Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

04
Mai 18

Inseridos num ponto perdido por comprimido no Infinito, inacreditavelmente ainda não nos convencemos que terão forçosamente que existir pontos comuns de ligação entre os vários elementos constituindo este conjunto: com o Sistema Solar a ter uma Estrutura e História conjunta obviamente interligada e inevitavelmente intersetando-se. Como se o Sistema Solar fosse um Organismo Vivo e a Terra uma das suas partes.

 

I

S/ EXOMARS

 

mars_globes_wet_dry.jpg

Terra e Marte

Uma ilustração de como seriam os dois planetas enquanto jovens (evoluindo no mesmo Espaço mas afastados no Tempo), com Marte a poder ter tido água e ter sido dotado de uma débil atmosfera ‒ mas hoje apresentando-se como um corpo seco, frio e (aparentemente) morto

 

Enquanto no terceiro Planeta (a Terra) mais distante do seu Sistema (Solar) e tendo como referência a sua estrela central (o Sol), a sua espécie dominante (o Homem) habitando um território-domicílio de Excecionais (os EUA) e controlando em seu benefício a EVOLUÇÃO da mesma (espécie superior por inteligente replicando facilmente e sendo capaz de se organizar entre dois pilares básicos e civilizacionais como a Ordem e o Caos),

 

Traduzindo-se o seu significado (de evolução) como aplicando-se à restante espécie (e aos seus 7,5 biliões de indivíduos, para o espaço terrestre disponível considerados já excedentários) e à flora e fauna dita irracional (e como tal complementar), cobrindo e preenchendo o resto deste fabuloso e inexplicável Ecossistema (por facilmente domesticados e integrados na lucrativa e inevitável cadeia de produção ultraliberal, destinada prioritariamente à transformação de matéria-prima, integrando-a e comercializando-a no mercado) único, infinito e de acesso restrito

 

Se entretém,

 

‒ Para consumo interno (dos norte-americanos ditos como destinatários e usufrutuários do Sonho Americano e dos seus colaboradores descritos e tolerados como aliados e habitando um Pesadelo Climatizado) e prevalência do aparentemente referido e certificado como o mais forte ‒

 

A impor o Uso da Violência e da Força como estratégia de dominação e de desenvolvimento (optando pela Prepotência e pelas Armas, em vez de escolher a Tolerância e o Diálogo) e a utilização da Moeda (o Dólar) e da sua capacidade extremamente intrusiva (bastando umas quantas impressoras e um molde certificado) como substituto da Memória e da Cultura (num passo decisivo para a subalternização do Sujeito ao poder cada vez mais avassalador e de mercado do Objeto),

 

No interior do nosso Ecossistema (Terrestre) impondo o Ódio, a Guerra e a Morte como combustível da Máquina e como Ideologia Básica da Estrutura (de dominação central),

 

‒ Como o comprova a capacidade dos Excecionais em destruírem um número incontável de vezes o planeta Terra, ao contrário de todos os restantes (não excecionais) mesmo eliminando X Terras nunca atingindo as X+1 Terras dos Norte-Americanos ‒

 

E no seu exterior (Extraterrestre) para além de todo o equipamento militar e secreto colocado já em órbita (como anteriormente sonhado por outras Administrações com a construção de um Escudo Atómico ao estilo da Guerra das Estrelas), começando desde já a equipar os seus satélites (ditos maioritariamente civis) com armas para destruírem os dos outros, deixando desde logo bem claro quem será o Protagonista (literalmente e em termos absolutos tendo os Direitos Exclusivos da Conquista do Espaço),

 

No resto do conjunto Infinito do qual fazemos parte (Terra, Sistema Solar, Via Láctea, Universo) e ao qual feliz e inevitavelmente estaremos sempre ligados,

 

O Espaço-Tempo continua a Transformar-se (sem limites existenciais introduzidos pela ignorância primitiva do Homem, colocado sem possibilidade de recurso perante o nascimento e a morte) apesar da contribuição contraproducente do Homem e da sua incessante tentativa suicidária:

 

Como seja a promovida global e impunemente pelos Norte-Americanos (uma prerrogativa dos Deuses sejam eles quem forem) mantendo-se no entanto a porta aberta (do Espaço) pelo menos enquanto não descobrirmos pelo menos um, senão alguns ou mesmo muitos, seres vivos e Marcianos (obviamente vivendo em Marte, pois outros já cá poderão estar).

 

Nesse caso extremo existindo sempre a possibilidade de que para nossa proteção Donald Trump possa finalmente carregar no botão, bombardeando Marte e a oposição (os alienígenas vindos do Outro Lado do Muro ao estilo mexicano).

 

II

C/ EXOMARS

 

ESA_ExoMars_Korolev_crater_mtp000_stp004_bs015_RPB

Marte

Cratera Korolev

(15 Abril 2018)

 

No passado dia 26 de Abril de 2018 com o satélite orbitador da Agência Espacial Europeia (ESA) EXOMARS (contando com a colaboração da Agência Espacial russa ROSCOSMOS fornecendo o veículo/lançamento)

 

‒ Circulando em volta do planeta Marte para estudar a existência de gases atmosféricos (maioritariamente CO₂) podendo ajudar a esclarecer a atividade geológica e biológica no planeta

 

A ser recolocado numa órbita praticamente circular a cerca de 400Km da superfície marciana enviando-nos esta nova imagem (a anterior) do Planeta Vermelho e da cratera (de impacto) Korolev.

 

Com os responsáveis pela missão ExoMars (lançada em Março de 2016 e entrando em órbita de Marte em Outubro 7 meses depois) apresentando-nos uma área com cerca de 40Km (de extensão) localizada na cratera de impacto KOROLEV e situada a latitudes elevadas no Hemisfério Norte marciano: com o material brilhante (branco) aí visível sendo gelo.

 

“The ExoMars programme is a joint endeavour between ESA and Roscosmos. The Trace Gas Orbiter is the first of two missions in the programme: the next is scheduled for launch in 2020 and will comprise a rover and a surface science platform.”

(esa.int)

 

E num futuro próximo (já em 2020) com uma nova missão da EXOMARS lançada por um foguetão PROTON russo a atingir de novo a superfície de Marte (numa viagem de nove meses), lá colocando um novo orbitador e um novo ROVER (com o anterior ExoMars 1/Schiaparelli a ter-se despenhado no solo)

 

‒ Veículo motorizado circulando na superfície do planeta e entre outras atividades, fazendo perfurações e recolhendo material (visível/e em profundidade/ultrapassando os 2 metros)

 

Capaz de analisar, armazenar e mais tarde (a grande novidade) devolver: talvez passadas umas 3 missões da missão ExoMars (e segundo os seus responsáveis) com a sonda a ser agora equipada com um veículo espacial de ascensão (da superfície marciana) ‒ na 2ª missão ‒ para posteriormente ser recolhida em orbita e transportada para a Terra ‒ na 3ª missão.

 

“Previous Mars missions revealed ancient streambeds and the right chemistry that could have supported microbial life on the Red Planet,” said Thomas, “a sample would provide a critical leap forward in our understanding of Mars’s potential to harbour life.”

(esa.in)

 

Talvez se confirmando a presença de Água e de Vida no vizinho planeta Marte (num passado já bastante remoto, numa história paralela mas não coincidente de cerca de 4,5 biliões de anos) e assim se compreendendo melhor a Evolução do Sistema (Planetário e Solar) e o passado e o Futuro da Terra: compreendendo o que realmente aconteceu no planeta (Vermelho).

 

(imagens: nasa.gov e esa.int)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:02

03
Mai 18

O Homem ‒ Da Conquista dos Oceanos à Conquista de Marte

 

I

 

“Inspirada em factos reais, ‘The Terror’ retrata a perigosa viagem em território inexplorado de uma tripulação em busca da passagem do Noroeste. Cercados por condições extremas, a lidar com recursos limitados, falta de esperança e medo ao desconhecido, a tripulação encontra-se constantemente a lutar pela sobrevivência. Enregelados, presos e isolados nos confins da terra, ‘The Terror’ mostra tudo o que pode correr mal quando um grupo de homens desesperados por sobreviver, lutam não só contra elementos externos, mas também entre si próprios.” (amctv.pt)

 

836_terror_web.jpg

The Terror

(Autor do livro: Dan Simmons ‒ Produtor do filme: Ridley Scott ‒ Estreia da série: 2018)

 

Numa Aventura realizada no passado (já lá vão mais de 170 anos) ‒ em zonas inexploradas e extremamente inóspitas (e mortais) do planeta Terra, tentando descobrir uma passagem entre Mundos ligando-os por desconhecidos, enormes e perigosos Oceanos ‒ e na altura podendo ser equiparada em múltiplos aspetos (senão mesmo em todos, por objetivos e condições de aplicação muito semelhantes) a uma outra Grande Aventura que o Homem pretende levar a cabo num futuro a muito curto-prazo (agora a um Outro Mundo que não a Terra) ‒ ao planeta Marte conquistando-o, colonizando-o e descobrindo uma Passagem para Outros Destinos ‒ poderemos, colocando-nos no lugar desses marinheiros, sentir e refletir um pouco mais (profundamente e por associação) sobre o que terá sido o sofrimento (físico e mental qual deles o pior) desses cerca de 100 homens perdidos e isolados num território hostil (para a sua sobrevivência), sabendo que muito possivelmente os seus barcos estariam definitivamente perdidos (progressivamente sendo esmagados pelo gelo) e que o socorro exterior nunca lá chegaria a tempo (devido a condições atmosféricas exteriores ‒ de Inverno no Círculo Polar Ártico/Polo Norte ‒ registando temperaturas impossíveis de suportar pelo Homem). Deixando-nos assim a pensar quase que dois séculos depois como será certamente a futura Conquista do Espaço (Depois da Conquista dos Oceanos), agora que todos falam na colonização de um Outro Mundo mas localizado não na Terra mas num outro planeta (localizado a uma distância de 228 milhões de Km do Sol): Marte.

 

II

 

“Primeiro livro do premiado escritor Dan Simmons no Brasil, O terror, que foi adaptado para a TV por Ridley Scott, com estreia nos EUA em novembro, é, ao mesmo tempo, uma aventura histórica e uma fantasia sombria. A partir de uma meticulosa pesquisa, o autor recria de maneira original uma das mais fascinantes histórias da exploração marítima no século XIX, a Expedição Franklin, como ficou conhecida a trágica investida da Marinha Britânica, em 1845, à cobiçada Passagem Noroeste, que liga os oceanos Atlântico e Pacífico através do Círculo Polar Ártico. Sob a liderança do renomado sir John Franklin e mesmo contando com os equipamentos mais avançados da época, a tripulação de mais de cem homens acabou presa nas geleiras ao norte do Canadá. A luta pela sobrevivência naquele ambiente hostil é o tema da narrativa de Simmons, que adiciona uma misteriosa ameaça aos bravos marinheiros: um predador desconhecido que tenta abrir caminho através dos cascos dos navios.” (travessa.com.br)

 

t2.jpgt6.jpg

t3.jpgt7.jpg

t8.jpgt1.jpg

The Terror

(série estreada pelo canal AMC em Março de 2018)

 

Associando a (1) Era dos Descobrimentos (séculos XV a XVII) ‒ com portugueses e espanhóis como pioneiros desta Grande Aventura Humana (dos Navegadores), a partirem à procura de novas rotas e destinos de comércio (com intensa troca de culturas e de memórias e como tal de conhecimentos), ligando entre si Oceanos e Continentes e contribuindo decisivamente para o desenvolvimento científico e tecnológico dos Tempos Modernos ‒ a (2) história real de The Terror (ocorrida no século XIX) com a exploração marítima de então (neste caso dos Britânicos) tentando ligar dois oceanos (Atlântico e Pacífico) atravessando o Oceano Ártico e dispensando a travessia por terra (praticamente impossível dadas as suas condições meteorológicas extremas) ‒ e a (3) futura colonização do planeta Marte (prevista para o século XXI) ‒ contando para além da agência espacial governamental NASA com projetos já em curso (e aparentemente mais avançados) da responsabilidade da iniciativa Privada norte-americana (como é o caso da SPACE X do milionário Elon Musk), para além de outros projetos similares entretanto anunciados por russos e chineses ‒

 

Constatando-se fácil e rapidamente ao assimilar estes três pontos (1/2/3) de referência (por fundamentais) na atual Evolução do Homem e da Civilização Humana, como ao longo da sua Evolução e nos últimos 600 anos (com os resultados a serem bem evidentes já no século XVIII, com a Boom Científico-Tecnológico-Industrial e a 1ª Revolução Industrial, seguida da 2ª/séc. XIX, da 3ª/séc. XX e da 4ª/a atual com a chegada do Mundo Digital e sua ligação com o mundo Real) o Homem se tem conseguido adaptar, desenvolver e transformar no interior do seu tão frágil como Fantástico Ecossistema e mesmo que limitando-se a replicar (uma característica fundamental da nossa aprendizagem, faltando no entanto conhecer/interiorizar tudo sobre esse mesmo processo de transformação), tendo sempre avançado em frente e igualmente nunca aceitando limites (pois parar é sinónimo de morte por ausência de Movimento). Ontem lançando-se pelos Oceanos hoje e amanhã pelo Espaço.

 

[A série “The Terror” é transmitida no canal por cabo AMC tendo já 5 dos seus 10 episódios transmitidos (6º episódio a 8 de Maio).]

 

(imagens: imdb.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:30

02
Mai 18

Tornada conhecida por nela ter aterrado há mais de 14 anos a sonda norte-americana OPPORTUNITY (coincidindo no tempo com a sonda SPIRIT e anterior à sonda CURIOSITY), a região marciana de MERIDIANI PLANUM assim denominada por se encontrar pertíssimo do equador de Marte (0,1N de latitude) e ser essencialmente uma área plana,

 

PIA22438.jpg

Marte ‒ Meridiano Plano

(localizado no equador marciano)

 

‒ Apresentando um solo coberto por extensas camadas de areia e com poucas rochas visíveis à sua superfície

 

Aparece-nos de novo em imagens agora sob a observação das lentes do instrumento ótico HiRISE equipando a sonda orbital MRO (MARS RECONNAISSANCE ORBITER):

 

Confirmando o cenário esperado de uma superfície bastante erodida (talvez à vista desinteressante) e como tal coberta de sedimentos (areias).

 

Uma região do Planeta Vermelho com concentrações confirmadas de HEMATITA (fórmula química Fe₂O₃),

 

Por um lado sendo um mineral também existente na TERRA e podendo formar-se por origem vulcânica na ausência de Água (H₂O),

 

Mas por outro lado e como também acontece muito habitualmente no nosso planeta aparecendo em depósitos (minerais) onde também o mesmo composto (água) existe.

 

ESP_054673_1810.jpg

Marte ‒ Meridiano Plano

(localizado no equador marciano)

 

E desse modo se concluindo (apesar da alternativa de produção da mesma hematita por atividade vulcânica) por também acontecer na Terra e aqui ser muito Típico,

 

Que um dia Marte poderá ter tido Água (num passado já bem remoto) e até mesmo (porque não?) um Oceano (cobrindo uma parte da superfície marciana).

 

Levando-nos mais uma vez a divagar sobre a possibilidade da existência de Vida para além do planeta Terra (apenas um dos oito planetas integrando o conjunto denominado como o Sistema Solar), olhando-se para um dos lados vendo os incinerados planetas Mercúrio e Vénus (dado entre outros fatores as suas maiores aproximações ao Sol) e olhando-se para o outro vendo-se o queimado, desértico e radioativo planeta Marte:

 

Com a réstia de esperança neste vazio obscuro do Espaço (maioritária e aparentemente negro e por preencher) iluminado e estruturado em redor de uma pequena estrela, a residir noutros objetos ditos menores (apesar de fundamentais para o funcionamento da Máquina,

 

‒ A “Entidade Eletromagnética” ou “Alma” ‒

 

Por complementares) como os cometas (portadores de água e de organismos) e as luas (algumas delas com depósitos de água relevantes).

 

E descobrindo-se água (como nas luas Europa, Enceladus) podendo existir por mais primitivo que seja algum sinal evidente da igual existência de Vida (algum tipo de microrganismo).

 

(imagens: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:06

20
Abr 18

Mais Caótico (desalinhado) ou Ordenado (alinhado)

 

Duas imagens recentes da superfície marciana (Marte o derradeiro Planeta Interior),

 

PIA22372.jpg     PIA22373.jpg

Osuga Valles (PIA 22372) e Sacra Fossae (PIA 22273)

(respetivamente em 05.01.2018 pelas 06:57 e pelas 09:06)

Missão 2001 Mars Odyssey/Intrumento Themis

 

Mostrando-nos dois cenários de um mesmo ambiente por qualquer motivo entrando em colapso (final) há uns biliões de anos (como o demonstra o seu aspeto à distância, seco, nu e desértico) –

 

Que podendo ter no passado (muito longínquo) um aspeto semelhante ao da Terra até mesmo contendo uma atmosfera e uma parte da sua superfície coberta de água (por um oceano parecido mas de menor dimensão),

 

– Como muitos indícios parecem sugerir, indicando a possibilidade de existência de água (e representantes do Mundo Mineral) e a probabilidade de numa das suas etapas cronológicas (da Evolução de Marte) aí ter existido algum tipo mesmo que primitivo de representantes do Mundo Orgânico

 

Hoje se nos apresenta como um planeta (vizinho) sem sinais visíveis de Água (algum gelo à superfície nos polos ou em depósitos subterrâneos), sem rastos por mínimos que sejam (mesmo que de movimentos reduzidos) de que por lá alguma vez terá existido Vida (nem micro-organismos, nem fósseis), praticamente sem atmosfera (protetora) e completamente exposto às ações exteriores (raios solares, raios cósmicos, meteoritos),

 

– No fundo aparentemente Morto e apenas se limitando a Rodar –

 

E que no entanto e apesar de todos estes aspetos negativos pelo mesmo (Marte) a nós apresentado (Homem), em vez de nos afastar ainda mais dele (dado o seu Ambiente para o Homem Tóxico e Mortal) parece cada vez mais vincadamente (para já e para quem procura, inexplicável e misteriosamente) nos atrair mais na sua direção:

 

Talvez por ser dos Planetas Interiores (à Cintura de Asteroides) o mais afastado do Sol (logo a seguir à Terra) e dos dois corpos celestes mais falados e imaginados (a Lua e Marte) o menos conhecido e deles (abandonada a Lua precocemente), sendo o mais fascinante (desde sempre falado e igualmente imaginado com vida e com canais) e o mais desejado.

 

Com viagens previstas na sua direção para já apenas com sondas (automáticas e com rovers) e sem tripulação.

 

Mas com os EUA (setor governamental e privado) e a Rússia (setor governamental) a já terem missões planeadas e tripuladas para Marte: inicialmente criando condições básicas (de instalação e de segurança) e de seguida enviando os Humanos na sua direção – para Conquista e Colonização. Mais tarde transformando Marte (assim como a Lua) num Entreposto Espacial: abrindo-nos ainda mais as portas do Espaço e do Tempo (do Universo).

 

Na imagem relativa aos Vales OSUGA (capturada durante a 71.243ª órbita ao planeta Marte da sonda 2001 Mars Odyssey) de coordenadas -15,2⁰/latitude e +321,6⁰/longitude, observando-se uma rede de canais localizado nas proximidades de EOS CHASMA;

 

Já na imagem das fossas de SACRA (capturada durante a 71.244ª órbita da sonda a o planeta) de coordenadas +17,7⁰/latitude e +288,3/longitude, deparando-se com um agrupamento de depressões lineares (entre linhas retas) localizadas na parte ocidental da planície LUNAE (Lunae Planum).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:51

17
Abr 18

[Não sendo por mero acaso a terra dos marcianos também ser mundialmente conhecida como o Planeta Vermelho.]

 

Últimas Notícias/Em Desenvolvimento

(16.04.2018 – mais de 72 horas após o 1º Bombardeamento)

 

ovni141.jpg

NASA’s Mars Nuclear Explosion Cover-Up Exposed by India’s Mars Orbiter

(UFO-Alien Hunters Claim)

Mars anomaly hunters have ruled out other possible causes of the mushroom cloud, such as surface wind and a methane explosion, leaving only the possibility of a nuclear mushroom cloud

(legenda/imagem: inquisitr.com)

 

Fonte amiga confirmada por outra Fonte amiganão há duas sem três – afirma perentoriamente ser esse facto Altamente Provável. Aparecida a terceira Fonte (também amiga) e tendo como objetivo a preservação (da amizade) com as três Fontes ameaçando (depois da Síria) Bombardear Marte.

 

Enquanto num território do 3º Planeta do Sistema (Solar) centrado num ponto de coordenadas 33,5N e 36,2E (fazendo fronteira com uma grande extensão de água) prossegue uma aparente operação de limpeza (terraplanagem e assassinato),

 

– Iniciada num passado ainda muito recente (uma geração) num território vizinho localizado a Oriente (rico numa complexa composição de hidrocarbonetos) –

 

E num momento particular (e evidente) de desenvolvimento da mesma operação (e respetivo processo) na direção de uma solução eventualmente definitiva (a distância apesar de contribuir positivamente para alguma imparcialidade, poderá ser simultaneamente e pelo mesmo motivo algo distorcida),

 

“I've been to Mars and it's full of ALIEN bodies” claims lawyer (Andrew Basiago) in bid to be US President

(express.co.uk)

NASA is looking for someone to protect Earth from aliens

(cnbc.com)

 

– Com os poucos representantes da espécie dominante habitando (ainda) esta região deste planeta interior (à Cintura de Asteroides), a começarem a tornar-se cada vez mais visíveis saindo pouco-a-pouco do meio dos escombros dos seus pontos de concentração –

 

Eis que canais de informação do planeta (detetados exteriormente) – pelo seu impacto e penetração considerados os mais poderosos (obviamente oriunda do território dos Excecionais) – concretizando um plano certamente planeado entre determinados focos de propagação e de colonização (a derradeira etapa iniciada na observação à distância), colocam à nossa disposição novas revelações se não trágicas (veremos no futuro) pelo menos surpreendentes (no presente).

 

Podendo nada significar (mesmo tratando-se de esquizofrenia política, utilizando o método Fake News) ou num extremo ideológico provocar a ocorrência de um Evento bem relevante e final (ao nível da Extinção da espécie):

 

Antes (sem oportunidade ou recurso) – na era da Verdade – uma Conspiração,

Agora (que comprovada) – e na era da Quase Verdade – a Realidade.

 

UFO0.jpgUFO 1.jpg

UFO2.jpgUFO3.jpg

Ufo Attack Caught Over Syria

(editado em 26.08.2017)

“Eventualmente na Síria com um objeto voador não identificado suspendendo o seu movimento sobre instalações suspeitas (não se sabendo contra e apoiando quem) atacando-a e destruindo-a de imediato”

(legenda/inglês e imagem: UFO Hunters/youtube.com)

 

Segundo a última recolha de dados oriundos deste planeta e aqui recebidos pouco mais de três minutos depois (à velocidade da luz) com a Campanha de Propaganda (interna) a não se limitar já e somente a essa região particular nem ao próprio corpo celeste em causa (e logo um vizinho próximo), mas a extravasar (inesperadamente) para o seu exterior atingindo mesmo um Mundo Alienígena e pondo em causa a sua neutralidade por inexistência e/ou ausência de procuração.

 

E assim (segundo a evolução recente dos novos manuais de instrução ocidentais) depois da primeira tentativa de invasão (só para citar casos com um número significativo de indivíduos da espécie dominante envolvidos e mais amplamente divulgados) – dos nossos protetores (EUA), da Ilha (UK) e dos seus aliados (comandados pelo novo Dançarino francês) – por parte dos (1) Alienígenas Negros, por parte dos (2) Alienígenas Mexicanos e por parte dos (3) Alienígenas Russos, surgindo agora as primeiras revelações sobre um provável envolvimento de (4) Alienígenas Marcianos:

 

Depois dos (1) ALIENS de raça negra tentando sobrepor-se á raça branca predominante (sendo a extinção dos Índios apenas um pormenor inevitável, diretamente associado à Evolução e ao predomínio do mais forte);

 

– E até colocando brancos contra brancos (numa Guerra Civil) por uma questão de cor/pormenor (deve-se pagar a um negro se um branco ganha tão pouco ou quase nada?)

 

Boriska Kipriyanovich, who lives in Volgograd, Russia, alleged he lived on the red planet before being reborn on Earth

(thesun.co.uk)

Nuclear WW3 between US and Russia 'prevented by aliens'

(express.co.uk)

 

Depois da invasão de (2) ALIENS mexicanos (e de outros sucedâneos latinos) obrigando à construção de um muro de separação (e de proteção) face ao perigo eminente da chegada de multidões incontroláveis de Zombies oriundas do sul (avançando no terreno e comendo tudo e todos);

 

E mesmo depois dos (3) ALIENS russos terem recomeçado a sua típica, suja e invisível guerra química introduzindo-a (simultaneamente) tanto em território Inimigo/UK como em território Amigo/Síria (numa clara indicação de que na esmagadora maioria dos casos quem está por detrás só pretende apossar-se de algo e de seguida coloniza-lo),

 

Sendo a hora de outros estrangeiros chegarem,

 

– Os SPACE ALIENS –

 

Vindos agora de Mundos ainda mais Exteriores e distantes (ainda assim possíveis de ser alcançados) e segundo informações fidedignas (por autorizadas e postas à nossa disposição) oriundos do 4º Calhau mais afastado do foco Iluminando todos Nós (e Eles): sugerindo-se cada vez com mais força, determinação e impacto e como possível explicação (e por repetição incessante, tornando-se credível),

 

– Para o que tem sucedido na Síria –

 

Uma Intervenção Extraterrestre com origem no Planeta (obviamente tendo que ser essa a cor associada) Vermelho. Por quê?

 

World-War-3-Baba-Vanga-Syria-Russia-Vladimir-Putin

World War 3 prophecy

Did Baba Vanga predict the rise of Vladimir Putin in the fires of war?

“Russia will not only survive, it will dominate the world”

By Baba Vanga a bulgariam mystic woman

(legenda/inglês e imagem: express.co.uk)

 

Numa estratégia maléfica e insidiosa similar à utilizada neste 3º Calhau (de momento) entre oito (a contar da Estrela), fazendo-nos associar de imediato Ataques Químicos com Russos (com estes a negarem o fabrico dessas armas e a sua utilização) e Água com Marcianos (com estes recusando-se a aparecer e existir):

 

No 3º Calhau/ Terra com os Vermelhos a negarem o seu mais que certo envolvimento (no assassinato de inocentes usando terríveis venenos),

 

– Envenenando impunemente na Ilha (UK) e no Médio-Oriente (Síria)

 

E no 4º Calhau/ Marte com os outros Vermelhos (escondendo-se para penetrarem e sem remorso violarem) escondendo a sua existência (como se existindo Água não existindo Vida) para mais eficazmente atuarem (e rapidamente se infiltrarem).

 

E associando os Vermelhos (da Terra e de Marte) na mesma tela de projeção (ligados umbilicalmente pelo mesmo produtor e guião), no meio do estrondo e da total confusão

 

 Is Vladimir Putin set to announce to the world that aliens are here on Earth?

(express.co.uk)

Putin announces mission to Mars in 2019

(magapill.com)

 

– Proporcionado pelo Espetáculo de Mentira e Remodelação –

 

Criando um Real a partir da Ilusão juntando PUTIN, VENENOS e EXTRATERRESTRES:

 

Depois de 1947 e do incidente ocorrido no estado do Novo México na localidade de Roswell (marco histórico do desmascaramento da ligação secreta estabelecida entre os EUA e um grupo de ET’s, anteriormente trabalhando para os nazis e posteriormente recuperados – como Wernher von Braun o Engenheiro dos foguetões durante o regime Nazi – pelos norte-americanos em seu benefício),

 

Neste século XXI sendo a vez de os russos compartilharem uma Aliança com os seus (outros) aliados Extraterrestres e com os mesmos (como prova de amizade, lealdade e provavelmente ideologia) pondo à sua disposição (dos seus irmãos vermelhos) a sua última tecnologia dando-lhes preferência e vantagem.

 

Amanhã (com o nosso esmagamento debaixo de toneladas e toneladas de Fake News) nem sequer se necessitando de Terrestres nem mesmo de Extraterrestres – para se invocar o direito de alguns para exterminar todos os outos – dispensando-se factos (a Verdade) e valorizando-se decisões (mesmo que falsas lucrativas e como tal virtuosas).

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:27

13
Abr 18

Apesar de agrupados (reagrupados) mas não tendo ainda dado o salto (limitados pelo Espaço de circulação e pelo Tempo de existência proporcionados ao Homem,

 

E no entanto cansados da manipulação e do condicionamento a que temos estado sujeitos neste longo período de Homo Centrismo

(substituindo no Centro do Mundo a Terra pelo Homem)

 

Em vez de olharmos para os pés bem assentes na Terra (onde estarão certamente as Origens da Vida) continuamos sistematicamente a olhar (mesmo que inconscientemente como que em sonhos) lá para cima para o Céu:

 

Aparentemente sem limites e aí estando o Criador.

(e dadas as condições cá na Terra, num ato de desespero do Homem)

 

planets_0.jpg

A Terra, a Lua e Marte

(todos já sujeitos à aplicação do sismógrafo)

 

Num regresso ao passado em cerca de 40 anos (e recuando às missões VIKING 1 e 2 ao PLANETA VERMELHO) a missão da NASA InSight com o seu lançamento previsto para 5 de Maio (deste ano) através de um foguetão Atlas V 401 (com chegada à superfície de Marte estimada para 26 de Novembro de 2018), irá colocar de novo sobre o solo de Marte um aparelho que deteta os seus movimentos (depois de já o ter feito há uns 130 anos na Terra e há uns 50 anos na Lua): um SISMÓGRAFO.

 

PIA22320_modest.jpg

O SEIS na superfície de Marte

(Ilustração – PIA 22320 – NASA)

 

Com esse sismógrafo a ser (para além de um magnetómetro) um dos 4 instrumentos (SEIS, HP³/estudo de fluxos de calor, RISE/estudo do interior de Marte e TWINS/estudo do clima marciano) colocados a bordo do módulo de aterragem da missão InSight – o SEIS (Seismic Experiment for Interior Surface) – tendo como objetivo o registo dos sismos e outras atividades internas do planeta (para além do efeito dos meteoritos ao impactarem com a superfície marciana) de modo a melhorar ainda mais a compreensão da constituição de Marte, sua formação e evolução.

 

E para além do mais dada a sua elevada sensibilidade (ultrassensível) sendo igualmente útil na deteção de atividades atmosféricas como o serão as tempestades de areia (por exemplo os redemoinhos denominados como Dust Devil). Detetando pela 1ª vez todos os sismos registados na superfície do Planeta Vermelho sejam de origem interna como externa (e mais uma vez nunca esquecendo as sondas Vikings, no entanto e na altura dispondo de menos meios técnicos e científicos) e como segurança e proteção (a este registo, recolha e estudo detalhado de dados) utilizando um equipamento de medição duplamente protegido do ambiente exterior (extremamente agressivo, tóxico e radioativo), protegendo-o (o SEIS) das ações do vento e das grandes amplitudes térmicas marcianas (proteção exterior) assim como (através da utilização de uma redoma isolada a vacum) das ações exteriores do (mesmo) ambiente marciano (proteção interior).

 

1024px-Sagan_Viking.jpg

O cientista norte-americano Carl Sagan

(ao lado de um modelo das sondas Viking)

 

Há cerca de 43 anos com o lançamento do programa da NASA (Agência Espacial Norte-Americana) VIKING (duas sondas – Viking 1 e Viking 2 – lançadas em 1975, chegando a Marte em 1976 e com o módulo de aterragem operando até 1982/Viking 1 e 1980/Viking 2) com os primeiros aparelhos de deteção sismológica a chegarem à superfície de Marte, numa das sondas verificando-se o não funcionamento do mesmo (sismógrafo) mas com a outra (Viking 2) a funcionar em pleno e a transmitir os primeiros dados deste corpo celeste alienígena (o segundo depois da Lua e inicialmente testado na Terra): mas devido à sua deficiente colocação (não diretamente sobre o solo mas sobre o deck do módulo, causando vibrações originadas no mesmo a partir de ação exterior) e maior exposição à ação dos ventos (e tempestades de areia) com muitos desses dados recolhidos e transmitidos (para a Terra) a tornarem-se muitas vezes de difícil tradução no meio de tanto “ruído”.

 

Mas não estando por vezes assim tanto vento (ou outro tipo de intervenção/exterior como é o caso dos meteoritos) sendo possível detetar (em condições ideais, de relativa acalmia em redor) certos casos particulares: e não estando este agente presente (o vento – não incomodando se não excedendo os 2 a 3m/s) tendo sido possível de concluir existir um nível de sismicidade (possível/previsível) no interior das placas tectónicas de Marte (mais ou menos ativas) numa percentagem de cerca de 2/3 da (típica) registada na Terra, sendo ainda detetado um outro fenómeno – o Evento registado em SOL 80 (80º dia marciano de estadia no planeta) – podendo ser considerado como um Acontecimento Sísmico. Interpretado como um sismo (terrestre) podendo ter magnitude 3 e epicentro a mais de 100Km – e ainda se podendo acrescentar (sobre a geologia de Marte):

 

Preliminary interpretation of later arrivals in the signal suggest a crustal thickness of 15 km at the Utopia Planitia site which is within the range of crustal models derived from the gravity field. More events must be recorded before a firm interpretation can be made of seismicity or crustal structure“.

(Seismology on Mars/caltech.edu)

 

(imagens: sciencebuzz.org e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:57

08
Abr 18

Para o planeta Marte ser um bom local para receber terrestres teria no mínimo que ter Oxigénio (em Marte 0,2% contra os 20,96% da Terra), Água (em Marte sem água visível à superfície e com o vapor de água nos 0,03% contra os 1% na Terra com 70% da sua superfície coberta de água) e claro está um Abrigo. Passados 50 anos sobre o projeto Apollo (levando o Homem à Lua) restando talvez outros 50 para o Homem chegar a Marte – lá para2070.

 

1N576237151EFFD225P1979L0M1.JPG

Explorando o Vale Perseverance localizado

Orla ocidental da cratera Endeavour

SOL 5047

 

Lançada pela NASA de Cabo Canaveral num foguetão Delta II em 7 de Julho de 2003 (a bordo de uma sonda com o mesmo nome) – quando a Terra se encontrava a cerca de 80 milhões de Km de MARTE e em aproximação – e aterrando na superfície marciana pouco mais de seis meses depois (em 25 de Janeiro de 2004), o veículo motorizado (ou Rover) OPPORTUNITY continua a sua viagem em território alienígena tendo até ao momento percorrido mais de 45Km (uns 9 metros/dia).

 

1P576321052ESFD225P2542L6M1.JPG

Orla ocidental da cratera Endeavour

Local de trabalho Aguas Calientes

SOL 5048

 

Mais de 5500 dias depois da sua chegada a Marte (SOL = dia marciano = 24h 39’ 35’’) e a caminho da meia centena de Km de visita contínua e de profundo estudo do solo marciano (á procura de justificações geológicas para a evolução e para o estado atual do planete), com o Rover norte-americano dotado de todo o seu equipamento laboratorial e de análise assim como de transmissão de dados (comandado a partir da Terra) – e quando deveria ter durado apenas 90 dias –

 

1M576055504EFFD225P2956M2M1.JPG

Um solo induzindo-nos à existência no passado de um leito oceânico

Outrora submerso agora apenas árido e seco

SOL 5045

 

A prosseguir na concretização dos seus objetivos de estudo das rochas e de estudo dos solos e de através destes (e das suas propriedades e características) tentando descobrir provas da atividade de um outro elemento (extremamente precioso), na Cronologia (passada ou presente) do planeta Marte – com a mesma idade da Terra e de todo o conjunto (o Sistema Solar) uns 4,5 biliões de anos – sendo Elementar e a base inequívoca do nosso Segredo e Existência (como ser vivo) a ÁGUA: cobrindo uma percentagem muito próxima tanto na constituição da Terra como na do Corpo Humano.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:08

01
Abr 18

Numa ilustração de dois minissatélites MarCO previstos para orbitarem MARTE a muito curto-prazo (lançamento marcado para o início de Maio de 2018) e tendo como função principal acompanhar a missão InSight (aterrando em Marte nos finais de Novembro de 2018)

 

PIA22316.jpg

Marte – Ilustração

(PIA 22316 – Missão InSight – Instrumento MarCO)

 

– Duas missões da responsabilidade da NASA concretizadas através de um lançamento conjunto utilizando um foguetão Atlas V 401, a segunda (InSight) destinada a aterrar na superfície do planeta (estudando-o sismograficamente e a nível de transferências de calor) e a primeira (MarCO) acompanhando a missão anterior, recolhendo os dados obtidos pela mesma e posteriormente retransmitindo-os para a Terra (sobretudo em momentos críticos da entrada, descida e aterragem em Marte)

 

A visão do que poderá ser um exemplo raro de uma Visita de Estudo a um Planeta distante (a 31 de Julho de 2018 estando a menos de 58 milhões de Km) sendo acompanhada na sua viagem por duas escoltas de segurança. Algo podendo ser estendido e adaptado (utilizando estes minissatélites ou outros como os nano satélites) a projetos similares, alcançando outras distâncias mesmo que no espaço profundo.

 

No caso do ainda misterioso Planeta Vermelho com a mesma idade da Terra (e de todo o Sistema Solar uns 4,5 biliões de anos) mas sem Ar, Água e Vida (orgânica)

 

– Apenas exibindo o esqueleto (da estrutura central) o Mundo Mineral –

 

Insistindo-se na procura de algum sinal ou vestígio de algum desses elementos (ou de algum possível presságio) sugerindo um possível contrário noutro Tempo (na juventude de Marte e do próprio Sistema) e noutro Espaço (mais denso no início da expansão):

 

PIA22238_modest.jpg

Marte – Valles Marineris

(PIA 22238 – Missão MRO – Instrumento HiRISE)

 

Como o parece indicar a imagem recolhida na região do Vale MARINERIS,

 

- Na parte superior apresentando-nos camadas de material (rochoso) com texturas e coloridos diferenciados provavelmente de origem vulcânica (demonstrando-nos que o planeta já poderá ter sido outrora geologicamente ativo)

 

- E na parte inferiora (arenosa) outro tipo de material tendo sido sujeito a largo e intenso bombardeamento e a possíveis interações com água (ao longo da História Geológica de Marte).

 

Um planeta que segundo muitos cientistas poderá há biliões de anos atrás ter possuído um oceano (menor que o terrestre), possivelmente uma atmosfera (parecida com a nossa), atividade vulcânica e juntando tudo isto (porque não) até apresentando sinais de Vida orgânica (mesmo que primitiva).

 

Depois da Lua (a uns míseros 400.000Km de distância) sendo Marte o corpo celeste (o Planeta Interior) mais apetecível por colonizável

 

- Melhor só os corpos celestes (na região dos Planetas Exteriores) com água mas já muito (mais) distantes:

 

Como será o caso (tomando em consideração a distância à Terra) do planeta-anão CERES/4UA estimado em 25% de água gelada e sobretudo de Europa/5.2UA uma das luas de Júpiter com um grande oceano subterrâneo.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:50

30
Mar 18

(com a Terra entregue definitivamente e como território assumido de caça na mão de predadores inimputáveis – por oficialmente certificados e pelas vítimas aceites como intermediários – a estar definitivamente condenada: ou não fosse o Homem de hoje já um subproduto do Objeto)

 

Aproveitando mais uma vez as imagens fornecidas pela sonda norte-americana CURIOSITY a partir da superfície de MARTE (nosso vizinho e último Planeta Interior do Sistema Solar)

 

PIA22313.jpg

Monte Sharp

Tentando compreender a contribuição da possível presença de água na sua criação

(PIA 22313)

 

– Com as suas câmaras apontando para uma das referências marcianas (localizada na cratera Gale com mais de 150Km de diâmetro) desde que o módulo de aterragem tocou pela 1ª vez a superfície do planeta (a 6 de Agosto de 2012)

 

A mesma apresenta-nos mais uma vez um retrato do já famoso (por tantas vezes mencionado) MONTE SHARP (numa construção de imagens obtida no passado mês de Janeiro), realizada no 1931º dia de estadia do ROVER CURIOSITY no planeta VERMELHO: desde há mais de três anos (2014) escalando o referido monte.

 

Com o ROVER CURIOSITY circulando sobre a superfície de Marte e tendo até ao momento (meados de Fevereiro de 2018) percorrido mais de 18Km (uns 9m/dia), oferecendo-nos para nosso usufruto uma área (no centro da imagem tendo ao fundo a elevação) junto da base do MONTE SHARP onde a presença de certos minerais poderá confirmar (ou não) a presença de água (no passado) à sua superfície:

 

Talvez num passado já bastante distante (uns biliões de anos atrás) com um Oceano cobrindo parte da superfície do planeta (como na Terra, com uma menor dimensão e outras características) e provavelmente (talvez mesmo certamente, dados os indícios) ainda hoje com vestígios da sua presença, talvez à superfície ou em depósitos subterrâneos (no estado sólido).

 

E como afirmam os cientistas da NASA responsáveis pela missão,

 

PIA22312.jpg

Monte Sharp

Área assinalada na base sugerindo a presença de água no local e no passado

(PIA 22312)

 

– “This mound, which Curiosity has been climbing since 2014, likely formed in the presence of water at various points of time in Mars ancient history. That makes it an ideal place to study how water influenced the habitability of Mars billions of years ago” (nasa.gov)

 

Com o planeta MARTE apesar de todas as suas caraterísticas e alta toxicidade para a permanência e sobrevivência de seres Humanos à sua superfície (largado aí como viera ao Mundo/Terra morrendo em escassos segundos),

 

Conjuntamente com a Lua e outras Estações Espaciais (associadas no mesmo Objetivo),

 

Sendo sem qualquer tipo de dúvida o Destino dos Novos Navegadores do Presente e do Futuro (tal como já o fôramos com os Oceanos no Passado) tendo a Conquista do Espaço como novo Paradigma e a nossa Sobrevivência, resiliência e persistência (neste Universo sem limites) como o nosso inevitável (sonhado/imaginado/realizado) destino:

 

Talvez aí compreendendo o Fantástico Misterioso da nossa Exclusividade (pelo menos local) e finalmente (concretizando) transformando-nos em Mágicos (com Alma).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:48

12
Mar 18

“A ferrugem é o resultado da oxidação do ferro. Este metal em contato com o oxigênio presente na água e no ar se oxida e desta reação surge a ferrugem que deteriora pouco a pouco o material original.” (wikipedia.org)

 

Passados mais de 5000 dias sobre o seu primeiro contacto com a superfície marciana (25 de Janeiro de 2004) e já com mais de 45Km percorridos, o veículo motorizado da NASA lançado de Cabo Canaveral (em 7 de Julho de 2003) por um foguetão Delta II da Boeing, circula atualmente numa região do Planeta Vermelho (assim descrito pela sua coloração avermelhada, associada à grande presença de óxido de ferro, neste planeta verdadeiramente enferrujado) denominada como o Vale da Perseverança.

 

1P573928012EFFD1BOP2595L7M1.JPG1P573928469ESFD1BOP2597L2M1.JPG

Marte (superfície) ‒ Opportunity Rover

Nas proximidades do equador marciano

(SOL 5021)

 

“Inserida num conjunto com mais de 4,5 biliões de anos (o Sistema Solar) e suportada por um foco central a meio do seu Ciclo de Vida (a sua estrela de referência o Sol), a Terra continua a apresentar o seu extraordinário exclusivo (Vida Inteligente e Organizada surgindo do Caos e da Ordem) nunca visto noutro lado (talvez por falta de acaso e de necessidade, não se sabe é bem de quem).”

 

No decorrer do seu 15º ano terrestre de permanência do Rover Opportunity na superfície do planeta Marte (1 dia marciano = 24h 39’ 35’’ ou seja ligeiramente superior ao dia terrestre) ‒ e de momento já tendo sido ultrapassados os 5022 SOL’s de estadia ‒ com o bem maduro e experimentado veículo tendo aterrado numa região plana do planeta (Meridiani Planum) localizada bem próxima do seu equador, depois de ter saltado (para fora do seu limite) da parte ocidental da cratera de Endeavour, entrando de seguida na região do Cabo York (situado no interior do Vale da Perseverança) e daí prosseguindo a sua exploração.

 

1P573928207ESFD1BOP2596L5M1.JPG1P573929117ESFD1BOP2598R1M1.JPG

Marte (superfície) ‒ Opportunity Rover

Nas proximidades do equador marciano

(SOL 5021)

 

“Com o Futuro de Marte e com o respetivo desenvolvimento do programa de exploração do planeta (um dos irmãos e vizinhos da Terra, árido, desértico e tóxico, mas ainda não completamente calcinado e com locais à superfície talvez ainda propícios e permitindo a sobrevivência/mesmo que subterrânea com tal não acontecendo em Vénus) futuramente entregue a Privados mais interessados no lucro (colonização e mera absorção) do que na Evolução e Expansão (da Humanidade) e respetiva sobrevivência (já que sem Movimento interagindo Matéria/Energia ‒ Eletromagnética ‒ nada existe).”

 

Passados mais de 40 anos (20 de Julho de 1976) sobre a data do primeiro contacto de uma sonda espacial (módulo de aterragem) com a superfície marciana ‒ concretizado com o feito pioneiro da sonda VIKING 1 ‒ não se tendo para já detetado qualquer tipo de vestígios (ou sinais) minimamente credíveis e como tal aceitáveis da existência de Vida (ou seja da presença do Mundo Orgânico) pelo menos tal como a conhecemos na Terra, limitando-se para já a convicção (e a quase certeza) da Existência de Água e da proliferação de Cristais (ou seja da Presença do Mundo Mineral tal como sucede em todo o Sistema Solar). Com os Minerais e a Água Presente (A Coluna Vertebral do Sistema) mas sem a presença orgânica até agora não detetada (conhecida ou divulgada) ‒ de modo a possibilitar a construção de um Edifício como o Terrestre.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:42

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO