Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Nuvens Noctilucentes ─ Parece, mas não é

Quinta-feira, 04.02.21

Quando julgava estar a assistir no céu (nas proximidades do aeroporto de Richmond, capital do estado da Virgínia/EUA) a um espetáculo de nuvens noctilucentes (“nuvens que brilham de noite”/wikipedia.org), eis que na realidade o que estava a observar (o norte-americano Curt Morse) era o resultado de um fenómeno artificial:

 

Curt-20210204_061352_1612439049.jpg

Rocket clouds

(as nuvens artificiais)

 

Com este tipo de nuvens nunca aparecendo no Hemisfério Norte nesta altura do ano (spaceweather.com) nunca podendo estas ser definidas (ao aparecerem) como um fenómeno natural, restando apenas e como única alternativa a intervenção humana.

 

Cenário construído em torno de um evento levado a cabo no dia deste registo fotográfico (4 de fevereiro), o lançamento de um foguetão por parte da agência espacial privada Space X, de mais 60 satélites de comunicação (e internet) Starlink:

 

Helkivad_Ööpilved_(2).jpg

Noctilucent clouds

(as nuvens naturais)

 

Apresentando-nos no céu noturno nuvens brilhantes, como resultado da ação na atmosfera dos gases de exaustão do foguetão.

 

[“As nuvens noctilucentes podem ser vistas somente à noite. São formadas nas imensas altitudes de 75/90 km. As primeiras registadas foram em 1883, alguns anos após a erupção do vulcão Krakatoa, o que faz certos estudiosos afirmarem que as nuvens noctilucentes e os vulcões estão relacionados.”] (kidbentinho.com)

 

(imagens: Curt/spaceweathergallery.com e wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:31