Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Mar 15

"Só nas monarquias é que o rei podia designar o seu sucessor"
(Diogo Freitas do Amaral)

 

il_340x270.214050557.jpg

 

O Rei vai Nu – Conto tradicional Português

 

Era uma vez um rei muito vaidoso e que gostava de andar muito bem arranjado.
Um dia veio ter com ele "uma costureira modista", que lhe falou assim:
- Majestade: sabemos que gosta de andar sempre muito bem vestido – bem vestido como ninguém; e bem o mereceis! Descobri um tecido muito belo e de tal qualidade que os tolos, que o rodeiam não são capazes de o ver. Com um fato assim Vossa Majestade poderá distinguir as pessoas inteligentes dos tolos, parvos e estúpidos que não servirão para a vossa corte, mas eu como humilde serva aqui estou para que Vossa Majestade possa desfrutar desta grandeza
- Oh! Mas é uma descoberta espantosa! Respondeu o rei. Tragam já esse tecido e façam-me o fato; quero ver as qualidades das pessoas que tenho ao meu serviço.
A costureira com um ajudante tirou as medidas e, daí a umas semanas, apresentou-se ao rei dizendo:
- Aqui está o fato de Vossa Majestade.
O rei não via nada, mas como não queria passar por parvo, respondeu:
- Oh! Como é belo! Oh! Como me sinto dono do Mundo!
Então os dois, a costureira e o ajudante, fizeram de conta que estavam a vestir o Rei. A notícia correu toda a cidade: o rei tinha um fato que só os inteligentes eram capazes de ver!
Um dia o rei resolveu sair para se mostrar ao povo. Toda a gente admirava a vestimenta, porque ninguém queria passar por estúpido, até que, a certa altura, uma criança, em toda a sua inocência, gritou:
- Olha, olha! O rei vai nu!

 

(conto e imagem: O Rei Vai Nu – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:29
tags: , ,

29
Jul 12

Avistamento de objeto voador não identificado vindo do mar e dirigindo-se em direção às instalações de radar instaladas na Foia, ocorrido num fim de dia deste mês de Verão

                                                 

Já nada pode deter o crescente poder dos alienígenas em Portugal e a sua influência preponderante sobre o desenvolvimento turístico da nossa região algarvia. Com a atual crise económica a alastrar a diferentes continentes e mercados mundiais, até agora imunes e sem ligação à dependência dos outros, uma nova janela de oportunidade se abre à nova colonização vinda do espaço exterior, face ao desprezo com que a raça humana trata a sua própria espécie e à esperança que ainda preservamos – em sonhos não publicados – de nos encontrarmos com o duplo ideal, aquele que nos iria representar durante toda a nossa vida, de modo a podermos usufruir tranquilamente e em segredo, da terra desde sempre prometida.

 

Os radares da Foia poderão estar a colaborar secretamente e já há muitos anos – apoiados pelo encobrimento de entidades poderosas – com o esforço extraterrestre de ocupação

 

O pacto secreto que levou durante anos consecutivos ao encobrimento da cedência dos radares instalados na Foia pelo anterior presidente da Câmara de Monchique a entidades exteriores ao interesse das comunidades locais, acaba agora por ser finalmente posto a nu, através da denúncia de um dos seus funcionários recentemente desativados, sobre a existência de uma base subterrânea de prospeção terrestre aí construída e com ligações estratégicas aos tuneis associados à barragem do Alqueva. Além dessa função de controlo de movimentos e prevenção de acontecimentos não previstos, a base da Foia seria responsável pela emissão de um canal de sinal aberto e grátis, sem qualquer tipo de ligação aos intrusos do MEO e da ZON e cujo objetivo primordial seria o de condicionar subliminarmente a população algarvia, às virtudes ainda não descobertas da ética e da moral de “quem pode e manda”.

 

A barragem do Alqueva seria para os extraterrestres um bom local de refúgio, não só pela sua centralidade, redes subterrâneas de comunicação e capacidade volumétrica de expansão

                   

Um alentejano residente há mais de cem anos nas proximidades da cidade de Beja e que assistiu durante estes dois últimos séculos a toda a evolução e pregresso registado nesta região do sul de Portugal, afirma perentoriamente que a construção desta barragem foi decidida ainda no tempo de António de Oliveira Salazar, resultando de um acordo estabelecido em Santa Comba Dão entre o Governo português e a Igreja Católica Romana, após o fenómeno paranormal sucedido em Fátima e que registou – como demonstram documentos a que afirma ter tido acesso – a presença nunca confirmada oficialmente de uma forte embaixada extraterrestre. O segredo principal revelado pelos extraterrestres – mais tarde fortemente manipulado e adulterado na sua mensagem, através da intervenção teatral das juventudes universitárias, coadjuvadas pela ação da mocidade portuguesa, dos escuteiros e das catequistas – foi que e mais cedo do que pensávamos, seriamos de novo todos escravizados e agora milagrosamente, em nosso nome, da santíssima liberdade e da preservação da espécie.

 

Instalação de comunicação avançada, ao serviço dos extraterrestres e direcionada para o aperfeiçoamento do controlo mental das populações indígenas

                   

A barragem do Alqueva estaria agora a servir de cobertura a uma instalação secreta de centralização de comunicações com sede na Península Ibérica e que coordenaria todas as movimentações dos extraterrestres e dos seus aliados para uma futura (e cada vez mais próxima) campanha coordenada de invasão e ocupação. Estas movimentações teriam a colaboração de entidades oficiais anteriormente selecionadas, contactadas e previamente lobotomizadas.

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:47

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO