Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Out 19

[Armadilha como sinónimo de Trampa]

 

Assistindo-se de momento a uma violenta LUTA de MOSCAS

(cada vez mais numerosas)

pelo mesmo MONTE de MERDA

(basicamente um símbolo do poder, talvez Gourmet)

com muitos constantemente a rondá-lo

mas com DONALD (que não o Pato) na liderança.”

 

bitter-dem-clingers-after-trump-trouncing-cartoon.

(cartoon do site usbacklash.org, declarando-se

Stand Up Against Government & Media Corruption”)

 

Como não há 2 sem 3, 33, 333, 3.333 e por aí fora

 

− Ou seja repetindo-se (não interessando o seu valor lógico) aprendendo-se

 

E aproveitando a oportunidade

(“tudo o que vier à rede é peixe” mesmo que num procedimento repetitivo e minimalista, como eles acham que é o nosso cérebro)

 

Do lançamento de mais um livro (por acaso de repórteres e assalariados do NYT) tendo como protagonista o sempre presente e sempre em pé (há mais de dois anos e meio) DONALD TRUMP,

 

Eis que o NEW YORK TIMES na sua “Saga Demolidora” e sem fim à vista tendo como objetivo fazer desaparecer do seu horizonte visual (e de uma forma definitiva) o Presidente eleito dos EUA (o desejo de toda a liderança do “velho” partido Democrata)

 

– Para o melhor e para o pior ainda Vivo e bem Ativo

 

Ajudando a promover o livro (denegrindo Trump) e os seus autores (fazendo o papel não de “Whistleblowers”, mas de “Leakers”) e simultaneamente aproveitando-se de alguns dos seus parágrafos (mais atuais, mais impactantes, mesmo baseando-se “no que alguém disse, a partir do que outro tinha dito”)

 

Trump-Locker-Room-Cartoon-58b8fdb25f9b58af5cc8205d

(cartoon de Daniel Kurtzman/Cagle Cartoons/liveabout.com,

mostrando-nos Trump no seu balneário a bater no Tio Sam, com as armas à sua mão)

 

− Ou não fosse Trump o tema –

 

E para se manter na corrida da campanha Anti-Trump (talvez na liderança)

 

E mesmo que podendo correr o risco de recorrer (de novo) a FAKE NEWS –

 

Colocando-se frontalmente contra os Trumpistas e não resistindo (à tentação), lançando “Mais Uma Bomba (Bombástica) Sobre Trump(sabendo eles como sabem, qual a reflexão de mais um possível escândalo, no aumento das tiragens/visualizações dos jornais/média):

 

Envolvendo entre outros crocodilos na sua nova função de guarda-fronteiriço (eventualmente nomeados por Trump),

 

Comendo logo ali os “ILLEGAL ALIENS

(só o prenúncio da frase dando logo multa por “racismo” de 250$ em Nova Iorque)

 

E desse modo resolvendo logo ali o problema.

 

99 Interesting Quotes That Will Change How You See

(Noam Chomsky, cientista, filósofo e ativista político norte-americano de esquerda,

em imagem retirada do site thinkinghumanity.com)

 

 

Segundo o “disse-que-disse” dos Anti-Trumpistas, um “disse-que-disse” atribuído a Trump, como se o Mundo se importasse, como se o Mundo só fosse isso!

 

Um país com 2 partidos (únicos com acesso sem qualquer tipo de restrições ao poder) e 1 única ideologia, tal como as duas faces da mesma moeda (neste caso o dólar) e tal como alguém com Dupla Personalidade (sabendo-o e ignorando-o, como fazem os doentes).

 

E com o Mundo a não ser só, Pró-Trump ou Contra-Trump, a não estar só, Contra ou a Favor (como o programa semanal do Novo Regime Português, devendo-se chamar não Prós e Contras, mas Prós e a Favor/ou favores)

 

− A não ser só a P/B –

 

Mas a desejar unicamente que pensem em Todos Nós, na Fauna & na Flora, nos nossos Antepassados, nos nossos Filhos e na Terra.

 

“Como um Arco-Íris, só isso!”

 

(imagens: usbacklash.org − liveabout.com − thinkinghumanity.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:34

29
Jan 18

Hillary Clinton!

 

[Na cerimónia conduzida por James Corden e transmitida pela CBS a partir do Madison Square Garden (em Nova Iorque), com o apresentador (misturando política e humor e a partir da leitura do livro Fogo & Fúria) tentando eleger o seu melhor narrador atribuindo-lhe um Grammy Award ‒ neste caso Hillary Clinton e tal como diria Donald Trump Jr “Getting to read a fakenews book excerpt at the Grammys seems like a great consolation prize for losing the presidency.” (@DonaldTrumpJr/twitter.com/GrammyAwards)]

 

1.jpg

Falando-se de Donald Trump

 

Com a realização no passado domingo da 60ª edição do GRAMMY AWARDS e quando toda a gente já pensava que o grande vencedor teria sido BRUNO MARS (ganhando todos os prémios para o qual estava nomeado),

 

2.jpg

Esperando-se o veredicto

 

Eis que concluído o evento e quando todos esperavam a consagração do músico havaiano outro elemento assume todo o Protagonismo (mesmo não sendo músico, nem sequer tendo estado presente) ofuscando-o (e exibindo todo o seu aparente poder como Agente Infiltrado) nos Média:

 

Hillary Clinton Brings The Heat In ‘Fire And Fury’ Reading During Grammys

Cardi B, John Legend, Snoop Dogg, DJ Khaled and Cher also read from Michael Wolff’s book in the political sketch.

(Jenna Amatulli/huffingtonpost.com)

 

Acompanhado pela sua banda (Cardy B, Cher, DJ Khaled, John Legend e Snoop Dogg) e (certamente) por um dos seus promotores (James Corden), uma artista claramente com um objetivo/político (de um hipotético sucesso individual, mesmo que assente em sucessivas derrotas coletivas), oriunda do Mundo (subliminar e manipulativo) do Espetáculo (com alguns dos seus atores estranhamente comprometidos) e de nome HILLARY CLINTON ‒

 

3.jpg

James Corden

 

Antes tornada mundialmente famosa pelas mãos (uma forma figurada de apresentar a questão) do seu marido (e do seu pretenso escândalo sexual numa América bipolar) agora transformada num ícone pelas suas próprias mãos.

 

In a sketch during the award show, host gathered music greats to audition to narrate Michael Wolff’s best-selling account of President Donald Trump’s White House, “Fire & Fury: Inside the Trump White House”, in an effort to get nominated for the Best Spoken Word Album category. But there was one not-so-musically inclined reader in the mix too: Hillary Clinton.

(Jenna Amatulli/huffingtonpost.com)

 

Sendo capaz (mesmo que perdendo mais de 60.000 votos) de transformar uma campanha presidencial vencedora e suportada pela manutenção dos 65 milhões de apoiantes de Obama em 2012, numa inesperada senão mesmo inqualificável derrota eleitoral (sobretudo político-ideológica e com fortes implicações no futuro dos EUA, da Europa e do Mundo),

 

4.jpg

Cher

 

Ao conseguir lançar mais de 2.000.000 de Deploráveis nas mãos de TRUMP dando-lhe a vitória de bandeja (mesmo com mais 3.000.000 de votos no total) no decisivo Colégio Eleitoral (esmagando-a por 304-227). Inacreditável!

 

gettyimages-911551432-1-_wide-eda73f43006434167dce

Bruno Mars

 

Mas nunca esquecendo Bruno Mars (o último acessório de Hillary Clinton).

 

Apêndice

 

Mas como tudo é política com ou sem música de ambiente, surgindo de imediato a resposta por parte dos Republicanos (neste caso de Nikki Haley embaixadora dos EUA na ONU): “I have always loved the Grammys but to have artists read the Fire and Fury book killed it. Don’t ruin great music with trash. Some of us love music without the politics thrown in it” (@nikkihaley/twitter.com) ‒ com o lixo a ser o livro (de Michael Wolff) e a presença de Hillary (como narradora).

 

Vindo de alguém sem estatuto moral para se insurgir contra tal desaforro (ainda por cima maioritariamente oriundos não de Estrelas/com cultura e memória, mas muito provavelmente de Cometas ou de Asteroides/só relevando o impacto) depois de muito recentemente ter ameaçado (à sua maneira) as nações Não Apoiantes de uma resolução unilateral norte-americana (como mediador do conflito israelo-palestiniano, colocando-se do lado de Israel e reconhecendo Jerusalém como a capital do Estado Judaico) igualmente com Fogo & Fúria.

 

Com os dois únicos partidos do Bloco Governamental Norte-Americano (Republicanos e Democratas) a confundirem-se na teoria e na prática, em nome de Algo+ que não o povo norte-americano (e não sendo um Sujeito/como no passado um ditador, podendo ser já um Objeto/personificado numa Corporação).

 

(imagens: CBS e GETTY)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:56

16
Out 17

Não seria a melhor Solução?

 

A verdadeira realidade é que no dia 8 de Novembro de 2016 o Sistema entregou a cautela premiada ao Patrão (o MILIONÁRIO), naquele momento pondo em causa a necessidade da existência do Administrador (o POLÍTICO). Pelo que pensei que ainda pudesse (o Milionário) ser assassinado (pelo Político). Já Kennedy tentou assumir o poder e foi morto pelo Complexo.

 

O Coveiro dos Democratas

 

453CB1A500000578-4970742-image-m-30_1507745872709.

Democrats Are Becoming All They Claim to Hate

The Democratic Party's strategic incoherence is a risky gamble

(Noah Rothman / Apr. 4, 2017 / commentarymagazine.com)

 

À medida que se aproximava o fim do 2º mandato do 34º Presidente dos EUA o Democrata BARACK OBAMA (em 20 de Janeiro de 2017) ‒ tendo sempre como seu Vice-Presidente ao longo desses 8 anos o seu colega de partido JOE BIDEN ‒ certamente que o eleitor norte-americano especialmente com mais afinidades aos Democratas e ainda a sectores Independentes, acreditou até ao último instante (momento em que foram oficializadas todas as candidaturas) que o seu representante às próximas eleições Presidenciais seria provavelmente alguém apontado pelo Presidente ainda ocupando a Casa Branca: através de práticas anteriores (de muitos Presidentes e de ambos os lados do espectro político sugerindo o seu Vice para seu sucessor) e até pela aparente concordância em muitos pontos de vista (o que declaradamente não aconteceu com Hillary Clinton, como Secretaria de Estado abandonando o Presidente ‒ com discordâncias ‒ ao fim do seu 1º mandato e posteriormente autoapresentando-se como a melhor candidata para suceder a Obama: e assim retirando-lhe a prorrogativa de nomear o seu sucessor) sendo verdadeiramente surpreendente (senão hipócrita por interessada) a não opção por JOE BIDEN ou por outro candidato Democrata que não a já desgastada (pelo marido/tentativa de Impeachment e por práticas próprias anteriores e negativas/como em Bengasi) HILLARY CLINTON. Demitindo-se mais uma vez das suas capacidades e responsabilidades de como ainda Presidente (consciente e pensando no Futuro do seu Povo) poder influenciar positivamente a campanha e o bom rumo da mesma ‒ e dada a sua grande popularidade traindo ainda mais as expetativas dos seus apoiantes, não podendo votar de novo nele, podendo votar em alguém da sua confiança, mas desde que indicado ‒ nunca mencionando Joe Biden (ou outro qualquer Democrata), mantendo-se em prolongando silêncio (deixando à vontade Hillary Clinton e como que ignorando Bernie Sanders) para no momento oportuno talvez proporcionando uma troca (e a pedido da senhora) apontar HILARY CLINTON como sua sucessora.

 

Obama e o seu Legado

 

trump-obama.jpg

Brick by brick, the demolition job has begun: since taking office less than a year ago, Donald Trump has launched an all-out assault on the legacy of Barack Obama.

(Channels Television / October 15, 2017 / AFP)

 

E com toda a trapalhada política envolvendo a sua inevitável Nomeação ‒ num Sistema de votação bem pior do que o aplicado pelos Republicanos, na sua essência tentando manter os do Costume evitando Intrusões (ou seja Democracia a mais abrindo a porta à expressão/votação dos Independentes) ‒ com o Partido Democrata atropelando as Primárias (pouco se falando de outros possíveis candidatos), desrespeitando os eleitores (a sua opinião expressa pelo voto face à presença conjunta dos Super Poderosos Delegados não eleitos mas escolhidos) e desprezando o outro candidato (não lhe dando a mesma cobertura mediática para não falar financeira com apoios privados de cerca de 1 bilião de dólares para o seu/do Partido candidato) para no fim de todo este enredo talvez nunca antes Imaginado (quem pensaria num duelo HILLARY/TRUMP com o milionário a ganhar) apanhar uma Estrondosa Derrota apesar da maioria de votos: no dia 8 de Novembro de 2016 (data da Eleição Presidencial) e apesar da maioria dos norte-americanos terem votado contra a política Republicana (sem alternativa aos Democratas senão opor-se às suas decisões) ‒ 48% para os Democratas e 46% para os Republicanos numa diferença de quase 3 milhões de votos ‒ ser inesperadamente derrotada no número de delegados eleitos para o Colégio Eleitoral (já o mesmo tendo sucedido em 2000 na derrota de AL GORE) elegendo 227 contra os 394 de DONALD TRUMP (a 20 de Janeiro de 2017 sendo empossado como o 35º Presidente dos EUA, já lá indo quase 9 meses e com a criança prestes a nascer ‒ e com o seu destino a poder ser a Coreia/do Norte e a futura Geração Nuclear/numa extensão Global).

 

E finalmente A Bomba como alternativa ao Tweet

 

01chappatte-master768.jpg

Trump’s Weapons of Mass Destruction

A President Trump considers the options for attacking his foes.

(Patrick Chappatte / JULY 1, 2016 / nytimes.com)

 

Neste contexto Global (incluindo toda a Terra) e tendo como referência o país que se autointitula como o Império Terrestre mais poderoso do Mundo (tanto a nível Militar, como Cientifico-Tecnológico e Económico-Financeiro) ‒ sendo esse facto bem explícito no poderio da moeda/Dólar e do sector industrial/Militar ‒ mesmo não sendo bem assim dada a omnipresença (atual e crescente) dos chineses, não se compreendendo como uma sociedade tão ativa e resiliente como a norte-americana (até pela necessidade de sobreviver à violência crescente do seu quotidiano ‒ agora dupla ‒ no passado maioritariamente externa agora igualmente interna) se deixou arrastar para o interior da luta (não sua) POLÍTICOS/MILIONÁRIOS (tendo-se Trump declarado ainda em campanha como o candidato Antissistema ‒ só se percebendo agora/para alguns o que ele queria dizer e claramente pondo em causa toda a Estrutura) ‒ “Cada um Deles querendo dispensar o Outro” ‒ assumindo para si os Derrotados e com isso abrindo a porta para estes e para a Obliterando dos Vencedores (pondo-se ao lado dos patrões/milionários ou de quem os lhes paga/políticos). Com a sociedade norte-americana a encontrar-se de momento completamente dividida (tendo de um lado os Vencedores e do outro os Derrotados), à falta de outros instrumentos (de expressão) servindo-se cada vez mais de atos de extrema violência (maioritariamente contra os vencedores e continuadamente promovidos pelos órgãos de informação aderentes) ‒ é só ver os atentados e a quem teriam sido dirigidos ‒ e com os culpados a não serem só os Republicanos (e claro o ET Donald Trump) mas sobretudo (até pelo seu dito respeito pela Paz, Diálogo e Tolerância) os DEMOCRATAS: não retirando as conclusões devidas ao Evento ocorrido há já quase 1 ano (11 meses), não refletindo o inevitável fim de linha para os até responsáveis pela estratégia Democrata (com derrotas em todas as frentes, Presidência, Senado e Câmara) e finalmente não querendo interiorizar o fim do reinado CLINTON e a necessidade de (para além de se libertar dessa Família e de alguns dos seus sinistros Padrinhos) criar um novo rumo, suportado por um novo desígnio e talvez por um novo clã. Relembrando Que A Verdade Anda Por Aí e que de momento (que se saiba) os Republicanos controlam tudo ‒ e dessa forma estando criadas todas as condições (necessárias e suficientes) para a qualquer momento e certamente antes do fim do mandato (do 1º podendo suceder-se o 2º) ‒ ainda-por-cima agora com o Presidente e os Militares estão tão próximos ‒ se iniciar uma Nova Guerra (tal como o sucedido com Presidentes anteriores dando a supremacia interna ao Poder Militar).

 

Bastando dar-lhe a pasta e entregar-lhe o botão (Nuclear) para então e finalmente se dar a Implosão (deste já tão velho hotel).

 

(imagens: dailymail.co.uk - channelstv.com - Patrick Chappatte/nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:40

07
Nov 16

Hillary ou Trump?

 

Terça-feira dia 8 por volta das 14h portuguesas, iniciar-se-á a votação para a escolha do próximo Presidente dos EUA. E se há anos atrás a luta era entre o BRANCO e o PRETO (pelos vistos tentando-se combater o racismo) agora ela transformou-se (por metamorfose feminina) na luta entre o HOMEM e a MULHER (pelos vistos para combater agora o machismo).

 

Com cerca de 130 milhões de norte-americanos a votarem nas eleições presidências de 2016 (219 milhões de possíveis votantes, 146 milhões de votantes registados e 126 milhões de votantes nas eleições anteriores) e provavelmente com pelo menos 1/3 tendo já exercido o seu direito de voto (perto dos 50 milhões utilizando métodos alternativos de voto), ainda não é totalmente claro se será CLINTON a ganhar (OBAMA obteve mais 5 milhões de votos relativamente a MITT ROMNEY – 65/60) ou se TRUMP superará ROMNEY e simultaneamente se aproximará da votação de OBAMA (não necessitando dos seus 332 votos eleitorais alcançados em 2012 mas apenas de 270 – a maioria).

 

il_fullxfull.983184692_pk15.jpg

Enquanto 13% dos Norte-Americanos apostam num asteroide ainda não identificado, os seus Donos já lhes propuseram dois nomes para darem ao Calhau

2016 HC ou 2016 DT

 

A pouco mais de 24 horas do início da votação para a eleição do 45º Presidente dos EUA e com o todo o Mundo Ocidental (político, económico e financeiro) apoiando incondicionalmente a eleição da candidata Democrata HILLARY CLINTON (ou não fossem todos seus Aliados e toxicodependentes do DÓLAR), é com grande expetativa que os norte-americanos (assim como todos os outros cidadãos do Mundo) aguardam os resultados do dia 8 de Novembro (terça-feira), para aí confirmarem (ou não) se um outro candidato deliberadamente ignorado pelo Sistema e constantemente atacado pela esmagadora maioria dos MEDIA (ao serviço exclusivo do outro candidato mais pró-Sistema) pode ou não vencer uma eleição no País mais Democrático do Mundo: é que pela exposição dada aos restantes candidatos à presidência dos EUA (não são apenas HILLARY pelos Democratas e TRUMP pelos Republicanos) a resposta é clara e imediata. No dia 9 de Novembro ficaremos a conhecer qual será o próximo Presidente dos EUA, que por todas as indicações que nos foram constante e estrategicamente sugeridas (acabando por nos penetrar, amedrontar e convencer) será indiscutivelmente HILLARY CLINTON: com DONALD TRUMP a ser esmagado (pelos E-MAIL de CLINTON e pela RÚSSIA de PUTIN) – para já não falar dos outros candidatos concorrendo a menos estados (outros três concorrem apenas a pouco mais de 20 – pelos partidos Libertário, Verde e Constitucionalista) e como tal sem qualquer hipótese de vitória. Pelo menos sendo esse o sentimento que atravessa Portugal e toda a Europa (na qual o nosso país ainda se inclui ao contrário do que desejam a maioria dos cidadãos dos UK) com toda sua Elite e os seus altos e fiéis representantes políticos a apoiarem sem disfarçar e sem qualquer tipo de reserva, a manutenção do seu STATUS QUO através da eleição de mais um CLINTON: e se ao primeiro o tentaram expulsar (como Presidente) não o conseguindo (BILL CLINTON), jamais a segunda (HILLARY CLINTON) permitirá que alguém não lhe permita a entrada (como Presidente), substituindo agora o marido e talvez com o marido substituindo agora a mulher – transformando os EUA num Circo ou num REALITY SHOW, provavelmente mortal para muitos de nós (habitando infelizmente o mesmo Planeta destes traidores à espécie – dita dominante, inteligente e civilizada). Deixando no entanto e desde já um aviso a DONALD TRUMP: os EUA têm já uma antiga tradição de em casos desesperados e não havendo mais nenhum caminho por onde optar (podendo colocar a estrutura em causa e as bases de sobrevivência do Sistema), escolher a violência, as armas e finalmente o assassinato – que o digam os KENNEDY que não o digam os TRUMP.

 

Com a verdadeira Propaganda de Megafone a ser martelada sem vergonha e sem interrupção a partir dos EUA (e posteriormente sendo difundida e replicada por todos os repetidores certificados deste Mundo) até ficamos com medo só de pensarmos diferente: com todo o Mundo a olhar para o mesmo lado é natural o receio de por acidente ou talvez não, apanharmos um torcicolo ficando então completamente dependente deles

 

 

Mas será que a 8 de Novembro HILLARY CLINTON e os DEMOCRATAS farão mesmo a declaração de vitória, colocando de novo os CLINTON na CASA BRANCA? Pelas últimas projeções resultando de sondagens levadas a cabo em todos os Estados & Territórios Eleitorais em votação, o que se constata é uma contínua e sustentada recuperação de DONALD TRUMP face a HILLARY CLINTON, nalgumas desses Estados/Territórios encontrando-se tecnicamente empatados e noutros com DONALD TRUMP já com ligeira vantagem: o que não impede que HC mantenha ainda uma vantagem de 2% sobre DT, significando que mesmo que DT ganhasse a maioria do voto popular arriscava-se a perder no número de representantes eleitos (o vencedor será aquele que obter a maioria no colégio eleitoral – 270 num total de 538). De momento com as sondagens a apontarem para uma média de 2% de avanço de HC sobre DT apesar das mais recentes apontarem para o tal empate técnico (pelo menos no voto eleitoral). Como a seguinte tabelas parece sugerir referida a 6 de Novembro (realclearpolitics.com):

 

Candidato

Partido

Estados

Sondagem

Hillary

Clinton

Democrático

Todos

45%

Donald

Trump

Republicano

Todos

43%

Gary

Johnson

Libertário

20 ou mais

5%

Jill

Stein

Verde

20 ou mais

2%

Darrell

Castle

Constitucionalista

20 ou mais

(sem dados)

Evan

NcMullin

Independente

Menos de 20

(sem dados)

(seis candidatos melhor colocados)

 

Numa batalha sem quartel (sem imaginação, hipócrita e sem vergonho) entre aqueles que se acham (abusivamente) protagonistas da luta pelo controlo do Mundo (assim pensam os norte-americanos neste século, tal como antes já tinham pensado os alemães no século passado), em que um candidato que só pensa em Mulheres & Dinheiro defronta uma candidata só pensando em Dinheiro & Mais Dinheiro: num guião em que os Deploráveis (como descreveu HILLARY os apoiantes REP) nunca terão hipóteses face aos Vigaristas (como descreveu TRUMP os apoiantes Democratas), ainda-por-cima sabendo-se que aos Deploráveis sempre recorreu HILLARY e quanto aos vigaristas muitos deles rodeiam TRUMP. Confuso? Não! Seja qual for o resultado de mais estas eleições que ninguém tenha dúvidas de que continuarão as CORPORAÇÕES a mandar, os POLÍTICOS a obedecer e o POVO a sofrer. Assim até terça-feira para se poder ver qual dos bonecos ganhou: CHUCKY ou TIFFANY.

 

(imagens: williamandjane.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:39

09
Ago 16

Por associação ao seu diabólico adversário, um dos melhores retratos da candidata.

 

For lies, corruption and scandal, Hillary is Trump on steroids

 

campaign_2016_clinton.jpg

Hillary Clinton

A candidata Democrata e grande favorita à eleição presidencial norte-americana

 

Pelo que se espera que entre ambos (tal como concluiu Solomon) e com os votantes diminuídos (constantemente desviados e manipulados) ganhe o produto conhecido (e familiar do outro Clinton) e já muito mais rodado (nos meandros dos mecanismos de corrução de Estado).

 

No Trump scandal rises to the level of criminality associated with the Clintons

 

The choice of president for many Americans, though, won’t be based on these candidates’ agendas, but on their personas. One candidate — Trump — would be perhaps the most bombastic U.S. president in history. The other would be perhaps the most corrupt. Judging by the polls and media coverage today, Americans — and the public in much of the world — appear to be more willing to tolerate corruption from their politicians than bombast.

 

[LawrenceSolomon@nextcity.com]

 

(texto/itálico/negrito e imagem: Lawrence Solomon/financialpost.com/04.08.16)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:48

27
Jul 16

“This wretched, ignorant, dangerous part-time clown and full time sociopath is going to be our next president. President Trump.”

 

Com a última sondagem ontem divulgada pelo LA TIMES – TRUMP com 46% e HILLARY com 40% – e apesar de toda a campanha de Diabolização deste típico empresário norte-americano, o Mundo tem mas é que se começar a preparar para mais uma nova etapa do nosso desenvolvimento. Num cenário GLOBAL em que a luta entre o ESTADO e as CORPORAÇÕES se acentuará ainda mais (sendo este o verdadeiro motivo da generalização e banalização das GUERRAS um pouco por todo o mundo), não sendo certamente os políticos (neste novo guião necessitando de novos atores) aqueles que nos irão defender.

 

_88531728_hi031757035.jpg

Hillary Clinton vs. Donald Trump

 

“I’m sorry I have to be the buzzkill so early on, but I think Trump is going to win.”

 

Com as últimas sondagens relacionadas com as Presidenciais Norte-Americanas de Novembro de 2016 a apontarem uma ligeira e talvez surpreendente vantagem do candidato Republicano sobre o candidate Democrata – DONALD TRUMP com 45.7% e HILLARY CLINTON com 44.6% (média das últimas sete sondagens publicadas em realclearpolitics.com) – muitos começam desde já a interiorizar de que o que aconteceu nas primárias REP se irá repetir de novo a 8 de Novembro: contra todas as expetativas da elite Republicana esmagadora e estrategicamente acompanhada por toda a elite Democrata, o único candidato sobrevivente como pretenso candidato anti sistema (o outro era o Democrata BERNIE SANDERS) irá ser eleito em Novembro como novo Presidente dos EUA – de nome DONALD TRUMP.

 

“Never in my life have I wanted to be proven wrong more than I do right now.”

 

Realçando no entanto que os candidatos a Presidente serão no mínimo quatro, incluindo nessa lista GARY JOHNSON (pelo Partido Libertário) e JILL STEIN (pelo Partido Verde) – nos EUA completamente incapazes de penetrar na teia intrincada da comunicação social, completa e deliberadamente cega (até porque é isso o que diz a lei) a todos os candidatos Partidários/Independentes com valores percentuais menores que 15%. Neste último caso com as cinco últimas sondagens a atribuírem o mesmo valor aos candidatos REP/DEM (40.2%/40.4%), atribuindo a GJ (Libertários) 7.2% e a JS (Verdes) 3.0%. E recordando que as Convenções Libertárias e Republicanas já se realizaram, que a Democrata está prestes de ser concluída e que a Verde será em Agosto (sendo por esse motivo que Jill Stein é a única candidata ainda não confirmada em Convenção).

 

arton7778.jpg

Michael Moore

 

"There is a sense that the power has slipped out of their hands, that their way of doing things is no longer how things are done."

 

Um aviso para todos aqueles que servindo-se do Estado (representando interesses coletivos) não o querem largar apesar de agora também trabalharem para grandes Corporações Mundiais (representando interesses individuais), não compreendendo que esse mundo acabou (o deles) e que o seu reinado nunca mais dará frutos (por as suas raízes já estarem mortas). Contribuindo com a sua decomposição (desta classe política exacerbadamente liberal, por mera questão de sobrevivência) para o aparecimento de fenómenos inopinados como SANDERS e como TRUMP.

 

[Michael Francis Moore (Flint, 23 de abril de 1954) é um cineasta documentarista e escritor americano, conhecido pela sua postura crítica, sobretudo em relação à violência armada da sociedade americana, às grandes corporações, às desigualdades econômicas e sociais e à hipocrisia dos políticos, tendo sido particularmente crítico a George W. Bush e à invasão do Iraque (wikipedia.org)]

 

(texto/inglês/negrito: Michael Moore – imagens: google.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:09

20
Abr 16

Com a conclusão das primárias de NOVA IORQUE – com HILLARY CLINTON e DONALD TRUMP a derrotarem mais uma vez toda a concorrência – torna-se cada vez mais claro mesmo para quem não quer ver quem serão os candidatos que obterão o maior número de delegados nas suas respetivas Convenções (DEM e REP):

 

De momento e com 62% dos delegados HC caminha duma forma imparável para a sua vitória como candidata DEM (confortavelmente sentada no sofá dos seus SUPERDELEGADOS);

 

Delegados Maioria Atribuídos HC BS Desistentes P/atribuir
4764 2383 3120 1936 1184 0 1644

(em 20.04)

 

Enquanto do outro lado e apesar de muitos ainda não quererem acredita no candidato vitorioso que aí vem (veja-se a campanha ininterrupta e descaradamente anti-TRUMP da Republicana FOX), o candidato DT não só esmaga a concorrência com os seus 49% de delegados, como se encontra apenas a 31+1 delegados de atingir a percentagem mágica final de 50%+1 – que como todos sabem significa ser nomeado na Convenção REP.

 

Delegados Maioria Atribuídos DT TC JK Desistentes P/atribuir
2472 1237 1741 846 559 149 187 731

(em 20.04)

 

O que mais uma vez só vem confirmar a concretização da disputa HILLARY-TRUMP, como aquela que se realizará em Novembro deste ano para a escolha do novo Presidente dos EUA. Com Hillary Clinton correndo pelos DEMOCRATAS e DONALD TRUMP pelos REPUBLICANOS (pelo menos por aqueles que ainda respeitam e aplicando-se para todos as regras da Convenção).

 

Quem será assim o próximo Presidente da maior potência do Mundo (pelo menos é assim que os norte-americanos ainda se avaliam, apesar de tudo o que vai sucedendo e que parece ir em sentido contrário):

 

hillary-clinton-vs-donald-trump-cartoon-598.jpg

 

- A DEM HILLARY CLINTON, corretamente avaliada como um candidato a favor da Manutenção do Sistema – e como tal extremamente Conservadora e que na sua essência manterá a estratégia atual do Partido Democrata (com algumas pequenas alterações senão mesmo detalhes, ou não fosse Obama um preto e Hillary uma mulher – dando hipótese aos Republicanos de engolirem mais um sapo);

 

10karik.jpg

 

- O REP DONALD TRUMP (de tal forma as coisas estão a correr mal no campo das elites Republicanas, com os ataques ininterruptos a DT e a recusa sistemática em aceitarem a sua liderança), aos olhos da esmagadora dos seus eleitores curiosamente considerado um candidato Anti-Sistema (logo ele um Republicano, logo ele um Milionário), mas que face ao discurso sombrio e monótono do candidato do outro lado, sempre agita o ambiente e diz coisas algo diferentes (sejam ideias ou disparates).

 

Estados Data Delegados DEM Delegados REP
Maryland 26.04 95 (+23) 38
Connecticut 26.04 55 (+15) 28
Delaware 26.04 21 (+10) 16
Pennsylvania 26.04 189 (+21) 71
Rhode Island 26.04 24 (+9) 19

(Penúltima Super Terça-Feira)

 

Na próxima SUPER TERÇA-FEIRA dia 26 o mais provável de acontecer será assim o da reconfirmação daquilo que já toda a gente sabe, com Hillary Clinton a atirar-se a mais 462 (384D+78SD) Delegados e Donald Trump a 172. Num total de 5 Estados e com todas as sondagens a apontarem para os suspeitos do costume.

 

[HC: Hillary Clinton BS: Bernie Sanders DT: Donald Trump TC: Ted Cruz JK: John Kasich]

 

(imagens: cartoonaday.com e day.kyiv.ua)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:13

01
Fev 16

Desculpem lá esta coisinha mas os norte-americanos são irresistíveis!
(de mais estas vindas dos Estados Unidos e com as presidenciais no horizonte)

 

I

 

A Razão pela qual HC poderá não ser Presidente

 

Na procura incessante das respostas que nos possam “Oferecer o Mundo” (por vezes por simples fenómenos de ação/reação de algum tipo de enzima que nos proporcione tais atitudes/comportamentos), chegamos sistematicamente e sem saber bem porquê às suposições do costume (oficiais e indiscutíveis): desde que atribuídas a Entidades Superiores (as Chefias) previa e devidamente certificadas (com a anuência coagida mas democrática dos seus respetivos subalternos).

 

Nesse sentido e no cumprimento do seu dever (como um qualquer rebanho dirigido pelo seu chefe ocasional), demonstrando uma capacidade qualitativa diminuída mas quantitativamente insuperável (o que deles esperamos é a Continuidade ou seja indiferença e status quo), muitas vezes desmentidas por ações e (vejam lá) por meras expressões físicas, momentâneas e comportamentais (simulações faciais). Sendo esse o “caso contrário” de HC ao mesmo tempo convidando-nos ao lado mau do espanto e simultaneamente ao lado bom da indiferença (no fundo a algo e ao seu contrário) – como se acreditasse em ET’s, gozasse com a sua existência e fosse (apenas) um deles (mais um)!

 

Convencendo-nos da verdade (evidente) de que nós também o somos (alienígenas) – até agora vistos como estranhos numa terra também estranha.

 

À primeira vista até parece!

 

Hilary-UFO-631308.jpg

Estará HC numa posição privilegiada?
Ou será apenas mais uma máscara?
(talvez disso dependendo a sua eleição a Presidente)

 

E como eu sei que a “Verdade anda mesmo por aí” (que o digam os X-Files) acredito mesmo que HC não deverá ser deste Mundo. E se alguém ainda tiver algum tipo de dúvidas (de que estamos perante uma luta de morte entre a preservação do Estado Corporativo e o Estado das Corporações), basta olhar para a sua ação e para a sua expressão: se eu fosse um alienígena afirmaria o mesmo sobre ela (HC). O que desperta entre todos (neste caso os eleitores) um sentimento de desconfiança (e de apreensão): será que eu estive durante anos, olhando sempre para o Céu (alguns diziam para a Lua chamando-me mesmo lunático), à procura de um Deus (algo que fosse o objeto original, mas jamais à nossa imagem) e no encalce de um milagre (a sua obra suprema superando a nossa realidade), apenas para me darem um boneco (insuflável e disponível) orientando-se pelas marés? Com tantos pontapés (na inteligência e no rabo) é claro que não!

 

Razão pela qual também não sou certificado (mas já o tendo sido antes – já agora falo de mim) hoje em dia perdido e sendo apenas tolerado (reconhecendo que para já, pois amanhã logo se verá). E pela qual outros subprodutos (que não eu) atingem a celebridade (a única forma que o poder tem para se perpetuar esmagando a concorrência – boa, má ou de outra origem qualquer) e até ganham eleições (poder): mesmo não acreditando nisso e face a opositores de grande peso (mais terrestres do que extraterrestres). Como sempre nestas histórias com o mesmo resultado: não ganha o terrestre, não ganha o extraterrestre…ganha sempre o capataz – “3 vezes 9 vinte e sete, 2+7 dá nove e 9’s fora dá nada” um verdadeiro Zero (e já agora neste esquema qual é o teu verdadeiro lugar?)!

 

(imagem: WEB)

 

II

 

A Influência Extraterrestre nas Presidenciais US 2016

 

“Para a concretização eficaz de um projeto toda a influência deve ser contabilizada”
(pelo menos é o que parece pensar a candidata Hillary Clinton)

 

hillary-ufo-embed.jpg

Autoestrada Extraterrestre
(destino Casa Branca)

 

Clinton promises to investigate UFOs
(conwaydailysun.com)

 

Se alguém ainda tinha dúvidas sobre a supremacia demonstrada pelos US durante anos e anos consecutivos e progressivamente generalizada a nível global (falando naturalmente do planeta Terra), com a campanha presidencial de 2016 ficamos a saber que a estratégia de alguns dos seus candidatos não se limita apenas à Terra (e aos seus habitantes) estendendo-se agora numa tática de expansão (e se possível de colonização) ao longo do Espaço Exterior (e aos prováveis alienígenas).

 

Here's Why 2016 Might Be the UFO Disclosure Year
(hubpages.com)

 

Sendo portanto uma evidência que a pouco-e-pouco e de uma forma bastante silenciosa (o segredo é a alma do negócio) os US vão apontando as suas baterias duma forma decisiva e irreversível para a conquista do exterior, com a próxima fronteira a ser alcançada (e ultrapassada) a apontar para o Espaço.

 

They say that if elected President of the United States, Hillary Clinton will likely continue her husband's efforts to gain access to the classified UFO files, and to finally disclose what the government knows about the issue.
(hubpages.com)

 

a3711229447_16.jpg

Identificando o verdadeiro problema?
(weeklyworldnews.com)

 

E com a Terra a atingir os seus limites de população, exploração, extração e poluição facilmente se chega à conclusão que o espaço disponibilizado pelo nosso planeta é cada vez mais diminuto (para tanta ambição de tão poucos) tornando-se obrigatório que para a sua manutenção, transformação e evolução se expanda e reproduza – pois só replicando processos se controla um sistema usufruindo-o e sobrevivendo (a esperança não concretizável de tantos – caso contrário seria o suicídio do sistema e da sua própria elite). Isto porque obviamente e seguindo uma linha de pensamento estritamente comercial (sem trocas e negociações não há movimento nem vida) o espaço não se partilha explora-se!

 

We'll Find Alien Life in This Lifetime, Scientists Tell
(space.com)

 

E nisso os US poderão continuar a ser a vanguarda como especialistas na Terra e descobridores de outros mundos – apesar de ultimamente, ao contrário do que agora sugerem (fazendo o Homem abandonar a Conquista do Espaço e atribuindo essa função a meras máquinas) e ao contrário do que na realidade tem feito (investido) reduzirem drasticamente o orçamento da NASA, à primeira vista com a intenção de acabar com ela mas agora mesmo de vez (tornando-a mais soft, de carater educativo e de ligação com a sociedade, mas trabalhando na sombra de uma outra agência mais poderosa, secreta e controlada financeiramente por privados e militares). Mesmo com contributos de outros.


In June, the Russian billionaire Yuri Milner pledged $100 million to fund an ambitious new research program, spread across several academic institutions. That’s the largest cash gift in SETI’s history, and Siemion hopes it will inspire others.
(theatlantic.com)

 

FBI-and-WIKILEAKS-CONFIRMS-Extraterrestrials-Visit

A presença extraterrestre
(nos EUA)

 

Ou não soubessem os políticos de antemão que tudo é de aproveitar se queremos mesmo ganhar – ou não andasse a verdade por aí e na companhia de alienígenas (até dos alieno-mexicanos de Trump).

 

(texto: escrito a partir de informações aqui a negrito tiradas do artigo: An Alien Hunter’s Guide to the 2016 Election/Daniel Oberhauss/January 26, 2016/vice.com – imagens: bendedreality.com e usatwentyfour.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:37

05
Jan 16

Presidênciais Norte-Americanas 2016

 

CX8GQypWEAAWDiH.jpg

 

Hillary Clinton says aliens may have visited Earth

 

Numa recente afirmação da candidata Democrata às eleições presidenciais norte-americanas Hillary Clinton e respondendo a uma questão colocada por um jornalista de New Hampshire (refletindo sobre uma declaração de Bill Clinton efetuada em 2014 e em que o mesmo mencionava que não ficaria nada surpreendido se os extraterrestres já nos tivessem visitado) esta disse:

 

“I think we may have been. We don't know for sur.”

 

Agora que vai começar em Portugal mais uma época da série norte-americana Ficheiros Secretos torna-se bastante interessante ver o candidato neste momento mais bem colocado a tornar-se no próximo presidente dos EUA a afirmar em plena campanha eleitoral que acredita em extraterrestres e que estes já nos tenham visitado. Fantástico ou receio pela presença na campanha de outro e poderoso alienígena?

 

Trump?

 

(texto/itálico e imagem: RT)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:40

04
Jan 16

Enquanto no mais pequeno país da Península Ibérica se realizam no início deste ano (a 24 de Janeiro) as eleições para a escolha do seu próximo Presidente, do outro lado do Atlântico e no país representando atualmente a maior potência mundial realizam-se as Presidenciais Norte-Americanas (a 8 de Novembro). Provavelmente também à espera do que possa acontecer em Portugal – ou ganhando o mutante Marcelo (o TRUMP BOM português) ou então um dos restantes (uma mulher tipo HILLARY/Belém ou um homem tipo SANDERS/Nóvoa). Nas últimas sondagens realizadas no mês de Dezembro as percentagens registadas em PORTUGAL (entre sete dos candidatos) foram as seguintes:

 

Candidatos %

Marcelo_Rebelo_de_Sousa.jpg

MRS
52.5

Maria_de_Belém_Roseira.jpg

MB
18.1
SN 16.9
MM 4.8
ES 4.7
PM 1.7

(EUROSONDAGEM)

 

(ES: Edgar Silva MB: Maria de Belém MM: Marisa Matias MRS: Marcelo Rebelo de Sousa PM: Paulo Morais SN: Sampaio da Nóvoa)

 

Já no caso das eleições na AMÉRICA as últimas sondagens realizadas para a escolha de cada um dos dois principais candidatos à nomeação para Presidente dos EUA (pelo partido DEMOCRATA/3 e pelo partido REPUBLICANO/6) e tendo em conta os principais candidatos a essa nomeação foram:

 

Candidatos Democratas %

HRC_in_Iowa_APR_2015.jpg

HC
53.8
BS 31.2
O'M 4.6
Candidatos Republicanos %

Donald_August_19_(cropped).jpg

DT
35.0
TC 19.5
MR 11.5
BC 8.8
CC 4.8
JB 4.3

(realclearpolitics.com)

 

(HC: Hillary Clinton (D) BS: Bernie Sanders (D) BC: Ben Carson (R) CC: Chris Christie (R) DT: Donald Trump (R) JB: Jeb Bush (R) MR: Marco Rubio (R) O’M: O’Malley (D) TC: Ted Cruz (R))

 

Se no caso de Portugal as duas únicas hipóteses que se vislumbram serão uma vitória de MRS à primeira volta ou então uma segunda volta com resultado incerto e opondo MRS a MB ou a SN (tudo dependendo do que acontecer de relevante até 24 de Janeiro), já no caso dos EUA a situação ainda é bastante confusa não só porque ainda vamos na fase da escolha e da nomeação dos candidatos, mas também porque no campo Republicano reina o caos total – em torno de DONALD TRUMP. Em Portugal e se os resultados eleitorais para a Assembleia da Republica prevalecessem o resultado seria inequívoco: MRS/39% e MB ou SN 51%. Mas como sobram uns 10% e o eleitorado é muito volátil (e manipulável) tudo é sempre possível (não é por acaso que todos interiorizamos um pouco o papel de professor de MRS nas suas conversas em família). Com MRS a fazer de DT e a confundir os resultados (de fins de Janeiro). Nos EUA tudo depende de DT num cenário muito mais complexo. Do lado dos Democratas a corrida resume-se à luta HC vs. BS, com a candidata tradicionalista e conservadora HC/54% para já ainda muito bem colocada para derrotar (apesar da idade) o candidato rebelde BS/31% – certamente entre todos (democratas e republicanos) o melhor dos candidatos. O que não quer dizer que BS já esteja excluído (de se candidatar a Presidente mas como Independente). Já do lado Republicano e com a chega de TRUMP o trajeto (tradicional) foi alterado e as regras subvertidas: um candidato do sistema (assim como do seu anti sistema), sem percurso político (público) relevante, com grande poder financeiro (privado), popularista provocador e desprezando com arrogância tudo o que não seja Ele próprio, só poderia ter dos Republicanos uma clara e única resposta: NÃO! Mas então o que fazer agora que o veículo já partiu? De momento DT/35% leva vantagem ultrapassando nas sondagens a soma dos seus dois maiores adversários TC+MR/31% em 4%. Um 35% que não chegam para DT conseguir ser nomeado como candidato republicano à presidência dos EUA, dado todos os outros representantes eleitos serem ao contrário dos seus apoiantes maioritários (no congresso de nomeação). E aí os Republicanos ou escolherão o candidato mais forte (DT) – e aí talvez ganhem – ou aquele de que gostam mais (todos menos DT) – e então aí perdem. Nunca se podendo esquecer que também existem candidatos INDEPENDENTES e que se como tal DT se candidatasse, poderia ser mesmo o fim: com DT a destruir o candidato Republicano e até dando a possibilidade de BS fazer o mesmo (com os Democratas de HC). Deveria ser bonito.

 

(dados de sondagens e imagens: Wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:58

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO