Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Covid-19/Portugal ─ Nova Vaga

Sábado, 13.02.21

Entregue a produção das vacinas aos privados,

logicamente com a lei do mercado a prevalecer:

vacinas prioritariamente para quem pagar mais.

(e em vez de se revoltarem, c/ político a gritarem “paguem”)

 

Divulgados este sábado os últimos números da Pandemia Covid-19, registando-se na região do Algarve um total acumulado de 19.319 infetados (+295/hoje, cerca de 19% do total nacional/dia) e de 295 óbitos (+11/hoje, cerca de7% do total nacional/dia). Adicionalmente com o número de internados a nível nacional a indicar 4.850 doentes (-380 do que ontem), desses com 803 em UCI (-43 do que ontem). Com os diferentes parâmetros (e respetivos valores) a continuarem em descida.

 

Imagem1.jpg

 

Com os números de infeções/óbitos e de internados/UCI a continuarem a encorajar-nos (renovando-nos a esperança) ─ e mantendo-se estes em nítida descida ─ abrindo-se a perspetiva de que mantendo as nossas cautelas, cumprindo as regras (de prevenção) ─ máscaras, mãos, distanciamento e efetuando-se as testagens e as vacinações necessárias (rapidamente e em massa), brevemente tudo se resolverá voltando-se ao (novo) normal e (gradualmente) ao desconfinamento geral.

 

Imagem2.jpg

 

Colocando nas nossas mãos (da população em geral e não na dos políticos) a verdadeira resolução deste gravíssimo problema sanitário (uma Pandemia já perto dos 2,5 milhões de mortes globais), tendo simultaneamente e agregado ao mesmo (problema de saúde), enormes repercussões económicas: concluindo-se que não havendo alternativas, “não trabalhando não se comendo e não se comendo não se trabalhando”. Pelo que não se assumindo (a crise terrível que atravessamos) caindo-se no precipício.

 

Imagem3.jpg

 

Em função de todas as informações, dados fornecidos e na melhor das hipóteses, com o desconfinamento a poder ocorrer depois da Páscoa (início do mês de abril) ─ nunca antes (só muito parcialmente) ─ abrindo-se progressivamente à economia, desbloqueando-se as fronteiras (aéreas/terrestres) e reiniciando-se (nas escolas) as aulas presenciais ─ para além do necessário reapetrechamento (em equipamento e em pessoas) das tão castigadas unidades de saúde (centros de saúde e hospitais).

 

Isto se os nossos governantes e políticos não se anteciparem e atirarem tudo pelo cano abaixo: com o Costa (e o Tiago) impaciente e Marcelo a afirmar (nas atuais condições), nem pensar.

 

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:19

Planeta Terra

Segunda-feira, 15.04.13

Um Grão Na Engrenagem?


Apollo 8 – 1968

 

A nossa espécie vive num Mundo Único e Utópico, que de tão perfeito e exclusivo nas suas mais ínfimas e profundas características – assemelhando-se em tudo a um Organismo Vivo – até parece ter sido criado apenas para nos servir e satisfazer. Como se o Universo se replicasse, neste espaço de matéria e energia em constante movimento e transformação, em todas as múltiplas dimensões que o definem – sequenciais ou paralelas – do infinitamente pequeno ao infinitamente grande.

 

No entanto e apesar de tudo o que este mundo e a sua natureza puseram graciosamente à nossa disposição e de toda a evolução registada na nossa espécie ao longo dos últimos milhares de anos, graças a esta dádiva caoticamente bela, eterna e divina, ainda pomos em causa a nossa própria sobrevivência como seres ditos racionais, destruindo-nos e ao planeta que habitamos em nome de conceitos que nem mesmo as espécies irracionais que nos rodeiam algumas vez se atreveriam a seguir. Muitas delas já na poltrona a assistir ao nosso genocídio, assumido e colectivo. Será então a Terra um grão na Grande Engrenagem?

 

Ou A Mãe De Todas As Terras?


Bigelow Aerospace

 

E com a demissão do Estado e a fuga de toda a sua elite de acólitos e traidores – após a destruição sistemática dos princípios básicos de qualquer organização social como o são o direito à saúde, à educação, ao trabalho e à solidariedade – eis que surgem agora os Privados a tomarem a iniciativa económica, com os seus milhões acumulados ao longo de anos e anos de exploração e especulação, a serem aplicados em projectos extraterrestres. A Terra começa assim a apresentar-se como um mercado com escassez crescente de matérias-primas fundamentais e incapaz de produção futura de mais-valias assinaláveis, pondo-se em alternativa o início de investimentos noutros mundos através da sua progressiva colonização.

 

O surgimento de diversas iniciativas privadas envolvendo a exploração do espaço situado à volta do nosso planeta Terra – desde as simples viagens turísticas espaciais orbitando o nosso planeta, até à exploração de corpos celestes nas nossas proximidades – poderá ser o primeiro passo por parte do Homem na senda de novas aventuras e descobertas históricas e no povoamento e colonização por parte da humanidade de áreas muito mais vastas e misteriosas, do que aquelas desde sempre por nós sonhadas e pelos nossos antepassados imaginadas. Transformando a nossa Terra-Mãe, na Mãe de todas as terras.

 

(imagens – space.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:50