Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Covid-19 ─ Depois da 2ª Grande Tempestade

Quarta-feira, 05.05.21

Nos últimos 14 dias desta nova vaga de Covid-19, verificando-se uma certa indefinição no nº de Infetados/dia (apesar de baixo) e a manutenção da tendência decrescente nos restantes parâmetros ─ como o do nº de Internados (incluindo os em UCI) e o índice R(t). Numa média (a 14 dias) de 2,2 óbitos/dia, oscilando entre um mínimo de 0 e um máximo de 6. Na região (de turismo) do Algarve (e nestes últimos 14 dias) com o nº de Infetados/dia a variar entre 7/37 (média de 20,9/dia) e o nº de óbitos/dia a variar entre 0 e 1 (média de 0,2/dia).

[Em Portugal com a DGS a reportar hoje (relativo ao dia de ontem) +387 Infetados (mais 129 que no dia anterior) e +2 óbitos, com o índice de transmissibilidade R(t) a continuar em descida.]

Imagem1.jpg

Talvez para a semana e para todos

com Portugal ainda mais aberto

 

Globalmente e dos seus 7,864 biliões de habitantes (maio de 2021) potenciais candidatos a serem infetados pelo vírus SARS CoD-2 contraindo a doença Covid-19, com mais de 155,651 milhões deles a já terem sido contaminados (2% da população Mundial, 1/50 pessoas) e mais de 3,250 mil a já terem falecido (2,1% dos infetados/contaminados). Com a Europa a obter (nestes últimos 14 dias) os melhores valores com -20% de infetados e -18% de óbitos, seguindo-se a América do Norte com -11%/-5% e com a Ásia a ter a pior performance com +4%/+20%.

[Na Índia com a infeção por Covid-19 a estar no “topo-do-mundo” registando-se neste último dia +412.608 Infetados e +3.982 óbitos (com 230.151 óbitos no total, já o 3º a nível Mundial).]

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:56

Covid-19 PT/26.04/Zero Mortos

Segunda-feira, 26.04.21

Indicando podermos estar no bom caminho com Portugal a registar hoje “ZERO” vítimas mortais, desde o início desta Pandemia de Covid-19 (finais de março de 2020) o 2º momento em que tal acontece: ocorrendo este 2º momento a 26 de abril de 3021, enquanto o 1º momento a 3 de agosto de 2020 (já lá vão quase 9 meses).

Imagem1.jpg

Com todos os parâmetros indicativos da Covid-19 em tendência decrescente, tendo-se hoje 26 de abril atingido um marco/símbolo histórico, registando-se “zero mortos” (lembrando-nos algo de semelhante ocorrido há nove meses)

 

Num momento em que apesar da crise na campanha de vacinação das populações ─ motivada pela escassez de vacinas disponibilizadas (à Europa) ─ quase 3 milhões de pessoas já foram vacinadas (2.913.895/29%) e perto de 800.000 com as duas doses (788.174/8%). Isto enquanto os casos de infeção/100.000 habitantes caía para 70,4 (antes 72,1) e o índice de transmissibilidade subia ligeiramente para R(t) = 0,99 (antes 0,98).

 

Quanto aos restantes parâmetros Covid-19 com o nº de Infetados a descer (de +478, para +196), com o nº de Internados a subir (de 348 para 365, mais 17) e com o nº de doentes em estado grave/crítico (em UCI) a descer (de 97 para 91, menos 6). No Algarve (a 26 de abril) registando-se +15 Infetados e sendo esta segunda-feira o 30º dia consecutivo com menos de 2 óbitos (26 com 0 óbitos/87% e 4 com 1óbito/13%).

Screenshot_2021-04-26 Good News Zero COVID-19 deat

Com os indianos de Bombaim (uns 12,5 milhões) festejando uma semana depois do Ano Novo (de 2021) de “zero mortos”, mal sabendo o que os esperava uns meses depois (quase nos 3.000 mortos/dia)

 

Finalmente a nível Global e comparando as duas últimas semanas, com o nº de Infetados e de óbitos a aumentarem ambos +7%; na Europa com a evolução sendo a contrária, com o nº de Infetados a descerem -11% e a de óbitos -6%; e já no caso da Ásia apresentando o pior cenário (entre todos os continentes) com o nº de Infetados a aumentar +26% e o de óbitos +48%. Com o pesadelo da Pandemia provocada pelo vírus SARS CoV-2 a centrar-se agora na Índia, a grande responsável pelo crescimento asiático: hoje com mais 319.435 Infetados e mais 2.764 óbitos.

 

(imagens: Produções Anormais e mumbaimirror.indiatimes.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:30

Covid-19 ─ Ah! Mas então, o que fazer?

Sábado, 10.04.21

Continuando a ver o nº de Infetados a subir/descer (mais de 2,5X o nº registado há 26 dias) e o índice de transmissibilidade em lenta mas constante subida (subindo no mesmo período mais de 20%), tendo conhecimento (limitando-me ao sector da Educação, vanguarda assumida pelo Governo na luta contra a Covid-19) de novos casos de infeção começando a surgir em diversas escolas como é o caso de duas escolas básicas/1ºciclo/jardim de infância do Montenegro (colocando 300 alunos em isolamento), sabendo nunca se ter concretizado a testagem e vacinação maciça e prévia (como prometido) de toda a comunidade escolar (e não só) envolvida e finalmente mantendo-me atualizado sobre o que se passa sobre este assunto por toda a Europa (de este a oeste)

 

Imagem1.jpg

Evolução Covid-19 em Portugal

15 de março a 9 de abril

(2021)

 

Com o vírus a manter-se e a ressurgir (como se vê pelo nº de óbitos/dia registados) traduzido pelo nº de infetados/índice R(t) e pela manutenção de um elevado nº de mortes (hoje Polónia/768 mortes, Itália/718 e Ucrânia/419) ─ para qualquer pessoa leiga mas no mínimo com “dois dedos na testa” e tendo noção da incapacidade de iniciativa (quanto mais de inovação ou mesmo improvisação) do nosso Governo ─ só sendo capaz de criar “Task Force’s” demorando semanas para se constituírem/reunirem e entrando em ação, concluindo não terem os recursos materiais/testes e vacinas e humanos/profissionais de saúde necessários para tal ─ tendo esta e claramente de se preocupar (ter receio) sendo no seu quotidiano obrigada a entrar/sair (de casa) e a entrar várias vezes em contacto (com objetos/pessoas, mais ou menos próximas).

 

Imagem1X.jpg

Evolução Covid-19 na Europa

8 e 9 de abril

(2021)

 

E para agravar isto tudo e já tendo lançado na rua mais de 1 milhão, dentro de 10 dias com o Ministro da Educação ─ um dos Ministros do Governo mais permeável à pressão, como o é do poderoso lóbi da Educação ─ a atirar para o meio desta grande confusão mais 400.000 alunos (que poderão ser o dobro aderindo o Superior), podendo totalizar a 19 de abril quase 2 milhões (em circulação com os seus habituais apêndices): questionando-nos se continuando estes parâmetros Covid-19 a subir (Infetados e R(t)) e nada de relevante (de prevenção, da nossa parte) se tenha passado entretanto, se a situação se agravar e ao lançarmos mais jovens para a rua (alargando a via de transmissão Família/Escola e cruzando-a com a via Família/Trabalho),  o que sucederá? No próximo dia 19 de abril Marcelo e Costa poderão pôr em causa o nosso destino: podendo-nos sair um “cheque-em-branco” sem cobertura.

 

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:34

Covid-19 Europa

Sexta-feira, 09.04.21

Neste contexto de Desconfinamento em Portugal, algo sobre o que se passa um pouco por toda a Europa, com o registo do nº de óbitos registados esta quinta-feira dia 8. De oeste a este do continente europeu com números como +954 óbitos na Polónia (22% do total mundial de mortes neste dia), +487 na Itália (11%) e +464 na Ucrânia (11%). Portugal ficando-se pelos 9 óbitos (0,2%).

 

Imagem2.jpg

Europa

Com a Polónia a registar só hoje (8 de abril) quase mil mortes

(aqui ao lado a Espanha com 142)

 

Pela amostra e pelos 4.384 óbitos registados em toda a Europa (neste dia), confirmando-se como o vírus SARS CoV-2 continua bem ativo por toda a Europa, desde a Rússia/Ucrânia, passando pela Polónia e chegando à Alemanha/Itália/França ─ e saltando esta “barreira” atingindo rapidamente a Península Ibérica começando por Espanha, encontrando de seguida em Portugal um índice R(t) > 1.

 

Quando a Europa se aproxima das 0,95 milhões de vítimas mortais (no Mundo dos 2,95 milhões).

 

(dados: worldometers.info ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 05:00

Mundo Luso-Covid-19 ─ Nervosos à espera de Costa

Quinta-feira, 01.04.21

“Num dos dados relevantes surgidos com esta Pandemia Covid-19 (em Portugal) ao associá-la, compará-la e adicioná-la ao número total de mortes (registadas no período, indo de março a dezembro de 2020) ─ fins de março ─ resultando de um total de 10.100 mortos serem 5.559 por Covid-19 (55%). Em termos de comparação com os EUA (385.100 mortes no total) com mais de 80% (pior) e o México (com 230.800 mortos no total) mais de 40% (melhor).”

 

Imagem2.jpg

15 de março a 1 de abril de 2021

 

Com o nº total de doses (vacina em 1 ou 2 doses) administradas em todo o Mundo desde o início da Pandemia (de 13.12.2020 a 28.03.2021), a andar pelos 564 milhões (4% a 8% da população Mundial). Uma minoria. Em Portugal e segundo dados de 30 de março (deste ano), com o nº de doses administradas a andarem nas 16 pessoas/em 100 pessoas (Mundo 7,4/100) ─ tendo levado 1 dose 11% e tendo a vacina completa 4,6%.

 

Nesta guerra “Homem Vs. Coronavírus” tendo até ao dia de hoje (quinta-feira, 1 de abril) infetado 822.314 indivíduos e vitimado mortalmente 16.859, deparando-nos agora inesperadamente e como se não bastasse esta Pandemia (tendo já provocado no Mundo mais de 2,8 milhões de mortes), com um duelo político centrado em duas pessoas (representando os dois blocos em luta) e previsivelmente mortal (para um deles e como consequência para todos nós) envolvendo o nosso 1º Ministro (Costa) e o nosso Presidente (Marcelo): de um lado tendo-se o apoiante do “Fecho” e do outro o apoiante da “Abertura” e mesmo não tendo nenhum deles completa razão, com cada um deles a querer impor ao outro a sua opinião e a sua decisão (como se fossem o “Centro do Mundo”), empurrando-nos para uma guerra pessoal e ideológica (puro egocentrismo, pouco se importando com as consequências) em que os únicos prejudicados seremos de novo nós ─ os 10 milhões de portugueses entalados entre (são só dois, mas os outros vindo atrás/á frente) um individuo querendo por prevenção adiar (Presidente) e um outro mortinho poa abrir (1º Ministro). Mesmo não se sabendo quem tem razão e conhecendo-se o sucedido noutros países mais “adiantados” (na evolução desta última vaga), com Costa em contraciclo em relação ao que outros fizeram (Alemanha, França, Itália), a querer em vez de manter (ou recuar), continuar a abrir (como se fossemos o Reino Unido e estando dependente deles): e assim mesmo mantendo-se a evolução de Infetados ainda instável e não querendo o índice de transmissibilidade descer (o R(t)), mantendo-se o plano de desconfinamento do Governo e ao mesmo tempo tentando-se ignorar (colocar de lado) as “sugestões” de âmbito económico e social do Presidente ─ certamente que apoiadas a 100% pelos 10 milhões. Para já e em lume brando mantendo-se esta guerra Costa Vs. Marcelo, esperando-se entretanto e como diz “Costa o 1º” a entrada da lei em campo (TC dando-lhe razão) ─ nada de apoios sociais por não haver dinheiro (pretexto de não ter sido orçamentado, mas existindo retificativos), mas esquecendo-se das ilegalidades constantemente praticadas (e a praticar) só não sendo vistas por quem não quer, envolvendo não 1 milhão mas nestes casos um nº incontável/inimaginável/indefinido de muitos milhões (estes podendo ser sempre orçamentados com sucessivas retificações ─ algo de ofensivo e provocador) como é (só para citar os mais conhecidos) por ex. o caso do Novo Banco e o caso da TAP. Concluindo-se que se não se morrer de doença, as nossas autoridades procurarão sempre uma outra alternativa, obviamente mortal.

 

Screenshot_2021-04-01 France to close schools for

Emmanuel Macron

Presidente da França

Anunciando o agravamento das condições de desconfinamento

(hoje, 1 de abril de 2021)

 

Consultando a percentagem de vacinação em todos os Continentes (dados de 30 de março) com a América do Norte a liderar (graças aos EUA) com 27/100 pessoas, com a Europa aparecendo em segundo (graças ao Reino Unido) com 16/100 pessoas ─ uma desgraça não sendo os da “ilha” estando ao nível da América do Sul ou mesmo da Ásia ─ e de seguida aparecendo a América do Sul (8,2), a Ásia (5,1), a Oceânia (1,4) e finalmente a África (0,7).

 

Voltando à realidade prática e abandonando por momentos (se eles utilizando os seus média nos deixarem) “os duelos de retórica politico-ideológica” (inúteis para as presas, por feitas pelos predadores) ─ nos extremos levando a situações catastróficas como as vividas (impunemente, para o Presidente e seu Governo) no Brasil, no presente “enterrando-se gente de noite e de dia” (ultrapassadas as 320.000 mortes) ─ levando-nos sempre a “mãos-cheias-de-nada”, depois de três horas de espera (13:30 →16:30) pela comunicação ao país do 1º Ministro dando-nos novidades sobre os próximos 15 dias ─ ainda mais nos enervando, não só pelo atraso como pelo que dali poderia vir ─ dali nada saindo que nos aliviasse, além de uma mera intenção baseada numa perspetiva otimista (meia em código, só para entendidos), mais própria de proferida por um leigo ou por um manipulador: descodificada inadvertidamente por um jornalista (daqueles que não pensam, só repetem, por vezes indevidamente) explicando que tal otimismo (não referido, mas governamental, um traço do nosso 1º) se deveria, “à chegada próxima do Verão e do tempo quente e seco, matando e arrumando o maldito bicho”. Mas onde será que eu já ouvi isto? E nos casos de dúvida deixando a decisão (para se irem habituando ao abandono, tal como a generalidade dos cidadãos) aos Municípios e outras autoridades locais (livrando-se ─ o Governo ─ de futuras responsabilidades). E ainda ficando mais preocupado ao saber pela boca do nosso 1º Ministro Costa que entre os “piores” concelhos de todo o país (uns 308) ─ 13+6 ou seja 1300:308 % ─ um deles seria o de Albufeira com 120/240 casos/100 mil (com Lagoa e Vila do Bispo num 2º nível de gravidade, só ultrapassados por Portimão num 1º nível com mais de 240 casos/100.000): em princípio devido a um aumento circunstancial do nº de Infetados nos últimos (2/3) dias. Uma declaração efetuada por Costa aos portugueses, indicando-nos o seu caminho e certamente deixando muitos de nós contentes (desde o progresso na retoma das aulas/agora até ao 9º ano, até à abertura de mais espaços/como as esplanadas de cafés/restaurantes) ─ só pensando no bom e atirando para trás das costas o mau (para muitos de nós, a única forma de se sobreviver) ─ apesar dos Infetados e do R(t) e do constante e repetitivo aviso/alerta (para irmos em sentido contrário) feito por países já tendo vivido antes este momento (estando mais adiantados nesta vaga) ─ como é o caso da poderosa Alemanha (líder e motor da Europa e mantendo o confinamento) ─ e ainda do facto progressivamente sendo conhecido (confirmado pela WHO/OMS) da subida lenta mas “suspeita” e global (especialmente Europa e América) do nº de Infetados. E enquanto uma Europa fecha (a mais forte) ─ como hoje a França ─ a outra nada aprendendo (mais fraca, tendo que trabalhar até para/pelos outros) abre ─ como Portugal (o bom aluno, mesmo que o mestre não preste, o que interessa é o certificado). Pensando do lado de quem paga, “que remédio”.

 

Imagem1.jpg

19 de março a 1 de abril de 2021

 

Estando-se no final de março de 2021 ─ mais de um ano após o início desta Pandemia Covid-19 ─ com 10 vacinas disponíveis no mercado, umas mais para o Hemisfério Oriental (um bloco/Eixo do Mal/terra-de-mouros) outras mais para o Hemisfério Ocidental (outro bloco/Eixo do Bem/terra-de-cruzados): liderando a Oxford-AstraZeneca (em 94 países) além de ser da GB, talvez se compreendendo aqui a perseguição à mesma ─ seguida pela Pfizer-BioNTech (em 80) e pela Moderna (em 34) todas Ocidentais ─ e só depois surgindo a Sinopharm-Beijing (em 21), a Gamaleya/Sputnik V (em 20) e a Sinovac (em 14) todas Orientais.

 

A partir da próxima semana 5 de abril estreando-se um novo episódio (e esperando-se a reação do Município de Albufeira à declaração de Costa) desta série em segunda temporada (depois de 2020, temporada de 2021) ─ correndo bem ou mal, restando-nos sempre a hipótese de rezar à nossa Santinha e tendo uma (local/nossa) a Nossa Senhora de Fátima: protegendo-nos não só de “um Trump ou de um asteroide” mas igualmente desse “bichinho-maldito” queimando-o com os seus poderosos raios Sol (emitidos por Nossa Senhora) e no caso de os Deuses se terem convertido em astronautas (teoria igualmente válida), vindo em nosso socorro, lançando-lhes o seu raio-mortal e exterminando-os a todos.

 

[Consulta de dados: “Tracking Coronavirus Vaccinations Around the World”: nytimes.com/interactive/2021/world/covid-vaccinations-tracker.html]

 

(dados: dgs.pt e nytimes.com ─ imagens: Produções Anormais

e Ludovic Marin/AFP/Getty Images/theglobeandmail.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:43

Coronavírus-PT/2021 a 28 de março

Domingo, 28.03.21

Já com 87 dias (24% do ano de 2021) no interior do 2º ano de Pandemia Covid-19 (registando um total de 16.837 óbitos), para além da falta de estabilização no Nº de INFETADOS (não querendo manter uma tendência constante de descida, uma vez descendo, mas de novo subindo) preocupando igualmente o índice de transmissibilidade R(t) ─ quanto mais elevado pior. O que parece preocupar mais o Presidente (Marcelo) do que o 1º Ministro (Costa).

 

Imagem1.jpg

 

Significando que, mantendo-se a instabilidade no nº de infetados e simultaneamente não descendo o índice de transmissibilidade R(t), podendo-se estar ─ uma das hipóteses ─ não na fase descendente da última vaga (como desejamos) mas, se não numa fase intermédia (fim, intervalo ou recomeço), na fase inicial da vaga seguinte: com os britânicos a adiarem mais um pouco o regresso às viagens (agora só no início de junho) colocando em causa o Turismo.

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:31

Covid-19 em 2021 a dois meses

Domingo, 28.02.21

[Evolução dos números de UCI e de Óbitos (em Portugal), nestes 2 primeiros meses (janeiro e fevereiro) de 2021.]

 

Imagem1.jpg

 

Pandemia do vírus SARS CoV-2 (e da doença COVID-19) em Portugal, indicando a evolução da respetiva doença relativamente a UCI e a Óbitos, durante esta 2ª vaga (ainda em curso).

 

Com os valores atingidos nesta 2ª vaga (máximo de 303 óbitos/dia) apesar de bem superiores aos da 1ª vaga (máximo de 37 óbitos/dia), a demonstrarem uma clara tendência de descida.

 

Ultrapassado o pico máximo de atividade deste vírus nesta 2ª vaga (considerando a 1ª como iniciada por março/2020 e a 2ª por outubro/2020) e visionando-se o desconfinamento.

 

Nesta 2ª vaga com os máximos a serem atingidos entre finais de janeiro/inícios de fevereiro (conforme gráfico), com o pico a ser declarado oficialmente em 28/29 de janeiro.

 

Desde o início do ano e aí se atingindo os valores máximos, registando-se em UCI 904 doentes (a 5 de fevereiro) e em óbitos 303 (a 28 e 31 de janeiro). Hoje com um mínimo de óbitos (33).

 

Prevendo-se que confirmada esta tendência, se comece a abrir parcialmente o país (estado de emergência até 16 de março) ─ creches/infantários/primária ─ por meados de março.

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:20

Passatempo ─ Pior que Covid-19?

Quinta-feira, 25.02.21

[Não nas mortes (diretas) mas no desemprego (consequência).]

 

img5f84627bbab422001979ac11.jpg

Políticos (nas suas decisões) piores (nas consequências) que o Covid-19

 

Questão:

Qual o NOME DO 1º MINISTRO de Portugal (entre 9 candidatos) que nestes últimos 38 anos foi responsável pela MAIS ELEVADA TAXA nacional DE DESEMPREGO registada (nesse período indo de 1983 a 2020) ─ INCLUINDO nesse período, nesse máximo e nessas vítimas, a região do ALGARVE (e por tabela Albufeira)?

 

1º Ministro

Partido

Início e Fim do Mandato

Duração do Mandato

Pinto Balsemão

PSD

1981/1983

> 2 anos

Mário Soares

PS

1983/1985

> 2 anos

Cavaco Silva

PSD

1985/1995

≈ 10 anos

António Guterres

PS

1995/2002

> 6,5 anos

Durão Barroso

PSD

2002/2004

< 2 anos

Santana Lopes

PSD

2004/2005

< 1 ano

José Sócrates

PS

2005/2011

> 6 anos

Passos Coelho

PSD

2011/2015

> 3,5 anos

António Costa

PS

2015/Presente

> 5 anos

 

Informação/comentário adicional:

BATENDO mesmo a Pandemia do vírus SARS CoV-2 e com ela o nº de desempregados, registados nos Tempos (tão recentes, do início de 2020) COVID-19. Diga-se o, que se disser e à primeira vista (por vezes a forma mais fiel, por menos distorcida), achando-se inacreditável.

 

Ajuda:

Maior taxa de desemprego nacional registada entre 1983/2020, sendo de 16,2% em 2013 (em 2020 nos 6,8%).

Maior taxa de desemprego na região do Algarve registada entre 1983/2020, tendo atingindo quase os 40.000 desempregados em 2013 (em 2020 um pouco acima dos 30.000).

 

[E (não se iludam) seja qual for o candidato escolhido ─ oriundo do “Arco da Governação” (PSD/PS) ─ com o mesmo (achando-se pelo cargo inimputável) a poder invocar para sua defesa e como origem (nunca falando da importância do seu papel no argumento, para o qual foi então selecionado, para ser o protagonista) uma crise qualquer.]

 

(imagem: Getty/businessinsider.in)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:32

COVID-19/Portugal ─ Entalados Entre Políticos e Especialistas

Segunda-feira, 08.02.21

Num novo e consecutivo dia (pelo menos alguns, mas importante fator de esperança) em que Portugal relativamente à Pandemia Covid-19 (agora numa nova vaga) continua para já clara e para nossa grande alegria a apresentar números notoriamente decrescentes ─ esta segunda-feira 8 de fevereiro registando +2.505 novos casos de contágio (ontem +3.508) e +196 óbitos (ontem +204)

 

d392ca8be7cb4ff1aa06d715e48601ec.jpg

Atingido o pico máximo de internamentos/vítimas mortais,

c/ os hospitais portugueses após ultrapassarem várias vezes o seu limite

a extravasarem de doentes, sendo colocados em ambulâncias.

 

Podendo-se ainda ter como objetivo real (não como sonho ou miragem), apesar do trágico momento já vivido nesta nova fase da pandemia (evolutiva e no presente numa 2ª/3ª vaga) ─ de bom exemplo mundial numa 1ª fase (no nº total de contágios/infeções) passando a péssimo exemplo mundial numa 2ª fase (disparando brutalmente o nº de infeções/nº de óbitos por dia e passando Portugal a um dos piores rankings Covid-19/nº diário infeções/óbitos ao longo de 7/14 dias) ─ chegar mais rapidamente do que se pensa ao momento do nosso Desconfinamento.

 

E com tal evolução podendo-se salvar ainda este país do caos (economia/emprego), estejam os portugueses mobilizados tal como na grande maioria (ao contrário dos políticos e apesar de todos os sacrifícios/sofrimento) se tem invariavelmente apresentado.

 

Desde que se cumpram certas regras (fáceis de interiorizar, até porque básicas/simples/eficazes e além do mais observáveis) e se ouçam os especialistas/epidemiologistas (não agregados ao poder na sua acensão/especialização), antecipando obrigatoriamente as opiniões, posteriormente repetidas e decretadas pelos nossos políticos (governantes). Como:

 

Nunca se esquecer das três regras básicas para o encerramento das cadeias de transmissão e para a interrupção dos contágios (por invisíveis e pequeníssimas gotículas) ─ uso de máscara, distanciamento social (e controlo de movimentos) e desinfeção das mãos ─ encarando o confinamento como uma necessidade (para estabilizar e recuperar o doente) e jamais desconfinando (estritamente por motivos económicos) antes do tempo (já que os mortos não produzem); como é, depois do desprezo pelos lares (abandonados os mais idosos à sua sorte, à morte), a insistência criminosa em manter as escolas abertas (ajudando a contagiar e atingir os menos idosos) e fechando-as, abri-las o mais rapidamente possível ─ quando como toda a gente sabe o encerramento das escolas não só contribuiu para o início da inflexão da curva (antes subindo, agora descendo) como para a consciencialização de todos os portugueses que o caso era mesmo grave.

 

Screenshot_2021-02-08 342_DGS_boletim_20210207 pdf

Ainda hoje com a maior taxa de mortalidade

a registar-se na região de Lisboa e Vale do Tejo (49%),

com o Alentejo & o Algarve a registarem respetivamente, 6% e 5%.

 

Aliviar restrições?

 

Segundo Carlos Antunes nunca se podendo pensar nisso estando-se ainda acima dos 2.000 contágios diários (ainda hoje acima, mas parecendo estar-se de vez no tão desejado bom a caminho) e por outro lado com Pedro Simas (falando em maior cautela) a ser mais restritivo apontando para os 700/1.400 casos/dia.

 

E tomando como boa (eu, um leigo) a opinião de dois especialistas (epidemiologistas) ─ como são Pedro Simas e Carlos Antunes ─ para desconfinar tendo de ter em conta, a média de casos diários, os valores de Rt e o nº total de testes feitos; assim como a disponibilidade de camas (nos hospitais) para internamentos (esperando-se não ultrapassar os 3.000, hoje ainda acima de 6.000) e cuidados intensivos (esperando não ultrapassar as 300, hoje ainda nos 865) de modo a suportar “a curva”.

 

E depois de uma subida abrupta (no nº de contágios e de mortes) podendo acontecer o contrário, mas agora na descida.

 

(imagens: Duarte Sa/Reuters/yahoo.com ─ covid19.min-saude.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:25

Meteorologia em Portugal

Quinta-feira, 04.02.21

Intermediando com dias de chuva (temperaturas mais moderadas), com um mês de fevereiro podendo-nos colocar sob o efeito de uma prolongada onda de frio (temperaturas mais baixas).

 

[6/7 de fevereiro a 19 de fevereiro.]

 

ConsciousFelineEelelephant-mobile.jpg

ConsciousFelineEelelephant-mobile b.jpg

Meteorologia a 6/7 de fevereiro

 

Com uma frente de ar frio a começar de novo a invadir a Europa do Norte e Oriental, aproximando-se e atingindo mais fortemente Portugal pelo dia 6 de fevereiro (sábado) ─ às primeiras horas e estendendo-se por todo do dia ─ e abandonando-nos logo por volta do fim (pelo entardecer) do dia seguinte (domingo, 7).

 

ConsciousFelineEelelephant-mobile c.jpg

Meteorologia a 7 de fevereiro

 

Mas no decorrer destes quinze dias (até 19 de fevereiro) com intervalos (sempre de poucos dias) seguindo-se outros impactos, com mais ondas de frio.

 

Por cá (Albufeira) e por essa altura (6/7 de fevereiro) estando prevista chuva sob a forma de aguaceiros,  registando-se igualmente as temperaturas mínimas mais baixas (8°C/7°C).

 

(imagens: gfycat.com/TW/watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:42