Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Terra, o Espaço e o novo Telescópio JAMES WEBB

Sexta-feira, 31.12.21

[Mais uma obra do Homem não graças aos privados (obviamente a sua primeira e natural preocupação sendo o lucro e não o risco, eles), mas às organizações estatais norte-americanas, canadianas e europeias (a sua única preocupação sendo científica, o aumento do nosso conhecimento, todos nós).]

51772450368_98d41fa04d_b.jpg

Foguetão ARIANE 5

(transportando o telescópio JAMES WEBB)

Lançado a 25 de dezembro (deste ano) do Centro Espacial de KOURU (localizado na Guiana francesa) ─ uma base de lançamento espacial da ESA e numa operação conjunta ESA (Europa), NASA (EUA) e CSA (Canadá) ─ em direção ao segundo PONTO de LAGRANGE (L2), ponto onde as forças gravitacionais de dois corpos (Terra/Sol) se anulam (entre si) ─ um local do ESPAÇO considerado ótimo para daí observar o UNIVERSO, localizado na linha TERRA/SOL a cerca de 1,5 milhões de Km do nosso planeta ─ um local já anteriormente sendo procurado por outros satélites (artificiais) como por ex. (entre outros) o WMAP e o GAIA (aí se posicionando), passados 5 dias após o seu lançamento por um foguetão ARIANE 5 numa missão de observação prevista para durar 5 anos, o telescópio de captação de radiação infravermelha JAMES WEBB (o nome do homem que liderou o inesquecível por marcante, não para uma mas para várias gerações, projeto APOLLO) continua para já sem problemas o seu caminho até ao ponto L2: no fundo substituindo pelo menos em parte e nalgumas das suas funções o telescópio HUBBLE (captando muito mais luz e melhorando o seu equipamento de deteção de infravermelhos), permitindo-lhe uma maior amplitude nas suas observações ─ tanto no Espaço como no Tempo ─ levando-nos (assim se espera) e no mínimo aproximando-nos, das origens do UNIVERSO, ou seja, de hoje ao BIG BANG ─ ajudando-nos com os seus olhares a partir de L2 a ficar a conhecer algo mais sobre a nossa História, a História da Terra, do Sistema Solar, da Via Láctea, de tudo aquilo que percecionamos, compreendendo-o ou não, mas (pelo menos estando vivos) para o Homem existindo, sendo palpável, sentida e integrada (como tal) por nós ou uma realidade virtual (projetada por algo/alguém de algures).

Screenshot 2021-12-30 at 22-36-31 JWST Full-scale

Telescópio JAMES WEBB à escala

(Centro Espacial de Voo de Goddard EUA)

Num processo de esvaziamento ─ dos EUA e da NASA ─ e apenas com os Chineses a avançarem, os russos a tentarem acompanhá-los e a iniciativa privada norte-americana enganando tudo e todos (entre Viagens Espaciais e Espetáculo Turístico, escolhendo o segundo) ─ depois da DISNEYLÂNDIA e da HOLLYWOODLÂNDIA ─ criando agora a ESPAÇOLÂNDIA, com a NASA ”pequenina” esgotada do seu líquido precioso (financiamento governamental) por sonegação quase total e vampírica dos PRIVADOS (SPACEX, BLUE ORIGIN e VIRGIN GALACTIC, os mais sonantes) ─ até agora nada de novo apresentando, exceção feita à SPACEX, por um lado (+) colaborando com a ISS, mas por outro lado (-) enchendo a lixeira espacial que já rodeia a Terra de milhares de STARLINKS, apenas para dominar a nível Global as novas autoestradas de transporte e de comunicação, da WEB (aqui só com um B, de World Wide Web), tentando derrubar os chineses com a sua tecnologia 5G ─ mesmo assim resistindo “ao comércio e ao folclore privado” (com a oferta das suas Viagens Espaciais Turísticas” substituindo MARTE), incrementado o financiamento mas não como o devido (o Estado, não o aplicando conforme o prometido/comprometido) na Exploração Espacial, limitada pelas verbas mas não pela necessidade de conhecimento e de desenvolvimento científico e tecnológico ─ e impedida de se desenvolver mas presencialmente e persistindo ─ com a NASA na busca incessante de conhecimento a ter que diversificar (diminuído o investimento nesta, logo na ciência e na investigação), optando por outros caminhos que só as sondas automáticas (e os satélites menores) ainda lhe poderão proporcionar.

l2.1.jpg

l2.2.jpg

Na direção Sol/Terra e para além desta

(estando L2 e o telescópio JAMES WEBB)

E enquanto a ESA/NASA/CSA lançam um novo telescópio apenas para termos uma melhor noção e entendimento da nossa História e Evolução (Universo, Terra e Homem) desde o ano zero até hoje, disponibilizando-se graciosamente a partilhar connosco alguma informação (num esforço devendo e sendo coletivo, nas nossas aspirações), por outro lado veja-se o caso do multimilionário norte-americano ELON MUSK detentor agora dos STARLINK’S, não hesitando em nome do lucro e do controlo total (do ramo, pelos vistos para ele tendo que ser exercido em monopólio), enchendo o céu de milhares e milhares desses satélites, pouco se importando com os outros (já lá estando) e com possíveis (sendo tantos, inevitáveis) colisões: sendo um dos grandes-exemplos nos EUA (no que poderia ser apresentado como um exemplo atual de Capitalismo de Estado, de origem soviética) de um norte-americano cada vez ficando mais milionário por suportado em profundidade e como garantia por dinheiros do Estado (servindo-o, de algum modo ou forma, recebendo) ─ os alicerces do arranque para esta Aventura certificada e apoiada pelo Estado, de seguida e tendo o Estado como garantia (por trás), chamando a si outros investimentos privados, certamente que do mesmo tipo (e origem) ─ de uma forma prepotente (o mínimo que se pode dizer, estando vidas em caus) pouco se importando com as reclamações dos chineses, há uns tempos atrás tendo que desviar a trajetória da sua nova Estação Espacial (já com astronautas a bordo), tendo corrido o risco de ser atingida por um desses satélites “tresmalhados”.

sunshieldhotcold.jpg

Os dois lados do telescópio JAMES WEBB

(em ação sobre uma amplitude térmica de 318°C)

Uma atitude, um comportamento, um exemplo podendo ser “pedagógico” (aqui demagógico), oriundo dos mesmos que não se dizendo segregacionistas ─ afirmando quererem o melhor para o Mundo, para nós, partilhando (com essa fortuna, “nem eu”) ─ “não gostam dos chineses apesar de terem amigos chineses” (aqui parecendo ter como valor lógico 0/F), “nem gostam da IA (Inteligência Artificial) apesar de recorrerem sempre a ela” (aqui parecendo ter valor lógico 1/V). Retornando ao protagonista (e pondo de lado os predadores e as suas presas, para muitos sendo temas colaterais, não interessando, nem importando, para o caso sendo “inoportunos por prejudiciais”) o Telescópio JAMES WEBB ─ deste modo recordando e homenageando JAMES EDWIN WEBB, administrador da NASA aquando do lançamento do projeto APOLLO (sendo um dos seus pioneiros) ainda no início da administração do Democrata John F. Kennedy ─ tendo como seu objetivo o estudo da evolução do Universo (olhando mais longe, para os seus primórdios) utilizando o seu instrumento ótico e detetor de radiação infravermelha, no presente e iniciada a sua missão (há já 5 dias e hoje a uma V=2.800Km/h) estando já a mais de 658.000Km da Terra e a cerca de 788.000Km do seu ponto de destino, a região onde se encontra L2 (a cerca de 1,5 milhões de Km de nós), dentro de cerca de 25 dias ─ e já depois de completamente exposto e preparado ─ chegando, instalando-se e começando a trabalhar. Mostrando-nos (assim o esperando) pormenores nunca vistos antes, esclarecendo-nos do passado, apresentando-nos o presente e até perspetivando-nos o nosso futuro (esperando-se que não como o projeto APOLLO, inexplicável e dolorosamente interrompido).

stsci-j-p2154c-f-3640x1580.jpg

Perscrutando o nosso Mundo e para além dele

(tendo na mira entre outros o estudo dos exo planetas)

Algo que nunca atingiremos desprezando o que interessa (o SUJEITO) e híper valorizando o inútil (o OBJETO). Ainda-por-cima colocados perante um artefacto no mínimo original, de aspeto revolucionário e até radical ─ com uma certa beleza, pelo Homem lá colocada e assinada ─ mais parecendo apesar de não ser o caso, ser um objeto não identificado e de origem alienígena, mas aqui e pelo contrário com o telescópio JAMES WEBB, informando estes últimos (tal como as sondas PIONEER e VOYAGER o poderão já ter feito) que tal como nós, não estarem sós no COSMOS ─ onde a Terra não passa de um simples e pálido Ponto Azul, mas sendo sem hesitação declarada ÚNICA e EXTRAORDINÁRIA, para nós, no fundo (e participando nesta Aventura, mesmo que curta) o que mais interessa (à sobrevivência da nossa espécie).

[“The science goals for the James Webb Space Telescope:

The End of the Dark Ages: First Light and Reionization - JWST will be a powerful time machine with infrared vision that will peer back over 13.5 billion years to see the first stars and galaxies forming out of the darkness of the early universe.

Assembly of Galaxies - JWST's unprecedented infrared sensitivity will help astronomers to compare the faintest, earliest galaxies to today's grand spirals and ellipticals, helping us to understand how galaxies assemble over billions of years.

The Birth of Stars and Protoplanetary Systems - JWST will be able to see right through and into massive clouds of dust that are opaque to visible-light observatories like Hubble, where stars and planetary systems are being born.

Planetary Systems and the Origins of Life - JWST will tell us more about the atmospheres of extrasolar planets, and perhaps even find the building blocks of life elsewhere in the universe. In addition to other planetary systems, JWST will also study objects within our own Solar System.” (nasa.gov)]

(imagens: NASA/webb.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:24

Outras Terras – E se este não fosse o nosso Berço?

Terça-feira, 10.05.16

“Quando olhamos para os Céus estamos a olhar para a História do nosso Passado.

Que com o nosso Presente e entendida a mensagem do Passado, nos abrirá as portas para o nosso Futuro.”

 

PIA20583.jpg

WISEA J114724.10-204021.3

Ilustração de uma estrela Brown Dwarf com cerca de 10 milhões de anos de idade

Apresentando uma massa de 5/10X a de Júpiter e atingindo temperaturas de mais de 1.200⁰C

(PIA 20583)

 

Na procura incessante e maravilhada do misterioso e oculto PLANETA X, qualquer curioso com pretensões a experimentalista e cientista que se preze, deve aproveitar sem nunca recuar todos os indícios e vestígio que entretanto possa obter. Seja a sua fonte mais ou menos institucional ou oficial.

 

Como é o caso da NASA uma prestigiada agência espacial ligada ao Governo dos EUA, que no caso particular da possível existência do PLANETA X (ou Nono Planeta já que entretanto Plutão foi despromovido) já foi capaz de afirmar perentoriamente que Não, Sim e Talvez. Não como X e Sim ou Talvez já como IX.

 

Pelo que já se torna normal que por cada nova interpretação da NASA (para o mesmo acontecimento), os outros por uma questão de princípio (e de idoneidade) mantenham a mesma versão – não derivando para opções de constante negação, seja desacreditando o Planeta X, seja apoiando e duvidando (simultaneamente) de tudo sobre o Nono Planeta.

 

Acredito na sua existência não por uma questão de princípio empírico assente unicamente na escolha de uma opção considerada perfeita, mas unicamente porque os próprios princípios experimentalistas e práticos que levaram à dúvida e ao levantamento da questão, se alicerçavam em dados recolhidos na realidade do momento.

 

PIA20582.jpg

TW HYDRAE

Mapa celeste apresentando-nos a localização duma família de estrelas da constelação Hydrae

Á qual pertence a estrela WISEA situada a 175 anos-luz de distância do planeta Terra

(PIA 20582)

 

E se algumas alterações por mais pequenas, inexplicáveis e ainda por confirmar possam surgir, o tratamento que lhes devemos dar mesmo que entretanto o tempo vá passando sem o compreendermos em profundidade e na sua totalidade, terá que se pautar sempre na recolha de dados e na sua correta integração no conjunto.

 

Se assim for facilmente aceitaremos a existência de outros objetos no interior do nosso Sistema Solar, mais próximos do seu centro ou apenas muito periodicamente o visitando. Como é o caso desses verdadeiros espermatozoides deste Universo Vivo e infinito, os misteriosos e muito viajados cometas.

 

Pelo que por cada vez que nos falarem de planetas misteriosos e viajantes percorrendo através dos mais variados trajetos toda a região onde se integra o Sistema Solar (como parte da Via Láctea) – com órbitas de 10/20 milhares ou até milhões de anos – logo nos recordaremos do outro muito maior do que a Terra e talvez mesmo com Vida.

 

Seja como Planeta X ou como Nono Planeta o que este Evento significa (desde já, desde há muito) é que o Homem mesmo que não o reconhecendo procura no Espaço o destino das suas novas e necessárias Conquistas, fugindo assim de vez ao ambiente claustrofóbico e demente em que o seu Mundo o condenou a viver. Propondo-lhe como redenção a sua extinção.

 

(imagens: photojournal.jpl.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:38

Não Te Faz Lembrar Nada?

Sexta-feira, 06.04.12

Os Caminhos da Europa e Os Caminhos da China

 

Nasci no século passado e vivi o deslumbramento económico desse tempo de desenvolvimento alucinante, grandes expectativas e sonhos possíveis de se concretizar. Todos queriam colaborar ativamente na concretização dessa realidade partilhada, recorrendo à sua imaginação criativa e à sua força de trabalho, ao contrário do que se passa nos dias de hoje, em que qualquer individuo apenas pretende como único objetivo a atingir, um emprego garantido e uma vida estabilizada. E as consequências disso, refletem-se na explosão megalómana dos serviços e na sua crescente parasitação do sistema produtivo – como é o caso da burocratização e da corrupção – o que tem vindo a levar progressivamente no continente europeu, à destruição e deslocalização dos polos industriais, das pescas e da agricultura, entre outros. E os impactos indiretos na saúde, na educação e na justiça?

 

A China faz-me lembrar a Europa noutros tempos áureos, ainda tão próximos. Mas porque será que a Europa abandou esse caminho? E será que irá acontecer o mesmo à China?

 

Juventude

 

      

Exploração mineira

 

      

Atividade industrial

 

      

Diversidade económica

 

Na Europa vivemos hoje uma crise económica e de valores terrível, com uma forte possibilidade de alastrar como um vírus letal a toda a UE e levar ao colapso a curto prazo da própria Alemanha. E mesmo assim aqueles que patrioticamente se ofereceram mais uma vez para nos salvar, são os mesmos que tem freneticamente esburacado o barco económico e financeiro europeu, na ânsia de investirem fortemente em paraísos fiscais e sonhando viver com os seus rendimentos num território europeu pobre, escravizado e caído subserviente e inanimado a seus pés. Mas então, quem é que tratará deles depois? Os novos olhos em bico, provavelmente.

 

(imagens – nationalgeographic.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:24