Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

20
Fev 21

“Dos Canais de Marte (no passado) à sua aridez (no presente),

reduzindo-se a esperança (no futuro).”

 

pia24430-1041.jpg

Uma das primeiras fotos da superfície marciana (c/ o céu ao fundo)

Obtida a partir de uma das câmaras do Rover Perseverance

 

Mesmo que dispondo de vários módulos orbitais circundando Marte (8) ─ TIANWEN-1 (CHINA), HOPE (UAE), EXOMARS 2016 (ESA/RÚSSIA), MAVEN (EUA), MOM (ÍNDIA), MRO (EUA), MARS EXPRESS (ESA) e MARS ODYSSEY (EUA) ─ de alguns veículos motorizados ou ROVERS circulado na superfície marciana (3) ─ PERSEVERANCE (EUA), TIANWEN-1 (CHI) e CURIOSITY (EUA) ─ e ainda de outros módulos de aterragem aí estacionados (2) ─ TIANWEN-1 (CHI) e INSIGHT (EUA) ─ sendo incompreensível que depois de tantas missões (perto de meia centena) iniciadas há mais de 60 anos (com as primeiras missões falhadas da URSS), ainda não se tenha encontrado (pelo menos para amostra) nem um único marciano.

 

Aliens-and-UFOS-Dark-Secrets-of-Mars-324x324.png

Sem água nem atmosfera, mas com uma aridez desértica

sem entidades presentes (marcianos) invocando direitos (e soberania)

 

E com pelo menos mais quatro missões previstas (sondas espaciais não tripuladas), direcionadas para Marte até ao ano de 2025 ─ não se vendo dessa forma como será possível a curto ou a médio-prazo (início da década de 30) termos homens nesse planeta ─ insistentemente tendo como objetivo (divulgado) a procura de indícios da existência de água assim como de vestígios de um dia aí ter existido vida (num passado extremamente remoto), não se tendo muita esperança que depois de tanto dito (igualmente prometido) sobre este planeta, inesperadamente vindo de um lugar (desconhecido e subterrâneo) e para vir ter connosco (nos saudar) demos de cara com um indígena (importado ou local).

 

(imagens: nasa.gov ─ theufostore.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:02

19
Fev 21

“Cheers erupted in mission control at NASA’s Jet Propulsion Laboratory as controllers confirmed that NASA’s Perseverance rover, with the Ingenuity Mars Helicopter attached to its belly, has touched down safely on Mars. Engineers are analyzing the data flowing back from the spacecraft.”

 

nhq202102180017.jpg

 

“NASA’s Perseverance Mars rover has sent back its first image(s) from the surface of the Red Planet. The image(s) come from Perseverance’s Hazard Avoidance Cameras (Hazcams), which help with driving. The clear protective covers over these cameras are still on. These first images are low-resolution versions known as thumbnails.”

 

(texto: Naomi Hartono/blogs.nasa.gov ─ imagem: NASA/Bill Ingalls/nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:22

18
Fev 21

“Pelas 14:10 desta quinta-feira e com 99,89% da viagem já concluída, com a sonda espacial PERSEVERANCE viajando a uma velocidade de mais de 76.000Km/hora, a situar-se a pouco menos de 500.000Km de Marte. Tocando a superfície marciana pelas 20:00.”

 

juntosperseveramos_promo_social.jpg

 

Num Evento Interplanetário ligando o nosso planeta ao Planeta Vermelho (atualmente a cerca de 200 milhões de Km) e iniciado em 30 de julho de 2020 em Cabo Canaveral (Flórida/EUA), conclui-se hoje (18 de fevereiro de 2021) por volta das 20:00 a longa viagem (cerca de 470 milhões de Km) de mais uma sonda espacial (produzida nos EUA e da responsabilidade do JPL/NASA): com a sonda espacial norte-americana PERSEVERANCE a entrar em órbita do planeta Marte (com o seu orbitador) e de seguida aterrando à sua superfície (na cratera JEZERO), lá colocando o ROVER com o mesmo nome (integrando a missão MARS 2020) devidamente apetrechado para além do próprio ROVER PERSEVERANCE (o veículo motorizado habitualmente utilizado à superfície) equipado de várias câmaras e igualmente de microfones, estreando-se nesta missão um novo veículo (numa ação nunca antes concretizada) igualmente motorizado mas aéreo, o helicóptero INGENUITY. Podendo ser acompanhado ao vivo através da INTERNET utilizando a página da NASA ou as redes sociais (Twitter, Facebook, YouTube), num episódio da série “Missão Marte 2020” a transmitir (programado) a partir das 19:00. Uma missão até pelo lugar de contacto escolhido ─ uma bacia à superfície do planeta podendo (segundo os cientistas) ter estado num passado bastante remoto submersa ─ procurando vestígios da existência de Água (no passado, talvez em depósitos subterrâneos no presente) e ainda de Vida (tal como na Terra acompanhando esse possível ciclo da água); e ainda sendo mais valorizada por mais uma função atribuída ao ROVER e ao HELICÓPTERO, tendo que num trabalho conjunto recolher amostras (da superfície marciana) e guardá-las para uma próxima missão a Marte (então sendo enviadas para a Terra).

 

(imagem: mars.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:13

16
Fev 21

“Missão MARS 2020

colocando o seu ROVER na cratera JEZERO,

acompanhado pelo helicóptero INGENUITY.”

 

Screenshot_2021-02-15 Mars 2020 Perseverance Rover

A primeira missão interplanetária

(TERRA → MARTE)

transportando um helicóptero

 

A pouco menos de 70 horas da sonda norte-americana PERSEVERANCE entrar na órbita de Marte, a previsão da colocação na superfície marciana de mais um veículo motorizado ou ROVER (c/ o mesmo nome) e da chegada e estreia do primeiro helicóptero sobrevoando a sua superfície ─ o INGENUITY.

 

“Following “seven minutes of terror”

after it reaches Mars’ upper atmosphere,

Nasa’s Perseverance rover is expected to land

on the surface of the red planet at 20:55 GMT on February 18.”

(Andrew Coates/theconversation.com)

 

file-20210213-19-d4wxwz.jpg

Com a sonda PERSEVERANCE

a ser lançada da Flórida por um foguetão ATLAS V

em plena Pandemia (julho de 2020)

 

Para além de toda a investigação científica levada a cabo a partir do seu orbitador, com a missão da PERSEVERANCE (MARS 2020) a colocar (em fevereiro de 2021) mais um ROVER em MARTE, juntando-se ao ROVER CURIOSITY (igualmente norte-americano, em Marte desde agosto de 2012) e mais tarde sendo acompanhada pelo ROVER TIANWEN-1 (em maio de 2021).

 

(imagens: mars.nasa.gov ─ NASA/JPL-Caltech)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:25

15
Fev 21

In the late 1800s, telescopes first revealed a surface full of intriguing features—patterns and landforms that scientists at first wrongly ascribed to a bustling Martian civilization. Now, we know there are no artificial constructions on Mars. But we’ve also learned that, until 3.5 billion years ago, the dry, toxic planet we see today might have once been as habitable as Earth.” (Nadia Drake/nationalgeographic.com)

 

6786187.jpg

Fig. 1

Em aproximação

Imagem do planeta Marte

obtida a partir da sonda espacial Tianwen-1

 

Com pelo menos 8 missões ainda operacionais, 2 acabadinhas de chegar (9 e 10 de fevereiro) HOPE (UAE) e TIANWEN-1 (CHINA) ─ e 1 outra a rebentar dentro de poucos dias (18 de fevereiro) ─ PERSEVERANCE (EUA) ─ duas imagens fornecidas pela Agência Espacial Chinesa (CNSA) da aproximação da sua sonda espacial ao Planeta Vermelho, uma perto de alcançar o planeta (fig. 1) a outra aquando da entrada em órbita (fig. 2). Cumprindo (a sonda chinesa) com sucesso duas das fases desta missão ─ aproximação e entrada em órbita ─ seguindo-se no mês de maio (depois de operações científicas levadas a cabo no orbitador) a tentativa de aterragem na superfície do planeta e o lançamento do seu veículo motorizado ou ROVER: em UTOPIA PLANITIA “a maior bacia de impacto reconhecida em Marte com um diâmetro aproximado em 3300 km.” (wikipedia.org)

 

[Tendo como a última das missões anterior a estas três (a MARTE) a missão norte-americana INSIGHT, colocada na superfície de Marte desde novembro de 2018: imobilizado o módulo (de aterragem), tendo como objetivos da missão (utilizando os seus instrumentos científicos) o estudo da sismologia marciana, o estudo dos fluxos de calor (a partir da superfície), o estudo do interior de Marte e o estudo do clima do planeta (incluindo os ventos).]

 

snapshot.jpg

Fig. 2

Em órbita

Imagem da entrada em órbita do planeta Marte

da sonda espacial Tianwen-1

 

Dispondo a sonda espacial árabe (dos Emiratos Árabes Unidos) ─ sonda HOPE, sendo neste evento um pioneiro ─ apenas de um orbitador, superada em opções pela sonda chinesa (com ROVER) e esta ainda pela norte-americana: para além do seu respetivo ROVER permitindo-lhe circular na superfície marciana, estreando neste tipo de missões um outro veículo motorizado, mas neste caso voador ─ um helicóptero (INGENUITY). Na aproximação a Marte (fig. 1) sobressaindo desde logo dois aspetos (fig. 2), a sua topografia (as crateras bem visíveis à sua superfície) e a sua ténue atmosfera (envolvendo o planeta). Limitando-se a HOPE (pioneira) ao estudo da atmosfera de Marte, enquanto a TIANWEN-1 e a PERSEVERANCE (mais experimentadas e como tal ambiciosas) ao estudo da possibilidade (de no passado) aí poder ter existido vida ─ para além de algo mais antes já feito na Lua, recolhendo amostras do solo (nesta missão) e enviando-os para a Terra (posteriormente noutra missão).

 

[Revealing … “some of the most Incredible features and strange structures discovered on the Martian surface, which hint to the existence of an ancient civilization that somehow endured a planet-wide catastrophe. Some of these anomalous structures, including faces and pyramids, bear striking similarities to ancient geoglyphs near Mayan cities in Nazca, and other human-made constructions on Earth.” (starnationsnews.com)]

 

(imagens ─ cnsa.gov.cn)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:27

11
Fev 21

Na sequência da apresentação de alguns cenários colocando a Terra em causa ─ INVADERS FROM MARS (William Cameron/1953), THE DAY MARS INVADE EARTH (Maury Dexter/1962) e MARS ATTACKS (Tim Burton/1996) ─ mais uma resposta adequada por parte do nosso planeta colocando Marte no seu lugar.

 

p.jpg

MARCIANOS

Querendo destruir a civilização terrestre

apenas para se divertirem

 

Ultrapassada a Lua (o nosso único satélite natural, localizado a pouco mais de 384 mil Km da Terra) e apontando todas as nossas baterias para Marte (o 4º planeta mais afastado do Sol, localizado a uma distância média de 225 milhões de Km) ─ distando Marte da Terra, 585X mais que da Lua ─ eis que 3 sondas espaciais terrestres (todas lançadas em julho de 2020) chegam entre 9 e 18 de fevereiro ao Planeta Vermelho, duas delas para além do orbitador sendo acompanhadas pelo respetivo Rover (a chinesa e a norte-americana): uma sonda dos Emiratos Árabes Unidos (chegando a 9.02) ─ juntando-se pela 1ª vez às potências espaciais ─ outra da China (chegando a 10.02) e finalmente uma terceira dos EUA (chegando a 18.02), por sinal além do Rover transportando (numa ação espacial pioneira) um helicóptero (o Ingenuity).

 

nextstopmars.jpg

HOPE

Lançada do Centro Espacial Mohammed bin Rashid

no Dubai/UAE

 

Colocando o itinerário Terra/Marte no topo das preferências das viagens espaciais, não só por iniciativa do estado (pública) mas igualmente privada (empresas aeroespaciais). E mantendo este objetivo como uma prioridade (alcançar Marte) ─ talvez para explorar o planeta, talvez para o utilizar como entreposto (ignorada a Lua, nela se podendo fazer o mesmo) ─ entrando em órbita e (no caso de 2 das sondas) tocando a superfície marciana. Intensificando o volume do transito local, cada vez apresentando mais vestígios (nos céus e à superfície) de uma presença alienígena: neste caso sendo os terrestres (para os marcianos, caso existam) os estranhos oriundos de uma terra estranha (a Terra).

 

0c7e539acf272de2b75aff96eb6934cc.jpg

TIANWEN-1

Lançado do Centro de Lançamentos Espaciais

de Wenchang/China

 

E assim chegando repentinamente a Marte outras 3 sondas espaciais ─ HOPE (UAE), TIANWEN-1 (CHINA) e PERSEVERANCE (EUA) ─ na prossecução do objetivo final e comum (dos terrestres) de colonizar Marte e aí criando um entreposto possibilitando o alargamento das viagens interplanetárias e o caminhar (extravasando o Sistema Solar) para as Interestelares: fazendo a viagem contrária (tendo-nos visitado no passado, como ainda ontem, com o artefacto Oumuamua) dos nossos deuses astronautas. No caso da UAE com a concretização da sua 1ª viagem interplanetária tendo como destino Marte (c/ o seu orbitador), tornando-se o quinto país a atingir o planeta (depois dos norte-americanos, russos, chineses e europeus) e lá se fixando (orbitando no céu marciano) observando e estudando (entre outros e durante um ano) os fenómenos ocorridos na sua atmosfera ─ e tal como os outros planeando viagens (talvez) tripuladas à Lua (2024) e ainda a Marte (2117).

 

Blast-off-Mars-2020-080520-1024x682.jpg

PERSEVERANCE

Lançado de Cabo Canaveral

na Flórida/EUA

 

Já no caso das sondas chinesas e das norte-americanas ambas equipadas com o seu respetivo Rover (veículo motorizado utilizado para se movimentarem na superfície marciana), no caso da missão conduzida pela NASA (chegando a 18 de fevereiro) utilizando a sonda PERSEVERANCE, com esta a ter a particularidade (única e extraordinária) de para além de lá chegar, aterrar e explorar, ainda estar preparada para ─ fazendo uma recolha de solo marciano ─ abandonar o planeta e reenviar (aproveitando a viagem de volta) as amostras para a Terra (determinante para se saber se alguma vez existiu Vida em Marte). Relativamente à sonda chinesa e à sua projetada missão ─ “Tianwen-1 Mars Mission” ─ com a mesma a já se ter inserido em órbita do planeta Marte (hoje dia 10 de fevereiro), para lá para o mês de maio enviar até à sua superfície (pretensamente rica em água, que não à superfície) o seu módulo de aterragem (pondo de lado os EUA cliente habitual, com os únicos países a fazê-lo desde há quase 50 anos ─ depois dos russos falharem e aí abandonarem ─ a serem os chineses).

 

(imagens: punverse.blogspot.com ─ AP Photo/Jon Gambrell/phys.org

─ Luo Yunfei/China News Service/Getty Images ─ nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:58

17
Nov 19

As sondas Mars 2020 (NASA) e ExoMars 2020 (ESA/ROSCOSMOS)

a serem lançadas em 2020 (e chegando a Marte no início de 2021).

 

[Entre outros dos seus objetivos, em busca de estromatólitos ou de outros fósseis-rochosos, podendo num determinado espaço-tempo, significado e sido traduzido, por Vida.]

 

24695_mars2020_investigate_ancient_life_australia.

Austrália

Cientistas envolvidos nos projetos

Mars 2020 (NASA) e ExoMars 2020 (ESA/ROSCOSMOS)

Estudando os estromatólitos

Das formas de vida fossilizadas mais antigas e já confirmadas

 

No próximo ano (2020) com duas novas sondas automáticas (uma da responsabilidade da NASA a outra da ESA) a serem lançadas (um dos EUA a outra da Rússia) em direção ao planeta Marte (no dia de hoje a cerca de 2,47UA da Terra) − a sonda MARS 2020 (Agência Espacial Norte-Americana) e a sonda EXOMARS 2020 (Agência Espacial Europeia) – em terra (e no planeta Terra) e fazendo parte dos preparativos das duas missões, um grupo de cientistas (de ambos os lados) procura na superfície do continente australiano (na região de Pilbara, localizada a noroeste) indícios que lhes possam fornecer informações (por comparação de amostras recolhidas na Terra e posteriormente em Marte) de que algo de semelhante poderá ter ocorrido em Marte: estudando no local (Austrália) a sua superfície rochosa, bem conhecida por conter impressa através de um processo (físico-químico) de muitos e muitos milhões de anos (de transformações, evolução) – talvez com um início há uns 3,5 biliões de anos, nalgum tipo de caldeira − exemplares da mais antiga forma de vida conhecida e tendo habitado o nosso planeta, os Estromatólitos – uma “rocha fóssil”.

 

368_esa-exomars-2020-rover.jpg

Rover ExoMars 2020

Expedição exobiológica tentando descobrir se alguma vez no seu passado

terá existido Vida em Marte, c/ o rover a ter como missão

estudar a possível existência de moléculas orgânicas, capazes de

“erguer o edifício químico, composto pelos diferentes módulos de Vida”

 

E presumindo-se ter existido água em Marte (pertencendo este a um sistema planetário com mais de 4,5 biliões de anos) há uns 3 /4 biliões de anos (como pensam por todos os sinais e vestígios, cada vez mais cientistas), a afirmação de que

 

Between 3 billion and 4 billion years ago at the Mars 2020 landing site, Jezero Crater, a river flowed into a body of water the size of Lake Tahoe, depositing delta sediments packed with clay and carbonate minerals. The conditions were ideal for stromatolites to form on the shorelines.” (nasa.gov)

 

Lake_Thetis-Stromatolites-LaRuth.jpg

Estromatólito

“Pode ser definido como uma rocha fóssil formada por

atividades de microrganismos em ambientes aquáticos” (wikipedia.org),

das mais antigas conhecidas na Terra

e podendo datar de há 3,5 biliões de anos

 

Duas sondas cada uma delas apetrechada pelo seu respetivo “automóvel” ou veículo motorizado, uma delas transportando o ROVER MARS 2020 (aterrando na cratera JEZERO) −a ser lançada entre Julho/Agosto de 2020 (e aterrando em Marte em Fevereiro de 2021) − a outra transportando o ROVER ROSALIND FRANKLIN (aterrando na planície OXIA) − a ser lançada em Julho/2020 (e aterrando em Março/2021): 2 veículos que irão a partir do fim do primeiro trimestre de 2021 fazer companhia ao seu antepassado (mas ainda bem ativo) o ROVER CURIOSITY, tentando saber ainda mais da História Geológica deste planeta nosso vizinho (exterior), assim como sobre a sua evolução (com uns 4,5 biliões de anos), sobre a possibilidade de nele ter existido água (no início, distando talvez de 3/4 biliões de anos) e até de nalgum dia do seu já distante passado nele ter existido Vida. Daí a “caça aos fósseis”.

 

8544_Pathfinder-Background-web.jpg

Mars Pathfinder

Capturing hearts and minds around the world with its dramatic landing on July 4, 1997,

and its tiny rover − the first wheels ever to roll on Mars –

Mars Pathfinder became a cultural icon, as well as

a record-breaking phenomenon on the brand-new World Wide Web (nasa.gov)

 

Tudo isto e segundo a NASA (e certamente secundado pela ESA e pela ROSCOSMOS, esta última, a Agência Espacial Russa) com um único objetivo e intenção (sendo um trabalho a três, conjunto):

 

NASA will use Mars 2020 and other missions, including to the Moon, to prepare for human exploration of the Red Planet. The agency intends to establish a sustained human presence on and around the Moon by 2028 through NASA's Artemis lunar exploration plans. The ExoMars program is a joint endeavor between the European Space Agency and the Russian Federal Space Agency (Roscosmos).” (nasa.gov)

 

E com as Agências Espaciais Governamentais (tomando os EUA como referência e com as outras um dia e por efeito de dominó, a poderem acompanhá-la) − continuando na senda de novas descobertas, a sua aventura através do Sistema Solar, utilizando as suas sondas automáticas (não tripuladas, logo com menos custos e obviamente perigos, para os seres humanos)

 

800px-Mars_Ice_Home_concept.jpg

Presença Humana em Marte

Depois do setor Governamental assumir a liderança da Exploração do Espaço

c/ a participação de agências como a NASA/ROSCOSMOS/ESA (entre outras),

surgindo em força a iniciativa privada (Space X)

tentando desviar p/ si algum investimento e ficar do “bolo” com a maior parte

 

Apesar de todo o seu passado histórico (na Conquista e Exploração do Espaço) e da inegável contribuição (e formação para o Homem, situando-o no Universo) para o desenvolvimento da nossa Sociedade & Civilização (científica e tecnologicamente) − e até do sacrifício de vidas humanas (astronautas) na tentativa voluntária e heroica de fazer chegar as suas “naus & caravelas” (naves espaciais) a outros mundos (como a Lua) e oceanos nunca antes navegados (como o espaço interplanetário) – a serem no presente ultrapassadas pelo aparecimento das Agências Espaciais Privadas, com estas desviando para as suas mãos muito do financiamento anteriormente dirigido para o sector Governamental (EUA/NASA), asfixiando-as parcialmente (deixando-lhes a investigação e as sondas automáticas) e erguendo-se como as Agências Espaciais do Futuro (ficando para eles as naves tripuladas e a exploração do mercado espacial) como será o caso (por ex. e nos EUA) da Space X, da Virgin Galactic e da Blue Origin.

 

Entretanto já com 7,5 biliões de habitantes continuando à espera, olhando pensativa e pacientemente para um já gasto monitor de TV, ligado a uma câmara telecomandada da Terra dizendo-se que atualmente a 0000Km.

 

(imagens: nasa.gov – Ruth Ellison/flickr.com/wikipedia.org – ESA/nasa.gov − Ruth Ellison/flickr.com/wikipedia.org – nasa.gov/wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:02

01
Nov 19

Investigando a História da Geologia de Marte, a possibilidade de aí poder ter existido Vida – num passado distante de biliões de anos (a descoberta de alguma, bio assinatura) − e até tendo a possibilidade, de recolher amostras para posterior envio para a Terra (algo de inédito para uma sonda automática mas não para o Homem, como vimos com o programa Apollo). Mais uma vez e infelizmente com o trabalho da NASA (ficando apenas e como um “batedor”, com as sondas automáticas), a ser imediatamente aproveitado pela Iniciativa Privada (ficando com todos os grandes financiamentos para os voos tripulados).

 

Mars_sample_returnjpl.jpg

O Veículo de Ascensão Marciana ou MAV

Capaz de enviar amostras de Marte para a Terra

(NASA)

 

Num teste ao próximo veículo motorizado (da NASA) o ROVER MARS 2020 (a ser lançado em 2020 e aterrando em 2021) a circular no planeta MARTE juntando-se assim ao seu irmão mais velho o ROVER CURIOSITY a observação (e o registo) de como reagirão as diversas secções da superfície do veículo (mais ou menos expostas à ação dos Raios Solares) ao interagirem com o SOL ao nível do solo marciano (e a partir daí fazendo um modelo térmico).

 

PIA23469.jpg

1

Mars 2020 Rover

(Photojournal – PIA 23469)

 

Numa imagem (1) de 14 de Outubro deste ano obtida no Laboratório de Propulsão Espacial de Pasadena (Califórnia) e incidindo sobre o sucessor de OPPORTUNITY (já inativo) e de CURIOSITY (ainda ativo) − tendo MARS 2020 (aqui no retrato) como missão prosseguir o trabalho destes seus antepassados e de outros pioneiros (Mars 2, Mars 3, Spirit, etc.) e no seu caso (para além de uma perfuradora) e pela primeira vez (caso todo o plano se confirme) não o fazendo sozinho mas acompanhado por um Helicóptero, o Mars Helicopter Scout (ou MHS).

 

1280px-PIA22460-Mars2020Mission-Helicopter-2018052

2

Mars Helicopter Scout

(Photojournal – PIA 22460)

 

Sendo lançado de Cabo Canaveral por um foguetão Atlas V541 numa viagem de cerca de 7 meses entre a Terra e Marte (e aproveitando a janela ideal de partida para uma tal viagem, situada em JUL/AGO de 2020) e com a aterragem a estar prevista para 18.01.2021 no interior da cratera JEZERO: e acompanhado pelo MHS (2) – o helicóptero no ar com MARS 2020 (o veículo motorizado circulando em terra) a poder prosseguir a Missão do Homem em Marte (á distância e servindo-se de um comando), enquanto pacientemente espera pela (tantas vezes prometida e adiada) chegada de Elon Musk (esperemos que não do seu Tesla Roadster e do seu piloto Starman).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:31

10
Out 19

[Deixando de comunicar há 16 meses − 10 de junho de 2018 − sob uma grande Tempestade de Areia, cobrindo a grande maioria de Marte.]

 

“Its next destination was the Endeavour crater, which is 22km in diameter and 300 metres deep. Here it also made a major discovery there were clays near the crater rim, which would have required fresh, abundant and non-acidic water for their formation. This was the first indication that Mars was actually habitable 3.8-4 billion years ago, containing drinkable as well as acidic water.”

([theconversation.com/uk] em [yahoo.com])

 

b6b60bd56a15a6ab5c88362a2fd26ffe.jpg

ROVER OPPORTUNITY

No interior da cratera ENDURANCE

 

Recordando hoje um dos mais conhecidos e eficazes emigrantes interplanetários presentes no planeta MARTE – o Artefacto Terrestre OPPORTUNITY − aí colocado em janeiro de 2004 para fornecer aos seus criadores (os TERRESTRES) detalhes mais pormenorizados e rigorosos sobre o seu vizinho mais afastado (ao contrário de Vénus, mais perto) do SOL.

 

No primeiro semestre de 2018 com a Máquina-Robotizada OPPORTUNITY (controlada a partir da TERRA) sendo submetido a uma poderosa Tempestade de Areias (de pós e de outros materiais em suspensão), como que varrendo e encobrindo toda a superfície marciana (levada pelos fortes ventos), com quase todo o planeta Marte a ficar envolvido por uma espessa e densa camada de nuvens.

 

Uma espessa camada de nuvens cobrindo Marte de norte a sul (polo a polo), impedindo que os raios solares chegassem à sua superfície (iluminando e aquecendo o dia) e escurecendo o céu como se fosse um dia ao entardecer: deixando o velho OPPORTUNITY (há mais de 14 anos no planeta) à mercê da tempestade − sua intensidade e duração − sabendo-se ser alimentado (o seu gerador/bateria) com Energia Solar (painéis).

 

e52814dc03d19273dcefc3d13017791b.jpg

Panorama Exterior

à cratera ENDURANCE

 

Datando a sua última manifestação a 10 de junho de 2018 com a Tempestade de Areia − no máximo da sua intensidade − como que a selar todo o Planeta Vermelho (impedindo assim o carregamento das baterias solares do ROVER), negando a restauração energética, esgotando a energia restante e levando ao encerramento definitivo (à morte) do Artefacto (aí a projeção do Homem em Marte, posteriormente deixando de o ser).

 

Um trabalhador incansável com 15 anos de vida (quando tudo indicava, para um período de vida muito mais limitado, de pouco mais de três meses), tendo percorrido mais de 45Km sobre a superfície marciana e na sua labuta incansável e dedicada neste Mundo Alienígena (“sempre de comando na mão” não o temendo de perto ou à distância), nunca se tendo comportado − sendo um Pioneiro (não só do Homem como da Bio Máquina) − como um estranho, mas como um mero visitante e estudioso.

 

No presente com a tarefa de OPPORTUNITY a ser continuada noutro local de Marte pelo seu irmão mais novo o Artefacto CURIOSITY, num tempo em que (inacreditavelmente e dadas as potencialidades das constantes inovações tecnológicas) o Homem ainda se refugia em casa (“da mãe”) − não se tendo convencido que um dia terá obrigatoriamente de a abandonar (unicamente para a sua sobrevivência): com tudo em contínua e imparável Evolução e com o Homem (por mais que tentasse) dando uma contribuição mínima – “não destruindo o planeta mas destruindo-se a si próprio”.

 

Homem tipo “grão-de-areia”, incapaz de por si só, alterar o planeta Terra.

 

(imagens: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:09

09
Out 19

“Rocks enriched with mineral salts discovered by NASA's Curiosity at a location on Mount Sharp called "Sutton Island" suggest that water vanished slowly, rather than all at once, possibly returning to the area in a persistent cycle of drying and overflow. This discovery serves as a watermark for when the Martian climate was gradually getting drier.”

(PIA23375: Sutton Island Model of Drying Lakes/photojournal.jpl.nasa.gov)

 

Com uma sonda espacial

− Para os marcianos, automática e alienígena

perfurando a superfície do seu planeta,

à procura da sua Água.

 

2549MR0133960010205654E01_DXXX.jpg

CURIOSITY ROVER

SOL 2549

08.10.2019

(NASA)

 

Evidências de uma intervenção externa (de terrestres) num Mundo Alienígena (em Marte) perfurando a superfície desse corpo (um planeta) – num terreno (Aeolis Palus) localizado na cratera GALE (uma cratera de impacto situada na periferia da planície ELYSIUM) localizada a sul da linha do equador marciano (4,8°S) – onde se pode constatar facilmente a ação de uma perfuradora em dois pontos diferenciados da sua crosta (na imagem seguinte no canto inferior/esquerdo e no canto superior/direito): sendo terrestres e vivendo num Mundo rochoso e maioritariamente coberto de Água (cerca de 70%) – e com o próprio Homem na sua constituição química sendo-o maioritariamente à base de H₂O (variando entre os 50% e os 75%) – logicamente à procura desse líquido para os SERES HUMANOS tão precioso (por vital).

 

PIA23375.jpg

Tal como nos lagos terrestres com os lagos marcianos formando-se pela confluência de múltiplos afluentes, descendo as encostas (aqui do Monte Sharp) até às zonas mais baixas (da cratera, Gale) e aí se acumulando – aumentando e descendo de nível até à seca final

(photojournal/ PIA 23375)

 

Numa ação desenvolvida pelo ROVER CURIOSITY (um veículo motorizado circulando sobre a superfície de Marte desde 05.08.2012 e tendo já percorrido mais de 21Km) tendo como alvos prioritários da sua missão não só estudar a geologia de Marte, como a possibilidade deste planeta alguma vez no seu passado poder ter tido condições de ambiente, não só para conter Água, como até por poder ter possuído algum tipo de vida (mesmo que algo diferente da nossa ou primitiva) no passado (já muito distante): na sua História Geológica de uns 4,5/5 biliões de anos nesta mesma região onde o veículo motorizado CURIOSITY se desloca (cratera de Gale, proximidades do Monte SHARP), nessa mesma depressão (cratera=depressão de impacto) podendo ter existido no passado (talvez há uns 2 biliões) um Grande Lago Marciano.

 

PIA23374.jpg

Os Lagos Brilhantes das salinas de Quisquiro

O Altiplano Sul-Americano tal como se apresenta hoje na Terra, num cenário semelhante ao que poderíamos encontrar no passado em Marte

(photojournal/PIA 23364)

 

Numa suspeição de existência − de H₂O em Marte – cada vez menos duvidosa, não só pelos sinais do passado (sinais de erosão devido à presença e circulação, talvez há uns 2 biliões de anos, de água formando um grande lago, um “Oásis no Planeta Vermelho”, entretanto evaporando ou sendo salvaguardada em depósitos subterrâneos) como pelas mais recentes descobertas (da possibilidade de existência de água armazenada no Permafrost ou nas calotes polares), confirmando essa existência: e até num determinado ponto da Evolução de Marte (onde segundo os investigadores, Marte poderia estar parcialmente coberto por um oceano, menor do que o terrestre) podendo ter albergado Vida. E descobrindo-se a História de Marte (o seu Passado e o seu Presente) podendo-se perspetivar a História da Terra (o seu Futuro): para já apenas com sondas (automáticas, não tripuladas, governamentais) amanhã e cumprindo-se as promessas − da NASA (para já de Trump) e da SPACE X (de Elon Musk) − com naves tripuladas (do Governo ou da Iniciativa Privada) – não só colocando Homens na Lua como em Marte (Viagens Interplanetárias) como aí instalando bases, futuros entrepostos (das Viagens Interestelares).

 

(imagens: NASA/JPL-Caltech/MSSS − photojournal.jpl.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:18

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO