Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Mai 20

Com a evolução geológica da Terra (por ação interna e/ou externa), com uma violenta Tempestade Solar (poderosas CME dirigidas) ou com um impacto de um asteroide (ou outro qualquer objeto, em rota de colisão com a Terra), a poderem (há mais de 65 milhões de anos) ter Extinguido os Dinossauros e 75% dos seres vivos de então.

 

snapshot.jpg

1

 

Apenas sendo suportada por dois acontecimentos ocorridos no mesmo dia (passado dia 27 de junho de 2020), mais uma interpretação (explicação alternativa) oriunda dos teóricos da conspiração, associando o adiamento do lançamento da nave espacial DRAGON (da SPACE X do multimilionário privado ELON MUSK) com o corte na transmissão do LIVE FEED da ISS (Estação Espacial Internacional), quando supostamente este registava o aparecimento de um objeto estranho orbitando igualmente a Terra (com a ISS orbitando-nos, a cerca de 400Km de distância): como se pode ver na figura (1) num registo gravado antes de se dar o corte na transmissão em direto via NASA (ISS/TERRA), com um objeto localizado no lado inferior/esquerdo da imagem deslocando-se um pouco mais à frente da ISS a surgir movimentando-se, e projetando sobre a superfície do nosso planeta a sua sombra na parte centro/direita da mesma (provando essa sombra, ter como origem num objeto real). Com essa associação a transformar-se numa transposição (partindo da nossa imaginação, tornando-se realidade e não o contrário) ainda-por-cima alicerçada por factos semelhantes ocorridos anteriormente ─ fazendo-nos lembrar logo o “Black Night” ─ convencendo-nos por necessidade de interiorização (e de libertação por aqui, na Terra, estarmos fechados) e por um certo nível de sustentação (aparentemente mais religiosa, do que cientifica), estarmos perante um cancelamento (adiamento) do lançamento do FALCON 9/da SPACE X  com astronautas da NASA, apenas sendo devido a uma intervenção certamente que ALIENÍGENA: ao nosso conhecimento ou à Terra. Amanhã confirmando-se ou não a presença de (os mesmos/outros) estranhos.

 

200526111320_1_540x360.jpg

2

 

Na entrada do último mês deste primeiro semestre (de 2020) com a nossa estrela já tendo entrada num novo ciclo (o 25º) ─ atravessando um período de fraca atividade e sem nenhuma mancha visível ─ com uma erupção ocorrida e em curso na região da coroa solar situada mais a noroeste e ainda (no decorrer da sua rotação) localizada do outro lado do Sol a mostrar-se ainda bem ativa, ejetando material para o Espaço e emitindo jatos de raios solares da categoria ─ numa escala de 1 a 9 ─ M1 (médias) e C9 (pequenas): numa mancha solar ainda meio escondida, mas que na sequência do movimento de rotação do Sol poderá mantendo-se, evoluir e dirigir as suas possíveis erupções, na direção da Terra ─ nas próximas 48 horas atingindo a fronteira (o limbo, entre o invisível/não direcionado e o visível/direcionado) e virando-se para nós podendo provocar (na Terra) tempestades geomagnéticas. Não se confirmando ainda estar associada a uma nova mancha solar, mas tal sucedendo e como muitas vezes acontece ─ nestes períodos de mudança de ciclo solar (do 24º para o 25º) ─ podendo originar CME bem intensas. Podendo como todos sabemos até ter sido uma violentíssima tempestade solar a poder ter contribuído para a “Extinção dos Dinossauros” (figura 2), mas com a maioria das probabilidades a apontarem não para a “Radiação Solar” (como até poderia ter sido a “Radiação Cósmica”), mas para a forte hipótese de tal “Evento ao nível da Extinção” ter tido como protagonista um Asteroide: segundo um estudo do Imperial College London ─ “New simulations have revealed the asteroid that doomed the dinosaurs struck Earth at the 'deadliest possible' angle” ─ há cerca de 66 milhões de anos com um asteroide a entrar na atmosfera terrestre num ângulo perfeito (de 60°), maximizando os efeitos climáticos provocados pelo brutal impacto (em terra, como na atmosfera) e dizimando os dinossauros (a espécie então dominante) enquanto extinguia cerca de 75% das espécies (terrestres).

 

snapshot ast.jpg

3

 

Um impacto de um asteroide com mais de 10Km de dimensão (densidade = 2.630Kg/m³) e originando uma cratera de cerca de 200Km de extensão, deslocando-se a uma velocidade de 12Km/s: atingindo a Península mexicana do Iucatão no local da cratera de CHIXULUB (figura 3). Segundo alguns com alguns dos seus fragmentos (ejetados durante o impacto e atirados para o espaço exterior) ainda evoluindo (circulando) no Sistema Solar.

 

(imagens: ufosightingshotspot.blogspot.com ─ sciencedaily.com

─ Science and more/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:45

26
Mai 20

Amanhã indo-se encerrar oficialmente,

um dos mais grandiosos períodos da Humanidade.

 

nhq202005250006.jpg

Preparando o lançamento de 27.05.2020

Foguetão FALCON 9 transportando na nave DRAGON,

2 astronautas da NASA para a ISS

(sob a responsabilidade da SPACE X,

do multimilionário privado Elon Musk)

 

Depois do AVC sofrido com o fim do PROGRAMA APOLLO (1972) e da entrada em estado de COMA com o fim dos VAIVÉM ESPACIAL (2011), a passagem oficial da CERTIDÃO DE ÓBITO para a agência espacial NASA (2020). Talvez mesmo a nossa.

 

Entregando o trabalho de vidas e o sonho de biliões não nas mãos de muitos (os SUJEITOS) mas de um multimilionário (por detentor de OBJETOS). E neste dia 27 de maio do ano 2020 deixando-se de ser criança e virando-se adulto.

 

la-logo.png

NASA, SpaceX to Launch

First Astronauts to Space Station

from U.S. Since 2011

(nasa.gov)

 

Matando-se de uma só vez Júlio Verne, Yuri Gagarin e o Programa Apollo e até a conquista da Lua e partindo-se definitivamente para a comercialização, militarização e depois do já feito na Terra, para a descaraterização do Espaço:

 

Passados 59 anos iniciados com o primeiro Homem no Espaço “Gagarin”, depois da indiscritível aventura na Lua “Apollo 11” e com tantas gerações olhando os Céus tentando-se identificar/situar, chegando ao fim a Aventura.

 

foo-02.jpg

Behnken and Hurley

were among the first astronauts to begin working and training on

SpaceX’s next-generation human space vehicle

and were selected for their extensive test pilot and flight experience,

including several missions on the space shuttle.

(nasa.gov)

 

Destruída a agência governamental-espacial NASA e deslocados para os privados a esmagadora maioria dos financiamentos (SPACE X), asfixiando-se a memória e a cultura de um povo entregando-a apenas a alguns: sobrepondo-se o Objeto ao Sujeito.

 

E depois do que já fizemos à Terra, seguindo-se agora a (já referida) comercialização e a militarização do Espaço: do coletivo ao individual violando-se a Terra e o Espaço à volta, assistindo-se infeliz e irreversivelmente, a todos os sintomas da Extinção da nossa Espécie.

 

dragon.jpg

DRAGON

Nave Espacial

(acelerando até uma velocidade máxima

de 7,6Km/s)

 

“Nestes tempos de problemas em terra

(com o vírus SARS-CoV-2 e a doença COVID-19),

esperando-se que tal não aconteça, igualmente no ar

(um objetivo com riscos, sendo uma missão pioneira e privada).”

 

(imagens: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:46

23
Mai 20

“Num momento à entrada do seu 25º ciclo em que o Sol não apresenta mancha solares visíveis e em que os dois planetas mais próximos da estrela (Mercúrio e Vénus) se encontrarão em conjunção (juntando-se no céu e por perto a Lua, formando um triângulo). E quando daqui a quatro dias (27 de maio de 2020) um voo da SPACE X do multimilionário Elon Musk (substituindo num voo histórico os russos) transportará dois astronautas para a ISS (desde o abandono da NASA, a 1ª vez desde há mais de uma década, que o fazem os norte-americanos).”

 

Michael-Jaeger-2020F820200521ut0050sec13x40webgif_

Cometa SWAN

(C/2020 F8)

 

Mais um cometa em aproximação ao Sol na próxima quarta-feira (27 de maio de 2020) atingindo o seu periélio, a cerca de 64.650.000Km e a uma distância de 133.500.000Km da Terra. Relativamente à sua observação e possível espetacularidade do fenómeno, sendo quase certo ser mais uma desilusão (tal como o foi antes, o cometa ATLAS), não só pela sua grande distância de nós (Terra/terrestres), como pelo seu breve aparecimento ao amanhecer e ainda pelo seu pouco brilho emitido. Depois de já ter prometido mais, mas parecendo não querer cumprir a promessa (em vez de brilhar, como que desaparecendo), indo no seu trajeto atravessar a órbita de Mercúrio (o planeta mais próximo do Sol, hoje a pouco mais de 56.000.000Km do Sol) e aí recarregar-se ou então sentenciar definitivamente o seu destino: sobrevivendo à sua passagem perto do Sol seguindo em direção à constelação de Perseu.

 

Deixando-nos sem mais uma hipótese de observarmos mais um espetáculo nos céus (extraterrestre) e limitando-nos mais uma vez aos poucos momentos vividos por cá: não sob a forma de fenómenos Naturais, mas de outros (Artificiais) por nós fabricados. Para além do vírus SARS-CoV-2 (certamente com o Homem, através da Poluição, corresponsável pela sua aparição), com o clima político de crispação a crescer (numa luta dita entre o Eixo do Bem e o Eixo do Mal) ─ veja-se o caso dos EUA persistindo (em vez de no diálogo) na sua estratégia de confrontação, colocando uma nave da sua “Força Espacial” em órbita da Terra (espionagem), deixando o acordo de circulação aérea (querendo que o deixem, mas não deixando os outros) e até prometendo um novo teste nuclear (tudo para provocar o bloco China/Rússia, servindo-se mesmo da Europa) ─ nada prometendo de bom (confirmando-se a “normalidade) e em ato de desespero atirando-nos (pelos vistos uma inevitabilidade) para os braços de outras Entidades: naturalmente e perdida a esperança para o Espaço Exterior, com os alienígenas (que não os mexicanos) a reforçarem a sua presença com avistamentos (recentes) no Brasil (sem explicação, mas até podendo ser tecnologia terrestre) e na Austrália (podendo ser neste caso e apenas, sucata nossa caindo na Terra). Como se vê nem aqui nos safando (fechados os céus, sem “turistas” espaciais), ninguém nos visitando ─ ainda-por-cima com alguns justificando a ausência constante destes, dado não terem tecnologia para tal e logo sendo mais “burros” do que nós. Negando-nos o Criador.

 

(imagem: Michael Jaeger/21 maio 2020/spaceweather.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:57

10
Mai 20

Num momento em que o criador do possível primeiro terrestre líder de uma cidade alienígena (instalada na primeira colónia edificada, num planeta que não a Terra) em MARTE, ameaça deslocar face ao confinamento imposto (devido ao Covid-19) mantendo-lhe a produção paralisada, a sua fábrica TESLA (de carros elétricos) da Califórnia para o Nevada: pouco se incomodando com os governantes locais (que direta/indiretamente lhe abrem os “cofres do estado”) como com a saúde dos seus trabalhadores (colocando-os entre a espada e a parede, “ou morrendo da doença ou então morrendo de fome”). Suscitando desde logo algumas respostas e comentários, como a de uma política e dirigente local  Lorena S. Gonzalez: “FUCK YOU ELON MUSK”.

 

EXO3iBKVAAAC2mm.jpg

X Æ A-12 MUSK

Talvez o primeiro líder da primeira cidade marciana

 

Tendo em mente o desejo e a ambição do multimilionário e fundador da SPACE X ─ o norte-americano ELON MUSK ─ para o lançamento e consolidação dos seus projetos contando não só com um grande e necessário financiamento privado, como simultaneamente e sendo esse mesmo ponto prioritário e fulcral, com um fortíssimo apoio por parte de Instituições Públicas ligadas ao Governo dos EUA, eis que estando estabelecido há muito (programado e planeado) e por ação do mesmo o lançamento de uma nave espacial em direção a MARTE ─ tendo como objetivo da missão fazer o mesmo que a nave espacial APOLLO 11 fez há quase meio século na LUA, fazendo lá chegar e tocar a sua superfície os primeiros terrestres ─ estipulada para lá chegar ainda nesta metade da década (2024/25), o projeto espacial SPACE X/FALCON 9/DRAGON parece continuar em andamento, depois de lançar o seu batedor para recolha de informação e ampliação de conhecimento ─ STARMAN (O Homem das Estrelas) pilotando o carro elétrico TESLA ROADSTER e cumprindo a sua missão mesmo nunca atingindo Marte (o mais próximo que estará deste será a 7,5 milhões de Km) ─ contribuindo pessoalmente para a criação daquele que poderá ser o primeiro líder da primeira colónia terrestre no Planeta Vermelho: aí e por volta de meados deste século construindo uma cidade autossustentável dirigida (aí nos seus 30 anos) pelo seu filho  X Æ A-12 MUSK.

 

(imagem: Elon Musk/Twitter)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:08

29
Out 19

“For as long as humans have lived on planet Earth, the moon has been a focus of fascination. First, we could view our cosmic partner only with the naked eye, then with telescopes, and finally in the 20th century the first humans were able to visit Earth’s moon in person.” (Jenny Howard and National Geographic Staff/2019/nationalgeographic.com)

 

“The moon, Earth’s sole natural satellite, is our constant companion. It has circled our planet for billions of years, since before the first sparks of life flickered in the oceans—before Earth was even cool enough to have oceans.” (Maya Wei-Haas/2019/nationalgeographic.com)

 

EFmQFf1U0AAVyJN.jpg

Uma nave da SPACE X na superfície da Lua (não tripulada) por 2022

Utilizando as suas naves (para já protótipos) MK1 e MK2

Com o seu foguetão FALCON e com os seus andares reutilizáveis

E assim com o Homem a poder tocar a Lua em 2024

(mais de meio século passado – sendo-o impressionante, terrível − sobre a última vez)

 

Nada mais tendo para nos oferecer (científico-tecnologicamente referindo-se ao sector da iniciativa privada − como a SPACE X − deixando para o sector governamental − como a NASA − as teorias, testes e confirmações, mais dispendiosas e com menor retorno) senão o seu investimento e desenvolvimento inicial, tendo como objetivo prioritário (e de sobrevivência financeira) a comercialização do seu produto-tecnológico dirigido para a “Exploração do Mercado Espacial” (um “Mercado Exterior” em grande expansão) − um objetivo muito mais visível e vincado no caso da privada VIRGIN GALACTIC, dando grande importância e relevo aos voos comerciais e turísticos ao Espaço (exterior) incluindo nas suas rotas a LUA (fontes prioritárias de investimento), como forma de desenvolvimento (“apurando tecnicamente” as próximas missões) −

 

steel-Starship-Moon-render-SpaceX-1-1024x566-580x3

Aterrando na Lua em 2022

E aí estabelecendo a sua primeira base (em 2024)

 

Eis que a SPACE X se vem de novo comprometer com uma data (apesar de ainda muito flutuante) para um seu próximo Evento (no fundo sendo o mesmo, mas por atraso e estratégia, repetidamente retardado e replicado), apontando para o lançamento de uma nave espacial para uma orbita terrestre já para 2020, para em 2022 aterrar na Lua (ainda sem tripulação) e em 2024 levar para lá os seus primeiros astronautas (aí se podendo instalar e criar a 1ª base terrestre num “Outro Mundo” que não a Terra):

 

At the 70th International Astronautical Congress, which took place last week in Washington, DC, SpaceX president and Cheif Operations Officer Gwynne Shotwell provided additional details about the Starship‘s mission timeline. As she indicated during a series of interviews, the company hopes to be sending the Starship to orbit next year, landing on the Moon by 2022, and sending crews to the lunar surface by 2024.” (Matt Williams/October 28, 2019/universetoday.com)

 

Starship-2019-Mars-Moon-base-render-SpaceX-1-580x3

Estabelecendo-se em Marte por 2028

Já depois de o ter feito anos antes na Lua

 

Mas certamente que se ficando verdadeiramente assustado (alertado, preocupado) com os planos a muito curto-prazo da SPACE X de infestar os Céus de Satélites Artificiais, para além de nos poderem cair na cabeça (como temia o “herói da Gália OBÉLIX”) poluindo ainda mais a zona exterior e em princípio protetora do nosso planeta (rodeando-o e rodeando-nos, e permitindo-nos alguma segurança de ameaças vindas do Espaço exterior): às centenas e aos milhares. E quando em vez de criarem mais um “estacionamento de sucata, agora espacial” deveriam pegar nela, construir algo de inovador e de revolucionário e (sem hesitações ou mais recuos) partir (enquanto ainda for possível e valer a pena).

 

(imagens: SPACE X/universetoday.com)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:35

02
Out 19

“Os Alienas não existem, é certo que posso estar enganado, mas se na realidade o estiver, certamente (não nos tendo matado até hoje) sendo bonzinhos.” (Ideias de Elon Musk sobre Alienas)

 

elon-musk-01-758x426.jpg

 

No passado dia 28 de setembro com o milionário e dono da SPACE X (empresa espacial privada) ELON MUSK, a afirmar (para desgosto de muitos e certamente incluindo muitos dos seus apoiantes) que os Alienígenas não existem (e segundo o que de mais se pôde concluir, pelo menos na nossa Galáxia, a VIA LÁCTEA):

 

"As far as we know, we're the only consciousness, or the only life that's out there. There might be other life, but we've seen no signs of it."

(Elon Musk)

 

Por experiência e conhecimento pessoal (adquirido), não nos conseguindo indicar por onde poderiam andar os (hipotéticos) Alienígenas, nunca tendo ele visto algum e nunca tendo notícia da existência de ALIENS mesma na tão falada (até pela concentração de 20 de setembro) ÁREA 51. E assim dando-nos (e às nossas teorias alternativas por imaginativas) mais uma machadada:

 

"People often ask me, 'What do you know about the aliens?' and I'm like, 'Man, I tell you, pretty sure I'd know if there were aliens. I've not seen any sign of aliens.'"

(Elon Musk)

 

Algo de estranho de se fazer na apresentação do seu “Foguetão e Nave Espacial MARK-1” (realizada nas suas instalações do Texas), um meio de transporte inicialmente destinado a transportar carga (para a órbita da Terra) mas a curto-prazo podendo ser igualmente dirigido para o transporte de pessoas não só para a ISS, como para a LUA e finalmente para MARTE − e posteriormente (a médio-prazo) na prossecução das primeiras Viagens Interplanetárias, podendo-se estender (tendo a Lua e Marte como Entrepostos) por todo o Sistema Solar.

 

656c7ece-7a81-4a03-bad9-cf64336d45f1.jpg

 

"The reality is, as far as we know, this is the only place, at least in this part of the galaxy or in the Milky Way, where there is consciousness."

(Elon Musk)

 

Daí não se entender muito bem o pensamento de Elon Musk, por um lado como que a dizer-nos para “deixarmos de o chatear com os alienígenas e nos calarmos definitivamente com essa conversa”, mas por outro lado querendo cativar todo o Mundo (toda a Terra e especialmente os Investidores) levando-os hipnotizados atrás dele, decapitando inesperada e brutalmente expetativas mesmo que para nós bem distantes mas para os nossos continuadores Vitais. Deixando-nos (com o tiro-no-pé) perplexos. Por momentos:

 

"I hope I'm wrong. If they are here, I hope they're nice. You know, they haven't killed us yet so they must be not that bad."

(Elon Musk)

 

Um projeto tendo como objetivo atingir “Outros Mundos”, para além do nosso − de preferência com Água e com Vida e num ambiente aceitável para o Homem – se não possível de encontrar nas nossas proximidades (viagens interplanetárias e Interestelares) um dia podendo ser descoberto numa outra galáxia para além da Via Láctea (viagens intergalácticas), para já utilizando a sua nave espacial MK-1 − com capacidade para transportar uma centena de pessoas – para alcançar futuros Entrepostos (aí instalando bases) como Marte (aí pretendendo construir uma cidade, auto sustentável), ponto de partida para outros objetos (como as Luas de Galileu, três delas com reservas potenciais de Água) e para todo o Espaço além fronteiras. Transformando a Humanidade uma Espécie Multiplanetária.

 

(imagens: alien-ufo-sightings.com – nasa.gov/slate.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:32

27
Mai 19

[A partir do dia 23 de Maio com a Terra a ser invadida por pequenas luzes brilhantes, atravessando ordeiramente e como que vigilantes a escuridão do nosso Céu Noturno.]

 

uwxXhvy8WC2ukLTMERQeee-1200-80.jpg

Just short of a day after the launch (SpaceX launched STARLINK, a series of 60 satellites), near 22:55 UT on May 24, this resulted in a spectacular view over NW Europe, when a "train" of bright satellites, all moving close together in a line, moved across the sky (SatTrackCam Leiden)

 

“No final desta segunda década do segundo milénio após o nascimento de Jesus Cristo (o representante na Terra desse DEUS talvez vindo das Estrelas, sendo eventualmente um Astronauta, tendo entretanto partido e como consequência, sido inevitavelmente esquecido), podendo-se estar perante o início de uma Invasão (seguida de Colonização) – se não soubéssemos “a priori”, ser obra de ELON MUSK − com os primeiros batedores abrindo caminho para a imensa Frota Intergaláctica, vindo na nossa direção. E não sendo a Invasão (Extraterrestre) talvez ainda sendo pior (o nosso Cenário Geral e final) bastando para tal imaginar a Terra (a nossa única casa) cercada (só numa 1ª fase) numa iniciativa interna (Terrestre) por 12.000 contentores ou (simplificando) Caixotes-do-Lixo. Expondo a uma nova poluição (visual) toda a observação do Espaço (com tanto lixo interpondo-se).”

 

Curiosamente coincidindo com o último lançamento na passada quarta-feira, 23 de Maio do foguetão FALCON 9 da Agência Espacial Privada SPACE X − e nada tendo a ver com STARMAN e o seu TESLA ROADSTER (outra das obras de arte do Milionário ELON MUSK) de momento nas cercanias de MARTE (assim se presumindo), nem com qualquer tipo de manobra publicitária (como  o da insistência de que estaremos, na próxima década em Marte) – eis que nos últimos dias e nos nossos Céus (num Evento apenas visível conforme o lugar e a hora, durante espaços limitados do respetivo período noturno) têm sido avistados um número indeterminado de Objetos Voadores Não identificados (igualmente visíveis a partir do nosso Hemisfério Norte), aparecendo surpreendentemente no nosso horizonte visual (noturno, rodeado maioritariamente por escuridão) e despertando-nos de imediato (quase que inconscientemente, como por instinto, inato) o nosso interesse e a nossa mais extrema atenção, deixando-nos inicialmente perplexos e depois como que subjugados (face a todas as hipóteses explicativas, para o que de tão estranho e raro, estaríamos a testemunhar): à vista desarmada ou utilizando um simples instrumento ótico (como auxiliar), tal com antes e ainda no dia de hoje (domingo, 26 de Maio, depois do  anoitecer), no local certo e à hora certa e pelo menos (segundo previsões de entusiastas, não necessitando de ser dos conspirativos) durante os próximos dias, podendo-se observar aparecendo no Céu um grupo de objetos bem iluminados e em fila ordenada, deslocando-se uns seguindo os outros como as carruagens de um comboio, continuando o seu trajeto e rumo até desaparecerem definitivamente (até o início de um novo ciclo) na escuridão mais  profunda e distante

 

spacex-starlink-satellite-internet-global-network-

Com a Terra ficando entrelaçada por uma verdadeira rede de alta-velocidade, facilitando ainda mais as Comunicações, mas podendo por outro lado e apertando-se essa rede, transformar-se num instrumento asfixiante e numa armadilha mortal

 

spacex-starlink-internet-satellites-falcon-9-rocke

Um total inicial de 60 satélites para provedores de Internet de alta-velocidade, distribuídos ordenadamente e como que abraçando toda a Terra,

(dos 12.000 já programados) lançados a bordo de um Falcon 9 da Space X

 

“Olhando o Céu noturno com os observadores a serem surpreendidos com a passagem inopinada por nunca vista de um “Comboio-Voador” integrando 60 carruagens, nem um dia passado sobre o lançamento do foguetão Falcon 9 da Space X, segundo o que dizem transportando consigo (e libertando-os de seguida um a um) 60 artefactos (pela generalidade do público não identificados, desconhecidos), podendo ser qualquer coisa mas pelos vistos não passando de comuns satélites: por esta hora (23:00 horas em Portugal) com o “Comboio” da SPACE X (Starlink Group) lançado a 23 de Maio dos EUA, a atravessar (já depois de ter passado no Céu e sobre o Atlântico a noroeste da Península Ibérica) os céus noturnos do continente Europeu − a caminho do Continente Asiático e da Austrália – em mais uma das suas órbitas em torno da Terra, feita a pouco mais de 400Km de distância e em cerca de hora e meia (e ao longo dessas órbitas e do tempo, ascendendo para as suas órbitas pré-programadas a mais de 500Km de distância).”

 

– No Meio do Natural envolvendo o Ecossistema Terrestre e ainda tudo o que o rodeia (protege e integra), face a um Evento (por um lado) tão estranho (de rara/difícil observação) e por outro tão ordenado (sendo o oposto do Caos, necessariamente complementando-o e um ou o outro, justificando organização, inteligência, ou seja presença de Vida), denotando-se alguns traços (por alguma razão de conhecimento profundo mas não ativo, incómodos) podendo ser interpretados como de Artificialidade (simbolizando a presença simultânea no Espaço e no Tempo de um Mundo Artificial) − Inteligência Artificial, seja nossa (da nossa Criação, uma réplica mais ou menos fidedigna do Homem) ou Alienígena (nada tendo a ver com o nosso molde e Criador). Podendo-se assim estar perante uma Manifestação Terrestre (veja-se o caso doa alienas mexicanos, ilegalmente tentando saltar o Muro e invadir os EUA) como até perante a preparação de uma INVASÃO EXTRATERRESTRE, agora que eles sabem − os ALIENAS − que o Presidente do nosso planeta (a nossa única Terra) se prepara para lançar a Contra Ofensiva (num ataque decisivo) com as suas extraordinárias e poderosas (bastando-lhe carregar num botão para o brinquedo funcionar) FORÇAS ARMADAS ESPACIAIS. Segundo os cálculos de muitos observadores interessados no Fenómeno (sejam quais forem os seus pontos de vista) com a “frota” integrando numa 1ª fase (de chegada e de início de intrusão e levada a cabo por “batedores”) cerca de 60 veículos, futuramente (talvez mesmo a curto-prazo) e desenvolvendo-se a respetiva missão (e através de previsões mantidas secretas) podendo atingir a cifra espetacular de 12.000 – segundo as duas alternativas em presença e clamando pela normalidade tratando-se simplesmente de Satélites Artificiais (sendo-o por terem sido cridos não na sua totalidade pela Natureza, mas por apenas uma das partes o Homem), mas por outro lado (talvez já tendo ocorrido noutro Espaço/Tempo semelhante, paralelo, talvez mesmo coincidente) podendo não ser (mesmo que não seja este o caso) obra da nossa intervenção.

 

[Ou alguém ainda se acredita sermos os Únicos Por Cá? Sendo apropriado dizer (tal sucedendo) que seria uma Desgraça.]

 

(imagens: sattrackcam.blogspot.com; Mark Handley/University College London/businessinsider.com; Elon Musk/SpaceX via Twitter/businessinsider.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:23

02
Mai 19

[Agora que estamos na época (em Portugal) da caça ao (bolso do) Contribuinte: mas apesar de tudo e por aqui (a nossa tão querida terrinha) ainda com algum retorno (mesmo que mínimo) para os bolsos (já tão explorados/esburacados) dos referidos como pobres.]

 

0d6a567e-788e-11e7-a1a9-4f8ddd191a99-640x476.jpg

Microsoft nesta altura

Com muitas empresas apesar de apresentarem lucros na ordem dos biliões

Recebendo a devolução (em biliões) em retorno de impostos (em dólares)

 

Afinal de contas o teste levado a cabo no passado sábado (26 Maio) pela SPACE X − tendo como objetivo desse ensaio a cápsula espacial DRAGON – não terá sido vítima como inicialmente noticiado de uma simples “anomalia” (dada a dimensão e visibilidade do respetivo incêndio e fumo produzidos) mas de um problema muito mais grave (estando-se pelos vistos a testar os motores da DRAGON) levando à explosão e destruição da mesma.

 

Só mais tarde tendo aparecido oficialmente o reconhecimento do fracasso de mais este teste levado a cabo pela SPACE X − tendo como fim pretendido a preparação final da cápsula espacial DRAGON − em princípio prevista para inicialmente se tornar num veículo de transporte de carga no Espaço (desde logo abastecendo a Estação Espacial Internacional ou ISS) para a curto-prazo começar finalmente a transportar tripulação (o verdadeiro objetivo).

 

Falhanço acabando por ser reconhecido (pelo menos aparentemente) mais pela NASA do que pela SPACE X e parecendo mais um partilhar de culpas (neste caso pela NASA) para desculpar uma das partes (neste caso a SPACE X): partilhando a “MISSÃO” tornando-se ambas responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma ou da outra, apesar da construção ser da responsabilidade da SPACE X ficando apenas a colaboração/apoio para a outra parte a NASA.

 

Uma forma peculiar de se investir num Negócio (neste caso um caso típico nos EUA) pedindo financiamento ao Estado e com ele partilhando os possíveis fracassos dos Privados: tal como numa PPP (Participações Público-Privadas) tendo lucro ficando para o Privado e tendo prejuízo com as contas a serem enviadas para o Estado. Mesmo sendo Milionário uma forma de se investir mesmo com pouco dinheiro (próprio), tal como o terão feito muitos outros (investidores norte-americanos) entre eles ELON MUSK (o patrão da SPACE X).

 

snapshot.jpgsnapshot 2.jpg

Cápsula Espacial DRAGON

Teste de motores c/1 versão DRAGON (num processo ≈ ao sistema de emergência utilizada pela SOYUZ correndo mal o lançamento) sofrendo uma “anomalia” e explodindo

 

“NASA has been notified about the results of the @SpaceX Static Fire Test and the anomaly that occurred during the final test. We will work closely to ensure we safely move forward with our Commercial Crew Program.”

(Jim Bridenstine/administrador da NASA)

 

“The NASA and SPACE X teams are assessing the anomaly that occurred today during a part of the DRAGON SUPER DRACOSTATIC FIRE TEST at SPACE X Landing Zone 1 in Florida. This is why we test. We will learn, make the necessary adjustments and safely move forward with our commercial Crew Program.

(Jim Bridenstine/@JimBridenstine/Twitter.com)

 

Tudo se passando numa altura em que nos EUA muitas das suas grandes empresas de referência (entre outras AMAZON, APPLE e MICROSOFT) apontam para ganhos na ordem dos biliões de dólares (11,2/15,8/20,1 biliões de dólares em 2018) e no entanto e em sentido contrário (da lógica pretensamente do poder: “Se ganhas tens que pagar Impostos”, ou traduzindo literalmente “Se és Rico deves ajudar os Pobres”) – num insulto e numa provocação para quem trabalha, mesmo ganhando pouco dinheiro (lógica do poder para os pobres: “se recebes tens lucro, deves pagar um retorno”), num pagamento muitas vezes insuficiente (para a sua simples sobrevivência) e tendo obrigatoriamente de pagar impostos pagando todas taxas iguais a ZERO. Passando instantaneamente e conforme a Ocasião (por vezes o ACASO) e a Necessidade (ocasião/necessidade coincidentes), de lucro a prejuízo e vice-versa: virtudes exclusivas dos Estados Unidos da América, dos Dólares e das suas incansáveis rotativas (Impressoras) − como diriam (e já afirmaram) certos prémios Nobel (divertindo-se com a situação para eles IMPOSSÍVEL da falta de dinheiro) da Economia e Norte-Americanos.

 

MW-GB586_Income_20180111103344_ZH.jpg

De acordo com o Tax Policy Center

Com mais de 44% dos trabalhadores norte-americanos a não pagarem imposto

Apenas por nem sequer ganharem o suficiente para sobreviver

 

Segundo a TAX POLICY CENTER (uma organização não-partidária com sede em Washington) com mais de 44% dos norte-americanos a não pagarem imposto (Federal) no ano de 2018 (cerca de 76,5 milhões), significando apenas que a esmagadora maioria deles não ganha o dinheiro necessário e suficiente (ao contrário das grandes Empresas, na mesma situação de não pagarem, apesar do aumento dos seus lucros) para sobreviver. E pagando (pelos vistos por todos) os outros 56% (de trabalhadores). Num país considerado a Maior Potência Global (os EUA) e em que Portugal (que se saiba não uma grande potência mundial e ainda recentemente sob intervenção do FMI), poderia ser um (bom) exemplo de sucesso tanto na área da Educação como no da Saúde (quem diria).

 

Por cá com os nossos “Espertalhões” virando as costas aos seus (aos seus compatriotas portugueses e mesmo assim dando-lhes lições de Moral) e escolhendo outros (países) como “seu” domicílio fiscal: tendo como um dos exemplos mais divulgado o “Patrão” de um conhecido XXXX, com domicílio fiscal que não cá, mas situado no estrangeiro (e é certo que inteligente – no meio de tanto asno e com tantos de nós incluídos − protegendo-se e à sua prole). Enquanto Costa nos governa (a nível interno/nacional) e Marcelo (este só com um “L” não como o seu padrinho Marcello) nos exibe (a nível externo/internacional): este último ainda agora na China escutando os chineses e a sua “ROTA da SEDA”.

 

(imagens:  Swayne B. Hall/AP Photo/seattletimes.com − Engineering Today/youtube.com – Joe Raedle/Getty Images/marketwatch.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:05

04
Abr 19

Extinção em Massa do Ordoviciano, Devoniano, Permiano, Triássico e Cretáceo, seguindo-se o Holoceno, tempo em que nós vivemos e em que poderemos ser os grandes protagonistas – da Extinção (do Homem) e sucedendo aos nossos queridos Dinossauros (então com o Homem a perpetuar-se nas prateleiras de um novo Toys "R" Us e nas mãos de um outro animal).]

 

Fanerozóico

(últimos 542 milhões de anos)

 

531px-Extinction_intensity.svg.png

(% de Extinção Marinha/Milhões de anos)

 

Num momento da História da Terra em que poderemos já estar a viver a 6ª Maior Extinção Maciça um recordar dos seis Eventos de Extinção (para já conhecidos): (1) há quase 450 milhões de anos o fim do Ordoviciano com a extinção de cerca de 85% das espécies (como os graptólitos), (2) há 375 milhões de anos já avançado no Devoniano com a extinção de 75% das espécies (entre elas as trilobites), (3) há 250 milhões de anos no fim do Permiano com a extinção de mais de 95% das espécies (caso dos tabulate coral) a maior de todas as extinções, quase erradicando todo o tipo de vida do nosso planeta (4) há 200 milhões de anos no fim do Triássico com a extinção de 80% das espécies (como os Conodanta) e finalmente (5) há 66 milhões de anos no fim do Cretáceo com a extinção de 76% das espécies (caso da amonite e podendo Já em terra circularem os dinossauros). E iniciada a 6ª Maior Extinção Maciça, depois dos Dinossauros seguindo-se (com grandes hipóteses de se acertar, caso não partamos para o espaço) o Homem. (fonte: Viviane Richter/COSMOS)

 

toolkit-01.jpg

 

Num momento em que em Portugal o delfim de Marcello Caetano (1906/1980) se não governa pelo menos é Rei (desde o ano de 2016)

 

– Marcelo Sousa o homem que foi capaz de passar de forte apoiante do Estado Novo (inicialmente até pensado pelo próprio Marcello para seu sucessor) a protagonista do regime Democrata (que lhe sucedeu hoje sendo o seu Presidente)

 

Corporizando através do seu carisma bipolar (adorou/atraiçoou o Padrinho que o iria tornar seu Delfim) uma região particular do planeta Terra (no presente micro) que para determinados observadores aparenta ter parado no respetivo espaço/tempo (veja-se o que Portugal já foi no Mundo e no Passado),

 

Eis que do Outro Lado do Oceano Atlântico os sucessores de um antigo contingente de europeus expulsos das suas terras (de família e de nascimento) e levados pelo mar fora para outro continente distante e ainda no início do seu processo de desenvolvimento e de consolidação

 

– Obviamente tratando-se da América do Norte e particularmente dos EUA

 

Nos prometem de novo a LUA e como se já não bastasse MARTE:

 

Uns (Portugal) alegremente deixando-se ficar (pelo apeadeiro)

 

“Felizmente temos o Algarve, dirão alguns”

 

E vendo sem perceber os outros (EUA) seguir (para a seguinte Estação).

 

foo-02.jpg

 

No final da segunda década do 2º milénio e a caminho de se perfazer meio-século (este ano fazendo 47 anos no mês de Dezembro) sobre o último voo espacial tripulado levando o Homem à LUA e aí fazendo-o pisar (algo de impensável mesmo na altura e em que muitos ainda não acreditam) o seu primeiro Mundo Extraterrestre (o nosso único satélite localizado a cerca de 384400Km da Terra),

 

Com a Agência Espacial Norte-Americana (e governamental) NASA colocada perante o ambicioso projeto e o trabalho já levado a cabo (e tendo a vir a ser concretizado com sucesso) pela empresa privada do multimilionário Elon Musk, a privada SPACE X

 

– Com o seu alvo estratégico apontando o planeta Marte (mais distante de nós, mas supostamente mais interessante), utilizando ainda o nosso satélite natural a Lua (muito mais próxima de nós e já visitada) como forma de financiamento (com voos privados pagos) e desenvolvimento da nave espacial SPACE X STARSHIP que os levará ao seu “Destino-Marte

 

A apresentar finalmente o seu Programa Espacial a ser cumprido nos próximos anos, tendo como objetivo o regresso à Lua e o lançamento da missão Marte (num projeto apoiado pela atual Administração Norte-Americana): não levando milionários em passeios privados e turísticos até à Lua (para o usufruto e o prazer de um só) mas aí alunando, criando uma base e utilizando a Lua como uma plataforma para alcançar com maior fiabilidade (cientifico-tecnológica e não contabilística) Marte e a partir daí e da consolidação de todos os fatores e conhecimentos adquiridos, atirando-se então e decisivamente para o lançamento de um maior e mais arriscado empreendimento espacial, dirigindo-se então para Marte e aí colocando o primeiro ser humano.

 

foo-03.jpg

 

E assim respondendo por necessidade e no presente (sentindo-se abandonada e podendo ser ultrapassada) ao nítido avanço da iniciativa privada na área da conquista do Espaço (igualmente financiada por verbas governamentais) – privados mais que nunca desejosos de tomar as rédeas da Exploração (em todos os sentidos sobretudo comerciais) do Espaço (com a maior abertura da nova Administração norte-americana à iniciativa privada, diminuindo impostos e facilitando o financiamento privado) – com a NASA respondendo ao pedido do atual presidente Donald Trump (da sua Administração e contando ainda com o total apoio de alguns dos seus maiores oposicionistas nas primárias republicanas de 2016) a assumir o desígnio proposto e a apresentar recentemente a sua versão do projeto LUA/MARTE (respondendo assim à apresentação alternativa da privada Space X):

 

“President Donald Trump has asked NASA to accelerate our plans to return to the Moon and to land humans on the surface again by 2024. We will go with innovative new technologies and systems to explore more locations across the surface than was ever thought possible. This time, when we go to the Moon, we will stay. And then we will use what we learn on the Moon to take the next giant leap - sending astronauts to Mars.” (Jim Bridenstine/ NASA)

 

Propondo-nos a LUA em 2024 e Marte para lá de 2030, nesses anos com o Homem voltando a pisar a superfície da Lua e pouco tempo depois a pisar o solo do primeiro planeta para além do nosso o vizinho exterior o Planeta Vermelho: explorando e lá tentando construir a sua primeira base/colónia marciana e com mais esse passo talvez ajudando a abrir mais uma porta para as próximas visitas interplanetárias, interssistemas e intergalácticas. Mas até lá havendo ainda muito que fazer na Terra (cá dentro) e fora dela (no Espaço exterior).

 

(imagens: wikipedia.org e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:18

01
Abr 19

SpaceX designs, manufactures and launches

advanced rockets and spacecraft

MAKING LIFE MULTIPLANETARY

(Space X)

 

mars-header.jpg

Making Life Multiplanetay

 

Aos 47 anos de idade com o cidadão com tripla nacionalidade (África do Sul/Canadá/EUA) – além de Milionário e com uma fortuna a caminho dos 22 mil milhões de dólares – ELON MUSK, a persistir na sua ideia (para uns meio-louca) de colocar seres humanos no planeta Marte (onde se andássemos como na Terra morreríamos nuns míseros segundos): apresentando-nos o protótipo (ainda em fase de construção) da NAVE ESPACIAL que levará a sua empresa aeroespacial SPACE X até ao Planeta Vermelho para além de algumas imagens adicionais do que poderá ser uma futura base (aí instalada).

 

“You want to wake up in the morning and think the future is going to be great - and that's what being a spacefaring civilization is all about. It's about believing in the future and thinking that the future will be better than the past. And I can't think of anything more exciting than going out there and being among the stars.”

(Elon Musk/Space X)

 

BFR1_Moon.jpg

SpaceX's Starship and Super Heavy Rocket

 

E sabendo-se simultaneamente do novo impulso que Donald Trump (acompanhado fortemente por antigos rivais seus nas primárias Republicanas) pretende dar ao desenvolvimento cientifico-tecnológico da indústria ligada à defesa e ao sector do armamento (na qual se integra e enquadra a nível Governamental toda a ação civil da NASA) − tendo como protagonistas (afastada a sociedade civil) nos desejos e sua total satisfação os seus amigos os Militares – não sendo de admirar que reaberto o horizonte (de investimento) novas personagens se aproximem (associados á área/negócio) oriundos da Sociedade Privada e ainda-por-cima subsidiados (fortemente) pelo próprio estado (servindo-se das suas impressoras/de dólares).

 

“Our aspirational goal is to send our first cargo mission to Mars in 2022. The objectives for the first mission will be to confirm water resources, identify hazards, and put in place initial power, mining, and life support infrastructure. A second mission, with both cargo and crew, is targeted for 2024, with primary objectives of building a propellant depot and preparing for future crew flights. The ships from these initial missions will also serve as the beginnings of the first Mars base, from which we can build a thriving city and eventually a self-sustaining civilization on Mars.”

(Space X)

 

mars-bfrs.jpg

Missions to Mars – First Mission

Objectives for the first mission will be (in 2022)

to confirm water resources, identify hazards,

and put in place initial power, mining, and life support infrastructure

 

Já com várias nações da Terra em alternativa aos EUA a lançarem-se ao (pelo mesmo) caminho, faltando apenas saber-se se a força de um coletivo (tal como se fez no passado, sempre feito por pioneiros, apresentando resultados) é não só maior e melhor do que a que um só indivíduo promete à multidão: quando no presente verificamos nos EUA uma fragmentação da ligação  estado/privado (quebrando pelo lado maior) talvez simbolizando o fim de um Império − veja-se a divisão NASA/Privados, com um sendo sugado/mesmo financeiramente pelo outro, no final e como tudo autodestruindo-se – enquanto no Resto do Mundo estados poderosos fazem precisamente o oposto (no topo estando a Rússia e a China e a caminho a Índia).

 

Nos próximos 10 a 20 anos e se tudo correr bem com o Homem a voltar a pôr o seu pé (esquerdo ou direito) na superfície da Lua e um pouco mais tarde e se o tempo o permitir (spaceweather) então fazê-lo em Marte (entre 2020/40). Para Musk (quando a dormir e a sonhar) daqui a 5 anos!

 

mars-progression.jpg

Missions to Mars – Second Mission

A second mission, with both cargo and crew, is targeted for 2024,

with primary objectives of building a propellant depot

and preparing for future crew flights

 

[Hoje vésperas do 1º de Abril e com o Homem das Estrelas (The Starman) ainda ao comando do seu carro elétrico Tesla (há muito a caminho de Marte), tornando-se este o batedor que um dia encontrará o seu mestre calcinado no inferno mortal de Marte (caso efetue a viagem, pelo menos restando os ossos).]

 

(imagens & legendas: spacex.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO