Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

01
Jun 19

Não sendo bem a mesma Coisa

(comparando-nos a Objetos, não estando o Sujeito na Moda)

conforme se fale de “RICOS

(sendo eles os Patrões)

ou se fale de “POBRES

(tendo esmagadoramente um Emprego apesar de desejarem um Trabalho, neste último podendo criar/não replicar no seu fascinante ofício),

para uns sendo um Passatempo (um Hobby)

para outros uma Necessidade (de pura Sobrevivência).

 

6d2b5dd7a5b044bc02b3d4ed6dc56b25.jpg

 

“No Ranking dos Empregos podendo ser proporcionados para usufruto Futuro dos nossos Filhos (que tanto esforçaram os seus Cérebros, gastando dinheiro em Explicações Profundas e em Centros de Formação/Emprego como o são as Universidades Privadas) sendo fácil (1) descobri-los e ainda mais fácil (2) apanhá-los: nem que sendo uma “Besta (IQ perto de Zero) e depois de pré-comprar “Explicações & Curso (para tal servindo os Privados) olhando apenas para as Tabelas (remuneratórias) e inscrevendo-se no Partido (do Arco Governamental). Num país onde o “bom-aluno” e tal como acontecia ontem nos “Tempos da Outra Senhora (que nem era uma Senhora, mas Senhores), é ainda hoje o Indivíduo que podendo até ter um grande atraso mental em contrapartida tem uma Boa Memória Fotográfica, sendo então considerado um Génio e ganhando (no Sorteio, mesmo havendo fraude) um grande Emprego.”

 

Para quem vive em Portugal e ainda não foi certificado com a “Habilitação Profissional de Não Ver para Receber”, poderá ter no presente ainda algumas dúvidas do local onde se encontra a tão procurada e fundamental “Árvore das Patacas”, não só importante para a “Sobrevivência dos Velhinhos” como e sendo ainda mais importante para o “Futuro Profissional dos Nossos Filhos− já que “Sem Dinheiro Nunca se Conseguirá Comprovar Definitivamente a Nossa Existência”, dada a “Bolsa estar Vazia” sendo idêntica e sendo um reflexo da nossa “Bolsa Sem Poder”: com a nossa total Integração na Sociedade Civil (Católico-Romana e Economicista) e nas “Graças-do-Senhor (Ideológico, Político-Religioso e assente em Santinhos-de-Madeira, assim como na simbólica “Caixa−de−Esmolas”) podendo-se “Ir Longe”, conjugando a nossa profissão com a nossa obvia e obrigatória opção partidária (conforme o Tempo/Espaço e pelo menos para já do “Arco-da-Governação” − ou será da Corrupção − o PS ou PSD) e simultaneamente numa Visão estritamente Contabilística subalternizar a Família (Fonte de Débito) face à Profissão exercida (Fonte de Crédito). Sendo fácil de concluir para quem percebe minimamente o esquema de participação ordenada/integrada/blindada (protegida) pois ambicionando pertencer-lhe, que para além de um Certificado e de um Emprego (não um Trabalho) convenientemente aceite/legalizado (podendo aqui ser Público ou Privado) sendo sempre conveniente, obrigatório e FUNDAMENTAL para além do cumprimento da nossa Requisição Civil (ou até mesmo Militar) − o nosso Quotidiano Monótono, Repetitivo, de Miséria, mas dito como o único passível de nos garantir a Sobrevivência − nos alistarmos nos Partidos que sempre garantiram Emprego (sendo Emprego uma coisa e o Trabalho outra), dinheiro e o continuar tranquilo da nossa limitada, não Evolutiva, mas “Rica Vidinha”.

 

The+difference+between+work+and+a+Job.jpg

 

E assim, analisando as Tabelas Remuneratórias − do Estado e nos finais de Maio de 2019 e como referência para os Privados (subindo o salário das Chefias e mantendo/descendo a dos restantes/conforme a hierarquia) − com duas profissões particulares estando logo em destaque, o atual presidente da CGD na Vanguarda Revolucionária (Extremista por Situacionista) recebendo 36.000€/mês e um ou outro Diplomata (com os seus mitos anos de serviço) com os seus 10.000€/mês, seguido logo (na 1ª Linha da Elite) pelos Altos-Cargos (Institucionais) de Presidente (República e Assembleia podendo ambos ultrapassar os 8.000€/mês) ou 1º Ministro (podendo andar pelos 7.000€/mês) e como não poderia deixar de ser imediatamente (na 2ª Linha da Elite e sendo esta extremamente intrusiva por vezes “digladiando-se pelo mesmo espaço” com a 1ª Linha) perseguidos” pelos Juízes (depois da nova proposta podendo chegar aos 6.000€ a 7.000€/mês). E na 3ª Linha surgindo os presidentes de Câmara e os Professores Universitários (podendo chegar aos 4.000€/mês e por 1.000€/mês ou mais ultrapassando-o), para de seguida e perdidos entre a Multidão (dos ao longo de toda a sua carreira profissional, nunca tendo sido beneficiados e até sendo regredidos, trabalhando 9 anos, eliminando-lhes por decreto 6 e com alguns cheios de sorte “por sorteados” a receberem 3) surgirem “os usurpadores (que segundo o novo Guru António Costa queriam para eles o dinheiro do povo) e no entanto “maioritariamente desgraçados (nas suas aspirações e direitos cumprindo os seus deveres legalmente registados em contratos e no entanto com ordenados entre 800€/mês e 2.700€/mês) os nossos antigos segundos-pais, primeiros-educadores, tutores e formadores, os simplesmente conhecidos como os “Nossos Professores”: Mal Tratados e Mal Pagos (ficando-se mesmo entre os mais velhos e devendo estar já reformados, pelos pouco mais de 3.000€/mês). De Cima a Baixo (dos 36.000€/mês aos 800€/mês) sempre aqui e mencionados como ordenados brutos, depois do desconto e sendo líquidos, afetando muito mais os que já à partida, mais trabalhavam e menos recebiam (um professor dito novo, ainda sem grandes habilitações e experiência depois de desconto recebendo o Ordenado Mínimo Nacional uns 600€/mês). Para o Topo ficando o Dinheiro e as Condecorações – e para os Outros ainda não lhes tendo entrado a Verdade (na sua dura cabeça) e não querendo ainda aceitar algumas das melhores ideias dos nossos pais e antepassados – “O Voto é a Arma do Povo, Não Votes, Senão ficas Desarmado” − nada restando fazer senão mesmo esperar (negativo por Estático contrário ao Movimento e à Vida) tentando no entanto adivinhar (para assim não morrer, sendo minimamente dinâmico) o que irá por aí um certo dia “Rebentar”.

 

Job_vs_Career_-_Cover_Image.jpg

 

Distribuindo inicialmente (e como oriundas das Lojas dos Cem) umas quantas/inúteis prendinhas, colando pelos meio uns cartazes e curvando-nos (estrategicamente, não sempre) perante os Chefes, para um dia mais a sério e cumprindo o destino traçado (para nós) entrarmos numa Freguesia ou Câmara ou outra repartição qualquer, tendo nós ganho direito (de acesso com cartão partidário) mas que seja sempre do Estado: com o Ideal para todos sendo ter um Emprego (Certo) no Estado e outro suplementar no Privado ou então em −alternativo detendo (em mãos) uma Fundação ou uma PPP (Parceria Público-Privada) − ambas caraterizando-se por nunca darem prejuízo aos Privados (tenham estes lucro ou prejuízo) deixando isso para o Estado (investindo maioritariamente e dando para o torto sendo o único “a saltar” a pagar). E disto tudo saindo as “Profissões com Futuro” e os “Empregos (não os Trabalhos, duas coisas completamente diferentes, senão mesmo opostas) a Aconselhar. Já agora e para esclarecer com o Trabalho (ter um ofício por exemplo sendo Escritor ou Pintor) sendo responsável pela inovação/produção, já o Emprego (ter uma ocupação por exemplo de Contabilista ou Juiz) tendo como único fator de análise a ocupação do tempo (como se este fosse a mais) maioritariamente em processos replicativos não imaginativos e não evolutivos, decadentes. Olhando-se então para algumas Tabelas (Salariais) para assim indicarmos aos nossos filhos quais as melhores opções de Vida nunca de Trabalho (cansativo) mas certamente de Emprego (ocupacional e sobretudo para as Chefias podendo exercer o poder desintoxicador da hierarquia, extremamente útil por terapêutico). Quando para além Destes Filhos (Pré-Colocados e Bem-Empregados) a esmagadora maioria dos Outros o que gostaria era de TRABALHAR (no fundo, Transformar e integrando o conjunto, Evoluir).

 

(imagens: pintrest.com – slideplayer.com – vananservices.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:14

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO