Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Out 15

Mais um tiroteio numa escola norte-americana, estando para já contabilizados 15 mortos e 20 feridos. Num país onde qualquer um pode ter uma arma e como sendo livre de a utilizar.

 

oregon.jpg

 

Mais um momento de reflexão para os cidadãos portugueses, agora que vão mais uma vez por à prova a virtude da doutrina Liberal (egocêntrica e selvagem).

 

“Ten people were killed and another 7 injured Thursday when a 20-year-old gunman opened fire in a classroom at a community college in southern Oregon.”
(usatoday.com)

 

E se forem mesmo Liberais não hesitem e votem mesmo Bloco Central. Na continuidade estará o nosso destino e na indiferença a nossa perdição.

 

“The attack - the fourth shooting at a U.S. college campus since August - prompted a visibly angry President Obama to note that the USA is "the only advanced country on earth that sees these kinds of mass shootings every few months.”
(usatoday.com)

 

Sempre que formos profetas ou advogados da tolerância pura, estaremos a oferecer gratuitamente à outra parte do problema e da solução o direito ao usufruto do que deveria ser por lei para nós intransmissível e exclusivamente utilizado para nosso uso interior.

 

Só que achamos que ainda é cedo e adiamos um pouco mais!

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:23

22
Ago 15

“Un homme a ouvert le feu, vendredi 21 août, dans un train Thalys entre Amsterdam et Paris, avant d’être maîtrisé par des passagers.”
(lemonade.fr)

 

4733061_6_396c_un-membre-de-la-police-scientifique

Tiroteio no comboio Amesterdão/Bruxelas/Paris

 

Agora que estamos no Verão e muita gente se desloca de comboio (seja para fazer férias ou para ir trabalhar), muitas são as alternativas de destino ou os objetivos de viagem: desde a simples deslocação ferroviária para as praias do Algarve até à utilização do interrail para viajarmos pela Europa. Nos dois casos apresentados com cenários condizentes: fosse com um companheiro de viagem partilhando experiências (por exemplo sexuais com alguém do sexo oposto) ou com um companheiro de vida sempre suprindo insuficiências (como eu vi um emigrante a fazer na viagem para a terra, apalpando todo o tempo a sua saudosa mulher).

 

Só que agora vivemos noutros espaços e noutros tempos e uma simples viagem de comboio de uma localidade para a outra, pode-se transformar de um momento para o outro e sem que nunca descubramos por que razão nem porquê, num verdadeiro e dramático acontecimento não só social como político. Tal e qual como terá acontecido na ligação ferroviária entre Amesterdão e Paris (com a estação de Bruxelas lá pelo meio), com um jovem marroquino utilizando várias armas (incluindo uma kalachnikov) a abrir fogo no interior das carruagens, acabando por ferir duas pessoas antes de ser imobilizado e finalmente detido.

 

Nos tempos em que hoje vivemos se já era impossível sair de casa sem que tivéssemos dinheiro para obrigatoriamente o poder gastar (dinheiro sem o qual nunca teríamos o respetivo e necessário cartão de acesso e de garantia de sobrevivência), todo o panorama se agrava se no nosso regresso a casa constatarmos que já não nos encontramos vivos: sair de casa sem dinheiro e ainda por cima levar um tiro, é só mais um convite à indiferença e à prática intensiva da abstinência. E tudo isto apenas porque um certo indivíduo resolveu pôr-se a disparar (como os grandes líderes nos propunham antigamente, oferecendo-nos uma licença de porte de arma), em vez de utilizando uma forma mais educada e civilizada de diálogo limitar-se unicamente a falar (como os grandes líderes nos propõem atualmente, oferecendo-nos uma licenciatura e um canudo).

 

(imagem – Philippe Huguen/AFP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:45

21
Abr 13

Maratona de Boston

 

Todos nós temos que ser incondicionalmente solidários para com as vítimas e familiares do atentado de Boston – lembrem-se nem que seja porque vivemos em comunidade que podíamos ter sido nós!

 

Porque será que nos Estados Unidos da América posso ir até ali e comprar qualquer tipo de armas como pistolas, granadas, bazucas e porque não até mísseis?


O mundo não pode permitir que tudo se esqueça, que este acontecimento mortal seja apenas mais um caso entre muitos outros e que os verdadeiros responsáveis pelo aparecimento destas condutas violentíssimas e sem respeito pela vida, se escapem mais uma vez.


Amanhã podem ser familiares nossos a matar ou a serem mortos

 

Mas além dos executores, onde estão todos os outros criminosos que constituem esta quadrilha? Numa Guerra não existe apenas uma parte mas sim um número incontável de partes que constituem um todo planeado e organizado, com o único objectivo de subverter um sistema destruindo-o e ao mesmo tempo manipulando e controlando com o seu pretenso poder, a outra parte que dizem representar.

 

Recentemente o Presidente Barack Obama tentou mais uma vez lutar contra a liberalização selvagem do mercado de compra e venda de armas nos Estados Unidos, mas foi o próprio Senado a inviabilizar a sua proposta, assobiando para o ar e ignorando grotescamente episódios semelhantes da mais extrema violência, como este ocorrido na cidade de Boston durante a realização da sua tradicional maratona – acontecimento com imensos traços comuns com as cenas de tiroteio e morte ocorridas periodicamente, em escolas e universidades espalhadas por todo o território norte-americano.

 

(imagem – huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:05

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO