Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

10
Set 19

[74 anos depois do fim da WW2 e de mais uma Silly Season.]

 

“Mesmo depois de vários países terem já enviado para o Espaço dezenas ou centenas de naves – desde os primeiros satélites, passando pela Ida à Lua e chegando às sondas automáticas atingindo Marte e Júpiter e território mais além nunca tendo encontrado sinais de Vida pelo menos segundo os nossos padrões – na Lua, em Marte e em muitos outros corpos (luas, asteroides, planetas-anões) constituindo o Sistema Solar (para falar apenas no Espaço mais próximo) – continuamos (enigmaticamente) a cismar (ciclicamente) nos extraterrestres: reminiscências do passado (noutro salto noutro ciclo, daqui ou doutro lado)?”

 

german-saucers.jpg

 

Reanimando aquilo que de mais obscuro dominou a Alemanha, tendo como seu pico máximo o período de tempo decorrido entre 1939 e 1945 e coincidindo com a II Guerra Mundial (duplicando a I Guerra Mundial, provocando mais de 80 milhões de vítimas mortais) − e mesmo 74 anos depois continuando ainda por desvendar e esclarecer, mantendo as portas escancaradas aos persistentes (finda a esperança, continuando a fé) Teóricos da Conspiração o regresso das já tão divulgadas histórias sobre a Alemanha NAZI (implicando sobretudo Cientistas e Militares), envolvendo tecnologia revolucionaria (para a época como atualmente, a antigravidade) tal como a (hipoteticamente, pelo menos para nós, os “excluídos”) associada com os DISCOS-VOADORES (OVNI’S ou UFO’S):

 

Apontando para a possível existência de um “Programa Espacial Secreto Alemão” envolvendo um aparelho aéreo utilizando “tecnologia antigravidade”, tendo-se iniciado os primeiros testes e missões ainda antes do início da WW2 (por volta dos inícios dos anos 30), sido rapidamente desenvolvido e aperfeiçoado o projeto (no decorrer dos anos seguintes), para ainda antes da mesma (WW2) e no seu decorrer (anos 30 e 40) − expandindo surpreendentemente os seus conhecimentos e horizontes para lá da TERRA, quando por cá nada estava garantido (começando mesmo, a estar perdido) – se lançar nas suas naves espaciais antigravidade (sendo esta força a responsável por não nos deixar abandonar este planeta) em direção à LUA e a MARTE, instalando lá bases, colonizando-os e neles criando uma nova CIVILIZAÇÃO EXTRATERRESTRE (não de marcianos mas de terrestres).

 

snapshot.jpg

 

Numa reconstrução de Jeff Rense (teorias da conspiração, UFO’S, Paranormal, etc.) montada em torno de filmagens dos célebres “Discos-Voadores Alemães (inseridos num filme antigo “oficial”, gravado nas primeiras décadas do século XX), registadas por volta dos anos 1930’s e 1940’s e até mesmo com um nome para a nave (espacial), OVNI ou UFO: segundo o mesmo (como referido em “ufosightingshotspot.blogspot.com”) denominado HAUNEBU.

 

Concluindo-se que mesmo com todos os indícios, factos e confirmações (presenciais ou indiretas) apontarem sempre e sem qualquer tipo de dúvida (ou de mínima hesitação) na mesma direção – “não existindo Deus, ou Vida para além da Morte (pelo menos enquanto não compreendermos e enquadrarmos, a Vida e a Morte na Evolução) – não querendo acreditar no que vemos bem “colado no Espelho”, ou o partimos todo ou inventamos histórias à volta dele: não se compreendendo bem a ALMA e o ELETROMAGNETISMO (e sua ligação como uma única inter-relação), tudo por se nascer e ter medo de morrer.

 

(imagens: ufocasebook.com − Jeff Rense/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:05
tags: , , ,

19
Ago 19

Lançado a 6 de Fevereiro de 2018 com o TESLA pilotado por STARMAN a situar-se hoje (19.08.2019 13:00 em Portugal) a pouco mais de 298,5 milhões de Km da TERRA deslocando-se a uma velocidade de 1500Km/h – e em relação a Marte encontrando-se a pouco mais de 111,6 milhões de Km circulando relativamente ao Planeta Vermelho a uma V = 41500km/h.

 

Roadster_Earth.jpg

 

Introduzindo um “Carrinho-de-Choque” no meio da complexa e ainda pouco conhecida Estrutura e respetiva Maquinaria que constitui o “SISTEMA SOLAR” conhecendo apenas algumas das suas bases de Funcionamento, como algumas das suas Regras a respeitar (conhecendo as consequências por experimentação) e partes do seu ainda mal compreendido (dada a sua Extensão e difícil Compreensão para um elemento tão Limitado no Espaço e no Tempo como o HOMEM) Manual de Instruções (aplicando-o por conhecimentos bem-sucedidos adquiridos anteriormente e imitando-os até ao Infinito por Replicação) – demonstramos mais uma vez − e como se tal ainda fosse necessário para descrever a crescente distância separando “visivelmente” a mentalidade do HOMEM-COMUM, da INOVADORA e REVOLUCINÁRIA CIÊNCIA e TECNOLOGIA do PRESENTE – como sendo de início CRIANÇAS o continuaremos a ser (sendo sempre o mesmo Molde e pelo menos no início, não comportando atualizações) mesmo incluindo e incorporando no nosso conhecimento novas experiências adquiridas, novas sensações e até (sendo exclusivo só de alguns, não apenas Responder mas Pensar) algumas conclusões.

 

Order-now-06-510x499.jpg

 

Nascidos para um Mundo sem Limites (não se vislumbrando o seu início e o seu fim, rapidamente dito Infinito) aventurando-nos desde logo nele de uma forma Irresponsável − desprezando como se fossemos deuses Imortais as inevitáveis consequências – para com o decorrer do Tempo e de todo o Espaço já por nós (entretanto) cumpridos e percorridos e mudando consecutivamente de “Armário (fase infantil, fase juvenil, fase adolescente, etc.) − alguns de nós não o fazendo, padecendo de algum tipo de Anomalia ou Doença – optarmos ou pela Integração (esmagadoramente) – 99,9999999% − ou pela Marginalidade (0,0000001%): neste último caso e dado nada de Novo e de Inovador surgir do primeiro (optando pela Integração/Normalização numa Linha de Montagem eficaz, repetitiva, não evolutiva, apenas de manutenção) com o Homem mesmo pretendendo existir (destacar-se) a perder-se como um grão de areia numa praia de areal extenso (esmagado pela conceção de INFINITO) sendo assimilado e nunca mais se reerguendo ou reaparecendo (0,00000009%), ou então certamente devido a Intervenção Exterior (0,00000001%) por parte de uma Entidade Superior (ou Diferenciada) pondo em prática mais de um dos seus Projetos, com o Operador responsável pela aplicação e execução do programa (de Software) e pela sua introdução na respetiva máquina (Hardware) – tal e qual numa Sala de Cinema o Chefe-Projetor, o responsável pela projeção, manutenção e transformação do HOLOGRAMA − a proceder a uma pequena alteração na sua comunicação normal/habitual de dados, Impregnando um ou outro CLONE (transformando-o num GÉNIO) e atribuindo-lhe um estatuto paralelo, superior (mas intersectando-se tendo algo de comum) única forma do Sistema presente Evoluir sustentado como está (hoje-em-dia) em números cada vez mais aterradores não de HUMANOS (originais) mas de REPLICANTES (sucedâneos).

 

180208163641-elons-tesla-780x439.jpg

 

Depois de tocarmos a LUA já lá vão 50 anos (século passado) − para o nosso tempo médio de vida uma ETERNIDADE − e como se estivéssemos a cumprir uma promessa “de REGRESSÃO”, nunca mais organizando uma Viagem Espacial por nós (HOMEM) Tripulada, enquanto nos limitamos “como Crianças” a enviar para o Espaço veículos com telecomando (como nos carrinhos e nos aviõezinhos), uns para ali e outros para acolá conforme as instruções de jogo recolhidas − as tais SONDAS e os tais ROVERS – no processo e no percurso desprezando a nossa verdadeira Missão e Desígnio que terá que ser sempre a Partida e a Descoberta de Outros Mundos (se não quisermos desaparecer por aqui), sendo verdadeiramente dramático (senão mesmo desprezível, para com os seus autores e responsáveis) − e tal como hoje assistimos à nossa volta, com a morte de milhares de pessoas com fome enquanto outros tendo-a em excesso a deitam fora – observarmos como os frutos da Ciência e da Tecnologia são tão desgraçada e insultuosamente utilizados (e mesmo assim em vez de crime, sendo apenas notícia): com o milionário ELON MUSK a enviar um dos seus carros TESLA (ROADSTER) para o Espaço (utilizando a sua outra empresa a SPACE X) pilotado por um boneco insuflável denominado como STARMAN (Homem-das-Estrelas) − e com este último mesmo sendo um potencial objeto irracional, usufruindo da música de David Bowie − tendo como único objetivo desta missão Marte (e a sua colonização segundo MUSK) e a sua promoção (do TESLA, da SPACE X, mas sobretudo do alter-ego de ELON MUSK).

 

(imagens: whereisroadster.com − whereisroadster.com – cnn.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:02

16
Ago 19

[Com a Terra e os Terrestres a entrarem num novo período de 11 anos (duração aproximada de cada Ciclo Solar), na História recente do nosso Planeta (nestes pouco mais de dois séculos e meio) – Homem já incluído no conjunto o 25º Ciclo do nosso Astro-Rei o SOL.]

 

61.jpg

Um Trump de Nova Iorque

(num Tesla de Musk, ao som de Bowie)

 

Indeciso entre duas MENTES BRILHANTES como o são os dois milionários norte-americanos, um no Ramo da Hotelaria/Restauração/Imobiliário DONALD TRUMP (45º Presidente dos EUA) e o outro no Ramo da Indústria Automóvel e Espacial ELON MUSK (Fundador da TESLA e da SPACE X), questionando-me de momento sob um manto opaco e espesso de dúvidas (ou não fosse eu um simples LEIGO, quando muito um autodidata) qual das duas propostas apresentadas por estes dois Prodígios Humanos (ou EXCECIONAIS como se autodenominam) seria a mais Espetacular de PROJETAR e sobretudo, sendo acompanhada (na composição do Holograma) de efeitos Impactantes (Especiais): um deles − TRUMP − propondo a compra da GRONELÂNDIA à DINAMARCA − ou seja, como se os espanhóis se propusessem (por exemplo) comprar o Algarve a Portugal, integrando-o em Espanha – o outro – MUSK – propondo bombardear Marte com Bombas Nucleares − tal como na Terra partindo-se do princípio da eficácia da Refundação (de um Território ocupado) optando pela via da Terra Queimada.

 

“‘Nuke Mars’:

Elon Musk sets Twitter on fire

with interplanetary declaration of war.”

(16.08.2019/RT/rt.com)

 

elon-musk-plans-nuke-mars-.jpg

Bombardear Marte de modo a torná-lo habitável

(uma ideia de Elon Musk já com mais de quatro anos)

 

Em ambos os casos sem escutar e sem respeito pela opinião da outra parte, sejam eles Terrestres (neste caso os dinamarqueses) ou então Extraterrestres (caso existam e sob que forma for, os marcianos): com Donald Trump a ter resposta imediata por parte do Ministro dos Negócios Estrangeiros da Dinamarca Ane Lone Bagge − “We are open for business but we’re not for sale– e desta forma antes da sua visita planeada a Copenhague (a capital) em Setembro, colocando já em fúria a opinião política e pública dinamarquesa. E levando o antigo 1º Ministro da Dinamarca Lars Lokke Rasmussen a afirmar “It has to be an April Fool’s joke. Totally out of season” e a dirigente do DPP Soren Espersen a acrescentar “If he is truly contemplating this, then this is final proof that he has gone mad”.

 

“The thought of Denmark

selling 50,000 citizens to the United States

is completely ridiculous.”

(16.08.2019/RT/rt.com)

 

greenland-ap-ps-190816_hpMain_4x3_992.jpg

Com Trump propondo-se comprar a Gronelândia

(e os seus 50.000 habitantes)

 

Já no caso de Elon Musk talvez devido ao Momento dos seus Negócios (em queda) e à “Silly Season” que o mesmo (tal como nós todos no Hemisfério Norte) provável e dificilmente atravessa – “necessitando ferozmente de uma outra campanha publicitária e de marketing, real ou virtual, que o promova e relance” – ao propor bombardear Marte de modo a de uma forma extremamente violenta terraplaná-lo ou sujeitá-lo a terraformação ou seja (como diz o artigo da RT)Declarando-lhe Guerra”, com o milionário talvez com o “sangue-da-cabeça-a-ferver” típico deste período (extremamente quente) de Verão a colocar o TWITTER A ARDER com o seu último TWITTE APOCALÍPTICO. Surgindo desde logo as respostas nas Redes Sociais (no Twitter) já com alguns memes e outro tipo de presenças e de gozações − pelo menos dos terrestres nada se sabendo de Marte. Provavelmente até apoiando Elan Musk: “Well that escalated quickly. But I support your decision Lord Elon. Nuke it (Twitter.com).

 

(texto/inglês/itálico: RT/rt.com – imagens: Adamis/vetustideces.blogspot.com e fossbytes.com e go.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:15

09
Ago 19

Observando (e registando) com esta imagem o aspeto que terá a nossa costa Atlântica a Longo-Prazo, depois de um Evento ao nível da extinção (por exemplo um grande Impacto seguido de Tsunami), descaracterizando completamente todo o Ecossistema Terrestre.

 

pia23346-16.jpg

TEAL RIDGE − MARTE

SOL 2440

18.06.2019

 

Na sequência do Evento, acrescido das diversas réplicas que se lhe seguiram (tanto a nível dos oceanos, como geológico e até atmosférico) sucessivamente com o nosso planeta a perder Água (aquilo de que somos maioritariamente feitos), a perder a sua Atmosfera (uma das nossas ligações fundamentais com o Meio Ambiente) e finalmente (perdido tudo) a parar e a Morrer (numa opção sem retorno).  Tornando-se árido e (ambientalmente) extremo como um deserto, sem movimento visível e estático como um morto, sem vida visível e mesmo se tendo existido agora reduzida a enigmáticos (por irreconhecíveis) escombros e até podendo guardar segredos mas já estando profundamente enterrados (esquecidos não localizáveis), para numa fase posterior e muito mais longa estendendo-se talvez  por uns biliões de anos (alguns dedos de uma mão) acabar por perder a sua Alma, nivelada e esterilizada por sucessivos ataques e intrusões profundas, de radiações cósmicas extremamente penetrantes − mortais. Calcinando até à Eternidade o planeta como se estivéssemos no Inferno. Numa mensagem de Marte (do seu Passado) para a Terra (antevendo o Futuro).

 

[Cenário observado a partir de um veículo motorizado já com sete anos de serviço – o Curiosidade − tendo percorrido até hoje cerca de 21Km e subido quase 370m a partir do seu ponto inicial de partida.]

 

(imagem: CURIOSITY ROVER/NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:58

17
Jul 19

“E mesmo assim (realço, passados 50 anos) comemorando-se festivamente (hipócritas de um lado, estúpidos do outro) o “Estado Comatoso” em que se encontra atualmente a Exploração Espacial: é que se não partirmos (com o nosso Sistema a meio do seu Ciclo de Vida), da mesma forma que um certo dia aparecemos, aqui desapareceremos (definitivamente, de vez).”

 

Detail_from_a_map_of_Ortelius_-_Magellan's_ship_Vi

Victoria

O único navio da frota de Magalhães a ter completado a circum-navegação

(wikipedia.org)

 

A poucos dias da comemoração dos 50 anos sobre a primeira vez que o HOMEM pisou a superfície de um corpo celeste que não a TERRA – com o módulo lunar EAGLE (da missão APOLLO 11) a alunar pouco depois das 20:00 UTC do dia 20 de Julho de 1969 e com o astronauta NEIL ARMSTRONG horas depois (já na madrugada do dia 21) a pisar a LUA seguido (minutos depois) pelo seu colega BUZZ ALDRIN – é triste de constatar como passado meio século (uma Eternidade para o Homem) e depois de tantas afirmações elogiando as Extraordinárias Capacidades do Ser Humano (Científicas e Tecnológicas), o mesmo abandonou incompreensivelmente uma das fases obrigatórias do seu processo evolutivo, absolutamente necessário para a sua sobrevivência (e não Extinção): tal como no processo associado à Aventura dos Descobrimentos e à Conquista dos Oceanos (na procura de Outros Mundos), com o mesmo empurrando o Homem ao abandono da sua “Zona de Conforto” (a Casa onde Nasceu) na procura de outros e novos “Espaços”, com este novo empreendimento a solicitar-nos agora não apenas mais um esforço para o desenvolvimento compreensivo da Humanidade (o que já iniciamos na Terra um conjunto limitado) mas alargando-o (esse objetivo) anexando-lhe um novo destino, Exterior (à Terra) e muito mais extenso, ilimitado, INFINITO – a única forma de encerrado o Ciclo Terrestre (podendo já ter existido muitos outros) o Homem (saindo finalmente de casa) poder persistir noutro lado.

 

Nixon_Telephones_Armstrong_on_the_Moon_(9460942988

Nixon

Telefonando da Terra para Armstrong e Aldrin já na Lua

(wikipedia.org)

 

Mas tal não tendo acontecido (já bem no interior do séc. XXI) deixando-nos cinquenta anos simplesmente a olhar (para a LUA ali tão perto), vendo sondas automáticas a partir e muitos calhaus no céu a passar: com as naves e sondas penetrando a escuridão profunda do Espaço (comandadas por Robots), ultrapassando sucessivamente corpos e fronteiras cada vez mais distantes (caso das sondas VOYAGER), mas não colocando o HOMEM a tripular (excetuando a sua presença por perto a uns 400Km na ISS), com este não chegando a Lugar Nenhum (como um Avestruz escondendo a cabeça num buraco) podendo a qualquer momento (tal como o eventualmente sucedido anteriormente com os Dinossauros a raça dominante então dominando o planeta) ficar pelo caminho. E não saindo voluntariamente de casa (um dia a Terra deixará de o ser, tal como hoje a conhecemos) com o Homem a correr o risco de repentinamente poder ser expulso (não reunindo as condições, para se adaptar e sobreviver ao novo Meio ambiente), não tendo tempo para se preparar podendo-lhe acontecer o pior: pelo que obrigatoriamente um dia teremos de partir, naturalmente em naves e como seus tripulantes. Certamente com grandes investimentos e inicialmente com muitas perdas (sobretudo humanas tal como na senda dos Descobrimentos), mas não sendo desculpa os BILIÕES (para a concretização do Projeto) − a justificação apresentada há cinco décadas − face aos TRILIÕES gastos nas últimas Guerras & Genocídios.

 

Aldrin_Apollo_11_original.jpg

Lua

Imagem de Armstrong com Aldrin refletido no seu visor

(wikipedia.org)

 

No presente e face às várias sondas automáticas lançadas para o Espaço pelas mais diferentes nações − EUA, Rússia, China, Japão, Índia, etc. – e com os mais diferentes destinos − desde a Lua, passando por asteroides e outros objetos,  até ao planeta mais distante e ultrapassando-os (“mas nunca com a nossa presença”) – tornando-se cada vez mais premente o retorno às Viagens Espaciais Tripuladas (terá de ser sempre o Homem a chegar a Outro Mundo) com a NASA, privados e restantes Agências Espaciais Mundiais (como a ESA, a ROSCOSMOS, a CNSA, a JAXA, a ISRO, etc.) virando-se de novo para o Espaço e para a sua efetiva conquista (com a sua presença) pelo Homem: relançando-se o objetivo LUA, lançando-se o objetivo MARTE e até como futura base de apoio, planeando-se uma nova Estação Espacial neste caso com os chineses na vanguarda. Criando-se bases na Lua, bases em Marte (como Entrepostos Espaciais) e deixando-se para as sondas automáticas (para já) destinos (para voos futuros tripulados) como Titã: e estabelecidas as redes entre planetas (com as Viagens Interplanetárias) partindo-se para outros Sistemas e até para outras Galáxias (Viagens Intergalácticas), sempre à procura de um novo lar − a TERRA 2. Sabendo o que ele sabe (mais uma vez com o Mundo, por responsabilidade DEM e REP, à beira do abismo) contando com todo o apoio de TRUMP (faltando-lhe apenas o seu Bilhete Dourado, esperando-o se reeleito), enquanto os restantes desgraçados (a caminho dos 8 biliões) esperam pelo ASTEROIDE (sob a forma de objeto/calhau ou sujeito/pessoa).

 

(imagens: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:28

16
Jul 19

Num planeta aparentemente MORTO (se comparado com a TERRA) sem presença de VIDA ORGÂNICA (visível) ou de MEIO AMBIENTE que a suporte (como por exemplo possuindo uma Atmosfera) − naturalmente que pensando em nós (no HOMEM) e na possível Descoberta de Outros Mundos – todos os fenómenos contrariando a sua atual situação evolutiva sobretudo envolvendo algum tipo ou forma de Movimento (característica básica de tudo o que está Vivo) − para além e como é óbvio, contando igualmente com a presença de Energia e de Matéria (E=MC²) – levantarão desde logo o aparecimento de dúvidas (mais pesadas/materiais e/ou mais leves/existenciais) e a colocação em causa de determinadas certezas (como o da delimitação, entre Vida e Morte):

 

NRB_613927069EDR_S0760832NCAM00595M_.JPG

Marte − Curiosity Rover − NASA

SOL 2438 − 16 Junho 2018

(sobre a superfície uma luz planando à direita)

 

Num planeta Morto e por definição sem Movimento (visível em primeiro plano e a curta distância) e utilizando os nossos Órgãos dos Sentidos (validando o testemunho) sendo surpreendidos pela presença de um elemento estranho por desenquadrado, apontando para um outro cenário não estático, mas dinâmico (Evolutivo), apresentando-se sob a forma de um foco de LUZ (Vida).

 

Segundo os especialistas “com a Luz presente nas duas imagens” resultando do cintilar de uma rocha sobre a ação dos raios solares ou então da ação de raios cósmicos incidindo sobre o detetor fotográfico.

 

Se não demonstrando a existência de Vida (como será o caso dos DUST DEVILS envolvendo movimento, não necessariamente a presença de organismos vivos) pelo menos deixando no ar uma pequena dúvida presente, passada ou mesmo futura:

 

PIA18077_hires.jpg

Marte − Curiosity Rover − NASA

PIA 18077 − 3 Abril 2014

(saindo da superfície um foco de luz à esquerda)

 

Sobre a possibilidade de nalgum momento da cronologia marciana a Vida poder ter estado presente.

 

Em duas alturas distintas com dois focos de luz a serem bem visíveis sobre a superfície do planeta Marte, sugerindo aí a presença de algo mais que não e apenas a do Mundo Mineral (sendo o Homem o resultado da fusão do Mundo Mineral com o Mundo Orgânico, “catalisado” por um Terceira Entidade):

 

Alternativamente podendo ser de origem artificial (alienígena e/ou por erro de interpretação), ou sendo de origem natural, sendo referido como um extra (podendo ser o “Tal” Sinal).

 

(imagens: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:31

01
Jun 19

O local onde no mês de Fevereiro do próximo ano aterrará a missão MARS 2020 e a partir do qual se deslocará o seu ROVER (um veículo motorizado) na prossecução do Programa (da NASA) de Exploração de Marte (MEP): tendo como objetivo da missão o estudo da formação (e história inicial) e processos geológicos (e simultaneamente climáticos) do planeta, a hipótese de alguma vez na sua cronologia temporal ter tido Vida e ao verificar as diferenças apresentadas pela Terra e por Marte tentar descobrir como os Humanos lá se poderiam estabelecer. Ou seja, a Etapa Zero da futura Colonização pelo Homem, do até aí considerado misterioso (até há pouco tempo afirmando-se ter canais e até por lá andando os marcianos/como o fez Giovanni Schiaparelli em 1877) 4º Planeta do Sistema (Solar), o Planeta Vermelho.

 

pia23239-1865x1200.jpg

Cratera JEZERO

Onde o MARS 2020 e o seu ROVER

Tocarão a superfície de Marte

 

Um local escolhido para a nova missão da NASA e de um novo ROVER (depois da “morte” recente do OPOORTUNITY) movimentando-se na superfície de Marte, sendo um antigo lago marciano instalado numa cratera de impacto, talvez fornecendo ainda vestígios de algo (que por lá tenha passado − tanto no Espaço, como no Tempo − ou andado por perto) como Água ou como Vida. Pelo menos e a partir dos minerais aí existentes (pelas texturas e cores apresentadas, sendo certamente diversos) podendo-se por compreensão e associação confirmar ou não a existência de Água na História de Marte (com mais de 4,5 biliões de anos). Com o MARS 2020 (e o seu ROVER) a ter um tempo de vida estimado para um ano, mas certamente e tal como os seus antecessores (SPTRIT, OPPORTUNITY, MSL) estendendo-se por muitos mais − e concluída a missão ainda fazendo algo mais. Desde logo e estando já programado, tentar obter experimentalmente Oxigénio de dióxido de carbono e descobrir uma fonte de Água (não encontrada à superfície) de origem subterrânea. Tendo-se então aí “a base para a Base do Homem.

 

(imagem: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:10

29
Mai 19

Em

ISIDIS PLANITIA

 

“É uma planície situada dentro de uma bacia de impacto gigante em Marte, sendo a terceira maior estrutura de impacto (aproximadamente 1500 quilômetros de diâmetro) no planeta (após as bacias de Hellas e de Argyre). Provavelmente Isidis foi a última grande bacia a se formar em Marte, tendo aparecido a cerca de 3,9 bilhões de anos atrás.”

(wikipedia.org)

 

D7Sn0phWwAAMIwI.jpg

Uma Representação Geológica segundo os cientistas

Sendo o resultado de uma Antiga Explosão Vulcânica em Marte

 

Inicialmente tendo para os cientistas uma origem duvidosa, podendo ir desde ser o resultado de uma Intervenção Interna ou em alternativa de uma Intervenção Externa – para os não crentes (“não acreditando sermos os Únicos no Universo”) por ação de algum tipo de Civilização Marciana num passado já muito distante aí existente e por ação de uma outra Civilização Alienígena Invasora, ou então para os crentes (“acreditando sermos os Únicos no Universo”) por algum tipo de fenómeno geológico aí ocorrido (por exemplo vulcânico) e por algum tipo de cataclismo tendo origem no Espaço, envolvente e atingindo Marte (por exemplo sendo atingido por um grande asteroide) – a estranha apresentação visível na superfície do Planeta Vermelho como que sugerindo ser a obra e a criação (Transformação) de “Algo ou de Alguém  (dada a ausência do Homem no local, Natural se for obra de um Objeto, Artificial se for obra de um Sujeito − visto como um organismo vivo alienígena) não passará de um depósito mineral (de Olivina) mais comum de se encontrar no interior dos planetas (e outros corpos celestes semelhantes) há muitos e muitos anos (talvez biliões de anos, dada a idade do nosso Sistema Planetário) e devido a uma erupção vulcânica (explosiva) sendo libertado para o exterior − e adquirindo este aspeto de Obra de Arte Universal. Localizada em NILI FOSSAE na região de SYRTIS MAJOR no planeta MARTE – situada muito próximo de ISIDIS PLANITIA uma extensa planície no interior de uma bacia de impacto (com muitos minerais por lá como é o caso da OLIVINA, por acaso o 1ª componente do manto terrestre).

 

(imagem: universetoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:29

12
Mai 19

Em Diâmetro

Com a Terra nem 4 X maior que a Lua

E com Marte 309 X maior que Phobos e 523 X Maior que Deimos.

Olhando-se para os dois casos

Notando-se logo a desproporção (planeta/lua).

 

20030728_marsClose02-fi.jpg

Terra e Marte

Numa proporção Diâmetro da Terra = 1,878 X Diâmetro de Marte

(partindo do Sol 3º e 4º planetas de 8 do Sistema Solar)

 

Integrando tal como outros sete planetas (principais) o Sistema Planetário tendo como estrela de referência o SOL (uma estrela de classificação espectral G2V, de cor amarela, temperaturas na ordem dos 5200K°/6000°K e representando entre todas as classificações estelares/sendo sete, menos de 1 em cada 10 estrelas) – por nós denominado como SISTEMA SOLAR e estando localizado num dos braços da galáxia em espiral VIA LÁCTEA – o planeta MARTE conhecido como um dos Planetas Interiores (os outros sendo Mercúrio, Vénus e Terra, de órbita interior à Cintura de Asteroides) e como vizinho exterior (à orbita) da TERRA (sendo o vizinho interno, Vénus), apresenta aqui numa produção conjunta das câmaras da sonda espacial 2001 MARS ODYSSEY (captura) e da Universidade Estatal do Arizona (produção) os seus dois satélites naturais (ou luas) PHOBOS (o maior com pouco mais de 22Km de diâmetro) e DEIMOS (o menor não chegando aos 13Km de diâmetro).

 

PIA23208.jpg

1

Deimos e Phobos

(Mais pequena e maior das 2 luas de Marte)

 

Duas luas descobertas no século XIX (1877) por um astrónomo norte-americano (Asaph Hall), ainda hoje com a sua origem não confirmada e podendo entre várias hipóteses (proposta por vários cientistas) serem (ambas as luas) dois asteroides capturados (num ponto por determinar da sua História) pelo PLANETA VERMELHO (e suas forças gravitacionais): com PHOBOS a lua maior e com maior massa a orbitar (em menos de 8 horas) o planeta (Marte) a pouco mais de 9000Km de distância e com DEIMOS a lua menor e com menor massa a orbitar (em pouco mais de 30 horas) o planeta a mais de 23000Km de distância – apontando para que no futuro estas duas luas podendo ou não terem tido a mesma origem (por exemplo serem o resultado de um outro planeta localizado entre Marte/Júpiter e hoje desaparecido, podendo ter existido num passado bastante remoto e sofrendo um Evento Catastrófico, levando-o à sua destruição e fragmentação e dando origem à Cintura de Asteroides) terão certamente destinos bem diferentes, com PHOBOS (continuando a aproximar-se) acabando por IMPACTAR MARTE e com DEIMOS em sentido contrário (continuando afastar-se) perdendo-se (talvez para sempre) na escuridão do Espaço.

 

PIA23206.jpg

2

Phobos

(A lua mais próxima de Marte no futuro impactando-o)

 

Nestas duas imagens de Deimos e de Phobos (1) e (destas duas) da lua (e das temperaturas aí registadas) maior e mais próxima de Marte (e que um dia colidirá com o planeta),

Em (1) podendo-se observar (da esquerda para a direita) as duas luas de Marte Deimos e Phobos, como registadas pelas câmaras da sonda 2001 Mars Odyssey, utilizando o seu instrumento (a infravermelho) THEMIS, em 15.02.2018;

E em (2) focando-se exclusivamente em Phobos e na variação das temperaturas pela mesma lua (de Marte) apresentada, revelando-nos com o auxílio e a utilização do instrumento THEMIS (Thermal Emission Imaging System) as diferenças de temperaturas aí registadas (exterior/centro) – com as mais baixas temperaturas na periferia e com as mais altas (a vermelho) no centro (e variando entre os 73°C negativos e os 27°C positivos) e sendo datadas de 24.04.2019.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:47

05
Mai 19

Confirmada numa imagem de 3 de Maio da NASA

(passada sexta-feira,3)

Acabada de ser editada em SOL 2396

(Mars Science Laboratory/Curiosity Rover)

 

[Se não acreditam vejam a sua imagem/sombra, numa edição com o carimbo e a certificação − sinal de aceitação e de credibilidade − USA/NASA.]

 

RLB_610189033EDR_F0751398RHAZ00341M_ c.JPG

Luna 1

Curiosity Rover

Sol 2396

 

Depois de tanto tempo à procura da minha cadelinha rafeira (mas não-vira-latas) e sem “pé-de-grilo” – a LUNA ou LULU − qual não foi o meu espanto quando ao olhar para uma foto recentemente remetida do planeta Marte (atualmente muito perto dos 60.000.000Km da distância da Terra) – por acaso andando nessa altura por lá à espreita e à procura (aproveitando o veículo motorizado aí circulando desde 2012 o Rover Curiosity) de algum tipo de vestígio da passagem do Tesla Roadster (do milionário Elon Musk) tripulado por Starman pela superfície marciana reparei (de uma forma faseada mas por certeza sensorial instantânea) primeiro como que por instinto mas depois de uma forma bem convicta (talvez porque desejasse muito que tal acontecesse), na sombra da minha amiga, cadelinha e companheira e para mim desde há muito já perdido (a Terra é imensa), LULU.

 

RLB_610189033EDR_F0751398RHAZ00341M_ a.jpg

Luna 2

Curiosity Rover

Sol 2396

 

Surpreendente por não expectável (não só pela sua dimensão mesmo assim menor que a da Terra) até pela distância em que se encontrava (Marte) e pelo mistério da sua forma de deslocação interplanetária Terra/Marte (uma viagem se possível mesmo para o Homem podendo durar meses), ao olhar para o registo de imagem SOL 2396 (2396ª dia de estadia no Planeta Vermelho) adquirido pelas câmaras do Rover Curiosity (câmara traseira) no passado dia 3 de Maio de 2019 (pelas 21:32:48 UTC), vendo-me de caras com LULU não diretamente (tendo como que recorrer a um espelho, oferecendo-nos uma Imagem da Realidade) mas pela sua projeção (para mim seu conhecedor, inquestionável) ou Sombra.

 

RLB_610189033EDR_F0751398RHAZ00341M_ b.jpg

Luna 3

Curiosity Rover

Sol 2396

 

Com a pequena LULU de nariz pontiagudo e orelhas bem esticadas, dependurada no Rover e projetando a sua típica sombra sobre a superfície marciana: certamente abduzida (na Terra), transportada numa mala (tão pequena ela é) e algures abandonada (num Mundo para ele estranho − como Marte − e transportado por extraterrestres). E assim depois de já tantos (de nós) nas suas observações minuciosas de imagens editadas (e certamente e se necessário tratadas) pela NASA (fora as que se lhes escapam), terem descoberto certas anomalias ou pormenores no mínimo estranhos (se não mesmo completamente desenquadrados, para o que nos dizem sobre este planeta nosso vizinho) nas mesmas por vezes emergindoentre essas imagens registos do que parecem ser animais (nossos conhecidos), seres de contornos humanoides (como nós) e objetos aparentemente fabricados de origem artificial (como o que parece ser a 100% o terminal de um aspirador) – agora e só para confirmar (mais esta Teoria da Conspiração) sucedendo comigo (testemunha) e envolvendo a minha cadelinha (a Protagonista).

 

From_the_Earth_to_the_Moon_Jules_Verne.jpg      'Around_the_Moon'_by_Bayard_and_Neuville_32.jpg

Da Terra à Lua e À Volta da Lua

Duas obras de Júlio Verne e (mais uma vez)

A presença de um ser vivo descrito como irracional (o cão)

 

E não gastando biliões (de dólares, de outros biliões) ultrapassando (o milionário norte-americano) Elon Musk (na minha Real-Imaginação): com LUANE a cobaia − tal como como a cadela “soviética” LAYKA, um animal racional e no entanto, sendo o 1º Ser Vivo a orbitar o planeta Terra (ultrapassando aí o Ser Racional e Dominante) – e respeitando as proporções (até pela cadelinha LULU, ser daquelas de transporte incógnito numa mala de mão), a fazer a sua Viagem, “a Ir e a Voltar”, cumprindo assim o seu desígnio (a que os portugueses quando pessimistas chamam Destino). Tal como VERNE nos explicara e o nosso Espírito Juvenil nos exigira (e em Sonhos Imaginara): “numa exigência sem tempo, de algo infinito dentro de nós”.

 

[E ao contrário do que a Bíblia sugere

  1. Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas,
  2. Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira (abiblia.org)

Com “O Cão a ser a Virtude que, não podendo fazer-se Homem, se fez Animal” (Victor-Marie Hugo em pensador.com).]

 

(imagens: mars.nasa.gov e wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:43

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO