Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Abr 20

[Com ajuda de Cão.]

 

Jamais tendo passado por tal situação e talvez por esse motivo, tendo infelizmente interiorizado (talvez por uma questão de sobrevivência) nunca ir atingir um nível intelectual superior (desistindo de pensar e passando a aceitar) − e sofrendo não só fisicamente (com dores), como psiquicamente (ao verificar todos os efeitos provocados por um simples bicho microscópico) – ao olhar para a imagem aparecendo abaixo

 

file-20200408-152974-wqxnsp.jpg

Em tempos de mascarilhas e agora necessitando delas para relaxar ou dormir

 

E talvez por algum tipo de fechadura cerebral se ter por qualquer tipo de razão (por mim desconhecida) quebrado, deixando algo sair da gaveta para fora – até como já vira há muito e repetidamente  colocada na face de muitas pessoas, quando pretendiam dormir ou pelo menos relaxar – o interior da minha cabeça até aí apagada (aparentemente, talvez somente adormecida) repentinamente iluminou-se tornando-me por momentos (espero que este tempo dure) uma “Mente Brilhante”: não tendo como fonte próxima um antepassado (a sabedoria dos nossos avós) e com o meu único companheiro (ao lado, vivendo contigo e até podendo ser teu inimigo – e sendo isto o que aprendi na TV) a ser um doutor há muito ultrapassado, tendo de ser a imagem (editada) de um registo animal (Irracional e Sem Psique, utilizado por um outro pelos vistos ainda com psique) a dar-me o necessário e pelos visto eficaz CLICK, para assim me poder tranquilizar e perceber porque motivo nos últimos tempos não só não me metia debaixo dos cobertores (necessitando de mudar constantemente de posição, devido às dores), como simultaneamente pegava numa pequena manta e me enfiava debaixo dela, como se estivesse no interior de uma tenda de campismo (isolando-me ainda mais do exterior para me abstrair um pouco mais de tudo isto). Um tempo de felicidade durando apenas uns quantos segundos e violentamente concluído, quando o meu companheiro ligando a TV me forneceu involuntariamente (ou sabe-se lá e tal como eu precondicionado) a notícia de abertura dos telejornais − nestes tempos do surto pandémico Covid-19, hoje (quinta-feira 9 de abril, véspera do feriado da Sexta-Feira Santa, com filas à porta da SS e ainda mais trabalhadores colocados na rua) já tendo a nível Global ultrapassado os 1.500.000 infetados, os 90.000 mortos (taxa de mortalidade provisória de 6%) e com mais de 48.000 em estado grave/crítico e em Portugal, estando perto dos 14.000 infetados, já tendo superado os 400 mortos (taxa de mortalidade provisória de 3%) e com mais de 240 em estado grave/crítico – surpreendentemente com a Pandemia deixando de ser a “Notícia de Caixa” dos principais canais e sendo ultrapassada por uma notícia com ligações com o “Mundo do Futebol”. E aqui ficando a resposta para aqueles que ainda acreditam que o mundo (pós-Covid-19) irá mudar, estando-nos apenas a testar (alguns a avisar) para aquilo que a esmagadora maioria do mundo irá continuar a suportar (e literalmente engolir), mas certamente (até para ter efeito, tais as doses de miséria já injetadas) em doses mais elevadas.

 

(imagem: Benevolente82/Shutterstock/theconversation.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:58

24
Fev 20

[Entre Animais & Plantas, Irracionais & Racionais, Partilhando este Maravilhoso e Único Ecossistema – e fazendo parte de Um Organismo Vivo ainda Maior, o Universo.]

 

d23d9e7a378640d1c788d25056eb3f40.jpg

 

Agora que como ocidentais (ainda-por-cima da parte mais civilizada e desenvolvida, a do hemisfério norte) e católico-romanos (adeptos de uma igreja com 2020 anos, seguindo os ensinamentos de Jesus e de Maria e tendo como seu representante atual e 266º iniciando-se com Pedro, o Papa Francisco) festejamos o CARNAVAL (período de tempo antes da preparação da Páscoa a Quaresma, geralmente caindo pelo fim de fevereiro/início de Março e este ano comemorando-se esta terça-feira 25), utilizando sobre a máscara que utilizamos sistemática e ciclicamente durante todo um ano da nossa vida (364 ou 365 dias se o ano for bissexto) e durante um único dia, uma outra máscara bem diferenciada sendo Carnaval ninguém da hierarquia político-religiosa (a dupla que ainda nos domina) levando a mal – revelando de uma forma sem consequências (a parte negativa) mas libertadora (a parte positiva) algo daquilo que desejaríamos ter sido na vida (quando sonhávamos como crianças irresponsáveis) mas por qualquer tipo de motivo (ou mais corretamente, por imposição integradora) nunca o tendo alcançado,

 

Em Albufeira com “o ponto alto do programa a ir para o Carnaval de Paderne de 23/25 de fevereiro − tema “Viajando pelo Mundo” − um dos festejos mais tradicionais do Algarve, este ano celebrando a sua 32ª edição

 

Sendo dentro do que já é habitual e até para não fugirmos muito à monotonia repetitiva que acompanha os nossos gestos e comportamentos quotidianos (ou seja, não nos excedermos, pensando estarmos noutro nível), sermos sujeitos a vários tipos de informação oriundos dos mais diversos pontos do planeta: e com muitos dos seus temas a poderem ser de alguma forma (ou feitio) integrados nestes festejos cristãos, pagãos, da Quadra Carnavalesca. E neste mesmo cenário (de divulgação global e torrente informativa) inserido no ENTRUDO (com os seus carros alegóricos e figurantes), incluindo no cortejo pássaros, peixes, gafanhotos e percevejos, castores (ou primos, não me lembro bem) e até o covid-19 (alternando com estes e se necessário introduzindo seres c/ psique como os “deploráveis”) − colocando-os aí uma questão existencial especialmente para o Homem e para a sua visão do mundo antropocentrista (em que somos o centro e os definidores do conjunto), sobre o limite animal considerado ou não irracional, ou seja, se equiparado connosco por dotado de PSIQUE.

 

(1) Pássaros, (2) peixes, (3) gafanhotos e (4) percevejos, (5) castores (ou primos), (6) covid-19 e até (7) deploráveis, (8) entre outros, tendo ou não essa intenção e talvez mesmo por obrigação (mais uma na integração), passando todos eles por esta Quadra Carnavalesca numa mista organolética Sagrada & Profana.

 

GettyImages-200165159-001.jpg

 

E num embate de psiques envolvendo todo o “Mundo Mineral & Animal” constituindo e dando forma  − Movimento e Vida − a este Ecossistema Terrestre (que tudo e todos partilhamos) onde agora sobrevivemos, mesmo no discurso do Homem e do seu guia antropocentrista posto perante situações tão simples de explicar e de justificar (comuns em todos os dias), deixando-nos pela falta de lógica das opiniões expostas e aí projetadas e  da total falta de conteúdo (não podendo limitar-se ao “conduto”) da informação nesse espaço então fornecida, com uns certos laivos de dúvida sobre de quem a psique seria mesmo exclusiva: ou seja, quem teria psique (e o demonstrasse) ou não, no mínimo fazendo-o entre os animais (já que até dizem que “as flores e as plantas pensam”) uns ditos racionais (o Homem, dito pelo Homem) e outros denominados irracionais (os restantes animais, assim definidos pelo Homem).

 

Desde (1) ouvirmos um político português (racional) apesar da construção de um aeroporto sobre uma zona aparentemente protegida e habitado por milhares e milhares de pássaros, afirmar que a segurança dessas aves estaria sempre garantida até por iniciativa das próprias (irracionais) “não sendo estupidas e vendo os aviões, afastando-se da zona e adaptando-se à situação, mudança o seu local de pouso e domicílio habitual”; passando (2) por um responsável e porta-voz do atual presidente do Brasil (racional) numa interpretação feita na presença do mesmo, face a um extenso derrame de petróleo na costa brasileira e nas consequências que tal poluição traria para a vida marinha local, afirmando até para tranquilidade da população pesqueira que “não sendo o peixe (irracional) nada estúpido, facilmente repararia nas manchas na água, reagiria de imediato ao perigo e fugiria”; para já não falar em (3) gafanhotos (irracionais estendendo a sua praga ao Quénia/Tanzânia/Uganda) e (4) percevejos (irracionais invadindo e parasitando as cama de Paris) em duas ações que poderíamos afirmar mostrar aquisição de informação, aplicação e organização de processos (nem que num número limitado, mas nesse espaço/tempo considerado suficiente), suficientes para cumprirem com êxito uma determinada missão, não individual mas coletiva e variando (como acontece em todo o Universo com a Evolução) entre o caos e a ordem, sugerindo presença de psique (racionais); e incluindo, numa mistura um pouco louca e potencialmente explosiva de racionalidade e de irracionalidade (pelos vistos podendo haver ligações estreitas entre ambas, que para já não queremos ver ou não conhecemos), ainda (5) os castores (ou primos), (6) o covid-19 e já agora (7) os deploráveis e (8) os outros – com os castores (ou primos) a estarem ao serviço dos políticos e militares russos, logo tendo estes animais psique, com o covid-19 a ser um produto artificial de origem chinesa transmitido e obtido a partir do morcego e agora secretamente testado pelo Homem no Homem, logo não tendo este psique, e com os “deploráveis (tal como nos poderíamos referir aos outros) − estando entre o ter psique e ser desprovida dela – nem sequer sendo caso de falar mais disso, fazendo-nos logo lembrar Hillary, como ela tratou os norte-americanos e como estes lhe responderam − no final de 2016 em vez dela optando por Trump. Lançando-nos num estado de irracionalidade (cada vez mais brutal e vinda de todos os lados) já durando há 4 anos.

 

No meio do Carnaval, no meio de muitas mais máscaras.

 

(imagens: osabio.com.br −  John Lund/lonelyplanet.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:18

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO