Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Polo Sul de Marte

Domingo, 11.07.21

“Com os Norte-Americanos (iniciativa do estado/privada) e os Chineses (iniciativa do estado) ─ estes últimos já tendo a sua própria Estação Espacial ─ a terem ambos como objetivo, depois de instalarem uma base na Lua, seguindo-se uma outra, mas agora em Marte.”

Imagem da superfície do planeta Marte (hoje a mais de 370 milhões de Km da Terra), localizada numa região de latitude/longitude 86,5° Norte/290,5° Oeste, ou seja, na calote polar sul (Polo Sul): com diferentes texturas contrastando entre si e construindo na nossa mente (aqui inserida num mundo estranho, alienígena), um rasto podendo ter sido deixado sendo na Terra por serpentes.

PIA24719.jpg

Texturas

Polo Sul de Marte

(PIA 24719)

 

Mostrando-nos esta área gelada do Planeta Vermelho, num registo adquirido pelos instrumentos óticos da sonda 2001 MARS ODYSSEY, em 29 de janeiro (de 2021). Um planeta de momento tendo três veículos motorizados ativos (Rover Curiosity e Rover Perseverance dos EUA e Rover Zhurong da China) movimentando-se à sua superfície (incluindo um deles ─ o Rover Perseverance ─ um helicóptero experimental, o INGENUITY), para além de sondas orbitais e do (carro) Roadster da Tesla (para lá igualmente se dirigindo), tripulado por STARMAN e sendo acompanhado na sua viagem pelo som do músico pop David Bowie.

Um planeta inóspito, desértico, radioativo, tóxico, sem atmosfera nem água visível e nestas condições ambientais extremas, sem vestígios/sinais de qualquer tipo de Vida, no entanto num passado bem longínquo (de biliões de anos) podendo ter tido isto tudo e hoje, ainda preservar algo do existente nesses dias, da “outra Vida de Marte”: como por exemplo depósitos subterrâneos de água e a partir daí podendo vir algo mais.

(imagem: photojournal.jpl.nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:42

Mr. Peanut em Marte

Terça-feira, 25.05.21

“Á espera do Tesla Roadster e de seu piloto-astronauta Starman, enviados pela SpaceX do milionário Elon Musk. Mas quem? O Senhor-Amendoim!”

PIA24617.jpg

MR. PEANUT

(PIA24617)

Desaparecido por estes lados depois de 104 anos de permanência por cá (acompanhando-nos na Terra desde a I Guerra Mundial até ao ano passado) e reaparecendo agora em Marte (mais distante que o Sol).

 

Projetando no distante planeta MARTE a recente morte de MR. PEANUT (aos 104 anos de idade),

─ A mascote da companhia norte-americana (de “snack food”) PLANTERS, falecida estratégica e comercialmente no início do ano passado (2020) ─

Desde 1916 tornado o ícone da marca (Planters) agora detida por outra corporação do ramo (a Hormel Foods),

─ Como se compreende acompanhando um dos séculos mais importantes na evolução da Humanidade (tanto social, como científica, como tecnologicamente), dando-nos a conhecer figuras extraordinárias, opostas e no entanto, complementares como Franklin D. Roosevelt (EUA) e Joseph Stalin (URSS), influenciando o curso da II Guerra Mundial ─

E simultaneamente procurando-se de uma forma incansável a confirmação do fim de tal símbolo/pesadelo (para muitos já insuportável, pela sua extensão) ou então fixando-se na busca incessante e obsessiva do seu novo paradeiro,

Mr_peanut.jpg

MR. PEANUT

(1916/2020)

Em janeiro de 2020 num acidente com o seu Nutmobile e enquanto viajava com dois companheiros que se salvaram (um deles sendo Wesley Snipes), ao tentar evitar e atropelar um tatu, despenhando-se com o veículo/explodindo e falecendo.

 

“The south polar residual cap is constantly changing as carbon dioxide sublimates from steep slopes, enlarging pits, and condenses on flat areas, filling pits.” (NASA)

Sendo natural que após uma pequena observação de qualquer tipo de cenário real/imaginário e/ou presencial/à distância, vejamos o que antes queríamos ver, mas que depois não conseguíamos concretizar:

Ressuscitando em Marte o “Lázaro dos Amendoins”.

Com a NASA a editar esta segunda-feira (24 de maio) uma imagem da calote do polo sul marciano, na sua apresentação visual atual e aprofundando a imagem (até ao pormenor), podendo-se ver o que poderia muito bem representar a figura/silhueta do agora ausente (na Terra) Mr. Peanut:

Talvez não estando morto, apenas tendo viajado para um Outro Mundo. E para tal descoberta servindo-se da missão e da sonda MRO (em órbita do planeta) e do seu precioso instrumento (de observação) HiRISE.

(imagens: photojournal.jpl.nasa.gov ─ wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:31

O Continente Misterioso

Sábado, 20.03.21

[E já agora (igualmente presente) o Homem: no fundo mantendo a sua linha (de raciocínio mental), indo da adoção inicial do berço (natural e original), à adaptação final ao “covidário” (depois de intensas campanhas artificiais) ─ “aceitando, mas (no fundo) não entendendo”.]

 

snapshot.jpg

 

Neste “Mundo Infinito” agora dito “Mundo Covid”,

existindo muitos “Outos Mundos” para cá e para lá deste

(o Novo Mundo Normal)

─ e até do anterior (o Mundo Normal).

 

Não sendo o lendário continente da ATLÂNTIDA (mesmo tendo existido podendo ser muito mais recente, consultando Platão pelo menos uns 12.000 anos), mas o continente misterioso e gelado da ANTÁRTIDA (tendo-se iniciado o processo de formação de gelo, há uns 35 milhões de anos): de um lado com um deles perdido no tempo (apesar de mais próximo de nós) e no espaço (não se sabendo a sua localização) ─ ATLÂNTIDA ─ apresentando-se do outro lado com condições muito mais atrativas o outro (continente), bem visível no presente (no tempo) e com coordenadas bem definidas (no espaço) ─ ANTÁRTIDA.

 

snapshot 1.jpg

 

No presente e apontando ao futuro sem dúvida que se dando preferência ao segundo (Antártida), até pela grande concorrência (ainda) de um outro (continente) ─ ÁRTICO ─ mas perdendo rapidamente interesse, por irreversivelmente contaminado (pelo Homem); à falta de investigadores entrando em cena os investidores, ficando de novo para trás (infelizmente) a Atlântida.

 

Violado o Polo Norte e esquecida a Civilização Perdida (da Atlântida) voltando-nos agora ─ e numa última réstia de esperança (tão típico de quem vai morrer) ─ para lá da Patagónia, visando sofregamente o Polo Sul (o continente da Antártida só maior que a ilha/continente da Austrália): procurando aí explicações nunca antes encontradas, se necessário e como sempre (desejadas) livres (no início do processo, só experiência e aventura) e não limitadas (ainda não monitorizadas), incluindo Homens e certamente (tudo devendo ser considerado, se em procura da verdade) Alienígenas.

 

snapshot 2.jpg

 

Ou não poderão ser os nossos Deuses, Astronautas? Percorrendo mais uma vez e com alguma curiosidade (confinado em casa, sem nada para trocar) o site UFO SIGHTINGS HOTSPOT, tomando aí conhecimento de mais uma “anomalia” estranha detetada na Antártida ─ no meio de uma extensa “terra-gelada-de-ninguém” (coordenadas aproximadas: latitude 66,5°S/longitude 110,3°E).

 

Uma anomalia observada na superfície gelada da Antártida (com o continente escondido debaixo de diversas camadas sobrepostas de gelo), com forma aparentemente cilíndrica e de dimensões c=105m, l=40m e a=10m (como se vê nas imagens): como sempre e à falta de notícias ou de respostas explicativas (das entidades especializadas, conhecedoras, estando no terreno) ─ oriundos dos chamados eruditos ─ com alguém a assumir a descoberta e a sua investigação ─ oriundos dos leigos, berço de todos os teóricos da Conspiração.

 

antarctica-anomaly.jpg

 

Fenómeno natural (envolvendo terrestres) ou então artificial (envolvendo extraterrestres) deixando-nos na mão estas (4) hipóteses: natural (formando-se ao longo dos anos), artificial c/influência terrestre, artificial c/ origem extraterrestre ou apenas um simples erro técnico (resultado de erro ótico). Restando escolher.

 

[Uma notícia (não filtrada) para ─ estando confinados ─ uma (possível) transição (noite →dia) bem passada ─ sós e bem ou mal-acompanhados. E tendo a certeza (prévia) de estar desligada a TV.]

 

(imagens: Behind the Scenes/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:34

Cratera de Impacto

Sexta-feira, 25.01.19

[Em Marte como poderia ser na Terra.]

 

Uma imagem do resultado do impacto de um objeto com a superfície do planeta Marte, ocorrido entre Julho e Setembro do ano de 2018 (há cerca de meio ano) e registado pelo instrumento HiRise colocado a bordo da sonda MRO.

 

This image it's notable because it occurred in the seasonal southern ice cap, and has apparently punched through it, creating a two-toned blast pattern.

(nasa.gov)

 

PIA23019.jpg

Sinais de impacto

Nas proximidades do Polo Sul de Marte

(PIA 23019/Photojournal/NASA)

 

Um impacto ocorrido entre um meteorito e a superfície marciana, sendo bem visível e bem contrastada, devido a ter ocorrido no Polo Sul (gelado) do Planeta Vermelho: num retrato de Marte como o poderia ser da Terra.

 

The impact hit on the ice layer, and the tones of the blast pattern tell us the sequence. When an impactor hits the ground, there is a tremendous amount of force like an explosion. The larger, lighter-colored blast pattern could be the result of scouring by winds from the impact shockwave. The darker-colored inner blast pattern is because the impactor penetrated the thin ice layer, excavated the dark sand underneath, and threw it out in all directions on top of the layer.

(nasa.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:40