Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

18
Jul 18

Detetada entre SOL 5101 e SOL 5107 (30 de Maio e 6 de Junho),

 

‒ Quando o ROVER CURIOSITY se encontrava a meio-caminho do Vale PERSEVERANCE localizado no flanco oeste da cratera ENDEAVOUR (mais precisamente a 1 de Junho e a cerca de 1000Km de distância)

 

A Tempestade Atmosférica (de areias e poeiras) que entretanto se desenvolveu e se tornou Global (envolvendo todo o planeta),

 

21929_PIA22486-web b.jpg

Marte

Rover Curiosity - SOL 2082 - 15 Junho 2018

 

‒ Em MARTE ‒

 

Ainda aí está bem presente e persiste (48 dias depois) ‒ afetando imediatamente o funcionamento de todo o equipamento terrestre localizado sobre a superfície marciana e até nele se movimentando: e nesse grupo se incluindo o ROVER CURIOSITY e o ROVER OPPORTUNITY.

 

Os dois únicos veículos motorizados originários da TERRA (o nosso planeta) e movimentando-se ainda hoje (ao contrário do ROVER SPIRIT já inativo) sobre a superfície sólida de um Mundo Alienígena (Marte),

 

De momento (18 de Junho) e com o continuar sem fim previsto desta Grande Tempestade (podendo durar, semanas ou meses) poupando o veículo CURIOSITY (até pelo mesmo possuir uma fonte de energia nuclear) mas não sucedendo o mesmo com o OPPORTUNITY (dado ser alimentado a Energia Solar e como tal necessitar de utilizar os seus respetivos painéis).

 

Já na passagem de SOL 5108/SOL 5111 (7 de Junho a 10 de Junho),

 

‒ Com a última imagem recebida de OPPORTUNITY a ser referida a SOL 5111 (10 de Junho)

 

21929_PIA22486-web.jpg

Marte

Rover Curiosity - SOL 2082 - 15 Junho 2018

 

Com a Tempestade Marciana a intensificar-se e a atingir violentamente o veículo motorizado (previsto para durar 3 meses e sobrevivendo mais de 14 anos), tornando em seu redor a atmosfera cada vez mais opaca e dificultando ainda mais o aproveitamento da Energia oriunda do Sol e recolhida pelos seus painéis solar (então transformada em Energia Elétrica).

 

E sem Sol e sem Energia entrando em Modo de Silêncio e deixando de comunicar (há 38 dias).

 

Mantendo-se a quilometragem (a distância total até hoje percorrida pelo ROVER): 45,16Km.

 

E então entre SOL 5112/SOL 5120 (12 de Junho a 19 de Junho) com a Tempestade Marciana Atmosférica de Areias e de Poeiras a tornar-se GLOBAL (sem sinais de querer decrescer).

 

Continuando tudo na mesma em SOL 5141 (10 de Julho) e ainda hoje (18 de Julho/SOL 5149) sem notícias (e cada dia sem notícias tornando o cenário mais negro).

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:46

16
Jul 18

“Enquanto Donald Trump se entretém (no PRESENTE) a viajar pela Terra com o único objetivo de assegurar a destruição (no FUTURO) do nosso planeta ‒ para tal vendendo ainda mais armas (essa sim e por persistência da sua utilização de destruição maciça) mas nunca esquecendo a contribuição generosa dos seus antepassados (vistos como Presidentes e Administrações) ‒ em Marte o já tão martirizado planeta (onde se diz num passado já longínquo poder ter existido água, atmosfera e até Vida) vê-se de novo e igualmente (na Terra sendo um Evento Artificial e em Marte um Evento Natural) sob uma Grande Tempestade. Sinais nos Astros do Nosso Futuro (e da contribuição do Homem para a sua própria extinção)? Sinais da nossa (próxima) Descontinuidade e Tempo/Espaço de nos assumirmos como (simples) Máquinas?”

 

https _blogs-images.forbes.com_trevornace_files_20

1

Tal como em Marte tempestade de areias e poeiras

Na Terra/Phoenix-Arizona-EUA/10.07.2018

 

Numa das muitas imagens enviadas pelo veículo motorizado OPPORTUNITY (desde o ano de 2004) a partir do Planeta Vermelho,

 

‒ Neste caso obtidas e compostas (formando um único registo) durante o 3948º e 3949º dia da sua estadia e viagem sobre a superfície marciana (e referentes a 3 e 4 de Março de 2015)

 

PIA19155 A.jpg

2A

Do veículo motorizado Opportunity

Mais de 40Km depois face ao Vale da Maratona

 

Poderemos observar através das lentes da sua câmara panorâmica e após uma viagem de mais de 40Km (uma verdadeira maratona de quase 42,2Km),

 

‒ E sobre a superfície deste planeta alienígena (no entanto e na categoria nosso irmão)

 

O que seria um dos seus novos destinos de observação o Vale da Maratona: para uma melhor orientação considerando que,

 

“The view is centered toward the east-southeast, from a location on Endeavour Crater's western rim overlooking Marathon Valley, with the floor of Endeavour beyond, and the eastern rim in the distance.” (nasa.gov)

 

PIA19155 B.jpg

2B

Do cimo de Endeavour Crater

Olhando em frente e em baixo para Marathon Valley

 

Neste ano de 2018 (já em pleno mês de Julho),

 

‒ Iniciado o Verão na Terra tal como já ocorrido igualmente em Marte ‒

 

Com uma grande Tempestade de Poeiras e de Areias a persistir há já mais de um mês (iniciada em fins de Maio), não afetando de forma relevante o Rover CURIOSITY mas colocando em Risco de Vida o Rover OPPORTUNITY (desde SOL 5111 em persistente silêncio):

 

Mars-ST-Tempe-Terra-dust-storm-Mars-Express-6_17_2

3

Tempestade atmosférica de areias/poeiras em Tempe Terra

Registada em 17 Junho de 2011

 

Desde o passado dia 10 de Junho com os cientistas responsáveis pela missão a tentarem contactar (diariamente) a OPPORTUNITY mas até ao momento sem resposta. Esperando-se ainda que o ROVER recupere (ou melhor ainda que ressuscite),

 

‒ Cada dia que passe sendo menor a esperança ‒

 

E que no decorrer (do processo) a poeira ainda levante (podendo a tempestade ainda durar dias, semanas ou meses) e com o planeta tão próximo e tão brilhante, dele ainda possamos ver algo.

 

(imagens: 1 Greg McCown/saguaropictures.com/FORBES ‒ 2 Opportunity Rover/PIA 19155/NASA ‒ 3 Mars Express/ESA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:57

14
Jul 18

[Se a houver]

 

Com a Tempestade Marciana engolindo todo o Planeta Vermelha não afetando o ROVER mais novo CURIOSITY (continuando a comunicar normalmente), mas colocando em grande risco senão mesmo decisivo o ROVER mais velho OPPORTUNITY (há já muitos dias sem comunicar).

 

NLB_584639877EDR_F0712876NCAM07753M_.JPG

MARTE ‒ CURIOSITY ROVER ‒ SOL 2108

Contactando a superfície de Marte na Cratera Gale

(a 12 de Julho de 2018)

 

Com o vizinho planeta Marte próximo de entrar em OPOSIÇÃO,

 

‒ Ou seja com o planeta em questão (Marte) estando de um dos lados da Terra e o Sol precisamente do seu (da Terra) lado oposto ‒

 

No próximo dia 27 de Julho e com o mesmo (Planeta Vermelho) a passar no seu ponto de maior aproximação (ao nosso planeta) poucos dias depois,

 

‒ A 31 de Julho a cerca de 57.600.000 Km (sendo a maior aproximação de Marte à Terra desde 2003 e com esta a ser a maior aproximação em cerca de 60.000 anos)

 

Esperava-se que a observação do planeta Marte agora que ele se encontrava tão próximo (podendo essa variar entre um mínimo de 54.600.000Km e um máximo de 401.000.000Km) seria muito mais fácil e prometedora (num fenómeno ocorrendo cada 26 meses):

 

Dada essa proximidade (mínima) entre a Terra e Marte (para além de Mercúrio e de Vénus os outros dois Planetas Interiores ‒ à Cintura de Asteroides ‒  integrando o Sistema Solar) com o Planeta Vermelho apresentando-se Maior e assim mais Brilhante (no céu noturno terrestre).

 

No entanto e apesar da já esperada declinação (meridional) podendo prejudicar a observação (de Marte), com a mesma a ficar praticamente inutilizada (nos seus objetivos) mesmo utilizando bons instrumentos óticos (com binóculos, lunetas ou telescópios) devido à Grande Tempestade Atmosférica (de Areias e Poeiras) chegando a envolver todo o planeta (iniciada já lá vai mais de um mês).

 

21_overlay_2000x1000_opportunity.jpg

OPPORTUNITY ROVER

Contactando a superfície de Marte em Meridiani Planum

(desde 24 de Janeiro de 2004 no planeta)

 

Uma Tempestade Atmosférica iniciada nos finais de Maio e atingindo todo o planeta (atmosfera e superfície), segundo os cientistas e baseados em experiências anteriores (semelhantes) podendo durar dias, semanas ou até vários meses:

 

A 12 de Julho mantendo-se ativa e para durar não afetando no seu funcionamento o veículo motorizado CURIOSITY (protegido na cratera GALE),

 

Ao contrário do sucedido com o seu companheiro mais velho o veículo OPPORTUNITY localizado noutra região marciana (numa planície mais exposta), por mais central (ao foco inicial da tempestade) sendo apanhado repentinamente (e violentamente) e só lhe dando tempo para desligar (faltando saber se voltando a ligar),

 

Com o ROVER CURIOSITY continuando a enviar-nos imagens (mostrando-nos lá bem ao fundo a prossecução da Tempestade Marciana de muito Pó e Areia),

 

‒ Suportado por uma fonte no ROVER instalada de energia nuclear ‒

 

Mas com o seu familiar OPPORTUNITY (ambos filhos da NASA) sendo dependente do SOL e dos seus painéis solares (e tendo em baixo as baterias mesmo à entrada do Verão e prontas a ser carregadas) a aparentemente colapsar deixando de comunicar.

 

Marsdust_twodates_l.jpg

TEMPESTADE de meados de 2001 EM MARTE

No início e 10 semanas depois

(partindo da bacia de Hellas e encobrindo as zonas mais escuras)

 

Mesmo assim com os responsáveis pelo ROVER a acompanharem atenta e diariamente este processo evolutivo (de recuperação de energia elétrica nas suas baterias e no reinício dos contatos normais com a Terra) esperando que a mesma Tempestade passe e que os painéis funcionem de novo,

 

‒ Apesar de que cada dia que passa (e muitos já lá vão) mantendo-se o desequilíbrio critico energético (aproximando-se perigosamente do Zero) mais improvável será a recuperação:

 

Mesmo de noite com o Rover consumindo (energia elétrica ainda existente) para se aquecer e proteger os seus instrumentos (dadas as temperaturas negativas extremas atingidas) talvez para se salvar só restando o fim imediato da tempestade.

 

(falando-se de um veículo projetado para funcionar apenas uns 3 meses e já circulando em Marte há quase 15 anos ‒ e com uma distância percorrida de mais de 45Km).

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:55

06
Jul 18

Enquanto em Albufeira se ia para a praia e se tomava banho no mar (já com o tempo bom para pôr umas sardinhas a assar), no sudoeste de França sob a iluminação de sucessivos relâmpagos, sob rajadas de vento e intensa precipitação (mesmo sob a forma de bolas de granizo, tal e qual como fossem bolas de golfe) o que se procurava era refúgio e um pouco de proteção: dado o estado do tempo (extremo como se fosse Inverno) já em pleno Verão.

 

36682084_2267789473444141_8483267386986725376_n.jpDhU8GnPXUAA0uKZ.jpg

Bola de granizo (d = 7cm) a 4 de Julho ‒ Departamento de Charente

E nuvens formando ondas (em movimento e em forma de arco) a 5 de Julho ‒ Limoges

 

Na sequência da Tempestade Meteorológica que esta quarta-feira (dia 4 de Julho) atravessou o sudoeste da França (oriunda da cordilheira dos Pirenéus), o território francês alcançou (nesse dia) um novo record no que toca à ocorrência de Fenómenos Atmosféricos Extremos ‒ neste caso envolvendo descargas elétricas (relâmpagos acompanhados dos respetivos efeitos sonoros os trovões):

 

Em 24 horas produzindo-se 36 605 relâmpagos (mais de 25 por minuto), batendo o anterior record estabelecido (curiosamente e na altura já sendo um indicativo do que poderia ainda aí vir) há pouco mais de um mês (em 28 de Maio) com 33 841 descargas elétricas.

 

Quando num período de 4 dias (1 a 4 de Julho) o território francês se viu submetido a um total de cerca de 87 000 descargas (elétricas): no dia 4 (de Julho) e só no sudoeste (de França) ‒ ou seja num único dia ‒ dando-se mais de 42% dos relâmpagos.

 

DhVC-r_X4AAQdJM.jpg large.jpg

Com mais de 87 000 relâmpagos em território francês e em apenas 4 dias (1/4 Julho)

E num só dia (4 Julho) no sudoeste de França com mais de 42% dessas descargas (elétricas)

 

E com as 87 000 descargas (em apenas 4 dias) a serem mais de metade do habitualmente registado durante todo o mês de Julho (Verão).

 

Na avaliação da passagem pelo sudoeste de França desta Tempestade de Verão (felizmente dirigindo-se para leste no sentido contrário ao da Península Ibérica) para além das inúmeras descargas salientando-se o vento forte (com rajadas súbitas de 80Km/h a 130Km/h) e a chuva intensa (com queda abundante de bolas de granizo), provocando a destruição de casas (e outras infraestruturas), de carros e de colheitas (em certos casos na altura de colher/plantar):

 

Uma situação cada vez mais vulgar de se observar (um pouco por toda a Europa), com casos muito semelhantes a estes (meteorologicamente repentinos, temporários e extremos) a ocorrer em Portugal (numa dimensão mais reduzida e afetando espaços de menor dimensão, mas inevitavelmente ‒ mais um sinal agora local ‒ com consequências mais limitadas mas em tudo idênticas).

 

36613345_2267193516837070_4503850350381367296_n.jp

Danos provocados pela queda de granizo (dimensão bola de golfe)

Ocorrida a 4 de Julho no departamento de Charente (França)

 

Algo que poderá ocorrer de repente e em qualquer local aqui por perto (mesmo na região do Algarve), durante dias com temperaturas elevadas (30⁰C/35⁰C) e tempo algo húmido ‒ convidando-nos para uma ida até à praia ‒ e subitamente vendo-se sob uma intensa Tempestade (típica de Verão) com relâmpagos e forte precipitação (líquida os sólida sob a forma de granizo).

 

Para já e para o Algarve (e obviamente para Albufeira a Capital Turística da região) não existindo ainda sinais (pelo menos que sejam evidentes para os leigos) de tal comportamento climático, prevendo-se mesmo para a semana (iniciando-se a 9 de Julho) a subida das temperaturas máximas.

 

(imagens: Météo-France/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

04
Jul 18

No dia em que nos Estados Unidos da América (ainda considerada a maior potência à face do planeta Terra) comemoram a sua Declaração de Independência,

 

PIA22520.jpg

Evolução da Tempestade de Poeiras entre 7 e 10 de Junho

(em Marte e conforme registo visusal da sonda Curiosity ‒ PIA 22320)

 

‒  A 4 de Julho de 1776 (já lá vão 242 anos) data em que as suas 13 colónias declararam a sua independência da Grã-Bretanha

 

E num momento em que no mesmo planeta (aparentemente devido à eleição de um novo Líder para essa mesma Potência Global) se vive um Tempo ARTIFICIAL de grande Indefinição política,

 

Muito próximo de nós e ainda em aproximação (à Terra),

 

‒ Atingindo a sua distância mínima de aproximadamente 57,6 milhões de Km a 31 de Julho ‒

 

Um outro planeta por acaso nosso vizinho (pertencendo igualmente aos Planetas Interiores/à Cintura de Asteroides como Mercúrio, Vénus, Terra e Marte) e com diversos artefactos terrestres movimentando-se em seu redor (orbitando-o ou circulando à sua superfície),

 

‒ Destacando-se aqui os veículos motorizados ainda em funcionamento e circulando em Marte como as sondas norte-americanas OPPORTUNITY e CURIOSITY (sob responsabilidade da NASA) ‒

 

Vê-se igualmente e pela mesma altura (início do Verão) sob um estado de Indefinição mas aqui Atmosférica ou seja NATURAL,

 

1P581919922EFFD2FCP2682L8M1.JPG

A última imagem oriunda de Marte enviada pelo Rover Opportubity

(SOL 5111 ‒ 10 de Junho)

 

Com uma Grande Tempestade (de areias e de poeiras) a arrastar-se há já mais de um mês e com a mesma (tempestade) no decorrer da sua evolução (e crescimento) a tornar-se Global e a engolir (dentro dessa espessa e impenetrável camada de pó) todo o planeta:

 

Colocando obviamente em risco todos os artefactos terrestres localizados e colocados (e desse modo expostos à força dos elementos) à superfície do Planeta Vermelho,

 

Especialmente no caso do ROVER OPPORTUNITY (num caso de Triplo Impacto),

 

- Por ser o mais velho (14 anos em Marte contra 6 do seu colega mais novo),

 

- Por ser o mais exposto (com o ROVER CURIOSITY eventualmente mais protegido no interior da cratera de GALE),

 

- E por depender exclusivamente do seu Gerador Solar (e do aproveitamento dos seus Painéis Solares) ao contrário do CURIOSITY alimentado por Energia Nuclear (nada tendo a recear com a chegada da escuridão).

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Ny

Pré-lançamento do Rover Opportunity

(Centro Espacial Kennedy/Florida)

 

Com a intensificação da Tempestade Atmosférica Marciana (Total) e com os seus efeitos (ainda visíveis) a persistirem,

 

Provavelmente com a mesma (tempestade) podendo estar a atingir o seu pico (tempestades habituais aquando da chegada do Verão a Marte), colocando-se em causa a recuperação do veículo motorizado mais idoso e unicamente solar (recorde-se que inicialmente projetado para funcionar apenas 3 meses):

 

Desde o dia 10 de Junho (dia do envio das últimas imagens relativas a SOL 5111) com o ROVER a entrar em suspensão, esperando pacientemente por melhores dias (melhores condições ambientais) e por uma possível recuperação.

 

Com os especialistas da NASA face ao PEDE (Planet-Encircling Dust Event) ainda em curso,

 

‒ No nunca pisado pelo Homem

(pelo menos no seu Molde presente, referido ao seu último Ciclo)

Planeta Vermelho

(em tempos remotos provavelmente possuindo água e atmosfera e até podendo contar com a presença de Vida),

Pelo menos desde o seu último Salto, de Espaço, no Tempo e Civilizacional

(podendo ‒ sabe-se lá ‒  uma réplica anterior à nossa já ter no passado habitado Marte e mais tarde por qualquer motivo/Evento extremo ter Saltado para outro lado, o mais próximo possível e de preferência integrando o Sistema/Solar)

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Ny

Relação entre o recarregamento das baterias solar e a opacidade atmosférica

(com a Tempestade Atmosférica descendo drasticamente o processo de carga)

 

A manterem ainda intacta a esperança no regresso do veículo motorizado Opportunity (ressuscitando-o), apesar da Meteorologia Atmosférica Extrema rodeando (com maior impacto e consequências) o artefacto terrestre (segundo eles com esta tempestade ainda a afetar fortemente cerca de 1/4 do planeta):

 

Na sua última transmissão originada no Vale Perseverança (início de Junho) prosseguindo o seu trabalho ‒ Geológico ‒ na superfície de Marte, parando então o seu movimento e a do seu braço mecânico (na altura sobre o rochedo LA JOYA) e aí se deixando dormir (tentando recuperar baterias e para isso aguardando o regresso do Sol e dos seus raios solares).

 

Deixando-nos esperançados de ainda voltarmos a estar de novo com a sonda OPPORTUNITY,

 

(como continuaremos a estar com a sonda CURIOSITY e como já estivemos com a contemporânea da sonda Opportunity a já inativa sonda SPIRIT)

 

Pelo menos enquanto as mais novas não chegarem

(entre elas a sonda norte-americana MARS 2020 e a sonda europeia EXOMARS):

 

“Opportunity is currently the longest-serving rover on the Martian landscape. Launched back in 2004, Opportunity, together with its sister, Spirit, were designed to last for a 90-day mission. Both rovers proved far more durable than expected, however, with Spirit continuing its mission for six years before falling silent in 2010 and Opportunity still going strong well into 2018. Overall, the work done by Opportunity, Spirit, as well as the nuclear-powered Curiosity, have laid the groundwork for more ambitious missions to the Red Planet. Among these are Mars 2020, a machine based on Curiosity, as well as Europe’s ExoMars rover, both of which would be sent to Mars in order to find signs of life.”

(Simon Alvarez/teslarati.com/03.07.2018)

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:56

Com a França de momento (dia 4 de Julho de 2018 e já na estação do Verão) em Estado de Alerta e já sob uma grande tempestade meteorológica,

 

‒ Segundo as previsões (e atuais constatações) afetando sobretudo o sudoeste francês ‒

 

title-1530722123.jpg

Com a região mais afetada situando-se no sudoeste francês,

(mesmo colada aos Pirenéus)

 

Colocando 28 dos seus 96 departamentos continentais (e europeus) no Nível Laranja/3 (nível intermédio entre o amarelo/2 e o vermelho/4, partindo do nível sem nenhuma previsão meteorológica de risco o verde/1),

 

‒ Ou seja quase 30% do seu continente europeu ‒

 

A Meteorologia francesa prevê (para o seu território) depois de um longo período de grande humidade e de intenso calor tendo assolado anteriormente o país (ainda na Primavera),

 

‒ Com temperaturas a ultrapassarem os 30⁰C ‒

 

A passagem de uma grande tempestade (podendo-se estender mais ou menos no tempo) com descida de temperatura, vento forte e trovoadas (e queda de granizo):

 

Tendo como origem os Pirenéus, deslocando-se para nordeste e atingindo a França (a sudoeste),

 

860_grele.jpg

Queda de Granizo na comuna de Soumulou/Pirenéus

(Laurent Etchamendy/4 Julho 2018)

 

E deixando para as outras (a oeste) as margens e os seus (da tempestade) pequenos (e colaterais) efeitos.

 

(sendo o caso da Ibéria e da sua ponta em Portugal ‒ e sendo assim no Algarve)

 

- Em França já depois da chegada da tempestade e da colocação de mais 3 departamentos em Alerta Laranja (e já em pleno Verão continental),

 

Com chuva intensa caindo sobre todo o sudoeste do seu território acrescido de forte queda (em certas regiões) de granizo (um fenómeno mais típico de outra estação que não o Verão).

 

Levando as autoridades francesas a manterem o alerta anteriormente declarado,

 

Podendo a mesma tempestade ser acompanhadas por fortes ventos e trovoadas (precedidas das respetivas descargas elétricas, os relâmpagos) e a outros contratempos (entre eles sociais como os de proteção/segurança) a estas condições climatéricas associados.

 

870x489_20180703_1510170.jpg

Inundações devidas a intensa precipitação na comuna de Quetinhy/Dijon

(Stéphanie Perenon/Radio France/4 Julho 2016)

 

- Já em Portugal e no Algarve particularmente em Albufeira (baseando-nos em dados fornecidos pelo IPMA),

 

‒ Às 17:00 do dia 4 de Julho de 2018 (quarta-feira), com o céu apresentando-se parcialmente nublado e com a temperatura do ar a registar 25⁰C

(sem precipitação, com vento moderado e com humidade nos 43%)

 

Com a previsão a apontar para os próximos dias (5/6/7/8 de Julho a caminho e incluindo o próximo fim-de-semana),

 

Céu pouco/parcialmente nublado (por vezes por nuvens altas) e sem previsões de precipitação (0%),

 

Acompanhado de vento moderado (sobretudo de Norte) e temperaturas do ar oscilando entre um mínimo de 16⁰C e um máximo de 32⁰C (mantendo-se as mínimas e subindo as máximas).

 

Diferente (a previsão da meteorologia francesa/sudoeste de França, comparando-a com a portuguesa/sul de Portugal) como do Dia para a Noite.

 

(imagens: lalsace.fr ‒ francebleu.fr)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:52

28
Jun 18

[E os Rovers]

 

NASA recently declared about suspensions of science operations for its Opportunity rover in the wake of the massive dust storm on Mars. NASA is waiting for the storm to blow over before it could resume its operations.

(Shazma Khan/brecorder.com/12.06.2018)

 

Mais uma imagem (referida a SOL 2094) enviada pelas câmaras do veículo motorizado CURIOSITY circulando na superfície do planeta Marte (com o outro e mais velho a ser o Rover Opportunity circulando na MERIDIANI PLANUM desde 23 de Janeiro de 2004) ‒ no interior da cratera GALE ‒ desde 6 de Agosto de 2012: no dia 27 de Junho de 2018 disponibilizando-nos mais um cenário da típica paisagem marciana (com a sua cor avermelhada devido à presença de óxido de ferro), neste caso com todo o Planeta Vermelho engolido por uma Tempestade de Poeiras Global (iniciada há cerca de um mês) impedindo a passagem dos raios solares e dificultando a visibilidade: e afetando obviamente todo o equipamento colocado na superfície do planeta Marte, estando nesse caso as sondas (não as orbitais) e os seus módulos de superfície ‒ como o de aterragem e os rovers.

 

NLB_583391195EDR_F0710996NCAM00281M_.JPG

Com a Tempestade Global ainda presente

Marte ‒ 27 Junho 2018 ‒ Cratera Gale

(Curiosity Rover ‒ Sol 2094)

 

E dos dois veículos motorizados circulando no planeta ‒ Rover Curiosity há 6 anos e Rover Opportunity há 14 anos ‒ com o equipamento/funcionamento a ser mais afetado por esta Grande Tempestade Global (atmosférica e extrema e como tal afetando a superfície) a ser o da sonda mais velha, não só devido à sua idade adiantada (uma sonda inicialmente prevista para durar alguns meses e já resistindo mais de uma dezena de anos ao Inferno térmico e tóxico/radioativo marciano) como a ser apenas alimentada por um gerador funcionando a Energia Solar (painéis solares): impossível de recarregar nestas circunstâncias de tempestade atmosférica (dificultando a passagem da luz oriunda do Sol) e obrigando o Rover Opportunity a entrar em Estado de Suspensão (até ao fim da Tempestade, preservando um mínimo de segurança, de energia necessária a um novo arranque).

 

6471_odometry_chart_update_140728_copy-full2.jpg

Comparação das distâncias percorridas até Junho de 2018 pelos veículos motorizados circulando na Lua ou em Marte

(estando apenas ativos os Rovers Opportunity e Curiosity)

 

Mas não afetando do mesmo modo o Rover Curiosity (muito mais novo que o seu irmão 2,5 X mais velho Opportunity), equipado como está de uma fonte de energia nuclear e assim não dependendo da receção ou não dos raios Solares.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:49

24
Jun 18

Dust storm on Mars intensifies covering the whole Red Planet

(Steven Anderson/newsspaceflight.com/23.06.2018)

 

adeb250628eb4ac1a95c946aa00ef904.jpg

Uma Gigantesca Tempestade (de areias e de poeiras) observada desde o início do mês de Junho, há cerca de uma semana cobrindo 1/4 da superfície marciana e no presente afetando (engolindo) todo o planeta Marte ‒ e colocando em risco o funcionamento futuro do Rover Opportunity (impedindo de carregar as suas baterias devido à ausência de luz-solar)

 

A dust storm has been growing very rapidly since the last week in Mars. Only a week ago, the dust storm covered about one-fourth of the planet; it has not covered almost the whole planet.

 

NASA’s nuclear-powered Curiosity is clicking pictures of the Martian land which cannot be seen due to the excessively dark sky as a result of the storm. The storm has caused a bit of trouble for the agency as its Opportunity rover went offline since it couldn’t receive sunlight anymore. 

 

Also being called as a “global weather event,” NASA officially regarded it as a “planet-encircling,” or “global,” dust event.

 

This event is not one of a kind. A similar “global” dust storm occurred back in 2007 in Mars.  This came after the Opportunity Rover started exploring the plains of Meridiani Planum on Mars in 2004. The dust storm of 2007 had resulted in the loss of communication with Opportunity rover for some days caused by the lack of power in the rover due to blockage of sunlight. 

 

NASA reported a loss of contact with the Opportunity rover on June 12 when it didn’t respond to a check-in call. It is assumed that the rover is operating at low power and occasionally powering up to check whether batteries have charged enough to communicate back on Earth. As of now, all operations have stopped temporarily by the rover while it waits for the storm to calm down.

 

Mars_duststorm.jpg

Uma Tempestade Atmosférica (vislumbrada pela 1ª vez a 1 de Junho) envolvendo atualmente toda a superfície marciana (tal como em 2001 e 2007) ‒ como se pode ver nesta imagem do antes e durante (do Evento) relativa ao ano de 2001 ‒ mas agora podendo afetar os Rovers anteriormente não estando presentes (sobretudo o mais velhinho o Opportunity)

 

The space agency was positive about the endurance of Opportunity rover to the extreme environment on Mars and said that the batteries could stay warm enough to function. But it was also told that the atmosphere is so filled with dust that accurate measurements were very much not possible for the rover.

 

The storm has affected the working of the rover. However, NASA officials said that the wind was not as big as the one back in 2007, which the rover survived. Compared to the present, dust storms seen by NASA’s Mariner 9 spacecraft and Mars Global Surveyor were much larger. 

 

NASA’s Curiosity may not be affected by the dust storm, but the thick atmosphere is making it challenging to capture visible photographs for the scientists. 

 

An update from NASA officials said that the storm shows “no sign of clearing.” The scientists also fail to answer why specific dust storms cover the whole planet while others fade away in mere weeks.

 

(texto/inglês: Steven Anderson ‒ imagens: cgtm.com e wallstreethedge.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:01

16
Jun 18

mars-1971-1988-2003.jpg

1

Observando o planeta Marte com a maior aproximação à Terra a ser a de 2003

(utilizando para tal um telescópio)

 

Quando o planeta Marte desde o início de Junho (deste ano) se apresenta no céu noturno terrestre (e ao contrário do que tem acontecido nos últimos anos) cada vez mais brilhante e inicialmente confundindo-se com uma estrela (mas não cintilando não o sendo),

 

‒ Consequência da sua aproximação à Terra atingindo o seu mínimo a 31 de Julho quando estiver a uma distância de apenas 57 590 000 Km do nosso planeta (a sua anterior maior aproximação tendo-se registado em 2003 a 55 760 000 Km da Terra)

 

Sugerindo-nos para os próximos espetáculos (celestiais e noturnos) e para os próximos tempos (e tal como aconteceu há 15 anos atrás) situações muito semelhantes (talvez não tão intensas) com aquela a seguir referida,

 

MarsAeschliman_l.jpg

2

Marte em finais de Agosto de 2003

(no momento da sua maior aproximação à Terra)

 

“For a few months, Mars was exceedingly spectacular in our sky, outshining all the stars and planets except brilliant Venus” (Deborah Byrd/Earthsky/21.05.2018)

 

Talvez pelo mesmo se encontrar em aproximação à Terra e ao Sol (hoje sábado 16 de Junho encontrando-se a mais de 77,2 milhões de Km da Terra e a mais de 214,9 milhões de Km do Sol) e simultaneamente numa mudança de Estação anual (tal como na Terra com as suas 4 Estações) num dos seus polos o Inverno no outro o Verão,

 

Eis que uma Gigantesca Tempestade (de areias e poeiras) atinge a superfície marciana.

 

Imagens (figuras 3 e 4) da grande Tempestade de Poeira atingindo a superfície marciana ‒ iniciada a 31 de Maio e estendendo-se até 11 de Junho ‒ disponibilizadas (respetivamente) pelas câmaras do ROVER CURIOSITY e pelo instrumento ótico MARCI equipando a sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter): dada a sua grande extensão (da tempestade) afetando as tarefas desenvolvidas na superfície de Marte pelos ROVER CURIOSITY e OPPORTUNITY.

 

PIA22520.jpg

3

Visão da Tempestade de Poeiras em Marte de Junho de 2018

(CURIOSITY ROVER ‒ SOL 2074 e SOL 2077)

 

Na figura 3 mostrando-nos os efeitos provocados pela tempestade de poeiras (e de areias) no interior da cratera GALE, evoluindo de uma forma crescente (tornando-se cada vez mais intensa) durante um período de 3 dias e afetando notoriamente a visibilidade à sua superfície (da cratera). Com a imagem da esquerda a oferecer-nos o limite E-NE da cratera Gale a 7 de Junho e a imagem da direita a mesma vista mas a 10 de Junho (pior visibilidade).

 

PIA22519 A.jpgPIA22519 B.jpg

4

Tempestade Gigantesca de Poeiras em Marte ‒ 2018

(MRO ‒ PIA 22519)

 

Com a expansão desta grande Tempestade ‒ de Areias e Poeiras (com uma dimensão idêntica à da América do Norte) ‒  afetando há cerca de quinze dias a atmosfera e a superfície marciana, com a mesma a poder afetar equipamentos (terrestres) no terreno como módulos de aterragem ou Rovers (2 norte-americanos como os da figura 4): dos veículos norte-americanos (motorizados) movimentando-se em Marte (à sua superfície) com a Tempestade a afetar menos o ROVER CURIOSITY (menos exposto), enquanto noutra zona do planeta devido à maior intensidade da mesma (tempestade) e à dificuldade dos raios solares em atravessarem a atmosfera (carregada de poeiras suspensas) com o ROVER OPPORTUNITY (com a sua bateria em baixo e levando com a Tempestade em cima) a ser obrigado a proteger-se e a entrar em Modo de Espera. E dos módulos orbitais (como será por exemplo o caso da sonda chinesa MOM/Mars Orbiter Mission da responsabilidade da Agência Espacial Chinesa ISRO) circundando o planeta, com a sua altitude ‒ cerca de 300Km para a MOM ‒ protegendo-as da Tempestade.

 

(imagens: nakedeyeplanets.com ‒ skyandtelescope.com ‒ photojournal.jpl.nasa.gov

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:43

29
Mar 18

Sem Desespero

(se não for agora será para a próxima)

À Espera de Irene

 

hurricane-irene-jersey-shore-cartoon-598x500.jpg

Nos EUA com um familiar afastado, o Furacão Irene

(ocorrido em Agosto de 2011 e aí sim sendo uma verdadeira tempestade)

Apesar do humor introduzido pelo cartoonista

(e como se afirma de seguida)

Afetando uma população de cerca de 60 milhões de pessoas

(provocando 40 vítimas mortais e 11 mil milhões de dólares de prejuízo)

 

Com a chegada de uma nova tempestade (a partir de sexta-feira) até ao momento ainda não tendo sido confirmada – não se conhecendo muito bem a intensidade do seu impacto e como tal não tendo sido ainda oficialmente batizada (depois de Hugo e seguindo as letras do alfabeto) como Tempestade IRENE – como medida de segurança e de proteção o IPMA acaba de lançar um aviso (meteorológico) de Alerta Laranja para 7 distritos do país (continente): particularmente para a grande agitação marítima prevista (com ondas podendo alcançar os 11 metros de altura) atingindo mais intensamente todo o litoral de Viana do Castelo (a norte junto ao Minho) à região de Lisboa (no centro junto ao Tejo).

 

E como tem ocorrido sistematicamente na passagem destas Tempestades agora sendo catalogadas (desde Dezembro de 2017) por Agências Meteorológicas de 3 países europeus, ocidentais e próximos (Portugal, Espanha e França) – tempestades Ana, Bruno, Carmen, David, Emma, Félix, Gisele, Hugo – com as previsões acompanhando esta tempestade denominada ou não como Irene (veremos se é assim tão intensa para merecer esse título) a sugerirem a chegada (logo esta sexta-feira) de chuva forte e rajadas de vento (sobretudo a norte), durante o fim-de-semana espalhando-se a todo o território com precipitação e queda de neve (acima de 800 metros).

 

No que diz respeito às temperaturas talvez se registando uma ligeira descida, mas mantendo-se no limite do facilmente suportável: com as mínimas a variarem entre os - 3⁰C (terras altas) e os 10⁰C (generalidade do país) e com as máximas a andarem entre os 15⁰C e os 18⁰C. Para uma tempestade apresentando um tempo bem aceitável, nada tendo a ver com Mau Tempo (como se dizia antigamente) especialmente (estando-se) no Algarve (por exemplo em Albufeira): com as previsões para este próximo fim-de-semana (de Páscoa) em Albufeira a apontarem para céu nublado com posibilidade de aguaceiros, vento moderado e temperaturas a variarem entre os 9⁰C/20⁰C (mínima/máxima). Segunda-feira dia 2 de Abril (segundo essas previsões e já depois do Dia das Mentiras) regressando a chuva.

 

(imagem: Hurricane Irene Hits Jersey Shore, Cast Among Casualties Cartoon/cartoonday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:21

Agosto 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO