Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Mar 18

Uma região que muito deve à passagem dos Mouros pela Península Ibérica: em Portugal com os vestígios desses povos do norte de África a arrastarem-se por mais de meio milénio da nossa História, tendo o seu grande centro na poderosa e fortificada cidade de Silves servida pelo rio Arade e ligando-a ao oceano (Atlântico). Localizada no interior e (mesmo a cavalo) tão próxima de Albufeira no litoral.

 

3.jpg

Albufeira ‒ Orada

(zona da Marina de Albufeira)

 

Contava cerca de trinta mil habitantes, era opulenta em tesouros e formosa em construções. Davam-lhe a primazia entre as cidades da Espanha árabe. Vestida de palácios coroados pelos terraços de mármore, cortada de ruas com bazares recheados de preciosidades orientais, cercada de pomares viçosos e jardins, Chelb era a pérola de Chenchir (Algarve), onde os pródigos da Mauritânia vinham gozar com as mulheres formosas, de puro-sangue árabe, os seus ócios luxuosos. Era ao mesmo tempo uma praça terrivelmente fortificada.”

(sobre Silves por Oliveira Martins/ensina.rtp.pt)

 

1.jpg

Albufeira ‒ Guia

(zona do Algarve Shopping)

 

Após a passagem da tempestade Félix pelo nosso país,

 

‒ Originando vento forte a moderado, com períodos de chuva mais ou menos intensos e grande agitação marítima ‒

 

A precipitação começa a tornar-se cada vez menos intensa (assim como a agitação marítima com ondas de 2,5/3 metros a norte e de 1/1,5 metros a sul) regressando em sua substituição o tempo frio:

 

Hoje segunda-feira (19 Março) com a chuva a deslocar-se mais para norte (onde a precipitação será maior) e conjuntamente com o regresso da queda de neve (acima dos 800/1000 metros a norte) colocando 8 distritos (segundo o IPMA) em Alerta Amarelo,

 

‒ Iniciando-se por Aveiro/Braga/Porto/Viana do Castelo e seguindo-se Bragança/Braga/Vila Real/Viseu ou seja afetando todo o norte de Portugal.

 

4.jpg

Albufeira ‒ Caliços

(zona do Mercado Municipal)

 

Numa viragem de tempo com temperaturas mais moderadas mas com períodos (mais ou menos intensos) de precipitação, para um outro mais seco e frio e por vezes acompanhado por queda de neve (mais a norte e acima dos 800 metros),

 

‒ Condições meteorológicas talvez influenciadas pela passagem de pequenas franjas (ainda ativas) da Besta de Leste (originada no Ártico/Sibéria).

 

Quanto ao que diz respeito ao Algarve/Albufeira no que concerne às condições do tempo,

 

‒ Neste território da ponta sudoeste da Europa (e por onde já passaram os Mouros) proporcionando um meio ambiente adaptado (por tranquilo e reflexivo), moderado (talvez pela proximidade e influência do norte de África) e agradável (tal como num clima Mediterrânico)

 

2.jpg

Albufeira ‒ Praia do INATEL

(zona do edifício antigo)

 

Tudo se resumindo (um pouco como em todo o país) à diminuição da precipitação e ao regresso do frio (com uma ligeira descida nas temperaturas mínimas também a sul).

 

Com a previsão a apontar para este início de mais uma semana de trabalho (particularmente para quem o tem) como Rei das Temperaturas Mínimas a cidade da Guarda (0⁰C) e como Rei das Temperaturas Máximas a cidade de Faro (17⁰C),

 

‒ E em Albufeira com as temperaturas (previstas para hoje) a variarem entre 7⁰C/18⁰C (de momento/meio da manhã apontando os 15⁰C) para além de previsão de aguaceiros e vento moderado de NW.

 

(imagens: Março 2018/PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:12

13
Mar 18

Mais fraquinha que Félix e com tempestade a ser mau tempo

 

image1.jpg  image2.jpg

A chegada da tempestade Gisele a Portugal Continental

(prevista para esta quarta-feira 14/previsão para as 12:00 e 15:00)

 

Passada a sexta tempestade (FÉLIX) catalogada desde o fim do ano passado (por iniciativa e por ordem alfabética) por três agências Meteorológicas ‒ IPMA (Portugal), AEMET (Espanha) e MÉTÉOFRANCE (França) ‒ uma nova depressão (associada à passagem de uma superfície frontal fria) aproxima-se rapidamente da ilha da Madeira (indo-se sentir mais intensamente esta quarta-feira dia 14) dirigindo-se de seguida em direção ao Golfo de Biscaia e ao sul da Grã-Bretanha: no seu trajeto originado no arquipélago dos Açores (afetando já esta terça-feira com mau tempo este território) atingindo Portugal Continental sobretudo a região norte.

 

Com esta nova tempestade oriunda do oceano Atlântico e deslocando-se para leste a transportar consigo (tal como a anterior Félix) chuva intensa, rajadas de vento e forte agitação marítima e com os meteorologistas a preverem aquando da sua passagem (amanhã, dia 14) precipitação elevada, queda de granizo e trovoada (principalmente a partir do período da tarde) e ainda vento intenso por vezes com rajadas (sobretudo a partir do início da noite). Naturalmente com estas condições atmosféricas a refletirem o que se irá passar a seguir no continente, com a passagem desta nova tempestade (a sétima) ‒ já denominada como GISELE ‒ dentro de dias e por cá.

 

rain-umbrella-750x347.jpg

Gisele

(chuva, vento e agitação marítima sobretudo a norte)

 

Para já e no que diz respeito exclusivamente a Portugal com o IPMA a manter o Alerta Laranja para o arquipélago dos Açores (em 7 das suas 9 ilhas) ‒ tendo sido o primeiro território a ser atingido (os Açores) devido sobretudo à ação do vento e ao estado bastante agitado do mar ‒ salientando desde logo (e alertando) para a chegada da tempestade Gisele à Madeira e ao Continente e com os primeiros efeitos a fazerem-se sentir (como já referenciado) amanhã. (No fundo) Uma tempestade (Gisele) com um menor impacto que a anterior (Félix), afetando essencialmente o norte e com ondas não tão altas (4/5 metros).

 

E segundo as previsões do IPMA para o Algarve e para Albufeira (até 18 de Março um domingo) com o tempo a apresentar-se com períodos de chuva ou aguaceiros, vento geralmente moderado e temperaturas variando entre os 7⁰C/18⁰C (mínima/máxima) ‒ com uma acentuada descida das temperaturas mínimas de 6⁰C de quarta-feira (14) para sexta-feira (dos 13⁰C previstos para hoje para os 7⁰C de sexta-feira).

 

(imagens: sat24.com/portugalresident.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:58

27
Fev 18

E por volta das 23:30 (já passando um pouquito) com chuva em Albufeira e 14⁰C de temperatura.

 

Confirmando a passagem de uma onda de frio oriundo do Círculo Polar Ártico e neste preciso momento (segundo os meteorologistas) atingindo o seu pico máximo, todo o Continente Europeu em maior ou menor grau (de intensidade) tem vindo a ser afetado por temperaturas negativas, além de queda de neve e de formação de gelo: apanhando muitas pessoas de surpresa (não se prevenindo para estes casos meteorológicos extremos) e tendo até hoje provocado 11 vítimas mortais.

 

sss.jpg

Temperatura do Ar na Europa

Dos +15⁰C/+16⁰C registados na Península Ibérica, passando pelos -5⁰C no norte de Itália, até se chegar aos -18⁰C registados na Rússia

(27 Fevereiro 2018)

 

Com as únicas exceções a serem o sul de Espanha e claro está Portugal: no caso do nosso país e talvez devido à nossa proximidade ao oceano/Atlântico e ao mar/Mediterrânico, com as condições do tempo (na Europa de muito frio) a atenuarem-se, tornando o seu impacto bem mais moderado (mais a sul do que a norte, mais a baixa altitude do que a alta) ‒ podendo até nevar na Serra da Estrela, mas mantendo-se na Região do Algarve, um tempo/clima bem aceitável (perguntem aos turistas agora aqui presentes ‒ em plena estação de Inverno ‒ do norte e centro/leste da Europa).

 

sss2.jpg

Temperatura do Ar na Península Ibérica

Em Portugal com as temperaturas aumentando para sul ‒ 5⁰C/13⁰C/15⁰C

Com mais frio e chuva a norte e mais Sol com alguns chuviscos a sul

(27.02.2018)

 

No que diz respeito a Portugal Continental com a meteorologia na Torre/Serra da Estrela (1993m) e no Alto da Foia (902m) a registar esta terça-feira (dia 27), temperaturas em torno dos 0⁰C com queda de neve a norte (Torre) e a sul temperaturas baixas (mas mais elevadas) e sem queda de neve (aí com frio e aguaceiros). Neste ponto da evolução deste período de mau tempo em Portugal ‒ referindo-nos às condições meteorológicas ‒ o mesmo não se passando na Europa como já se viu anteriormente (registando-se vítimas mortais).

 

Su12-BbH-5pdP5wl.jpg

A tempestade EMMA (no centro a azul-claro) a caminho de Portugal

A travessando de seguida toda a Península Ibérica

E podendo agravar ainda mais as condições de frio extremo no Reino unido

(induzindo a formação de nevoeiros e chuva gelada)

 

E se no caso do frio gelado que tem caído sobre a Europa atingindo mesmo o Mediterrânico,

 

‒ Caso da capital italiana Roma a uns 30Km do Mar Tirreno ‒

 

“Rome woke up Monday, February 26 covered in snow for the first time in six years in what authorities described the largest snowstorm to hit the city at the end of February in decades. Temperatures in this Mediterranean city dropped to -4 °C (24 °F) and combined with rare snow to disrupt the traffic and close schools and tourist attractions.” (watchers.news)

 

As consequências variaram (nas nossas proximidades sendo mais acentuadas em registo de temperaturas negativas na região montanhosa dos Alpes), já no caso da chegada da tempestade Emma e apenas no que nos diz respeito (e a Portugal), com a mesma a transportar muita chuva e rajadas de vento (intensificando o frio), proporcionando condições para mar agitado e com ondulação elevada.

 

(imagens: gfycat.com e @metoffice)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

13
Fev 18

De um trabalhador manual (como Catarina Eufémia a Camponesa), como poderia ser de um trabalhador intelectual (como Aquilino Ribeiro o Escritor).

 

Retrato

 

625889.jpg

 

Catarina Eufémia. O coração que “batia comunismo” vai-se apagando aos poucos.

(ionline.sapo.pt)

 

“Chamava-se Catarina/ O Alentejo a viu nascer/

Serranas viram-na em vida/ Baleizão a viu morrer”.

 

Pela voz de Zeca Afonso, a história de Catarina Eufémia foi ficando guardada nas memórias do comunismo alentejano. A camponesa que deu a vida pela revolução dos trabalhadores, se fosse viva, faria hoje 90 anos.

Uma geração sem Catarina Eufémia

 

Para muitos portugueses, nomeadamente os mais jovens, o nome de Catarina Eufémia não passa hoje de uma rua ou de um largo. “A Catarina tem uma importância enorme, basta ver a quantidade de ruas, praças, pracetas, largos que há em Portugal – especialmente no Alentejo e na zona industrial de Lisboa [para onde vieram grandes comunidades do Alentejo rural nos anos 60] – para ver a importância que teve”, diz o autor (Pedro Prostes da Fonseca autor do livro O Assassínio de Catarina Eufémia). No entanto, entre as pessoas, a história está a perder-se. “Eu fiz o lançamento do livro em Baleizão, na sociedade filarmónica”, conta Prostes da Fonseca. “Disseram-me, ‘atenção que Baleizão não vai ligar nenhuma’, mas eu quis ver com os meus olhos a força que a Catarina teria ainda, neste momento, em Baleizão. Foi uma coisa terrível porque estavam sete ou oito pessoas a assistir à apresentação do livro – uma delas era a filha de Catarina – e cá fora estava imensa gente a beber cerveja e a fazer barulho.”

 

“Ela continua com a sua estátua no largo central de Baleizão, continua lá a foice e o martelo no local onde supostamente foi abatida”, agora, “a malta mais nova – a sensação com que fiquei – é que não, não tem qualquer interesse.”

 

Quando questionado sobre a importância desta parte da história, Prostes da Fonseca não tem dúvida de que“faz sempre sentido recuperar a memória histórica”. “É uma pena a história da Catarina ter desaparecido aos poucos, várias pessoas a cantaram, a escreveram – como Sophia de Mello Breyner [no poema “Catarina Eufémia”] –, ela foi muito importante culturalmente. No fundo, é a nossa história. O Estado Novo não tem assim tantas histórias de pessoas que resistiram para Portugal se poder dar ao luxo de passar quase uma esponja por cima desta figura”, critica.

 

(excertos do texto: Catarina Eufémia. O coração que “batia comunismo” vai-se apagando aos poucos/13.02.2018/ionline.sapo.pt ‒ imagem: ionline.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:31

08
Fev 18

De momento com a temperatura em Albufeira a andar pelos 13⁰C, com céu limpo e vento moderado de norte (especialmente frio de manhã cedo e à noite).

 

HeartyNippyBillygoat-mobile b.jpg

Com o efeito provocado pelo SSW a começar-se a sentir nas Ilhas Britânicas

Já hoje 8 de Fevereiro de 2018/quinta-feira/13:00

(gfycat.com)

 

Com as previsões para os próximos dias em Albufeira a apontarem para a manutenção das temperaturas (e do frio), geralmente com céu nublado/parcialmente nublado (e ainda com algumas possibilidades de chuva).

 

Com o tempo frio a afetar nos últimos tempos não só a América do Norte (Canadá e EUA) como todo o continente Europeu ‒ veja-se o caso de França com uma rara e grande e queda de neve a fazer-se sentir ontem em Paris (quarta-feira, 7), acompanhada por temperaturas a atingirem os 10⁰C negativos e colocando os transportes da capital num caos total (chegando mesmo a paralisar o transporte à superfície) ‒ os meteorologistas europeus veem-nos agora alertar da forte possibilidade de nos próximos dias as condições atmosféricas não só se manterem, como de se agravarem ainda mais e de simultaneamente se prolongarem no tempo (por mais uns largos dias).

 

HeartyNippyBillygoat-mobile.jpg

Com o efeito provocado pelo SSW a sentir-se mais intensamente em Portugal

A 14 de Fevereiro de 2018/quarta-feira/01:00

(segundo os meteorologistas)

 

Logo ‒ no Algarve e em Albufeira e apesar da queda de neve ao pé do deserto (em Marrocos) ‒ com o tempo no fundo a manter-se apesar deste fenómeno atmosférico associado ao vórtice polar.

 

Tudo isto provocado pelo aparecimento de um raro fenómeno atmosférico originado no Polo Norte e denominado SSW (Sudden Stratospheric Warming/Aquecimento Estratosférico Súbito) e que já no passado (Março de 2010) trouxe um período prolongado de frio (intenso) afetando algumas das regiões da Europa. Segundo as previsões dos meteorologistas (para as próximas duas semanas) com o Vórtice Polar atualmente sobre a Gronelândia a dividir-se em dois, com uma das partes dirigindo-se para o Canadá e a outra na direção da Rússia: e depois de se dividir (a 8/9) e ficar já bem desenvolvido (a 11), atravessando toda a Europa e o Mediterrâneo e atingindo igualmente a Península Ibérica ‒ e aí Portugal (mais intensamente a 14). Posteriormente enfraquecendo e finalmente dissipando-se (subindo então as temperaturas).

 

(dados e imagens: watchers.news/gfycat.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:23

01
Fev 18

[E para comparar com Portugal/Albufeira]

 

Enquanto ninguém liga ao que se está a passar (Aquecimento Global/Alterações Climáticas), pelo menos vai-se dando notícia, do que toda a gente já vê (com todos os órgãos dos sentidos). O que não se percebe bem é do que é que todos estão à espera!

 

1517288964207_GB31EH6KL.5-1.jpg

Uma Estrada num Oceano

 

Portugal/Albufeira

 

Em Portugal Continental e com as condições meteorológicas a manterem-se ‒ tempo seco (mesmo em Dezembro) e frio (devido à presença de um centro de baixas pressões sobre o território) ‒ prevê-se para os próximos dias (usufruirmos de) sensações atmosféricas muito semelhantes com uma ligeira descida das temperaturas e alguns períodos de chuva. Em ALBUFEIRA com o céu a mostrar-se um pouco nublado (com probabilidade de precipitação reduzida), com vento moderado de norte e com as temperaturas (mínima/m e máxima/M) a descerem de 7⁰C/17⁰C (hoje, dia 1) para 3⁰C/12⁰C (3ª feira, dia 6) ‒ uma descida de 4⁰C/5⁰C (m/M); e no mar com ondas por volta dos 0,5 metros de altura (até 0,8m) e temperatura da água nos 15⁰C. E podendo chover entretanto (domingo dia 4, com a maior probabilidade), a partir de quarta-feira (dia 7) podendo voltar a espaços (não muito prolongados) a chuva.

 

1517288964207_GB31EH2JJ.5-1.jpg

Town Beach

 

Austrália/Broome

 

Já no caso do Mundo e particularmente (do Continente) da Oceânia com o norte da Austrália (e outras ilhas próximas) a ser exposto a condições extremas de mau tempo, com períodos de chuva intensa provocadas pelo período das monções (neste momento atingindo um máximo de precipitação) e inundações não só provocadas pela mesma (chuva) como pela circunstância da chegada da SUPER LUA de Janeiro, 31 (ocorrida esta quarta-feira): com a conjugação da Monção (provocando chuva intensa) e da Super Lua (originando a subida do nível da água do mar) agravando-se as condições (meteorológicas) e as consequências para as populações (em danos materiais e humanos). Já na passada 3ªfeira dia 30 (e referindo-nos apenas ao norte da Austrália) com a tempestade a descarregar toda a sua violência sobre a localidade costeira de Broome (uma cidade turística tendo a noroeste a Indonésia e a nordeste a PNG) ‒ com ventos fortes e precipitação intensa ‒ derrubando árvores e postes, cortando estradas e interrompendo o fornecimento de eletricidade, mas sobretudo dando origem a enormes inundações e criando o caos total.

 

1517288964207_G701EHKGA.4-1.jpg

Campo de Golfe

 

Com a Austrália situada no continente da Oceânia e neste momento (dado estar localizada no Hemisfério Sul) a atravessar a sua estação de Verão (na vila turística de Broome com as temperaturas em redor dos 20⁰C/30⁰C), a ver o norte e o oeste do seu território a ser varrido por uma grande tempestade (a nível de pluviosidade com níveis muito perto dos seus recordes e com ventos atingindo os 100Km/h ou mais). Para além de todos os danos materiais provocados falando-se até ao momento de uma possível vítima mortal: um homem de 62 anos desparecido desde 24 de Janeiro e que segundo amigos (seus) iria fazer um percurso de bicicleta. Com o vento e as inundações bem explicitas nas imagens anteriores (Uma Estrada num Oceano, Town Beach e Campo de Golfe).

 

global_lunar_eclipse_01182018.jpg

Eclipse da Lua

 

De um modo ou de outro com os períodos de mau tempo (desde o início do ano) a estenderem-se um pouco por todo o planeta, desde o Hemisfério Norte (atravessando o Inverno) até ao Hemisfério Sul (atravessando o Verão): com a América do Norte, a Europa e até Marrocos a tremer (com a mais recente vaga de frio) e até com os países do sul da Asia e da Oceânia e fazendo face às Monções (e até à Super Lua) a sofrerem perante a força do vento e a verdadeira muralha (invasora) de água (num duplo impacto com origem no ar e no mar). Sendo bem visível na última imagem (Eclipse da Lua) como toda aquela região do sul da Ásia/Oceânia foi um dos mais afetados pelo evento lunar (com marés mais elevadas) ‒ e em Portugal (como na Europa Ocidental) com o Eclipse não sendo visível.

 

(imagens: perthnow.com.au e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:26

16
Jan 18

A1.jpg

Especialmente Lisboa e toda a área a sul do Tejo

(incluindo a região do Algarve e até o Reino de Marrocos)

Fevereiro 1969

 

A nível SISMOGRÁFICO e depois do sismo registado ontem a NE de Arraiolos (M4.9) – e das 10 réplicas que se lhe seguiram, 8 ainda ontem e 2 já hoje (M1.8 e M1.2) – em Portugal Continental e no que diz respeito à Região do Algarve, registando-se ainda 3 pequenos sismos 2 tendo como epicentro Monchique (o primeiro a SE/M0.7 e o segundo a NE/M1.2) e 1 o Cabo de S. Vicente (a SW/M1.9). E relativamente aos sismos (de intensidade igual ou superior a M4.0) ocorridos ontem a nível Global (15 Janeiro 2018) com o sismo de ARRAIOLOS (Portugal) a ser o 7º do dia (exe aequo com mais 4) entre 29 – e com o de maior intensidade a ocorrer (ontem) em VANUATU na Oceânia (segundo a EMSC colocando Arraiolos com M4.6) com M5.3 (durante a madrugada).

 

A3.jpg

Lisboa de madrugada

 (a seguir ao sismo de 7.5 na escala de Richter)

28 Fevereiro 1969

 

JÁ HOJE terça-feira (16 Janeiro) com o maior sismo ocorrido (até às 16:00) a ser registado na América Central há cerca de hora e meia (pouco passando das 15:00), com um sismo de intensidade M5.9 ao largo da costa da NICARÁGUA (virada para o Pacífico). E referido a este ano de 2018 (com quase 16 dias dos 365 concluídos) com os dois maiores sismos registados (e de magnitude igual ou superior a 7) a serem o ocorrido próximo da costa sul do PERÚ (a 14 de janeiro e de M7.1) e a norte das HONDURAS (a 10 de Janeiro e de M7.6) – para já o Campeão (provisório) do Ano 2018. Referindo-nos a terras próximas e ao Continente Europeu (neste ano de 2018) com a GRÉCIA e o MONTENEGRO a estarem sismologicamente ativos: com um sismo M5.1 (Grécia a 2 de Janeiro) e outro de M5.0 (Montenegro a 4 de Janeiro).

 

(imagens: Diário de Lisboa/pinterest.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:26

12
Jan 18

Um Território (Portugal) para Turistas assim como para Reformados

 

480492B600000578-5258303-image-a-2_1515672935695.j

Praia em Barcelona

 

Nesta quinta-feira dia 11 de Janeiro quando por volta das 20:30 via pela televisão por cabo a estação de TV Galícia (localizada no noroeste de Espanha a norte de Portugal), fui desde logo informado que os nossos irmãos da Península eram agora detentores de mais dois assinaláveis (caso contrário não sendo obviamente notícia) Troféus: a nível do Turismo e da Doação de Órgãos sendo a Espanha o novo Vice Recordista Mundial (título referido ao ano de 2017).

 

No caso do Recorde registado na Área do Turismo e depois de no ano anterior (2016) a Espanha ter igualado os EUA (ambos perto dos 76 milhões), eis que no ano seguinte (2017) com os seus 82 milhões de turistas ultrapassando os EUA e colocando-se desde logo (em 2º) em perseguição do 1º lugar − a França − com perto de 90 milhões. E indo em busca de Portugal companheiro Ibérico com Espanha com para lá de 20 milhões e integrando o Top 20 (Mundial).

 

Já no sector da Saúde na seção da Doação de Órgãos não sendo apenas o Vice (como para já no Turismo) mas definitiva e claramente o Líder Mundial (em transplante de órgãos): no ano passado (2017) atingindo os 5259 transplantes (a maioria aos rins) ultrapassando o (seu) recorde anterior de 4818 (registado em 2016).

 

Com a percentagem de dadores sendo em Espanha de 47/milhão, bastante superior à norte-americana (27/milhão mais de metade) para já não falar na (média) europeia (20/milhão menos de metade). Em Portugal e tal como em Espanha (talvez uma virtude dos Ibéricos) com o número de dadores/transplantes a ser elevado (ainda há seis anos) com Portugal em terceiro com mais de 25/milhão (logo atrás da Croácia e atrás dos EUA).

 

E com a entrada de Portugal na Comunidade toda a gente sabendo ao que vinha a Europa: por um lado Hotelaria, Restauração e Serviços (mais para o Litoral sobrepovoado) e por outro, criação (de animais) e plantação de eucalipto (sobretudo).

 

2e75819a115f93f8663bb2d283085959_XL.jpg

Espanha ‒ Recorde em transplantes/doações de órgãos

 

E finalmente conjugando Turismo/Ocupação e Doações/Transplantes (duas áreas interessantes e em tudo compatíveis em edifícios e recursos) transformando-se esta ponta desta Península perfeita − com tudo para negociar e até o corpo a ceder (soando melhor doar) – no Paraíso do Rico (no fundo dos extraterrestre vindos das terras de fora) e ao invés (para nosso exclusivo usufruto) no Inferno dos Pobres (os pobres indígenas terrestres para sempre fixos no espaço e no tempo):

 

Transformando Portugal num chouriço à beira-mar (na verdadeira ação da palavra) plantado apenas por alguns (tal como em portas/janelas servindo para separar) para isolar/proteger a base do negócio (os clientes e o dinheiro) dos olhos e da inveja dos perigosos selvagens locais – com uma muralha correndo do extremo Norte ao Sul (de Caminha a V. R. St. António) de um lado tendo a Praia e do outro lado a Selva.

 

Pelo meio com uns interstícios um no Porto (capital do norte) outro em Lisboa (capital do sul) em guerra e imitando-se − subindo-se (o rio) indo dar-se a Espanha, descendo-se ao oceano e ficando mesmo sem querer (vejamos o Porto onde nasci) sendo submerso imediatamente por duas ondas (duplo impacto) e logo Gigantes: uma vinda do Porto outra vinda de Gaia e escorrendo violentamente pelas encostas cercando o Douro (como um Monstro desgovernado levando tudo à frente) caindo no leito do rio esmagando e destruindo (as Margens) enquanto pretensamente comemos e (sobretudo) bebemos.

 

E assim destruindo a Invicta e Vila Nova de Gaia (e o seu Coração e Motor, o Douro das vinhas e do Porto) para tal preferindo então (e recordando) o Palácio de Cristal (ou então em Lisboa a Feira Popular): no Verão nas férias grandes com muitas barraquinhas (de jogos, bonecos, surpresas), comida e farturas (ainda não conhecendo os churros com as sardinhas e as febras/frango à cabeça) e até carrinhos de choque, um lago (com barcos e patos) e mesmo um (mini) zoológico (até tendo um Leão) – ao fundo e lá em baixo com o rio e o casario (postal-retrato do Porto a mais bela janelinha para o Douro).

 

Na região do Algarve e com um único desígnio (proposto aos algarvios pelas auto denominadas Forças Vivas da Terra) a ser a Hotelaria/Restauração e o Imobiliário/Construção, com a maior esperança/ambição para as novas gerações, um dia ser Empregado/Rececionista/Diretor ou então Pedreiro /Pintor/Mestre-de-Obras (e áreas correlacionadas tradicionalmente muito mal pagas).

 

ALB.jpg

Marina de Albufeira

 

Transformando o nosso país num categorizado Hotel (de 6 ou mais Estrelinhas) com a capacidade extraordinária (nem todos se podendo gabar disso) de nele se poder doar (vender/comprar), aceitar (trocar, ficando um a ganhar e outro a perder) e transplantar (no fundo e legalmente tirar): isto porque neste país quem doa só mesmo estando (mal e) a delirar. O que interessa é sacar sendo solidário (somente) a roubar. E com os rins em geral a serem os mais procurados.

 

(imagens: SHUTTERSTOCK/GETTY/PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:03

08
Jan 18

USA to FREEZE in arctic WEATHER BOMB:

'Snow hurricane' and blizzards to smash east coast

(express.co.uk)

 

1.jpg

Residentes tentando limpar a neve na cidade de Boston ‒ Massachusetts

(Getty)

 

Com temperaturas em torno dos 30⁰C negativos ‒ e em muitas regiões devido aos ventos extremamente frios (acompanhando a queda de neve e a formação de gelo) chegando a atingir os 70⁰C negativos ‒ o Canadá e os Estados Unidos têm-se visto nestes últimos dias debaixo de uma verdadeira TEMPESTADE (condições meteorológicas extremas), colocando muitas das suas estruturas básicas em risco (transportes, eletricidade, vida social, etc.) e instalando o caos em muitas partes da América do Norte (Canadá/EUA):

 

2.jpg

Com as temperaturas no Canadá/EUA a atingirem os 30⁰C negativos

(Getty)

 

Devido aos Ciclones-Bomba com as temperaturas registadas a atingirem valores recordes negativos e com as mesmas (temperaturas) ao descerem abrupta e rapidamente (deslocando-se posteriormente para sul) a estenderem os seus efeitos a estados (norte-americanos) tão distantes como a Flórida ‒ apanhando as iguanas desprevenidas, enregelando-lhe os membros e fazendo-as cair das árvores.

 

4.jpg

Massachusetts ‒ Inundações e formação de gelo tornando impraticável a condução

(EPA)

 

Entre outros fenómenos meteorológicos provocados pela TEMPESTADE com o vento forte (em certas zonas do Canadá) a provocar a interrupção da distribuição de eletricidade, com a queda de neve (e formação de gelo) a interromper importantes vias de comunicação (costa este dos EUA), com as condições de tempo extremo (para o Homem) a provocarem para já 21 vítimas mortais (19 dos EUA e 2 do Canadá), com os aeroportos parcial/totalmente paralisados (e com os passageiros continuando presos tanto no aeroporto como nos aviões),

 

5.jpg

Boston sob efeito da Bomba-Ciclone

(Getty)

 

Para no final e conjugando todos estes fatores (queda de neve, ventos ciclónicos e descida abruta de temperatura) ‒ associados ao fenómeno CICLONE-BOMBA ‒ deixar todo este território abrangendo todo o norte do continente americano exposto aos ventos do Ártico e assim proporcionando o aparecimento de temperaturas extremas podendo bater recordes (como os tais 70⁰C Negativos).

 

3.jpg

O Olho da Tempestade tendo à esquerda os EUA e (um pouco mais) à direita a Europa

(NOAA)

 

No caso de Portugal e das suas Tempestades (Ana, Bruno, Carmen e exterior à lista Eleanor) ‒ às quais no passado chamaríamos (simplesmente) Mau Tempo ‒ passado o efeito provocado pela passagem das mesmas (ao largo de nós especialmente Eleanor) ‒ nos próximos dias e segundo o IPMA com a previsão meteorológica a prever uma ligeira subida das temperaturas (mantendo-se no entanto tempo frio) e o regresso da chuva. E em Albufeira (subindo ligeiramente as mínimas) com as temperaturas a andarem (especialmente a partir de 4ª feira) entre os 8⁰C/16⁰C (até sensivelmente o meio do mês) verificando-se o regresso da chuva (3ª/4ª feira e regressando para o fim-de-semana) com vento fraco a moderado (com Alerta Amarelo para dias 10/11).

 

(imagens/dados da legenda: bbc.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:02

05
Jan 18

Com a consulta da palavra Tempestade a aparentemente fazer frente (na Web) à palavra Sexo (sendo que CARMEN é até agora e apenas a 3ª ereção meteorológica), o melhor estratagema para fazermos frente a ambos (Tempestade & Sexo) será sempre o de dar de comer a quem pensa que tem fome (assim aumentando o número de fans) deixando-os pensar (nós incluídos) estarem satisfeitos.

 

img_797x448$2017_05_11_08_23_22_225364.jpg

Tempestade CARMEN

Prevendo-se chuva, vento e queda acentuada nas temperaturas

 

Com a temperatura em Albufeira pelas 19:00 a registar 12,7⁰C (como anteriormente previsto) os efeitos da passagem da Tempestade CARMEN por Portugal (continental) começaram-se a sentir hoje (sexta-feira, 5 de Janeiro) com aguaceiros (ou períodos de chuva a sul), vento fraco a moderado (forte nalgumas regiões do interior-centro) e agitação marítima (com ondas de 3,5/4,5 metros a ocidente e de 1,0/1,5 metros a sul).

 

No que diz respeito à região do ALGARVE com a temperatura do ar a andar entre os 10⁰C/18⁰C (as do mar pelos 16⁰C/17⁰C), a oeste com aguaceiros (menor precipitação) e a este com períodos de chuva (maior precipitação).

 

Na previsão meteorológica para este fim-de-semana (sábado e domingo) e mantendo-se sensivelmente os mesmos parâmetros de vento/precipitação (em princípio tendendo a diminuir ligeiramente de intensidade) sendo de realçar até pela altura do ano (estação de inverno e época das gripes em certos casos sugerindo a vacinação ‒ este ano e para já sendo o vírus prevalecente um dos mais fracos) a descida generalizada das temperaturas (segundo os meteorologistas nalguns casos extremos e num espaço de poucos dias podendo atingir uma descida de 15⁰C):

 

No Porto com as temperaturas a descerem de 6⁰C/14⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 3⁰C), em Lisboa de 8⁰C/15⁰C para 3⁰C/12⁰C (descida máxima de 5⁰C) e em Faro de 10⁰C/18⁰C para 4⁰C/12⁰C (descida máxima de 6⁰C) ‒ e como se constata com a maior descida registada a sul (em Faro).

 

00-10.jpg

Tempestade CARMEN

Afetando toda a Península Ibérica incluindo o Algarve

 

Sendo ainda de realçar Trás-os-Montes e as Beiras, onde as temperaturas registarão valores Negativos:

 

Com os distritos de Bragança, Vila Real, Viseu e da Guarda a serem os mais atingidos (por esta nova Vaga de Frio) ‒ entre eles com as mínimas a atingirem os -2⁰C/0⁰C e as máximas 3⁰C/9⁰C (nevando na Serra da Estrela) e no caso do Algarve e do seu ponto mais elevado (Serra de Monchique) fazendo frio (em Monchique com as temperaturas pelos 2⁰C/9⁰C) mas obviamente sem neve (no Alto da FÓIA).

 

Finalmente e cingindo-nos exclusivamente a Albufeira prevendo-se para este fim-de-semana tempo muito idêntico ao registado hoje (sexta-feira) mas devido ao frio (e à descida acentuada de temperaturas) com o concelho colocado em Alerta Laranja.

 

(dados: ipma.pt ‒ imagens: sabado.pt/GETTY e tiempo.com/ECMWF)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:39

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO