Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

10
Fev 20

Antarctica

Hottest temperature ever recorded, 65° F / 18.3° C

(Xeni Jardin/8 fevereiro/boingboing.net)

 

antt.jpg

A Antártida e os seus habitantes

No futuro de clima polar derivando para tropical?

 

Com as temperaturas máximas na Antártida (continente localizado no Polo Sul terrestre e quase todo coberto de gelo) a serem muito semelhantes às registadas por estes dias em Lisboa − hoje (domingo, 9) e nos próximos dias andando pelos 18°C – segundo a opinião dos nossos político-cientistas e como sua própria teoria explicativa (interessada e de mero intermediário num negócio), como consequência das há muito anunciadas Alterações Climáticas e Aquecimento Global, alguns de nós começam a colocar cada vez mais em questão (ou seja a desconfiar) face às alterações ambientais e locais (meteorológicas/geológicas) que nos vão rodeando e em função das transformações já verificadas no passado (com territórios num passado tendo estado debaixo de água e agora aparecendo à superfície − e vice-versa) − e sabendo-se complementarmente que na Natureza “nada se cria, nada se perde, tudo se transforma (Lavoisier) – se a razão para alterações tão drásticas sobretudo climáticas (nunca se podendo descurar o impacto das forças poderosas e interiores que dão forma e conteúdo ao nosso planeta, as geológicas) registadas ao nível da superfície da Terra (uma faixa estreita de Espaço atravessando o Tempo, onde existe algo ainda não encontrado noutro lugar, ou seja exclusivo a Vida)  não será tanto devido à ação do Homem (por exemplo devido á Poluição introduzida das mais diversas formas no ecossistema natural terrestre pelo Homem) mas, para além de ser um Evento previsível por inevitável (o Universo é um Organismo Vivo e Dinâmico), ser originado pela própria Natureza no seu próprio processo evolutivo e de metamorfose:

 

No fundo tal como toda a comunidade científica há muito tem vindo a tentar transmitir e divulgar publica e globalmente, apresentando − outras que não as razões cientificas oficialmente adotadas (alterações climáticas/aquecimento global) − para o que temos todos estado a presenciar diante dos nossos olhos (sucedido numa única geração), justificando tudo e tal como já passado por várias vezes na História da Terra ao longo dos seus diversos ciclos de desenvolvimento (introduzido posteriormente o Homem ou outra raça dominante) e sucessivos Saltos civilizacionais (com Homem e Civilizações a aparecerem, desaparecerem, aparecerem ou seja, existindo sempre a evoluírem), simplesmente motivado por “uma alteração na inclinação do eixo virtual terrestre”.

 

Este mediodía la Base Esperanza registró

un nuevo récord histórico (desde 1961) de temperatura, con 18,3°C.

Con este valor se supera el récord anterior de 17,5°C del 24 en marzo de 2015.

Y no fue el único récord.

(SMN Argentina@SMN_Argentina/twitter.com)

 

EQKhPzcUcAACAmt.jpg

Polo Sul − Base Esperanza

Argentina e localizada na Antártida

 

E se por estes lados (por exemplo de Loulé/Algarve) até pela presença de minas de sal-gema (subterrâneas) o mar num passado já bastante remoto terá coberto com os seus extensos lençóis de água salgada todo este território da ponta sudoeste da atual Europa (para o lado de Lagos existindo outros tipos de vestígios geológicos de outros tempos no passado como cones vulcânicos) − ao longo da Terra uns territórios imergindo outros emergindo – originando em muitos casos o fim de comunidades e até de civilizações e dando início a grandes migrações, não sendo pois de espantar que enquanto “os desertos avançam(como os de África em direção à Europa do sul, a Portugal) nos trópicos secando e destruindo tudo, nas pontas extremas do Globo como por exemplo no continente da Antártida as temperaturas já ultrapassem os 18°C: na passada quinta-feira (fevereiro, 6) chegando á temperatura máxima de 18,3°C (registada a sul na estação de pesquisa Esperanza/Argentina).

 

Tudo se explicando na atitude que o Homem tem tomado ao longo de toda a sua ainda curta existência no planeta Terra (podendo existir por ciclos ao longo de diversos saltos) em relação a tudo o que o rodeia, como raça sobressaindo autoproclamando-se Dominante (supostamente por ser dotado de psique) sempre se considerando o Centro do Mundo (mas não o confessando logo), (1) antes leigo e por ignorância delegando o seu poder na Terra com o Geocentrismo, (2) posteriormente já erudito e experimentado delegando-o no Sol com o Heliocentrismo, para (3) posteriormente e (finalmente) revelando-se, o personificar − como CENTRO do MUNDO − com o HOMOCENTRISMO.

 

Mas com o PODER do UNIVERSO (infinito) a não estar no HOMEM INSIGNIFICANTE (e nas suas limitadas ações artificiais) mas nas poderosas e incontroláveis (por naturais) FORÇAS da NATUREZA: existindo a Terra, mas podendo não existir o Homem.

 

(imagens: boingboing.net e The Antarctic Report@AntarcticReport/twitter)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:09

21
Nov 19

E com o seu PM ainda não se tendo sujeitado ao “teste da Cegueira”.

 

iX8IKV9wrWvVpk6m.jpg

 

Com os incêndios florestais a continuarem a devastar largas áreas da Austrália (o menor Continente-Ilha do Mundo), sendo simultaneamente acompanhados por elevadas temperaturas atmosféricas (ultrapassados os 40°C e a caminho dos 50°C) – originando situações ambientais catastróficas a sul do território australiano – passadas quase três semanas sobre o seu início afetando sobretudo os estados de New South Wales (localizado na costa leste) e de Queensland (localizado a nordeste) estimando-se que até à passada terça-feira (19.11) cerca de 580 casas tivessem ardido assim como mais de 1.600.000 de hectares (de terra).

 

Catastrophic bushfire conditions in Australia,

over a dozen temperature records smashed

(Julie Celestial/watchers.news)

 

Com as temperaturas registadas a baterem muitos dos seus recordes , máximos e de há vários anos – como os sentidos em Nullarbor (46,6°C) situada no estado da Austrália Meridionale com os fogos aparentemente a não quererem abrandar (no seu progresso no terreno, aproveitando o tempo quente e seco), com estes continuando na sua marcha incontrolável e imparável (segundo as autoridades de socorro como o são os bombeiros, dadas as grandes dificuldades de acesso e de combate ao fogo florestal) fazendo desaparecer florestas, destruindo casas, obrigando a evacuações, encerrando escolas (hospitais e outras infraestruturas) e como se vê, afetando toda a vida das diferentes comunidades atravessando-se no seu caminho (só parando, não havendo mesmo nada para arder) − ficando sem os seus serviços básicos de sobrevivência, como o do acesso à água, à eletricidade e às vias de comunicação.

 

EJytSVtX0AAAosH.jpg

 

Seven districts have been catastrophic fire danger zones,

including the Mount Lofty Ranges and Mid North near Adelaide,

while two were rated "extreme" and six were "severe".

(Julie Celestial/watchers.news)

 

Colocando todos os sistemas de emergência em “Alerta Vermelho” dada a quase impossibilidade de os combater (sem acesso minimamente eficaz aos mesmos) e dada a incerteza e forma caótica como os incêndios se vão sucedendo (em muitos casos ajudados não só pelo tempo seco como por ventos fortes): extinguindo-se aparentemente um foco de incêndio (podendo a qualquer momento reacender-se) e aparecendo logo outro. Levando as autoridades a declararem:

 

"Fire agencies will find these fires difficult to control.

There is a high likelihood that people in the path of fire

will be killed or seriously injured in these conditions."

(Emergency Management Victoria/watchers.news)

 

E segundo as últimas notícias originárias do Continente da Oceânia e da sua maior ilha (a maior Ilha/Continente da Terra) − a Austrália – com os incêndios florestais a alastrarem para outros estados como o de Victória e de Sidney, como se viu (e como efeito colateral), acabando por cobrir de fumo o céu de muitas cidades (e outras localidades) como foi o caso de Sidney (capital do estado de Nova Gales do Sul e cidade mais populosa da Austrália e do continente a Oceânia) tornando o ar insuportável até pelas temperaturas registadas acima dos 40°C.

 

maxresdefault.jpg

 

Mantendo-se o Alerta Vermelho (mesmo com alguma precipitação, regressando, podendo auxiliar) e no entanto, chegando “tranquilizadora e sem alarmismo adicionais” − além da declaração do tal Alerta (o máximo na escala de perigo mortal) comunicada (ao público em geral) pela Autoridade (com mais de 600 casas destruídas e já para não falar da floresta/ardida, das pessoas/vítimas dos incêndios e até dos Coalas/nos seus espaços agora “atacados”):

 

[Australian PM denies climate link as smoke chokes Sydney]

Australia's Prime Minister on Thursday denied his climate policies

had caused unprecedented bushfires ravaging the country

and insisted his government was doing enough

to tackle global warming.

(AFP/yahoo.com)

 

Com o Povo (como sempre e vendo os “Outros”, ficando “invejoso”) cada vez mais revoltado (sem dinheiro, sem armas e sem certificado de garantia) e com a Elite e como solução (cada vez mais farta, dos “pobres e excedentes”) − aquela que “até tem amigos que são pobres ou pretos(os dois ao mesmo tempo sendo de mais) respondendo de forma convicta e imediata (“paciente e misericordiosa”):

 

“É a Vida!”.

 

(imagens: watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:27

16
Ago 19

July 2019 was hottest month on record for the planet

Polar sea ice melted to record lows

(NOAA)

 

Much of the planet sweltered in unprecedented heat in July, as temperatures soared to new heights in the hottest month ever recorded. The record warmth also shrank Arctic and Antarctic sea ice to historic lows. (noaa.gov)

 

190815130854_1_900x600.jpg

Thermometer showing

high temperature in summer

 

Com as temperaturas médias do ar (referidas a um determinado lugar e respetivas coordenadas) − se comparadas com as anteriores registadas num mesmo período − a serem maiores em Julho, tal como o terão sido em Junho, Maio e Abril − e assim sucessivamente em todos os meses anteriores – repetindo-se numa escala de tempo mais larga o que já se passa há muito mas numa (escala) mais estreita (até porque o Universo se estende do Infinitamente Pequeno ao Infinitamente Grande), podendo-se concluir algo já constatado e registado mas ainda não completamente integrado (na nossa Memória e Cultura): que o ano de 2018 terá sido (em média) mais quente que o de 2017, este mais quente que o de 2016, o de 2016 mais quente que o de 2015 e sucessivamente nos últimos e já longos anos com o mesmo fenómeno (atmosférico/meteorológico) a replicar-se seguindo um mesmo padrão (de aumento geral e parecendo sem recuo das temperaturas).

 

Sea

(Average)

Stats

and Facts

ARCTIC

Average Arctic sea ice set a record low for July, running 19.8% below average -- surpassing the previous historic low of July 2012.

ANTARCTIC

Average Antarctic sea-ice coverage was 4.3% below the 1981-2010 average, making it the smallest for July in the 41-year record.

(fonte: ncdc.noaa.gov/sotc/global/201907/NOAA)

 

Anunciando para quem vê, não estando à espera que a Imagem se imponha (e sob o espetáculo, se subjugue) − quando o que nós queremos não é propriamente a Imagem refletida (podendo ser até de um Objeto) mas o Sujeito (hierarquicamente superior) que lhe deu forma e o criou (ao objeto) – que as Alterações Climáticas não chegaram agora mas já aí estão há muito (ou sempre cá estiveram) sendo o Degelo dos Polos (e “apenas”) uma Evidência. E que a nova Raça Dominante (o HOMEM) atualmente dominando o planeta Terra e sendo espetacularmente suportada (a raça Humana) por um aparente BOOM no nosso (Ilimitado) Conhecimento e Desenvolvimento Científico e Tecnológico − inesperado, repentino, como se algo/alguém tivesse sido impregnado, “Iluminado” – não acompanhando mentalmente toda esta Revolução e em vez de juntar continuando a separar por especialização todos os sectores da nossa Sociedade (sem Exceção)  − “conhecendo profundamente a sua terra mas nem sabendo da existência de outras” – arriscando-se a um dia sem nada que o indicasse ou justificasse, já ter sido ultrapassado, subalternizado, eliminado. Tal como os dominantes anteriores os irracionais DINOSSAUROS, sendo considerados “EXTINTOS”.

 

Num planeta evoluindo por Saltos (Civilizacionais, sendo o nosso um deles) − com diversas entidades Minero-Orgânicas que não apenas a nossa (mesmo podendo repetir-se situações) presentes − e acompanhando os Ciclos (Solares e do próprio planeta) interligando o conjunto (o Sistema Planetário, a Galáxia) e transformando-o num Universo Vivo.

 

Some

Cool Spots

Stats

and Facts

Scandinavia

Temperatures at least 2.7 degrees F below average.

Western and Eastern Russia

(fonte: ncdc.noaa.gov/sotc/global/201907/NOAA)

 

(dados e imagem/legenda: sciencedaily.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:29

02
Ago 18

[Para a Península Ibérica sobretudo na região sul – como será o caso do Algarve (e como tal de Albufeira). De momento (02:20 da madrugada do dia 2) com 28⁰C em Albufeira.]

 

New Europe Heat Wave Warning Over Saharan Air

(The Associated Press/Bloomberg.com/01.08.2018)

 

vtx.gif

Com as temperaturas a poderem atingir um máximo

(esta quinta-feira, 2)

 

“Europe is set to experience its warmest day as Spain and Portugal look likely to reach temperatures as high as 48-50 degrees Celsius later this week. Weather models are currently calculating extreme temperatures in the Iberian Peninsula. The heat is expected to build up due to hot air coming up from North Africa — particularly over southwestern Europe. It will be the hottest in the region for 41 years. Spain’s current record high is 47.3°C and Portugal has previously seen highs of 47.4°C. The current heat record for Europe is 48°C, recorded in Athens, Greece, in July 1977. Forecaster AccuWeather said it would not only be possible to break the highest temperature on the Iberian Peninsula, but also the highest temperature ever recorded in Europe.” (Claire Heffrom/euronews.com/01.08.2018)

 

rgb_temp_cross.gif

Temperatura Máxima

(em ⁰C)

 

Temperatures in Spain and Portugal could exceed 48 degrees

Breaking all-time Europe record

(Claire Heffrom/euronews.com/01.08.2018)

 

"The peak of the heat looks likely to occur on Saturday, with southern parts of Portugal or perhaps south-western Spain expected to see the highest temperatures. Temperature records for Spain and Portugal may be broken." (Claire Heffrom/euronews.com/01.08.2018)

 

(texto/inglês: o indicado – imagem: weatheronline.pt)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:20

06
Ago 17

Como é habitual no quotidiano diário de milhões de portugueses e cumprindo uma tradição que vem desde a revolução introduzida pelo desenvolvimento e generalização da indústria automóvel em Portugal (transformando o automóvel num símbolo de poder e de bem-estar), todos os Domingos e Feriados (sobretudo nas férias de Verão) os portugueses-modelo pegam no seu bólide antecipadamente aprimorado e partem como crianças (é certo que num espaço reduzido, num curtíssimo período de tempo e como se estivessem num berçário) á procura da Aventura e à Conquista de Outros Mundos.

F.jpg

Baía de Albufeira

(Verão de 2017)

 

Com o tempo mais fresco da parte da manhã deste Domingo 6 de Agosto (em Albufeira), prevê-se para hoje e pelo menos até quarta-feira (9 de Agosto) um abaixamento das temperaturas máximas (35⁰C para 28⁰C), acompanhadas por uma ligeira brisa vinda de norte e céu parcialmente encoberto (sem chuva) ‒ com a temperatura da água do mar a andar por uns agradáveis 20⁰C convidando-nos a ir à praia (ao início da manhã e ao fim do dia sendo os melhores momentos) e com os índices de raios ultravioletas a continuarem muito elevados (no Algarve UV9 numa escala de 1 a 11) a aconselhar-nos a ir para a praia preferencialmente vestidos (evitando expor as crianças mesmo usando protetor).

 

EUR 1.gifEUR2.gif

 

Temperaturas médias e índice de raios ultravioleta na Europa ‒ Previsão

(Domingo, 6 de Agosto)

 

Pelo que este Domingo com o tempo mais fresco e convidando a andar na estrada (um dos hobbies dos portugueses, mesmo em tempo de férias e suando às estopinhas), se prevê grande circulação (na EN125 porque na outra se paga), alguns engarrafamentos (sobretudo nas incontáveis rotundas) e shoppings superlotados ‒ como o localizado na Guia (a capital do frango de churrasco), tão perto do novo golfinho (da novela e do Zoomarine) e da cidade de Albufeira (a capital turística do Algarve). Sendo o ponto central (lazer e gastronomia) tendo a sul a praia e o mar (ex. praia de S. Rafael), a norte o medronho e o presunto (ex. Monchique), a leste as ostras e o atum (ex. Cacela Velha e Tavira) e a oeste as imperdíveis sardinhas (ex. Portimão) e os gostosos percebes (ex. Sagres): mas nunca esquecendo outros por comporem o cenário e fazerem desde sempre parte da cultura e da memória (do Algarve) ‒ como citrinos e frutos secos e a passagem dos mouros (obrigando-nos a visitar Silves com o seu Castelo no alto e os restaurantes junto ao rio).

 

(imagens: PA e weatheronline.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:33

05
Ago 17

Albufeira, 18:00

Temperatura: 29⁰C

(Máxima: 35⁰C Mínima: 18⁰C)

 

Este sábado com as temperaturas a sul do país (Alentejo e Algarve sobretudo na região leste) a atingirem valores a caminho e próximos dos 40⁰C ‒ e com o céu limpo e luminoso a proporcionar à superfície da terra e do mar índices elevados de raios ultravioletas (9 numa escala até 10) ‒ criaram-se todas as condições (cada vez mais alargadas e consentâneas com os desejos dos grandes contingentes turísticos) para a opção por uma das três atitudes aceitáveis e certificadas: ficar em casa, ir à praia ou ir até ao centro comercial.

 

getpicture.jpg

 Europa ‒ imagem de satélite a infravermelho

 

De momento com toda a região envolvendo o mar Mediterrânico da sua ponta mais a oeste atá à sua ponte mais a leste (todo o sul da Europa e o norte de África) a estar debaixo de uma massa de ar quente pesada e por vezes verdadeiramente asfixiante e com os parâmetros apresentados (do tempo) reproduzindo condições de sobrevivência ambientais para alguns de nós severas senão mesmo mortais (nalguns locais e para certas camadas etárias). Relembrando que períodos anteriores como este (por exemplo a última e mais recente vaga de calor em Portugal) sempre justificaram a maioria das mortes ocorridas (nesse período) sobretudo entre doentes e entre idosos (ultrapassando um milhar).

 

Hoje em Albufeira com a temperatura por volta das 17:15 a andar pelos 29⁰C (céu limpo e humidade de 57%) e com a previsão a apontar para os dias seguintes uma descida das temperaturas máximas ‒ maioritariamente com o céu a manter-se limpo e luminoso propício para valores elevados de raios ultravioletas (alertando para os cuidados a ter com a exposição solar). Temperaturas altíssimas (em torno dos 40⁰C) podendo levar à desidratação (se descurada a prevenção e a proteção) um dos caminhos mais rápidos para o colapso e uma via bem aberta para a morte (morre-se muito mais depressa se deixarmos de beber face a deixarmos de comer).

 

Face a tudo isto e apesar de ser Verão (no Hemisfério Norte) fazendo-nos mais uma vez pensar nos Efeitos Climáticos provocados pelo Aquecimento Global (cada vez com mais incêndios e crescente escassez de água) ‒ do outro lado do Mundo por contraste com tempestades e furacões a assolarem o sul da Ásia ‒ e através de um simples exercício imaginar o que será Portugal (o Algarve e Albufeira) até ao fim deste século. Com uma subida do nível da água do mar estimada para 2,5 metros até ao ano 2100, com muitas das zonas costeiras de Portugal Continental a entrarem em alerta máxima sobretudo na costa Atlântica (mais exposta) mas também nas zonas baixas como as situadas no litoral do Algarve: como na ria Formosa muralha mas de baixo-relevo (sendo a praia de Faro um desses exemplos), como na zona do Alvor certamente uma das mais afetadas (muitos locais pouco acima do nível do mar) ou então imaginando Albufeira com a sua zona mais antiga fazendo lembrar a inundada Veneza (em miniatura tal como num souvenir).

 

[Numa autêntica noite de Verão, com uma leve brisa e temperaturas na ordem dos 30⁰C.]

 

(imagem: weatheronline.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:33

19
Mai 17

Com um jacto de material gasoso (vento solar) oriundo do interior de um buraco na coroa solar (a 150 milhões de Km de distância) a chegar hoje ao planeta Terra (sexta-feira, 19) ‒ podendo atingir uma V=700Km/s e de momento nos 470Km/s) ‒ prevêem-se novas tempestades geomagnéticas especialmente a latitudes elevadas (originando tempestades da classe G2/Moderada e o aparecimento de auroras).

 

201705191200_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Imagem de satélite ‒ Infravermelho

(EUMETSAT/IPMA)

 

Com a esperada subida das temperaturas mínimas, iniciasse amanhã uma nova semana de tempo quente e sem registos de precipitação: com as mínimas a andarem entre os 16⁰C/19⁰C e as máximas entre os 26⁰C/31⁰C (hoje pelas 14:00 com a temperatura nos 23⁰C). E com a temperatura da água do mar a andar em torno dos 17⁰C/18.5⁰C.

 

iuv_prev12.jpg

Índice Ultravioleta - 19/12/2017

(Mapa estático)

 

Hoje e amanhã com os índices de raios ultravioleta na região do Algarve andando pelos UV9 (muito elevado numa escala de 1/Baixo a 11/Extremo) mas segundo as previsões a baixar para UV4 já no próximo domingo (o dia deste fim-de-semana para levar crianças para a praia ‒ com óculos de sol e protetor solar).

 

Sismologicamente nada se tendo verificado de relevante nestes últimos dias na Região do Algarve e com o sismo de maior intensidade a ser registado no passado dia 16 de Maio (terça-feira) a NW Loulé (profundidade: 14Km) e com intensidade M1.0 ‒ como tal sendo impercetível. Com uma forte probabilidade de este Verão e na continuação a nível global do aumento generalizado das temperaturas (mês após mês, ano após ano) um Verão bem quente.

 

(imagens e alguns dados: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:17

19
Jan 17

Numa semana que se prevê fria e sem chuva

(18/25 Janeiro)

 

TIGRE.jpg

Tigre

Adotado por um coletivo de residentes

Atribuindo-lhe casa própria, alimentos e até cuidados básicos de saúde

(Albufeira, 26 de Dezembro de 2016)

 

Com as temperaturas em Portugal Continental a registarem uma descida significativa a partir desta 4ª feira dia 18 (máximas e mínimas), os meteorologistas preveem para os próximos oito dias a manutenção destas condições climatéricas um pouco por todo o país.

 

Naturalmente com as regiões do interior norte a sentirem mais os seus efeitos – com temperaturas negativas, geadas e queda de neve.

 

E deixando aqui algumas previsões para quatro das cidades por onde passei e fiquei (aí habitando como domicilio habitual ou apenas temporário).

 

Habitual em Albufeira, também terra do personagem (pela sua postura e apesar da sua idade conhecido como o Tigre) inicialmente retratado:

 

Localidade

Porto

Espinho

Vila Nova de Paiva

Albufeira

Distrito

 

Porto

(litoral)

Aveiro

(litoral)

Viseu

(interior)

Faro

(litoral)

Temperatura

Mínima e Máxima

(⁰C)

0/2

11/15

 1/3

10/14

 -5/-1

3/9

 1/5

11/15

 

Céu

Limpo

a

Encoberto

Limpo

a

Encoberto

Limpo

a

Encoberto

Limpo

a

Encoberto

Vento

E

E

(maioritariamente)

NE

N

(maioritariamente)

Precipitação

(%)

0/7

0 /9

0

(exceção a 25

com 7)

0 /6

(exceção a 22

com  18)

(18 a 25 de Janeiro de 2017 – fonte IPMA)

 

Apresentando condições climatéricas suportáveis e muito semelhantes para as três localidades do Litoral português e no caso de Vila Nova de Paiva integrando as TERRAS do DEMO e a região da Beira-Baixa, com esta vila do distrito de Viseu (e sede do Município) a ter que suportar condições bem mais duras resultantes de um tempo seco e com temperaturas mínimas abaixo dos zeros graus centígrados (para Portugal bem negativas).

 

No litoral convidando ao aproveitamento (bem abrigado e protegido do vento) dos poucos mas ainda reconfortantes raios do Sol (durante o dia) e no interior convidando ao descanso e ao refúgio ao lado de uma boa lareira (durante a noite).

 

Dados

1º Sismo

2º Sismo

3º Sismo

4º Sismo

Itália Central

09:25

10:14

10:25

13:33

Coordenadas

42.66/13.22

42.60/13.24

42.59/13.36

42.45/13.21

Magnitude

5.3

5.7

5.5

5.3

Profundidade (Km)

10

10

10

10

(sismos registados hoje na região da Itália Central/Hora UTC – fonte IPMA)

 

Sismologicamente e no que diz respeito à região do Algarve (e áreas vizinhas) havendo apenas a reportar os seguintes 6 sismos todos eles pouco significativos (referidos apenas ao dia 16 e 17): W Aljezur/M1.1/16, SE Lagos/M0.6/16, SW Monchique/M0.6/17, SW Portimão/M0.7/17, SW Monchique/M1.0/17 e finalmente nas vizinhanças marítimas do sul de Portugal no Banco de Gorringe/M2.5/17. Hoje dia 18 já com outro sismo de M2.8 registado na Abissal Ibérica.

 

No entanto e como se vê, nada de relevante ou de preocupante para esta região.

 

(dados: IPMA – imagem: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:06

09
Ago 16

“Um incêndio na localidade de Ameal, em Castanheira de Pera, obrigou à evacuação da praia das Rocas e está a ameaçar algumas habitações, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria e o município.” (24.sapo.pt)

 

“Enquanto se banham tranquilamente nas Águas

Os Portugueses vão vendo o seu Ecossistema a Arder.”

 

image-download.jpg

09.08.2016

 

Com as temperaturas em Portugal Continental a atingirem um valor máximo médio de 38.2⁰C (a média de todas as máximas registadas), o passado Domingo (7 de Agosto) tornou-se o dia mais quente deste ano.

 

Tudo isto porque além do nosso território estar a ser afetado pelo movimento de uma massa de ar quente e seca, ainda temos os ventos de quadrante leste para ajudar a prolongar a festa.

 

Os maiores valores registaram-se nos distritos de Évora (44.8⁰C), Santarém (44.7⁰C) e Coimbra (44.6⁰C).

 

Sendo que em Lisboa as temperaturas mínimas atingiram um máximo histórico durante o período da noite (de sábado para Domingo), com o termómetro a marcar uns extraordinários 27.9⁰C – um máximo já com mais de 50 anos (27.8⁰C em 1964).

 

Uma justificação para que ainda hoje persistam vários incêndios em Portugal (nem sequer aqui incluindo o incêndio na Madeira), ajudados pela continuação das altas temperaturas, pelo baixíssimo teor de humidade dos terrenos e ainda pela presença constante de ventos de intensidade e direção variável.

 

Incêndios bem visíveis na imagem de satélite e afetando sobretudo hoje (terça-feira, 9) o litoral norte de Portugal. E como curiosidade com as temperaturas em Albufeira a registarem um máximo de 34⁰C (mais fresco em 3⁰C junto ao mar como na Praia dos Pescadores).

 

Última Hora (Funchal):

 

“O cenário de incêndios registados hoje no Funchal complicou-se a partir das 18:00, devido ao aumento da intensidade do vento e à alteração da sua direção, havendo algumas zonas com "fogo descontrolado", disse o presidente da câmara, Paulo Cafôfo.” (24.sapo.pt)

 

(dados e imagem: IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:59

31
Jul 16

“The temperature differential between the core and the surface (of Earth)

Is after all approximately 10,000 Fahrenheit,

With the average surface temperature being only somewhat above freezing.”

(wisc.edu)

 

intensity.jpg

Região do Cadaval – 31 de Julho de 2016 – sismo 3.4

(IPMA)

 

Neste último dia do mês de Julho de 2016 Portugal Continental registou até às 18:30 do dia de hoje cinco pequenos episódios sísmicos: com o sismo de maior intensidade a registar-se às 15:05 a NE do Cadaval (a 11Km de profundidade e de magnitude 3.4), seguido de um outro na mesma região 36’ depois (a 2Km de profundidade e de magnitude 2.1) e sendo ambos antecedidos por três outros, um às 11:15 da manhã registado a S de Lagos (a 11Km de profundidade e de magnitude 2.0), outro às 06:18 a SE de Sines (a 18Km de profundidade e de magnitude 2.1) e finalmente um outro bem a N de Portugal e mesmo junto à fronteira da Galiza registado às 05:34 a NW de Vinhais (a 7Km de profundidade e de magnitude 0.9). Com o sismo de maior intensidade registado no dia de hoje a nível Global a ser o ocorrido pelas 11:33 nas Ilhas Sanduiche do Sul (localizadas no sul do Atlântico e como que ligando o Continente Americano ao Continente da Antártida) a mais de 100Km de profundidade e de magnitude 5.8.

 

[com outro sismo registado em Portugal Continental pelas 18:49 novamente a NE do Cadaval de magnitude 1.8]

 

201607312000_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Portugal – 31 de Julho de 2016 – Imagem de satélite a infravermelho

(IPMA)

 

Numa estação do Verão que no sul de Portugal tem nos últimos dias (senão mesmo semanas) alternado dias de muito calor com dias de temperaturas mais frescas e com as previsões do estado do tempo a apontarem para Portugal Continental uma subida generalizada das temperaturas (máximas e mínimas e principalmente a partir de meio da semana), à medida que nos aproximarmos do primeiro fim-de-semana de Agosto. Com o estado do mar e a temperatura da água a não registarem alterações significativas nos próximos dias, podendo-se desse modo usufruir durante mais algum tempo das águas mais quentes provenientes do mar Mediterrânico e que levadas pelas correntes aí existentes se introduzem no oceano Atlântico. E que no sul de Portugal já provocou uma enchente de turistas nacionais e estrangeiros, agora que o mês forte das férias está aí à porta (Agosto) e que muitos destinos turísticos antes concorrentes se encontram em crise profunda (muitos deles ás moscas como é o caso da Grécia e muitos outros aos soluços como é o caso de Nice).

 

(imagens: IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:15

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO