Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Abr 19

[E a nossa Crise Existencial]

 

“Aliens from Earth & Aliens from Space”

(reconhecendo a diferença)

 

Olhando para dois registos de uma sequência de vídeo (contínua e 24h/dia) obtida pelas WEBCAMS DE MEXICO no passado dia 27 de Março − tendo o vulcão POPOCATEPETL (atualmente em atividade ininterrupta) como protagonista – observando-se deslocando-se da esquerda para a direita um Objeto Voador Não Identificado (na gravação passando por trás da cratera do vulcão) faltando-se saber se um objeto, mais Matéria ou mais Energia e circulando a que velocidade (E=MC²) − podendo sugerir pela estranheza do evento (o aparecimento de tal bizarro objeto) e pela coincidência verificada ( o Popocatepetl estar em erupção), a presença dos tão falados (e maltratados) ALIENS, neste caso não os mexicanos mas os (será mesmo verdade?) SPACE ALIENS (pelos vistos pouco interessados no que se passa na fronteira México/EUA com os seus colegas do Muro os WALL ALIENS).

 

snapshot2.jpg

 

Com o objeto voador não identificado (no fundo um OVNI) a ser observado a passar a baixa altitude (topo do vulcão 5426 metros acima do nível médio da água do mar) nas proximidades do vulcão mexicano Popocateptl (localizado nem a 100Km da Cidade do México capital do país), brilhando sobre o tom escuro do céu noturno e apresentando a forma nada comum (para um veículo deslocando-se na nossa atmosfera) de um charuto-voador: e face ao que se diz sobre estes objetos (OVNI/UFO) tendo-se necessariamente que concordar tratar-se de um caso semelhante (este de 27 de Março no Popocatepetl) a muitos outros avistamentos, esmagadoramente associados a alta-tecnologia (por nós não produzida) e à presença (se não formos nós ou outra forma de nós) de extraterrestres (entre nós e/ou de visita). Pela velocidade (e sendo um ET) só mesmo em visita (de estudo) ou então em turismo – e estando de passagem pelo Golfo da Califórnia e dando um salto a Yellowstone.

 

E do seu brilho e da sua forma ficando-nos na memória (e cultura) este episódio fugaz desta série misteriosa e fantástica (aparentemente de ficção, mas já com muitas temporadas), real e para nossa fruição destinado à nossa reflexão e ao estender (ilimitado/sem fronteiras) da nossa Imaginação: podendo-se estar perante um simples avião (pilotado por terrestres) atravessando o espaço aéreo rodeando o vulcão (de origem terrestre), como estar-se em presença de algo de detetável/visível (pelos nossos órgãos dos sentidos) mas estranho ao nosso Mundo, capaz de se corporizar em forma de Matéria ou então de Energia (de origem extraterrestre).

 

snapshot3.jpg

 

Na questão (agora e aqui implantada) subadjacente a mais esta especulação/conspiração (típica de sectores marginais, muitas vezes inovadores, muitas vezes revolucionários) e envolvendo o nosso Universo (no qual se insere como detalhe menor o nosso Sistema e a nossa Galáxia), se o nosso (universo) não for apenas um entre muitos integrando um infinito e em contínua expansão Multiverso, isso dever-se-á a uma nossa conceção errada de Espaço e de Tempo baseado na nossa própria experiência única e limitada (respeitando as proporções, podendo ser equiparado na sua forma e no conteúdo ao de uma mosca) e subordinada à necessidade da existência de limites palpáveis (como o nosso nascimento e a nossa morte) como alicerces fundamentais do nosso curto percurso em Vida, não interiorizando que o que nós somos e o que o nosso Corpo Vivo representa, não é senão uma parte de um Universo Vivo que se estende do infinitamente grande ao infinitamente pequeno: e olhando-nos ao espelho vendo-nos replicados sem princípio nem fim.

 

E como diria Stephen Hawking (físico britânico/1942-2018) referindo-se aos seus maiores receios (para o futuro da Humanidade), não falando dos ET como ameaça para o Homem (contactando-o ou contactando-nos), mas do que a manipulação genética poderá brevemente provocar (com o aparecimento do Super-Homem terrestre): "Once such superhumans appear, there will be significant political problems with unimproved humans, who won't be able to compete. Presumably, they will die out, or become unimportant." (Stephen Hawking)

 

(imagens: webcamsdemexico.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:27

01
Abr 19

Imagens da última erupção registada no passado dia 27 de Março (quarta-feira) no vulcão mexicano POPOCATEPETL, num fenómeno geológico desde há alguns dias esperado, dado o crescente acumular de sinais do aumento da sua atividade (do vulcão) e do perigo iminente de explosões e de erupções (do mesmo):

 

PP.jpg

O vulcão mexicano Popocatepetl em erupção

(a cerca de 70Km da capital do México e a 1200Km de San Antonio/EUA)

 

Expetativas confirmadas pelas 01:23 UTC do dia 27 com o vulcão aparentemente ainda pouco ativo a iniciar um novo processo (violento) de expulsão de materiais incandescentes (magma), seguido de uma violenta erupção ejetando para a atmosfera cinzas vulcânicas ultrapassando os 8Km de altitude.

 

Com os efeitos mais nocivos desta erupção a estenderem-se por uns 2Km (a partir da cratera), deixando as encostas do vulcão Popocatepetl (e zonas adjacentes) a arder – e obrigando as autoridades mexicanas a subirem o nível de Alerta (indo de 0 até 5) de 2 para 3.

 

v1.jpg

Vulcão Popocatepetl

(segundos antes do início da erupção de 27.03)

 

Seguindo-se novas explosões e erupções no referido vulcão com a mais significativa a ocorrer (posteriormente) dois dias depois (dia 29 pelas 01:48 UTC) e lançando cinzas até 2Km de altitude.

 

No caso deste país da América do Norte − o México − fazendo fronteira com os EUA (localizado mais a norte) − e com o SUPER VULCÃO DE YELLOWSTONE (localizado no Parque Nacional norte-americano com o mesmo nome) – e com 42 vulcões identificados, no presente com o Popocatepetl a ser o protagonista (entre esta nova tribo de Ali Babá) mantendo-se num nível médio (assinalável) de atividade vulcânica.

 

v3.jpg

Vulcão Popocatepetl

(início da erupção de 27.03)

 

Vulcões Mexicanos integrando o Círculo de Fogo do Pacífico e fazendo parte da placa tectónica continental da América do Norte, no seu movimento convergente (refletido na deslocação da crosta terrestre acima ou abaixo do nível da água do mar) subduzindo (provocando o afundar da placa mais pesada) além do oceano a Placa de Cocos (placa tectónica oceânica localizada no oceano Pacífico, à oeste da América Central/wikipedia.org).

 

E com as últimas notícias referindo-se a este vulcão mexicano integrando a região geologicamente mais ativa do Globo Terrestre − onde (certamente) o Futuro da Terra se decidirá (pelo menos internamente) e onde se situa o território dos EUA – a informarem-nos que (através de volcanicdiscovery.com)

 

v4.jpg

Vulcão Popocatepetl

(segundos passados sobre o início da erupção de 27.03)

 

Popocatépetl Volcano Volcanic Ash Advisory:

REMNANT VA FROM ARND 30/0845Z ERUPTION. to 6,7Km

(Mar 30, 2019 18:00 PM)

 

Explosive activity continues. Volcanic Ash Advisory Center (VAAC) Washington warned about a volcanic ash plume that rose up to estimated 22000 ft (6700 m) altitude or flight level 220.”

 

v5.jpg

Cratera do vulcão Popocatepetl antes da última erupção

(vista aérea 1)

 

Deixando no ar alguma preocupação (para além da provocada pelas cinzas) sobre a evolução de mais esta crise vulcanológica, num ponto limite de uma das suas possíveis alternativas de desenvolvimento (caso não voltasse a acalmar-se) podendo dar origem a uma erupção pliniana (de intensidade/explosividade extrema) a mais violenta das manifestações deste tipo:

 

Entre outras consequências dramáticas (para o Homem e para a Sociedade que o alimenta) destacando-se (uma entre tantas) as que seriam provocadas pelas ondas de choque e de impacto atirando material vulcânico a vários Km de distância − levadas até ás últimas consequências, se em virtude da uma ainda mais intensa explosão/erupção, a mesma levasse à destruição parcial do vulcão (por exemplo das encostas).

 

v8.jpg

Cratera do vulcão Popocatepetl antes da última erupção

(vista aérea 2)

 

“Authorities in Mexico warned people to avoid the area around the Popocatepetl volcano after eruptions sent ash and smoke into the air and sparked fires in nearby fields.”

(ABC News/@ABC/twitter.com/29.03.2019)

 

Como se vê uma preocupação para os norte-americanos sobretudo os residentes no sul do país e particularmente no estado do Texas, obviamente provocada pela proximidade deste assinalável evento geológico (em curso) − cerca de 1200Km de distância entre o vulcão e a cidade texana de San Antonio – em princípio não provocando  no presente/futuro danos/vítimas indiretas mas podendo provocar alguns transtornos, como no trânsito aéreo e no fluxo turístico EUA Cidade do México (devido à proliferação no ar de cinzas vulcânicas).

 

E para a Maldição de TRUMP

depois dos ALIENS só mesmo as CINZAS!

(vista a origem de ambos, talvez justificando algum tipo de Muro)

 

(imagens: 1/4/5/6 - watchers.news e 2/3 - webcamsdemexico/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

20
Set 17

Só nos últimos três dias (18/19/20) com violentas tempestades sobre a Roménia (8 mortos/140 feridos), com o furacão Maria a atingir Dominica e Porto Rico (com um impacto catastrófico), com grandes inundações no Níger (56 mortos/200.000 sem abrigo/11.000 desalojados) e com o sismo no México (em torno dos 250 mortos), eis que chega o momento de um outro ator entrar em ação (e num lugar já conhecido) tornando-se protagonista: situado perto de Puebla e do epicentro do sismo (de M7.1) o vulcão POPOCATEPETL.

 

articulos36_40771.jpg

 

Despertando da sua monotonia eruptiva desde o sismo de M8.1 sentido no México no passado dia 8 de Setembro, o vulcão POPOCATEPETL reativou-se de novo para mais umas manifestações do tipo vulcânicas com o impulso que lhe foi dado pelo novo sismo de M7.1 sentido no dia de ontem na Cidade do México: como se já não lhes bastasse os furacões e os sismos agora com os mexicanos a terem que se deparar com um vulcão.

 

“El volcán Popocatépetl, situado en los estados de Puebla, Morelos y México, se ha activado tras el terremoto de magnitud 7,1. Ha sido justo en el momento del temblor cuando el volcán ha soltado una fumarola considerable.”

(17.09.2017 ‒ ppn.com.py)

 

DKBQZZ3VYAA6iST.jpgDKBQZZ-UEAAegGR 1.jpg

 Fig. 1/2

 

O Vulcão Popocatepetl Ativo

A sequência explosiva registada a 19 de setembro de 2017

(de 1 a 4 e iniciada por volta das 11:10)

 

DKBQZZ6VAAA4RcM 2.jpgDKBQZa4VwAA1_er 3.jpg

 Fig. 3/4

 

Com o Centro Nacional de Prevenção de Desastre mexicano a detetar uma explosão no vulcão e umas 300 outras manifestações vulcânicas ‒ exalações de baixa intensidade ‒ nas 24 horas seguintes à primeira manifestação: e ainda outras atividades associadas como sismos vulcânico-tectónicos de baixa intensidade ‒ segundo esses responsáveis ao serviço do Cenapred. Mantendo-se como medida de prevenção e de proteção o alerta em toda a região envolvendo o vulcão Popocatepetl devido ao perigo de novas explosões (eruptivas), queda de cinzas e aparecimento de correntes de lava.

 

(imagens: AFP ‒ @Popocatepetl_MX/twitter.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:12

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO