Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Jan 17

Legado ou Herança?

 

No que aqui interessa o que acontece é que Barack Obama confunde Legado com Herança – pois tal como diz o dicionário “Legado é algo transmitido ou adquirido mas não como herança, é algo deixado para um todo e não só pra um” (dicionarioinformal.com.br). O que ele deixará será uma Herança em bens e para os seus herdeiros (o que como todos nós sabemos já não é nada mau). Legado (e infelizmente) só se Trump deixar (passar o Obamacare).

 

5866983a1500002300916855.jpeg

Obama Will Meet With Congressional Democrats

On Strategy To Block Obamacare Repeal

(huffingtonpost.com)

 

1

Enquanto nos seus últimos dias de mandato como Presidente dos Estados Unidos da América o Democrata Barack Obama tenta deixar atrás de si o seu Legado Presidencial iniciado com a atribuição ao próprio no ano de 2009 do prémio Nobel da Paz (o ano em que tomou posse como 44º Presidente dos US) – "pelos seus extraordinários esforços com vista a reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos" (dw.com) – o único objetivo que se perceciona nos seus derradeiros atos assumidos na Casa Branca resume-se, inesperadamente e para espanto de todos aqueles que ainda acreditam nele até ao último segundo, num não reconhecimento da vitória do seu adversário Republicano Donald Trump provocando-o deliberadamente e aos seus apoiantes e votantes Republicanos (apesar da sua vitória no Colégio Eleitoral, o organismo oficial que sempre confirmou e designou o Presidente eleito), numa imediata montagem seguida de colagem do presidente eleito à Rússia e a Putin (criando uma situação irrecuperável e inalterável para as tentativas de Trump de implementar uma nova política e atitude face à Rússia), mas sobretudo pela campanha secreta e subterrânea levada a cabo por todos aqueles prestes a perder o controlo do poder nos US (seu desde há oito anos), com os Democratas (que não os retratados em Bernie Sanders), os apoiantes de Clinton (e da sua Fundação) e agora até com os órfãos de Obama, não se incomodando de com as suas ideias, mensagens e comportamentos incorretos, inadequados e até criminosos, conscientemente induzidos (persistentemente transmitidos e replicados incessantemente por todo o Mundo), criarem mais ódio, mais crimes e mais mortes.

 

2

Sucedendo-se assim vários entre muitos episódios demonstrando falta de valores e completa intolerância, muitos deles pela hipocrisia e falta de vergonha nunca conhecidos ou sequer divulgados (desde que Trump foi eleito, passando pela sua previsível tomada de posse e continuando a partir daí se entretanto não o fizerem desaparecer), mas com todos eles revelando claramente o mesmo denominador comum o da manutenção do Status Quo seja qual for o custo a pagar (pelos seus cidadãos e cobaias): com os últimos a serem o assassinato do embaixador russo na Turquia (colocando a vida de todos os embaixadores em causa) e a carnificina numa discoteca de Istambul na passagem de Ano Novo e provocando mais de 40 mortos – tudo isto depois da Turquia se atrever a assinar um acordo de Paz sobre a Síria envolvendo a Rússia e o Irão (recordando o golpe falhado dos norte-americanos para arrumar Erdogan), pondo em causa os terroristas apoiados pelos US.

 

3

No fim do seu 2º mandato como Presidente (o primeiro nos US oriundo da Comunidade Negra) e sem nada de significativo a apresentar – a não ser o seu prémio Nobel da Paz em 2009 e a sua tentativa de reforma na área da Saúde iniciada em 2010 (mais conhecida como Obamacare e que noutras circunstâncias poderia ter sido o seu verdadeiro Legado) – torna-se natural que face à vitória inesperada do candidato Republicano nas recentes eleições presidenciais dos US (ainda-por-cima sendo Trump quando todos no Mundo esperavam por destino e sugestão coletiva ser uma Mulher a suceder a um Negro – ou seja Hillary), os Democratas ainda se encontrem completamente perdidos (mesmo assim não recorrendo nem sequer a Sanders) e extraordinariamente descontrolados (pensando que ainda são poder e não o sendo, tentando impor um novo período de Macartismo mas agora subterrâneo – sem eco no poder) e que como consequência dessa crise psicótica retransmitida através do seu ainda Presidente (a prazo por menos de 18 dias) expressem essa desorientação (de quem há muito deixou de controlar o rumo) aumentando a nossa preocupação (de todos) pelo seu Estado de Negação (pelos vistos também dele).

 

5868651a1500002300916abe.jpeg

ISTANBUL CARNAGE:

SHOOTER SLAUGHTERS 39

(huffingtonpost.com)

 

4

[E se diversas personalidades da vida socioeconómica norte-americana (como poderiam ser de outras áreas como a Militar, a da Ciência e da Cultura), receberam e para muitos mereceram o seu Nobel da Paz na altura atribuído, analisando os candidatos eleitos nesses últimos digamos 50 Anos e oriundos dos US, poderemos encontrar entre os diferentes premiados caraterísticas e objetivos se não simétricos pelo menos irreconciliáveis com a nossa noção de Paz (e da esmagadora dos 7 biliões habitando este planeta único – a Terra): como por exemplo Martin Luther King Jr. (Ativista dos Direitos Humanos, 1964) e Jimmy Carter (Luta pela Democracia e Direitos Humanos,2002) de um lado e Henry Kissinger (Paz no Vietnam, 1973) e Barack Obama (Diplomacia Internacional e Cooperação entre povos, 2009) do outro (da barricada) – uns chegando ao prémio pela via da Paz outros chegando lá pelas virtudes pacifistas da Guerra. E até podendo citar outros norte-americanos verdadeiramente lutando pela Paz no Mundo, como Linus Pauling (Campanha contra os testes nucleares, 1962), Elie Wiesel (Sobrevivente do Holocausto Nazi, 1986) e Jody Williams (Proibição do uso de minas antipessoais, 1997).

 

5

Referenciando-nos unicamente ao último Presidente dos US o Democrata Barack Obama (eleito e reeleito Presidente dos US) e tendo em conta todas as Esperanças que a América e o Resto do Mundo religiosamente depositavam nele (como se o Bem e o Mal tivessem cor e nestas últimas presidenciais se distinguissem pelo género), servindo-me da afirmação de Eric Zuesse

 

“I’m a former lifelong Democrat, stating here a clear and incontestable fact:

Barack Obama is a failed President.”

 

Para concluir que a sua política e a da Casa Branca foi um completo desastre tanto a nível interno como a nível externo (comparativamente com outros Presidentes sendo mesmo das piores). Como nos induz Eric Zuesse (democrata, escritor e investigador histórico norte-americano) com algumas boas observações (cirurgicamente retiradas da experiência de outros) e ficando-nos aqui apenas pela política interna:

 

«Top Ex-White House Economist Admits 94 % Of All New Jobs Under Obama Were Part-Time»

(Tyler Durden – zerohedge.com)

 

«Poverty Rose In 96 % Of U.S. House Districts, During Obama’s Presidency»

(Eric Zuesse – rinf.com)

 

6

Deixando-nos apesar de tudo a pensar no que seria hoje a América – que amanhã será de Trump – se John McCain tivesse ganho em 2008 ou Mitt Romney em 2012. E ainda a constatar que se por um lado Obama foi muitas das vezes um estorvo (para muito do que se poderia ter feito pela liberdade e pelos direitos do Homem), também poderá ter sido outras vezes um poderoso travão (para outras políticas mais belicistas): mas nunca esquecendo o caos mortal instalado em todo o Médio Oriente (via Estado Islâmico/Arábia Saudita/EUA), a perseguição impiedosa a todos os que denunciam os crimes de Estado (whistleblowers como Assange e Snowden), os crimes sucessivos praticados impunemente pelos seus Drones (com centenas de inocentes despromovidas a vítimas colaterais) e até a destruição da Rússia através da demonização de Putin.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:03

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

O Legado de BO

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO