Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

26
Set 17

“No dia da Comemoração dos 20 anos sobre a partida da sonda Cassini (da Terra tendo como destino Saturno), por imposição Humana e como medida aparente de Preservação (e tal como um preservativo), celebra-se em sua vez (porque já morreu) a missa do 30º dia (da sonda).”

 

cassini_nasabanner.jpg

 Explorando os planetas Exteriores ‒ Gigantes e distantes

 

Fazendo este ano no dia 15 de Outubro 20 anos sobre o seu lançamento da Terra (localizada a 150 milhões de Km do Sol) de Cabo Canaveral (Califórnia/EUA), a agência espacial NASA (em colaboração com os europeus da ESA e com os italianos da ASI) responsável pelo seu lançamento e posterior inserção orbital (menos de 7 anos depois) em torno do planeta Saturno (localizado a 1500 milhões de Km do Sol), decidiu antecipar a comemoração deste grande Evento Tecnológico dos finais do século XX (numa missão integrada no maior e mais caro projeto da NASA utilizando sondas automáticas para a exploração dos Planetas Exteriores ‒ com as Viking, as Voyager e a Galileu), substituindo-a por um episódio dramático (necessariamente envolvendo vítimas), potencialmente marcante (pelo choque ficando impresso na memória) e sobretudo final (obviamente mortal).

 

69_IMG001942_768.jpg

 Sonda Cassini-Huygens ‒ Ainda na Terra em 1996

 

Na cronologia de vida desta sonda automática desde que deu à luz até ao momento em que se foi (do Programa Flagship com o objetivo de explorar regiões distantes do Sistema Solar), tendo a mesma colocado nas mãos do seu Criador o seu próprio destino (um objeto inanimado não tem destino, servindo apenas um objetivo), do qual o Mesmo não abdicou, mesmo sabendo as consequências do que estava a fazer (a matar o seu próprio filho). No dia 15 de Setembro de 2017 (precisamente um mês antes do Fim) e quando os mais otimistas vivendo no final do séc. XX (e suspeitando da mesma poder funcionar 20 anos depois) certamente pretenderiam (se ainda cá estivessem) festejar esta data como um marco histórico (da História da Conquista do Espaço por sondas automáticas não tripuladas, desde o abandono das missões Apollo), com a NASA a impor aos responsáveis desta missão o suicídio da sonda Cassini basicamente por duas razões (a segunda mais importante que a primeira):

 

pia21895_impactsite_figa_finalimage_1042.jpg

 Cassini a 634 mil Km de Saturno ‒ Em 14 Setembro 2017

 

Com a energia necessária ao seu funcionamento cada vez mais perto de se esgotar/1ª razão (fonte de alimentação de plutónio dado os painéis solares terem sido postos de lado dada a grande distância de Saturno ao Sol) e mais importante ainda com a possibilidade (no fundo inevitabilidade) de se poder perder o controlo da sonda (por falta de energia e de comunicações) facultando-lhe por mera neglicência mais uns tempos de vida (em vez de a abater imediatamente) e com isso podendo no seu caminho (desconhecido) encontrar outros Mundos (por exemplo como a preservada lua Encelados com os seus potenciais oceanos) contaminando-os (apesar de não convincente sendo para alguns uma razão para a concretização de um momento para eles espetacular) ‒ e daí THE GRAND FINALE.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:54

26
Jan 17

Milhares de Aves cometeram SUICÍDIO no passado dia 20 de Janeiro na cidade texana de Houston – por coincidência no dia da tomada de posse de DONALD TRUMP e num estado surpreendentemente perdido por Hillary. Um Sinal?

 

0.jpg

Milhares de aves voando de uma forma aparentemente descontrolada

 

Talvez provocado por algum tipo de fenómeno meteorológico ocasional (mas inesperado por desconhecido) ou então por um outro tipo qualquer de fator correlacionado (por exemplo alguma alteração no geomagnetismo terrestre mesmo que podendo ser local), parte da população da cidade de HOUSTON situada no estado norte-americano do TEXAS foi surpreendida no passado dia 20 deste mês (passada sexta-feira) por uma verdadeira invasão de diversos bandos de aves aparentemente desorientadas (ou então desnorteadas), acabando muitas dessas aves por embater em prédios e automóveis (circulando numa das estradas interestaduais que atravessam a cidade) e por morrer.

 

2.jpg

E chocando no seu trajeto aéreo com edifícios e automóveis

 

Deixando os residentes que testemunharam o fenómeno nesta área da cidade completamente estupefatos com este estranho evento, não só pela enorme quantidade de aves presentes no local do incidente, voando como se estivessem sem comando e totalmente desorientadas, caindo do céu em todos os sentidos e direções, embatendo em edifícios e até mesmo em carros (em movimento e danificando-os) e acabando no fim por morrer devido ao forte impacto provocado: enchendo as ruas dessa zona da cidade (onde ocorreu o Evento) com milhares de aves caídas e mortas. Certamente de origem natural e sem qualquer tipo ou forma de colaboração externa (tornando-o artificial).

 

4.jpg

Com algumas vítimas do impacto e com outras incólumes passeando-se sobre o solo

 

Num fenómeno talvez explicado pelos tornados que tem vindo recentemente a afetar esta região dos EUA e que poderá como consequência indireta ter afetado os trajetos de migração de muitas aves ocorrendo nesta altura do ano e que devido às condições atmosféricas para elas não favoráveis (e no caso da presença de ventos fortes para as mesmas podendo ser extremas) forçando-as a mudar de rumo, perdendo-se no seu plano de voo e desorientando-se por momentos. Algo não muito comum de ocorrer (ou de ser noticiado) mas com episódios muito semelhantes passadas em muitos locais um pouco por todo o Mundo – seja no ar, em terra, como no ar (por acaso e tal como noutras alturas no passado, também ocorridos em Houston).

 

(imagens: youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:09

26
Nov 13

Robot suicida-se na Áustria


O modelo 760 – um simples funcionário de limpeza – não resistiu ao stress profissional

 

É notícia esta semana o primeiro caso conhecido de suicídio entre robots. O caso ter-se-á passado recentemente na Áustria quando um robot cansado das suas inúmeras e repetitivas tarefas domésticas – que lhes tinham sido atribuídas pelos seus donos – entrou em depressão profunda e num estado de paranóia crescente, ligando-se automaticamente e sem qualquer tipo de intervenção humana, colocando-se de seguida em cima do disco do fogão e deixando-se imolar até ao fim.

 

Os bombeiros levantaram a hipótese de não se tratar de um caso de suicídio, mas de um simples acidente profissional: “Bad Robot”!

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:27

22
Jan 12

 

O que é afinal a vida? Um vampiro diria que é a morte, mas como até hoje eu ainda não vi um único que seja, não pretendo oferecer-me como cobaia de um qualquer adivinho, aqui caído de pára-quedas.

 

 

A vida talvez seja um caminho que temos que percorrer como obrigação a cumprir por estamos vivos, mas não deixa de ser caricato que a única recompensa que nos oferecem no fim do percurso, seja impreterivelmente a da morte.

 

 

No entanto toda esta retórica é improdutiva e insignificante face à frieza da presença constante do nada no nosso quotidiano, impedindo-nos de estendermos o nosso pensamento para lá da barreira de um tempo que apesar de abstracto, reflecte a ilusão ou utopia de um espaço inatingível.

 

 

O relógio é a negação do tempo – porque o primeiro existe e o segundo não – e o suicídio do espaço – porque o primeiro está parado apesar de parte se movimentar, enquanto o segundo está em movimento apesar de parte estar parada.

 

 

O espaço não tem um limite perceptível de ocupação, até porque se tal sucedesse, isso teria como consequência a possibilidade da existência de um outro espaço vizinho, mesmo que vazio. A nossa capacidade de utilização do cérebro na análise destas questões pode não ser uma limitação à compreensão do Universo a que pertencemos – achem ou não que o nosso cérebro está bem ou mal aproveitado – mas não deixa de ser estranho que até hoje ainda não tenhamos compreendido a um nível global de tudo o que existe, alguns pontos intrigantes como: o que é que nos acontece após a nossa morte física já que nem temos memórias próprias do período anterior à nossa concepção, nem sequer apresentamos uma justificação válida para pensarmos na necessidade de tal ocorrer, só a validando em desespero de causa, porque somos nós os envolvidos; e como compreender correctamente a noção e conjugação de vida e de mundo de um ponto de vista individual, se ao morrermos deixamos de existir, num mundo que ainda existe, mas que para uma das partes por mais insignificante que seja, não tem nenhuma lógica de existir; e não terá o limite da nossa caixa craniana, protectora do nosso cérebro e das nossas capacidades de pensamento, um significado que nós inconscientemente não queremos reconhecer, não nos querendo confundir com os outros animais irracionais, sem pretensões morais e emocionais ou então recusando optar pela última e brutal evidência – o limite do nosso cérebro reflecte a construção de um mecanismo ao qual foi atribuída uma função apenas temporária, ligado pontualmente à evolução de um universo ilimitado e eterno, que não nos reconhece com o recurso à utilização de ferramentas éticas e morais para ele inexistentes.

 

 

Num mundo paralelo qual seria o objectivo de Deus?

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:52

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO