Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

07
Mar 15

Para se ter uma boa semana de trabalho (ou até de lazer e de preguiça) a primeira condição a respeitar é que a mesma tenha sido antecedida por um excelente fim-de-semana. E os animais são uma excelente receita para isso (um petisco) e pela sua naturalidade um pretexto inigualável (e que devemos degustar). Eles apreciam-no muito e por respeito para com os amigos devemos retribuir-lhes o gesto. E um bom fim-de-semana.

 

8iVy7t6.jpg

Ajudantes e hóspedes

 

Estes indivíduos de quatro patas têm agora em MIAMI um parque que lhes é exclusivamente destinado: desde actividades lúdicas e educativas, passando pelos cuidados com a sua saúde e higiene e até desfrutando da possibilidade de aí poderem pernoitar, estes adoráveis bichinhos têm agora nas pessoas de ANDRES e NATALIE e dos seus dedicados ajudantes BAILEY, SHADOW, SOKEE e FIJI (três cães e uma catatua), uma equipa de verdadeiros profissionais e amigos sempre prontos e disponíveis para os acompanharem nas suas horas de maior necessidade.

 

index.jpg

Bailey, Shadow, Sokee e Fiji

 

Sob a batuta de dois apaixonados por animais especialmente atraídos por estes amigos de quatro patas, esta paixão conjunta acabou por se concretizar num projecto bastante interessante e de sucesso (tanto para os cães como para os seus donos) além de se tornar para ANDRES e NATALIE numa excelente opção de vida pessoal e profissional. Exercício, confiança, respeito, amor e amizade (entre os donos e os seus cães), são os lemas deste notável grupo de pessoas e de animais trabalhando em conjunto e objectivamente contribuindo para o bem de todos (de toda a comunidade).

 

22 dogCLO 0718 ADDA.JPG

Natalie e Andres

 

“Dogs have no need nor do they care for luxurious pet hotels. Dogs have needs that must be met and the bottom line is dogs just want to be dogs.” (thebarkhaus.com)

 

(imagens – BARKHAUS MIAMI/MIAMI HERALD)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:44

31
Dez 11

Lobo – regressa em 1996 após 70 anos de ausência

 

O regresso dos lobos ao seu habitat natural contribui para o renascimento da vida e de um ecossistema saudável no parque de Yellowstone. Mesmo assim e apesar dos erros tremendos e criminosos anteriormente cometidos pelos especialistas de sempre, ainda há gente que pretenda retomar de uma forma corporativa e consciente, a cruzada contra os culpados do costume – neste caso, os lobos.

 

Lobo abatido – 1905 (última matança oficial em 1926)

 

Desde as origens do parque nacional de Yellowstone que foi permitido o abate de todos os predadores que aparecessem no caminho dos seus visitantes. Sendo um predador inteligente e sem grandes inimigos a considerar, o lobo foi logo considerado um animal indesejável e perigoso, sendo no entanto muito vulnerável à acção persistente dos seus caçadores. Por esse motivo e com o provável objectivo de o proteger, a caça ao lobo foi rapidamente proibida em 1886, quando o exército americano tomou o parque à sua responsabilidade. Mas mesmo assim os lobos foram sendo abatidos sistematicamente, até desaparecerem completamente em 1926.

 

Reintrodução do Lobo – 1996

 

Se no dia 1 de Março de 1872, Yellowstone se tornou o primeiro parque nacional a nível mundial, o seu primeiro objectivo foi sempre o de preservar a área dos géisers e das outras maravilhas geotérmicas ali existentes. No fundo os lobos não eram ditos nem achados para a questão, simplesmente não existiam. Só mais tarde é que foi reconhecida a importância da sua permanência em Yellowstone, de modo a evitar-se rupturas perigosas no ecossistema existente.

 

      

Recuperação da vegetação (1996) e reintegração do Lobo

 

(earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:49

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO