Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

04
Nov 18

Com a monotonia do nosso quotidiano, a cada dia que passa no calendário, a entranhar-se cada vez mais intensamente no nosso corpo, já tão falto de oportunidades e de soluções, é muito natural que periodicamente, mesmo que de uma forma aleatória por incompreendida, nos vejamos estranhamente a repetir afirmações, que antecipadamente se sabe não levar a lado nenhum: como o será a existência de um outro corpo celeste, integrando o nosso Sistema Planetário – o Sistema Solar – podendo este ser um Planeta (por exemplo o Planeta X) ou então uma outra Estrela, neste último caso Gémea do SOL.

 

protostars750.jpg

Sistema Binário de Estrelas

Região IC 348/Perseus

(Telescópio Hubble/Infravermelho)

 

Agora com uma equipa de investigadores e físicos ligados às Universidades de Harvard e de Berkeley – e utilizando Imagens de Radio (radioastrónomos) – a afirmarem que TODAS AS ESTRELAS NASCEM AOS PARES: uma conclusão baseada num estudo efetuado num Sistema de Estrelas jovens com menos de 1 milhão de anos de idade, localizado na Nuvem Molecular de Perseus (a cerca de 600 anos-luz de distância) e em que todas as Estrelas (criadas) aparecem aos Pares (ou em grupos superiores). Significando que tal como por lá, por cá O SOL TERIA A SUA IRMÃ GÉMEA (e com 4,6 biliões de anos) – a que muitos (há muito) chamam NEMESIS.

 

SC2_5_350.jpg

Sistema Binário de Estrelas

 Nuvem Molecular de Perseus

(distância entre as estrelas gémeas

 

E pela sua proximidade sendo lógico recordar algumas dessas estrelas (já agora bem conhecidas), como será o SISTEMA TRIPLO – vizinho e englobando três estrelas – de ALPHA CENTAURI: o Sistema Estelar mais próximo do Sistema Solar (situado a mais de 4 anos-luz do Sol) formado por duas estrelas unidas (Alpha Centauri A e Alpha Centauri B) e uma outra mais afastada (Proxima Centauri) e tendo cerca de uns 7 biliões de anos de idade – mais velhas que o nosso Sol e a sua hipotética irmã (gémea) Nemesis. Sendo que neste caso (substituindo Centauri pelo Sol) “A wide binary companion to our sun would have been 17 times farther from the sun than its most distant planet today, Neptune.” (berkeley.edu)

 

(dados e imagens: berkeley.edu)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:22

13
Ago 17

“No dia em que controlarmos a Matéria e a Energia convertendo uma na noutra, teremos atingido o estatuto (de Deuses) estando prontos para tomar conta dele (do Universo).”

 

Alpha,_Beta_and_Proxima_Centauri_(1).jpg

Sistema Alpha Centauri

À esquerda Alpha Centauri A à direita Alpha Centauri B

E mais abaixo (círculo vermelho) Proxima Centauri (e um planeta extrassolar)

Sistema localizado a 41.739.060.000.000Km da Terra

(cerca de 42 biliões de Km)

 

Para quem ainda procura uma solução para a futura viabilidade da espécie Humana, uma das opções mais credíveis e viáveis para resolver o problema com que o Homem se debaterá um dia ‒ resultado de um Evento Apocalíptico que tornará impossível a nossa permanência na Terra ‒ será o de iniciarmos de imediato a nossa deslocação para um outro corpo celeste de preferência próximo e que nos possa proporcionar natural ou artificialmente as condições mínimas e temporárias de sobrevivência: no fundo partindo da Estação Terra e chegando no nosso caminho de Aventura e Descoberta a um Apeadeiro (base intermédia) onde possamos passar com segurança um tempo determinado antes de partirmos a caminho de uma nova Estação. Nesse sentido não se compreendendo a suspensão dos voos tripulados no Espaço já lá vão quase 50 anos, quando todos sabemos que se nunca partirmos da Terra (nós e não as máquinas) aqui morreremos e desapareceremos (sem ninguém ou nada saber da nossa curta existência como espécie por estes lados do Universo): e logo com a Lua ali tão perto (como um Apeadeiro a menos de 400.000Km), já tendo sido visitada anteriormente (visitas iniciadas em Julho de 1969/Apollo 11 e suspensas em Dezembro de 1972/Apollo 17), com a forte possibilidade da existência de água (subterrânea e nas calotes polares) e com o Homem dispondo de tecnologia já bastante avançada capaz de o fazer viajar, colonizar e aí sobreviver. Mas limitando-se atualmente a enviar sondas automáticas e a fazer pequenas excursões entre a Terra e a ISS.

 

Distância (anos luz)

Sistema

Estrela

Classe

Temperatura (⁰K)

Cor

0

 

Sistema Solar

Sol

G2V

5200-6000

Amarela

4,4

Alpha Centauri
(Rigil Kentaurus)

α Centauri A (HD 128620)

G2V

3700-5000

Laranja

4,4

Alpha Centauri
(Rigil Kentaurus)

α Centauri B (HD 128621)

K1V

7500-10000

Branca

10,5

Epsilon Eridani

(BD−09°697)

-

K2V

7500-10000

Branca

 

11,4

Procyon

(α Canis Minoris

Procyon A

F5V-IV

6000-7500

Amarela/Branca

11,4

61 Cygni

 

61 Cygni A (BD+38°4343)

K5.0V

7500-10000

Branca

11,4

61 Cygni

 

61 Cygni B (BD+38°4344)

K7.0V

7500-10000

Branca

11,8

Epsilon Indi
(CPD−57°10015)

Epsilon Indi A

K5Ve

7500-10000

Branca

15,8

Groombridge 1618

(Gliese 380)

-

K7.0V

7500-10000

Branca

Distância a que se encontra do Sol a Nuvem de Oort ‒ 50.000 UA = 0,8 anos-luz

Com esta região a demarcar o limite da influência gravitacional do Sol

Ou seja a última fronteira do Sistema Solar

(1 Ano-Luz = 63.241 x distância Sol/Terra = 1265 x distância Sol/Cinturão de Kuiper)

 

No catálogo anterior apresentando-se os 8 Sistemas ou Estrelas mais próximos da nossa estrela (o Sol) e do nosso sistema planetário (o Sistema Solar), com as mais próximas a serem as estrelas α Centauri A e α Centauri B, a primeira da classe do Sol (G2V com temperaturas inferiores) e a segunda da classe K1V (com temperaturas superiores). Como tal e dada a enormidade das distâncias (face à esperança média de vida do Homem, nem chegando sequer aos cem anos) ‒ e ainda com as galáxias mais próximas a mais de 4 anos-luz ‒ cingindo-nos ao Sistema Alpha Centauri já por si inalcançável (pelo menos para já): numa nave viajando à velocidade de 20Km/s (a maior velocidade registada pela sonda Voyager 1 sendo ligeiramente menor) demorando certamente mais de 70.000 anos (numa média de 1000 vidas). E já agora optando por α Centauri A por ser da mesma classe e possuir temperaturas menores (talvez vindo daí a sua cor alaranjada). Talvez dobrando o Espaço e fazendo-o coincidir, sendo necessário apenas um salto para aí chegar num instante. De qualquer forma com o Sistema Alpha Centauri a estar ao nosso alcance, no dia em que atingirmos com as nossas naves espaciais a velocidade atingida pela luz (300.000Km/s) ‒ acelerando 15.000 X apenas uns 4 a 5 anos. E com o mesmo sistema a ser completado por uma terceira estrela ainda mais próxima (do Sol) ‒ a anã-vermelha Proxima Centauri (a 4,2 anos-luz de distância) ‒ integrando ainda um planeta circulando na sua zona habitável (da estrela) e denominado Proxima Centauri b (o mais próximo planeta extrassolar descoberto até hoje): com formas de vida?

               

(imagem: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:59

26
Fev 17

KTBQ THE-45

 

30548ccd4110be9d9cf24c410cdc2d71.jpg

Donald Trump

The Fucking Rep-Beast

 

NASA finds Earth-hab planets round Trappist-1 star.

Trump announces wall to keep aliens out.

(@PeterJStockwell)

 

Num momento da História da Terra em que tendo sido eleito um novo líder para comandar a maior potência militar a nível Global (o recentemente eleito 45ºPresiodente dos EUA, por sinal veementemente contestado por todos os seus opositores, por alguma parte dos seus apoiantes e pela maioria dos eleitores norte-americanos), os cientistas de uma organização governamental norte-americana (tendo já demonstrado muitas reticências sobre a política do novo Presidente em assuntos como o do investimento no Programa de Exploração Espacial e nas questões relacionadas com o Aquecimento Global – e assim colocando-se do lado da oposição) acabam eventualmente de descobrir um novo e potencial Sistema Solar (por algumas semelhanças e pelo que elas poderão significar). Através da utilização do telescópio Spitzer colocado em órbita da Terra a quase 570Km de distância, detetando a presença de radiações infravermelhas emitidas por corpos celestes localizados a enormes distâncias em zonas bastante longínquas do nosso Universo (algo impossível de ser feito à superfície da Terra devido à interferência da nossa atmosfera). O sistema Trappist-1 integrando no seu centro uma única estrela (estrela-anã) e com 7 planetas girando à sua volta provavelmente rochosos e podendo conter água: e com pelo menos três deles podendo integrar a zona habitável.

 

ssc2017-01d_Inline.jpg

TRAPPIST-1 system

Our Salvation and Destiny

 

Trump signs Executive Order banning aliens from these 7 planets from entering US:

TRAPPIST-1b - 1h.

(@rickkemp202)

 

Já que a campanha de assassinato político (iniciada antes mesmo de o candidato ser considerado como tal e prosseguindo ativa e ininterruptamente ainda hoje) parece declaradamente não querer produzir frutos (mais de 3 meses depois deste já ter sido eleito e tendo já sido nomeado para o cargo em causa), num ato de puro desespero, de brutal hipocrisia e como que num insulto e ato de desprezo para com todos os nossos sonhos destruídos por uma esperança prometida mas infelizmente sempre adiada (e no qual os nossos líderes políticos tiveram um papel fundamental de manipulação, desmobilização e manutenção do status quo) – e recorrendo ainda-por-cima ao nosso espirito de criança aventureira (vista como uma entidade misteriosa sempre pronta a correr todos os riscos e a enfrentar o desconhecido só para alcançar o impossível) – os estrategas deste tipo de Eventos nunca vistos antes por estes lados, parecem não querer desistir nem largar as suas armas insistindo no desaparecimento e na eliminação do adversário: nem que para tal tenham que arrolar ao seu contingente, bruxas, feiticeiros, mágicos e outros espíritos poderosos (se necessário executando rituais e invocando-os) combatendo o Maldito – isto se quiserem ficar por este planeta; ou em alternativa partindo para um Outro Mundo onde a Besta 666 não os possa alcançar – e já com um Sistema Planetário em vista. Pelos vistos abandonando de vez a preferência inicial de uma considerável percentagem de cidadãos, optando por ser atingido por um asteroide a ter este Presidente (ou o outro certamente, com o asteroide atingindo ambos e todos os restantes); e com outros mais comedidos e dando valor à vida (à sua vidinha) a anunciarem ainda a sua preferência por Marte – talvez porque lá chegados a morte se daria em segundos (não sendo tão longa e sofrida, como com este Presidente controlando o planeta Terra).

 

1_main_pia21423-png.jpg

A Trappist-1 planet

Dreaming with is Surface

 

It might take us 400,000 years to get to TRAPPIST-1

But girls we have to get off this shit show before Trump kills us all.

(@WholeGlassOfB)

 

De acordo com um dos órgãos de Comunicação Social Norte-Americana declaradamente apoiando os Democratas e do qual o The Huffington Post (integrando as Fake News) é um exemplo típico e dos mais flagrantes (nunca largando a sua presa como um cão agarrado a um osso e escolhendo como seu objetivo prioritário a destruição e abate daquele que inesperada e inopinadamente derrotou a sua candidata, há muito considerada como a Vencedora) e abandonadas definitivamente por extremamente perigosas as alternativas Asteroide e Marte, eis que agora o mesmo jornal (online) apoiando-se numa sondagem levada a cabo pela SurveyMonkey (empresa de pesquisas online) nos vem comunicar que 1/3 dos cidadãos residentes nos EUA estariam dispostos a abandonar o nosso planeta e a partirem (temporariamente, numa de tranquilidade e sem Trump) para um outro. Aproveitando a última descoberta anunciada pela NASA de um Sistema Planetário localizado a mais de 370 triliões de Km da Terra (viajando à velocidade da luz de 300000Km/s só demorando 39 anos a lá chegar) e com fortes possibilidades de possuir um mundo habitável para os seres humanos: mesmo com a loucura não tendo limites nem se sabendo como lá chegar (à Loucura e ao Sistema), sendo já uma das hipóteses implantadas na nossa mente (subliminarmente) condicionada por um cérebro perdido, muitas vezes dispensado e em claro (e deliberado) subaproveitamento (e decadência). Um Sistema denominado TRAPPIST-1, integrando vários planetas e com os cientistas a associarem-no (comparando-o, procurando semelhanças) ao nosso Sistema Solar. Segundo o The Huffington Post (lançando o isco) com sete planetas orbitando uma “super-legal” estrela-anã localizada na constelação Aquário e com três deles movimentando-se numa área em redor dessa estela provavelmente habitável e podendo conter água (e talvez mesmo Vida tal como sucede na Terra): segundo o jornal fazendo com que de imediato centenas de pessoas se propusessem para fazer a Viagem ou então (e depois de constarem o perigo que seria abandonar a sua zona de conforto) que o outro se oferece-se para ir na vez deles.

 

p1110460.jpg

SETI – Allen Telescope Array

Searching for Aliens in Hat Creek

 

Já hoje dia 25 de Fevereiro com o site norte-americano Universe Today (universetoday.com) ligado à divulgação científica e tecnológica nas áreas da exploração do Espaço e da Astronomia (e referindo-se ao agora tão falado sistema Trappist-1), a atribuir à organização SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) utilizando o radiotelescópio de Arecibo (Porto Rico) e os telescópios Allen (Califórnia), a primeira tentativa efetiva de observar o longínquo Sistema localizado a quase de 40 anos-luz de distância da Terra:

 

SETI Has Already Tried Listening to TRAPPIST-1 for Aliens

(Matt Williams – Universe Today)

 

“…And now it seems that there is more news to be had from this star system. As it turns out, the Search for Extraterrestrial Intelligence (SETI) Institute was already monitoring this system with their Allen Telescope Array (ATA), looking for signs of life even before the multi-planet system was announced…And while the survey did not detect any telltale signs of radio traffic, further surveys are expected. Given its proximity to our own Solar System, and the fact that this system contains seven planets that are similar in size and mass to Earth, it is both tempting and plausible to think that life could be flourishing in the TRAPPIST-1 system. So far, nothing has been picked up from this crowded system…But the SETI Institute is not finished and future surveys are already in the works. If there is a thriving, technologically-advanced civilization in this system (and they know their way around a radio antenna), surely there will be signs soon enough…”

 

(texto/itálico: dailydot.com – ilustrações/imagem: dailydot.com e nasa.gov/worldpress.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48

20
Mai 15

“O Planeta X é um suposto corpo celeste do sistema solar cuja órbita estaria além da de Neptuno.”
(wikipedia.org)

 

SolarSystem.GIF

 

Para os aficionados da teoria da existência de um Décimo Planeta no nosso Sistema Solar (além dos oito oficiais e do despromovido Plutão), o tempo de duração da sua provável trajectória até voltar a entrar no interior do nosso Sistema e passar na proximidade (relativa) do nosso planeta, é por acaso coincidente com as datas históricas da humanidade relacionadas com o início das observações astronómicas. Se o período entre um novo aparecimento desse Décimo Planeta for mesmo de 3.600 anos (como o afirmam os que acreditam na sua existência), por outro lado os primeiros registos astronómicos efectuados apontam para os anos (com uma variação de algumas centenas) situados à volta de 1.600 AC: ou seja aproximadamente há cerca de 3.600 anos (como o confirma o registo das observações de Vénus descoberto nas pedras de Ammisaduqa por volta de 1.600 AC). E na história anterior que vem da Suméria (6.500 AC/1940 AC) com os seus astrónomos a saberem já que o Sol era o centro do nosso sistema, com todos os seus planetas girando em torno dele (e no entanto com Galileu a ser condenado à fogueira pelas mesmas convicções 3200 anos depois), num total de doze planetas e outros corpos celestes. E se acertaram nos outros onze corpos celestes (incluindo o Sol, a Lua e Plutão) porque não acreditar no Décimo Planeta? Actualmente a NASA está prestes a confrontar-se com o despromovido planeta anão Plutão, continuando ainda espantada com mais este misterioso (e há tanto tempo conhecido) planeta.

 

planet-x-orbit-2012.jpg

 

Se tal facto fosse real e de possível concretização, os erros já ocorridos na datação da sua próxima passagem não seriam só por si um entrave para a credibilização dessa mesma teoria: com uma data referenciada para 2003 e posteriormente adiada para 2012, mas com ambas efectivamente nunca concretizadas. Como a janela para a concretização deste possível Evento ainda é bastante grande (num período de 3.600 anos, 9 anos representam apenas 0,25% do seu trajecto), é natural que a mesma ainda continue aberta e à espera do seu visitante (habitual). Nos próximos tempos confirmar-se-á se algumas das recentes convulsões que têm atravessado todo o planeta Terra (principalmente geológicas e climáticas) terão alguma relação com a chegada (talvez eminente) deste nosso companheiro Solar. Convém não esquecer que a existência de grupos próximos (do mesmo ou de diferentes sistemas, mas com características particulares) pode levar a que alguns dos seus corpos (por exemplo uma estrela anã) penetrem temporariamente no grupo vizinho, podendo provocar na sua passagem alguns desequilíbrios no grupo invadido. Mas para já tudo não passa aparentemente de muita imaginação, não sendo para já nada visível no Céu (apesar dum coro persistente mas estacionário de alguns elementos leigos afirmando o contrário), nem havendo uma única confirmação por parte dos cientistas (com desmentidos episódicos e aparentemente irónicos e desinteressados por parte dos especialistas da NASA).

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:50

25
Mai 14

Em tempo de eleições (25 de Maio de 2014/Eleições Europeias) um pequeno momento de reflexão popular – já que (hoje) os líderes políticos portugueses estão mais preocupados em avaliar o “nível quantitativo dos seus recursos humanos” e as consequências que daí podem advir para a “manutenção da sua qualidade de vida”.

 

Ainda não perceberam que o carisma (ou seja, por definição ideológica do sistema, a competência) sendo para além do dinheiro o maior instrumento de manutenção do poder, elimina os outros (NÓS).

 

Selfie de Jesus e Lili

(Nas suas áreas respectivas considerados – por amigos e inimigos – como figuras carismáticas)

 

Dois portugueses que podem dizer que fizeram (SEGUNDO OS CRITÉRIOS EMANADOS PELO PRÓPRIO “SISTEMA”) – enquanto outros desfizeram: respeitando as regras do Sistema estes dois líderes carismáticos extraíram tudo do mesmo, enquanto os outros como mercenários apenas o saquearam.

 

A política populista caracteriza-se menos por um conteúdo determinado do que por um "modo" de exercício do poder. Sua característica básica é o contacto directo entre as massas urbanas e o líder carismático, supostamente sem a intermediação de partidos ou corporações. Para ser eleito e governar, o líder populista procura estabelecer um vínculo emocional com o "povo". Isso implica num sistema de políticas ou métodos para o aliciamento das classes sociais de menor poder aquisitivo, além da classe média urbana, como forma de angariar votos e prestígio (legitimidade para si) através da simpatia daquelas. Esse pode ser considerado o mecanismo mais representativo desse modo de governar. (Wikipedia)

 

(imagem – ojogo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:25

08
Jan 14

“É Fundamental Destruir o Sistema, Mantendo o Poder do Homem e Eliminando os Telecomandos”

 

 

Não vejo qual a diferença que possa distinguir criminosos usando pistolas e criminosos usando diplomas: trabalham para o mesmo patrão e cumprem as mesmas ordens – em troca duma remuneração pessoal e da produção de muitos cadáveres.

 

A diferença fundamental é que antes perseguiam com armas aqueles que estavam contra e hoje todos são perseguidos se não forem certificados. Mas aí os perseguidos auto instruíam-se pelas circunstâncias da vida – tinham memória (respeitando os pais) e transpiravam cultura (lutando pelos filhos).

 

Hoje o nosso paradigma é só um: viver alienado e feliz de preferência parasitando os outros!

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:25
música: cadáveres,

13
Dez 13

 

A “bolha” do mercado de acções norte-americano poderá estar prestes a rebentar, com todas as consequências negativas que tal acontecimento terá não só para os EUA como para todo o mundo financeiro e económico, talvez excluindo o seu principal credor a R. P. China; mesmo assim as acções na bolsa não param surpreendentemente de subir, o que face à grave crise económica e financeira que todo o mundo atravessa – com os EUA à cabeça a assumirem todo o protagonismo – não deixa de ser contraditório e matematicamente incompreensível, para não se dizer já inaceitável: vejam-se os casos brilhantes dos índices Dow Jones, S&P e Nasdaq, que não reflectem minimamente a realidade do mercado;

 

O défice orçamental norte-americano não para de crescer duma forma inconcebível e brutal – ou seja exponencial – atingindo todos os dias um novo recorde, com a administração norte-americana constantemente a atirar a sua resolução para um pretenso e indefinido futuro; o que ajuda a “engordar a bolha” que alastra por todo o mercado, tornando-a gigantesca e desse modo incontrolável, atingindo níveis cada vez mais preocupantes e muito semelhantes ao sucedido há seis anos atrás, mesmo antes do último crash vivido pelos EUA e pelo mundo;



E quanto ao ratio? Mesmo sem lucros sempre a subir! Vejam o caso duma grande companhia parasita e não reprodutiva já com mais de uma meia dúzia de anos, que apesar de registar perdas recentes superiores a 60.000.000 de dólares, ainda vale em bolsa mais de 20.000.000 de dólares – Twitter – para já não falar do Facebook;

 

Mas apesar de toda esta loucura e de todos os prenúncios e evidências de que todo este cenário mal montado e explicado poderá acabar muito mal em muitíssimo menos tempo do que se pensa, nada é feito tudo é adiado; talvez até ao dia em que as novas grandes potências mundiais como a R. P. China venham buscar os seus dólares ao Tesouro Norte-Americano e lhes cedam a um câmbio compensativo (para os chineses) um punhado de yuans;



Vivemos hoje em dia num mundo em que escasseando quase todo para a esmagadora maioria da população mundial – incluindo também aqui os cidadãos norte-americanos nascidos nesta ilusória Terra de Sonhos agora transformada em Terra de Pesadelos e Zombies – tudo o que não está nas suas mãos e que não consegue controlar, é valorizado excessivamente se estiver à venda pelos “únicos que possuem na verdadeira acepção do termo” (o poder, o dinheiro, a lei) e desvalorizado violentamente se estiver à venda pelos “que vão temporariamente pensando possuir”; o síndrome é inevitável e uma consequência lógica da degenerescência do sistema que nos controla e dirige – na agonia em que estamos e soterrados por toda esta pesada e demagógica estrutura aceitamos apaticamente tudo, mesmo os extremos inaceitáveis talvez porque já estejamos mortos ou para lá caminhemos como um autêntico e perfeito morto-vivo;

 

(texto a partir de artigo: Michael Snyder/The Watchers – imagens: retiradas da Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:36

31
Mai 12

O caso Relvas é um fait-divers. O sistema não.

(Blogue – Porta da Loja)

 

Ah?

Digam-me – pela vossa santíssima mãezinha: mas a que rebanho pertenço eu?

 

“Em vez de usar cortadores de relva barulhentos que funcionam com gasolina e poluem, alugámos algumas cabras da empresa California Grazing – explicou Dan Hoffman, diretor dos serviços internos do Google, no blogue da companhia. “Custa-nos o mesmo, mas as cabras são muito mais agradáveis à vista do que os cortadores de relva”, acrescentou. A mesma fonte precisou que uma cadela de raça “border collie” irá ajudar a controlar os animais e obrigá-los a trabalhar.

 

(texto – Diário Económico)

 

Burro – animal oriundo da Abissínia, utilizado no meio rural nos trabalhos agrícolas e como meio de transporte e considerado hoje em dia como uma espécie ameaçada; domesticado por volta de 5.000 A.C.

Cabra – animal explorador encontrando facilmente algo para comer, mas levando rapidamente ao esgotamento dos pastos por onde passa e criando um verdadeiro problema ambiental em muitas partes do mundo; domesticada por volta de 7.000 A.C.

 

(informações – Wikipédia)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:26

Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO