Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


ISS ─ Por impacto: à "deriva" e posteriormente recolocada

Terça-feira, 03.08.21

Tendo sido marcado para o passado dia 30 de julho de 2021 o 2º teste da missão orbital STARLINER da NASA (agência espacial governamental),

51344290465_6e8fea6af6_k.jpg

STARLINER

 

─ Contando com a colaboração da BOEING e da UNITED LAUNCH ALLIANCE (iniciativa aeroespacial privada) e com o 1º teste do STARLINER tendo ocorrido em 20 de dezembro de 2019 e sido concluído a 22 de dezembro (com o regresso da nave), mas devido a problemas técnicos surgidos, não tendo acoplado à ISS (o seu objetivo principal)

Depois de mais de ano e meio de interregno sobre o 1º teste, foi com alguma admiração dado não se conhecer o motivo (da decisão), mais um adiamento da missão agora para o dia 3 de agosto (esta terça-feira):

Não se conhecendo qualquer tipo de problemas técnicos podendo afetar a concretização com êxito da missão (colocar o STARLINER em órbita, acoplar à ISS e depois regressar à Terra), pelo que a razão de mais este adiamento teria que ser de origem exterior (ao STARLINER).

Só por esse motivo se ficando a saber de algo que noutro contexto provavelmente nunca saberíamos, quando muito “ouviríamos falar”, provavelmente pela boca de algum adepto das “Teorias da Conspiração”, logicamente ninguém lhes dando credibilidade:

Só que de facto algo se tendo passado e ocasionalmente (“acidentalmente”, sendo muitos a frequentar a ISS), sido divulgado.

International_Space_Station_after_undocking_of_STS

ISS

 

A 29 de abril tendo havido um incidente na acoplagem do transportador do novo módulo (russo) ─ o NAUKA ─ à Estação Espacial (aumentando-lhe a área interna), aquando dessa operação de junção (módulo NAUKA à ISS) com os motores auxiliares do transportador a arrancarem “inopinadamente” e a “empurrarem literalmente” a ISS para um ângulo orbital fora do estabelecido, podendo colocar a ISS em perigo:

Felizmente tendo-se conseguido controlar a situação, recolocando-se de novo a ISS na sua órbita e ângulo pré-definido, concluindo-se a instalação do novo módulo e abrindo-se de novo a janela para o novo teste do STARLINER: para amanhã (terça-feira, 3) e com esta porta estar aberta até ao dia seguinte (4 de agosto).

Um incidente entre tantos outros nunca reportados, mas passados na Estação Espacial Internacional, exposta completamente às ações do Espaço dado não estar protegida pelo nosso “manto protetor atmosférico”, podendo ter consequências ainda mais graves (nos astronautas a bordo) estando do “lado de fora” a cerca de 400Km de distância “lá no ar”, difícil para qualquer ser humano de alcançar.

132ca337a58ac7d976b95a5d681a4e17.jpg

NAUKA

 

Um impacto podendo causar danos pontuais (mas graves) ou mesmo estruturais na ISS (sendo mais violento),

─ Estação Espacial Internacional fazendo em 20 de novembro de 2021, 23 de anos de idade e estando a não muitos anos da sua “reforma” (com os chineses a já terem a sua Estação Espacial e com os russos já tendo iniciado a construção da sua)

Sabendo o que ela e os seus astronautas já sofrem impactados diariamente por “entidades invisíveis” ─ como e entre outros os raios solares e os raios cósmicos ─

E por outras bem visíveis (como partículas circulando a grande velocidade e “perfurando” a ISS), se não impactando pelo menos (sendo vistas) andando por lá ─ dando crédito às informações da presença de objetos (misteriosos, desconhecidos, nunca confirmados oficialmente) espiando do Espaço exterior próximo à ISS.

Para o Pentágono talvez podendo ser UAP’S.

(imagens: Joel Kowsky/NASA ─ Wikipedia/NASA ─ Gizmodo/NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:28

Sobreposição

Terça-feira, 04.05.21

Uma sobreposição de uma imagem do Sol localizado a 150.000.000Km da Terra (o Gigante Astro-Rei, do nosso Sistema Solar) e da Estação Espacial Internacional (ISS) circulando em volta do nosso planeta a uns 400Km de distância (muito menos que um ponto, se comparada com o Sol). Pela distância, pelo tamanho e pelo ponto de observação, induzindo-nos em erro (de observação) dada a real proporção (entre o Sol e a ISS) ─ a sensação errada da ISS ser muito maior: comprovando-se com esta apresentação e projeção ─ olhando-a com uns binóculos (em 1º plano), distribuídos pelo operador (da montagem) ao espetador tendo o Sol como tela ao fundo e colando-o à “enorme” ISS.

spotless_almost.jpg

(21 janeiro 2020)

image-asset b.jpeg

Mesmo a 1UA de distância da ISS, com os perigosos raios solares (e ainda a eles se juntando os raios cósmicos) a atingirem a ISS e neles mesmo que protegidos (no interior da estação espacial), os seus ocupantes e astronautas

 

Vivendo nós no interior de um grandioso Holograma, colocando-nos num cenário fechado e no entanto proporcionando-nos, o usufruto de um horizonte infinito: para já e para além da fronteira imposta, já nos tendo deslocado “uns mm”: considerando (numa escala minimamente credível) 1 UA = 1m nem uns 2,6mm (viagem Terra/Lua) ─ e para mais de 60 anos de exploração espacial, mesmo muito pouco, uma nódoa (na História da Evolução do Homem).

Com as máquinas levando a sua avante e já estando a caminho ou já tendo ultrapassado, os limites do Sistema Solar (Pionner 10 e 11, Voyager 1 e 2 e mais atrasada a New Horizons). Enquanto nós vemos a Lua (nos contentamos a vê-la) a mais de 380 mil Km.

image-asset.jpeg

(18 junho 2020)

image-asset c.jpeg

Uma forma de tentar compreender a real dimensão do Sol ─ tendo o Sol um diâmetro 109X o da Terra ─ e de como uma forte erupção solar ejetando material em direção à Terra (e atingindo-a) poderia ter consequências catastróficas

 

E para termos uma melhor noção da disparidade imensa de dimensões entre dois objetos podendo ser grandes ou pequenos conforme o termo de comparação e podendo não ser o mesmo apesar da sua aparente dimensão (logo lhe dando forma e por normal adaptação uma aparente semelhança), apresentando a Terra e o Sol tal como o poderia fazer (em termos de apreciação, comparação/semelhança) entre a ISS e o Sol: só na massa ejetada pelo Sol cabendo a Terra várias vezes. Num Sistema Planetário com mais de 4,6 biliões de anos e espalhando-se por todos os lados por biliões e biliões de anos-luz (para quem vive nem cem anos, nem percorre mais de 380 mil Km), algo ainda de muito confuso dado os valores utilizados.

(imagens: avertedimagination.squarespace.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:24

ISS via SPACEX ─ O Incidente

Terça-feira, 27.04.21

Uma visão de um incidente de tráfego aéreo “ESPACIAL”, podendo ter provocado uma tragédia entre “4 passageiros”, transportados por um veículo motorizado de ELON MUSK: não o terrestre (o TESLA), mas o aéreo (a DRAGON).

snapshot1.jpg

Foguetão FALCON 9 com a DRAGON no topo

 

Depois do último voo em direção à Estação Espacial Internacional (ISS) efetuada a 9 de abril (deste ano) a partir do cosmódromo de Baikonur (localizado no Cazaquistão) ─ utilizando a nave espacial russa Soyuz MS-18 (desde finais de 2011 com a responsabilidade das viagens de ida e volta à ISS a estar entregue aos foguetões russos) ─ os norte-americanos através da utilização da iniciativa privada e da empresa aeroespacial SPACEX (prestando um serviço à NASA), voltam a lançar com sucesso impulsionado pelo seu foguetão FALCON 9 a sua nave espacial DRAGON:

snapshot2.jpg

Tripulação já no interior da DRAGON

 

No passado dia 23 de abril (duas semanas depois do voo da Soyuz) enviando mais 4 astronautas para a ISS (2 norte-americanos, 1 japonês e 1 francês), com o acoplamento com a ISS a dar-se no dia seguinte (dia 24) como previsto e sem incidentes.

Só que para quem assistiu à transmissão deste voo (atingindo uma V = 7,6Km/s) da nave espacial DRAGON até à estação ISS (para um encontro a 425Km de altitude), pode ter reparado (como eu) pouco tempo depois da separação da nave Dragon do andar antes a si acoplado, um objeto estranho e desconhecido aparecendo da direita, atravessando todo o cenário entre a cápsula (Dragon) e o andar (antes ejetado) e desaparecendo de seguida à esquerda.

snapshot5.jpg

FALCON 9 em plena propulsão a mais de 30Km de altitude

 

Deixando-nos algo perplexos até pela sua dimensão e sendo bem visível, passando tranquilamente e intrometendo-se nas filmagens, como se nada tivesse com isso e nem reparasse em tal coisa:

Imaginando-se logo ali estarmos em presença de naves extraterrestres, UFO’S ou algo mais.

snapshot6.jpg

OBJETO interpondo-se entre a cápsula e o andar ejetado

 

Até por durante longo tempo não surgir uma reação (dos responsáveis da missão seja a NASA ou a SPACEX), surgindo apenas publicamente uma publicada no dia 26:

Mencionando que na aproximação da DRAGON á ISS, por pouco um monte de detritos não atingiu a cápsula Dragon transportando na altura os tais 4 astronautas.

ac6b909aa13287a2d75d604aafce597e.jpg

DRAGON como vista da ISS

 

Na versão oficial posteriormente publicada e explicando o sucedido (pelo comando espacial norte-americano), afirmando-se a possível colisão (cápsula/objeto) como um “falso alarme” e um simples excesso (um erro, talvez por ter sido visto), tratando-se apenas de “algo de passagem” (sem dúvida, “grande” explicação):

No entanto não evitando que se tomassem medidas preventivas de proteção aos 4 astronautas, aconselhando-os a vestirem os seus fatos e a sentarem-se nos seus lugares, até por uma possível despressurização (havendo algum impacto) ─ e até se acrescentando que o objeto por identificar passaria de novo por eles dentro de 20 minutos (não confirmado).

8e2b0038d68c6d6283a328cdafc225e1.jpg

ISS como vista da DRAGON

 

O que é certo é que um bom pedaço provavelmente de sucata fez uma rasante à cápsula DRAGON, podendo ter matado os astronautas (a todos, o que faz o “Lixo Espacial”) como eu vi e revi com os meus próprios olhos.

(imagens: NASA TV e SPACEX)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

Dia da Terra

Quarta-feira, 21.04.21

"Day 135.MilkyWay. You are old, dusty, gassy and warped.

But beautiful. Good night from space station! Year In Space.

Earth Day.”

(Scott Kelly)

 

21226354458_b0fbe5e680_o.jpeg

Terra, Via Láctea e ISS

 

Em vésperas do “Dia da Terra” ─ 22 de abril, numa criação norte-americana (vai fazer amanhã 51 anos de idade) ─ nada melhor do que aproveitar a imagem do dia do site da NASA (nasa.gov, hoje 21 de abril) para nos recordar outra vez não só, como temos que proteger a Terra e todo o seu Ecossistema ─ não passando o nosso planeta de um pequeno “Ponto Azul” perdido no Espaço, no entanto, tão precioso e único por nele existir Vida ─ como perceber e interiorizar a imensa grandeza deste Universo Infinito que nos cerca e que amanhã, poderá ser o nosso futuro e de toda a Humanidade: largando o berço-de-origem (não sendo nós já migrantes ou sobreviventes de um possível “Salto”) e partindo à aventura (como as crianças) e à descoberta (como os nossos Navegadores) ─ e aí entrando o 3ª elemento retratado na imagem, depois da Terra (onde vivemos) e da Via Láctea (galáxia à qual pertencemos, onde se encontram os nossos “familiares e vizinhos”) a Estação Espacial Internacional ou ISS. Um “retrato” conjunto registado pelo astronauta norte-americano Scott Kelly, num dos dias do seu quase um ano passado no interior da estação em órbita (a cerca de 400Km de distância da superfície) da Terra ─ mais precisamente 340 dias, um recorde de permanência (contínua) na ISS.

 

(imagem: Scott Kelly/nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:23

Tóquio Visto, por um Exterior

Sexta-feira, 16.04.21

Um registo noturno da cidade de Tóquio (capital do Japão), obtida no passado mês de fevereiro a partir da Estação Espacial Internacional (ISS):  colocada em órbita da Terra a cerca de 420Km de distância da sua superfície, movimentando-se a uma velocidade de mais de V= 7,5Km/s e fazendo uma volta inteira em torno da Terra em menos de hora e meia.

 

iss064e038775.jpg

Tóquio

 Noturna e Iluminada

 

Apresentando-nos uma imagem noturna da capital japonesa tal como vista por um ser ou entidade posicionado(a) no exterior (da Terra) ─ e observando-nos a curta distância ─ uma zona com uma área próxima dos 2.200Km² e uma população na ordem dos 14 milhões de habitantes (1/9 da população japonesa).

 

(imagem: NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:19

A Triste Vida das Réplicas

Sexta-feira, 25.12.20

Passado já um século sobre a ultrapassagem de São Nicolau e do Menino Jesus pelo agora Pai Natal ─ vermelho, gordo e barbudo, símbolo moldado e de marca, difundido por todo o globo pela norte-americana Coca-Cola (1920) ─

 

snapshot.jpg

O Pai Natal e a rena Rodolfo na sua visita natalícia

à Estação Espacial Internacional (ISS)

 

Eis que face à pandemia, aos milhares de vítimas mortais e em estreita coordenação, alargando o Universo, abraçando o nosso planeta e sob comando da rena Rudolfo, o trenó do Pai Natal com o apoio da Norad incluiu no itinerário a Estação (2020).

 

(imagem: noradsanta.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:28

ISS Live Feed

Quinta-feira, 23.04.20

Sem tripulantes à vista (no seu interior) assim como extraterrestres (no seu exterior), imagens do interior da Estação Espacial Internacional (ISS)  ─ na sua 62ª Expedição com 3 astronautas a bordo, os russos Anatoli Ivanishin e  Ivan Vagner e o norte-americano Christopher Cassidy ─ e do seu exterior orbitando o nosso planeta (a Terra): a uma altitude de pouco mais de 435Km e a uma velocidade aproximada de 7,6Km/s.

 

Screenshot_2020-04-23 Live_ISS_Stream.jpg

 

ISS sobrevoando o Atlântico na tarde desta quinta-feira

(23.04.2020 por volta das 17:30 TMG)

 

Screenshot_2020-04-23 HDEV.jpg

 

Num momento em que na Terra se vive um tempo de Pandemia (vírus SARS-CoV-2/doença Covid-19) ─  tendo atingido (23.04.2020 pelas 16:50 TMG) mais de 2,68 milhões de indivíduos e provocado mais de 187 milhares de vítimas mortais ─ a esperança do que se passa no nosso planeta se resolva (rapidamente) e de que este momento reforce ainda mais a  ideia de que um dia teremos mesmo de partir: tal como o fizeram antes os Antigos Navegadores.

 

(imagens: ISS/NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:16

Ontário ─ Na Rota dos Grandes Lagos e (ainda) de Nova Iorque

Sexta-feira, 17.04.20

Orbitando a Terra a cerca de 400Km de distância e observando debaixo de si os 5 Grandes Lagos da América do Norte: um deles sendo o Lago de Ontário, apesar de algo distante da capital (NI), pertencendo ao estado de Nova Iorque.

 

Screenshot_2020-04-17 Live_ISS_Stream.jpg

EUA pela ISS

 

Imagem obtida a partir da ISS (oriunda dos lados do Oceano Pacífico) no dia 17 de abril de 2020 (esta sexta-feira) quando a mesma atravessava os céus (diurnos) da América do Norte sobre o território dos EUA: deslocando-se de oeste para este nas proximidades do Lago Michigan (a norte, o Lago Superior), de seguida sobrevoando o país nas proximidades do Lago Erie (a norte, o Lago Huron) e finalmente sobrevoando nas proximidades do Lago Ontário fazendo fronteira (a oeste) com o estado de Nova Iorque: podendo “olhando em frente” observar sobre a margem leste dos EUA e fazendo fronteira com o Oceano Atlântico, a martirizada cidade de Nova Iorque (registando este dia 17 de abril pelas 19:00 TMG, 47% do total de vítimas mortais nos EUA, ou seja, 16.7 milhares de mortos) ─ submetida à ação de um agente biológico invisível denominado SARS-CoV-2, provocando uma doença infeciosa respiratória aguda ─ Covid-19 ─ podendo ser fatal (de momento com uma taxa de mortalidade global perto dos7%., em função do total de infetados já tendo ultrapassado os 2,2 milhões). Estação Espacial Internacional (ISS) já tendo concluído a substituição dos três astronautas a bordo: entrando uns, saindo outros (durante uns dias ficando seis astronautas) e com os voos de ida e de regresso a terem-se concluído com êxito.

 

(imagem: NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:46

Expedição à ISS

Sábado, 11.04.20

ISS comportando 6 astronautas, orbitando a Terra a uma altitude de pouco mais de 400Km (a uma velocidade de mais de 7,6Km/s) e fazendo-o em pouco mais de 1,5 horas (num dia orbitando o nosso planeta mais de 15X). E num momento em que à superfície do nosso planeta, se vive sob a ação de “um agente infiltrado, invisível e mortal” − mas certa e felizmente passageiro.

 

shl_5284_1.jpg

Lançamento da nave SOYUS MS-16 do Cosmódromo de Baikonur

concretizado na passada quinta-feira 9 de abril de 2020

e transportando consigo os astronautas da 63ª Expedição

à Estação Espacial Internacional

 

Desde que  a Estação Espacial Internacional (ISS) entrou em atividade (31 de outubro de 2000) seguindo-se às suas antecedentes SKYLAB (estação espacial norte-americana) e MIR (estação espacial russa), sendo desde aí abastecida ou pela nave espacial SOYUZ ou pelo vaivém espacial STS (esta última fazendo o seu derradeiro abastecimento em 29 de agosto de 2009 aquando da 20ª Expedição à ISS e encerrando definitivamente todas as suas outras atividades em 8 de julho de 2011) – a partir de 30 de setembro de 2011 com a 21ª Expedição à ISS, uma tarefa entregue exclusivamente à nave espacial SOYUZ – deu-se início na passada quinta-feira (9 de abril de 2020) à 63ª Expedição à ISS, durante a qual e como se tem sempre verificado uma equipa de astronautas substituirá a equipa anterior (em 4 de julho de 2006 durante a 13ª Expedição à ISS, iniciando-se a transferência de astronautas de uma expedição para a seguinte): num total de mais de uma centena de astronautas (e não falando de outros visitantes, entre eles um brasileiro) de dez nacionalidades diferentes, maioritariamente norte-americanos (mais de 50) e russos (uns 40). Nesta 63ª Expedição à ISS com um astronauta norte-americano (Christopher Cassidy) e dois astronautas russos (Anatoli Ivanishin e Ivan Vagner) a chegarem à ISS a bordo da nave espacial  SOYUZ MS-16, para reiniciando-se o processo (com saídas da ISS e transferências entre expedições) renderem progressivamente  os seus colegas da 62ª Expedição – dois astronautas norte-americanos (Andrew Morgan e Jessica Meir) e um astronauta russo (Oleg Skripochka) com o seu voo de regresso à Terra programado para o próximo dia 17 de abril (próximo sábado). E tal como a NASA afirmou com a viagem TERRA/ISS a ter corrido bem, depois e como desde sempre efetuado, com os astronautas a terem cumprido um longo período de quarentena (não especificamente, por causa da pandemia de Covid-19).

 

(imagem: NASA/GCTC/Andrey Shelepin)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:39

A Mulher e o Ponto Azul no Espaço

Domingo, 05.04.20

“Nyberg flew to the space station again as a flight engineer for Expedition 36/37 on May 28, 2013. Nyberg and her crewmates spent 166 days in orbit, participating in hundreds of research experiments in the areas of physical science, technology, education, medicine and more. She also generated interest around the world by posting on social media including how to wash your hair in space, quilting in space, and being a mom while in space. She completed that mission and landed on Nov. 10, 2013.” (Megan Sumner/Johnson Space Center, Houston)

 

karen_nyberg_in_cupola_0.jpg

Karen Nyberg

Expedição 36/37 a bordo da ISS

(maio a novembro de 2013)

 

Recuando à Crise Económica de 2008 atingindo Portugal no final do mandato do 1º Ministro José Sócrates (2005/2011) e posteriormente mergulhando o país numa das maiores crises económicas desde o 25 de abril de 1974 já com o 1º Ministro Passos Coelho (2011/15) no poder, fazendo a muitos recordar a crise económica de 1929 (no tempo da ditadura nacional 1928/33 e antecedendo a implantação do Estado Novo 1933/74) mais conhecida como a “Grande Depressão”, aproveitando a recente aposentação da astronauta da NASA a norte-americana Karen Nyberg (50 anos de idade) para neste novo momento em que se vive uma das maiores Crises Planetárias não Económica mas Sanitária provocada por um “Agente Biológico Infiltrado e Invisível” o vírus mortal Covid-19, observar como era a Terra vista do Espaço por essa altura (2013) a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) quando cá por baixo Portugal estava mergulhado num dos maiores períodos de miséria desde há quase quatro décadas.

 

(imagem: nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:02