Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Jul 19

[Azar o nosso − homens e mulheres − pois as mudanças não se dão (não gostamos todos de ser tomados como idiotas, mesmo que certificados e remunerados) mantendo-se o tronco e mudando-se apenas o género.]

 

Com o novo Presidente do Parlamento Europeu

URSULA VON DER LEYEN −

a tirar o CETRO “ao nosso DURÃO BARROSO”, tornando-se na candidata a ser eleita para o cargo (na prática e factualmente “Engolida e Dificilmente Digerida”) com mais votos contra (383 a favor, 327 contra e 22 abstenções).

Certamente e pela (nossa) experiência um sinal (Mau).

 

ng-39e5cb22-e57c-4108-807b-c5c6a4a4d621.jpg

Ursula Von Der Leyen

Presidente do Parlamento Europeu

Pela CDU/PPE

(tendo sido Ministra "promovida" da chanceler alemã Angela Merkel)

 

Mais um episódio da “Triste História” em que se transformou o PARLAMENTO EUROPEU, não desejando aprender com a experiência, mas prosseguindo com a replicação (com o mesmo Molde, de modo a manter a situação), após a eleição de JOSÉ MANUEL BARROSO (o 1ºMinistro que abandonou Portugal e os portugueses, por um melhor e mais bem remunerado emprego na Europa) como presidente do Parlamento Europeu no período de 2004 a 2014 (recordista praticamente igualando o socialista Jacques Delors) − contando com o apoio norte-americano (inglês e espanhol) pelo seu envolvimento na Cimeira das Lages (enquanto 1ªMinistro de Portugal e atraiçoando o seu Presidente Jorge Sampaio) levando à Invasão e Destruição do Iraque baseado na posse por parte deste (país árabe curiosamente rico em petróleo) das célebres Armas de Destruição Maciça (uma “FAKE NEWS”) – em mais um momento que deveria ser Fundamental e de Inovação para todo o continente Europeu (para a EU mas não só) opta por prosseguir no que considera ser o caminho (aparentemente) mais seguro e tranquilo (não provocando grandes ondas entre as elites políticas dominantes e alternando-se no poder), mas simultaneamente e em contrapartida (extremamente negativa por estática) de indecisão e de subordinação logo quando as nuvens escuras (anunciando uma nova Crise) parecem querer de novo aparecer no horizonte: depois de quase 5 anos com Jean-Claude Juncker (PPE) na cadeira (outra “boa” peça, mas simpática), com o Parlamento Europeu a escolher um novo José Manuel Barroso mas agora no feminino (para a sua presidência), calhando desta vez (e ao contrário do que queria António Costa, mas no final com o voto do mesmo/da esquerda na direita) a alemã  URSULA VON DER LEYEN (sendo uma das formas de a afastar com Cartão Dourado, sendo colocada como muitos no Parlamento Europeu, depois de despachada por incompetência do seu Governo). Sugerindo um período cinzento para a EUROPA (“Uma Velha Vivendo dos Rendimentos, pouco se importando com os Outros e Descendentes”) − com os refugiados, com o Brexit, com uma nova guerra a Oriente, com a subserviência aos EUA − enquanto o Eixo do Mundo se vai deslocando IRREVERSIVELMENTE do Atlântico (Washington/América/Europa) para o Índico/Pacífico (Pequim/China/Ásia).

 

(imagem: Vincent Kessler/Reuters)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:23

29
Abr 19

Numa análise aos resultados, com a Esquerda a conquistar 185 lugares, a direita 155 lugares e com os restantes 10 lugares a irem para coligações de várias ideologias. Significando a subida do PSOE ao poder (com maioria relativa), obrigatoriamente coligado com outras formações do mesmo espectro ideológico (PODEMOS, ERC, BILDU ou COMPROMISSO) − de modo a assim alcançar a Maioria Absoluta (176 Lugares). Sendo o mais evidente uma coligação PSOE/PODEMOS/ERC (representando 180 lugares) com o PSOE no Governo e com o PODEMOS/ERC a apoiarem-no no Parlamento.

 

2019-04-28T214009Z_1_LYNXNPEF3R0QJ-OCATP_RTROPTP_2

Celebrando em Madrid

A vitória do PSOE nas Eleições para o Parlamento em Espanha

(28.04.2019)

 

P

Id

Votos

%

L 2019

G/P

PSOE

E

7.476.537

28,7

123

+38

PP

D

4.352.835

16,7

66

-69

CIUDADANOS

D

4.133.538

15,9

57

+25

PODEMOS

E

3.730.653

14,3

42

-24

VOX

D

2.675.455

10,3

24

+24

ERC

E

1.019.320

3,9

15

+6

JUNTS

-

497.536

1,9

7

-1

NAC. BASCO

D

394.627

1,5

6

+1

E H BILDU

E

258.840

1,0

4

+2

CC-PNC

-

136.923

0,5

2

+1

NAVARRA S.

D

107.124

0,4

2

0

COMPROMISSO

E

172.360

0,7

1

+1

PRC

-

52.197

0,2

1

+1

Total

-

36.893.976

-

350

-

Maioria: 176

(P: Partido Id: Ideologia L 2019: Lugares em 2019 G/P: Ganhos/Perdas E: Esquerda D: Direita)

 

Verificando-se uma estrondosa derrota do PP − nem se percebendo bem a não demissão do seu líder ou a marcação de um congresso extraordinário (talvez motivado pela proximidade das Eleições Europeias) – perdendo mais de metade (51%) da sua representação parlamentar anterior (Eleições de 2016), maioritariamente deslocando-se para CIUDADANOS e VOX (mais de 70%). E uma inversão de posição entre PODEMOS (perdendo 24 lugares) e CIUDADANOS (ganhando 25 lugares). No restante mantendo-se tudo muito semelhante e realçando-se (mais uma vez) a vitória do PSOE: agora na Península Ibérica partilhando o poder com o seu congénere português − o PS (o tal tendo a patente da Geringonça).

 

(imagem: Sergio Perez/Peuters/yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:40

22
Dez 17

Realizado o ato eleitoral para o novo parlamento da CATALUNHA (tido como A Solução), tudo ficou na mesma (parecendo mesmo de propósito) ‒ colocando de novo o processo (a iniciativa) nas mãos dos autores do artigo (155).

 

INDEPENDENTISTAS ‒ 70 mandatos

NÃO INDEPENDENTISTAS ‒ 57 mandatos

(Expetantes ‒ 8 mandatos)

 

1513891600_657702_1513899921_noticia_fotograma.jpg

Carles Puigdemont

Com os seus apoiantes JUNTS/CAP a ficarem em 2º mas juntamente com os seus aliados Independentistas ERC e CUP mantendo a maioria no Parlamento da Catalunha

 

P/C

Eleições 2015

Eleições 2017

Cidadãos

25

36

JUNTS/CAP

62

34

ERC

-

32

PSC

16

17

Podemos

11

8

CUP

10

4

PPC

11

4

(P/C: Partido/Coligação)

 

Com a vitória de CIDADÃOS nas eleições da CATALUNHA um partido centrista e anti independentista (e de uma forma algo surpreendente) derrotou todas as formações Independentistas (3) sendo de todos os candidatos o mais votado: com 36 mandatos conquistados (dos 135 no total) sendo o mais representado no parlamento, deixando logo atrás de si o JUNTS/CAP de Carles Puigdemont (com 34 mandatos) e a Esquerda Republicana/ERC (com 32 mandatos).

 

 Opção Política

Eleições 2015

Eleições 2017

Variação

Independentistas

72

70

-2

N/Independentistas

52

57

+5

Expetantes

11

8

-3

(Maioria com 68 mandatos)

 

E tendo como grandes derrotados o PODEMOS (de esquerda) /perdendo 3 mandatos, a extrema-esquerda/CUP/perdendo 6 mandatos e sobretudo com uma estrondosa derrota o PPC (versão catalã do PP) /perdendo 7 mandatos; e com os socialistas do PSC a serem a 4ªforça alcançando mais um mandato. No final do dia 21 de Dezembro e na sequência do Artigo 155 (decretado por Madrid) perdendo os Independentistas 2 mandatos (passando do 72 para 70), os expetantes do PODEMOS 3 mandatos (passando de 11 para 8) e ganhando os Anti Independentistas 5 mandatos (passando de 52 para 57): mantendo-se a Maioria pela Independência com 70 mandatos (maioria 68) e os oposicionistas com 52.

 

(imagem: Stephanie Lecocq/ EFE/EL PAÍS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:11

30
Jan 15

No dia 17 de Março deste ano o estado de Israel vai realizar as eleições para a escolha do seu novo Parlamento, do qual dependerá a formação do seu novo Governo.

 

mapa-israel.gif

 

Neste momento as sondagens indicam que os Trabalhistas israelitas vão à frente (centro-esquerda), apesar de no seu conjunto as forças de Direita terem no seu conjunto maior percentagem (52-41).

 

Partido Sector Lugares
Lavor/Livni  Centro-Esquerda  25
Likud  Direita  23
Jewish Home  Direita  15
United List  Árabe  12
Yes Atid  Centro-Esquerda  10
Kulanu  Direita  8
Shas  Ultra-Ortodoxos  7
UTJ  Ultra-Ortodoxos  7
Meretz  Centro-Esquerda  6
 Israel Beiteinu  Direita  6
 Ha'am Itanu  Ultra-Ortodoxos  1
 Total Lugares  ---  120

(maioria: 61 lugares)

 

No entanto e como sempre acontece em Israel os pequenos partidos poderão ter um importante papel a desempenhar nestas eleições, neles se incluindo os partidos ultra-ortodoxos (15) e a coligação árabe (12).

 

Neste momento tudo ainda pode acontecer, com a decisão final a ser tomada pelos eleitores no próximo mês de Março e com os resultados a dependerem daquilo do que até lá se poderá passar: em Israel e fora de Israel.

 

Sector Lugares
Direita 52
Centro-Esquerda 41
Ultra-Ortodoxos 15
Árabes 12

 

Estes valores representam os valores médios aproximados de três sondagens realizadas em Israel entre os dias 26 e 27 de Janeiro.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:48

31
Mai 12

PM em cuecas quase invisíveis para controlo de material

 

Após presença no Parlamento para esclarecimento definitivo do caso Secretas/Público/Relvas, o PM – à semelhança do seu antecessor com os fatos e os sapatos – partiu para os EUA onde irá participar numa campanha lançada por uma empresa de roupa interior cujo tema será o da transparência, tema tão grato aos nossos políticos, amigos colecionadores das algibeiras dos outros.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:36

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO