Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

20
Abr 20

Ultrapassado o “Pico Máximo” da doença Covid-19 − da responsabilidade do vírus SARS-CoV-2 – continuando a diminuir apesar de lentamente, o número de vítimas mortais causados por este “agente invisível e mortal” (particularmente atingindo os mais idosos, com os de 70 anos ou mais, a representarem 87% do total de óbitos). Com uma taxa de mortalidade (provisória) de 3,5%.

 

CV1.jpg

 

Como se pode ver pelos gráficos podendo-se associar esse Pico Máximo ao dia 3 de abril de 2020 (dia em que se registou o maior número de vítimas mortais, registadas num só dia − 37) ou então e em alternativa a 23 de março de 2020 (dia em que a relação entre as vitimas totais registadas até esse dia/vítimas totais registadas até ao dia anterior e "estabilizado" o gráfico, atingiu o seu maior valor − 1,64).

 

CV2.jpg

 

Mantendo-se assim (e para felicidade de todos) o regresso progressivo à vida e à economia para o início do mês de  maio (lá para 3 de maio), para no início do mês de junho (continuando-se a fazer o que se fez até hoje) se reforçar e tentar completar o processo: e ultrapassando-se a futilidade da discussão sobre o 25 de abri/1º de maio, podendo-se comemorar o 10 de junho.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:07

19
Abr 20

[14 de março a 19 de abril]

 

Reflexão: 87% dos óbitos provocados pelo Covid-19 (714), atingindo homens/mulheres com 70 anos de idade ou mais (621) − como se fosse um extermínio planeado e dirigido (e logo por um bicho) aos mais idosos. Mas fora a questão do bicho (a culpa é sempre dos outros), o extermínio sendo da responsabilidade do Homem: que o digam (entre outros) os golfinhos e os passarinhos − regressando para junto de nós − o ar e a água (mais limpos e transparentes).

 

Continuando como referência o dia 3 de março (uma data para o pico máximo) com as suas 37 vítimas mortais (valor máximo): hoje nas 27 (menos dez, passados dezasseis dias).

 

CV1.jpg

Evolução do nº vítimas mortais por dia

(com o valor máximo registado a 3 de abril)

 

Com a razão entre as vítimas mortais num dia e as registadas no dia anterior (1,64 a 23 de março), a indicar-nos atingindo o valor 1 não se ter registado nenhum óbito (o desejado).

 

CV2.jpg

Aproximação da razão VM₂/VM₁ ao número ideal igual a 1

(dia em que o nº de óbitos será igual a zero)

 

E ainda se confirmando o grupo etário mais atingido − 80 anos de idade ou superior – com 66% das vítimas mortais, no género equilibrados: 50,1% Homens e 40,9% Mulheres.

 

CV5.jpg

Óbitos e % por grupo etário registados desde 16 de março

(bem visível o mais atingido)

 

E na evolução global desta pandemia tendo a mesma já percorrido todo o Hemisfério Norte (o mais rico, mais desenvolvido, mais poluído e com mais população) e entrado no Hemisfério Sul (o oposto do outro hemisfério), prevendo-se por um lado e gradualmente o regresso á Economia e ao Trabalho e esperando-se por outro lado, que com precaução e com consciência − da possibilidade de uma outra Vaga − nos não desleixemos e preparemos: não seja este coronavírus como a gripe e volte de novo para o ano.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:19

13
Abr 20

Se tudo correr bem e estabilizado o cenário, podendo-se apontar o mês de junho como o dia do regresso à Vida, o dia da vitória sobre o vírus (Covid-19) o “Dia da Independência”: e se o meu médico sugeriu (há algumas semanas atrás) nunca antes dos meados de maio, talvez se podendo apontar com esperanças fundadas (até pelo que o Povo anónimo fez por todos nós) para os meados de junho. Tudo dependendo de nós. Devagar indo-se longe!”

 

E1.jpg

 

Estejam ou não os números “martelados”, mas acreditando que não e tomando como referência o caso da China (onde se iniciou o surto pandémico, referenciado a 22 de janeiro) e não o da Coreia do Sul (iniciado 28 dias depois do da China e referenciado a 20 de fevereiro) ─ com a Coreia do Sul durante 4 semanas e aprendendo com a China, tendo aproveitado esse interregno de tempo para se preparar ─ constatando-se o que se passou na Europa (sobretudo Ocidental e do sul) nada fazendo para se precaver atingindo números que nem a China atingiu no máximo desta Pandemia ─ e sendo preferível optar pelo desenvolvimento chinês, para não sermos mais uma vez surpreendidos (estando-se ainda para ver se a reabertura chinesa à Economia, não levará repentinamente a um ressurgimento do vírus) ─ tomando como efetivo o último pico atingido em Portugal registado a 3 de Abril (com 37 vítimas mortais, o maior valor atingido) e a partir daí não tendo sido ultrapassado ─ continuando a verificar-se o mesmo desenvolvimento não existindo nenhum salto mais brusco (ultrapassando o número mágico 37), confirmando-se aí o 3 de Abril como a data em que se atingiu em Portugal o “Pico Máximo” do surto pandémico Covid-19 (mais uma vez se os números da DGS estiverem “não martelados mas certos”) ─ caso contrário (e dez dias passados o ainda virtual “Pico Máximo”) repetindo-se o processo:

 

E2.jpg

 

E mantendo-se esta evolução tendo como referência 3 de Abril, iniciando-se uma nova fase de descida do impacto do vírus (descendo o número de óbitos) ─  durando cerca de um mês (até cerca de 3 Maio) ─ para a partir daí e durante outro mês (mais vale prevenir do que remediar) o funcionamento da sociedade estabilizar arrancando-se  progressivamente e de novo para uma Vida normal (significando isso o que significar). Logo e se tudo correr bem tudo apontando o 3 de Junho como o “Dia da Independência” (se entretanto já convencidos da derrota do vírus e não o fazendo aos poucos, pusermos todos e ao mesmo tempo a “cabeça de fora”), não cometendo de novo o “pecado inicial”: o que seria excelente mas tendo-se que ter paciência (de “chinês”), já que nem ainda se sabe se o vírus é mais do tipo SERS/MARS ─ adormecendo ─ ou então tipo INFLUENZA ─ podendo regressar de novo no Inverno (e estando talvez ainda à solta, no Hemisfério Sul ─ América do Sul, África e Oceânia) com o Mundo ainda em recuperação e ainda fragilizado para aguentar outra Vaga ─ podendo-se dar outra Tragédia ainda mais grave que esta (a tal 2ª Vaga). Mas se tudo for normal e tenhamos aprendido a lição lá para meados de junho podendo reencontrar-nos continuando a nossa caminhada (que até poderá ser um passeio).

 

E3.jpg

 

Como apontamento final e indicativo da “autoridade, responsabilidade e competência” dos nossos políticos assim designados por nos (segundo o que eles nos dizem)  “representarem e defenderem” por delegação de poderes (no fundo passando-lhes “uma procuração, um cheque em branco”), o resultado do único e óbvio cuidado que deveriam ter para com a nossa (pelos vistos não deles)  população (olhando apenas para o que se passava na Itália, em França e na Espanha), bem espelhado no tratamento dado ao grupo prioritário por etário de maior risco: os idosos deixados literalmente à sua sorte (entregues à morte) em casas isoladas e lares, como o demonstram inequivocamente os números “trágicos e impossíveis de martelar” ─ dos 535 óbitos, 384 tendo mais de 80 anos, ou seja mais de 70% (e dos 535 óbitos, 459 mais de 70, ou seja mais de 85%).  Num Governo na prática com (ministros fundamentais neste tipo de situação) Ministro Inexistentes da Saúde e da Educação.

 

Em conclusãoDesconfiando dos Números (da DGS), mas confiando no Povo (de Portugal) e esperando que os Políticos (até hoje e como sempre) de Curta-Memória, não se esqueçam do Povo (até pela proximidade e pelo que aí ainda vem) com Memória-de-Elefante!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:58

12
Abr 20

Estando corretos os dados da DGS, com o norte de Portugal e as suas 258 vítimas mortais (tal como o ocorrido em Itália, com o Norte a ser o mais atingido) a serem o Epicentro Covid-19. Partindo do rio Tejo (Zona Amarela), subindo até ao rio Mondego (Zona Laranja) e passando o rio Douro (Zona Vermelha) atingindo-se o Inferno.

 

3.jpg

 

Por sinal com o Norte (55% das mortes) sendo a região de trabalho com a população mais concentrada (maior densidade populacional), com o maior número de idosos e maior número de lares (sejam legais ou ilegais, melhores ou piores, mas com o vírus não distinguindo, entre ricos e pobres). Livres só o Alentejo e ainda a Madeira.

 

(dados: DGS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:11

Este sábado (de Páscoa) com o Covid-19 ao lado e sem que se veja ainda o “Pico”. E ainda como medida de prevenção com os primeiros presos a sairem da prisão.

 

1.jpg

 

Mas mesmo assim e olhando para os outros – Itália, França e Espanha – ainda no “bom” caminho. Exceto no que diz respeito aos mais idosos, sozinhos em casa ou em lares.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:45
tags: , ,

10
Abr 20

[Os Ricos, os Pobres (os Países) e ainda os Restantes (as Dependências).]

 

75 anos depois

(1945/2020)

Auschwitz em Nova Iorque

 

EUA com quase meio milhão de infetados

e tendo já ultrapassado os 18.000 mortos

(10.04.2020 pelas 17:55 TMG)

 

covid-19-hundreds-of-bodies-buried-in-mass-grave-o

Hundreds of bodies buried in mass grave on island in New York

(gcfrng.com)

 

Integrado no continente EUROPEU – PORTUGAL − e segundo o que insistentemente nos dizem fazendo parte da 1ª DIVISÃO − constituída por 27 países – torna-se interessante não só analisar os nossos colegas de divisão (1ª), como até em termos de comparação olhar para os países constituindo a 2ª DIVISÃO – constituída por 17 países – assim como os restantes integrando a 3ª DIVISÃO – constituída por 6 dependências (+4 e ainda sobrando outros): já agora pois vivendo o momento − e nunca como dizem todos os PREDADORES, depois de reintegradas as suas PRESAS − em termos COVID-19.

 

Para tal e pelo menos uma vez na nossa vida (equivalente à vida de uma MOSCA, tão curta no que diz respeito ao Tempo e andando por questões de sobrevivência, constantemente à volta do mesmo Espaço, de MERDA) recorrendo ao nosso CÉREBRO e não delegando a sua função a um qualquer EGAS MONIZ – o grande por PORTUGUÊS Líder Mundial, no tratamento das nossas PERTURBAÇÕES MENTAIS, utilizando como técnica inovadora, física e irreversível a LOBOTOMIA – e já que tendo tempo apesar do pouco espaço disponibilizado, pelo menos exercitando um pouco o que temos dentro da nossa cabeça, como o fazemos com aquilo que temos entre as nossas pernas (seja homem ou mulher e dispensada a outra parte, o nosso centro do Mundo).

 

E para não nos cansarmos muito com este tema tão falado pelos privilegiados enquanto trabalhando em casa “batem uma” (com os outros ou morrendo devido ao vírus ou ao vómito extremo que essa minoria parasitária nos provoca, forçando-nos sob ameaça a ser seus hospedeiros) mas sem verdadeira produção – INTELECTUAL, já que os MANUAIS como sempre não se safam, colocados por sistema e pelos primeiros na frente de batalha como “Carne para Canhão” que são – sendo bastante e suficiente limitarmo-nos a nossa análise ao número total de mortos (Vítimas Mortais) e àqueles que sabendo-o ou não mas desconfiando, por lá andam (em estado grave/crítico nas Unidades de Cuidados Intensivos ou UCI’S) aguardando apenas a sua vez: sendo velhos ou sendo jovens a “Nata da nossa Civilização”, liquidada por definida como sendo de “fraca e pobre”, em nome de alguns (Milionários e Corporações) e do lucro (desvalorizado o sujeito, tornando-se protagonista o Objeto) seguindo de novo o percurso da sempre presente (como opção de solução) EXTERMINAÇÃO – sendo nós cidadãos da EUROPA antes como depois (e nem 75 anos passados pelos vistos sendo o suficiente para destruir a Cultura assim como a Memória) sob a tutela da ALEMNHA, no século passado  (XX) e numa visão dita HARDCORE debaixo do comando de HITLER, agora no século imediato (XXI) e numa versão dita SOFTCORE (cumprindo como Católico-Romanos um novo dito desígnio centrado na Paridade), debaixo do comando de MERKEL.

 

Então partamos para os números e para o Cálculo Mental e tal como no Futebol para as suas Três Divisões. Desde logo indicando os países/dependências (50) integrando cada uma das três Divisões (para não falar de outros Estados parcialmente reconhecidos ou até dependentes e aqui incluídos − escolhendo 4 deles e colocando-os na 3ª Divisão) e ainda outros 4 (total 54):

 

1ª Divisão

(27)

2ª Divisão

(17)

3ª Divisão

(6+4)

Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Itália, Hungria, Irlanda, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia e Suécia.

Albânia, Arménia, Azerbaijão, Bielorrússia, Bósnia e Herzegovina, Cazaquistão, Geórgia, Islândia, Macedónia do Norte, Moldávia, Montenegro, Noruega, Reino Unido, Rússia, Sérvia, Turquia e Ucrânia.

Andorra, Gibraltar, Liechtenstein, Monaco, San Marino, Vaticano e Abecásia, Ilhas Feroe, Kosovo e Ossétia do Sul.

Num total de 54 com 44 Países e ainda 10 Territórios

(estes últimos dependentes ou não reconhecidos)

De um total de 195 países/territórios (193+2) registados na ONU

 

E de cada divisão para a nossa investigação (no mínimo um Passatempo) escolhendo alguns exemplos de cada uma das divisões (talvez os referidos, como os mais “importantes”): Alemanha, Espanha, Itália e França pela D1, Noruega, Reino Unido, Rússia e Turquia pela D2 e Andorra e Kosovo pela D3, numa amostra de 10. Aqui vamos nós,

 

Em Tabela:

 

País

Divisão

Óbitos

UCI

Óbitos + UCI

Óbitos/1 M

Itália

D1

18.279

3.605

21.884

302

Espanha

D1

15.843

7.371

23.214

339

França

D1

12.210

7.066

19.276

187

Reino Unido

D2

7.978

1.559

9.537

118

Alemanha

D1

2.607

4.895

7.502

31

Turquia

D2

908

1.552

2.460

11

Noruega

D2

108

70

178

20

Rússia

D2

94

8

102

0,6

Andorra

D3

25

17

42

324

Liechtenstein

D3

1

0

1

26

Mundo

96.791

49.123

145.914

12,4

Dados Worldometers

(10.04.2020 10:41 TMG)

 

Em Gráfico:

 

www.jpg

 

E como esta escrita já vai longa, com a revolta e o nojo tal como mos gráficos crescendo exponencialmente − com os pobres a lutarem e a morrerem, com os ricos bem protegidos e fornecidos e com todos estes parasitas intermediários se necessário a mostrarem ou até a oferecerem o seu “cuzinho na TV”, querendo manter os seus 100% se não mais (mesmo que à custas dos seus colegas estagiários colocados no desemprego) – desculpem lá mas não aguento mais, esperando no entanto que em vez de aceitarem e engolirem tudo, comecem tal como todos os outros ainda lutando pela Vida − e não aproveitando-se da Morte − a defender os seus assim como toda a comunidade: trabalhando na Saúde, nos Transportes, no Ramo Alimentar, nas Forças de Segurança, num sem fim de trabalhadores, mas aproveitando-se para questionar já que lhe tendo entregue o futuro dos filhos, qual o papel da Educação tendo apenas como solução o regresso da Telescola (sob o silêncio ensurdecedor de muitos pais/Associações de Pais e até de alguns professores) − e logo utilizando (até pelo nome sendo insultuoso) um dos poucos canais por público, Cultural e preservando os registos de todo o sacrifício dos nossos antepassados, o canal Memória: quando logo ali ao lado tinham o completamente inútil canal da Assembleia da República (ARTV), com excelentes instalações e completamente equipado (e pago por todos nós e com outros a receberem), bastando tirar de lá aqueles que ainda hoje se entretêm entre eles (apesar dos mortos) − a esmagadora maioria mas nem todos, adivinhem quais (ajuda: pertencendo ao “Arco da Governação” ou desejando a todo o custo lá entrar, e sendo agora acompanhados pelos novos “anões-paraquedistas”) – a “brincarem aos políticos”!

 

Pelo menos com o “Poder Político” a não poder negar o seu “Programa de Extermínio”, deixando morrer os idosos em casa, nos lares e agora até nas prisões. E hoje com a Alemanha e toda a sua corte de rastejantes a oferecerem uma ajudinha, chamando desde logo a atenção (coitadinhos, preocupando-se tanto com os Mortos ou Zombies) que prioritariamente para o sector da Saúde (nunca para os pobres e desempregados). Nojentos os que oferecem, nojentos os que aceitam!

 

(imagem: gcfrng.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:10

01
Abr 20

Agora que a confiança nos dados fornecidos pelos matemáticos da DGS se foi por água abaixo na sequência da cena patética televisiva de 30 de março − que nós pensávamos vir a ser resolvida o mais tardar no dia seguinte (não o sendo), evitando o 1º de abril o “Dia das Mentiras(de mentiras estando todos fartos) – sendo surpreendidos 48 horas depois pelo regresso da Senhora que se enganou desculpando-se sorridente para as câmaras ter sido por culpa do seu telemóvel – “Deem-lhe um Telemóvel já!” – justificação efetivamente comprovada pela presença visível de seguranças em redor da tal Senhora de modo a que o dito Telemóvel não fugisse de novo,

 

vvv.jpg

Em número de vítimas mortais, com a Itália na liderança, Portugal em 15º e com os EUA arriscando-se a muito curto-prazo a assumir todas as lideranças; mas nem se querendo pensar no que se passará já na Índia e no que poderá surgir na América do Sul e em África, agora que chega o frio ao Hemisfério Sul

 

Dedicando-nos hoje e para já, não à análise dos números sem qualquer tipo de credibilidade apresentadas pela Senhora − acompanhada de novo (por alguém que ainda pensámos durante 24 horas ir-nos salvar e à matemática, mas salvando apenas e para tristeza de todos, a Senhora e o seu telemóvel) pelo seu triste moço de recados – mas à observação do gráfico indicando o número global de vítimas mortais e de casos de indivíduos em estado grave/crítico registados até às 15:23 TMG do dia 1 de abril de 2020. Isto enquanto esperamos a comunicação do 1º VIP da política a fugir (ainda-por-cima adorado pelos velhinhos) ao primeiro sinal de perigo colocando-se em Quarentena (isto enquanto muitos de nós positivos ou não, ou estamos despedidos ou a trabalhar), colocando-nos em suspense apesar de já sabermos o que vai dizer prolongando o Estado de Emergência até meio deste mês (15 dias), deixando-nos no entanto “de boca escancarada e de queixos caídos(“será que estão todos senis?”) perante (não só pela inexistência do Ministro da Educação, já ultrapassado pelo da Economia) a possibilidade de a meio desse período (apontando-se o dia 7 de abril) poder aceitar a “Reabertura das Escolas”: colocando desde logo em pânico (antecipado) muitos dos professores inseridos no grupo etário de risco (como ainda sucede em muitas profissões, sendo uma grande percentagem) tendo de enfrentar várias turmas de jovens (maioritária e felizmente apenas transmissores), como decretando desde logo que a partir dessa data os pais e avós desses jovens terão desde logo e pensando nos seus redigirem à pressa e o melhor possível “o seu Testamento (“não vá o Covid-19, o Diabo e os nossos Políticos, estarem já a tecê-la, a nossa morte anunciada”).

 

cristina-ferreira-antonio-costa-990x556.jpg

Em vez de estar a trabalhar optando por empregar bem o seu tempo

e nem sequer se dando ao cuidado (não devia estar isolado?)

do seu papelão encenado (será apenas para os outros?)

 

E enquanto o Povo vai sendo defraudado cada dia que passa com o desmascaramento de mais uma das muitas fraudes-promessas dos nossos Governantes e Políticos por nunca e jamais cumpridas (entrevistem as vítimas ainda vivas dos fogos florestais e questionemos as mesmas sobre as ajudas/indeminizações recebidas) − os mesmos que insultavam ainda há pouco tempo entre tantos outros os profissionais da Saúde, só faltando mesmo chamar-lhes de oportunistas e de chulos só pensando no dinheiro e não nos doentes (lançando os doentes contra médicos/enfermeiros), no presente aplaudindo-os e transformando-os aos olhos da opinião pública em heróis (e colocando agora a turbe-rebanho a aplaudir) – podendo-se afirmar que para a generalidade dos portugueses “cada dia que passa, sendo cada cacetada” seja, e para não perder muito tempo sendo tantos os casos gritantes e escandalosos-criminosos (lembrando que muitos já estão em casa sem dinheiro e com as contas a caírem todos os dias), por exemplo e falando do noticiado esta quarta-feira 1 de abril e esperando ainda ser uma mentira típica deste dia (há sempre imbecis nestes períodos difíceis, veja-se o caso da TV cheio deles) ou algum erro ou desmentido, o anunciado na comunicação social de que face à falta de recursos humanos, mais uma vez o estado se dirigiria aos mais pobres e fragilizados, e aos desempregados nem sequer lhes retribuindo com o ordenado mínimo nacional”.

Chega!

 

Cerca de seis horas depois (21:29 TMG) da situação retratada no gráfico acima representado (referido às 15:23 TMG) e com os EUA já nos 211.408 infetados, 4.718 vítimas mortais e 5.005 em estado grave ou crítico, com a situação global a caminho de 1.000.000 infetados, das 50.000 vítimas mortais e já ultrapassados os 35.000 em estado grave ou crítico.

 

Nota Final:

 

Hoje com mais uma notícia agora oriunda da “Cristina” – e “Vivam as Redes Sociais” tão “boas elas são” − ficando-se a saber que para já e para felicidade de muitos especialmente pais e avós os mais idosos (não querendo morrer já, até para poderem ajudar, entre outros aspetos e podendo, monetariamente os mais jovens) − ainda ao serviço efetivo de modo a não serem penalizados na reforma – com o dia 7 de abril deixando de ser a referência (suspiro de alívio, mas momentâneo) para o “Regresso à Escola”: com os VIP do Governo, seus conselheiros e matemáticos (mais contabilistas do que matemáticos, ficando-se pelas percentagens) e talvez com a presença do Ministro (aparecendo, o da Educação), no dia 9 de abril (pelo menos mais 2 dias de vida) decidindo o destino a dar a idosos e jovens do Mundo da Educação (talvez lá para maio reiniciando-se as aulas, dependendo da pressão dos privados). Sábios como são e especialistas na questão, dando “cacetadas na curva”, na senda da procura do “Pico(conheço o “Pisca-Pisca”) descobrindo “o planalto” e agora até a “Mola”. Os mesmos para quem 2 = 1 (cerca de 900 infetados no Porto, sendo o mesmo que cerca de 450) e que tal como um ”chulo (mais uma vez atingindo sem vergonha, os mais pobres e fragilizados) os desempregados, lhes propõem como retribuição da mais pura obrigação (se recusares estás “fodido”), ainda menos que o “ordenado mínimo” para ajudar os “Covid” − muitos deles seus familiares e mal ou às portas da morte, causando (para eles e postos à vista de todos nós) impressão e perda de concentração (nos seus “lugares de trabalho, mas em casa”).

 

(imagem: atelevisao.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:54

05
Mar 20

[E o coronavírus Covid-19, antes na China, agora na Europa − e ainda não tendo atingido, o fim da sua viagem.]

 

Em função da velocidade de propagação inicial do coronavírus COVID-19, talvez uma explicação para o cenário negro que  Europa se arrisca a passar, dada a violência com que o respetivo surto epidémico chegou à EUROPA (ocidental): entrando em força pela ITÁLIA e até esta quarta-feira (fevereiro, 4) tendo infetado 3.089 pessoas, vitimado mortalmente 107 (3,5%) e com 276 (8,9%) tendo entretanto recuperado. Deixando países próximos perto de um ataque de nervos, como será o caso da (falando apenas de países ocidentais, do lado de cá) Alemanha, França e Espanha (tendo esta última fronteira terrestre com Portugal), sabendo-se que cada um deles já se depara com vários I (infetados)/VM (vítimas mortais)/R (recuperados): a França com 285I/4VM/12R, a Alemanha com 262I/0VM/16R e a Espanha com 222I/2VM/2R.

 

median-age-continent-population 1.jpg

Idade média da população mundial por continente

indo dos 18 (em África) até aos 53 (no Mónaco)

 

E sabendo-se desde já que a IDADE poderá ser um fator importante − com os mais idosos (até pelo “acumular de doenças”) a serem mais facilmente infetados e atingindo taxas de mortalidade mais elevadas, ao contrário do que sucede com os mais jovens, a grande maioria deles passando imunes (ou nem sentindo a presença do vírus) – no desenvolvimento da ação e propagação do coronavírus Covid-19, porque não concluir-se igualmente que a IDADE MÉDIA DA POPULAÇÃO afetada poderá ter um papel decisivo, na sua (do vírus) velocidade de propagação e aumento da taxa de mortalidade.

 

median-age-continent-population 2.png

Percentagem (0/50%) de jovens (coluna a verde)

e de idosos (coluna a preto) por continente

 

Assim como a extensão do território ocupado e o número de indivíduos aí residindo (densidade população, população/Km²) e tendo como exemplares para esta amostra (comparativa) Lisboa (pouco mais de 2,7 milhões, numa malha urbana não atingindo sequer os 1.400Km²) e Pequim (uns 22 milhões numa malha urbana de pouco mais de 4.000Km²), com a densidade populacional de Pequim a ser (nuns cálculos algo rudes) 3X a densidade populacional de Lisboa. Mas voltando ao ponto que aqui interessa (analisar) sobre a IDADE MÉDIA DA POPULAÇÃO afetada (podendo estar relacionado com a velocidade de propagação deste novo vírus, sua maior incidência e taxa mortalidade) sendo de ressalvar que se na ÁSIA a idade média da sua população é de 31 anos, na Europa a mesma idade média já passa para 42: sendo natural que com a idade as nossas defesas vão enfraquecendo e sabendo-se do envelhecimento contínuo da população deste continente (fragilizando-nos e abrindo as portas às doenças), nada se fazendo (e pensando nós a nossa população ter a idade média de chineses/31 ou de africanos/18) podendo ser um desastre (com a nossa idade média de 42 e sempre a subir, ultrapassando mesmo os 50) anunciado.

 

(imagem/desdobrada: visualcapitalist.com/weforum.org)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:00

12
Jan 14

A grande frase de Paulo Portas no Conselho Nacional do CDS:

"O que teve de ser teve muita força"

(sobre a irrevogabilidade ou porque voltou atrás)

 

Lista de Portas vence com 82% contra 4% da lista de Anacoreta Correia

 

Nobre Guedes: “O Homem Sonha... a Mudança Nasce”

 

O Conselho Nacional do CDS veio mais uma vez comprovar que está assegurado o futuro de Paulo Portas pelo menos até meio do ano. Tempo suficiente para o mesmo ir preparando o seu mais que provável triplo plano de fuga, de salvação e de ressurreição – como já é hábito (e um sinal de nascença – política) dele.

 

Irrevogável: O Político Definitivo

 

O convencimento de Paulo Portas – para a manutenção do seu eleitorado – reside essencialmente em dois pontos:

- Na altura o país já será outro;

- O regimento de reformados vai-se sempre renovando.

 

Idosos: A Estratégia do Esquecimento

 

Entretanto as andorinhas e os abutres do CDS vão-se desde já manifestando, pois eles sabem que todo o cadáver mesmo que pequenino tem sempre de comer e até o tutano se aproveita: desde o intérprete escolhido para fazer o papel de ingénuo Anacoreta Correia, passando pelo sempre disponível, oposicionista e grande amigo Nobre Guedes, até ao grande passarão de nome Nuno Melo. E na sombra – e nunca o podendo ignorar – o verdadeiro delfim, o poderoso economista, o senhor das bejecas Pires de Lima.

 

(imagens – visão.sapo.pt e paginaglobal.blogspot.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:08

29
Dez 13

Questões e Dúvidas Reais

 

P: Qual a verdadeira razão pela qual determinados sectores da poderosa elite norte-americana – especialmente a extrema-direita republicana:

 

P1: Estão contra os Democratas e o OBAMACARE:

 

Obama

 

P2: Estão contra a Igreja e o Papa FRANCISCO?

 

Francisco

 

Atitudes e Simulações Fictícias

 

R: As respostas – e como é evidente – são muito claras e significativas face ao poder que hoje em dia controla o mundo, alienando-nos da natureza e manipulando incessantemente a nossa mente:

 

Enquanto for Presidente, não vou ceder às exigências de alguns no Partido Republicano para negar uma cobertura de saúde acessível a milhões de trabalhadores norte-americanos

(Presidente Obama)

 

R1: Porque fica muito caro generalizar os cuidados básicos de saúde a todos os cidadãos norte-americanos – para já não falar da possibilidade de se poder estender esta benesse aos cidadãos estrangeiros – sabendo-se antecipadamente que a maioria da população nem sequer tem dinheiro para sobreviver condignamente. Além do mais Barack Obama é considerado o Anti-Cristo que levará os EUA para o seu colapso económico e ideológico final, não fosse este alienígena um tipo de cor negra e provavelmente nascido no continente africano.

 

Penso que um sinal para saber como vai uma família é ver como nela são tratadas as crianças e os idosos

(Papa Francisco)

 

R2: Porque é evidente para quem tem dois dedos na testa e a maioria dos outros dedos nos bolsos, incluindo os dos pés e os da restante família – e lá aparece mais uma vez à frente deste pelotão visionário a extrema-direita norte-americana adepta fervorosa da resolução de problemas a tiro – a opção ideológica desse criptocomunista chamado Francisco, constantemente a fazer a apologia dum dos mais antigos e famosos terroristas britânico após Jesus Cristo – Robin dos Bosques – que “tirava aos ricos para dar aos pobres”. Inegavelmente outro anti-cristo. E como pode esta preocupante situação evoluir e transformar-se em algo de positivo, se esta for irresponsavelmente entregue nas mãos dum povo pobre, inculto, indigente, acéfalo e necessitado de orientação?

 

(imagens – retiradas da Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:06

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO