Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

18
Ago 19

[Um caso recentemente verificado no Sistema Solar, com um dos seus membros (um cometa) cometendo suicídio, na presença e em contacto com o seu ASTRO-REI (o Sol). Nas imagens seguintes de 1 a 4 (pequeno traço brilhante no centro-direito-inferior das imagens).]

 

c1.jpg

1

Mais um fragmento de um antigo e maior cometa

(já falecido muitos séculos antes no passado)

 

Neste Mundo Infinito de Transformações Eletromagnéticas (para nós com início num BIG BANG local, dando origem “a tudo o que somos e que nos rodeia”) onde as METAMORFOSES estão constantemente presentes

 

– Dando-lhe (ao Mundo delas) um novo aspeto e conteúdo

 

Muitas delas (Metamorfoses = Processo Evolutivo) por nós ainda IMPOSSÍVEIS de compreender

 

− Como será o caso do limite a nós imposto (habitando aparentemente num Mundo Ilimitado) incorporando no nosso trajeto de Vida dois poderosos e (para já) inultrapassáveis marcos biológicos,

como o “NASCIMENTO” e sobretudo como a “MORTE”

 

c2.jpg

2

Em mais uma das suas aproximações ao seu periélio

(ponto de “viagem orbital” mais perto da estrela)

 

A visualização enquanto em “ponto-morto” (sentados, absorvidos, mas ainda a ver algo) de um Evento em tudo semelhante e pela sua dimensão e impacto deveras Celestial (ao nosso destino, ao desígnio do Homem),

 

Apresentando ao Protagonista após todo um usufruto de Tempo e de Espaço Universal

 

– De uma forma previsível, simples, até bela, no entanto absoluta –

 

A sua própria Morte:

 

Talvez apenas mineral (ou transportando consigo água e/ou vida orgânica)

 

– Tratando-se de um COMETA nos seus últimos momentos –

 

Mas como TUDO relevante.

 

c4.jpg

3

Colocando-se na sua trajetória a tão pouca distância do Sol

(e transformando-se num Cometa Rasante)

 

Definitivamente tendo-se ainda de compreender e conseguir integrar (no Homem, tanto física como psiquicamente, numa missão praticamente impossível) a convicção de Lavoisier para nós

 

− MUNDO ORGÂNICO –

 

Ainda não totalmente esclarecida e integrada, de que

 

Na Natureza Nada se Cria (Nasce?),

Nada se Perde (Morre?),

Tudo se Transforma (Perdura?)”.

 

Nada que apoquente (que se saiba) o Mundo Mineral.

 

c5.jpg

4

E acabando mesmo por impactar não reaparecendo

(saindo do outro lado do Sol)

 

E provavelmente entre este (o Mineral, mas já ELECTROMAGNÉTICO) e o Nosso (o Orgânico e envolvendo o Mineral) encontrando-se um dia a ALMA: Algo imensamente para lá − “talvez localizada numa Galáxia bem distante” − da nossa ainda estreita e extremamente controlada Imaginação.

 

Procurando-se ainda explicações.

 

[Na passada quinta-feira dia 15 de agosto sob observação do telescópio solar SOHO, com o mesmo a registar através das suas câmaras de vídeo um exemplo de um ponto máximo de atividade cometária (de um cometa da família Kreutz, “chegada a sua vez suicidando-se”): o encontro personalizado e direto com a sua referência orbital (o foco da sua trajetória), aqui tornado espetacular devido ao impacto (com o Sol) e a toda a sequência final de viagem (do cometa): dirigindo-se para o Sol e contornando-o, não resistindo à sua atração, impactando e como tal “à saída” não surgindo do outro lado.]

 

(imagens: soho.nascom.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:17

27
Mai 19

[Com Alfa como detentor do ranking mais elevado na hierarquia destes objetos − sendo o Dominante dos dois – logo seguido por Beta (segundo na hierarquia) – expulsos de algum lugar, com Alfa girando sobre si próprio e Beta acompanhando-o/orbitando-o − regressando em maior aproximação − menos de metade desta agora ocorrida – lá para 2036.]

 

The "binary near-Earth asteroid" 1999 KW4

doesn't look like a normal asteroid:

It's actually a system with two space rocks.

(azcentral.com)

 

The-asteroid-1999-KW4.jpg

Asteroide 1999 KW4

(um Sistema Binário composto por dois objetos rochosos)

 

Já depois de ter ultrapassado o seu Periélio − no cumprimento da sua órbita o seu ponto de maior aproximação ao SOL (ocorrido na 3ª semana do mês Março) − e tendo passado nesta madrugada (de 25 para 26 de Maio) a pouco mais de 5.000.000Km do nosso planeta (um pouco mais de 13X a distância entre a TERRA e a LUA) – a uma velocidade de 21,5Km/s

 

O calhau 66391 (descoberto há 20 anos) igualmente designado como 1999 KW4 e classificado como um NEO (NEAR EARTH OBJECT) – um objeto de aproximadamente 1,8Km (já um “monstro”) passando nas proximidades da Terra

 

The larger space rock in 1999 KW4, called "Alpha,"

has "a shape that resembles a top".

The secondary space rock, called "Beta,"

rotates the primary one at a distance of about 1.6 miles.

Beta can be described as a “rubble pile.”

(azcentral.com)

 

Iniciou de movo o seu afastamento relativamente ao nosso planeta (e à sua e nossa estrela de referência o Sol) prevendo-se apenas para 2036 e no cumprimento de mais uma das suas órbitas (período 2019/2036) uma sua nova e ainda maior aproximação à Terra:

 

asteroid_1999_KW4.jpg

Alpha

(integrando um sistema binário sendo o outro elemento Beta)

 

Um grande Asteroide (mais de 1Km) na realidade constituído por dois objetos − um Sistema Binário envolvendo dois objetos rochosos − o maior (“girando sobre si como um pião”) com cerca de 1,3Km de dimensão, o mais pequeno (girando em torno do maior) com uns 570m, não existindo para já e para um futuro próximo notícias sendo relevantes para a Terra (e para os terrestres) como o seria a possibilidade de um Impacto (código zero),

 

1999 KW4

won't closely approach Earth again

until 2036.

(azcentral.com)

 

Mas devido à sua estranheza (de forma, de conjunto, sendo menos comum) e proximidade (relativa) sendo de interesse para análise e estudo (deste tipo binário de formações rochosas) até para sua melhor compreensão (como se formaram, de onde vêm, para onde aponta a sua Evolução) – daqui a 17 anos (25 de Maio de 2036) passando a menos de metade da distância da TERRA (agora registada) ou seja um pouco mais de 2 milhões de Km (uns 2.300.000Km)

 

 Visíveis durante a sua aproximação e nos dias que se lhe seguem utilizando simples telescópios, desde que instalados (infelizmente e quase como sempre para os do Norte) no Hemisfério Sul.

 

[1UA ≈ 150.000.000km ≈ distância Terra/Sol]

 

(texto/inglês/itálico: Joel Shannon/USA TODAY/May 23, 2019/azcentral.com – imagens: techexplorist.com; e Steven J. Ostro/J.P.L./Daniel J. Scheeres/University of Michigan/sott.net)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:19

07
Jan 15

Mais um cometa na sua trajectória de aproximação ao Sol, estando o seu periélio marcado para o dia 30 de Janeiro. O cometa atinge hoje o seu ponto mais próximo da Terra (dia 7 de Janeiro) e só voltará a ser visto daqui a 8.000 anos.

 

Comet_Lovejoy_Orion_6Jan_Dyer.jpg

Lovejoy C/2014 Q2
06.01.2015
(Alan Dyer – amazingsky.com)

 

Terry Lovejoy discovered C/2014 Q2 in August of 2014 from his observatory in Brisbane, Australia.
This long-period comet became visible in the Northern Hemisphere (through typical backyard telescopes) in late December.
As it continues to move northwards this month, it will continue to increase in brihtness up until 10th January. However, it should remain visible with the aid of binoculars and small telescopes throughout January.
Comet Lovejoy (C/2014 Q2) will reach perihelion on January 30th, 2015.

 

Real Time Information:

 

SPEED 36,45 KM/S
SUN DISTANCE 199.588.166 KM
EARTH DISTANCE 70.166.728 KM

 (registado pelas 15:10 de Portugal já o cometa tinha ultrapassado o seu ponto mais próximo da Terra)

 

Lovejoy10012015.png

Trajectória do cometa C/2014 Q2

 

O cometa C/2014 Q2 Lovejoy cruzará o equador celeste no próximo dia 10 (sábado) tornando-se mais visível no Hemisfério Norte. Tendo entrado (segundo os astrónomos) no nosso espaço planetário apresentando um período de 11.000 anos, o cometa acabará por o abandonar agora com um período (menor) de 8.000 anos. Aqui ficaremos (mortos ou vivos) à sua espera!

 

(texto em inglês: livecometdata.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:29

16
Dez 11

Era uma vez o cometa C/2011 W3

 

Este cometa pertencente à família Kreutz – sungrazer comets – irá passar no seu periélio a uma distância aproximada de 180.000Km da superfície do Sol. Provavelmente e dada a sua proximidade à estrela, evaporar-se-á completamente. Descoberto nos finais de Novembro pelo astrónomo amador australiano Terry Lovejoy, ele faz parte de um grupo extenso de mais de 2.000 cometas semelhantes, já detectados pela Soho. O cometa C/2011 W3 (Lovejoy) será talvez o mais brilhante destes cometas, a ser observado pela Soho.

    

Em rota de colisão (ou não) com o Sol

 

         

Lasco C3: 15.12.2011 – 03:18

Lasco C3: 15.12.2011 – 06:06

Lasco C3: 15.12.2011 – 09:30

 

         

Lasco C3: 15.12.2011 – 12:54

Lasco C3: 15.12.2011 – 16:30

Lasco C3: 15.12.2011 – 22:30

 

         

Lasco C2: 15.12.2011 – 22:36

Lasco C2: 16.12.2011 – 00:00

Lasco C2: 16.12.2011 – 05:36

 

Parece que o cometa sobreviveu à sua trajectória em volta do Sol, ao contrário do que afirmavam a maioria dos especialistas na observação destes fenómenos. O cometa já foi visto a emergir do seu periélio, pelo menos parcialmente intacto. Inicialmente com cerca de 200 metros de diâmetro, ninguém pode agora afirmar a dimensão do restante núcleo, nem durante quanto mais tempo continuará ligado, depois das elevadíssimas temperaturas a que esteve sujeito. Desde já, parece ter perdido a cauda.

 

(informação inicial/final – remanzacco.blogspot.com/spaceweather.com; imagem – soho)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:59

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO