Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

22
Mai 19

Expert Warns

Yellowstone Eruption

Could Kill

Five Billion People

(PS/MU)

 

landscape-4129533_1920.jpg

(imagem: Paul Seaburn/Mysterious Universe)

 

Olhando para o planeta Terra e para os seus movimentos geológicos (como a deslocação das placas tectónicas, originando fenómenos sísmicos e fenómenos de vulcanismo) – e falando a nível da Vulcanologia, observando os Vulcões de momento ativos constatando-se um pouco por todos os 5 continentes a existência no Presente de pelo menos “1 vulcão em atividade/Continente: como o Stromboli (EUR), o Erta Ale e o Nyiragongo (AFR), o Popocatéptl, o Santiaguito, o Fuego, o Pacaya, o Masaya, o Reventador, o Sabancaya e o Nevadas de Chíllan (AME), o Shibeluch, o Sakurajima, o Dukana, o Ibu, o Merapl, o Semeru, o Aguna e o Yasur (ASI/OCE), para além do Erebus (Antártida) num total de duas dezenas. E como de imediato se constata olhando apenas para o Mapa de “Vulcões Atualmente em Erupção na Terra” e para a distribuição pela superfície da crosta terrestre destes mesmos Vulcões (Ativos) – exceção feita a três, 1 europeu o STROMBOLI e 2 africanos – com a esmagadora maioria desses 20 vulcões (85%) a localizarem-se e a acompanharem os dois lados do ANEL de FOGO do PACÍFICO (a região do Globo Terrestre de longe a Geologicamente mais Ativa): com o seu braço a oriente (como um dos lados de uma “ferradura”) acompanhando toda a costa Sul-Americana (do México até ao Chile) e com o seu braço a ocidente acompanhando o sul da Ásia assim como a sua área Insular (da Rússia passando pela China e Japão e chegando até à Austrália assim como aos seus vizinhos).

 

Como se vê com alguns vulcões em plena atividade e destes 20 com as atenções a concentrarem-se mais (pela sua atividade/intensidade/continuidade) − destacando-se 5 deles (25%) − no REVENTADOR (Equador), no POPOCATÉPTL (México), no DUKONO (Indonésia), no FUEGO (Guatemala) e no SABANCAYA (Peru): todos eles e para já levantando desde logo o problema (crescente) da grande quantidade de cinzas (vulcânicas) atiradas (a grande altitude) e agora suspensas na atmosfera (prejudicando entre outros aspetos os voos e a respiração), continuando com a sua atividade explosiva, mantendo-se o Alerta, para já sem sinais de algum tipo (mais intenso) de agravamento. E concluindo-se − certamente para felicidade (e como Esperança) de todos os norte-americanos (no Presente vivendo numa Ditadura Bipolar dita “Democrata”, entalados como estão entre Burros & Elefantes, numa das suas fases talvez de origem sexual, aqui de Histeria ou então Esquizofrenia) – não ser aqui mencionado nenhum vulcão (ou similar) ativo nos EUA: apesar (1) das Falhas Tectónicas (como a de Santo André na Califórnia) atravessando aqui e ali o país (tanto território emerso, como território submerso) − e com promessas sismológicas constantes (da ocorrência de um Grande Sismo, do tipo BIG ONE) − e (2) da presença logo bem mais para o meio, mas ainda para ocidente (muito mais do lado do oceano Pacífico, do que do oceano Atlântico) de um “conhecido Complexo Vulcânico”, mais frequentemente que o primeiro (1)  surgindo o segundo (2), com as expetativas de um BIG ONE (um sismo de grande magnitude − podendo ser seguido de um Tsunami − originado na Falha de Santo André e atingindo com extrema violência não só Los Angeles como toda a Califórnia − e até podendo fazer colapsar/geologicamente partes do estado norte-americano) sendo muito inferiores às tendo origem no SUPERVULCÃO de YELLOWSTONE e na brutal destruição (material e humana) tal EVENTO APOCALÍPTICO ocorresse (como o lembram assiduamente e sempre periodicamente − à falta de alternativa/solução e cada vez mais acompanhados  − os Teóricos da Conspiração).

 

volcano-erupting-1056526_640.jpg

(imagem: Paul Seaburn/Mysterious Universe)

 

Uma Área Protegida (Parque Nacional de Yellowstone) abrangendo três estados norte-americanos − WYOMING, MONTANA e IDAHO – inaugurado há 137 anos (sendo o Parque Nacional mais antigo do Mundo), conhecido pelo seu famoso geyser − o OLD FAITHFULL (lembram-se dos ursos do parque “Zé Colmeia e da Catatau”?)– e segundo o que diz na História (sobre o Parque e sobre o Terreno) desde o aparecimento do Homem sobre a sua superfície (hoje território norte-americano), tendo sofrido uma Grande Erupção Vulcânica, ejetando um volume extremo de materiais e de cinzas, acabando por cobrir e escurecer todo o céu, sobre o território hoje sendo os EUA: tendo a última (de 3, iniciadas há mais de 2 milhões de anos) ocorrido já há uns 640.000 anos e dado o tempo já passado podendo voltar a suceder mais cedo do que se pensa − obrigando-nos a estar sempre atentos (a sismos ou a outros sinais) pois (por ser um parâmetro “bem-diferente”) o tempo nunca pára nunca sendo demais”. Um SUPERVULCÃO com uma CRATERA de 90Km de extensão e com uma CALDEIRA 40X superior ao da do Monte Santa Helena (numa escala de 0 a 8 sendo 5, com este último explodindo a 18 de Maio de 1980, ejetando cinzas a 24Km de altitude e afetando 11 dos 50 ou seja mais de 20% dos estados norte-americanos/viram o filme “O Vulcão”?): replicando-se o Monte de Santa Helena (e o seu vulcão) no Parque Nacional (com o seu Supervulcão), no caso de tal suceder prevendo-se uma grande tragédia talvez mesmo (não, certamente!) ao nível de um EVENTO de EXTINÇÃO (talvez como antes ocorrido e dispensando o Asteroide).

 

Antes de mais e segundo a VOLCANO WORLD (oregonstate.edu) baseada em dados/informações fornecidas pela USGS (The USGS Yellowstone Caldera Chronicles), com a resposta a certos rumores (não confirmados) de comportamentos estranhos (para leigos e autodidatas, que não para cientistas e especialistas) rodeando o Parque de Yellowstone e a Caldeira Vulcânica aí instalada (no subsolo com uma enorme massa de magma aí depositada, só num desses “reservatórios subterrâneos” há pouco tempo descoberto, podendo atingir uma capacidade de cerca de 46.000Km³, superior à da “Câmara Principal” de menor profundidade em 4,5X) – para além da Câmara de Magma (mais à superfície) com a Caldeira de Reserva sendo das duas a mais profunda localizando-se aproximadamente entre os 20Km e os 45Km abaixo da superfície – com a resposta a não poder mais rápida, mais curta e simplesmente esclarecedora: No. Yellowstone is not 'Overdue' (oregonstate.edu). E para nos reconfortar mais um pouco: Is this true? In a word, no. In two words, no way. In three words, not even close. Yellowstone doesn't work that way" (oregonstate.edu).

 

ash-cloud-1867439_640.jpg

(imagem: Paul Seaburn/Mysterious Universe)

 

E de seguida (finalmente) apontando exclusivamente as baterias para o SUPERVULCÃO da PEDRA-AMARELA e para a possibilidade mesmo que remota de um certo dia o mesmo se expressar mais agressiva e violentamente − no nosso Tempo (e tempo) expectável de vida (considerada a diferenciação, no Espaço). Para tal rumando a PS (Paul Seaburn) e para tal apontando a MU (Mysterious Universe, num artigo publicado a 19.05.2019, referindo-se a Yellowstone): conhecendo-se as consequências da explosão do vulcão de Santa Helena (um Evento Local, numa erupção pliniana, originando uma libertação de energia equivalente a 1600X a Bomba de Hiroshima  e provocando perto de 60 mortos) e os efeitos que poderão advir da ocorrência de um Grande Sismo (Big One) na região da Califórnia (podendo devastar todo o estado e até fazer desaparecer submergida toda aquela faixa estreita de terra constituindo a Baixa Califórnia), com o interesse e a dúvida a colocar-nos agora perante o Supervulcão de Yellowstone, no caso de se registar tal Evento Catastrófico tentando-se prever as consequências, entre elas o Número de Vítimas Mortais.

 

E entre as soluções possíveis ficando antecipadamente o Aviso: “The only thing you can do is evacuate people to another continent” (mysteriousuniverse.org).

 

E a indicação do que aí se passaria (num futuro, talvez a curto-médio-prazo), sabendo-se até pela periodicidad estarmos já há algum tempo no Intervalo (fechado) para a ocorrência (de novo/cíclico) de tal fenómeno: destruindo a maior parte dos EUA, cobrindo uma área de centenas de Km (500Km/1.000Km) de extensão de uma camada espessa de diverso material (em suspensão) e de cinzas para no fim dos cerca de 7,5/8 biliões de seres humanos sobre a Terra no mínimo 2/3 (67%) deles perecerem. E do outro terço de sobreviventes poucos deles sendo norte-americanos.

 

Nem sequer se necessitando da ajuda de um Asteroide ou de um outro evento Catastrófico-Apocalíptico do tipo Hillary-Trump.

 

Apenas de uma “PEDRA-AMARELA”.

 

TectonicFault.jpg

Falha Tectónica da Ferradura

(imagem: João C. Duarte)

 

[E supondo-se que entre os diversos valores apresentados para a velocidade das placas tectónicas (próximas), estas andarão para a região do oceano Atlântico pelos 3cm/ano − e que a distância entre Lisboa e Washington anda pelos 5736Km – confirmando-se o aparecimento de uma nova falha de subdução ao longo da costa portuguesa a uns 250Km do Cabo de S. Vicente (partindo dos Açores e dirigindo-se para o estreito de Gibraltar) − no caso de ser a nossa placa a “meter-se debaixo da outra” e dada a proximidade com o continente, com o nosso país a submergir e a desaparecer sob o oceano num período mais curto (uns 8 milhões de anos), para no caso de ser a “nossa placa a colocar-se sobre a outra”, daqui a uns 191 milhões de anos chocarmos com a América do Norte: nesta segunda hipótese (e no final deste ciclo) com a Península Ibérica (como ela for na altura) geologicamente consolidada e emersa − com a Ponta de Sagres de novo como um Padrão (dos novos Descobrimentos) à cabeça − tendo diante de si o oceano onde anteriormente e agora submerso (no profundo leito oceânico) se situava (no passado) o antigo Império Norte-Americano.]

 

(imagens: Expert Warns Yellowstone Eruption Could Kill Five Billion People/Paul Seaburn/19.05.2019 − Horseshoe Tectonic Fault /Joao C. Duarte)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:39

10
Mar 12

África Ocidental

 

Este efeito colorido é provocado pela ação conjunta do enxofre e das algas presentes na água.

A água condensada resultante de gases quentes originados no magma no interior da terra, à medida que se vai evaporando, vai criando uma crosta viva, onde proliferam abundantemente sais e minerais.

(NG)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:35

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO