Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

08
Out 19

[Legislativas de 6 de outubro de 2019 Eleição da nova AR Faro/Albufeira]

 

Logo_do_Partido_Socialista(Portugal).png

 

Venceu o PS

(tal como se esperava)

 

E no ALGARVE com 19 Partidos ou Coligações concorrendo às Legislativas de 2019 (em 2015 com 14), com a abstenção no distrito de FARO a crescer de 48,6% para 54,2% (acompanhando de uma forma mais acentuada a descida nacional, esta última com uns 2,5% cerca de metade da primeira) e com o PS a voltar a vencer tal como em 2015: roubando o único deputado do PCP/PEV no distrito de Faro (para além de eliminar o CDS antes concorrendo com o PSD, agora fazendo-o isolado e não elegendo qualquer deputado) e deixando as outras formações (tendo eleito deputados em 2015) – como o PSD e o BE incólumes. E graças à votação de 172.699 dos seus residentes (de um total de 376.801 de inscritos) numa população estimada em menos de 450.000 (nem sequer 30% do total) com o PS a eleger 5 deputados, o PSD 3 e o BE 1 (em 9 deputados podendo ser ou não “originalmente algarvios”).

 

Partido_Social_Democrata_Logo.svg.png  800px-LeftBloc.svg.png

 

Salvou-se o PSD (apesar de tudo)

e o BE (mantendo-se)

 

Já no caso de Albufeira um dos 16 concelhos do Algarve com o PS a vencer (subindo de 29,6% para 33,6% uns 4%), destronando (a nível de legislativas) o anterior vencedor a coligação PSD/CDS (concorrendo isolados e somando-se, descendo de 35,2% para 29,9% mais de 5%) − com o PSD ainda controlando a Câmara. Com os outros partidos mais votados (na Região do Algarve) a acompanharem sensivelmente na mesma proporção a distribuição nacional partidária: e a seguir ao PS (33,6%/subindo) e ao PSD (25,4%/descendo) seguindo-se − todos com mais de 1% − o BE (11,2%/descendo), o PCP-PEV (5,7%/descendo), o PAN (5,5%/subindo), o CDS  (4,5%/descendo), o CHEGA (2,8%/1ªvez), o LIVRE (1,0%/subindo) e a IL (1,0%/1ªvez).

 

Coligação_Democrática_Unitária_logo.png  Cds_simbolo_2.png

 

E desapareceram o PCP/PEV (mantendo o vem-e-vai)

e o CDS (este último talvez de vez)

 

Para no final e como todos infelizmente preveem − como sempre, adiando o inevitável e podendo conduzir por omissão, à Catástrofe − se manter (na região algarvia) tudo na mesma: quanto muito ficando futuramente entalada entre “a construção de estaleiros para o Turismo Imobiliário” ou em alternativa reconvertendo-o e ampliando-o (posteriormente e caso se confirme o Filão) para o que poderá ser o “Negócio do Século” com “a reconversão e deslocação progressiva do investimento regional” do “Turismo (podendo correr se o desejar em paralelo) para as Plataformas”. Num combate assumido pelo anterior Presidente da Câmara de Albufeira (Carlos Silva e Sousa, de 2013 a 2018) e pelos “Vivos” (até por respeito e como homenagem) ainda não esquecido.

 

(imagens: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:59

07
Out 19

Com 226 já eleitos dos 230 (faltando 4 pela emigração) e com o PS a ganhar as Legislativas 2019 (mas) sem maioria absoluta (efetiva aos 116 deputados), sendo mais que previsível a nomeação de um Governo (exclusivamente) PS, com o apoio (óbvio) no parlamento da sua respetiva bancada e o apoio estritamente parlamentar (deixando passar o Governo de iniciativa PS) do BE, PCP/PEV e PAN (falando apenas dos partidos com representação parlamentar em 2015).

 

resultados_finais_legislativas_2015105898a0.jpg

Eleições Legislativas de 2015

(resultados)

 

Mesmo com toda a oposição à anterior Engrenagem estando contra (PSD e CDS) com os seus 82 deputados nem sequer conseguindo fazer frente ao PS com 106. Quanto mais e se somarmos (quase) todos (os “aliados”), com o PS a poder contar com uns 142 (acordados ou a dormir).

 

Deputados Apurados: 226

Deputados p/ Apurar: 4

(p/Emigração)

Total de Deputados: 230

(maioria absoluta a 116)

 

Partidos

Deputados/2019

Deputados/2015

Variação

PS

106

86

+20

PSD

77

(PSD+CDS=102)

(PSD+CDS=-20)

BE

19

19

0

PCP/PEV

12

17

-5

CDS

5

(PSD+CDS=102)

(PSD+CDS=-20)

PAN

4

1

+3

CHEGA

1

0

+1

IL

1

0

+1

LIVRE

1

0

+1

Abstenção: 45,5%

 

Numa clara e significativa vitória do PS (em 2015 sendo o 2º partido mais votado tendo de negociar para poder formar Governo e agora não) e numa outra menos significativa, mas algo relevante do PAN (passando de 1 para 4 deputados), para no espaço de evolução neutra se situar o BE (mantendo a sua representação) e do outro lado negativo por regressão, encontrarmos o PCP/PEV (pagando o grosso da fatura do custo político da Geringonça, perdendo 5 deputados) e sobretudo o (regressado ao “partido do Táxi”) CDS (por pouco sendo ultrapassado pelo PAN).

 

Assembleia da República tendo agora a particularidade de ter na sua constituição mais 3 novos partidos – CHEGA (direita), IL (centro) e LIVRE (esquerda). Aceitando-se apostas, “com quem vai o PS negociar”?

 

[E com os novos partidos − CHEGA, IL e LIVRE − acabados de chegar à AR, a poderem aprender com o PAN (com a sua estratégia vazia), a como no futuro se candidatarem, a ter a sua própria bancada (parlamentar).]

 

(imagem: rr.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:48

06
Out 15

rir-o-melhor-rem-dio-38-o-papagaio-suado-383996-1.

 

Quando ainda faltam atribuir os 4 lugares referentes aos círculos da Europa (2) e de Fora da Europa (2) a distribuição de deputados na nova Assembleia da Republica:

 

Partido Lugares
PSD 86
PS 85
BE 19
CDS 18
PCP 15
PEV 2
PAN 1
Total 226

 

Com a maioria absoluta a ser alcançada com 116 deputados, nenhuma das forças maioritárias associadas ao bloco central (PSD e PS) atingiu esse desiderato.

Não deixa no entanto de ser interessante que mais de 24 horas passadas sobre a divulgação dos resultados das eleições e no dia de Cavaco Silva receber Passos Coelho, ninguém se tenha até agora preocupado com este tão pequeno mas importantíssimo pormenor: qual será o partido que elegerá mais deputados, na prática o Partido Vencedor?

 

Partido Lugares
PSD 86 a 90
PS 85 a 89
Total 230

 

Nunca se esqueçam que provavelmente hoje Cavaco Silva receberá o candidato vencedor e líder da coligação PÀF – uma organização virtual por existência temporária, posteriormente dissolvida e distribuída por partidos.

 

E se apesar de tudo no fim deste processo o PS tiver mais mandatos?

 

(nas eleições de 2011 o PSD alcançou 1 deputado pelo círculo da Europa – o outro foi para o PS – e 2 deputados pelo círculo Fora da Europa – ou seja todos; mas se o resultado agora se invertesse tudo seria diferente)

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:40

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO