Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Vitória de Costa 3.0

Quinta-feira, 10.02.22

Concluído o escrutínio das Eleições Legislativas de 2022 (e comparando-os com os resultados registados em 2019) são estes os resultados finais em nº de deputados dos partidos com assento parlamentar (exceção do CDS desaparecendo):

img_432x243$2010_03_29_01_22_00_164344 B.jpgANTÓNIO-COSTA-COVID-1.jpgimg_432x243$2010_03_29_01_22_00_164344 A.jpg

O Trio da Maioria Absoluta

[Cavaco/PSD (por 2X), Sócrates/PS (por 1X)

e agora Costa/PS (pela 1ª vez)]

PS antes com 108 deputados depois com (119) deputados +11 Deputados na AR

PSD antes com 79 deputados depois com (78) deputados -1 Deputado na AR

CHEGA antes com 1 deputado depois com (12) deputados +11 na AR

IL antes com 1 deputado depois com (8) deputados +7 Deputados na AR

PCP/PEV antes com 12 deputados depois com (6) deputados -6 Deputados na AR

BE antes com 19 deputados agora com (5) deputados -14 Deputados na AR

PAN antes com 4 deputados depois com (1) deputado -3 Deputados na AR

LIVRE antes 1 deputado depois (1) deputado +0 Deputados na AR

CDS antes 5 deputados depois (0) deputados -5 Deputados da AR

1280-costa-e-marcelo-2022.jpg

Esquerda 132 deputados Vs. Direita 98 deputados

[No meio estando Marcelo,

a cereja tendo caído (por derrotada) do topo do bolo]

Com a sua maioria absoluta ─ 119 deputados sendo necessário apenas 116 (num total de 230) ─ com o PS a ser o grande e inesperado vencedor (pelo menos segundo todas as sondagens), com o maior derrotado a ser sem grande sombra de dúvida o CDS desaparecendo, sendo bem acompanhado pelo BE com uma queda a nível de representação parlamentar de mais de 70% e pelo PCP/PEV de 50% (desaparecendo a representação dos Verdes). Entre os restantes partidos para além da perda de 1 deputado por parte do PSD, registando-se a subida no nº de deputados da IL (subindo mais de 85%) e do CHEGA (subindo mais de 90%), este último e depois do PS e do PSD, tornando-se a 3ª força parlamentar (posição já tendo sido do PCP e anteriormente detida pelo BE).

No cenário esquerda/direita (e provisoriamente, conhecendo-se algumas reclamações de resultados), com a esquerda em conjunto (PS/PCP/BE/PAN/LIVRE) a ficar com 132 deputados (57%) e com a direita (PSD/CHEGA/IL) em conjunto a ficar com 98 deputados (43%). Criando-se um cenário de maioria (absoluta) ─ a 4ª agora com António Costa (em 2022, já 35 anos após a 1ª) ─ por experiências anteriores (duas de Cavaco Silva em 1987 e 1991 e uma de José Sócrates em 2005), não tendo obtido grandes resultados pelo contrário.

(imagens: cm.pt/noticiasdecoimbra.pt ─ Ana Martingo/observador.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:26

E lá rebentou o Vulcão ─ Saindo-nos de lá um Super-Costa

Segunda-feira, 31.01.22

1ª Impressão (mais longa)

Screenshot 2022-01-31 at 01-42-21 (Imagem WEBP, 50

Vencedor e nitidamente com um Brilhozinho nos Olhos

Afinal de contas sem nenhuma excitação (de saber quem iria ganhar a votação) neste final de noite de domingo (2º e último dia inútil do fim-de-semana), como resultado da junção de Eleição e Ómicron ─ criando o momento único e surpreendente Eleicron ─ e ainda contando com a preciosa colaboração (na sombra destes) de um 3º Elemento (existindo algum plano, saindo-lhe completamente furado), eis que contra tudo o que se esperava (até pelas últimas sondagens) o resultado quanto ao vencedor final não se revela nada equilibrado, com António Costa e o PS a vencerem por larga margem (mais de 40% dos votos) podendo ter ainda a ilusão de alcançar a maioria absoluta e com Rui Rio e o PSD a ficarem a mais de uma dezena de pontos percentual (nem 30% dos votos). Lá bem longe surgindo André Ventura e o CHEGA (nem 10% de votos) e na luta por se manterem o melhor que puderem João Cotrim e a IL, Catarina Martins e o BE e Jerónimo de Sousa e a CDU (nem 5% dos votos), para sobreviverem Francisco Rodrigues e o CDS, Inês Sousa Real e o PAN e Rui Tavares e o LIVRE (nem 2% dos votos). Vencendo António Costa e o PS estas eleições e não atingindo estes a maioria absoluta, no entanto podendo ficar muito próximo dela, com um dos 4 partidos de 2ª linha CHEGA, IL, BE e CDU a terem certamente um papel fundamental na Assembleia da República e na nomeação do próximo Governo e do 1º Ministro, este último sem dúvida estando resolvido, sob a liderança de António Costa líder do PS. À exceção do PS, CHEGA e IL, todos os outros tendo de prestar contas pela sua derrota, incluindo o impulsionador desta crise aproveitando-a, decretando-a e com ela esperando resultados (para ele próprio, para o PSD), não sendo claramente os da sua expetativa, não podendo queimar definitivamente (já) ou então em lume brando (deixando-o afundar em minoria), o bastardo saído 1º Ministro das Eleições de 2015 (na linha de sucessão sendo o 2º, mas aplicando um golpe palaciano, afastando o 1º), arriscando-se agora manter-se até 2026 num total de 11 anos de permanência (ininterrupta no cargo), batendo aí (se lá chegar) o anterior recordista deste Novo Regime iniciado em 1974, Cavaco Silva (PSD) com 10 anos de 1ª Ministro. Dos dois regimes Antigo Regime e Novo Regime mantendo-se ainda como líder (medalha de Ouro) António de Oliveira Salazar com 35 anos na Presidência do Conselho de Ministros, Cavaco só tendo 10 (medalha de prata).

2ª Impressão (mais curta)

jc_4987285ff27defaultlarge_1024.jpg

Ao 3º Elemento Restando-lhe olhar para os Peixinhos

E afinal de contas o momento sem nenhuma excitação, tornando essa não excitação numa excitação inesperada, por desejada e depois julgada inalcançável  até sendo desdenhada (por alguns), ainda sendo mais excitante a sua Aparição, amplamente consumada tanto psíquica como fisicamente, mandando todos às urtigas (aqueles que estavam à espera de “pasta”, CHEGA, IL, BE e CDU) e conquistando a ainda agora inacreditável “Maioria Absoluta”: de um lado ficando António Costa e o PS ─ os únicos e absolutos vencedores ─ e do outro todos os restantes partidos, coligações e respetivos líderes (alguns deles certamente não resistindo, os outros podendo-se entreter com outras coisinhas mais pequeninas na R) ─ os derrotados ─ nunca esquecendo no entanto o “Derrotado Nº 1” que jamais deveria passar impune por ter “decretado esta crise”, derrubando por sua iniciativa a AR e no final atirando todos os partidos à exceção do PS para o “poço”. Uma vitória tremenda de Costa e uma derrota estrondosa de Marcelo e do seu restante rebanho. No final sendo sempre o Povo (ainda-por-cima com o poder com Maioria Absoluta, o desejo de qualquer ditador/ditadura) que se lixa. Sendo só esperar para ver até com o que se passa e diz Ómicron.

Pelas 02:00 de 31 de janeiro de 2022 (nº de deputados/maioria absoluta a 116):

PS 117, PSD 71, CHEGA 12, IL 8, PCP/PEV 6, BE 5, LIVRE 1, PAN 1, Coligação PS/CDS 3 e Coligação PSD/CDS/PPM 2 (restando distribuir 4 deputados).

(imagens: sapo.pt ─ rr.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:10

Normal ou Não, A Culpa é Sempre do Outro

Quinta-feira, 29.04.21

Covid-19: Com o Estado de Emergência “OUT OF ORDER” e com o Desconfinamento dando os seus últimos suspiros (e ficando alguém para trás, “que se cuide”).

DE01766.jpg

Palácio de são Bento

Sede da Assembleia da República e residência oficial do 1º Ministro

(maioria PS/António Costa)

 

E mesmo com 16.973 vítimas mortais às costas, lá indo pelo mesmo caminho e como de costume:

PS defende que “Portugal não falhou”, PSD diz que Governo “andou atrás do prejuízo”.

(Lusa/lifestyle.sapo.pt)

Com cada uma das partes corresponsáveis por protagonistas conjuntas das políticas económicas e sociais da esmagadora maioria destes últimos 47 anos ─ estando no Governo ou na Oposição ─ defendendo ou atacando a conjuntura conforme estando no poder (sendo a sua vez) ou fora dele (em ponto-morto). Desse modo desenvolvendo e argumentando:

Muitos alertaram que Portugal iria falhar, mas Portugal não falhou neste combate e os portugueses não falharam: protegemos a saúde e os rendimentos.

(A. P. Batista/PS/ Lusa/lifestyle.sapo.pt)

Agora, em vez de estado de emergência, devemos estar todos em estado de alerta. Importa que o Governo não só anuncie, mas faça. O Governo, que devia ter sido capaz de nos colocar à frente do vírus, andou sempre atrás do prejuízo.

(A. Cunha/PSD/ Lusa/lifestyle.sapo.pt)

1024px-Lisboa,_Palácio_Nacional_de_Belém_(2).jpg

Palácio Nacional de Belém

Residência oficial do Presidente da República

(PSD/Marcelo R. Sousa)

 

E descaradamente e como se nenhuma delas tivesse nada a ver com o assunto ─ mergulhado anteriormente o país numa grave crise económica, posteriormente agravada com a chegada da crise pandémica ─ particularizando e remexendo (ficando-se para já por aqui, até podendo ter em vez de uma interpretação pejorativa, efeitos medicinais) na lama, tentando-a expor com outras mãos igualmente enlameadas. Replicando de outra forma os argumentos:

O PS (julgando-se já um potencial “vencedor) apontando aqueles que “acicatavam o povo para o medo” aproveitando a situação criada como “Vampiros da Liberdade” que eram ─ política e logicamente o PSD ─ e do outro lado o PSD (não querendo perder a oportunidade para recolher os seus louros, sejam eles quais forem) apontando todos os atrasos do PS (na testagem e nos apoios)” revelando a fraqueza destes e alguma incompetência.

Terminando (de conteúdo, sem sumo, tal como tínhamos iniciado):

Declarando-se pelo Governo,

No fim, será certamente a democracia que irá triunfar”;

Elogiando-se pela Oposição,

O “respeito dos portugueses” pelas medidas impostas.

Segunda-feira 3 de maio de 2021 e se todos como se espera tiverem dito SIM (os outros tendo-o subscrito e o restante pouco importando), imaginando-nos já a arrancar depois da inesperada interrupção do ano passado (de preferência ao dia anterior ─ seguindo a sequência normal, sem qualquer sobressalto ─ ao início desta Pandemia).

(imagens: parlamento.pt ─ wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25

Legislativas 2019 − Resultados Provisórios

Segunda-feira, 07.10.19

Com 226 já eleitos dos 230 (faltando 4 pela emigração) e com o PS a ganhar as Legislativas 2019 (mas) sem maioria absoluta (efetiva aos 116 deputados), sendo mais que previsível a nomeação de um Governo (exclusivamente) PS, com o apoio (óbvio) no parlamento da sua respetiva bancada e o apoio estritamente parlamentar (deixando passar o Governo de iniciativa PS) do BE, PCP/PEV e PAN (falando apenas dos partidos com representação parlamentar em 2015).

 

resultados_finais_legislativas_2015105898a0.jpg

Eleições Legislativas de 2015

(resultados)

 

Mesmo com toda a oposição à anterior Engrenagem estando contra (PSD e CDS) com os seus 82 deputados nem sequer conseguindo fazer frente ao PS com 106. Quanto mais e se somarmos (quase) todos (os “aliados”), com o PS a poder contar com uns 142 (acordados ou a dormir).

 

Deputados Apurados: 226

Deputados p/ Apurar: 4

(p/Emigração)

Total de Deputados: 230

(maioria absoluta a 116)

 

Partidos

Deputados/2019

Deputados/2015

Variação

PS

106

86

+20

PSD

77

(PSD+CDS=102)

(PSD+CDS=-20)

BE

19

19

0

PCP/PEV

12

17

-5

CDS

5

(PSD+CDS=102)

(PSD+CDS=-20)

PAN

4

1

+3

CHEGA

1

0

+1

IL

1

0

+1

LIVRE

1

0

+1

Abstenção: 45,5%

 

Numa clara e significativa vitória do PS (em 2015 sendo o 2º partido mais votado tendo de negociar para poder formar Governo e agora não) e numa outra menos significativa, mas algo relevante do PAN (passando de 1 para 4 deputados), para no espaço de evolução neutra se situar o BE (mantendo a sua representação) e do outro lado negativo por regressão, encontrarmos o PCP/PEV (pagando o grosso da fatura do custo político da Geringonça, perdendo 5 deputados) e sobretudo o (regressado ao “partido do Táxi”) CDS (por pouco sendo ultrapassado pelo PAN).

 

Assembleia da República tendo agora a particularidade de ter na sua constituição mais 3 novos partidos – CHEGA (direita), IL (centro) e LIVRE (esquerda). Aceitando-se apostas, “com quem vai o PS negociar”?

 

[E com os novos partidos − CHEGA, IL e LIVRE − acabados de chegar à AR, a poderem aprender com o PAN (com a sua estratégia vazia), a como no futuro se candidatarem, a ter a sua própria bancada (parlamentar).]

 

(imagem: rr.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:48

Legislativas de 2019 em Portugal

Sábado, 05.10.19

“Nascida a 6 de outubro − A 2ª Engrenagem”

(podendo ser no futuro, mais eletromagnética)

 

Última Sondagem

(Pitagórica p/ aproximação)

 

PS: 37%

PSD: 28% BE: 9% PCP/PEV: 7% CDS: 5% PAN: 5%

 

ostaaa.jpg

Para a esmagadora maioria dos cidadãos-eleitores (tenha o que tenha dito o idoso) não sendo lindo e logicamente (mesmo tendo-se ou não razão) perdendo-se votos

(e recorrendo-se às Teorias da Conspiração com o idoso de óculos escuros para não ser identificado podendo ter sido todo este cenário, previa e deliberadamente montado, pela desesperada oposição)

 

Com o final da campanha esta sexta-feira, 4 (antes da reflexão de sábado e da votação de domingo) a ser marcada por uma resposta agressiva de António Costa – para a esmagadora maioria dos cidadãos eleitores tentando obter apoio ou seja votos (e poder) entre eles − a algo dito por um (ainda não identificado politicamente) idoso (provavelmente tendo-se referido ou não e sendo “coisas de esperar nas campanhas”, logo de aguentar por tacitamente aceite, a algo de extremamente desagradável) – um dos fazendo parte desses cidadãos eleitores e podendo apoiar/votar ou não em António Costa (no seu aceso ao Poder) − tendo já sobre si uma ameaça (talvez pendente dos resultados) de processo judicial por parte do PS.

 

Com as 4 últimas sondagens (Intercampus, Eurosondagem, Aximage e Pitagórica) a apontarem todas para uma vitória sem maioria absoluta do PS – com a percentagem a variar entre os [35,0/38,8%] − apontando como segundo partido o PSD – com a percentagem a variar entre os [23,5/27,8%] – confirmando através de uma consulta aleatória (na generalidade dos casos sendo correta) o cenário futuro político que desde há muito se perspetivava para Portugal – desde o momento em que a Engrenagem (por falta de outra maquinaria alternativa e credível) se consolidou – sendo de constatar igualmente e por um lado (de uma forma positiva para uma futura 2ª Engrenagem) a manutenção da posição relativa do BE (variando entre os [8,7/11,0%]) e do PCP-PEV (variando entre os [6,6/8,0%]) e por outro lado (simétrico, por negativo nas consequências, para os declaradamente Anti Engrenagem) a queda acentuada do CDS (variando entre os [4,5/5,0%]) podendo ser mesmo ultrapassado pelo PAN (variando entre os [3,8/5,6%]). E confirmando-se estas sondagens e considerando-se bastante aproximados destas (sondagens) os resultados a registarem-se a 6 de Outubro (data marcada para as Legislativas de 2019), confiando-se simultaneamente nas projeções (de 3 destas sondagens) transformando percentagens em nº de deputados, com a distribuição dos mesmos (deputados da nova Assembleia da Republica) a poder ser a seguinte (com um apoio nos dados fornecido pela Wikipédia):

 

O

P

Deputados

Previstos

Deputados Eleitos

2015

O

P

Deputados

Previstos

Deputados Eleitos

2015

PS

102/117

86

CDS

6/9

(Portugal à Frente com 107)

PSD

68/77

(Portugal à Frente com 107)

PAN

5/9

1

 

BE

 

17/25

19

LIVRE

0/1

0

 

PCP/PEV

 

13/16

17

CHEGA!

0/1

0

(O: Ordem P: Partido)

 

Eleições para a Assembleia da Republica a realizarem-se neste fim-de-semana (domingo), indicando-nos os próximos 230 deputados a preencherem-na (não existindo obstáculo impeditivo) nos 4 anos que aí vêm (até 2023): com a Maioria Absoluta dando Direito a Governar a fixar-se no Número Mágico de 116 (deputados) − algo já atingido e ultrapassado há 4 anos com a 1ª Engrenagem, no futuro e confirmando-se as sondagens (e todos os sinais) podendo ser melhorado com a 2ª Engrenagem. Inevitável − tal como o seu Comandante (António Costa) − só ainda não se sabendo como. Fazendo-se contas (mesmo que) de merceeiro podendo-se chegar a algumas conclusões (no mínimo metade de hipóteses de acertar e num sentido podendo até ser 100%) − como aquela a que chegou há 4 anos António Costa (PS) − o GURU INTELIGENTE − depois de um empurrãozinho, somando 86/PS+19/BE+17/PCP/PEV=122, reparando ser mais de 107/[PSD+CDS], mais de 116 (maioria absoluta) e formando de uma forma surpreendente (para os que julgavam ter vencido, na cabeça tendo Passos Coelho e o padrinho Cavaco Silva) o Governo-Engrenagem – tomando em consideração a referência (fundamental) do NÚMERO MÁGICO 116, aqui tornado o Cartão Dourado de Acesso (desejado) ao Poder: com a Engrenagem no mínimo atingindo os 132 deputados, podendo num limite máximo (de apoio) chegar (ainda) um pouco mais longe.

 

“Derrota da Engrenagem, não vejo como. Mas com os outros (a oposição) a procurarem sempre o primeiro defeito (se necessário, introduzido pelos próprios), para se infiltrarem (de uma forma oportuna) e destruírem a 2ª Engrenagem (num momento de possível e não descartável dúvida de Costa, com estrangeiros apresentando-lhe um chupa-chupa) − e daí reconstruindo-a, reabilitando-a, mas sendo sua.”

 

(imagem: retirada da TV/dioguinho.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:54

Sondagens

Sábado, 09.01.16

Janeiro 2016

 

Na última sondagem publicada hoje para a SIC/EXPRESSO o PS de António Costa continua a ter a preferência da maioria dos portugueses: 33% do PS contra 32% do PSD.

 

Partido%
PS33.3
PSD32.1
BE10.1
CDU8.5
CDS7.5
PAN1.5
Outros+Brancos+Nulos7.0

(Eurosondagem – 1/6 Janeiro)

 

O que significa (pensando nas eleições presidenciais de 24 de Janeiro) que se o PS se dividisse mais ou menos equitativamente entre Maria de Belém (MB), Sampaio da Nóvoa (SN) e Marcelo Rebelo de Sousa (MRS o cenário mais provável) na primeira volta o resultado dos três principais candidatos seria: MRS = 51% (PSD+CDS+1/3PS) MB = 11% (1/3PS) SN = 11% (1/3PS).

 

Ou seja:


Direita (PSD+CDS+1/3PS) = 51% e Esquerda (1/3PS+BE+CDU = 41%.

 

img_890x500$2015_02_25_21_06_06_246319.jpg

Presidenciais a 24 de Janeiro de 2016

 

O que é uma excelente indicação para MRS e para a direita à portuguesa com a vitória mais perto e logo à primeira volta. Apesar da diferença estreita e com tendência para diminuir necessariamente a inspirar cuidados.

 

Quanto à popularidade dos políticos os dois únicos factos relevantes a assinalar são a liderança de António Costa (a positiva mais alta +16.4) e o afundamento progressivo e brutal do reformado Cavaco Silva (a única negativa -12.9). Além da desgraça recente chamada Passos Coelho (a positiva mais baixa +4.1).

 

(imagem: WEB)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:11

Vindo do Fundo da Urna

Quarta-feira, 14.10.15

O PS poderá estar prestes a ser o protagonista do maior evento político desde o 25 de Abril: a queda da direita em Portugal e a derrocada do PSD. É já de ontem a urgência do PSD perceber quem na realidade está em causa neste momento, estando na altura de queira ou não queira oferecer as duas faces. Senão vêm aí os comunistas o terror das criancinhas.

 

António-Costa-2014-07-23-acot2427-e1444756578482.

 

Quem diria que a equação X+Y=230 teria (inevitavelmente) mais do que uma solução?
Matemáticamente poderla ter 3:

 

1. ª X =Y=115 (X=Y)
2. ª X>115 (X>Y)
3. ª X<115 (X<Y)

 

A solução escolhida foi a terceira. O que significa que a primeira letra a surgir no abecedário alterando inopinadamente a sequência natural do aparecimento das mesmas (neste caso o X), foi suplantada irracionalmente e à rebeldia do status quo oficial, pela letra inferior por seguinte (o Y).

 

X=A+B=86+18=104
Y=C+D+E+F+G=85+19+15+2+1+0=122

 

A questão que se coloca agora é se devemos aceitar de uma vez por todas que o número 122 é superior ao número 104, ou se para nossa tranquilidade e segurança decidimos mais uma vez ir dormir e olhar sempre para a mesma miragem.

 

104<122
(104/108 – 122/126)

 

Mas como na minha terra 122 ainda é maior que 104, eu espero pela resposta com a certeza da escolha: quantitativamente vale mais e quanto a qualidade, verdadeiramente nunca lhe senti o sabor. Talvez ainda seja este ano que o razoável prevaleça.

 

(imagem: Web)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:04

PÀF pode ter mais votos de eleitores, mas PS ganha as Eleições em mandatos

Sexta-feira, 02.10.15

 

"Os cães ladram enquanto a caravana passa"

 

467713.jpg

Cavaco Silva
Segundo as sondagens, um reformado ainda a tempo de nomear o seu Governo e de escolher o seu Sucessor

 

O que se passa hoje no Imaginário da PÀF é que na Realidade a coligação irá ganhar as próximas eleições.

 

E face ao Situacionismo Extraordinário de todos os seus apoiantes (certificados e pagos), dificilmente se revogará a assinatura oficial.

 

No entanto ainda acredito na vontade dos eleitores: silenciosos, com medo, mas eficazmente decisivos.

 

A Alegoria da Caverna

 

Partido1.ª Sondagem2.º SondagemEvolução
PS36333
PÀF35.5382.5
CDU1091
BE572

LIVRE

1.5--
PDR2--
Outros/Branco/Nulo-13-
Abstenção10--

 (Eurosondagem)

 

Ao contrário a EUROSONDAGEM (e seguindo agora a tendência maioritária das restantes sondagens) dá a vitória à PÀF e a maioria à esquerda (PÀF=105 deputados/Outros=125 deputados).

 

O que nos leva a concluir que se o PS não ganhar as eleições (o mais certo é mesmo ganhá-las) seguir-se-ão uns meses de caos enquanto o Padrinho não se for.

 

Devemo-nos assim preparar para novos tempos de indefinição, com a Europa a afundar-se aos poucos e Portugal à deriva no mar: e no ar ainda a pairar a imagem de Salazar.

 

(imagem – sol.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:35

Palhaçadas de Proximidade de Estação

Quarta-feira, 13.05.15

“Para todos eles as Eleições serão apenas mais um Apeadeiro.”

 

2015-05-13-PS-propostas-macroeconomicas-UTAU-Passo

 

O PS através do seu secretário-geral e candidato a 1.ºMinistro António Costa apresenta o seu quadro macroeconómico para Portugal (a sua Visão Económica).

 

O PSD (e o CDS a sua muleta irrevogável) através do seu líder e 1.ºMinistro Passos Coelho, desafia o PS/António Costa a sujeitar as suas propostas a exame (talvez porque o actual 1.ºMinistro nem plano tenha ou ache o do PS/António Costa muito parecido com o seu).

 

(já agora onde é que já se viu que na resolução de uma contenda entre duas partes, uma delas se ache no direito de exigir algo à outra, que não considera obrigatório de ser cumprida por si próprio – considerando o seu período de governo como uma EQUIVALÊNCIA à sua Visão Económica)

 

“Por vezes estas estratégias partidárias até parecem exemplos típicos de bullying.”

 

users-3590-359063-7x3a0770-ffc2.jpg

 

O PS responde de imediato a mais esta proposta absurda (já apoiada por dois traidores social-democratas Ferreira Leite e Rebelo de Sousa): risco no método usado para avaliar os partidos, além de falta de competência por parte do Avaliador (por acaso uma Instituição dependente do Estado). E nem sequer a discute.

 

O PSD alivia a carga emocional criada em torno deste assunto (pretensamente fundamental mas começando a tornar-se um pouco pesado), afirmando que se o PS não se quiser sujeitar a exame também não haverá problema. Tudo bem tudo na mesma. Entretanto mais uma instituição do estado poderá ter sido atropelada (UTAO – Unidade Técnica de Apoio Orçamental).

 

(já agora porque é que ninguém explica a estas individualidades sejam do governo sejam da oposição, que nunca se deve confundir um direito irrevogável como a Liberdade, com a sujeição voluntária ou não a um exame para mera promoção pessoal; ainda por cima quando o examinando vai ter um avaliador, controlado por um adversário do examinando – tão isso é batota!)

 

(imagens: Tiago Miranda e Marcos Borga/expresso.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:39

Boa Imagem!

Segunda-feira, 18.06.12

"PS não pode continuar em cima do Muro"

 

Jerónimo de Sousa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:10