Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

27
Fev 20

Na imagem (abaixo) com esporos de um parasita observados ao microscópio – denominado HENNEGUYA SALMINICOLA (encontrado em salmões) – até agora o único ser vivo (animal multicelular) em que o seu DNA na sua sequência (assinatura) não apresenta (ao contrário de todos os outros animais da Terra, sejam terrestres, aéreos ou marinhos) “genes respiratórios”: ou seja, não necessitando de respirar oxigénio para sobreviver.

 

Q78HCWNMhVBfjZXp97VKRc-650-80.jpg

Alien Eyes

H. salminicola

(ou Henneguya salminicola)

Um parasita que ataca maioritariamente os salmões,

único animal conhecido (vivendo entre nós)

capaz de sobreviver “sem respirar” oxigénio

 

“A microscopic and genomic analysis of the creature revealed that,

unlike all other known animals, H. salminicola has no mitochondrial genome

the small but crucial portion of DNA stored in an animal's mitochondria

that includes genes responsible for respiration.

(Brandon Specktor/livescience.com)

 

Com este individuo um pouco estranho (pelas lacunas, pela forma, pelo aspeto) fazendo parte do Reino Animal e habitando (tal como o Homem) o nosso Ecossistema Terrestre (na imagem como que nadando sob os nossos olhos)  − e que muitos cientistas apontam como podendo ser um antepassado das ALFORRECAS – ao contrário dos seus prováveis ascendentes (e como afirma B.S.) perdendo o seu tecido, as suas células nervosas, os seus músculos (etc.) e pouco ou nada ficando (reduzindo-se ao mínimo) nem mesmo a sua capacidade respiratória.

 

Wz7qMKy2JGqg7hZcLf6WWn-650-80.jpg

Alien Eyes

H. salminicola

(ou Henneguya salminicola)

Sob um microscópio fluorescente c/ os núcleos dos parasitas

(sem DNA mitocondrial necessário para a respiração celular)

a emitirem uma cor verde

 

Um parasita com um perfil genético extremamente simplificado proporcionando-lhe uma rápida e numerosa reprodução − e no caso do H. Salminicola sendo relativamente benigna (como no caso dos salmões) − mas com outros parasitas “seus familiares” a não serem bem assim, infetando e exterminando grandes stocks de outros peixes (uma ameaça para os peixes e pecadores).

 

Those "eyes" are actually stinging cells,

which contain no venom but help the parasite latch onto a host when needed.

These stinging cells are some of the only features

that H. salminicola has not ditched

on its journey of evolutionary downsizing.

(Brandon Specktor/livescience.com)

 

E tal como B.S. refere com os parasitas “Henneguya Salminicola” observando-nos, com aqueles “Olhos Alienígenas”.

 

(imagens: Stephen Douglas Atkinson/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:31

27
Set 19

“Confirmando-se que a SILLY SEASON, não tem princípio nem fim.”

(não tendo pés nem cabeça)

 

Walrus sinks Russian Navy boat in the Arctic Ocean

(Rory Sullivan and Darya Tarasova/CNN/24.09.2019)

 

AyxSrTnSGBFbbiggGYLGK5-650-80.jpg

Com uma Morsa a afundar um barco da Força Militar Naval Russa

(e com a sua ação afirmando-se apoiante do pacto militar EUA/UK/NATO)

 

Com as FORÇAS ALIADAS ocidentais Católico-Romanas – envolvendo-se no presente numa Nova Cruzada (contra os infiéis e foras-da-lei, como sempre do oriente) tendo agora como adversário e inimigo (e depois de respetiva reciclagem) os dois novos blocos representando o EIXO DO MAL a Rússia e a China – torna-se verdadeiramente encorajador (e em todos os sentidos propulsionador, vindo de onde vem) que para além de todos os animais racionais (dentro dos mamíferos/primatas, o HOMEM) apoiando um pouco por todo o Mundo a COLIGAGÃO de EXCECIONAIS − liderada pelos EUA (pelo que se comenta com ligações preferenciais com Deus, assim como com os “Aliens From Space”, não os “Mexicans Aliens”) e sendo seguido de perto pela “sua sombra” e  pelo “seu fiel amigo” o UK – sejam agora os ANIMAIS IRRACIONAIS (através dos seus atos) a desmentir categoricamente conclusões tiradas anteriormente (pelos ditos Racionais) e envolvendo-os de uma forma errada e notoriamente deturpadora (das suas reais intenções) em práticas (em estado de guerra ditas) intrusivas, provocatórias, beligerantes, logo, procurando o deflagrar de conflitos:

 

Depois das notícias no mínimo arrepiantes envolvendo uma Baleia e um grupo de Salmões pelo perigo podendo daí advir rapidamente sendo difundidas (as notícias) como aviso e como alerta pela esmagadora maioria dos Média (nacionais e internacionais) por toda a população da Terra  – ou não estivessem os bichos a ser controlados e manipulados por homens, ao serviço da Rússia, de Putin, do Eixo do Mal, dos Infiéis – indicando para esclarecimento público e geral o lado especificamente escolhido por estes animais para “se colocarem e estarem ativos neste Mundo” – estando ao lado dos infiéis “Obviamente do Contra – a notícia “mentalmente aliviadora e retemperadora” e por todos esperada (e reclamada, até aos cientistas) de um outro animal (existindo um e tendo-se fé, existindo muitos mais) mas de orientação Católico-Romana e como tal apoiando as Forças Aliadas – falando-se aqui das corajosas e heroicas MORSAS.

 

E neste conflito Civilizacional (Ocidente Vs. Oriente) de um lado apresentando-se a Baleia (nele, atraiçoando os mamíferos) − aqui aliada aos Salmões (simples Peixes) – e do outro lado apresentando-se as, no presente Aliadas, poderosas, resilientes, únicas na sua espécie por ainda não extintas, as valentes Morsas (neste caso do Atlântico), olhando para um espelho e deixando-nos levar pela ilusão (neste contexto projetado por Alguém, em que somos as cobaias), sendo as primeiras pejorativamente compactas (sendo sempre do contra, a monotonia e a indiferença)  e as segundas extraordinariamente fragmentadas (sendo pró ou a favor, desde que seja sempre o mesmo).

 

'Russian spy' whale shines spotlight on military-grade animals

(Jack Guy and Emily Dixon/CNN/04.05.2019)

 

2c0d0677314fb45c680059be2a93b739.jpg

Baleia-Beluga segundo placa de identificação oriunda de St. Petersburgo

(espiando em favor da Rússia pescadores britânicos na sua faina diária)

 

No caso da Baleia-Beluga (pelos vistos vinda das imediações de uma base militar-naval russa) e no dos Salmões-Rosados (criados em viveiros igualmente russos) com os mesmos animais sendo postos (obrigatoriamente) por treino-contínuo e condicionamento direcionado (agressivo/militarizado) ao serviço dos interesses russos (ao serviço do ex-KGB e agora presidente Putin)

 

(1) Com a Baleia-Beluga transportando consigo um arnês identificativo (onde se lia “Equipment St. Petersburg”), provavelmente estando equipado com algum tipo de aparelho de espionagem (oculto) e como consequência (por este toque artificial) levantando suspeitas de poder estar a trabalhar para os serviços secretos russos (incidindo claramente a sua ação, sobre “a Ilha”, sobre os UK);

 

(2) Com os Salmões-Rosados anteriormente criados e pré-programados nos seus viveiros-vermelhos, acentuando naturalmente e dada a sua missão o seu estilo agressivo e de puro predador, sendo lançados em grupos numerosos em direção às costas expostas da Ilha (do UK), procurando nelas entradas, infiltrando-se de imediato nos rios e acabando por destruir (como INVASORES) toda a fauna e flora britânica, atrevendo-se a atravessar-se no seu caminho; mas tendo do outro lado – “EIXO do BEM”, católico-romano –

 

(3) As Nobres e Guerreiras MORSAS sendo Uma (espécie) representando Muitas (pelo menis mais que 2) – por sua vez e como resposta ao ataque da dupla diabólica BALEIA/SALMÃO (na pratica mais “corista” do que ativa, por sem resultados) respondendo com “muito musculo, decisão e total eficácia” − cirúrgica e espetacularmente – ao suposto e (“muito provavelmente”) potencial agressor (ou não tivesse lá a respetiva e conhecida, para além de vermelha, bandeira) com uma única Morsa a derrubar e finalmente a afundar um barco da Força Militar e Naval Russa.

 

[E no retiro do meu apartamento limitado no espaço (uns míseros 70 m²) e no tempo (dependendo a extensão, da ética do construtor) − já dois grandes problemas, a nível existencial – deparando-me repentinamente e sob alarme social extremo, com os meus antigos animais (um cão e um gato) agora potenciais agentes (britânicos ou russos): um arranhando a porta e o outro urinando nela, estando eu (muitas e muitas vezes) no meio deles. Pensando dormir de porta fechada, assim como muito atento (“não vá o Diabo tecê-las” e esse sendo-o Putin) com um olho bem aberto, sempre pronto e de rolo na mão.]

 

(imagens: livescience.com – yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:35

Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13

21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO