Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


As Voltas que a Vida dá, à Volta de um mesmo Buraco

Sábado, 22.01.22

[Uns dando resultado, mas muitos mais outros não e logo sendo os escolhidos, mas nunca proporcionando a discussão.]

“A uma média de 140 indivíduos por segundo podendo-se despachar numa hora cerca de 500.000 infetados, cheguem frescos de bem sentadinhos (sendo ricos e de automóvel) ou a suar de tanto correr (sendo pobres e a pé), mais jovens ou mais velhinhos. Batendo-se aí o recorde na posse do nada ambicioso Vice-Almirante (agora Almirante e Chefe e putativo candidato à Presidência).”

tonga_goes_2022015_th.jpg

A 15 de janeiro uma violente explosão

seguida de uma onda de choque

(originando a formação de um tsunami)

tsunami-tonga-2-1536x753.png

Na teoria e na prática sendo um caso exemplar ─ podendo teoricamente acontecer, mas sendo na prática algo raro de se concretizar (como tipo de evento extremo, mas na generalidade sendo “produto do acaso”, não se podendo prever) ─ mas como sempre e pelos vistos tendo-se transformado numa tradição (deixando-se andar), “nunca se tomando a necessária senão mesmo obrigatória iniciativa”,

Jamais querendo tomar alguma decisão podendo colocar em causa o “normal funcionamento” do sistema (no presente ainda funcionando), até hoje utilizado com sucesso como se compreende e deduz pela sua atual manutenção (já com muitos anos de rodagem) ─ ninguém o colocando em causa, só o pretendendo melhorar ─ mantendo-se dessa forma o status quo alicerçado na ideia sedentária da nossa pretensa “prevenção e segurança”,

Impondo-nos a indiferença e a teoria contrária ao que nos tinham ensinado ontem, afirmando hoje que em certas situações e sob determinadas circunstâncias (estratégicas) ─ faltando-se como sempre e até para conhecer melhor a nossa situação, saber em função de quê/de quem ─ “se poderia deixar para amanhã o que poderíamos fazer já hoje”, numa atitude, comportamento e escalonamento de valores nada Éticos por exclusivamente Económicos,

Mais uma vez desvalorizando o Sujeito (o Homem) face ao Objeto (a Matéria-Prima) e transformando-o (em função da sua produção de Mais-Valia) em algo “inferior” a este último, a esta “coisa” ─ fixando-se o interesse nos Objetos, como consequência e sobrepondo-se estes desvalorizando-se o Sujeito e assim invertendo-se a “hierarquia”, colocando-se em causa a própria (cada vez mais virtual) Pirâmide Social (com um 1º passo para nela introduzir a Máquina)

Depois do Evento do Reino de Tonga provocando um efeito “colateral” e trágico (a nível de poluição) no Peru, eis que não aprendendo nada, mantendo sempre os mesmos procedimentos (tal como ensinado a todos os portugueses), mesmo que deixando a decisão para as últimas ou então, passado o prazo esperando pelas consequências ─ podendo servir-se de um caso exemplar ocorrido nestes últimos dias,

MTc1NTg2MzA3MjY1Nzk5Mjg3.jpg

Danos colaterais provocados

por incêndios em tempos de epidemia

(os Grandes Fogos de Londres e de Nova Iorque)

MTc1NTg2MzY4MjAwNjQ3OTE1.jpg

Á “Última da Hora” sentindo-se já os efeitos da inação e no entanto, “mandando toda a sua Gente” para a frente de combate, o nosso Governo Virtual decide “manter o rumo de sempre” ─ antes exercido no Antigo Regime (antes de 24) pelos pais, depois já no Novo Regime (depois de 24) sendo-o ou hereditariamente pelos filhos desses (por direitos adquiridos anteriormente) ou (ainda pior) pelos seus bastardos (por direitos adquiridos posteriormente)

E justificando a sua atitude por numa fila de 100 (sendo esse o nosso número) “estar a arder o ainda bem distante nº 1”, não tomando nota desta derradeira relação Reino de Tonga/Peru e, entretanto (no entanto) e como consequência lógica e racional (sendo nós o único exemplar na Terra, como espécie racional), chegando à mais que óbvia conclusão (aqui não),

─ Uma ação/uma erupção (implosão/desintegração de um vulcão) provocando efeitos (várias ondas de choque submarinas) e uma reação/um derrame petrolífero num outro lado a cerca de 11.000Km de distância (com duas pessoas estando no litoral do Peru e ignorando o alerta, a serem apanhadas por ondas produzidas pelo tsunami, afogando-se)

Agora, aqui e em Portugal, optando pelo mesmo esquema de não raciocínio, apenas de aplicação por urgente até pela imagem de algum tipo minimamente visível de medida (impactante mesmo que de efeito nulo, já sendo bom, “não ser pior a emenda que o soneto”), na realidade em virtude e como consequência de nada se ter feito antes, mesmo estando-se prestes a cair no buraco, mas momentos antes de lá chegar tropeçando, dando cabo da cabeça e logo ali ficando indo logo ali “desta para melhor”,

Propondo-nos estando-se na presença de Ómicron e de uma Eleição ─ num EDI um “Evento de Duplo Impacto”, envolvendo simultaneamente dois produtos de consumo (ligados à Saúde e à Economia) formando um terceiro produto conjugando ambos (virtudes e defeitos), talvez passageiro, mas imediatamente e oportunisticamente, mesmo nada se fazendo (uma opção considerada hoje muitas vezes como válida) “aproveitando” o “Momento Eleicron” ─

220105_PAG046_1505_v4-1900x600.jpg

Num Momento Decisivo Eleição/Ómicron

e podendo-se contaminar a Eleição

(dando-se mais uma hipótese a Ómicron)

803961.jpg

Dirigindo-se à multidão crescente de “Infetados Ómicron” dispersos um pouco por todo o lado ─ igualmente presentes entre os ditos “não infetados”, nem sabendo que o estão igualmente, no caso do Algarve não sendo sequer o Ómicron mais famoso o protagonista, mas provavelmente um seu “irmão” (mas mais agressivo, na região os óbitos aumentando igualmente, face ao ano passado) ─ uns sendo capazes (jovens e sãos) e outros obviamente não (menos jovens e menos sãos)

A comparecerem no dia 30 de janeiro de 2022 nos seus respetivos locais de voto preferencialmente a partir das 18:00 horas, para desse modo respeitando-se o direito dos Infetados ao voto e simultaneamente protegendo-se destes os Não Infetados (não tendo o vírus no corpo, não estando ainda possuídos pela doença), esperando-se que na Eleição “não sejam muitos” ─ contrariando o que diz a outra parte, Ómicron ─ que a maioria dos cidadãos vote nos conformes (08:00/19:00) e que “a meteorologia ajude” ─ podendo-se em último recurso rezar-se (mesmo que online) a Nossa Senhora de Fátima.

Depois de colocarem centenas de milhares de jovens em movimento, escancarando-lhes as portas e enviando-os em direção à sua escola, espantosamente para se enfiarem de imediato num buraco, numa sala fechada ─ abrindo completamente a porta de entrada privilegiada por esta variante, ligando Família/Escola e assim assegurando a sua mais profunda e rápida contaminação ─ voltando-se agora para muitos mais, querendo repetir uma cena semelhante (retirados os jovens) com os restantes (assim não ficando e democraticamente, ninguém para trás).

E como temos cada vez mais “especialistas em ajoelhar e rezar”, de uma forma ou de outra eles apresentarão uma solução, mas só a partir de 30 e alcançado o “Momento Eleicron”. E com o Peru a sofrer mesmo estando a 11.000Km de distância e sabendo-se ainda que ardendo a casa nº 100 e nada se fazendo (aparecendo de seguida) chegará inexoravelmente a vez da casa nº 1, questionando-nos face a estas evidências (perguntem aos bombeiros, eles saberão por experiência responder) o que ainda nos sucederá mais, até 30, a 30 e mais além (no futuro tanto para a gente, como para o coronavírus).

(imagens: earthobservatory.nasa.gov/metronews.it ─

Getty Images/history.com ─ visao.sapo.pt/ionline.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:06

Pouco mais de 24 horas (umas 35) para o 1º Toque

Sexta-feira, 21.01.22

Num dia em que Portugal à entrada do seu 3º ano de Covid-19 atinge um máximo absoluto de 58.530 Infetados/dia e já nesta última vaga (“vaga de Inverno”) um valor máximo relativo de 49 Óbitos/dia ─ mesmo assim nada comparado ao nº de óbitos registados há precisamente um ano, sendo então 4,5X mais (221 Óbitos/dia) e no seu pico máximo atingindo os 303 Óbitos/dia (em 28 e 31 de janeiro de 2021)

Imagem1.jpg

A nível Global e a 21 de janeiro de 2022 (20:45/Lisboa)

335 milhões de Infetados ou 4,2% da população Mundial (Portugal 2,1 milhões)

5,6 milhões de Óbitos ou 1,7% dos Infetados (Portugal 19,5 mil)

Continuando-se ainda por atingir o pico máximo desta última vaga, com o nº de Infetados/dia e de Óbitos/dia, assim como o nº de Internados (incluindo UCI) ainda a crescer, mas por outro lado e sendo um sinal bem positivo (de que o pico poderá já cá estar ou então mesmo aí a “rebentar”), com o índice de transmissibilidade permanecendo sempre em descida hoje já em R(t)=1,1.

Pelos vistos só depois de 30, se fazendo o verdadeiro ponto de situação e até lá (sendo o seu caso) restando-nos rezar e votar ou então (sendo o outro) e fazendo uma pirueta, colocar-nos de pernas-para-o-ar (oxigenando-nos no que para eles está em excesso, o nosso cérebro).

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:58

Eleicron 19:00 ─ A cerca de 60 horas do 1º Round (228 do 2º Round)

Quinta-feira, 20.01.22

Esta quinta-feira (20 de janeiro) com um novo máximo nacional de Infetados/dia ─ 56.426 ─ desde que esta Pandemia ─ Covid-19 ─ teve início (nos registos em março de 2020), confirmando-se a maior infecciosidade desta nova variante Ómicron, no entanto e se comparada com a anterior variante Delta ─ e nunca esquecendo a administração da vacina ─ só neste dia sendo cerca de 6X menos (34 em 2022 contra 219 em 2021).

Imagem2.jpg

Depois da Economia vindo a Política (talvez mesmo o contrário), tendo de se colocar definitivamente de lado a Crise e vindo aí Eleições (ou outros momentos decisivos) ─ como prova tendo a França, a partir da próxima segunda-feira, 24 (com um “não”, aos não vacinados) ─ declarando-se oficialmente o fim da doença e abrindo-se todas as portas de lado-a-lado: e assim se declarando “O Vírus Morreu”!

Imagem1.jpg

Tendo-se conhecimento, entretanto de uma notícia podendo levantar um pouco do mistério sobre o crescimento simultâneo do nº de infetados/dia assim como do nº de óbitos/dia na região do Algarve, contrariando o sucedido na generalidade do país, “não descendo significativamente o nº de óbitos”, mas pelo contrário “subindo”: a possibilidade da região estar sob a ação da variante Ómicron, mas de uma sua “derivação” ligeiramente diferente.

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:06

Covid-19/PT 19.01

Quinta-feira, 20.01.22

No registo Global Covid-19 publicado nesta quarta-feira (19 de janeiro) com Portugal relativamente à Europa a ser o 6º país com maior nº de infetados/dia (hoje 52.549, um recorde absoluto) e o 17º com o maior nº de Óbitos/dia (hoje 33), mantendo-se a tendência dos últimos dias com os infetados ainda em notório crescimento ─ no ano passado e no mesmo dia tendo-se verificado 10.455 infetados (5X menos) e 218 óbitos (6,6X mais), certamente como resultado da administração da vacina e da menor letalidade desta variante Ómicron, relativamente à anterior a variante Delta.

Imagem1.png

Nestes dois gráficos retratando a evolução da doença (Covid-19) desde 1 de novembro de 2021 (um período de 80 dias) e apanhando o período da substituição da variante Delta pelo seu sucessor Ómicron, confirmando-se que tornada esta última variante dominante, disparando de imediato o nº de infetados/dia, mas não sendo acompanhada nesse ritmo pelo nº de óbitos/dia, mantendo-se muito abaixo dos do ano passado.

Imagem2.png

Relativamente ao que se passa na região do Algarve ─ no país continuando a aumentar o nº de infetados/dia, o nº de internamentos e a taxa de incidência, mas por outro lado e sendo significativo, continuando a diminuir o índice de transmissibilidade R(t), estando-se quase a atingir R(t)=1,0 (hoje nos 1,1) ─ o cenário sendo algo diferente, verificando-se na vaga deste ano (se comparada com a anterior) maior nº de infetados, mas igualmente maior nº de óbitos, contrariando o panorama geral nacional. Não sendo a pior do país, com Albufeira a liderar no nº de infetados entre os 16 concelhos da região (todo muito próximos).

(dados: dgs.pt/worldometers.info ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:14

Entre a Pandemia e a Endemia

Quinta-feira, 06.01.22

Na prossecução desta última vaga e já com a variante OMICRON em maioria quase total, mantendo-se estável a evolução do nº de Óbitos/dia (em ligeira descida) apesar da subida notória do nº de Infetados/dia hoje atingindo quase os 40.000 casos/dia.

Imagem3.jpg

O nº elevado de infeções ─ um valor já esperado com esta variante substituindo Delta ─ devendo-se ao rápido contágio/infeção provocada por este novo coronavírus, infetando muita gente rapidamente, mas sendo muito menos ativo e mortal que o seu antecessor.

Gráfico Comparativo

Internados e Óbitos em Portugal e no Algarve em 2020/21 e 2021/2020

Período de 36 dias

01.12

05.01

IP

IA

OP

OA

2020

2021

138.518

3.226

2.781

26

2021

2022

352.727

(2,5X)

13.641

(4,2X)

588

(4,7X)

82

(3,2X)

(IP: Infetados Portugal IA: Infetados Algarve

OP: Óbitos Portugal AO: Óbitos Algarve)

Como se pode constatar na tabela (anterior) e em Portugal, comparando um período idêntico (de 36 dias) de 2020 e de 2021 e quanto ao nº total de Infetados e de Óbitos, verificando-se desde logo para Portugal ─ certamente com grande contribuição da vacina ─ 5X menos ÓBITOS.

O Algarve aparentemente apresentando-se em contraciclo ─ nesse mesmo período (36 dias) ─ c/ os Infetados a aumentarem 4X e os Óbitos (em vez de diminuírem, como indica a media do país) a aumentarem 3X. C/ o pico desta vaga (segundo as últimas previsões dos especialistas) a ser esta semana (até 9) ou na próxima (até 16) ─ antes indicando-se mais tarde (até 21).

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:51

Covid-19/Omicron ─ E depois?

Quarta-feira, 29.12.21

Nesta quarta-feira (dia 29.12) tendo-se batido mais um record do nº de infetados/dia ─ 26.867 indivíduos ─ com a taxa de incidência a continuar a subir (hoje nos 923,4) assim como o índice de transmissibilidade (hoje com R(t)=1,23). Apesar do elevado nº de Infetados/dia, tal não se refletindo felizmente no nº de Óbitos/dia, este ano de 2021 registando-se 12 óbitos, ao passo que em 2020 o cenário era bem pior com 74 óbitos (ou seja, cerca de 6X mais).

Imagem1.jpg

Para já a única preocupação dada a rapidez do contágio, a ser o possível esgotamento rápido das capacidades hospitalares e do SNS, dado o previsível amontoar de pessoas à espera de serem atendidas ─ para já nem falar de todos os outros doentes, irresponsável e estrategicamente (criminalmente?) ignorados ou mesmo esquecidos.

Casos

África do Sul

Reino Unido

Portugal

População

59.308.690

67.886.011

10.196.709

Infetados

+9.020

+183.307

+26.867

UCI

546

842

151

Óbitos

+81

+57

+12

(Covid-19 ─ 29.12.2021)

Pelo que se vê e confirmando o cenário apresentado na África do Sul origem desta nova variante do SARS CoV-2, ao contrário da variante DELTA refletindo mais o crescimento do nº de Infetados com números elevados de Óbitos ─ e apesar desta última ser muito mais rápida no contágio ─ com a descida no nº de Óbitos a ser bem evidente (e clara nos números) ainda hoje 2021 1/6 de 2020, efeito da "responsabilidade" de OMICRON.

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:29

Apesar de sem ela poder ser o Caos Global, vendo-se a China como o Centro do Mal

Terça-feira, 28.12.21

“O Verdadeiro Problema Existencial: Quem preferem? Quem trabalha e quem produz, ou quem apenas afirma ter muito dinheiro? Nem valendo a pena responder, por educação e por antecipação, sabendo-se já a resposta.” (Produções Anormais)

Screenshot 2021-12-28 at 18-54-56 file-20211222-12

Na África do Sul com a variante OMICRON para além de mais contagiosa ─ contagiando mais gente em menos tempo e parecendo simultaneamente “despistar” os testes e “ignorar” a vacina (vacinados ou não, sendo igual) ─ a fazer disparar o nº de Infetados, mas tal não se refletindo no nº de óbitos, sendo muito menor (do que com a anterior variante Delta). Podendo, no entanto, fazer aumentar os internamentos, instalando o caos nos hospitais ─ e recordando ainda a população africana sendo em média mais jovem (e mais resistente à doença) que a europeia.

Ao olhar para uma notícia de entrada [multinews.sapo.pt] e sendo mais uma vez solicitada a minha atenção, pela introdução ─ daquilo que se poderá considerar um mero acaso ─ da palavra “CHINA”,

“Covid-19: China coloca segunda cidade em quarentena perante o aumento dos casos positivos.” (multinews.sapo.pt/28.12.2021)

Pensando honestamente esta notícia ser mais uma das inseridas, na campanha de demonização da CHINA (seguindo e acompanhando a demonização da RÚSSIA), levada a cabo pelos EUA ─ e pelo BLOCO OCIDENTAL ─ na sua luta contra o BLOCO ORIENTAL,

─ EUA e ALIADOS = Bloco do Bem (Bloco Sagrado, integrando o HEMISFÉRIO NORTE ORIENTAL) e CHINA e Rússia = Eixo do Mal (Bloco Profano, integrando o HEMISFÉRIO NORTE ORIENTAL), o Hemisfério Sul, a outra metade da TERRA não contando ─

Ficando deveras preocupado com a chegada desta nova variante do coronavírus original SARS CoV-2, OMICRON, vendo um dos maiores estados e território do Mundo ─ uma das maiores potências Globais, desafiando já a supremacia norte-americana ─ local onde supostamente esta epidemia se iniciou, transmitiu e finalmente “acalmou”,

Como a [Multinews] aqui refere e destaca, devendo ser um caso extremamente grave, levando os governantes chineses a encerrarem completamente uma cidade (já a segunda) colocando-a de QUARENTENA.

Ficando, no entanto, um pouco confuso, sabendo-se a China ter mais de 1,4 biliões de pessoas e destas quase 11 milhões residirem na área dessas duas cidades chinesas ─ XI’AN e YAN’N ─ dado o número de novas infeções levando a esta notícia e causando algum alvoroço e temor um pouco por todo o Mundo,

Ser de 209 novas infeções numa terça-feira:

“Autoridades enfrentaram o ressurgimento do vírus nas últimas semanas, relatando 209 infeções esta terça-feira – a maior contagem em um único dia desde março do ano passado, quando o vírus estava apenas começando a se espalhar pelo mundo a partir da cidade de Wuhan.” (multinews.sapo.pt/28.12.2021)

delta and omicron sized.jpg

Nas últimas informações recolhidas sobre esta nova variante sucedendo a DELTA (a mais mortífera, como vimos em janeiro) ─ a OMICRON ─ p/ além de tudo o que se foi sabendo sobre esta variante (como enganar testes/ignorar a vacina), a retirada de uma coisa “boa” (p/ a saúde de todos nós), mesmo que a partir de uma coisa “não tão boa assim”: se por um lado este novo descendente adquiriu novas capacidades (capaz de ultrapassar a ação dos anticorpos e de enganar testes) por outro lado e sendo “bem significativo”, as consequência p/ a saúde são (menor eficácia) muito menores.

Num dia em que a nível Global talvez se tenham registado uns 750.000 infetados (números aproximados do dia anterior), sem dúvida que 209 infetados em duas cidades chinesas num total de 1,4 biliões de chineses e 7,9 biliões de terrestres,

“Em Portugal (10 milhões) num dia ─ terça-feira, 28 de dezembro ─ registando-se 17.172 Infetados/dia, na China (1440 milhões) nesse mesmo dia registando-se 209 infetados/dia. Vendo-se bem a diferença ─ brutal ─ mas em benefício não dos portugueses, mas dos chineses.” (Produções Anormais)

Se torna aterrador ─ quando se sabe que enquanto estes números apontam para as centenas, com a China nesse mesmo dia a registar uma média de +200 infetados/dia, no Ocidente fonte destas notícias os EUA registaram quase +300.000 infetados/dia e o Reino Unido quase 100.000 Infetados/dia, ninguém se preocupando (a Espanha aqui ao lado mais de +50.000 infetados/dia.

Não entendendo esta obsessão pelo que se passa no Oriente (com uma população mais nova e resistente), quando a maioria das mortes se regista a Ocidente (com uma população mais idosa e frágil), só podendo esta notícia (de interesse “zero”) integrar a campanha EUA Vs. CHINA/RÚSSIA e não estando interessado (em mais um potencial confronto e guerra).

Deixando para trás o ORIENTE (aquela parte do planeta que sustenta toda a outra parte) e preocupando-nos com o que interessa, com o que se passa a OCIDENTE sobretudo na decadente EUROPA,

Devendo-nos preocupar e questionar como é que um pequeno ser vivo matando como outros matam e muitas das vezes muito menos, conseguiu paralisar um planeta mergulhando-o numa crise agora múltipla (social, económica, financeira, moral, de saúde) e até podendo servir de desculpa, para uma nova Guerra.

Num momento em que agora debaixo de OMICRON os números GLOBAIS apontam para perto de 5,5 milhões de ÓBITOS (liderando aqui os EUA com cerca de 840 mil, seguindo-se Brasil e Índia) e perto de 252 milhões de INFETADOS (liderando aqui os EUA com cerca de 54 milhões, seguindo-se Índia e Brasil).

Para guerra já chega a “GUERRA MUNDIAL contra a COVID-19”, devendo-nos preocupar connosco e deixar os adversários dos EUA (sendo problema destes, querendo continuar a mandar, jamais obedecer) para os próprios EUA.

(imagens: Kim Ludbrook/EPA/theconversation.com ─ iStock/web.musc.edu)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:20

Covid-19 ─ Comparando 2020 com 2021 (dezembro)

Quarta-feira, 22.12.21

“No ano anterior (Natal de 2020) a pior vaga de Covid-19 que tivemos ─ transportando-a agora para este ano (2021) ─ começou na semana que aí vem (27.12 a 02.01), pré-alimentada por esta (20.12 a 26.12). E maluquinhos como sempre andamos por estas alturas, tudo sendo possível.”

Observando os dois gráficos referindo-se aos anos de 2020 e de 2021 em Portugal ─ comparando-se a evolução do nº de Infetados/dia em 2020 e 2021 e a de nº de Óbitos/dia no mesmo período, devido à Covid-19 ─ chegando-se à conclusão (analisando esse período de 22 dias) que se o nº total de Infetados subiu cerca de 1,2X (80.595 para 95.296) por outro lado o nº total de óbitos diminuiu cerca de 4,6X (1.749 para 382): o mais importante a tirar desta conclusão, diminuindo o nº total de Óbitos quase para 1/5 (de 2020 para 2021), a ser o da efetividade das vacinas e da respetiva campanha de vacinação.

Imagem1.jpgImagem2.jpg

Evolução comparativa Covid-19

(dezembro 2020/dezembro 2021

Neste mês de dezembro de 2021, 2ª quadra natalícia consecutiva contando com a presença do coronavírus, no presente com duas variantes ativas uma parecendo começar a entrar no palco de combate (OMICRON) rendendo na sua função a variante-protagonista anterior (DELTA), com o nº de Infetados/dia em Portugal a regressar a números do início de fevereiro deste ano (de 2021) atingindo quase 9 mil Infetados, talvez começando já a confirmar a maior infecciosidade de OMICRON (sendo mais rápido no contágio) aos poucos tornando-se a variante maioritária. E estando este, OMICRON, ainda na “fase de chegar” (apesar de já poder ter metade da “cota de mercado”, face a Delta), tudo o que envolve esta quadra podendo ser negativo.

No Mundo e no último registo liderando o Reino Unido no nº de Infeções/dia (106.122/dia), regressando de novo a Rússia à liderança no nº total de Óbitos/dia (1.020/dia), com os EUA (1º/1º) ─ mais de 52 milhões de Infetados e mais de 830 mil Óbitos ─ o Brasil (3º/2º) e a Índia (2º/3º) a continuarem a ocupar (no total de Infetados/Óbitos) o TOP3. Com a Pandemia de momento e no Mundo apesar de registar um ligeiro incremento no nº de Infetados (+11% nos últimos 7 dias), mantendo a evolução do nº de óbitos em descida (-5%).

(dados: dgs.pt imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:56

A menos de 70 horas das Meias ou do Sapatinho

Quarta-feira, 22.12.21

[No Mundo e por esta altura com os EUA a liderarem este dia (22.12 antes das 02:00) com mais de 180.000 Infetados/dia e mais de 1.800 óbitos/dia (aqui ultrapassando a Rússia), nos últimos sete dias e a nível Global com o nº de Infetados a subir ligeiramente (+9%) e o nº de Óbitos/dia pelo contrário a descer (-5%).]

Cada vez mais próximos do dia em que há um ano atrás se deu início à “Vaga de Inverno” ─ por volta de 25/27 de dezembro de 2020 ─ vaga essa culminando em finais de janeiro de 2021 (atingido o seu pico máximo de atividade) com 16.432 Infetados/dia e 303 óbitos/dia,

À medida que o tempo passa, que todos se amontoam na rua (em espaços abertos ou fechados) e que a variante Delta vai sendo substituída progressivamente pela variante OMICRON (esta última já devendo andar muito perto dos 50%),

Imagem1.jpg

Os números Covid-19 em Portugal mantêm-se relativamente estáveis (com um ligeiro crescimento, como se vê no gráfico), apesar da taxa de incidência ainda a estar a subir (em 1 de novembro 101,5 hoje 558,5 ─ 5,5X mais), mas com o índice de transmissibilidade R(t) a manter-se estável, com tendência para diminuir (em 1 de novembro 1,05 hoje em 1,07 ─ já praticamente igual).

No Algarve e contrariando o esperado (e projetado) até pela administração da vacina (a mais de 85% dos portugueses), nos últimos 51 dias e comparando os anos de 2020 e de 2021 para o mesmo período (1 de novembro/21 de dezembro),

Em 2020 registando-se um total de 3.681 Infetados e de 36 óbitos e em 2021 (devendo, pois, o resultado ser menor) assinalando-se um total de 10.634 Infetados (quase 3X mais) e de 88 óbitos (quase 2,5X mais), na região algarvia.

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:54

A 15 dias do Natal (2º de coronavírus)

Sexta-feira, 10.12.21

Mantendo-se um ligeiro crescimento do nº de Infetados/dia e do nº de óbitos/dia no Algarve (conforme gráfico),

i034663.jpg

─ Ao fim de 40 dias numa média de 183 infetados/dia e pouco mais de 1,5 óbitos/dia ─ por um lado com a taxa de incidência nacional a continuar a subir, mas por outro lado com o índice de transmissibilidade (nacional) a estabilizar-se aparentemente com tendência decrescente.

Imagem1.jpg

Aguardando-se agora pela última semana de aulas,

pelas férias do Natal e pela Passagem de Ano

─ e aí logo se verá (se calhar mesmo antes), o que nos espera para 2022.

 

Especificamente e na região do Algarve registando-se sempre vítimas mortais desde há 14 dias (consecutivos), com o índice R(t)=1,08 ─ em descida ─ e a taxa de incidência perto dos 787 (ambas médias dos últimos 14 dias) ─ ainda em subida ─ dos 16 concelhos do Algarve sendo estes os mais preocupantes (Top3 pela incidência):

Portimão (1.219), Lagoa (1.192) e Monchique (1.185) ─ com Faro em 4º (868) e Albufeira em 12º (558).

(dados: dgs.pt ─ imagens: dgs.pt e Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:00