Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Jun 16

Michelle Kunimoto:

Her research interests lie heavily in the field of exoplanets and planetary habitability

For her undergraduate thesis, she has been searching for and characterizing new exoplanet candidates in data from NASA’s Kepler Mission.”

(exoplanetes.umontreal.ca)

 

Só ela descobriu ao olhar (dados da missão Keppler) 4 longínquos planetas

(aguardando confirmação e esperando que não seja a da NASA)

 

michelle-kunimoto-ubc.JPG

A jovem canadiana de 22 anos Michelle Kunimoto

 

A única questão que desde logo me ocorre colocar, mas da qual não deveria ter sequer qualquer tipo de dúvidas ou outras considerações (quanto mais ousar perguntar) – pois o silêncio que me rodeia é estrondoso e sufocante – é como é possível que uma jovem universitária acabada de se formar mas áreas da física e da astronomia, já possa ter descoberto durante o seu trabalho final de formação e graduação, aquilo que muitos outros não o conseguiram por mais ferramentas e tempo utilizados no processo.

 

michelle-kunimoto-planets.jpg

Dimensão comparada do exoplaneta KOI 408.05

 

Analisando apenas dados já anteriormente estudados: de uma forma tão profunda que nem viram 4 planetas. E com um deles KOI 408.05 (um planeta em trânsito tendo como referência uma estrela) localizado a cerca de 3.200 anos-luz de distância da Terra, a encontrar-se na zona habitável da sua estrela, provavelmente rochoso e com oceanos e acompanhado por outras luas: numa caixa que ao abrir-se até poderá conter vida. E já agora por onde andam os cientistas da NASA?

 

(imagens: cbc.ca)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:14

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO