Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Jun 18

Tal como seria óbvio de prever e de concluir,

 

‒ Face à atual estratégia Global da Administração Norte-Americana liderada pelo trio Mike Pompeo/John Bolton/Gina Haspel ‒

 

A Cimeira de Singapura entre o Presidente dos EUA Donald Trump e o Líder da Coreia do Norte Kim Jong-Un apenas daria à luz um papel de circunstância,

 

‒ Um Certificado de Garantia temporário subscrito pelas duas partes ‒

 

636643487440769129-AP-Trump-Kim-Summit.jpg

Kim Jong-Un e Donald Trump

(Singapura, 12 de Junho de 2018)

Estabelecendo entre eles um Certificado de Garantia Temporário

 

  1. The United States and the DPRK commit to establish new U.S.-DPRK relations in accordance with the desire of the peoples of the two countries for peace and prosperity.
  2. The United States and the DPRK will join their efforts to build a lasting and stable peace regime on the Korean Peninsula.
  3. Reaffirming the April 27, 2018 Panmunjom Declaration, the DPRK commits to work toward complete denuclearization of the Korean Peninsula.
  4. The United States and the DPRK commit to recovering POW/MIA remains, including the immediate repatriation of those already identified

(os 4 pontos da declaração conjunta EUA/Coreia do Norte)

 

Dado de momento e por motivos bem superiores (Militares e Económicos), todos os holofotes do Complexo Industrial-Militar (norte-americano) estarem de baterias (quase) prontas e já apontadas ao Irão (e com a Venezuela de reserva):

 

Entre os países com maiores reservas petrolíferas (já confirmadas) restando aos EUA apoderarem-se (de uma forma ou de outra) das reservas do Irão e da Venezuela, já que do terceiro,

 

‒ A Rússia (ou não fosse esta a maior ameaça Militar para os EUA)

 

Sendo mais problemático de executar, apesar do problema da Crimeia (um território Europeu).

 

Aproximando-nos no Hemisfério Norte (o hemisfério que conta e onde tudo está concentrado) da estação das férias do Verão (iniciando-se a 21 de Junho), restando apenas aos Europeus não se deixarem levar,

 

‒ Passando todo o tempo a falar do problema das Coreias e esquecendo (ou ignorando) a questão do Irão (e da sua acompanhante de luxo Venezuela)

 

Tomando a sua opção brevemente e já com o tempo a correr:

 

Mantendo a sua forte oposição ao fim do Acordo Nuclear com o Irão não permitindo um pretexto (definitivo) para o ataque dos EUA ao Irão,

 

‒ Colocando de novo em polvorosa todo o Médio-Oriente, originando novos e esmagadores contingentes de migrantes invadindo toda a Europa, recolocando Rússia e China (juntas) no palco da Guerra, deteriorando o clima de Guerra na Ucrânia e finalmente e por contágio estendendo o conflito a toda a Europa (o grande objetivo do Estado Islâmico estendendo o Califado até à Península Ibérica)

 

E desse modo defendendo os interesses da Europa (inevitavelmente ligada à Rússia, à China e ao Irão);

 

Ou então aceitando o fim do mesmo (do Acordo Nuclear Iraniano rasgado unilateralmente pelos EUA) de modo a colocar de imediato fim às sanções (pelos vistos insuportáveis) unilateralmente impostas (tipo chantagem mafiosa) e como conclusão (e profissão de Fé) reconhecendo-se a sua (da Europa) total dependência (falência e obediência) à sede domiciliada na Casa Branca (o que já treina e pratica o Reino Unido).

 

E assim,

 

(tal como terá acontecido num outro conflito no passado, no futuro próximo sendo apenas replicado)

 

À assinatura desta declaração pública de 12 de Junho de 2018 envolvendo o detentor de 6800 ogivas nucleares os EUA e o detentor de outras 25 a 60 ogivas nucleares a Coreia do Norte,

 

‒ Estabelecido num ambiente fantástico de Bonança e podendo ainda durar mais algum tempo (até ao aparecimento do seu ponto de inversão)

 

Seguindo-se subsequente e inevitavelmente um período de Tempestade (no presente no seu preambulo), como um processo tradicional de cura para poucos e de morte para muitos milhões.

 

Num processo de intervenção mais rápido (e certamente mais barato em USD) na Venezuela que no Irão, ficando apenas a aguardar a hora destinada ao Presidente (Donald Trump) para carregar no botão: indicando aí e então o início da Invasão.

 

(imagem: Evan Vucci/AP/USA TODAY)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:03

19
Mar 17

Campeã do Mundo de Snooker Feminino 2016/17

Ng On Yee

(HK)

 

snapshot W1.jpg

Eden World Women’s Championship

13/19 Março 2017

(Singapura)

 

Terminou hoje na cidade de Singapura o Campeonato do Mundo de Snooker Feminino (época 2016/17), com a vitória na final (e na negra) da ex-Vice-Campeã e agora atual Campeã do Mundo a chinesa natural de Hong Kong Ng On Yee (batendo a grande revelação da prova A INDIANA Vidya Pillai por 6-5).

 

J

N

CS

RM

1ªJ

2ªJ

3ªJ

OF

QF

MF

F

Total

Ng On Yee

HK

2

2

4-1

4-1

5-0

4-0

4-3

5-4

6-5

32-14

Vidya Pillai

ÍND

-

-

4-1

5-0

3-2

4-1

4-1

5-1

5-6

30-12

Jogos disputados no Mundial

(cabeças-de-série)

 

Num percurso exemplar das duas jogadoras asiáticas, com a indiana Vidya Pillai a ter que vencer 4 das 8 cabeças-de-série para aceder à final (nº3, nº5, nº7 e nº8), enquanto Ng On Yee (HK) a ter que ultrapassar na sua meia-final a então Campeã do Mundo (época 2015/16) a inglesa Reanne Evans, vencendo-a na negra por 5-4.

 

J

N

10º

11º

Ng On Yee

HK

1

2

2

2

2

2

3

4

5

5

6

Vidya Pillai

ÍND

0

0

1

2

3

4

4

4

4

5

5

Evolução da Final

(à melhor de 11 partidas)

 

Como se pode ver pelo evoluir do resultado da final com o início a ser favorável a Ng On Yee (2-0), mas de imediato com a indiana Vidya Pillai a responder e a virar o resultado (2-4); não afetando a jogadora de Hong Kong que voltando de novo a virar o resultado agora a seu favor (5-4) e apesar de permitir de seguida o empate (5-5), acabou ainda por ter forças para num último esforço bater a jogadora indiana. Num jogo em que qualquer uma delas poderia ter sido a vencedora.

 

snapshot W.jpg

Ainda com a bola negra e rosa sobre a mesa

(com a branca todas sobre o mesmo buraco)

E em desvantagem 50-54

(no derradeiro frame)

A jogadora indiana ao tentar retirar a bola rosa enfiou a bola preta no buraco

Abrindo a porta à vitória da jogadora de Hong Kong

 

P

J

N

RM

V

PF

PMF

Reanne Evans

ING

1

2

3

5

Ng On Yee

CHI

2

2

2

3

Maria Catalano

ING

3

1

1

2

Tatjana Vasiljeva

LET

6

0

1

2

-

Rebecca Grranger

ING

8

0

1

2

So Man Yan

HK

16

0

1

1

-

Vidya Pillai

ÍND

-

0

1

1

Laura Evans

GAL

4

0

0

3

Percurso das jogadoras época 2016/17

(V: Vitória PF: Presença Final PMF: Presença Meia-Final)

 

Numa apreciação final ao Campeonato do Mundo de Snooker Feminino, além da diferença brutal entre provas e prémios disputados se comparado com o Mundial Masculino (5 para 19 provas contando para o RM e 5000£ para 375000£ em prémios para o vencedor), sendo flagrante e distinto (para pior) o ambiente rodeando esta prova se comparada com qualquer uma das provas do Circuito Mundial Masculino. E com a ex-Campeã do Mundo a inglesa Reanne Evans (CS nº1 e nº1 RM) a ser apenas afastada na meia-final perdendo na negra com aquela que viria a destroná-la (4-6) – ao contrário das outras cabeças-de-série eliminadas em rondas anteriores por jogadoras não cabeças-de-série (como foi o caso da inglesa CS nº3 e nº 3 RM Maria Catalano, uma das deceções da prova).

 

E no que diz respeito à época 2016/17 com a inglesa Reanne Evans a conservar a liderança do RM (graças às suas 2 vitórias), com a natural de Hong Kong Ng On Yee a sagrar-se Campeã do Mundo (graças a 2 vitórias uma delas no mundial) e com a indiana Vidya Pillai a sagrar-se Vice-Campeã e a integrar o grupo restrito de 7 jogadoras a estarem presentes numa final (nesta época 2016/17).

 

(imagens: google.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:40

15
Mar 17

Com a 1ªronda da 2ªfase já definida e a realizar-se quinta-feira (dia 16), a maior surpresa desta 1ªfase registou-se no grupo E de qualificação, com a eliminação da cabeça-de-série nº 6 e nº 7 do Ranking Mundial a inglesa Suzie Opacic (e logo com 3 derrotas nos 3 jogos disputados).

 

u11567vFZl.jpg

Reanne Evans

(Inglaterra)

 

Com mais de 60% das jogadoras apuradas entre as 16 melhores a serem oriundas do Continente Asiático (as restantes sendo Europeias) e com os dois maiores contingentes a serem o de Hong Kong (4 jogadoras) e o originário das Ilhas Britânicas (3 jogadoras inglesas e 1 galesa) – ou seja 50%.

 

E com o quadro dos Oitavos-de Final a ser o seguinte:

 

Jogo

 

J

N

CS

RM

J

N

CS

RM

1

Reanne

Evans

ING

1

1

Diana

Schuler

GER

-

13

2

Siriphaporn Nuanthakhamja

TAI

-

-

Laura

Evans

GAL

4

4

3

Ng On

Yee

HK

2

2

Chu Pui

Ying

HK

-

-

4

Waratthanun Sukritthanes

TAI

-

-

Maria

Catalano

ING

3

3

5

Tatjana Vasiljeva

LET

5

6

Vidya

Pillai

ÍND

-

-

6

So Man

Yan

HK

-

16

Katrina

Wan

HK

7

-

7

Charlene

Chai

SIN

-

53

Varshaa

Sanjeev

ÍND

-

47

8

Hoe Shu

Wah

SIN

-

-

Rebecca Granger

ING

8

12

Singapura – Mundial de Snooker – Feminino – 2ªfase – 1ºronda – 16.03.2017

 

u15183f1cK.jpg

Waratthanun Sukritthanes

(Tailândia)

 

Neste apuramento para a 2ªfase do Campeonato do Mundo de Snooker Feminino iniciando-se amanhã, com alguns pontos relevantes ainda relacionados com a 1ªfase e com o comportamento de algumas jogadoras apuradas (ou até eliminadas como Suzie Opacic):

 

Grupo A: A vitória da indiana Vidya Pillai sobre a outra apurada a nº3 do RM a inglesa Maria Catalano;

 

Grupo B: A vitória da tailandesa Sukritthanes sobre a outra apurada a nº5 do RM a letã Vasiljeva;

 

Grupo C: A vitória da inglesa e atual Campeã do Mundo Reanne Evans só com vitórias e todas por 5-0;

 

Grupo H: A vitória da indiana Varsha Sanjeev sobre a outra apurada a nº4 do RM a galesa Laura Evans.

 

u15180MAyH.jpg

Vidya Pillai

(Índia)

 

Devendo-se às potenciais candidatas nas quais se incluem as 7 cabeças-de-série (uma delas não sobreviveu), acrescentar obrigatoriamente até pela sua excelente participação até ao fim desta 1ªfase, as jogadoras até agora invictas (3 jogos e 3 vitórias) – como as indianas Vidya Pillai e Varsha Sanjeev e a tailandesa Waratthanun Sukrittanes (vencedoras dos grupos A, B e H).

 

E de todas as principais favoritas a vencerem o campeonato a terem apenas em tês delas, vencedoras de provas realizadas esta época: Reanne Evans, Ng On Yee e Maria Catalano (e talvez Charlene Chai vencedora de uma prova para jogadoras mais novas). Com a principal a ser no entanto e sem dúvidas Reanne Evans até por participar (com bons resultados) em eventos do setor masculino.

 

(imagens: mysnookerstats.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:36

14
Mar 17

Com o Mundial de Snooker Feminino a decorrer em Singapura (desde o dia de ontem), conclui-se hoje a 2ºjornada dos 8 grupos de apuramento (cada um deles com 4 jogadoras e apurando-se as 2 primeiras). Ao contrário do sucedido no setor masculino sem transmissão televisiva (que se saiba), mas podendo-se recorrer a www.cuesports.org.sg (ou à sua página no Facebook) para se poderem ver gravações de algumas das partidas da competição.

 

u13213nFCt.jpg

Diana Schuler

(GER)

Uma das jovens apuradas para a 2ªfase do Mundial

(13ª do Ranking)

 

Um Mundial contando com a participação de 32 jogadoras, podendo ter competido em 4 provas maiores contando para o respetivo Ranking e agora em Singapura (5ªprova) tentando definir a líder do RM e a nova Campeã do Mundo da época 2016/17. Incluindo no lote quatro jogadoras mais jovens, tendo estado nesta época (no mínimo) em meias-finais de outras provas para estas jogadoras em início de carreira (na tabela seguinte aparecendo em itálico):

 

P

J

N

RM

V

PF

PMF

Reanne Evans

ING

1

2

3

4

Ng On Yee

CHI

2

1

1

2

Maria Catalano

ING

3

1

1

2

Tatjana Vasiljeva

LET

6

0

1

2

Rebecca Grranger

ING

8

0

1

1

So Man Yan

HK

16

0

1

1

Laura Evans

GAL

4

0

0

3

Charlene Chai

SIN

53

1

1

1

Jeong Min Park

CS

21

0

1

3

10º

Regina Toh

SIN

59

0

1

1

11º

Diana Schuler

GER

13

0

0

1

Jogadoras com Vitórias, Presenças em Finais e Presenças em Meias-Finais

 

Concluída a 2ªjornada já com 9 jogadoras apuradas para a 2ªfase a eliminar: Maria Catalano/ING e Vidya Pillai/ÍND (grupo A), W. Sukritthanes/TAI e Tatjana Vasiljeva/LET (grupo B), Reanne Evans/IND (grupo C), Rebecca Granger/ING e Chu Pui Ying/HK (grupo F) e Katrina Wan/HK e Diana Schuler/GER (grupo G). E com as cabeças-de-série nº 4 Laura Evans/GAL e n.º 6 Suzie Opacic/ING em grandes dificuldades para se apurarem (com esta última quase fora).

 

Grupo

J

N

CS

R

J

N

CS

A

Maria

Catalano

ING

3

5-0

Paula

Jugde

IRL

-

A

Vidya

Pillai

ÍND

-

5-0

Jeong Min

Park

CS

-

B

Waratthanun

Sukritthanes

TAI

-

5-0

Tan Bee

Yen

SIN

-

C

Reanne

Evans

ING

1

5-0

Suniti

Damani

ÍND

-

C

Hoe Shu Wah

SIN

-

3-2

Nutcharat

W.

TAI

-

E

Suzie

Opacic

ING

6

2-3

Amee

Kamani

ÍND

-

G

Diana

Schuller

GER

-

4-1

Neelam

Mittal

ÍND

-

H

Laura

Evans

GAL

4

2-3

Varsha

Sanjeev

ÍND

-

Alguns dos resultados da 2ªjornada da fase de grupos

(dos 16 Jogos realizados)

 

Amanhã encerrando-se com a realização da 3ªjornada a 1ªfase, iniciando-se na próxima quinta-feira a 2ªfase a eliminar (agora com 16 jogadoras). Para já com 4 dos cabeças-de-série já apuradas e com três jovens a tentarem intrometer-se e com uma delas igualmente já apurada: a alemã Diana Schuler. Ficando-se amanhã a saber da sorte das cabeças-de-série em risco e dos jogos da 1ªEliminatória (2ªfase).

 

(imagem: mysnookerstats.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:15

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO