Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Troianos do Espaço

Terça-feira, 19.10.21

“Para se conhecer o Mundo onde vivemos,

tendo-se de olhar para todos os lados e nas várias dimensões.”

51595406363_d663634a74_o.jpeg

Lançamento de LUCY

 

Sempre à procura de algo de novo (no passado e no presente) que nos possa aproximar um pouco mais do Futuro que será já amanhã e atravessando um período em que a nossa sociedade e civilização se encontra num período de impasse sobre (sendo fulcral para Ocidente e Oriente) quem a irá continuar a liderar,

─ Acentuando ainda mais as nossas dúvidas e incertezas (existenciais e arte de identidade), para já (tal o bombardeamento dos Média) levando vantagem a indiferença

Face às duas únicas alternativas (hoje) existentes, de exercermos minimamente os nossos direitos sensitivos (percecionando e usufruindo do cenário), limitadas ao interior e ao exterior do nosso planeta

─ O Ecossistema Terrestre e o Espaço ─

Saturados de exploração, de guerras, de doenças, de fome e de mortes diariamente oriundos das mais diversas regiões à superfície da Terra, constantemente banalizados como se fossem lógicos e naturais (mesmo que apontando para a nossa extinção como espécie), não se tendo racionalmente outra opção senão deixar de olhar para baixo (ou mesmo para os lados, indo no final todos dar ao mesmo lugar) e começar a olhar para cima (para além da atmosfera terrestre):

LucySpacecraft.jpg

Sonda LUCY

 

Tal como já o fazem os chineses, para além da tentativa de conquistar o mercado terrestre (agora em convulsão, tendo de um lado os EUA e do outro a CHINA, com a RÚSSIA na sua retaguarda), dirigindo agora a sua grande atenção para a conquista e liderança no ESPAÇO,

─ Acompanhando e até ultrapassando (com as suas sondas, rovers estação espacial, construção de naves e até um míssil hipersónico) os EUA.

E aproveitando esta nossa necessidade (crescente) de começarmos a olhar cada vez com maior atenção, para além do nosso mundo restrito (interior/limitado), tudo o que está para além dele nas profundezas do Espaço (afinal de contas, estando-se já nos 8 biliões de almas),

Chegando a uns pequenos elementos espalhados um pouco pelo nosso sistema (planetário o Sistema Solar) e podendo-nos dar mais umas quantas informações (certamente preciosas) sobre os tempos iniciais do mesmo (de mais de 4,5 biliões de anos):

Dos tempos que se seguiram ao momento em que tudo isto (que vemos) se formou, espaço/tempo onde teriam surgido os ASTEROIDES TROIANOS ─ asteroides acompanhando a órbita de um planeta, geralmente referindo-se aos (troianos) do planeta Júpiter.

Graças à missão LUCY ─ “graças-aos-deuses” ainda nas mãos da NASA (enquanto as grandes verbas, ficam para os gastos dos privados e restantes amigos).

ta010359_lucy3-b-orbit-crop_0.jpg

Trajeto de LUCY

 

Pensando numa melhor compreensão do Sistema Solar onde vivemos (integrando 8 planetas),

─ Desde o momento da sua criação (há mais de 4,5 biliões de anos) até aos dias de hoje (de 2021 DC)

Refletindo no (nosso) Big Bang e na expansão que se lhe seguiu,

─ Até para nos posicionarmos mais corretamente (nós e a Terra) na história cronológica desta pequena parte do (nosso) Universo ─

697015main_pia16211_full.jpg

Asteroides Troianos

 

Surgindo a hipótese do estudo dos “asteroides troianos” (estando por cá desde o início de tudo) pela sua pequena dimensão, sendo atraídos por grandes objetos estando próximos (com forte campo magnético) e devido à ação de intensas forças gravitacionais (destes, sendo um grande exemplo disso Júpiter), sendo inevitavelmente capturados.

Podendo contar ─ andando por aí desde sempre ─ muita coisa da nossa história (planetária).

Missão Lucy da NASA destinado ao estudo dos “asteroides troianos de Júpiter” (chutados do Sol e acumulando-se “por lá” por ação e força do Gigante), tal como no caso da original LUCY (o esqueleto fossilizado) tentando desvendar os mistérios e a origem, mas aqui do nosso Sistema Solar:

Voando por diversos asteroides (troianos de Júpiter) de diversas dimensões (de 4Km a mais de 110Km), estudando a sua formação, composição e propriedades e para operar estando equipada com painéis solares.

A ser lançada entre outubro/novembro deste ano (de 2021) ─ efetivamente já tendo sido lançada no passado dia 16 de outubro de Cabo Canaveral ─ alcançando o Cinturão de Asteroides em 2025 e encontrando o seu primeiro “asteroide troiano” (e o seu satélite) no 2º semestre de 2027 (seguindo-se outros até ao fim da sua missão prevista para 2033).

(imagens: NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:10

ISS ─ Por impacto: à "deriva" e posteriormente recolocada

Terça-feira, 03.08.21

Tendo sido marcado para o passado dia 30 de julho de 2021 o 2º teste da missão orbital STARLINER da NASA (agência espacial governamental),

51344290465_6e8fea6af6_k.jpg

STARLINER

 

─ Contando com a colaboração da BOEING e da UNITED LAUNCH ALLIANCE (iniciativa aeroespacial privada) e com o 1º teste do STARLINER tendo ocorrido em 20 de dezembro de 2019 e sido concluído a 22 de dezembro (com o regresso da nave), mas devido a problemas técnicos surgidos, não tendo acoplado à ISS (o seu objetivo principal)

Depois de mais de ano e meio de interregno sobre o 1º teste, foi com alguma admiração dado não se conhecer o motivo (da decisão), mais um adiamento da missão agora para o dia 3 de agosto (esta terça-feira):

Não se conhecendo qualquer tipo de problemas técnicos podendo afetar a concretização com êxito da missão (colocar o STARLINER em órbita, acoplar à ISS e depois regressar à Terra), pelo que a razão de mais este adiamento teria que ser de origem exterior (ao STARLINER).

Só por esse motivo se ficando a saber de algo que noutro contexto provavelmente nunca saberíamos, quando muito “ouviríamos falar”, provavelmente pela boca de algum adepto das “Teorias da Conspiração”, logicamente ninguém lhes dando credibilidade:

Só que de facto algo se tendo passado e ocasionalmente (“acidentalmente”, sendo muitos a frequentar a ISS), sido divulgado.

International_Space_Station_after_undocking_of_STS

ISS

 

A 29 de abril tendo havido um incidente na acoplagem do transportador do novo módulo (russo) ─ o NAUKA ─ à Estação Espacial (aumentando-lhe a área interna), aquando dessa operação de junção (módulo NAUKA à ISS) com os motores auxiliares do transportador a arrancarem “inopinadamente” e a “empurrarem literalmente” a ISS para um ângulo orbital fora do estabelecido, podendo colocar a ISS em perigo:

Felizmente tendo-se conseguido controlar a situação, recolocando-se de novo a ISS na sua órbita e ângulo pré-definido, concluindo-se a instalação do novo módulo e abrindo-se de novo a janela para o novo teste do STARLINER: para amanhã (terça-feira, 3) e com esta porta estar aberta até ao dia seguinte (4 de agosto).

Um incidente entre tantos outros nunca reportados, mas passados na Estação Espacial Internacional, exposta completamente às ações do Espaço dado não estar protegida pelo nosso “manto protetor atmosférico”, podendo ter consequências ainda mais graves (nos astronautas a bordo) estando do “lado de fora” a cerca de 400Km de distância “lá no ar”, difícil para qualquer ser humano de alcançar.

132ca337a58ac7d976b95a5d681a4e17.jpg

NAUKA

 

Um impacto podendo causar danos pontuais (mas graves) ou mesmo estruturais na ISS (sendo mais violento),

─ Estação Espacial Internacional fazendo em 20 de novembro de 2021, 23 de anos de idade e estando a não muitos anos da sua “reforma” (com os chineses a já terem a sua Estação Espacial e com os russos já tendo iniciado a construção da sua)

Sabendo o que ela e os seus astronautas já sofrem impactados diariamente por “entidades invisíveis” ─ como e entre outros os raios solares e os raios cósmicos ─

E por outras bem visíveis (como partículas circulando a grande velocidade e “perfurando” a ISS), se não impactando pelo menos (sendo vistas) andando por lá ─ dando crédito às informações da presença de objetos (misteriosos, desconhecidos, nunca confirmados oficialmente) espiando do Espaço exterior próximo à ISS.

Para o Pentágono talvez podendo ser UAP’S.

(imagens: Joel Kowsky/NASA ─ Wikipedia/NASA ─ Gizmodo/NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:28

A Conquista do Espaço e o Trilho-Comercial-Privado

Segunda-feira, 26.07.21

“Nos próximos anos mais depressa seremos atingidos por uma grande catástrofe natural podendo ter consequências extremas (como a que vivemos atualmente a nível biológico ou podendo ter efeitos piores)

─ Como por exemplo por uma grande tempestade solar ou por um grande terramoto ou erupção vulcânica

Do que colocarmos uma base na LUA, quanto mais em MARTE ─ e logo colonizando-o. Colonizando quem, e o quê? Mas se tal acontecer (apontem para quando no futuro, recuarem no tempo) só se forem chineses.”

63b104c9156e0b6be2f2baaedf1bcaac55b1335b_gettyimag

No início de 2019 com a China colocando o seu ROVER na LUA,

esperando brevemente colocar lá astronautas

 

Sejamos francos e olhemos em frente.

Desde que neste mês de julho de 2021, dois dos três maiores pretendentes privados a empresas aeroespaciais (VIRGIN GALACTIC e BLUE ORIGIN) ─ substituindo no que financeiramente interessa, a agência espacial e governamental a NASA deram o espetáculo que deram (escancarando ainda mais a porta ao outro pretendente, a SPACEX),

─ A empresa de Richard Branson nem sequer ultrapassando a fonteira (separando a Terra do Espaço) e a empresa de Jeff Bezos ultrapassando-a por uns míseros Km (100Km sendo a distância)

3060483-poster-p-1-rivals-spacex-vs-blue-origin.jp

Musk (SPACEX) e J. Bezos (BLUE ORIGIN) já no ano de 2016,

sendo considerados os grandes rivais na futura Corrida ao Espaço

 

Confirmando mais uma vez tais projetos serem essencialmente a concretização de um objetivo pessoal (pelo menos nestes dois casos), não deixando, no entanto, por tal motivo, de ser simultaneamente-eminentemente comercial, que todas as pessoas com dois olhos na cara (vendo minimamente) e alguma coisa dentro da cabeça (um cérebro), concluirão rapidamente,

─ Tendo ouvido falar da Conquista do Espaço e (por associação) conhecimento da Conquista dos Oceanos ─

Que entregue nos EUA a exploração do Espaço à iniciativa Privada desviando para tal efeito verbas da NASA (antigamente à mesma sendo entregue, como financiamento da agência espacial),

space-debris-visualizing-the-risk-and-informing-st

Expandindo-se comercialmente a Exploração Espacial Privada,

um dos problemas (grave, tal como na Terra) sendo a poluição/lixo espacial

 

A mesma (NASA) tal como a conhecemos ACABOU, devido à introdução preferencial da lei dos mercados, optando-se pelo imediato e não em projetos pensados de médio/longo prazo:

Confirmando-se para os próximos anos e no que diz respeito à maior potência espacial atual os EUA ─ tendo colocado Homens na Lua, construído uma Estação Espacial, enviado naves não tripuladas, veículos motorizados, helicópteros e outros instrumentos terrestres para outros Mundos e apetrechado de novos conhecimentos, vários ramos científicos e tecnológicos, muitos deles revolucionários ─

nasa-exploration-campaign-timeline.jpg

Planos da campanha de exploração espacial da NASA (2018/26),

sugerindo até 2030 o regresso do Homem à Lua

 

A entrega da maior fatia de financiamento (dinheiro vivo investido) à iniciativa privada, sendo atribuído o restante ─ a investigação científica e tecnológica e as missões mais pequenas e mais limitadas, às sondas automáticas não tripuladas (e respetivos aparelhos motorizados como os ROVERS) ─ à NASA.

De momento e bem destacado do ainda pequeno pelotão estando ELON MUSK, o seu foguetão FALCON9 e a sua nave DRAGÃO:

Já fazendo intercâmbio espacial acompanhando nessas missões os russos (os principais fornecedores de foguetões para as idas-vindas) entre a TERRA e a ISS.

mars-colony-would-be-a-hedge-against-world-war-iii

Sendo o objetivo de Elon Musk a concretização de um filme Sci-Fi,

ou a indisponível (para já), colonização de Marte antes de 2100

 

Por este caminho e dentro de uns anos com a Virgin Galactic (comandada pelo comandante BRANSON) a explorar o turismo orbital podendo dar uns saltos até à Lua ou concretizar outros cruzeiros por regiões próximas,

Por outro lado, com a Blue Origin e dada a concorrência do rival inglês ─ sendo não um avião, mas um foguetão (um veículo mais propício, recomendado e eficaz para mais longas viagens) ─ dedicando-se prioritariamente à viagem entre objetos, neste caso o mais curto, entre a Terra e a Lua, mais tarde podendo aí criar o seu 1º Entreposto (talvez a sua Bezolândia),

E finalmente com a SPACEX (pouco fazendo na realidade por isso, no curto-prazo) continuando a sonhar com uma base na LUA (aí em colaboração com a NASA, fornecendo-lhe a nave, talvez os módulos, o foguetão) mas sobretudo com o sonho que poderíamos atribuir a um louco ─ quando o Homem tendo tudo, não consegue viver na Terra ─ a “Colonização de Marte”.

(imagens: Getty Images/nasdaq.com ─ Tavis Coburn/fastcompany.com ─ themarketforideas.com ─ NASA/aip.org ─ lifeboat.com/blog)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:24

A Conquista do Espaço: EUA, RÚSSIA ou CHINA?

Quarta-feira, 21.07.21

“Se o desinvestimento na NASA (deixando-a com o estudo da Terra e com algumas sondas automáticas) ─ por outro lado favorecendo face à componente científica, a parte comercial e para tal desviando verbas e chamando para as aplicar, os Privados ─ pode ser um indicativo do fim do Programa Espacial dos EUA, tal como sempre o conhecemos ─ sendo o seu único objetivo o Homem e o seu Futuro no Espaço ─ talvez estejamos a assistir a uma total reviravolta de expetativas espaciais de todo um planeta (com um século), com os norte-americanos a ficarem-se pela sua “Sociedade do Espetáculo” (com viagens turísticas e outros derivados mais ou menos radicais, como “prometerem-nos Marte” sem quererem passar pela Lua) e com os russos e chineses a tomarem definitivamente a dianteira: os chineses (com o seu ROVER) já fazendo companhia em Marte aos ROVERS dos EUA e (sabendo do final próximo de atividade na ISS) tendo já a sua própria estação espacial em atividade (lançado o módulo central, já estando ocupada por três astronautas chineses).”

297167main_apollo_11_946-710.jpg

NASA

Buzz Aldrin na Lua fotografado por Neil Armstrong

(1969, missão Apollo 11)

 

Vivendo a nossa vida, confinados a um único planeta e sabendo no nosso percurso, irmos divisar o que para além dele existe unicamente “à vista desarmada” (salvo as, sempre presentes e necessárias exceções) ─ tudo isto, graças à janela aberta diante de nós, proporcionada pelo Céu que nos envolve, encaixado numa moldura entre o palpável e o ali colocado, este último como que representando, o nosso futuro trilho de Vida a ser “percorrido e descoberto”

Sendo sempre com interesse e dado não se poder estar do lado de lá (do lado do Espaço exterior ao nosso planeta, para além dos limites exteriores da nossa última película de separação e proteção, a atmosfera), receber-se novas notícias vindas desse “Outro Mundo” começando logo ali ao lado ─ o ESPAÇO ─ lugar onde “por acaso” o Homem já anda há mais de 60 anos, desde que YURI GAGARIN (ainda no tempo da U.R.S.S) completou uma órbita em torno da Terra em 12 de abril de 1961.

hls-resized-2.jpg

SPACEX

Oferecendo os seus serviços à NASA

(propondo a sua nave espacial, para atingir a Lua)

 

Oito anos depois (1969) com o voo espacial tripulado APOLLO 11 ─ com os astronautas norte-americanos NEIL ARMSTRONG, MICHAEL COLLINS e BUZZ ALDRIN ─ a atingirem a Lua e a poisarem nela com o seu módulo lunar (com Neil e Buzz a bordo, ficando Michael no módulo orbital), alcançando aí o Homem e pela 1ª vez um “Mundo Alienígena”, tocando-o (NEIL com as suas botas): de uma viagem podendo-se dizer local (de alguns quilómetros, na altura um ato pioneiro), passando-se a uma viagem (num encadeado, esperando-se contínuo e sendo outro ato pioneiro) podendo ser considerada agora (evoluindo, subindo degraus a caminho do CÉU) o protótipo das “Viagens Interplanetárias”. Uma viagem ligando a Terra ao objeto localizado no Espaço e estando mais perto de nós (com os planetas mais próximos Vénus e Marte, distando de muitos milhões de Km), num percurso de ida-e-volta de vários dias e de no mínimo uns 770 mil Km (distância Terra/Lua de 384,4 mil Km).

snapshot.jpg

BLUE ORIGIN

Hoje fazendo o seu 1º voo com 4 tripulantes a bordo

(a 19 de julho 2021, um deles sendo Bezos)

 

Desse modo e depois de anos e anos de Exploração Espacial “governamental” com investimento único sendo “público” (do próprio Estado) ─ com as grandes potências espaciais de momento a serem (como as 3 grandes potências Globais) os EUA, a RUSSIA e a CHINAoferecendo todo o saber e conhecimento acumulado através da realização de estudos e de experiências levadas a cabo por milhares de Homens, ano após ano (sacrificando-se por um projeto em nome coletivo do seu país) trabalhando para o cumprimento desse objetivo pessoal/coletivo (nobre), surgindo como não poderia deixar de ser até porque o Mundo não é uma redoma (limitada, com o Homem no centro), a iniciativa Privada: para já apenas nos EUA, mas integrando um panorama global (comercial, de penetração e expansão) algo semelhante seja ele a Ocidente (EUA)  ou a Oriente (Rússia/China), com a fonte de financiamento principal e fulcral (o alicerce) a ser sempre a mesma, o Estado (e os financiamentos provenientes do mesmo, depois de protegidos/pelos primeiros e em minoria, surgindo os Privados) ─ seja no capitalismo Norte-Americano (empresa ditas “privadas”, mas financiadas pelo Estado) ou no capitalismo de estado Russo ou Chinês (empresas ditas “estatais” e financiadas pelo Estado).

snapshot 2.jpg

VIRGIN GALACTIC

Momento da sua largada com Richard Branson a bordo

(11 julho 2021)

 

Empresas Públicas, Empresas Privadas e Empresas Mistas, nunca podendo sobreviver sem o apoio do seu próprio Estado/País. E se podendo existir algo de semelhante do “outro lado” no Oriente (em qualquer local existindo sempre elites), não se tendo conhecimento de tal talvez por falta de interesse nosso (ou condicionamento), indiferença ou alguma invisibilidade (até pela distância física e nem sequer falando da parte psíquica/espiritual/mental (que como seres humanos que são, mesmo andando do outro lado de “pernas-para-o-ar”, também têm), existindo certamente do nosso lado Ocidental ─ ainda-por-cima sabendo-se fazer parte dele e logo na liderança (de tudo) os EUA ─ empresas há já há algum tempo em ação (trabalhando nos EUA): como a SPACEX (do milionário norte-americano Elon Musk/Tesla), a BLUE ORIGIN (do milionário norte-americano Jeff Bezos/Amazon) e a VIRGIN GALACTIC (do menos milionário por inglês Richard Branson/Virgin).

Nos EUA autoproclamando-se a maior potência Global (sendo-o na realidade, podendo destruir o nosso planeta Terra muitas mais vezes do que todos os outros juntos, não se indicando no entanto se sobrevivendo, quem colocariam a fazer o que eles não querem nem sabem fazer) ─ Militar, mas talvez já não o sendo a nível Económico e Financeiro (o Hemisfério Norte dividindo-se em duas partes, a Ocidental/em decadência e a Oriental/em expansão) ─ entregando-se todo o trabalho e sacrifícios (anteriores, por parte da NASA) de bandeja à iniciativa privada, presenteando-nos (esta última e agora, talvez como sempre) como justificação da sua entrada neste ramo (no ramo Espacial, mesmo que sendo um pretexto para a inovação cientifico-tecnológica, mas militar), mais “com conduto” do que com alguma essência inovadora, revolucionária, transformadora (como se estivéssemos a aguardar por “Eles”, podendo-nos indicar o caminho ─ utilizando eles sempre o mesmo, o mais seguro para eles):

chinese-crew-enters-ne.jpg

CHINA

Estação Espacial Chinesa Tianhe

(astronautas no interior do módulo central, 17.06.2021)

 

Com a SPACEX transportando já material e astronautas para a ISS, com a BLUE ORIGIN ultrapassando hoje a “Linha de Karman” (fronteira virtual separando a Terra do Espaço) em cerca de 100Km ─ com sucesso e levando consigo o jovem holandês Oliver Daemen/18 anos e a ex-astronauta Wally Funk/82 anos ─ e finalmente  com a VIRGIN GALACTIC como que demonstrando ao que vem (comercialização de viagens turísticas no Espaço) e recuperando a visão dos Vaivéns (nada de novo), levando não um foguetão mas um avião para os limites superiores da atmosfera ─ nunca atingindo o Espaço exterior (não superando a “Linha de Karman” e ficando-se por pouco mais de 80Km de altitude).

Abandonando os EUA o Espaço (como prioridade de Estado), a Rússia e a China (sobretudo esta última) substituindo-os: “agradecendo” e passando a liderar nessa mesma prioridade.

(imagens: yahoo.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:53

Missão Vénus

Quinta-feira, 03.06.21

Com a NASA a projetar num futuro próximo (final desta década/início da seguinte) duas missões ao planeta Vénus (com um custo de 1000 milhões de dólares), tendo como objetivo estudar a atmosfera do planeta e a sua história geológica ─ visitado pela última vez no século passado.

imagesvenus20191211venus20191211-16.jpeg

Vénus

 

Ao mesmo tempo que estudando a sua atmosfera tentando compreender se alguma vez terá existido um oceano em Vénus, um planeta podendo ter sido muito parecido com o que a Terra é hoje (até mesmo habitável), no entanto na sua evolução transformado num Inferno.

Verificando simultaneamente se em Vénus tal como na Terra (e estudando o seu núcleo central) existe no seu interior movimento de placas tectónicas ─ assim como alguma forma de vulcanismo ─ e de como o mesmo se manifesta ou manifestou desde a sua origem /formação.

Entre os 2 vizinhos da Terra 1 sendo interno (interior à sua órbita, mais perto do Sol que a Terra) o outro sendo externo (exterior à sua órbita, mais afastado do Sol que a Terra) e podendo ter sido num passado bem remoto mundos habitáveis (tendo o Sistema mais de 4,6 biliões de anos),

Restando talvez numa certa sequência (tendo ela existido) o planeta Terra, nele existindo Água, Atmosfera, Proteção e como nosso exclusivo Vida, num Ecossistema único e Extraordinário que um ou outro destes planetas, poderá ter usufruído no passado.

Dos 8 planetas principais integrando o Sistema Solar todos tendo uma história particular, desde os planetas descontinuados como o parecem ser Mercúrio/Vénus/Marte, passando naturalmente por nós de momento os protagonistas e finalmente alcançando os outros:

Para além da possibilidade de um outro planeta podendo ter existido, onde hoje se localiza a Cintura de Asteroides (entre Marte e Júpiter), existindo ainda e após a última ronda (eliminando Plutão e transformando-o num anão) Júpiter, Saturno e Úrano.

Certamente que num futuro esperemos que a não muito longo-prazo (pelo menos acompanhando a evolução do Sol e a Vida no nosso Sistema), ultrapassada a Lua, já instalados em Marte (colonizando-o, instalando lá uma base, um entreposto espacial),

E já com os mesmos tendo contribuído para a nossa expansão (afirmação) ─ como por exemplo o Gigante-Gasoso Júpiter funcionando como 1º escudo protegendo-nos do impacto de objetos, ou com várias das suas luas a poderem ser fontes de água

Podendo um destes Mundos ser a nossa nova casa, tal como com os Navegadores Portugueses o primeiro passo para a Conquista do Espaço e o início da Aventura do Homem na busca de Outros Mundos (outras estrelas e galáxias).

(imagem: NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:32

Mr. Peanut em Marte

Terça-feira, 25.05.21

“Á espera do Tesla Roadster e de seu piloto-astronauta Starman, enviados pela SpaceX do milionário Elon Musk. Mas quem? O Senhor-Amendoim!”

PIA24617.jpg

MR. PEANUT

(PIA24617)

Desaparecido por estes lados depois de 104 anos de permanência por cá (acompanhando-nos na Terra desde a I Guerra Mundial até ao ano passado) e reaparecendo agora em Marte (mais distante que o Sol).

 

Projetando no distante planeta MARTE a recente morte de MR. PEANUT (aos 104 anos de idade),

─ A mascote da companhia norte-americana (de “snack food”) PLANTERS, falecida estratégica e comercialmente no início do ano passado (2020) ─

Desde 1916 tornado o ícone da marca (Planters) agora detida por outra corporação do ramo (a Hormel Foods),

─ Como se compreende acompanhando um dos séculos mais importantes na evolução da Humanidade (tanto social, como científica, como tecnologicamente), dando-nos a conhecer figuras extraordinárias, opostas e no entanto, complementares como Franklin D. Roosevelt (EUA) e Joseph Stalin (URSS), influenciando o curso da II Guerra Mundial ─

E simultaneamente procurando-se de uma forma incansável a confirmação do fim de tal símbolo/pesadelo (para muitos já insuportável, pela sua extensão) ou então fixando-se na busca incessante e obsessiva do seu novo paradeiro,

Mr_peanut.jpg

MR. PEANUT

(1916/2020)

Em janeiro de 2020 num acidente com o seu Nutmobile e enquanto viajava com dois companheiros que se salvaram (um deles sendo Wesley Snipes), ao tentar evitar e atropelar um tatu, despenhando-se com o veículo/explodindo e falecendo.

 

“The south polar residual cap is constantly changing as carbon dioxide sublimates from steep slopes, enlarging pits, and condenses on flat areas, filling pits.” (NASA)

Sendo natural que após uma pequena observação de qualquer tipo de cenário real/imaginário e/ou presencial/à distância, vejamos o que antes queríamos ver, mas que depois não conseguíamos concretizar:

Ressuscitando em Marte o “Lázaro dos Amendoins”.

Com a NASA a editar esta segunda-feira (24 de maio) uma imagem da calote do polo sul marciano, na sua apresentação visual atual e aprofundando a imagem (até ao pormenor), podendo-se ver o que poderia muito bem representar a figura/silhueta do agora ausente (na Terra) Mr. Peanut:

Talvez não estando morto, apenas tendo viajado para um Outro Mundo. E para tal descoberta servindo-se da missão e da sonda MRO (em órbita do planeta) e do seu precioso instrumento (de observação) HiRISE.

(imagens: photojournal.jpl.nasa.gov ─ wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:31

Será que Marte Aceita o Homem (talvez de volta)?

Terça-feira, 11.05.21

“Depois de todo o sacrifício físico e do isolamento mental e forçado de mais de um ano (devido à Pandemia), a Humanidade estará certamente mais preparada do que nunca, para o impacto da existência de alienígenas e até para uma viagem coletiva até Marte.”

marsexpress_cerberus_fossae.jpg

As falhas de Cerberus

(a 15°N do equador de Marte)

 

Mantendo viva ainda hoje a considerada forte possibilidade de um dia habitarmos o corpo celeste mais próximo de nós capaz de nos proporcionar tão excecional usufruto (só podendo ser para além da Lua ─ sendo apenas um satélite ─ os planetas Vénus ou Marte) e simultaneamente e tendo abandonado a Lua há mais de meio século (continuando a razão para além da invocada, a económica, a ser um mistério) continuando o Homem completamente obcecado com a conquista e colonização do planeta mais parecido com a Terra e que um dia até poderá ter partilhado um ecossistema muito semelhante ao nosso e possuindo Vida ─ o Planeta Vermelho (devido à presença de óxido de ferro) ou Marte

Encarando-se com normalidade as sucessivas mensagens encorajadoras para a prossecução de tal importantíssimo empreendimento para o futuro da Humanidade (da sua expansão e desenvolvimento), tanto vindo do setor do estado (EUA/NASA) como da iniciativa privada (ELON MUSK/SPACEX), tanto pela sua expressão teórica como prática (estudo de Marte, construção de naves espaciais): e se a iniciativa privada com a SPACEX e a BLUE ORIGIN procuram equipar-se de veículos que os façam cumprir o seus objetivos, de atingir, aterrar, instalar uma base, criar aí uma colónia e um futuro entreposto espacial (para outras viagens futuras como as Interestelares), já com a NASA e não abdicando do seu projeto próprio (de enviar igualmente astronautas a Marte) investindo para já fortemente num melhor e mais detalhado conhecimento de Marte através do envio de sondas automáticas, veículos terrestres (ROVERS) e agora até pequenos helicópteros experimentais (como o pioneiro INGENUITY).

Cerberus Fossae 04 by Themis.jpg

Região de Cerberus

(estendendo-se por mais de 50Km)

 

E (ainda) se por um lado os protótipos dos diferentes veículos espaciais vão sendo construídos e testados tendo como objetivo atingir Marte ainda esta década (faltando mesmo muita coisa para tal se concretizar, uma delas sendo as condições de segurança dos astronautas para tão longa viagem, não de dias, mas de meses), evoluindo e permitindo-nos pensar em tal hipótese (como alcançável/credível), por outro lado os cientistas não param de nos surpreender cada dia que passa descobrindo algo mais aproximando cada vez mais este planeta do nosso:

Depois de no seu passado bastante remoto (há mais de 3 biliões de anos) e além de geologicamente bastante ativo, poder tal como a Terra ter estado coberto parcialmente de água (um oceano), ter atmosfera e até possuir alguma forma de Vida (mesmo que básica) e de complementar e atualmente ainda existirem alguns depósitos de água à sua superfície (calotes polares) ou em depósitos em profundidade e pelos vistos e interiormente sinais de movimentos tectónicos/vulcânicos (indicando que geologicamente Marte ainda está vivo), com o desejo por Marte a crescer (um pouco mais) ainda por cima estando nós a passar no presente (e desde há mais de um ano) o que poderia ter sido uma Catástrofe Biológica Apocalíptica ao nível da extinção, não o sendo mas podendo vir a sê-lo (atingindo-nos antes de um eventual asteroide).

Screenshot_2021-05-11 SpaceX.jpg

Planeta Marte

(considerado o mais habitável nas proximidades da Terra)

 

Com a sonda orbital MRO a dar-nos uma ajuda de cima (observando as fraturas/e a sua idade, existentes na superfície do planeta) ─ verificando a existência de umas velhas/2biliões a 3 biliões de anos, outras novas/100 mil a 1 milhão de anos e outras mais recentes/50 mil a 200 mil anos ─ e com o módulo marciano INSIGHT uma visão do interior (equipado de um sismógrafo, registando as movimentações geológicas abaixo da superfície) mostrando-nos o “monstro” (bem lá no fundo) estar vivo. Tendo o sismógrafo da INSIGHT já registado um sismo de intensidade M3,0 e com a sonda MRO a já ter detetado material rico num mineral os piroxénios (comum de aparecer em zonas vulcânicas): um importante grupo de 21 inossilicatos de cadeia simples encontrados em múltiplas rochas ígneas e metamórficas, em muitas das quais constituem o grupo mineral dominante. (wikipedia.org)

Com cada vez mais evidências a indicarem uma possível ligação Terra/Marte, podendo um destes objetos ser a imagem do outro (dependendo do tempo, em que um poderá ter sido ou vir a ser o outro, em alternativa), aumentando por antecipação e necessidade de alguma ficção (até tecnológico-científica) a crença, de que o futuro do Homem estará com os Astronautas na Conquista dos “Oceanos” do Espaço tal como antes o fizera (com riscos mortais) com os Navegadores (entre eles portugueses) Conquistando os Oceanos da Terra: um dia tendo-se que abandonar este sistema (Solar) e esta galáxia (Via Láctea), já por si (a nossa galáxia) em rota de colisão com uma outra (galáxia de Andromeda) e indo dar origem (por fusão de ambas) a uma terceira. Utilizando uma tecnologia capaz de dobrar a luz, podendo dobrar-se o Universo fazendo-o coincidir (dois pontos distintos) e tornando desse modo as viagens instantâneas.

(imagens: ESA ─ NASA ─ SPACEX)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:31

Helicóptero Ingenuity ─ Véspera do 1º Voo Fora da Terra

Sábado, 10.04.21

Este domingo (11) com transmissão direta NASA TV e ligando como cum um apêndice e ao vivo a Terra ao planeta Marte, podendo-se assistir ao 1º voo de um helicóptero com remetente terrestre e movimentando-se sobre uma superfície estranha (extraterrestre), observando de um ponto privilegiado (em altitude) a casa do seu destinatário: já pronto bastando ligar e voar (testar, o objetivo).

 

1-pia24547-mastcam-z_gives_ingenuity_a_close-up.jp

Helicóptero INGENUITY em espera

5 de abril 2021

(SOL 45)

 

Preparado para a sua intervenção histórica como Robot-dedicado e precursor do aparecimento da provisória Máquina-biológica, dando por sua vez e no futuro origem à Máquina-cibernética, a máquina-automática INGENUITY um robot-dedicado à movimentação aérea e adaptado a partir de um modelo de um  helicóptero, encontra-se desde já em alerta e com as suas pás bem  posicionadas (pontualidade e qualidade duas vantagens da Máquina relativamente ao Homem), para no próximo dia 11 de abril por volta das 22:30 (hora de Lisboa) efetuar o 1º voo  (que não na Terra) de um veículo motorizado aéreo num mundo alienígena (feito da Máquina/crédito do Homem):

 

PIA24581.jpg

INGENUITY já com as pás-de-fora

8 de abril 2001

(SOL 47)

 

Sendo esse mundo o Planeta Vermelho (cor devida à presença de óxido de ferro, cor-de-ferrugem) e a região marciana onde se realizará o teste (de voo) a cratera de Jezero ─ local onde o ROVER PERSEVERANCE (outro Robot-dedicado, apesar de igualmente jovem, por conhecimentos consolidados, sendo mais experimentado) foi após uma longa viagem (Terra/Marte) posicionado, libertando posteriormente o helicóptero que transportara. Ficando o nome na História do Homem e o momento na História da Máquina ─ até porque ela (a máquina) no futuro e mesmo que dominando o Mundo Material em nada nos afetará, estando o Homem num nível Espiritual como criador e Deus, num flash desaparecendo, tornando-se incorpóreo e como tudo o que não se sente invisível (e pelo mistério, desejado).

 

(imagem: NASA/JPL-Caltech/ASU)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:41

Perseverance (já) em Marte

Sexta-feira, 19.02.21

“Cheers erupted in mission control at NASA’s Jet Propulsion Laboratory as controllers confirmed that NASA’s Perseverance rover, with the Ingenuity Mars Helicopter attached to its belly, has touched down safely on Mars. Engineers are analyzing the data flowing back from the spacecraft.”

 

nhq202102180017.jpg

 

“NASA’s Perseverance Mars rover has sent back its first image(s) from the surface of the Red Planet. The image(s) come from Perseverance’s Hazard Avoidance Cameras (Hazcams), which help with driving. The clear protective covers over these cameras are still on. These first images are low-resolution versions known as thumbnails.”

 

(texto: Naomi Hartono/blogs.nasa.gov ─ imagem: NASA/Bill Ingalls/nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:22

Perseverance

Quinta-feira, 18.02.21

“Pelas 14:10 desta quinta-feira e com 99,89% da viagem já concluída, com a sonda espacial PERSEVERANCE viajando a uma velocidade de mais de 76.000Km/hora, a situar-se a pouco menos de 500.000Km de Marte. Tocando a superfície marciana pelas 20:00.”

 

juntosperseveramos_promo_social.jpg

 

Num Evento Interplanetário ligando o nosso planeta ao Planeta Vermelho (atualmente a cerca de 200 milhões de Km) e iniciado em 30 de julho de 2020 em Cabo Canaveral (Flórida/EUA), conclui-se hoje (18 de fevereiro de 2021) por volta das 20:00 a longa viagem (cerca de 470 milhões de Km) de mais uma sonda espacial (produzida nos EUA e da responsabilidade do JPL/NASA): com a sonda espacial norte-americana PERSEVERANCE a entrar em órbita do planeta Marte (com o seu orbitador) e de seguida aterrando à sua superfície (na cratera JEZERO), lá colocando o ROVER com o mesmo nome (integrando a missão MARS 2020) devidamente apetrechado para além do próprio ROVER PERSEVERANCE (o veículo motorizado habitualmente utilizado à superfície) equipado de várias câmaras e igualmente de microfones, estreando-se nesta missão um novo veículo (numa ação nunca antes concretizada) igualmente motorizado mas aéreo, o helicóptero INGENUITY. Podendo ser acompanhado ao vivo através da INTERNET utilizando a página da NASA ou as redes sociais (Twitter, Facebook, YouTube), num episódio da série “Missão Marte 2020” a transmitir (programado) a partir das 19:00. Uma missão até pelo lugar de contacto escolhido ─ uma bacia à superfície do planeta podendo (segundo os cientistas) ter estado num passado bastante remoto submersa ─ procurando vestígios da existência de Água (no passado, talvez em depósitos subterrâneos no presente) e ainda de Vida (tal como na Terra acompanhando esse possível ciclo da água); e ainda sendo mais valorizada por mais uma função atribuída ao ROVER e ao HELICÓPTERO, tendo que num trabalho conjunto recolher amostras (da superfície marciana) e guardá-las para uma próxima missão a Marte (então sendo enviadas para a Terra).

 

(imagem: mars.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:13