Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Dez 19

[No Hemisfério Norte]

 

A 22 de Dezembro o Solstício de Verão

 

Winter-Solstice-At-Stonehenge-sunrise.jpg

Monumento de Stonehenge em Inglaterra

Solstício de Dezembro de 2015

 

The earliest people on Earth knew that the sun’s path across the sky, the length of daylight, and the location of the sunrise and sunset all shifted in a regular way throughout the year. They built monuments such as Stonehenge in England – or, for example, at Machu Picchu in Peru – to follow the sun’s yearly progress.” (Deborah Byrd/earthsky.org)

 

No próximo dia 22 (de dezembro) pelas 04.19 (UTC) chegando ao Hemisfério Norte o SOLSTÍCIO de DEZEMBRO (ou Solstício de Inverno): com o Sol a nascer mais tarde e a pôr-se mais cedo “curto dia, longa noite” – passando-se o menor dia (de claridade) do ano. No caso do Polo Norte (latitude 0°) com 24 horas de escuridão − e em todo o Hemisfério Sul sendo o contrário do (sucedido no) norte (início do Inverno), com o maior dia do ano a ser no início do Verão.

 

If you live in the Northern Hemisphere, you can notice the late dawns and early sunsets, and the low arc of the sun across the sky each day. You might notice how low the sun appears in the sky at local noon. And be sure to look at your noontime shadow. Around the time of the December solstice, it’s your longest noontime shadow of the year.” (Deborah Byrd/earthsky.org)

 

E em Portugal como em todo o Hemisfério Norte (e assinalado este Solstício) entrando-se (até 20 de março de 2020) na estação do Inverno (no Brasil, no Verão).

 

(imagem: trucknetuk.com/earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:20

23
Mar 19

A TERRA tal como vista do Espaço no Equinócio da Primavera (entrada da estação respetiva no Hemisfério Norte) a 20 de Março de 2019:

 

20190320_equinox.jpg

Day and Night Are Perfectly Balanced in Spring Equinox Photo Snapped from Space

(Laura Geggel/space.com)

 

Mostrando-nos o nosso planeta como que dividido ao meio (na imagem na vertical) com uma das partes iluminada (dia) e a outra mergulhada na escuridão (noite).

 

E já agora com o outro equinócio (sendo eles 2) a registar-se a 23 de Setembro com o Equinócio do Outono.

 

Um acontecimento (como já vimos) ocorrendo unicamente duas vezes por ano (durante o movimento de translação anual da Terra em torno do Sol) e sendo registado nos 2 momentos em que o Eixo de Rotação de Terra está perpendicular ao Sol

 

− Com a Terra igualmente iluminada a norte e a sul.

 

E que como nós todos sabemos (eruditos e leigos) até pela cultura e divulgação popular tem como uma das principais consequências

 

A duração do Dia ser igual à da Noite

 

− E como protagonista o Eixo de Rotação da Terra

e a inclinação do mesmo em 23,5°.

 

Numa imagem oferecida para nosso usufruto pelos satélites GOES (da responsabilidade da NOAA).

 

(imagem: NOAA/space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:46

04
Jan 19

Numa época em que os EUA apenas olham para o seu Umbigo (desprezando mesmo os seus mais fiéis aliados), não se percebe mesmo nada do que a Europa está à espera: numa altura em que (nomeada a sucessora de Merkel) já se deveria falar da falência da banca na Alemanha. E com os norte-americanos a olharem ainda mais a Oriente (Rússia, China e Irão).

 

The_Brandt_Line.jpg

A linha dividindo

O Hemisfério Norte Desenvolvido, Rico e Saudável

Do Hemisfério Sul em Vias de Desenvolvimento, Pobre e não recomendável

(atual)

 

Com o planeta Terra dividido em dois Hemisférios, o Hemisfério Norte e o Hemisfério Sul – com o primeiro deles a ser o Privilegiado e o segundo a ser o Esquecido (considerando-se o aproveitamento Civilizacional de todas as descobertas científicas e tecnológicas postas à disposição da Humanidade) – eis que um Evento ao nível da Extinção vem marcar uma alteração profunda no cenário desde há tempos observado no Hemisfério Norte: tragicamente, sob os nossos olhos e sem que se faça nada em contrário, com o Protagonismo deste Hemisfério a passar de Ocidente para Oriente. E como acontece sempre nestas ocasiões (a ocasião faz o ladrão) com o Predador julgando-se na Selva (e achando-se ainda o mais forte) a deslocar-se para o território das suas potenciais e novas vítimas: aqui com os Norte-Americanos a virarem as costas à Europa (entretida com o Brexit e com Putin) e sem hesitações dirigindo-se rumo à Ásia. Amanhã completando-se a Queda de um Império (depois do Romano, o Norte-Americano) e confirmando-se a sua substituição por um outro (previsivelmente o Império Chinês), ficando ainda por se saber qual o papel da Europa no Futuro da Construção do Mundo (que não só da Terra como também do Espaço). Nem sequer se falando aqui da Rússia com a China (talvez) já dominando o Mundo.

 

-1x-1.png

No início da 2019

Comparando as previsões de crescimento

Do GDP da China e da Europa

(1960/2018)

 

Progressivamente e de um modo aparentemente irreversível com o Eixo Económico Mundial (e por associação Financeiro) a transferir-se do Grupo centralizado em torno da região do Atlântico-Mediterrânico – liderado pelos EUA & apoiado pela (maioria da) Europa (sobretudo os mais poderosos) – para um novo Grupo centralizado na região do índico-Pacífico – liderado pela China & apoiado pela (maioria da) Ásia (sobretudo pelos mais poderosos) – deve ser no mínimo preocupante para a Europa (hierarquicamente considerado um subordinado dos EUA) não só o conjunto da Economia Asiática ter já ultrapassado a da América (continente) em 2016 como igualmente o do crescimento económico da própria China (visto individualmente) ser (desde já) cerca do triplo de uma vintena dos mais poderosos países Europeus (do Euro). Podendo-se assim afirmar ter chegado o Século da Ásia (século XXI) com a Europa (para além do colosso Chinês) a competir com países como o Japão, a Índia, as Filipinas, a Indonésia e a Coreia do Sul (entre outros).

 

THE_WORLD_MAP_OF_THE_FUTURE_(2018_-_3018)...WOW!.j

Uma possibilidade de divisão política/ideológica

Do nosso planeta Terra

Para um Futuro Mapa do Mundo

(apontando para o ano de 2038)

 

No presente início deste Ano Novo de 2019 DC, com um dos Eixos Virtuais (e fundamentais por civilizacional) da Vida do planeta Terra – o Económico/Financeiro – tendo já iniciado a sua irreversível deslocação – anos antes (claramente e para quem quis ver/dadas as consequências trágicas dessa cegueira) – e inclinando-se desde já vertiginosamente (quase 40⁰ em latitude) em relação à sua posição anterior – Washington latitude/38,9N e longitude/77,0E contra Pequim latitude/39,9N e longitude/116,4E e distando mais de 11.000Km – com a estratégica política de Donald Trump (esmagado pelos Média autointitulando-se representantes da Sociedade Civil) e da sua Administração Republicana (e Populista) mais uma vez realinhada com a tradicional opção política dos representantes desse partido – suportada pelo apoio incondicional da sociedade não civil apoiada pelo denominado Complexo Industrial Militar – a manter o rumo entretanto tendo vindo a ser consolidado, desde o abandono de Acordos Civis (como o das Alterações Climáticas, do Tribunal Penal internacional e agora da UNESCO) até à reorientação dos alvos militares (agora considerados) estratégicos: por algum motivo abandonando a Ucrânia e a Síria (deixando esses problemas para a Europa, como se já não bastasse a crise, as migarações e o Brexit) e reorientando todas as suas baterias (pelo menos as mais poderosas) tendo como alvo a Rússia, a China e claramente o Irão.

 

6a00d8341c82d353ef0133ed850e7c970b.jpg

Uma visão alucinante do planeta Terra

E da sua divisão geopolítica

Segundo um cidadão comum norte-americano

(citando cinabrio blog a partir de Wikileaks/George Friedman)

 

Para além da responsabilidade destas na deslocação do Eixo Terrestre convindo destacar igualmente o caso da Venezuela (o apêndice do Eixo do Mal da América do Sul): quanto aos países do Mundo com maiores reservas de Petróleo (por explorar e com 8 deles com perspetivas significativas) vindo em 1º lugar a Venezuela/13º produtor, em 4º lugar o Irão/7º produtor e em 8º lugar a Rússia/2º produtor). Ah…e ainda vindo a China em 15º lugar/6º produtor.

 

Pelo que não sendo surpreendente que face às tensões globais resultantes deste cenário agora envolvendo dois Blocos (ao contrário de apenas um, desde a inceneração definitiva, do extinto Bloco de Leste) – pelo Império ainda Reinante (EUA) integrando no menu ameaças e/ou chantagens (sansões), muito dinheiro ou papel (dólares) e ainda montes de armas – o elo mais fraco (antes tido forte) se vá (o Dólar) tão frágil é a sua base, assente num mero papel (sucumbindo o restante menu): bastando na troca impor idêntica correspondência em valor (real/efetivo) no objeto transacionado. E aí surgindo o OURO! Depois da China e da Rússia com outros países asiáticos – gigantes como a Índia, países charneira como a Turquia e produtores de petróleo (com grandes reservas) como o Irão – nas suas trocas comerciais (protegendo-se contra a flutuação da moeda) a começarem a exigir Ouro como forma de pagamento, não aceitando o papel (o dólar) e as consequências da (sua) adoção (impostas pela sua origem) – de trágicas consequências (na supremacia e poder global) para o Imperio atual (e para o colateral caso de Portugal).

 

(imagens: Wikipedia.org – Bloomberg – wikia.com – over-blog.es)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:54

Fevereiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


23
28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO