Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

24
Mai 19

“Confirmando-se todas as previsões com o Centro (os anteriormente referidos como, Moderados) não contando (um Campo Político completamente obliterado), com a Esquerda a perder (apesar de algum reforço registado na Extrema-Esquerda) e com a Grande Vitoriosa a ser à DIREITA, reforçada pela EXTREMA-DIREITA. Mas com a Alemanha (tal como Portugal) mantendo o rumo e apontando em sentido contrário, deixando-nos aqui (alertas/preocupados) a pensar. E com os EUA já prontos com o seu “Pronto-a-Despir”!

 

AP_19138625314083.0.jpg

From left:

Geert Wilders of the Dutch Party for Freedom;

Matteo Salvini of the Lega Nord party;

Jörg Meuthen of Germany’s Alternative For Deutschland party;

and Marine Le Pen of France’s National Rally party

attend a rally of far-right, nationalist leaders in Milan, Italy, on May 18, 2019,

ahead of the May 23-26 European Parliamentary elections

(legenda: Jen Kirby/vox.com)

 

Marcadas para os próximos 4 dias (23/26 Maio) decorre um pouco por toda a EUROPA (dos 5 continentes o 4º maior, só ultrapassando a Oceânia) – constituída por 58 países/territórios e mais de 850 milhões de pessoas, distribuídas por uma área de mais de 10,5 milhões de Km² − as Eleições para o Parlamento Europeu (últimas realizadas em 2014): realizando-se nos 28 países (cerca de 50%) integrando a União Europeia − destes não fazendo parte a RÚSSIA (142 milhões de habitantes/17 milhões de Km² de área) o maior e mais populoso estendendo-se pela Ásia e correndo ainda o risco de perder muito brevemente um deles o REINO UNIDO (85 milhões de habitantes/0,25 milhões de Km² de área) − envolvendo mais de 500 milhões de pessoas (eleitores) e elegendo entre as várias “Famílias Políticas” um total de 751 Representantes (os tais deputados europeus) e podendo ainda ser um número menor (705) caso se confirme (o BREXIT) o abandono do Reino Unido (c/ 46 representantes na EU).

 

Para além da distribuição das diversas forças políticas concorrentes (concorrendo nesses 28 países), pelas suas “Famílias ou Ramos Familiares mais Próximos e se possível sendo-o Ideologicamente”, sendo colateralmente interessante (até pelas consequências que daí poderão advir) conhecer os resultados que poderão surgir destas Eleições Europeias, (1) relativamente ao Reino Unido (um país da Liderança Europeia querendo sair dela), (2) à França (um dos países da Liderança Europeia querendo assumir maior protagonismo, mas com a maioria do seu Povo manifestando-se contra essa mesma liderança) e como seria óbvio (3) à Alemanha até por ser (até ao Presente) a Líder dos Líderes da Europa e como tal o máximo representante da EU (o Vassalo-Maior) face aos Todo-Poderosos e Líderes Globais os EUA sob comando (o tal que num último impulso, ditará o destino do Botão Atómico) de DONALD TRUMP.

 

Desde logo comparando os resultados obtidos em 2014 pelas diferentes famílias políticas Parlamentares Europeias, com as últimas projeções de resultados (sondagens) realizadas sobre estas Eleições Europeias de 2019 (já em curso) − como se vê no quadro seguinte:

 

Família

Política

Sigla

Ideologia

Lugares em 2014

(R)

Lugares em 2019

(S)

Variação 2014/2019

Partido

Popular

Europeu

PPE

Conservadores

215

177

-38

Aliança Progressista Socialistas Democratas

S&D

Social-Democrata

/Socialista

185

152

-33

Europa

Nações

Liberdade

ENF

Extrema-Direita

-

76

+76

Aliança

Liberais Democratas

ALDE

Conservadores

59

71

+12

Reformistas

Conservadores

ECR

Conservadores

45

56

+11

Verdes

Aliança

Livre

GREENS/EFA

Verdes

49

55

+6

Esquerda

Europeia

GUENGL

Socialistas

/Comunistas

45

47

+2

Europa

Liberdade Democracia Direta

EFDD

Direita

38

19

-19

(Não

Inscritos

num Grupo)

(NI)

(variada)

42

-42

Outros

Extrema

Direita

(OFR)

(Extrema

Direita)

-

49

+49

Outros Moderados

(OM)

(Moderados)

-

2

+2

Outros

Extrema Esquerda

(OFL)

(Extrema

Esquerda)

-

47

+47

Novos

Partidos

(NP)

(variada)

73

-

-73

Família

Política

Sigla

Ideologia

751

751

0

Legendas

R: Resultado S: Sondagens

 

E dividindo as diversas “Famílias Políticas” em 5 Blocos – Extrema-Direita (ED), Direita (D), Centro (C), Esquerda (E) e Extrema-Esquerda (EE) − para melhor se verificarem as transferências (de eleitores/votações entre eles) registando-se (conforme o quadro seguinte):

 

Espectro Político

Lugares em 2014

(R)

Lugares em 2019

(S)

Variação 2014/2019

ED

-

76+49=125

+125

D

215+59+45+38=357

177+71+56+19=323

-34

C

-

2=2

+2

E

185=185

152=152

-33

EE

49+45=94

55+47+47=149

+55

Outros

42+73=115

-

-115

Espectro Político

751

751

0

 

Concluindo-se por uma evidente transferência de votos do Centro-Político (seja de centro-direita ou de centro-esquerda) para os Extremos-Políticos (extrema-direita e extrema-esquerda) – “no mínimo uns 70 deputados perdidos” − com os mais favorecidos (por essa mesma deslocação de eleitores) a serem de um dos lados o ENF conjuntamente com outros grupos de extrema-direita (radicais) e do outro lado outros grupos de extrema-esquerda (radicais) – “no mínimo uns 180 deputados ganhos”.

 

mw-860.jpg

A Eleições Europeias em Portugal

c/ os Cabeça-de-Lista do

PS, BE, PSD, CDS, PCP/PEV e ALIANÇA

 

pe-jovem.pngmw-860.png

Numa variação desinteressada entre uma campanha baseada na contabilidade europeia (economicista) do toma-lá-dá-cá e uma outra campanha paralela e coincidente e “por replicação”, procurando a paridade (segundo o “molde original”)

 

iBh0LjsDvumOZiLfxoGxPHMYJLV3U64JtLTnsR-igAk.jpg

Em Portugal com este clima moderado e tão perto do Mediterrânico, existindo sempre a possibilidade de não estando (eventualmente) nada em perigo e nada nos sugira outro rumo, surja sempre a alternativa de em vez de uma ida às urnas se faça uma, mas à praia

 

E assim e como se vê com as políticas ditas “moderadas” aplicadas nos últimos tempos na EU a sofrerem uma “Grande Derrota Plebiscitária (confirmando-se estes resultados de momento não passando de sondagens), levando os eleitores em desespero e sem saberem o que fazer (político-partidariamente, já que ideologicamente “tudo se foi e esfumou”) a refugiarem-se nas propostas mais extremas e radicais, proporcionando a subida abruta (no meio de todo este Caos e confusão generalizada, a toda a Europa) e oportunista (no exato Momento) dos chamados Populistas (histórica e esmagadoramente e mesmo que muitos o neguem, Conservadora, Situacionista, Estática e contrariando o Movimento e a Evolução – “nada se cria nada se perde” − de Direita). Com o Centro definitivamente a confirmar “a sua Morte já anteriormente anunciada − e levada em ritmo de Cruzeiro, lançado sobre águas-alteradas e fazendo-o estando senis a grande velocidade (vindo já de eleições anteriores e como um retrato realista e fiel da Europa vista como uma “Velhinha-Querida vivendo dos seus Rendimentos”), levando aos Céus os seus extremos (em proporcionalidade inversa/mais violentos/menos conversa, ou em proporcionalidade direta/menos pacifistas/menos diálogo) e ao poder o Prometido, o seu “Caudilho: “lideranças políticas carismáticas ligadas a sectores tradicionais da sociedade (civil e militar) e que baseiam seu poder no seu carisma. Muitas vezes permanecendo no governo por mais tempo do que o previsto. (wikipedia.org)

 

Em termos de Esquerda e Direita (e obliterado o Centro) com o Parlamento Europeu a manter-se “sensivelmente(para nos manter-nos ainda otimistas, apesar da diferença visível e crescente) dividido ao meio – em 2014 (resultados) com um mínimo de 357 p/Direita e 279 p/Esquerda (115 incertos/podendo ser de Direita ou Esquerda) e em 2019 (sondagens) com um mínimo de 448 p/Direita e 303 p/Esquerda, num crescimento do Bloco de Direita (de um mínimo de 78 de vantagem quase que duplicando e subindo para um mínimo de 145 de vantagem) – mas pelos parciais apresentados e levantada definitivamente a “Cortina” (de fumo, “depois dos sintomas, manifestando-se a doença”) tendo-se mesmo que engolir a pura e dura realidade (aliás o que nos transmitiam os nossos Órgãos dos Sentidos)  olhando apenas para os Números: 448 (60%) contra 301 (40%) em 751 (não desistindo o Reino Unido e pelos seus 46 representantes, passando a 705) e vencendo a DIREITA (contribuindo com 72% nos votos de Direita) contando com o grande reforço da EXTREMA-DIREITA (contribuindo já com 28% nos votos de Direita).

 

Nunca esquecendo (não, não esquecido, apesar de momentaneamente ultrapassado) o atrás referido “Carrossel 1/2/3(Reino Unido/França/Alemanha) e analisando-lhes para ser rápido e por ser desnecessário (todos prevendo o que irá acontecer, a partir dos votos expressos pelos eleitores) apenas as últimas sondagens e a partir daí, os seus mais que previsíveis futuros (políticos) sendo apenas confirmados (um pró-forma e o mais tardar) no fim do próximo dia 26 de Maio (domingo): em (1) com o partido do BREXIT de NIGEL FARAGE a liderar com grande avanço as sondagens (35%), deixando a grande distância Trabalhistas (18%) e Liberais (17%) e pelo caminho esmagando os ainda representantes do Governo (da por horas/dias ainda 1º Ministro Theresa May) os Conservadores – apontando mais uma vez a saída da Grã-Bretanha da EU; em (2) com o partido de Marine Le Pen (Frente Nacional, de Extrema-Direita) a liderar as sondagens (24/25%), seguido a curta-distância da coligação de partidos da Direita-Liberal (Republica em Marcha/Movimento Democrático) de Emmanuel Macron/François Beyru (22/23%) e ainda a maior distância pela coligação Republicanos/Centristas (um fundado por Nicolas Sarkosy o outro de Hervé Morin) ainda de Direita com 12/13%, com “bem lá longe e meios perdidos (finalmente aparecendo a esquerda) aparecerem finalmente a “França Insubmissa” mais à esquerda (9/10%) e os Socialistas (em coligação) com 5/6% mais ao centro – só aqui numa derrota clara (média) e brutal da esquerda de 60%-15% e assim apontando para a vitória da Direita; chegando-se finalmente a (3) o local do “Centro de Comando” e onde reside (por delegação consciente de todos os outros estados) toda a origem do Problema − a ALEMANHA – nas suas sondagens nacionais com incidência direta e imediata em todo o Continente Europeu (não só nos 28 países, como nas restantes duas dezenas) − do Atlântico até à Rússia (incluindo-a parcialmente como Europa), vista como “uma porta-de-entrada para a Ásia (na sua parte oriental) – e ao contrário dos Estados anteriormente mencionados (Reino Unido e França), mantendo-se a coligação (entre elas governamental) centro-direita de ANGELA MERKEL na liderança (CDU/CSU com 28/30%), seguida já de longe pelos Verdes (17/19%) e pelo SPD (não se conseguindo impor como oposição com 15/17%) e ainda mais afastada e no mínimo surpreendentemente (“pelo ambiente geral europeu e pelo seu crescimento anterior”, mas agora parecendo “ter fossilizado”) surgindo a AfD (extrema-direita) com cerca de 12% (e de seguida surgindo a Esquerda com 7% e os Liberais com 6/7%). No caso da Alemanha com esta e de uma forma bem clara (fiando-nos nas sondagens) a virar as costas à Extrema-Direita e traduzindo (como esta o afirma) recusando (como Alerta e Aviso) o Populismo: deixando para a Extrema-Direita talvez uns 15% (contra os restantes opondo-se-lhes uns 85%) e mantendo bem ou mal o rumo previamente traçado (a partir de 26 oficializado − e não pretendendo sansões − tornado obrigatório). Mais para o centro, talvez “um pouco esquerdo”.

 

Partido

Lugares em 2014

(resultados)

Lugares em 2019

(sondagens)

Variação

PS

8

7/9

-1/+1

PSD

-

5/7

-1/+2

CDS

-

1/2

AP

7

-

BE

1

2/3

+1/+2

CDU

3

1/2

-2/-1

MPT (MP)

2

-

-2/-1

PDR (MP)

-

0/1

PAN

-

0/1

0/+1

Aliança

-

0/1

0/+1

LIVRE

0

0

0

(Outros)

0

0

0

Partido

21

21

0

AP: Coligação PSD/CDS

(MP): Movimento/Partido tendo como candidato Marinho Pinto

 

Em Portugal (dada a sua irrelevância como país e dada a irrelevância destas eleições para a generalidade dos portugueses), com as últimas sondagens (a única coisa que será aqui referida) a apontarem (como seria de prever) para uma vitória do PS e com o resto do cenário a manter-se muito semelhante ao anterior (saído de 2014) − entre os grandes e os pequenos (partidos) ganhando-se/perdendo-se 1 ou 2.

 

E com Portugal a votar de Acordo com a Alemanha.

 

(dados: maioritariamente retirados da Wikipédia/wikipedia.org + imagens: Luca Bruno/AP Photo/vox.com e visão.sapo.pt – juventude.pt – expresso.pt − reddit.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:46

08
Ago 18

Quais as consequências de um grande incêndio junto de uma grande área turística?

 

NINTCHDBPICT0004247224292.jpg

Com os incêndios no interior permanentemente abandonado

Pondo em causa o turismo no litoral ciclicamente superpovoado

Is it safe to travel to Portugal?

(thesun.co.uk)

 

Agora que outros destinos turísticos – Tradicionais e mais Normalizados – concorrem com Portugal (Tunísia, Turquia, Egito), agora que outros destinos – Alternativos e mais Longínquos – se apresentam mais em conta (Ásia e América Central), agora que o BREXIT pode pôr em causa a viabilidade de muitos dos Mercados Turísticos, escolhidos pelos súbditos de todo o Reino Unido (um desses mercados sendo Portugal com cerca de 2 milhões de cidadãos do Reino Unido visitando-o todos os anos),

 

– No caso do Algarve com a Monocultura Turística oriunda do Reino Unido a manter-se, tal e qual um toxicodependente e como tal, existindo uma falha podendo-se originar um Colapso (com o contingente Britânico a ultrapassar uns inacreditáveis 40% do total de estrangeiros, uma brutalidade)

 

Só faltava mesmo que o Grande Incêndio a ocorrer este ano (de 2018) em Portugal Continental – depois da Tragédia de 2017 (em torno de Pedrógão Grande) – se concretizasse no Algarve ainda-por-cima em Monchique (com outra grande tragédia envolvendo outro grande incêndio já tendo sucedido há 15 anos):

 

Perguntando-nos o que terão Eles (Governos, Câmaras, Proteção Civil e outros grupos de indivíduos com finalidades afins – talvez não a dos verdadeiramente afetados) feito (desde 2003) durante estes cerca de 5500 dias, enquanto por outro lado (e sem o mínimo de contrapartida e com total falta de vergonha) desvalorizavam os Bombeiros e todos os Combatentes Afins (incluindo bombeiros e população local experiente – sobretudo pelo importantíssimo papel a desempenhar pelos conhecimentos e cultura da própria população aí nascida, residente e sempre sábia).

 

NINTCHDBPICT000425163118.jpg

Obviamente com a desertificação observada em todo o Mediterrânico

A afetar a qualidade ambiental em terra, como no litoral e no mar

What's the latest with the Monchique wildfires?

(thesun.co.uk)

 

Recuando ao mês de Agosto do ano de 2003 e ao Grande Incêndio que lavrou na Serra de Monchique (queimando quase 80% do concelho e evoluindo para um total de 90% com o incêndio registado no ano seguinte),

 

– Com mais de 40.000 hectares ardidos e estendendo-se a concelhos vizinhos (tal como agora se verifica, afetando igualmente Odemira e Portimão e caminhando agora tal como em 2003 o concelho de Silves) – sendo interessante de relevar (esse ano) como tendo sido o ano de maior área florestal ardida (quase 430.000 ha) em Portugal –

 

Até para se fazer uma associação histórica e cronológica aos que então seriam os nossos Líderes e maiores responsáveis (segurança e proteção) pela Direção a dar ao nosso país – só sendo suplantada a nível nacional 14 anos depois (em 2017) com mais de 560.000ha ardidos: e guardando para o ano seguinte (de 2018) a vez do Algarve, novamente com Monchique e os seus montes e vales (de momento a caminho dos 20.000ha de área ardida), agora com estes últimos a serem considerados (para além evidentemente do sempre presente fator Vento) dos principais responsáveis pelo descontrolo dos fogos na região.

 

Como se a topografia e não o “arrastar e intensificação dos incêndios”, não fosse o fator responsável pelo aparecimento de ventos oriundo de múltiplas direções, originados por diferenças de temperatura/pressões e óbvia deslocação (entre pontos com parâmetros bem diferenciados) de massas de ar.

 

2400.jpg

Já em 2015 e com a eclosão de inúmeros incêndios na Europa do Sul

Com os ingleses a projetarem desde logo uma alteração nos seus destinos turísticos

Climate change could see tourists swap the Med for the Baltics

(theguardian.com)

 

E desresponsabilizando desde já muitos outros (já reformados mas vivos como Cavaco), pelo cenário por todos os quadrantes do círculo do poder já anteriormente (e infelizmente) promovidos e partilhados (no fundo sem nada fazerem, só vendo o aproveitamento político que poderiam tirar disso, para desviando verbas agora distribuídas aos Municípios, em troca o inserirem noutras estratégias e até outras áreas – a isso se chamando desvios talvez mesmo ilegais),

 

Tendo-se forçosamente que mencionar o Quarteto Fantástico de Políticos tendo ultimamente passado pelo poder (domiciliado em Lisboa) – Durão Barroso (2002/2004), Santana Lopes (2004/05), José Sócrates (2005/11) e Passos Coelho (2011/15). Que alguns desejarão passar a Quinteto incluindo ainda Costa, assim dando mãos livres a Marcelo para fazer o que ele, verdadeiramente sempre quis.

 

[Nesta quarta-feira 8 de Agosto (de 2018) entrando-se no 6º dia do fogo de Monchique (de Portimão e agora de Silves).]

 

(imagens: thesun.co.uk – theguardian.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:21

29
Mai 18

“Up to 20,000 bolts of lightning hit Britain, leaving hundreds of homes without power.”

(theguardian.com/27.05.2018)

 

3468.jpg

Londres e o rio Tamisa

 

No passado fim-de-semana (26/27 Maio) e a pouco menos de um mês do início do Verão (no Hemisfério Norte/Portugal) a Europa foi atravessada por uma nova e severa tempestade transportando consigo elevada precipitação com queda de granizo, trovoada e um número não muito usual de descargas elétricas (relâmpagos):

 

Pelo número de relâmpagos contabilizados em cerca de 48 horas ‒ mais de 400.000 descargas elétricas em 2 dias ‒ podendo-se afirmar que (pelo menos uma) parte da Europa atravessou verdadeiramente um FIM-DE-SEMANA ELÉTRICO ‒ particularmente o Reino Unido, a França e a Alemanha ‒ sentindo-o bem na pele se não diretamente (choque elétrico) então por via indireta (meteorologicamente falando).

 

Aqui pela ponta sudoeste da Europa (e da Península Ibérica ponta oeste do Califado) virada ao Atlântico mas beneficiando ainda (do sabor quente, húmido e sensual) do mar Mediterrânico e do (perfume a especiarias do) norte de África ‒ mais especificamente no Algarve (Albufeira) ponta sul de Portugal ‒ notando-se pouco a sua passagem limitando-se à intermitência entre céu limpo (a grande maioria do dia) e ligeiros períodos de chuva (de vez em quando mas pouco) e até dando para um salto até ao mar e à praia (à areia, ao Sol e até à água, pelo menos molhando os pés).

 

No fim-de-semana marcado (no Algarve) pelo início da época (da caça ao bicho) e do Festival do Caracol:

 

Uns (os teóricos da Imaginação) gostando de os ver com a sua casa às costas (sendo o único inquilino além de hermafrodita) deslizando suavemente sobre a sua baba (pelos próprios produzida e diminuindo o atrito) e expondo aos céus os seus corninhos (bem apontados ao Sol) tal como antenas de comunicações mantendo-os informados (os caracóis) sobre o seu Mundo,

 

Outros muito mais práticos e encarando desde logo a Realidade de frente (mesmo que Futura pelos indícios sendo previsível) e talvez prevendo outros cenários, habituando-se desde já a apreciar e comer outras espécies animais (sendo estes herbívoros certamente sendo menos tóxicos que os carnívoros) sejam elas quais forem (um dia já foi o Homem) e sejam quais forem as necessidades (se elas por acaso existem ignorando o poder avassalador da moda) ‒ acompanhados (os caracóis) por umas minis (cervejolas).

 

“Violent thunderstorms produce more than 400 000 lightning strikes in 48 hours, Europe.”

(The Watchers)

 

33764286_2234439913445764_7939008362438459392_n.jp  33823382_2234439916779097_6092266888669167616_n.jp

Paris e a torre Eiffel

 

E como consequência da passagem pela Europa desta tempestade de Caraterísticas Elétricas,

 

‒ Fonte geradora de inúmeras descargas elétricas, produzidas e partindo das nuvens chocando entre si (com cargas + ou -) e sob a forma de um relâmpago (de altíssima voltagem) atingindo violentamente o solo (sendo o seu efeito mortal)

 

Tendo-se registado uma vítima mortal no Reino Unido (depois de ficar submergido no interior do seu automóvel numa cheia repentina) e um ferido grave na Alemanha,

 

Na ilha com uns 60.000 relâmpagos em 24 horas (algo nunca visto num intervalo de tempo tão curto e com quase 20.000 relâmpagos unicamente durante o período noturno) acompanhadas por uma chuva diluviana (numa hora chovendo o equivalente a um mês) ‒ afetando uma das áreas mais em risco durante os períodos de cheias o vale do rio Tamisa (neste caso afetando mais de um milhar de propriedades e provocando cortes no abastecimento de energia);

 

E na Alemanha assim como na França (e tal como ocorrido no Reino Unido) com a chuva e os relâmpagos (para além do ferido grave) a provocarem o caos em certas regiões e a causarem alguns feridos mas ligeiros. Num momento meteorológico em que a Europa atravessava um período com tempo quente, como que nos recordando que o Verão estava aí à porta (chegando a 21 de Junho).

 

Já no caso francês e no que concerne à sua produção vitivinícola com as famosas regiões de Bordéus e Cognac (ocidente francês) a serem as mais afetadas, com cerca de 2.000 hectares (depois de já terem sido anteriormente atingidas pelo frio extremo) a levarem com um novo agora por parte desta forte tempestade.

 

(dados do texto: The Watchers ‒ imagens: Tom Jacobs/Reuters/theguardian.com e Severe Weather Europe/facebook.com

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:49

03
Out 14

Notícias da Ilha

 

 

Numa das praias do Reino Unido foi avistado um astronauta de origem desconhecida (o astronauta UK) a caminhar tranquilamente sobre um dos esporões (aí construídos), acabando o mesmo por continuar o seu percurso (agora sobre o areal) e por desaparecer. A aparição foi registada acidentalmente por um indivíduo que se encontrava na altura no local e que logicamente pensou que algo de estranho presente na paisagem, não se encaixava dum modo perfeito no que esperava ver nesse cenário.

 

 

Tratava-se efectivamente de um indivíduo fabricado no Reino Unido (uma ilha) e em consequência disso tratado como alienígena nos restantes países Europeus (um continente): e talvez com o pretexto adicional de uma gravação (publicitária), poder ser utilizada (mesmo que por outros) para a transmissão de outras mensagens subliminares. Na realidade o que se passou foi apenas mais uma filmagem de um vídeo musical da responsabilidade do jovem modelo e actor (de 26 anos) Sam Way.

 

(imagens – mirror.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:39

20
Ago 12

No Reino Unido:

 

Homem em coma e pronto para regressar ao trabalho!

 

No Reino Unido um homem em coma foi considerado apto para o trabalho. Depois de cumpridas todas as formalidades para a manutenção dos apoios a este doente – como a entrega por parte da mulher de uma carta do hospital confirmando que ele continuava na mesma situação – foi com espanto que a família recebeu a comunicação final da companhia privada responsável pela atribuição de pensões e outros apoios – trabalhando diretamente para o Departamento de Trabalho e Pensões do Reino Unido – afirmando que o seu marido já se encontrava apto para trabalhar e por isso lhe iriam suspender todos os apoios. A razão invocada pela companhia seguradora para tal decisão – que iniciou recentemente uma campanha agressiva com o objetivo de travar a concessão de apoios e outras indeminizações, exigindo aos seus clientes um complexo monte de papeladas e burocracias, de modo a que estes fossem progressivamente desistindo do pedido – foi a não entrega em mão por parte do seu cliente em coma, de um simples questionário escrito, que afinal se mostrou fundamental para este desenlace legal.

 

(a partir de notícia: Boing Boing)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:59

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO