Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Mar 21

“ZZZZZT!

MARS MIGHT BE SPARKY.”

(Phil Plat/syfy.com)

 

hirise_mars_dust_devil.jpg

DUST DEVIL

(um redemoinho com 30m de comprimento)

 

Um aviso mais para quem não sendo marciano e sabendo do ambiente infernal que o espera ─ no Planeta Vermelho e por apresentar tons semelhantes (por não tão carregados, enferrujados) fazendo lembrar o Diabo ─ ainda pretende migrar e instalar-se neste desértico, árido e tóxico Mundo exterior (em distância o 4º a partir do Sol, com órbita exterior à da Terra), para além de não possuir água (visível, existindo possivelmente subterrânea) nem oxigénio (necessário para  nossa respiração) e mesmo sem atmosfera (por rarefeita), ainda nos podendo atingir (tempestades de areia) como no nosso planeta produzindo relâmpagos. Sendo um planeta extremamente árido e praticamente sem atmosfera, com um fenómeno como os relâmpagos (sua criação) nem sequer devendo existir, mas por outro lado talvez podendo ocorrer considerando algumas exceções (já detetadas e registadas): num planeta maioritariamente apresentando-se aos nossos sentidos como estático ─ morto, sem movimento, logo sem vida ─ aparecendo por vezes aqui e ali algo (nem que temporariamente) desmentindo em parte esta ideia (dando ainda uma hipótese a Marte), conjugando movimento e ações/reações e dando origem a fenómenos (de menores dimensões),

 

art_mars_duststorm.jpg

TEMPESTADE DE AREIA

(aproximando-se e originando relâmpagos)

 

Como os DUST DEVIL ─ compreendendo-se aí melhor os seus mecanismos de formação ─ ou como as (de maiores dimensões) TEMPESTADES DE AREIA ─ interiorizando-se então do que estas dependem, de como evoluem e finalmente de como se dissipam e desaparecem (regressando de novo no mesmo ou noutro dia marciano e até podendo ser em dias sucessivos, por vezes bem extenso: por semanas ou meses, neste último caso e durante uma Tempestade de Areia Global tendo já inutilizado/morto, o velhinho mas na altura e apesar das mazelas, ainda bem ativo ROVER OPPORTUNITY). Um planeta desmentindo-nos e apresentando como prova os relâmpagos: apenas se tendo que pensar na Terra e em fenómenos muito semelhantes por cá ocorridos e observados e envolvendo relâmpagos ou se quiserem (sendo o mesmo) descargas elétricas, por exemplo nas erupções vulcânicas terrestres envolvendo o choque de partículas eletricamente carregadas e originando (entre outros, por fricção) as visíveis e brilhantes descargas. No fundo sendo (talvez) tudo devido, à presença (de pequenos grãos de areia, chocando na atmosfera de Marte) de eletricidade estática. Pelo que um dia ao chegarmos a Marte e não querendo ter surpresas, tendo que ter sempre em atenção (em Marte como na Terra ou noutro planeta qualquer) ao estado do tempo: neste caso as “Trovoadas Marcianas”, tal como algumas por cá, sendo secas originando descargas (elétricas/perigosas): e se na Terra levando com um relâmpago e morrendo (de seguida por vezes chorando-se e no final enterrando-se), em Marte sendo ainda pior (morrendo-se longe de casa, sem o berço de descanso e de uma forma tão habitual, tão terrestre).

 

(imagens: NASA/JPL-Caltech/University of Arizona e NASA em syfy.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:31

06
Jul 18

Enquanto em Albufeira se ia para a praia e se tomava banho no mar (já com o tempo bom para pôr umas sardinhas a assar), no sudoeste de França sob a iluminação de sucessivos relâmpagos, sob rajadas de vento e intensa precipitação (mesmo sob a forma de bolas de granizo, tal e qual como fossem bolas de golfe) o que se procurava era refúgio e um pouco de proteção: dado o estado do tempo (extremo como se fosse Inverno) já em pleno Verão.

 

36682084_2267789473444141_8483267386986725376_n.jpDhU8GnPXUAA0uKZ.jpg

Bola de granizo (d = 7cm) a 4 de Julho ‒ Departamento de Charente

E nuvens formando ondas (em movimento e em forma de arco) a 5 de Julho ‒ Limoges

 

Na sequência da Tempestade Meteorológica que esta quarta-feira (dia 4 de Julho) atravessou o sudoeste da França (oriunda da cordilheira dos Pirenéus), o território francês alcançou (nesse dia) um novo record no que toca à ocorrência de Fenómenos Atmosféricos Extremos ‒ neste caso envolvendo descargas elétricas (relâmpagos acompanhados dos respetivos efeitos sonoros os trovões):

 

Em 24 horas produzindo-se 36 605 relâmpagos (mais de 25 por minuto), batendo o anterior record estabelecido (curiosamente e na altura já sendo um indicativo do que poderia ainda aí vir) há pouco mais de um mês (em 28 de Maio) com 33 841 descargas elétricas.

 

Quando num período de 4 dias (1 a 4 de Julho) o território francês se viu submetido a um total de cerca de 87 000 descargas (elétricas): no dia 4 (de Julho) e só no sudoeste (de França) ‒ ou seja num único dia ‒ dando-se mais de 42% dos relâmpagos.

 

DhVC-r_X4AAQdJM.jpg large.jpg

Com mais de 87 000 relâmpagos em território francês e em apenas 4 dias (1/4 Julho)

E num só dia (4 Julho) no sudoeste de França com mais de 42% dessas descargas (elétricas)

 

E com as 87 000 descargas (em apenas 4 dias) a serem mais de metade do habitualmente registado durante todo o mês de Julho (Verão).

 

Na avaliação da passagem pelo sudoeste de França desta Tempestade de Verão (felizmente dirigindo-se para leste no sentido contrário ao da Península Ibérica) para além das inúmeras descargas salientando-se o vento forte (com rajadas súbitas de 80Km/h a 130Km/h) e a chuva intensa (com queda abundante de bolas de granizo), provocando a destruição de casas (e outras infraestruturas), de carros e de colheitas (em certos casos na altura de colher/plantar):

 

Uma situação cada vez mais vulgar de se observar (um pouco por toda a Europa), com casos muito semelhantes a estes (meteorologicamente repentinos, temporários e extremos) a ocorrer em Portugal (numa dimensão mais reduzida e afetando espaços de menor dimensão, mas inevitavelmente ‒ mais um sinal agora local ‒ com consequências mais limitadas mas em tudo idênticas).

 

36613345_2267193516837070_4503850350381367296_n.jp

Danos provocados pela queda de granizo (dimensão bola de golfe)

Ocorrida a 4 de Julho no departamento de Charente (França)

 

Algo que poderá ocorrer de repente e em qualquer local aqui por perto (mesmo na região do Algarve), durante dias com temperaturas elevadas (30⁰C/35⁰C) e tempo algo húmido ‒ convidando-nos para uma ida até à praia ‒ e subitamente vendo-se sob uma intensa Tempestade (típica de Verão) com relâmpagos e forte precipitação (líquida os sólida sob a forma de granizo).

 

Para já e para o Algarve (e obviamente para Albufeira a Capital Turística da região) não existindo ainda sinais (pelo menos que sejam evidentes para os leigos) de tal comportamento climático, prevendo-se mesmo para a semana (iniciando-se a 9 de Julho) a subida das temperaturas máximas.

 

(imagens: Météo-France/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

29
Mai 18

“Up to 20,000 bolts of lightning hit Britain, leaving hundreds of homes without power.”

(theguardian.com/27.05.2018)

 

3468.jpg

Londres e o rio Tamisa

 

No passado fim-de-semana (26/27 Maio) e a pouco menos de um mês do início do Verão (no Hemisfério Norte/Portugal) a Europa foi atravessada por uma nova e severa tempestade transportando consigo elevada precipitação com queda de granizo, trovoada e um número não muito usual de descargas elétricas (relâmpagos):

 

Pelo número de relâmpagos contabilizados em cerca de 48 horas ‒ mais de 400.000 descargas elétricas em 2 dias ‒ podendo-se afirmar que (pelo menos uma) parte da Europa atravessou verdadeiramente um FIM-DE-SEMANA ELÉTRICO ‒ particularmente o Reino Unido, a França e a Alemanha ‒ sentindo-o bem na pele se não diretamente (choque elétrico) então por via indireta (meteorologicamente falando).

 

Aqui pela ponta sudoeste da Europa (e da Península Ibérica ponta oeste do Califado) virada ao Atlântico mas beneficiando ainda (do sabor quente, húmido e sensual) do mar Mediterrânico e do (perfume a especiarias do) norte de África ‒ mais especificamente no Algarve (Albufeira) ponta sul de Portugal ‒ notando-se pouco a sua passagem limitando-se à intermitência entre céu limpo (a grande maioria do dia) e ligeiros períodos de chuva (de vez em quando mas pouco) e até dando para um salto até ao mar e à praia (à areia, ao Sol e até à água, pelo menos molhando os pés).

 

No fim-de-semana marcado (no Algarve) pelo início da época (da caça ao bicho) e do Festival do Caracol:

 

Uns (os teóricos da Imaginação) gostando de os ver com a sua casa às costas (sendo o único inquilino além de hermafrodita) deslizando suavemente sobre a sua baba (pelos próprios produzida e diminuindo o atrito) e expondo aos céus os seus corninhos (bem apontados ao Sol) tal como antenas de comunicações mantendo-os informados (os caracóis) sobre o seu Mundo,

 

Outros muito mais práticos e encarando desde logo a Realidade de frente (mesmo que Futura pelos indícios sendo previsível) e talvez prevendo outros cenários, habituando-se desde já a apreciar e comer outras espécies animais (sendo estes herbívoros certamente sendo menos tóxicos que os carnívoros) sejam elas quais forem (um dia já foi o Homem) e sejam quais forem as necessidades (se elas por acaso existem ignorando o poder avassalador da moda) ‒ acompanhados (os caracóis) por umas minis (cervejolas).

 

“Violent thunderstorms produce more than 400 000 lightning strikes in 48 hours, Europe.”

(The Watchers)

 

33764286_2234439913445764_7939008362438459392_n.jp  33823382_2234439916779097_6092266888669167616_n.jp

Paris e a torre Eiffel

 

E como consequência da passagem pela Europa desta tempestade de Caraterísticas Elétricas,

 

‒ Fonte geradora de inúmeras descargas elétricas, produzidas e partindo das nuvens chocando entre si (com cargas + ou -) e sob a forma de um relâmpago (de altíssima voltagem) atingindo violentamente o solo (sendo o seu efeito mortal)

 

Tendo-se registado uma vítima mortal no Reino Unido (depois de ficar submergido no interior do seu automóvel numa cheia repentina) e um ferido grave na Alemanha,

 

Na ilha com uns 60.000 relâmpagos em 24 horas (algo nunca visto num intervalo de tempo tão curto e com quase 20.000 relâmpagos unicamente durante o período noturno) acompanhadas por uma chuva diluviana (numa hora chovendo o equivalente a um mês) ‒ afetando uma das áreas mais em risco durante os períodos de cheias o vale do rio Tamisa (neste caso afetando mais de um milhar de propriedades e provocando cortes no abastecimento de energia);

 

E na Alemanha assim como na França (e tal como ocorrido no Reino Unido) com a chuva e os relâmpagos (para além do ferido grave) a provocarem o caos em certas regiões e a causarem alguns feridos mas ligeiros. Num momento meteorológico em que a Europa atravessava um período com tempo quente, como que nos recordando que o Verão estava aí à porta (chegando a 21 de Junho).

 

Já no caso francês e no que concerne à sua produção vitivinícola com as famosas regiões de Bordéus e Cognac (ocidente francês) a serem as mais afetadas, com cerca de 2.000 hectares (depois de já terem sido anteriormente atingidas pelo frio extremo) a levarem com um novo agora por parte desta forte tempestade.

 

(dados do texto: The Watchers ‒ imagens: Tom Jacobs/Reuters/theguardian.com e Severe Weather Europe/facebook.com

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:49

28
Nov 17

Hoje por volta da hora do lanche vi no Céu de Albufeira Matéria e Antimatéria a aniquilarem-se (com chuva, relâmpagos e trovões).

 

Every Time Lightning Strikes, Matter-Antimatter Annihilation Happens too

 

lightning-700x432.jpg

A Kyoto University-based team has unraveled the mystery of gamma-ray emission cascades caused by lightning strikes

Credit: Kyoto University/Teruaki Enoto

 

“We have this idea that antimatter is something that only exists in science fiction. Who knew that it could be passing right above our heads on a stormy day? ”

(Teruaki Enoto/ Kyoto University)

 

(texto/inglês e imagem: Matt Williams/uiversetody.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:17

Abril 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO