Reino Unido) – e com o Presidente Donald Trump procurando proteção nas mãos do poderoso Complexo Militar-Industrial Norte-Americano (Política Externa), queimado como tem sido pela esmagadora maioria dos Média e por muitos dos seus opositores (Democratas como Republicanos) desde que foi eleito em Novembro de 2016 como o 45º Presidente dos EUA (Política Interna),

 

– Tudo sendo justificado para a generalidade da opinião pública (de um dos lados, a dita Ocidental) como sendo uma resposta obrigatória e adequada (e Democrática) ao crime horrendo perpetrado no Reino Unido (em qualquer dos casos e dadas as vítimas questionando-se qual?) e de seguida na Síria (havendo provas sendo interessante saber com que objetivo?) pelos adeptos da utilização de instrumentos de guerra primitivos, ultrapassados e ilegais (por proibidos) e com o selo (pelos vistos de Garantia) inequívoco da Rússia (dirigida por um ex-Agente do KGB e potencial homem violento de nome Vladimir Putin) como o são os Agentes Químicos, Tóxicos e Mortais

 

E a poucas horas do fim do prazo dado por Donald Trump (24 a 48 horas) para a Rússia pensar melhor no assunto (Sírio) e refletir com maior profundidade nas consequências de desafiar os EUA e observando-se desde já o novo bailarino francês (digno sucessor de Sarkosy) a entrar em ação (mais Humanista apesar de ser do género Masculino) e a nova Dama inglesa agora de Betão gritando contra o novo ditador e nazi Vladimir Putin (muito mais violenta apesar da diferença de género),

 

“UK reportedly orders subs towards Syria

For possible missile strikes.”

(cnbc.com)

 

“After Syria Strikes, Israel Expects Proxy War With Iran.

Officials, analysts predict 'showdown' in Syrian territory.”

(antiwar.com)

 

hqdefault.jpg

 

– Com o par de bailarinos Sarkosy/Kadafi (o Líbio) a ser substituído pelo novo par Macron/Salman (o Saudita) e com Theresa May tal como Donald Trump (isolados internamente) a tentarem salvar-se no seu território (Política Interna) distraindo o seu eleitorado da grave situação social e económica interna e recorrendo à possibilidade de uma potencial Guerra mas vinda do exterior e necessitando de pré-proteção (Política Externa)

 

Com o nosso maior espanto e incredibilidade a não ser pelos vistos suficiente para cairmos fulminados e cilindrados (com a nossa elite não reagindo, continuando estrategicamente ausente e delegando responsabilidades em/segundo eles inferiores/mas úteis) dada a completa indiferença dos nossos políticos, colocados perante mais um Cenário de Morte e de Guerra (criadas as raízes da intolerância, cada vez mais próximo, intrusivo e irreversível) deixando assim e mais uma vez o Comboio passar (sem reação da Alemanha e como tal da EU) mesmo que à frente do mesmo esteja há muito bem definido o fim dessa mesma linha: uma III Guerra Mundial confirmando o Fim da Europa.

 

Com os EUA (utilizando o pretexto da Síria) ameaçando a Rússia, ou seja, com as mais de 7500 armas nucleares norte-americanas (48%) a ameaçarem as 7100 armas nucleares russas (46%),

 

– Os outros (França, China, UK, Paquistão, Índia, Israel e Coreia do Norte) talvez tendo umas 1000 (6%)

 

“Russia will shoot down US missiles fired at Syria

And retaliate against launch sites, says ambassador.”

(independent.co.uk)

 

"Smart missiles should fly towards terrorists,

Not towards the legitimate Syrian government."

(Russia's Foreign Ministry spokesperson Maria Zakharova's/nhk.org.jp)

 

Hot+Topic+-+Syria+(4 8).jpg

 

E assim (simplificando tudo ao máximo) traduzindo tudo isto em miúdos (o que para nós os pobres e leigos mais interessa), divulgando e informando (e não manipulando) todos nós e todo o Resto do Mundo (fazendo parte de um bolo de mais de 7,5 biliões) de modo a todos compreenderem e interiorizarem (se quiserem manter-se ilesos psíquico e/ou fisicamente) do que realmente aqui está em causa: dado todo o seu poder Nuclear como Maior Potência Militar Global, com os EUA a ter a capacidade de pelo menos destruir 75X o planeta Terra enquanto a Rússia (menos poderosa) limitando-se a apenas a poder destruir umas 70X. De momento esperando-se pelo ataque (em princípio dos EUA à Síria mas com o Alvo além da Rússia a apontar para outro grande e apetitoso produtor de petróleo o Irão) e pela resposta (da Rússia e dos seus Aliados Orientais) para verificar qual deles terá o maio botão.

 

(imagens: onlinebreakingnews.info/patriotpowerednews.com/charitynavigator.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:15

24
Jan 18

“Para o correto funcionamento do capitalismo é necessário a divisão da sociedade em castas, como  fizeram os hindus tantos séculos atrás.”

(eticahoje.wordpress.com)

 

o-peixe-grande-come-cadeia-alimentar-menor-de-peix

A Cadeia Alimentar & Social

 

A melhor forma de se controlar um indivíduo (com cada um deles sendo um caso particular, necessário de se integrar num coletivo, apesar de sujeito a constantes oscilações na estratégia de intervenção) de modo a se controlar o seu grupo (impondo-lhe um caminho de sobrevivência de acordo com um único objetivo definido) ‒ tentando a integração passiva do indivíduo (função primordial do Estado e da Igreja) no mecanismo de reprodução (nesta fase inicial de replicação) coletiva do Sistema (fortemente hierarquizado da base até ao topo e com este último protegido por uma Névoa-Degrau, na pratica definida/protegida pelos seus parâmetros/dimensões Inacessíveis) ‒ será sempre o de ter sob a sua dependência (direta por representação/indireta por financiamento) a Comunicação Social e todos os Canais (oficiais e alternativos) dando-lhe acesso e uma capacidade profunda (no caso de introdução de casos aparentemente extremos com um eficácia próxima dos 100%) de intrusão: influenciando de tal forma os nossos Movimentos e Momentos quotidianos (que nos definem como seres vivos e inteligentes) ‒ se necessário levando-nos à prática de extremos, que nos poderão levar à extinção, como é o caso da Guerra ‒ tornando-os capazes de nos induzir e direcionar (sem pensarmos deixando-o para o coletivo) para o horizonte (tão belo, tão longínquo) para além da falésia (do precipício/sacrifício).

 

Desta relação entre a base desta Pirâmide Alimentar (refletindo um ato necessário e básico de transformação e de sobrevivência) e o seu Topo escondido para lá das Nuvens, sobressaindo a Natureza da Coisa (tal como o seu nome indica e analisado ao nível de consciência/orgânica, algo de abstrato, virtual, intrusivo, dominador, capaz de rápida e eficazmente nos banalizar e substituir ‒ como temos feito com o nosso Criador) pretensamente criada pelo Sujeito (para o servir), posteriormente melhorada pelo mesmo (dando mais espaço ao objeto de modo ao sujeito ter mais tempo) para no final dispensando a presença da Balança (mantendo o prato relativo ao Sujeito sempre mais pesado, valorizando-o face ao objeto) ‒ de modo a assim se manter o Equilíbrio Universal ‒ surgir o novo Símbolo (de Devoção e Sacrifício) com aspeto Humano e sob a forma de Objeto: no início com o Homem a Construi-lo (sem cérebro e á sua imagem), de seguida a adorá-lo (dando-lhe forma/aspeto humano com santinhos e bonecos) para no fim promovê-lo (a nosso substituto) dando-lhe crédito e valorizando-o ‒ criando o cenário necessário para o substituir (o Sujeito pelo Objeto) atribuindo Algo de Mais ao Objeto (extrapolando o processador biológico do Sujeito e processando-o como réplica no Objeto) transformando-o numa Entidade capaz de imitar, aprender, replicar e até substituir (não tendo o problema da morte e da crise existencial).

 

No caso dos EUA (considerada a maior potência Global e sendo a única capaz de matar num instante um recorde de biliões) com os últimos episódios após a eleição do seu 45º Presidente a serem um exemplo flagrante de como a nossa degeneração (da espécie Humana) parece cada vez mais evidente e inexorável, inacreditavelmente bastando criar um Boneco (à imagem do sujeito e estando este disponível) e inventar histórias à sua volta (tendo-se acesso a papel/de preferência a todos e aos respetivos escribas/remunerados para tal): analisando o espectro da Comunicação Social norte-americana e apontando apenas alguns canais e cadeias (com maior acesso do povo sejam jornais ou TV), sendo óbvio o resultado apenas por esmagador ‒ e considerados uns doze sendo claro o resultado (DEM-12 REP-1; ou em 13 azar para os REP): de um lado (Conservadores) contando com a FOX e do outro (Liberais) com os restantes ‒ WSJ, NBC, CNN, MSNBC, CBS, ABC, USA TODAY, WP, HP, NYT, Economist ‒ num campo bem inclinado. Mas com a maior Tragédia (pondo de lado a política, ideologia e partidos nos EUA como no Mundo) sendo a devastação moral e falta de ética de muitos profissionais (neste caso do talvez já há muito defunto jornalismo) face às ameaças proferidas (e ignoradas por não relevadas) preferindo manter o emprego. E assim pelo menos enquanto vivermos neste Nada Admirável Mundo Novo (o seguinte e em perspetiva poderá ser ainda bem pior) e necessitando-se de dinheiro para sobreviver, limitando-nos a ter emprego (trabalho é bem diferente) e em troca receber (miseravelmente e pior que uma prostituta seja homem/mulher).

 

(imagem: dreamstime.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:47

20
Jan 18

Um Passo Em Frente dos Mais Fortes

(do Complexo Industrial-Militar sobre a Sociedade Civil norte-americana)

 

Quando em 17 de Janeiro de 1961 (já lá vão mais de 57 anos) no seu discurso de despedida como 34º Presidente dos EUA (1953/1961) o Republicano Dwight David Eisenhower destacou a crescente influência do Complexo Industrial-Militar na sociedade norte-americana (podendo no futuro dominar toda a cena política),

 

quote-we-must-guard-against-the-acquisition-of-unw

Dwight David Eisenhower

(REP)

 

Mal sabia ele que num tempo mais próximo do que ele imaginava (com marco inicial a ser a Guerra do Vietname decorrendo de 1965/1973) e graças ao extraordinário desenvolvimento tecnológico da Industria Militar dos EUA (aproveitando a elite científica nazi e em vez de a prender e julgar, reciclando-a e integrando-a na sua sociedade) o seu país se tornaria (de longe) na maior Potência Militar â superfície do planeta Terra.

 

jfkrice.jpg

John Fitzgerald Kennedy

(DEM)

 

Sucedendo-lhe o Democrata John Fitzgerald Kennedy (35º Presidente dos EUA) igualmente se apresentando como um forte opositor ao preocupante crescimento e poder exercido pelos militares sobre a sociedade civil norte-americana e que como todos nós sabemos nos seus curtos anos de exercício da sua presidência (1961/1963) se distingui (entre outros momentos) por ter que se haver com a Invasão da Baía dos Porcos (1961), por anunciar a Ida do Homem à Lua (1962) e finalmente por ser assassinado (1963).

 

globalmilitarism_kissinger.JPG

Henry Kissinger

(REP)

 

Sendo a Sociedade Civil a delegar todo o seu poder nos Militares

(mais uma vez por interesse pessoal, de sobrevivência e estratégico)

 

E morto John F. Kennedy a meio do seu mandato presidencial (1961/1965) sucedendo-lhe o seu Vice Lyndon Baines Johnson como 36º Presidente dos EUA (1963/1969), talvez com medo (dado o sucedido com o seu antecessor) de ter o mesmo destino, apoiando os Militares (na sua estratégia de Desenvolvimento e Intervenção) e dando início (no seu mandato Democrata) à Guerra do Vietname. Atingindo um máximo (de poderio militar) com a I Guerra do Golfo (1990/1991) e sobretudo a partir (tornando-se a sua supremacia mais que evidente) da Queda da URSS (1991): com o clã Bush (George H. W. Bush e George W. Bush) a ser a Imagem Civil do Homem do Leme (do Complexo Industrial-Militar).

 

Donald-Trump_82.jpg

Donald Trump

(REP)

 

Em 20 de Janeiro de 2018 um ano após a tomada de posse do 45º Presidente dos EUA o Republicano e milionário Donald Trump (2018/2021) e sobre a perseguição incessante aplicada ao mesmo pelos Democratas (e mesmo por outros quadrantes políticos e pela esmagadora maioria dos média) – agora tentando-o caraterizar como Doente Mentalatiçado e perseguido a nível interno e não existindo um grande empenhamento (e compromisso) por parte do seu próprio partido (a sociedade civil), sendo aceite de braços abertos pelo Poder Militar: e com Donald Trump em jeito de agradecimento mas sobretudo de esclarecimento (não se conseguindo impor internamente, fazendo-o externamente) a despromover da sua Lista (de principais inimigos) o tema Terrorismo (Global), substituindo-o por dois países a Rússia e a China. Convidando todos a rearmar-se (com armas norte-americanas), a aliar-se aos EUA (e à sua moeda o dólar) e a combater essas duas ameaças (integrando o Eixo do Mal conjuntamente com a Coreia do Norte e o Irão) para a Estabilidade e Segurança do Mundo.

 

(imagens: wordpress.com/nasa.gov/pinterest.com/uitvconnect.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:59

08
Nov 17

Com os mais de 300 milhões de norte-americanos completamente indefesos e impreparados face ao poder político completamente dominado por REPUBLICANOS e DEMOCRATAS ‒ representando não os cidadãos que os elegeram (para a Câmara dos Representantes, senado e Presidência) mas quem verdadeiramente lhes paga (as Corporações) ‒ é cada vez mais evidente de se ver, quem é que manda na AMÉRICA e dessa forma no MUNDO: quem tenha Dinheiro e Armas (o Complexo Militar) e Empresas Associadas. Daí a esperteza de TRUMP (atacado por quase todos) pondo-se ao lado dos Militares (oferecendo-lhes armas e guerras).

 

DELAY, DENY, HOPE YOU DYE

(o que os EUA fazem aos seus proclamados Heróis)

 

_cover_549.jpg-400x0-cf.jpg

The U.S. military tossed waste from bases in Iraq and Afghanistan into giant pits and burned it. Soldiers breathed the toxic fumes and now they are sick or dying

And the government is trying to evade responsibility

(documentário de Gregory Levott/bidslate.com)

 

Como ainda existem muitas pessoas que por obrigação e por sobrevivência se sujeitam a ser tratados como criaturas Bipolares (sendo estes os Integrados) ‒ numa parte do dia obrigados a ser Doutores (mesmo que por Equivalência) e na outra a ser tratados como Pobres de Espírito (só assim sendo remunerados) ‒ não é de estranhar que entre as outras faixas marginais da nossa sociedade atual (excluindo a minoria tendo acesso ao Poder ou de uma forma ou de outra pensando tê-lo) representando no mínimo 90% dos 7,5 biliões de terrestres (com uns 10% de Integrados e neles já incluindo os 1% do Topo) ainda haja quem acredite (pelo currículo certificado oficialmente e como tal, sendo os únicos formadores válidos e credíveis) nos Representantes da Política, da Ciência ou da Religião: sabendo-se que o dinheiro e as armas (tão de agrado dos políticos), a manipulação cientifica (tendo em vista apenas o lucro e a supremacia tecnológica e militar) e a própria religião (sugerindo-nos a aceitação oferecendo a outra face) na Realidade Existem (andam sempre por aí e sempre com resultados) mas apenas para Alguns (os 1%) e sem acesso para Todos (uns 99%) ‒ já que dos 10% no mínimo 9% apenas alcançam o Estatuto (o mais próximo possível do Topo da Pirâmide já deformada), Prostituindo a Mente e Matando a Alma.

 

image_24.jpg

In a nutshell, a healthy young man shipped off to Iraq, was stationed at a U.S. military base where he was exposed to a constant stream of toxic smoke, returned home with horrible respiratory problems, was denied care by the VA, developed brain cancer and died

(Liam O’Donoghue/alternet.org)

 

E no que diz respeito aos EUA um país com cerca de 4% da População Mundial e achando-se no direito de controlar 100% ‒ oferecendo-nos constantemente espetáculos de grande violência (interna), tantas as armas aí circulando (num exemplo para o Mundo) ‒ com os seus soldados a serem enviados para a Guerra (colocados um pouco por todo o lado), oriundos das classes mais desfavorecidas (desempregados, negros, hispânicos), sem saberem bem para onde/nem para o que fazer/nem para o que defender (onde fica o Iraque?), a serem descarregados numa localidade qualquer (perdida num mapa militar) e aí sendo deixados à sua sorte e engenho (pouca dada a inexperiência ou não fossem todos jovens, ingénuos e manipuláveis) e sujeitos a todos os Elementos (mesmo que Ambientais ou não estivessem num cenário de guerra): e no meio da Caos da Guerra (em que pelos vistos tudo é permitido desde que oficialmente negado ou co lateralizado) impondo mas não respeitando e expondo as suas tropas a provas inimagináveis, só por serem criminosas (e mortais) e aplicadas contra os seus (civis agora militares). No caso da Guerra no Iraque/Afeganistão com os seus soldados a serem obrigados a conviver nas suas bases (instaladas em locais desérticos e sem grandes condições) com lixeiras altamente tóxicas colocadas mesmo ao seu lado, respirando esse ar poluído sem alertas nem proteções (obrigatórias) e mais tarde contraindo doenças progressivas, irreversíveis e fatais. E tendo a Poupança como Lema (de Guerra) deixando-os contrair a doença (no estrangeiro misterioso), regressar ao seu país (que juraram defender e ser retribuídos) e então em vez de IGNORAR, agora ADIAR, NEGAR E ESPERAR (que entretanto o SOLDADO MORRA).

 

(imagens: bidslate.com e USA.gov/alternet.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:58

01
Jul 17

Iraq Recaptures Al Nuri Mosque in Mosul, but Only Rubble Remains

 

30Mosul-visual1-superJumbo.jpg

Recuperando o último reduto do Estado Islâmico

(centrado na Grande Mesquita de Al Nuri com a mesma e tudo o mais em seu redor ‒ parte antiga da cidade de Mosul ‒ reduzida a um extenso monte de escombros)

 

Numa VITÓRIA considerada histórica pelo 1º Ministro do Iraque HAIDER AL-ABADI, as autoridades militares do seu país declararam na passada terça-feira dia 27 a captura do último reduto ainda na posse dos militantes do ESTADO ISLÂMICO (incluindo a grande mesquita de AL NURI e toda a zona envolvente) e a conquista total e definitiva da cidade iraquiana de MOSUL ‒ numa derradeira operação militar iniciada há cerca de 8 meses pelas Forças Armadas Iraquianas, contando com o apoio aéreo e com a colaboração no terreno de militares norte-americanos.

 

The mosque complex is nearly gone, reduced to a pile of rubble on June 21, after Islamic State militants packed the building with explosives as their grasp on the city continued to slip.

 

Com HAIDER AL-ABADI a afirmar estarmos perante os últimos momentos de vida do (falso) ESTADO ISLÂMICO na região, num combate que só terminará quando o último terrorista for expulso do IRAQUE. De momento e apesar destas declarações com os militantes do ESTADO ISLÂMICO a não se darem ainda como vencidos, estando ainda presentes e ativos nalgumas bolsas de resistência e podendo tal facto ser um sinal de uma futura retirada estratégica muito provavelmente em direção à SÍRIA: onde provavelmente se sentirão mais seguros (talvez contando com a colaboração norte-americana) mas onde já começam a ser atacados (bombardeados pela força aérea russa no ataque a comboios de terroristas em fuga).

 

“Al Hadba minaret and Al Nuri Mosque in Mosul were among the most iconic sites in the city, and stood as a symbol of identity, resilience and belonging. This new destruction deepens the wounds of a society already affected by an unprecedented humanitarian tragedy.”

 

Por um lado não deixando de ser curioso esta correria desenfreada entre dois países vizinhos e em GUERRA CIVIL, os dois antes da Guerra sendo dos países mais abertos ao denominado MUNDO OCIDENTAL e no entanto e talvez por isso mesmo (veja-se a política inflexível da ARÁBIA SAUDITA) sendo sacrificados por estes últimos em nome de maiores valores (o PETRÓLEO) mesmo tendo que terraplanar um país cometendo inevitavelmente GENOCÍDIO: sempre com o mesmo protagonista, sempre com as mesmas consequências e no entanto com os únicos responsáveis (os que arrancaram com as armas esmagadoras) a sempre vistos invariavelmente e caso após caso, como os salvadores e como os guardiões da Lei e da Verdade (autodenominando-se EXCECIONAIS).

 

“The retaking of Mosul does not mean an automatic end to the suffering of the 1.5 million people that spent more than two years living under harsh ISIS rule. Despite the declaration, ISIS still controls some areas in the Old City of Mosul and ongoing fighting will continue to threaten the lives of civilians.”

 

AFEGANISTÃO, IRAQUE, LÍBIA, SÍRIA e agora o IÉMEN. E com o IRÃO sempre na lista e outros como o QATAR a ainda a poder integrar (por sugestão da Arábia Saudita solicitando aos norte-americanos o bombardeamento da Al-JAZEERA). O que poderia levar o conflito no Médio Oriente a alastrar-se a toda a região do Golfo (e não só), deixando em alerta a CHINA, levando ao reforço militar na RÚSSIA (pela proximidade do conflito a territórios destas duas grandes potências), pondo a TURQUIA em polvorosa (fazendo fronteira com a Síria), colocando todo o norte de ÁFRICA (do Egito a Marrocos) de novo em erupção e pela proximidade (já iniciada com migrações maciças após o recrudescimento destes conflitos) atirando de vez a EUROPA para um beco sem saída, sem nada poder fazer e sem lugar para fugir (talvez Portugal como na II Guerra Mundial). E nestas contas não entrando, até pelo oceano que os separa, os ESTADOS UNIDOS da AMÉRICA (que podendo ser sacanas não têm culpa de os outros serem burros).

 

(texto/negrito: nytimes.com/29 Junho 2017 ‒ imagem: Felipe Dana/Associated Press/nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:01

14
Abr 17

Ou então do Chocolate.

[Já que alienados, somos todos nós.]

 

“O chocolate contém um aminoácido chamado triptofano, responsável pela produção de serotonina no cérebro. A serotonina recebe quimicamente o nome 5-hidroxitriptamina e é representada pela fórmula molecular N2OC10H12, é a "substância química do bem-estar", é responsável pela sensação de felicidade e prazer.” (Líria Alves/brasilescola.uol.com.br)

 

Trump-cake.jpg

Donald Trump

45º Presidente dos EUA

Envolvido num novo escândalo ‒ o Russia Gate Chocolate Cake

(confundindo Síria com Iraque como se os dois tivessem algo em comum)

 

Depois da chegada surpreendente do Milionário da Hotelaria, dos Casinos e das eleições de Misses DONALD TRUMP a Presidente dos EUA ‒ retirando o cetro antecipadamente entregue à predestinada HILLARY CLINTON ‒ muitos norte-americanas pensaram que com a chegada de um novo líder privilegiando a política interna (a América Primeiro) face à política externa (evitando o envio de tropas, tentando dialogar e assim evitando novos conflitos e guerras), não só a sua situação económica tenderia a melhorar (como os primeiros indicadores financeiros pareciam querer sugerir) como finalmente e depois de anos e anos de conflitos, de guerras e da morte de milhares de norte-americanos (civis e militares), a fúria pela reprodução de sucessivos cenários de Guerra (interessando apenas ao diversificado Complexo Militar Norte-Americano & Seus Subsidiários) terminaria de vez: nem que fosse por um curto-prazo para se pensar livremente, refletir e só depois se decidir.

 

Interrompendo de vez a iniciativa terrorista levada a cabo a 11 de Setembro de 2001 nos EUA e que teve como consequência, o encobrimento de Estados autores do atentado (com a Arábia Saudita e os seus pilotos e demais terroristas à cabeça), o desviar das atenções para dois alvos colaterais apenas a serem utilizados em último recurso (e desde que pelo menos um deles fosse possuidor de matéria-prima, um ópio o outro petróleo, de acordo com os gastos militares envolvidos), a destruição total de 2 Estados reconhecidos pela ONU (o Iraque e depois a Síria para já não falar da Líbia e do Iémen) acompanhados num total (talvez mesmo mais) por 1 milhão de mortos (entre militares e civis, muito mais dos últimos) e sobretudo o apoio à estratégia de difusão do terrorismo mas agora a nível global e logo numa tentativa nunca imaginada mas que pelos vistos até poderia ter sido bem-sucedida, da criação de um Estado de Mercenários denominado como Estado Islâmico, com território, com capital e até com um futuro mapa de expansão (que chegaria à Península Ibérica):

 

moabrelease_4.jpg

MOAB

A maior bomba não nuclear ao serviço das forças militares dos EUA

Inicialmente produzida para ser utilizada na Guerra do Iraque

(e logo suplantada pela maior bomba não nuclear atual de origem russa o FOAB)

 

Tão bem representado por um Boneco chamado George (pai e filho);

No intermédio copiado por outro Boneco chamado Bill;

Por momentos tentando ser seguido por outro Boneco chamado Hillary (que BO não deixou limitando-se a brincar com drones e deixando cair Hillary);

Mais uma vez com o Boneco Hillary pondo-se em bicos de pé tentando chegar lá chegar (caindo com estrondo e ainda hoje com muita gritaria).

 

E agora com Donald Trump, o candidato antissistema, o militante antiguerra e o profeta propulsionador do ressurgimento da América, tal como BO diria Excecional, completamente cercado por Democratas, Republicanos e até Militares, a ser obrigado face ao seu eleitorado a contradizer-se e a negar tudo tal como o fez Judas (3 vezes, sendo a 1ª atacando a Síria, a 2ª atacando o Afeganistão e a 3ª atacando a Coreia do Norte) carregando mesmo no botão (o sonho do Boneco Hillary) e personificando finalmente o seu papel de Boneco: conformado, bem pago mas descaracterizado e desde já derrotado. E com o artista (aquele que manipula o Boneco) obviamente a não ser Putin. Um boneco ainda com sorte face ao que aconteceu no passado e em circunstancias muito semelhantes com J. F. Kennedy (o problema sendo que este ainda tinha algo dentro da cabeça para além do cabelo observado de fora).

 

ufo1.jpgufo 2.jpg

I-II

 

ufo 3.jpgufo6.jpg

III-IV

 

Alienas amigos

(e tentando evitar a WW3)

Nesta sequência de imagens (simulação do sucedido) com um UFO aproximando-se de um míssil em movimento, atingindo-o de seguida e originando a queda e a destruição do mesmo

 

E nestes momentos de pura indefinição política com dois blocos poderosos (um virtual e outro real) num duro conflito no interior dos próprios EUA (de longe a maior potência militar à face da Terra) ‒ perspetivando-se que algures no Mundo alguém irá pagar por isso, até como desresponsabilização antecipada para os dois blocos em conflito (apenas e somente numa luta de lugares e hierarquia) ‒ com os seus cidadãos acompanhados pelos de todo o mundo (cerca de 7 biliões), perdida mais uma vez a Esperança depositada nos seus representantes eleitos (adaptando-se e se necessário fazendo o oposto do anteriormente prometido), a virarem-se de novo para o Céu talvez à espera de mais um Milagre. E com a Igreja já ocupada noutras atividades como o da consagração do Milagre de Fátima (para os portugueses recordar já é viver), restando a todos nós (1) a via do nosso imaginário (ainda tão desconhecido) ou (2) de outra realidade entretanto (sendo) projetada ‒ e muitas das vezes mal interpretada (talvez pelo fascínio político da pura conspiração, sendo como é um dos maiores instrumentos de manipulação ‒ que o digam os média). Mas face ao perigo de se expor optando-se sempre pela mesma (2).

 

E com o Imaginário toldado e rodeado por muitas dúvidas (Reais), vendo-se o Homem a olhar para cima perscrutando atentamente os Céus e num número sempre crescente (natural devido à persistente observação) detetando anomalias: talvez procurando em desespero a chegada do Salvador, temendo estar por aí o início da Terceira Guerra Mundial. Só podendo ser estrangeiros oriundos de Outros Mundos ‒ naturalmente bem recebidos por Trump/Presidente se com a devida autorização de toda a Administração ‒ e nunca emigrantes clandestinos já residentes nos EUA (como os mexicanos e vejam-se as consequências). Nesse sentido e em conformidade com o desenrolar natural de todos estes acontecimentos, com os avistamentos de objetos voadores desconhecidos sobrevoando o nosso planeta, rodeando a ISS, circulando nas nossas imediações (espreitando as nossas atividades na Lua e em Marte) e até atuando misteriosamente nas proximidades da nossa estrela (como se estivessem lá com algum tipo de objetivo, bom ou nem tanto), sugerindo que algo se poderá estar mesmo a passar tendo a Terra como foco e uma possível intervenção (não visível ou verificável podendo-se catalogar como milagre). E assim evitando (mais uma vez e talvez por definitiva) a WW3!

 

1-trump-doll-2.w529.h352.2x.jpg

O Boneco

Na realidade ao serviço de quem (obviamente para além dele)?

E tendo atrás si e como sempre uma Grande Mulher

Utilizando chocolate para dar felicidade e prazer

 

Muito dependendo de quem controla o botão: pelos vistos não sendo certamente DT (e passando às revelações), passando o seu tempo-livre no Twitter, mais de 6 horas à frente da televisão, muito tempo a jogar golfe e ainda-por-cima comendo (sem controlo) muito bolo de chocolate ‒ enquanto vai viajando, gastando o dinheiro dos outros e aparecendo aqui e ali (na televisão) apenas para mostrar o Dedo do Botão. Ou não fosse ele o Novo Boneco só não se sabendo quem o controla.

 

Qualquer um de nós sabendo que a melhor forma de (com um comando) se controlar eficazmente um boneco à distância, é estarmos o mais perto possível dele (senão mesmo no seu interior) para desse modo se evitarem as inevitáveis interferências: tal como o fez a mulher de DT ao dar-lhe uma fatia de bolo de chocolate (à Bela Adormecida fora uma maçã) induzindo-o a atacar o Iraque ou então talvez a Síria. Com este certamente a não estar a dormir.

 

(imagens: sickchirpse.com/armaholic.com/ufosightingshotspot.blogspot.pt/ nymag.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:27

26
Set 16

“Numa operação militar coordenada pelos EUA e previamente planeada para uma determinada intervenção no terreno (aparentemente num combate aos terroristas presentes na região, cercando a única posição militar apoiando o regime sírio), a força aérea dos EUA atingiu em cheio o centro do alvo arrasando-o (os cercados) – assim abrindo as portas ao controlo total dos terroristas do ISIS (que pacientemente esperavam à volta do alvo escolhido). Mas o que esperavam os EUA face à provocação feira à Rússia? Uma III Guerra Mundial?”

 

obama_johnny02-520x300.jpg

Obama no País das Maravilhas

 

A um dia de mais um triste espetáculo envolvendo duas das maiores potências mundiais (EUA VS. RÚSSIA) – com a CHINA observando de longe, a ALEMANHA sem saber o que fazer e a ONU confirmando mais uma vez a sua não-existência – e a um dia do primeiro grande debate para as presidenciais norte-americanas (CLINTON VS. TRUMP) – em Portugal a iniciar-se por volta das 02:00 de terça-feira dia 27 – o ambiente político internacional em torno da Guerra Civil Síria continua progressivamente a agravar-se, preocupando cada vez mais todo o Mundo face a uma nova e perigosa escalada entre estas duas potências.

 

Num conflito reacendido durante um período de tréguas estabelecidas entre as duas partes (Rússia e EUA) e os seus representantes armados no terreno (Exército Sírio e Grupos Terroristas), com o cessar-fogo a ser repentinamente interrompido por um ataque aéreo levado a cabo pelas Forças da Coligação (apoiando os EUA) e como seria natural obtendo uma resposta imediata por parte dos apoiantes do regime sírio (apoiados pela Rússia): com os norte-americanos a destruírem uma base do Exército Sírio provocando mais de 60 mortos e mais de 100 feridos e com os russos a bombardearem um posto de operação conjunta EUA/Terroristas e a matarem militantes do ISIS, turcos, israelitas, sauditas e mercenários de outras nacionalidades (talvez mesmo norte-americanos).

 

Voltando-se de novo a reviver o para já suspenso conflito na Ucrânia (o grande pretexto norte-americano para o reinicio da Guerra-Fria) e com isso ressuscitando-se PUTIN (o autista) e os seus planos Ultravermelhos (semelhantes aos de Chucky o boneco diabólico): atirando-se para o palco mais uma tragédia civil (quase 300 mortos) provocada por políticos e militares (de ambos os lados) e vergonhosamente jogando-se com os mortos o vencedor do torneio (a supremacia global). Ucrânia, Crimeia, Voo MH 17: com a neocolonização Ocidental e com a anexação Oriental e agora e de novo com a chantagem da verdadeira autoria dos mortos, responsabilizando um dos lados (obviamente PUTIN e a sua Rússia) para apagar a presença do outro (no Ocidente a vantagem da versão dos EUA é realisticamente única e avassaladora).

 

No caso da queda do avião das linhas aéreas da Malásia abatido sobre território Ucraniano (voo MH 17) voltando de novo a apontar o dedo para a Rússia como responsável e autora: com o Ocidente (ou seja os EUA) a afirmarem tratar-se de um míssil russo (descontinuado, já não utilizado pelos militares russos, mas ainda fazendo parte do arsenal ucraniano), claramente lançado de território russo (quando na verdade se trata de uma região controlada pelos rebeldes no leste da Ucrânia) e tendo com alvo um avião civil (autorizado a atravessar o espeço aéreo de um estado em guerra civil, já com outras tentativas semelhantes levadas a cabo pelas duas partes – ambas com acesso a arsenais abandonados). Numa batalha entre dois blocos políticos e ideológicos (se é que as ideias ainda existem e são praticadas) que mesmo não invocando a sua cegueira permanente, deliberada e criminosa, se entretêm como abutres a brincar com os nossos restos – ensanguentados e mutilados.

 

Com este mórbido espetáculo de violações, saques e mortos, esvaziados, mutilados e foragidos, a prosseguir sem destino nem fim (na Síria) pelo menos enquanto não houver Presidente (nos EUA). Continuando-se assim a matar na Síria (impunemente e com o conhecimento da ONU), a mexer-se nos cadáveres e despojos das vítimas do voo MH 17 (levado a cabo por pretensos políticos mas na realidade verdadeiros abutres humanos) e até em esquecer-se de tudo o mais pensando apenas em CLINTON ou TRUMP. Nesse sentido sendo compreensível o estado de espírito da esmagadora maioria dos mais de 7 biliões de habitantes da Terra, que sabendo de antemão deterem menos dinheiro do que a outra CENTENA controlando ou sendo controlados pelas CORPORAÇÕES (o Futuro não por nós mas para nós escolhido), reconheceram por apatia, indiferença e incapacidade a sua Inferioridade (há muito decretada pelos seus líderes), desistindo da Esperança e aceitando como tutor o Dinheiro. Pelo que optar entre dois DEMÓNIOS (presentes nas presidenciais dos EUA) mesmo que não sendo vermelhos, nem sequer é uma opção de simples Sobrevivência.

 

“Com o dia 8 de Novembro cada vez mais próximo os motores das presidenciais norte-americanas começam a aquecer – com os seus efeitos a começarem a espalhar-se e a sentir-se cada vez mais intensamente tanto internamente (os tiroteios e vítimas são agora cada vez mais frequentes) como nos países do Outro Lado (com as guerras a terem de novo tendência a arrastar-se e a alastrar-se – como o é o caso Sírio). E como ninguém no planeta é capaz de dar mais no Leilão do Mundo (Dólares) os EUA continuam a ganhar e a dominar até ver (não se podendo esquecer que se os EUA fabricam os Dólares, é a CHINA que os tem usado e colecionado – e agora tendo tanto, construindo o mercado e investindo como maior potência Económica que já é).”

 

(imagem: nypost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:17

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO