Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Tempestade Arwen ─ A Europa sob o ar gelado do Círculo Polar Ártico

Domingo, 28.11.21

Confirmando anteriores previsões do IPMA prevendo para este fim-de-semana (e dias seguintes) ─ no concelho de Albufeira ─ céu nublado a pouco nublado (maioritariamente este último) e sem chuva, temperatura média entre os 5°C (de mínima) e os 18°C (de máxima) e tempo com acentuado arrefecimento noturno (pelas 20:30 de hoje tendo-se já uma sensibilidade térmica de 8°C), com os efeitos da tempestade Arwen a persistirem:

Powerful winds brought by Storm Arwen affected a wide swathe of the United Kingdom on November 26 and 27, 2021, leaving as many as 143 000 customers without power. The storm is now pushing frigid Arctic air toward Europe and bringing snow to Spain.

(watchers.news/Teo Blašković/27.11.2021)

CreativeEducatedGrayling-mobile.jpg

Tempestade Arwen

(previsão: 28.11.2021 - 00:00)

 

Oriunda de Norte e atingindo de imediato o Reino Unido, com a tempestade a continuar a evoluir (oriunda dos ares gelados do Ártico), descendo de latitude e começando a invadir a Europa. Transportando esse ar frio polar entre outras direções para a Península Ibérica, originando tempo frio (descida de temperaturas) e mesmo queda de neve (zonas mais elevadas) ─ e em Portugal sentindo-se igualmente os efeitos:

Heavy snow has already fallen over Valladolid and Palencia, Castilla y León, on November 26. The region can expect as much as 35 cm of snow in areas above 800 m and 1 000 m today.

(watchers.news/Teo Blašković/27.11.2021)

Prevendo-se assim a manutenção desta situação meteorológica pelo menos para os próximos sete dias (até o próximo sábado, dia 4 de dezembro), afastando-se certamente a hipótese de chuva sendo esta substituída agora por tempo mais frio, no entanto não descurando a hipótese de o frio poder vir a ser acompanhado por vento em vez de moderado, um pouco (um nadinha) mais forte.

(imagem: gfycat.com/watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:10

A CME de 28 afinal passou ao lado

Segunda-feira, 01.11.21

Estragando para muitos (pelo menos desde os 45° de latitude) a iluminação extraordinária ─ a intensa Aurora ─ esperada para este Halloween.

Harlan-Thomas-Dewitt-Pond-Aurora-103121-1_16356968

Alberta

55° latitude Norte

31.10.2021

Tempestade de Halloween e Nascer-do-Sol

 

Num Mundo definido por nós (o Homem, o centro deste Mundo) como sendo intemporal e infinito, onde tudo o que acontece (não tendo princípio nem fim) certamente nunca mais se repetirá (semelhante, não igual) ─ os potenciais Mundos Paralelos, apenas nos oferecendo alternativas ─ sendo lógico e natural que algo tendo sido previsto (mesmo que em circunstâncias aparentemente idênticas), por vezes não se confirme, não ocorrendo: sendo esse o caso da mancha solar AR2887, depois da ejeção dessa região do Sol de massa da sua superfície (coroa solar) diretamente dirigida para a Terra ─ uma CME ─ com a mesma (ao contrário do que se supunha) acabando por não atingir o nosso planeta, passando ao lado. A confirmação de uma pequena suspeita de que aquando da explosão solar (registada há três dias atrás e provocando uma CME de classe X-1/intensa), o primeiro material ejetado pelo Sol (a partir da mancha AR2887) poderia seguir um caminho lateral abaixo da linha (ideal no sentido de a atingir, impactar com a atmosfera terrestre), ligando o Sol à Terra: tal tendo efetivamente sucedido, com o impacto da CME a ser muito mais fraco do que se esperava, não proporcionando como já se perspetivava um Halloween brilhante e colorido, na realidade e não acompanhando a celebração, sem Auroras grandiosas até mais baixas latitudes (do que é usual). Restando apenas no próprio dia (como manifestação terrestre desse evento solar) a chegada avançada dessa “onda solar” (as partículas mais energéticas) ─ a luz como se sabe demorando apenas pouco mais de oito minutos para percorrer os 150 milhões de Km da distância Terra/Sol ─ provocando problemas nas comunicações (aéreas, terrestres, marítimas) especialmente na onda curta de rádio (estática) e mesmo blackouts. Mas com ausência de Auroras mesmo abaixo ou perto dos 45° de latitude (espera infrutífera, para o que se esperava/desejava para a festa deste fim-de-semana) perdendo o Halloween, perdendo as Bruxas … tudo porque algo se perdeu no Espaço (de momento com o vento solar nos 415Km/s).

(dados/imagem: Harlan Thomas/spaceweathergallery.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:05

Seguindo-se à CME, a Aurora

Sábado, 16.10.21

Ainda no início deste 25º Ciclo Solar, com a atividade do Sol a parecer querer crescer de atividade mais do que se previa (baseando-se até na sua atividade no ciclo anterior, sendo relativamente fraco), originando recentemente uma CME provocando uma tempestade geomagnética da classe G2 (moderada).

Terry-Brown-9F89C5D2-A38B-472C-AD7B-34AC90873AC1_1

Aurora

October 12, 2021

Saskatoon Canada

 

Tendo como resultado o aparecimento de AURORAS a cerca de 35.000 pés de altitude:

"While flying from New York City to Anchorage on Oct. 12th,

we saw auroraa nearly the entire flight. "

(Terry Brown/spaceweather.com)

Terry-Brown-CCA470C4-3101-4E47-A860-8F72461CBAE2_1

Aurora

October 12, 2021

Saskatoon Canada

 

Um novo Ciclo Solar a caminho de um pico máximo de atividade previsto para daqui a 3/4 anos, para já proporcionando uma das mais intensas tempestades geomagnéticas dos últimos anos e uma das suas mais visíveis consequências, as Auroras:

“The colors and the movement were the best

everyone in the crew could ever recall experiencing."

(Terry Brown/spaceweather.com)

Tudo como resultado de uma CME originária da mancha solar AR2882, prestes a desaparecer devido ao movimento de rotação solar (realizado em cerca de 25 dias, a uma de V=2km/s).

(imagens/legendas: Terry Brown/spaceweathergallery.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:15

Ao SOL, respondendo AURORA

Segunda-feira, 22.03.21

Com a evolução deste novo ciclo solar (25º, no seu início) e de novo a caminho (num ciclo médio de 11 anos) de um pico máximo (de atividade), aumentando sobre nós a ação dos Raios Solares ─ parecendo ter más intenções, mas não as tendo ─ com estes sobrepondo-se e protegendo-nos dos (mais perigosos, penetrantes e intrusivos) Raios Cósmicos: proporcionando ainda a alguns um espetáculo ótico de luz & cores, reafirmo (sem ver) inesquecível.”

 

Greg-Ash-494C4439-9A92-496D-9BE1-C0629A77DF75_1616

Aurora ─ Duluth ─ Minnesota

(a latitude norte)

 

Tendo como remetente o SOL e sendo lançado ontem (sábado, 20 de março) em direção ao Espaço envolvendo a nossa estrela (constituindo um Sistema Planetário ─ o Sistema Solar ─ com o Sol no seu centro), enquanto sentimos já os efeitos da chegada até nós (na TERRA) de mais uma manifestação do SOL ─ o “vento solar” ─ atingindo o Campo Magnético Terrestre e provocando uma tempestade geomagnética da classe G2 (curta mas intensa) ─ originando o aparecimento de AURORAS (a partir do mesmo dia 20) ─ preparando-nos por outro lado e de imediato para a chegada de mais uma sua manifestação: a partir do próximo dia 23 de março (terça-feira) apesar de não diretamente direcionada chegando à Terra uma CME (ejeção de material oriundo da superfície ou coroa do Sol), uma “nuvem de tempestade” atingindo-nos e ao campo magnético (colocando-nos em alerta pelas consequências, neste caso como habitual e felizmente, sobre o reaparecimento de auroras). Com os felizardos deste grandioso espetáculo a residirem preferencialmente a maiores latitudes (como EUA e Canadá): não sendo STEVE, mas AURORA ─ aqui como vista a partir da cidade de Duluth (cerca de 50° de latitude) localizada no Minnesota (EUA).

 

Ian-Griffin-aurora-storm_1616266170.jpg

Aurora Australis ─ Voo charter ─ Tempestade geomagnética

(a latitude sul)

 

Um fenómeno como o aparecimento de AURORAS ─ comum de se ver frequentemente nestas alturas do ano (Primavera) ─ com o “vento solar” (e as suas partículas) aproveitando as falhas aparecendo no campo magnético terrestre, para de seguida se introduzir na atmosfera e nos proporcionar um SHOW ELETROMAGNÉTICO BRILHANTE, COLORIDO, DESLUMBRANTE, podendo ser considerado uma das obras-primas da Natureza. Visível a Norte tal como visível a Sul: no segundo caso tal como a registaram a bordo de um voo charter 275 pessoas vindas da Nova Zelândia, viajando pelo Oceano Sul em busca da dita “fada perdida” (para aqueles infelizes que nunca a viram, presencialmente e tal como eu, um simples e sedentário “António”) AURORA ─ e logo num Equinócio, com o extra da presença de uma tempestade solar de classe G2, abrilhantando ainda mais este característico (da Terra tendo atmosfera, campo magnético) SHOW NATURAL TERRESTRE. Que certamente alguém de fora (como ARMSTRONG/ALDRIN) já terá reparado antes (mesmo do interior, como CARL SAGAN), até vindo de muito longe de um desconhecido “Outro Mundo” (Interestelar como o de OUMUAMUA), vendo a crescer desde pequeno um ponto não-escuro, mas inicialmente Azul-pálido, cada vez mais brilhante e intenso, num tom de azul bem-penetrante.

 

(imagens/spaceweather.com: Greg Ash/20 março 2021/@Duluth Minnesota

─ Ian Griffin/20 março 2020/@Southern Ocean)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:42

Depois da Tempestade Dennis

Quarta-feira, 19.02.20

[Outra Tempestade a chegar, colocando de novo (entre outros) os UK, em Alerta Meteorológico.]

 

Dennis will be followed by another intense North Atlantic storm tomorrow

– A bombogenesis phase is emerging, should deepen for another 40 mbar.

(Marko Korosec/18 February 2020/severe-weather.eu)

 

26_A_sfc_full_ocean_color.png

 

Update on the new intense North Atlantic cyclone – explosive development underway!

(Marko Korosec/19 February 2020/severe-weather.eu)

 

“A rapidly developing extra-tropical cyclone is looking more impressive on the satellite, gradually developing hurricane-force winds around its core. With the pressure drop of around 35 mbar during the past 24 hours, the system is classified as a ‘bomb cyclone’. Its future impact remains on track with the previous discussion, it will push violent windstorm between Iceland and Faroes, but also severe to extremely severe winds over broader area.” (Marko Korosec/severe-weather.eu)

 

bomb-cyclone-to-hit-western-europe-feb-19-2020.jpg

 

E assim depois da passagem da tempestade DENNIS (e da tempestade CIARA), com o noroeste da EUROPA fazendo frente ao ATLÂNTICO (de onde vem o MAU TEMPO) preparando-se para a chegada de uma nova tempestade, colocando de novo em Alerta (por mais expostos) o Reino Unido, a República da Irlanda e a Islândia (em princípio com Portugal para lá das bordas, deste ciclone extratropical).

 

(imagens: severe-weather.eu − wxcharts.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:41

3 Eventos em 3 Dias

Quarta-feira, 12.02.20

[Notícias − watchers.news]

 

Numa rápida olhadela a alguns sites da web de âmbito não propriamente político (não sabendo bem o que tal significa para o Homem, onde tudo para o mesmo é política), caindo rapidamente em watchers.news e em três das suas notícias, podendo-se afirmar sem intenção não serem boas, nem más, nem sequer fake news: (1) a poderosa tempestade afetando o Reino Unido, a República da Irlanda e ainda o noroeste da Europa, (2) a queda de neve registada em Bagdade (capital do Iraque) e finalmente (3) a queda de um meteorito em Alwar (cidade da Índia).

 

(1)

Powerful windstorm wreaks havoc across northwestern Europe,

causes widespread disruption and flooding

 

au-flood-feb-10-2020.jpg

Tempestade Ciara

Chuva intensa, ventos fortes e grandes inundações

 

A powerful windstorm, named Ciara by the UK Met Office, hit Ireland and the United Kingdom on Saturday, February 8, 2020, and parts of Northwestern Europe on Sunday, bringing very strong winds and heavy rain. Ciara caused widespread disruptions, travel chaos, and major flooding. As of Monday morning, February 10, the storm claimed at least 5 lives 1 in the UK, 2 in Poland, 1 in Sweden and 1 in Slovenia. Ciara is the third named storm of the 2019/20 European windstorm season. (Julie Celestial/10.02)

 

(2)

Rare snowfall blankets Baghdad

for the second time in more than 100 years, Iraq

 

baghdad-iraq-rare-snow-feb-11-2020.jpg

Bagdade pintada de branco

Acordando na capital do Iraque com uma rara queda de neve

 

 

Residents of Baghdad, Iraq woke up to the city blanketed in rare snow on Tuesday, February 11, 2020 a sight last seen in 2008 and the second time in more than a century. According to the Iraqi Meteorological Organization, the country is exposed to a cold polar air mass which peaked on the same day. (Julie Celestial/11.02)

 

(3)

Meteorite crashes into Alwar factory compound in Rajasthan,

leaves 6 m (20 feet) deep crater, India

 

india-meteorite-feb-12-2020.jpg

Queda de meteorito na Índia

Com a explosão de um meteorito iluminando a localidade de Alwar

 

A meteorite crashed into a factory compound in Rajasthan's Alwar village, India early Tuesday local time, February 11, 2020, leaving a 6 m (20 feet) deep crater in the compound. The event was captured on videos, showing the sky lit up as the meteor pummels into the ground. No building damage has been reported. (Julie Celestial/12.02)

 

(texto/inglês e imagens: watchers.news)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:40

Albufeira e a Tempestade Gloria

Terça-feira, 21.01.20

Imagem de satélite

Infravermelho

21.01.2020

22h UTC

 

202001212200_msg2_msg_ir_piber.jpeg

Península Ibérica

 

Com a grande tempestade GLORIA instalada no Mediterrânico (e transportando consigo grandes quantidades de poeira oriundas da Argélia) a assolar de momento o norte de Marrocos e o sul de Espanha (p/ esta parte do território espanhol talvez pela sua intensidade sendo histórica) − particularmente a Catalunha e toda a costa sul até ao estreito de Gibraltar (e com as poeiras colorindo cor-de-café partes desta região) – provocando no mar (devido à ação do vento forte, em terra atingindo os 120Km/h) ondas podendo ultrapassar os 9 metros de altura (transpondo mesmo as proteções costeiras) e em terra inundações (devido à forte pluviosidade) e queda de neve em altitude (acompanhadas de forte arrefecimento noturno e de temperaturas negativas), eis que no seu trajeto em direção a oeste (na Península Ibérica) e já nos tocando com os efeitos provocadas pela ação (meteorológica) das suas bordas (no Algarve para além da agitação marítima com temperaturas baixas e acentuado arrefecimento noturno), as previsões meteorológicas (confirmadas pelo IPMA) apontam para a chegada da chuva esta quarta-feira (22 de Janeiro).

 

SnapShot-20200121_231803.jpg

Vista do Hotel Sol e Mar

(hoje à noite)

 

Esta quarta-feira 22 de janeiro com a CHUVA a chegar a ALBUFEIRA (com o seu pico máximo a ser previso para sexta-feira, 26), prevendo-se a sua permanência até o fim do próximo fim de semana (domingo dia 26 aliviando, prevendo-se apenas céu algo nublado). Com as temperaturas até domingo (não incluído) a manterem-se entre os 8°C/9°C de mínima e os 14°C/15°C de máxima (com vento moderado) − temperatura da água do mar por volta dos 15°C/16°C − e com o céu a apresentar-se entre chuva fraca/chuvisco e chuva/aguaceiros. Ou seja, nada de anormal sucedendo meteorologicamente falando mantendo-se amanhã o tempo de hoje, mas agora bem molhado. Durante a passagem da tempestade GLORIA (talvez só de alguns efeitos) sobre Portugal podendo-se esperar ventos fortes (100Km/h nas terras-altas, mais expostas), chuvas e aguaceiros (por vezes intensos) e descida generalizada das temperaturas. Nada mais que mais um dia de Inverno.

 

(imagens: 2012 EUMETSAT/IPMA ipma.pt − albufeira.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:25

Impacto Maciço Atinge Sidney

Sábado, 22.12.18

[Que não de um asteroide – de um Hillary ou de um Trump – mas declarando-se de imediato – nem que seja para os inocentes – o Estado de Emergência.]

 

1.jpg

Tempestade sobre Sidney

A 20 de Dezembro com granizo e ventos fortes

(Curious_Coco@TheCuriousCoco/twitter.com)

 

Localizada num território insular (de 7,7 milhões de Km² de área) exterior à ponta ocidental da famosa “ferradura” existente no norte dooceano Pacífico

 

– Constituindo ao longo de uma extensão de mais de 40.000Km, indo da Nova Zelândia à costa oeste da América Central e passando pelo Alasca e pelo Japão, o Anel de Fogo do Pacífico –

 

2.jpg

Nuvens de Tempestade

Observadas na véspera a 19 de Dezembro

(Michael Achilles@PORTABLEAIRSYD/twitter.com)

 

E conhecendo-se tal parte da Terra interior a esse Anel como uma das mais geologicamente ativas existentes à superfície do nosso planeta (com constantes movimentações de diversas placas tectónicas, erupções vulcânicas, sismos e ainda tsunamis), como se já não bastassem todos estes fenómenos geológicos (mais ou menos extremos) assolando diariamente toda esta zona do Globo Terrestre, eis que outros acontecimentos que não ligados aos nossos constituintes sólidos (ou seja a fenómenos ocorridos na crosta terrestre e zonas inferiores) nos vêm agora envolver (e obviamente condicionar nos nossos movimentos) mas agora oriundos da Atmosfera:

 

4.jpgDu1t12kUwAAmaKo.jpg

Queda de granizo a 20 de Dezembro

Como se pode constatar com dimensões de uma bola de ténis

(Maher@Maherdabba8h/twitter.com e Weatherzone@weatherzone/twitter.com)

 

Com o estado australiano de Nova Gales do Sul nele incluindo a sua capital Sidney a ser na passada quinta-feira (anteontem) intensamente bombardeado por inúmeros objetos redondos e sólidos em forma de bola (do tamanho de uma bola de ténis) e caindo do céu e com tal ocorrência (atmosférica – acompanhada de ventos fortes facilmente ultrapassando os 100Km/h) sucedendo unicamente como resultado de múltiplas e severas tempestades abatendo-se sobre a região, sobre a forma da queda de grandes bolas de granizo e provocando (com os violentos e perigosos impactos) grande destruição.

 

5.jpg

Granizo com semelhanças com bolas de ténis

Estragos materiais provocados pela passagem da tempestade

(Maher@Maherdabba8h/twitter.com)

 

E como consequência imediata levando ao encerramento de aeroportos (suspensão temporária de voos) e deixando para já cerca de 35.000 casas sem luz. Felizmente sem conhecimento de vítimas (mortos ou feridos) mas certamente com prejuízos de milhões ou mesmo de biliões (de dólares).

 

(informações: watchers.news – imagens: as indicadas)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:16

Quando o Sol participou na Guerra do Vietname

Terça-feira, 13.11.18

“E na prática tomando partido contra os EUA e a favor dos Vietcongues.”

 

Massive Solar Storm Detonated Hidden American Bombs,

during the Vietnam War.

Navy Records Show.

aHR0cDovL3d3dy5saXZlc2NpZW5jZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMD

Causing the sudden detonation of a large number

of US Navy sea mines,

that had been dropped into the coastal waters of North Vietnam

only three months earlier.

(livescience.com)

 

The solar particle flux observed at Earth began on 2 August after three brilliant flares. The proton flux started to increase the same day. On the Interplanetary Monitoring Platforms spacecraft dramatically increased with the 4 August 2054 UT IP‐shock arrival at Earth; the maximum particle flux was so intense that the particle detectors were saturated.

 

Humans have a form of externalised memory. They are able to transmit information across generations in the form of learned cultural traditions and preserve this knowledge in artefacts. How this capability evolved from the simpler traditions of other animals is an active area of research.

(Cultural memory/Kevin N. Laland & Luke Rendell/sciencedirect.com)

 

Como se ainda fosse necessário confirmar a necessidade (absoluta) da Humanidade conservar como seu Património Universal a nossa base estrutural de suporte – alicerçada na nossa MEMÓRIA e na nossa CULTURA – eis que mais uma vez um facto histórico não justificado e não muito falado na altura (num determinado Espaço/Tempo) encontra finalmente por Experiência e Associação (a fenómenos semelhantes ocorridos em Mundos Paralelos/Coincidentes) uma solução racional e científica (e como tal credível): comunicados (ao público em geral) passados mais de 46 anos (Agosto de 1972) e ocorridos durante a vigência da Guerra do Vietname (nas zonas costeiras do Vietname do Norte).

 

Um facto ocorrido durante a Guerra do Vietname (iniciada a 1 de Novembro de 1955 e terminada a 30 de Abril de 1975) – mais precisamente a 7 de Agosto de 1972 e com Richard Nixon como Presidente (dos EUA de 1969 a 1974) – quando coincidindo com um período de intensa atividade solar (entre 2 e 4 de Agosto) uma intensa onda energética (constituída por Raios Solares ejetados da superfície da nossa estrela) atingiu o nosso planeta (em pouco menos de 15 horas), originando entre outras consequências (negativas) danos (mais ou menos graves) em alguns satélites (em órbita da Terra) – no Espaço – e até a explosão de minas submarinas colocadas em locais estratégicos do litoral do (inimigo vermelho) Vietname do Norte (uns 3 meses antes deste episódio) – já em Terra.

 

swe20782-fig-0001-m.jpg

Noting this as one of only a handful of events in the space age that would have posed an immediate threat to astronaut safety, had humans been in transit to the moon at the time. The energetic particle bombardment created a Northern Hemisphere polar ozone cavity – a 46% reduction at 50 km.

 

Memory is a wonderful resource that allows individual animals to walk around with a store of relevant past experience in their brains.

(Cultural memory/Kevin N. Laland & Luke Rendell/sciencedirect.com)

 

Exemplo do que o Sol poderá fazer com a Terra (e com todo este Sistema Planetário), numa repetição de um Evento já habitual de ocorrer e de se observar (nas suas consequências práticas), especialmente quando maioritariamente dirigido para o nosso planeta (e para o nosso Ecossistema de proteção e de sobrevivência): sendo o resultado de violentas Explosões na Coroa Solar (CME) ejetando material (extremamente perigoso por altamente radioativo e penetrante) na nossa direção – por vezes insuficientemente protegidos (Homens e restantes Seres Vivos) por todas as camadas de proteção envolvendo o nosso planeta (magnética como atmosférica).

 

Algo que terá ocorrido a 7 de Agosto de 1972 num procedimento muito semelhante ao anteriormente ocorrido em meados do século XIX: a Tempestade Solar de 1859 mais conhecida como o Evento Carrington. E tomando como referência (de análise e de comparação) todos os possíveis Eventos podendo ter no Futuro (noutro Tempo e noutro Espaço já que como tudo o nosso planeta se mexe) consequências catastróficas para a Terra – num extremo do cenário mesmo ao Nível de Extinção (pelo menos de certas espécies) convindo recordar quais são nunca esquecendo nenhum (dos na nossa imaginação mais recorrentes/ importantes): entre outros furacões, tremores de terra, erupções vulcânicas, impacto de asteroides e até TEMPESTADES SOLARES.

 

aHR0cDovL3d3dy5saXZlc2NpZW5jZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMD

On 4 August (1972) TF‐77 aircraft reported some two dozen explosions in a minefield near Hon La over a thirty‐second time span. Ultimately the Navy concluded that the explosions had been caused by the magnetic perturbations of solar storms, the most intense in more than two decades. The event of 1859 joins the annals of modern powerful geomagnetic storms such as 4 August 1972 that has had severe impacts on power grids, satellites and communications systems.

 

“Com o Sol a ejetar material (direcionado para a Terra) a partir da sua superfície, atingindo com os seus raios poderosos (constituídos por partículas extremamente velozes, energéticas e penetrantes) minas submarinas colocadas ao longo da costa vietnamita e como consequência (deliberada pois tomando partido) fazendo-as explodir.”

 

No caso do EVENTO de CARRINGTON (uma poderosa Tempestade Solar/Geomagnética ocorrida durante o auge de um dos Ciclos do Sol) com “a ejeção de material oriundo da Coroa Solar a impactar direta e violentamente com a magnetosfera terrestre, dando origem a uma das maiores tempestades jamais registadas” (segundo a Wikipédia): provocando o aparecimento de Auroras em localidades a elas estranhas (com as auroras não frequentando apenas os polos, dirigindo-se igualmente para baixas latitudes e atingindo locais tão distantes como Cuba ou o Havaí), a interrupção das comunicações (como por exemplo o Telégrafo) e o aparecimento de descargas elétricas (curto-circuitando ligações mas com os equipamentos não deixando de funcionar) – teletransportada para o Presente e para a nossa Sociedade (de base) Eletrónica, podendo Criar o Caos e regredir a nossa Civilização. Para além dos efeitos nocivos (devido à ação dos Raios Solares) para a nossa própria Saúde.

 

(fonte de informação e legendas: Rafi Letzter/livescience.com/12.11.2018 a partir de spaceweather.com e wiley.com – imagens: wiley.com e NASA)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:19

Furacão de Passagem por Portugal

Segunda-feira, 15.10.18

Para além da região litoral de Setúbal e de Lisboa (o ponto inicialmente previsto para o impacto da tempestade), com todo o centro litoral/interior da Figueira da Foz (o Epicentro do Impacto) até às Beiras (e territórios a eles vizinhos), a ser o mais fortemente atingido.

 

SourInformalHeterodontosaurus-mobile.jpg

A chegada a Portugal continental do furacão Leslie

 

Quando se previa que o furacão LESLIE (de categoria 1) atingisse Portugal Continental à saída do estuário do Tejo (já como Tempestade Tropical) – impactando em terra pela zona de Setúbal/Lisboa com rajadas de vento (máximas) podendo atingir os 180Km/h – eis que na sua deslocação um pouco errática (tomando como referência a costa Atlântica portuguesa) o mesmo deslocou o seu ponto de impacto (com terra) um pouco mais para norte, escolhendo como epicentro de entrada-em-terra e de maior destruição, o estuário do Mondego e a cidade da Figueira da Foz.

 

E como que perseguindo o maior rio português (nascido na Serra da Estrela e com 234Km de extensão) seguindo na sua viagem rumo às Beiras e em direção a Espanha: com o concelho mais atingido (em Portugal) a ser o de Coimbra e com a mesma (tempestade) a estender-se ainda (depois de atravessar a Península Ibérica) até França (segundo a RTP provocando já 13 vítimas mortais no sul do país).

 

p06nvdqk.jpg

Consequências das fortíssimas rajadas de vento

 

Em Portugal continentalno concelho de Coimbra com mais de 100.000 casas sem luz (talvez o triplo no total), com a EDP a ser obrigada (face aos graves danos provocados e provável demora na reposição da rede elétrica local) a declarar para toda a região o Estado de Emergência.

 

Para já sem vítimas mortais confirmadas (falando-se de 1/2), cerca de três dezenas de feridos (ligeiros) e mais de seis dezenas de desalojados – e muita destruição (material) provocada pelas rajadas extremas como a registada na Figueira da Foz: às 22h40 de sábado (13 de Outubro) na estação meteorológica de Vila Verde (Figueira da Foz) com V = 176Km/h (a maior rajada de vento registada em Portugal). Antes nos 169Km/h.

 

No Hemisfério Norte e no oceano Atlântico com a probabilidade de formação de um Ciclone nas próximas 48 horas a ser de 40% (numa zona localizada a sudoeste do Mar das Caraíbas) deslocando-se para oeste/noroeste e podendo afetar mais uma vez a América Central; já no norte do oceano Pacífico com a Tempestade Tropical TARA já em ação (fraca e com ventos na ordem dos 70Km/h).

 

ColorfulTiredCaracal-mobile.jpg

Alcançando terra picos-de-vento do furacão Leslie

 

E tal como previsto pelo IPMA com o dia de hoje a ser de chuva/aguaceiros e vento moderado e com as temperaturas a variarem entre os 6⁰C a norte (mínima) e os 22⁰C a sul (máxima); e ondulação de 2.5m/4.0m a norte (temperatura da água do mar/Viana do Castelo = 16⁰C) e de 1.5m/2.5m a sul (temperatura da água do mar/Faro = 23⁰C).

 

Em Albufeira (alerta meteorológico amarelo, devido ao vento/até às 17:00 e á agitação marítima/até às 04:00 de terça-feira) chovendo hoje, amanhã talvez não e regressando (de novo a chuva) quarta ou quinta (com a probabilidade de precipitação, aumentando com o aproximar do fim-de-semana), num retrato de um mau dia de praia (principal usufruto turístico) e muito menos de pesca (usufruto gastronómico da região).

 

(imagens: watchers.news e bbc.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:51