Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Out 19

“At New York Comic Con on Oct. 5, the show's cast and creators presented a glimpse of this broken Earth, the strange "ark" that barrels ceaselessly onward and the surviving humans who ride onboard. TNT's version of the tale unfolds seven years after the global climate catastrophe and the train's departure, when untold millions of people (not to mention all of Earth's animals and plants) were left behind to die.” (Mindy Weisberger/livescience.com)

 

Snowpiercer_poster.jpg

SNOWPIERCER

Um filme SCI-FI de 2013 dirigido pelo sul-coreano Bong Joon-ho

 

Partindo de um “Romance-Gráfico(ao contrário da banda desenhada, não periódica) francês – “LE TRANSPERCENEIGE (mais Tarde intitulada “THE ESCAPE”), uma obra de ficção-científica pós-apocalíptica − publicado em forma de livro em 1982 (por Jacques Lob e Jean-Marc Rochette) e posteriormente (31 anos mais tarde) passando pela sua recuperação (de uma forma aleatória, talvez por puro acaso) de modo a concretizar-se a sua transposição (por um realizador sul-coreano) para filme – “SNOWPIERCER(ou o “EXPRESSO DO AMANHÔ) um filme de SCI-FI tendo como realizador o sul-coreano Bong Joon-ho – eis que em 2020 (talvez pela crítica ao filme/aclamado pela mesma  e entrando no Top 10 de 2014, talvez pelo tema tratado/uma experiência de Engenharia Climática aplicada à Terra, tornando-a acidentalmente num Mundo Gelado)

 

snapshot0.jpg

 

Trailer da série SNOWPIERCER

 

snapshot10.jpg

 

E aproveitando a “Extraordinária Oportunidade” − proporcionalizada por TRUMP (e personalizada nele pelos seus adversários − não melhores do que ele, como faces da mesma moeda − tornando-o o Protagonista) voltando as costas à luta (considerada inadiável e decisiva) contra as “Alterações Climáticas – a TNT decide pegar de novo na História (em 2020 fazendo 38 anos) integrando a Terra Gelada e um grande Comboio (com os sobreviventes deste APOCALIPSE, obra do HOMEM – logo, como o poderá por ser a curto-prazo e só se tendo 12 anos, obra de TRUMP) inserido num cenário de FIM-DO-MUNDO:

 

snapshot2.jpg

Trailer da série SNOWPIERCER

(a estrear na Primavera de 2020)

 

Transformando-a numa série (de ação/aventura/ficção científica) a ser lançada no início do próximo ano.

 

E podendo com o seu lançamento no início de 2020 (falando-se da Primavera) e a poucos meses das Eleições Presidenciais Norte-Americanas − tendo possivelmente de um lado “TRUMP” e do outro o eleito do “CLÃ CLINTON” de momento BIDEN − vir a contribuir (talvez não decisivamente, mas no meio do Caos instalado, nunca se sabendo) para uma maior insistência e repercussão GLOBAL das preocupações (de mais de 7,5 biliões de almas) com o “Aquecimento Global e As Alterações Climáticas”:

 

snapshot5.jpg

 

Trailer da série SNOWPIERCER

 

snapshot4.jpg

 

Num confronto que certamente terá efeitos, não para os norte-americanos ou para o Resto do Mundo (positivos e como estes desejavam) – “já que nada se aprendeu, nem com o livro, nem com a 1ª versão em película (filme)” − mas para o futuro do CLÃ REP e do CLÃ DEM, pensando ainda eternizar-se (e ao IMPÉRIO) agarrando-se (desesperadamente) ao DÓLAR e às ARMAS.

 

“That dire scenario is especially relevant today. Unprecedented and human-driven climate change is raising sea levels; erasing glaciers and sea ice; and spawning dangerous wildfires, widespread droughts and intense heat waves. In fact, recent climate-related news fueled a sense of urgency for Graeme Manson, executive producer and showrunner of "Snowpiercer."” (Mindy Weisberger/livescience.com)

 

(imagens: wikipedia.org − Snowpiercer: Official Trailer/TNT/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:48

18
Ago 19

[Apresentando um grupo de jovens da Nigéria produzindo filmes SCI-FI (de Ficção Científica) utilizando para gravação vídeo apenas os seus Smartphones.]

 

“Well the main aim was not for our stuff to go viral,

we just wanted people to see that,

okay, there are kids in Kaduna doing something different,

and so that was just the main aim.

So it all of a sudden just happening,

it blew our mind.”

(Godwin Josiah/Estudante e Realizador de Cinema)

 

snapshot 4.jpg

 

Amazing SF Movies Made by Nigerian Teens

(boingboing.net)

 

1.jpg

 

Sendo difícil isolar-se num conjunto (geopoliticamente fechado) onde apenas grassa e prevalece a Doença (por falta de Dinheiro) e a Violência (por falta de Armas), tendo como Ícone a Morte (no fundo o destino de todos nós),

 

snapshot.jpg

 

Facilmente se concluindo estar-se perante um grupo de jovens para lá de organizados (por possuidores de cultura e de memória), certamente de uma forma ou de outra (por experimentação, por replicação) sendo usufrutuários de algum tipo ou forma de Privilégio:

 

snapshot 5.jpg

 

Felizmente não o utilizando num assalto exclusivo e indiscriminado ao Poder (conferidos pela posse de Dinheiro e de Armas para o cumprimento do seu Guião), mas na construção de uma Nova Projeção (mais-ou-menos pacifica, mais-ou-menos integrada) mais de acordo (como tal mais fáceis de aceitar) com cenários criados por territórios e mercados Declarados como “Livres de Guerra– oficialmente “Santuários de Paz” como os EUA.

 

snapshot 3.jpg

 

Complementando a Realidade (Exterior) com a Ficção (Interior) e proporcionando-nos Hologramas que poderiam ser tanto nossos, como de outrem, ou deles, estes jovens Nigerianos: e só sendo necessário (para além de algumas “armas” e dinheiro) alguma Imaginação.

 

snapshot 1.jpg

 

The Critics Company is a collective of Nigerian teen afrofuturist filmmakers who make incredible looking, smart science fiction movies with camerawork courtesy of old, busted mobile phones and VFX generated in Blender. Their showpiece is Z: The Beginning, a ten-minute short that took the collective 7 months to shoot and edit: "Z is a short film set in a post apocalyptic era in Nigeria around the 2050's which reveals a developed Nigeria undergoing invasions. The word Z centers around a scientifical project (PROJECT Z) created by a Company called 'The Triangle'." Their channel also includes some behind the scenes mini-docs showing how they accomplish so much with very little. (boingboing.net/via kottke.org)

 

snapshot 2.jpg

 

[Nigéria (fonte/Wikipédia): Tornada Independente das ilhas Britânicas em 1960, um país da África Ocidental (fazendo face ao oceano Atlântico), o mais populoso do continente (cerca de 200 milhões de pessoas), dividido entre cristãos e muçulmanos (mais de 500 etnias), com o maior PIB de África (ultrapassando o da África do Sul), uma das 30 maiores Economias do Mundo (eventualmente em subida estando previsto atingir o Top 20) e para além de tudo o mais sendo um dos maiores produtores de Petróleo (12º), um dos maiores exportadores (8º integrando a OPEP) e detendo ainda das maiores reservas petrolíferas do Mundo. Na atualidade e para além de todos os conflitos sangrentos (violentos e mortais, para além das doenças) que atravessam quase todo o continente africano − incluindo a Nigéria já vítima de uma Guerra Civil (1967/70) – com esta nação de África a ser mais uma vítima do Terrorismo Global aqui por intervenção do grupo terrorista de guerrilha o Boko Haram: de inspiração islamista (com fortes ligações à Al-Qaeda) em ação na última década e já tendo provocado milhares de mortos (até 2016 a uma média de mais de 2000 civis mortos/ano).]

 

(imagens: The Critics Company)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:09

07
Mai 12

Escritores e livros da minha infância, atualmente perdidos mas não esquecidos, numa estante lá no norte.

Uma das minhas entradas preferidas, no mundo secreto e maravilhoso dos livros. Tal como a ilustrada e animada BD e a minha passagem pela revista TINTIN.

Numa época em que os amantes da literatura (e da aventura), ainda não tinham começado o seu penoso caminho em direção à sua crucificação, face ao poder destes mercenários eruditos dos livros – por eles certificados – preferencialmente em resumo e até com manual de instruções.

 

Ficção Científica

Sci-Fi

 

         

A. E. Van Vogt – Philip K. Dick – H. P. Lovecraft

 

         

H. J. Campbell – Ray Bradbury – Kurt Vonnegut, Jr.

 

         

Clifford D. Simak – L. Sprague de Camp – L. Ron Hubbard

 

         

Philip Jose Farmer – E. C. Tubb – John Rackham

 

Doze escritores, doze livros.

A leitura voluntária e desejada é um passo importante para um melhor conhecimento do mundo e das pessoas. Não só porque podemos absorver a mensagem que nos pretendem transmitir e deste modo conseguir analisá-la corretamente para o nosso próprio benefício e partilha, como também pegar neste amontoado de informações que nos é oferecido de bandeja e com ele poder fazer o nosso próprio filme da vida, sendo ao mesmo tempo produtor, realizador e ator. Um privilégio.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:25

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO