Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

24
Out 18

Mesmo sendo “lembrado em monumentos para os mortos

E em museus que exibem artefactos retirados dos destroços” (wikipedia.org),

Com a tragédia do anterior a ser utilizada na promoção do seguinte.

 

titanic-2edfdc0.jpg

Titanic

(original)

 

Certamente com os responsáveis pela sua construção completamente convictos da impossibilidade de um mesmo barco se afundar duas vezes, segue definitivamente avante o projeto do milionário australiano Clive Palmer de fazer uma réplica do maior navio de passageiros do Mundo o gigante TITANIC: com a empresa Blue Star Line (igualmente criada por Clive Palmer) a divulgar algumas imagens do que será o novo barco e ícone da empresa (no tempo do Titanic denominada White Star Line) – o TITANIC II – um navio que terá a lotação de 2.400 passageiros (mais 900 tripulantes), seguirá a mesma rota do seu antecessor (de Inglaterra a Nova Iorque) e a cumprirá em cerca de duas semanas. Prometendo desde já a sua 1ª viagem para o ano de 2022.

 

“Until the wreck of Titanic was discovered, the majority of people believed that the ship had sunk intact.

However, our comprehensive analysis of the eyewitness accounts from 1912 reveals that the majority of survivors who spoke on the subject stated that the ship broke in half.”

(historyextra.com)

 

3d_model_titanic_ii_by_joseaureliotitanic85-d9jmmk

Titanic II

(modelo)

 

Uma réplica de um barco que logo na sua viagem inaugural foi vítima de uma das maiores tragédias marítimas do século (iniciada pouco depois das 11:30 do dia 14 de Abril de 1912) relacionadas evidentemente com o Transporte de Passageiros – colidindo com um iceberg e afundando horas depois (madrugada de 15 de Abril) com mais de 1.500 pessoas a bordo. Considerado (ou pelo menos assim pensado) um dos mais luxuosos e seguros da sua época (com capacidade para mais de 2.400 passageiros), afirmado ser mesmo intocável e inafundável (talvez nunca se tendo pensado num impacto direto) mas infelizmente e contra o que todos imaginavam (ou sonhavam ser possível/impossível) naufragando em pleno oceano Atlântico a sudeste da Terra Nova: bem fundo (a quase 4.000 metros de profundidade) e bem distante da costa (a mais de 600Km no mar).

 

(imagens: historyextra.com e deviantart.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:10

18
Out 17

Incêndio de Pedrogão + Incêndio do Pior Dia do Ano > 100 Mortos

(num curto período de apenas 4 meses)

 

Num momento em que o número de vítimas mortais certamente ultrapassará as 100 pessoas e nem querendo pensar na Catástrofe Ambiental com o certo desaparecimento de muitos Ecossistemas (por mais pequenos que sejam sempre fundamentais, até pela diversidade e manutenção de equilíbrios).

 

Uns dizendo ser Natural outros do tipo Artificial

 

1.jpg

 

Vivo num país que posto perante uma verdadeira carnificina (veja-se a área ardida, o tipo de população aí residente e os combustíveis altamente inflamáveis colocados em seu redor) mantem a sua inadmissível indiferença de modo a assim proteger mesmo que para além do limite (a linha vermelha de sangue) o seu quotidiano monótono sustentado numa mera remuneração unicamente para sobreviver (desde a base até ao topo): um povo trabalhador dirigido por Analfabetos (por diversos esquemas aceites, equiparados a doutores) e por essa mesma razão mentalmente desfalcados (sem cultura e sem memória e dispondo de pouco tempo) ‒ Trabalhar, Comer, Dormir e no meio Procriar ‒ e sem força (psíquica) para se opor à violência (física), instalada em todo o lado (no Espaço) e a qualquer momento exercida (no Tempo) apenas aplicando a Lei escrita por eruditos: para se manterem no poder sabendo não ser necessário demonstrar competência (mas certificação curricular), mas no meio da catástrofe e de maior incompetência (estando tudo preparado, mas terminando num caos) deixando a violência avançar (certamente por travagem mental, ao contrário sendo um crime, no mínimo na escala moral), a incerteza pairar (face a mais uma paulada levada, com gente ainda mais traumatizada) e o esquecimento prevalecer (assim se mantendo o Poder). Lavando-lhes a alma (cada vez com mais pecados numa fila sem fim), dando tempo para os cadáveres (para contar e para esconder, estudar e fortalecer) e para confortar o Povo (banalizando as mortes tal como o faz com os Direitos do Homem), assim seguindo em frente Marchando contra os Canhões (neste caso contra os Incêndios e numa Guerra Total).

 

2.jpg

 

Mas como ainda existem pessoas com alguma cultura e memória (mesmo que desmotivados pelo branqueamento dos novos escrivas, certificando a História Oficial e transformando-a em historinhas com dinheiro, mulheres e muitos tiros) passando parcialmente incólumes pelos filtros do Poder (apesar de uma forma ou de outra, sendo marginalizados e como tal penalizados) ‒ praticamente impossível dada a (altíssima) toxicidade ambiente (convenientemente embrulhada com o apoio dos Média e em forma de laço decorando o embrulho) ‒ estando ainda em aberto um vasto espaço reflexivo (algo se encontrando neste oceano de 7,5 biliões de Almas) onde possamos pensar e daí tirar ilações (se possível levando a conclusões). Numa História que nos poderá recolocar não num tempo (curto para nomear responsáveis e deixando tudo na mesma) antecedendo o Evento ‒ unicamente servindo para a proteção e salvaguarda do Sistema ‒ mas nas verdadeiras Origens e nas Causas dessas Raízes (permitindo a eclosão do Evento), em vez de enriquecer o Sistema enchendo-o de Ervas Daninhas: em Portugal bastando recuar (até para melhor compreender as últimas gerações) pelo menos uns Cem Anos (rigorosamente 107) para em 2017 chegarmos finalmente a Outubro (já com pelo menos 100 mortos, a uma média de 25/mês) e assim à 2ª Fase de um mesmo (e atrás referido) Evento.

 

3.jpg

 

Tomando-se como referência o Dia da Implantação da Republica (5 de Outubro de 1910), estendendo-se no tempo e passando pelo Golpe ditatorial do 28 de Maio (de 1926) ‒ colocando Salazar no poder por cerca de 40 anos ‒ atravessando toda a Revolução antes/durante/depois (de 25 de Abril de 1974) e antes de chegar ao Evento (mortal) do ano 2017 jamais esquecendo o Marco Histórico (por Formativo, de uma Geração sem culpa, mas rasca e no poder) da Chegada do Dinheiro: no dia 12 de Junho de 1985 com o 1º Ministro de Portugal Mário Soares a assinar o Tratado de Adesão de Portugal à CEE (com muita oposição política, vinda da esquerda como vinda da direita) ‒ com o país por essa altura a atravessar uma grave crise económico/política com causas internas como também externas (daí a urgência na ação do socialista Mário Soares) ‒ e como consequência nas eleições seguintes perdendo a maioria e entregando-a (verdadeiramente de mão beijada e hoje constatando-se Infelizmente) a Cavaco Silva. De todos os políticos atravessando os séculos XX/XXI e a partir daí tentando-se descobrir o Novo Monarca do Século (Atravessando Regimes Republicanos num nº máximo de anos) ‒ numa tentativa de reflexo do ícone (de alguns ou de muitos) Salazar ‒ tendo logo e em 1º (36 anos no Poder como 1º Ministro) António de Oliveira Salazar e indubitavelmente em 2º (20 anos no Poder como 1º Ministro ou Presidente da Republica) Aníbal Cavaco Silva (e só depois surgindo o promotor da entrada Europeia o 1º Ministro socialista de nome Mário Soares ‒ 15 anos no Poder como 1º Ministro ou Presidente da Republica); e já agora adicionando ainda Américo Tomás (um indivíduo de baixo perfil passando despercebido) o Presidente de Salazar e de Marcelo Caetano (16 anos no poder como Presidente da Republica e peça decorativa).

 

4.jpg

 

E depois de quase meio século de ditadura (com Oliveira Salazar) e de mais de uma década para entrar na Europa (com Mário Soares) só faltando mesmo apanhar (aparentemente e não para todos) mais vinte anos de bolsos cheios (acompanhados de cabeças vazias, entre escravos e leigos e com os bancos a pôr/dispor) preparando a Tormenta pós-Aníbal Cavaco Silva (o que se viu e o que se vê especialmente a nível político desde a base até ao topo): num tempo após a Bomba (guiada pelo Homem do Leme) mas morrendo-se das radiações (e com o artefacto afastado há já quase 20 meses). Hoje com Marcelo e Costa e o país menos inclinado (e já depois de levar com um triplo torpedo ‒ Barroso, Sócrates e Coelho) ‒ e estando entre 2011/2015 mesmo à beira do abismo ‒ chegando o Tempo dos Incêndios na Era da Geringonça com um Ministro em questão (MAI/Constança Urbano de Sousa/50 anos e nascida em Coimbra) e outros pedindo a demissão (sobretudo a oposição PSD/CDS mas também o BE): como se o problema fosse apenas de Um (a Ministra), mesmo sem plano de ação (por não ser prioritário) e sem conjugação de saberes (com a presença de eruditos mas sempre apoiando os Bombeiros). Constança Urbano de Sousa (especializada em direito e nomeada pelo 1º Ministro para o MAI em 26.11.2015) tendo à sua guarda os assuntos Internos assim como (direta/indiretamente tanto faz, mas integrando a cadeia) os Incêndios, a Proteção Civil e os Bombeiros.

 

“Para mim seria mais fácil pessoalmente ir-me embora e ter as férias que não tive, mas agora não é altura de demissões”.

 

“Não é nos momentos mais difíceis que as pessoas abandonam o barco. Não, não ia resolver o problema. O que precisamos de ter aqui são ações”.

 

“Quero deixar um apelo às pessoas para que adequem os seus comportamentos às situações que se estão a viver. Têm de colaborar com as autoridades e obedecer às ordens”.

 

(Constança Urbano de Sousa/observador.pt)

 

Incêndio

Local

Nº mortos

Nº feridos

Área ardida

Danos materiais

17 Junho 2017

Em redor Pedrogão Grande

(Leiria)

64

254

53.000ha

500/48/372 Casas/empresas/postos trabalho afetados; 500 milhões de prejuízos

15 Outubro 2017

Viseu, Coimbra, Guarda,

C. Branco

41

71

54.000ha

(só no dia 15)

Ainda s/dados confirmados (238 casas destruídas só em Pampilhosa da Serra)

Total

2 Eventos

105

325

107.000

(Em Atualização)

Quadro dos incêndios de Pedrogão Grande (1º Evento) e do Pior Dia do ano (2º Evento)

Valores aproximados/em atualização (17/10)

 

5.jpg

 

No dia 15 de Outubro de 2017 (um Domingo) confirmando-se o cenário já por muitos previsto (que não do Governo, das Autarquias, da Proteção Civil e dos carreiristas políticos) e devido ao tempo seco (devido a uma seca prolongada provocada pela falta de chuva), à vegetação em ponto de rebuçado (cobrindo o solo com um espesso manto sem qualquer humidade e pronto a arder) e à escassez de acessos (muitos deles por limpar e intransitáveis), com populações (aí instaladas) isoladas e de pouca densidade (espalhadas por montes e vales) ‒ e inexistentes sistemas de proteção e de segurança (das populações) ‒ repetindo-se um trágico Evento de proporções idênticas (senão pior) ao anterior, ocorrido há 4 meses em torno de Pedrogão Grande. E só a 17 de Outubro perante esta nova tragédia (não só pela mesma e pelas vítimas, como pela ausência criminosa de meios ‒ para combater os incêndios ‒ lançando populações inteiras para o interior de uma enorme Fogueira), com a presença do Presidente e face às palavras de uma presente (exigindo a demissão imediata da Ministra), se demitindo Constança (a até aí líder do MAI) por iniciativa própria e mensagem (pondo Costa também a arder) e aceite por Costa sob ultimato de Marcelo (apoiado pelas palavras duras, da senhora a ele abraçada ‒ num pedido irrecusável transmitido ao subalterno). Um exemplo de como um individuo (pelo menos sendo pratica comum e generalizada no esquema político-administrativo atualmente em vigor em Portugal) completamente desenquadrado da área sobretudo em compreensão (sendo-lhe atribuído um lugar apenas por mera nomeação superior), ocupa um cargo de Alta Responsabilidade, sem no mínimo saber algo, como por exemplo o que fazer (para além de ser um Ministro em clara autogestão, deixando-se levar pela corrente desta vez forte de mais e no final engolindo-o e só então desaparecendo). Um responsável que já há um ano dizia que já estava tudo pronto (e preparado para os Incêndios), reafirmando-o em 2017 antes do início da época (dos Fogos) e repentinamente (já com todos a clamar por reforços, investigações à Proteção Civil/e à sua ação e apoio aos desprezados Bombeiros/a única força real) sendo apanhado por um Fogo e logo depois por um outro (à segunda não sendo certamente surpresa) ‒ carregando atrás de si quase meio milhar de vítimas (entre feridos, mortos, desaparecidos e os nunca catalogados) e colocando mesmo em risco a vigência de um Governo ‒ ainda em boas graças mas queimando-se em fogo lento (para gáudio da oposição e dos incendiários).

 

No fundo sendo todos nós os verdadeiros Queimados (como sempre com o Povo a ser o Mexilhão). E como episódio irrelevante e só para entreter os políticos, com Constança Urbano de Sousa (a Ministra no pelourinho) a apresentar a demissão neste dia 18 de Outubro dia de precipitação (devendo-se talvez agradecer a uma outra senhora a chegada tão desejada da chuva, terminando de vez com os incêndios e com a incapacidade de muitos ‒ Ofélia nome de furacão).

 

Algo lógico de acontecer ao escolher-se um como nós (não sendo nós melhores até pelas consequências desse ato) ‒ ao metermos na urna um cheque ao portador e com a quantia em branco (ficando então desfalcados e sem qualquer argumento): sendo a Culpa de quem lá os põe (mesmo em Democracia sempre uma minoria) e não de quem se aproveita (apenas para ganhar dinheiro). Como sempre A Bem da Nação!

 

(imagens: TVI24/euvi@tvi.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:05

18
Jun 17

A catastrophic wildfire believed to be caused by a dry thunderstorm has killed more than 62 people near Pedrógão Grande, central Portugal early Sunday, June 18, 2017. Most of them died in cars while trying to escape, officials said. Local media said several houses were destroyed and more than 60 people injured, among them several firefighters. The death toll is expected to increase.” (watchers.news)

 

576.jpg

Dos mais de 60 mortos mais de 30 encontrados no interior dos seus automóveis e menos de 20 encontrados caídos na estrada ‒ ou seja mais de 80% do total das vítimas mortais

 

Nesta sequência de três imagens obtidas a partir do espaço e da responsabilidade da NASA, pode-se ver a evolução verificada durante três dias na região de Pedrógão Grande: sem nada visível a 16 (sexta-feira), com os primeiros sinais a 17 (sábado) e com o incêndio já bem lançado a 18 (domingo).

 

canvas 16.jpg

16 Junho

(sexta-feira)

 

Numa tragédia pretensamente iniciada num raio originado numa trovoada (um fenómeno conhecido mesmo com tempo seco) e que na sua deslocação terá atingido uma árvore responsável pela eclosão de um grande incêndio: numa propagação fulminante destruindo tudo à sua passagem e fazendo mais de 60 vítimas mortais (e com o número sempre a aumentar).

 

canvas 17.jpg

17 Junho

(sábado)

 

E que possivelmente até como manifestação de solidariedade e de apoio para com todas as populações envolvidas, mereceria alguma Auto culpabilização por parte de algum responsável mesmo com a apresentação de uma mísera demissão: não pelo que ele terá feito mas na sequência das práticas nulas dos seus antecessores (renegando as suas práticas e apoiando as suas vítimas).

 

canvas 18.jpg

18 Junho

(domingo)

 

Perante um cenário dantesco fazendo-nos lembrar um pouco a série The Walking Deads, com uma longa estrada rodeada de uma paisagem pós-apocalíptica completamente deserta de algum sinal de vida e juncada de carros completamente calcinados, oferecendo-nos o retrato fiel de um mundo esquecido e abandonado à sua sorte: onde já nada existindo (o poder tratou disso) não havendo mesmo nada a fazer (pelos poucos que ficaram).

 

(imagens: cetusnews.com/AP e worldview.earthdata.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:44

26
Ago 16

“Mais um Fenómeno Natural com a colaboração do Homem

Transformado numa Tragédia”

(por seu consentimento, inação, irresponsabilidade e indiferença

– e configurando um crime)

 

The towns at the epicenter of the quake — Amatrice, Accumoli and Arquata del Tronto — are scenes of devastation, with what were once charming three-story buildings pancaked by the disaster. (ktla.com)

 

intensity.jpg

Sismo de magnitude 6.2

Epicentro na região da Úmbria a apenas 10Km de profundidade

 

O que não se compreende é como um GOVERNO de um país OCIDENTAL como a ITÁLIA, permite que milhares dos seus cidadãos vivam permanentemente em cima de um verdadeiro barril de pólvora SÍSMICO: num Estado que impõe deveres, os seus Cidadãos também têm que exigir que todos os seus direitos sejam estritamente respeitados – como o Direito à Vida!

 

Amatrice, a town of about 2,000 people in the north of Italy’s Lazio region, is in ruins. But amid the rubble, the town’s clock tower stood tall, with the clock stopped at the time the quake struck. (ktla.com)

 

AP_italy_earthquake13_ml_160824_12x5_1600.jpg

Cidade de Amatrice em ruínas

Após os dois violentos sismos de magnitude 6.2 e 5.5

 

Se alguém que estivesse à minha responsabilidade fosse encontrado morto no interior de um edifício transformado em armazém de pirotecnia e que eu lhe atribuíra como seu dormitório, certamente que seria responsabilizado e levado a TRIBUNAL. E assim, enquanto o equilíbrio não for reposto (Estado/Deveres-Cidadãos/Direitos) tudo não passará de mera conversa.

 

In May 2012, a pair of earthquakes killed dozens of people in northern Italy, while in April 2009, a magnitude-6.3 earthquake hit in the Aquila region of central Italy, killing 295. The earthquake Wednesday struck an area close to the 2009 earthquake. (ktla.com)

 

7782190-3x2-940x627.jpg

Amatrice

Com Accumoli e Aquarta del Tronto as localidades italianas mais afetadas

 

Num momento em que o violento sismo de magnitude 6.2 registado ontem (dia 24) e tendo como epicentro a região da Úmbria (10Km a SE da comuna de Nórcia) – ocorrido apenas a 10Km de profundidade – já arrasou parcial ou totalmente várias localidades, provocou cerca de 250 mortos, originou outros tantos feridos, mais de mil deslocados e ainda (em adição) um número indeterminado de desaparecidos. Seguido de um número elevado de réplicas e de um outro forte sismo (uma hora depois com características semelhantes e de magnitude 5.5).

 

[Já hoje dia 25 com um novo sismo de magnitude 4.6 e de profundidade 10Km, com epicentro na mesma região anteriormente atingida – agora a 7Km a E de Norcia]

 

(imagem: USGS – abcnews.go.com – abc.net.au)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:43

21
Jan 14

“Sobrevivente da tragédia no Meco está com amnésia selectiva”

(mas pelos vistos há outros que também têm amnésia)

 

Toda a questão tem resposta

Desde que os responsáveis a queiram mesmo

(ou sejam por dever e/ou por saber, obrigados a descobri-la e/ou desvendá-la)

 

O problema não reside no adolescente sobrevivente – seja ele DUX e esteja a proteger essa instituição mafiosa à qual pertence e deve obediência cega denominada por PRAXE ou seja ele LUX e esteja agora logicamente a proteger-se “a si próprio” e simultaneamente a defender a instituição criminosa da qual pensa depender o seu futuro (e com a qual e apesar do tudo o de macabro sucedido, se continua a identificar) – mas na instituição que continua a permitir e a autorizar tacita e estrategicamente esses rituais selvagens sobre os estudantes (o poder instalado e o dinheiro têm muita força), sabendo de antemão que tais situações (evitáveis e denunciadoras do subdesenvolvimento cultural das nossas novas elites) poderão levar à ocorrência de situações extremas:

- Como deveria ser obrigatório e fácil de entender pelas Universidades e pelos seus corpos dirigentes (professores, alunos e administrativos).

 

E no fim da linha da responsabilidade criminal o Estado (como em todo o restante percurso), que tendo a completa noção do que são as PRAXES – pela sua experiência durante anos e anos com a universidade pública – entregou a sua função de fiscalização e de controlo do funcionamento das universidades privadas aos próprios interessados (como se uma empresa fosse capaz de se auto controlar, face à possibilidade de reforçar a sua mais-valia), unicamente e naturalmente obcecados pelo lucro e em não perturbar muito os seus financiadores directos e indirectos.

 

No fundo e em conclusão exclusivamente preocupados na manutenção de todos os rituais de acesso ao poder já institucionalizados (e por precaução de manutenção do poder fossilizados) – e como tal ultrapassados e desenquadrados da sociedade actual, que até já substituiu como critério de acesso a sectores privilegiados da sociedade a ARMA pelo CANUDO – mesmo sabendo de antemão e já agora apoiados em estudos científicos, que com tais procedimentos poderiam originar acontecimentos ignóbeis e inqualificáveis como este.

 

Será que no meio disto tudo ninguém tem um peso na consciência, será que este país já chegou definitivamente a um ponto de não retorno em que memória, cultura, valores e respeito já nada valem?

 

Jamais poderemos aceitar aquele critério cavaquista e estreito (e selectivo conforme regras impostas aos outros mas não respeitadas pelos mesmos) do sucesso a qualquer custo, mesmo que realizado por cima de cadáveres – isso faziam por exemplo os nazis, fora e dentro dos campos de concentração!

 

“Não se esqueçam que aqueles que agora se sentam na poltrona do Poder e que mais dizem querer atacar e liquidar o poder das Corporações que nos asfixiam, são os mesmos que posteriormente farão parte delas e que da mesma forma nos continuarão a controlar e manipular a partir delas: a vítima seremos sempre nós, uns dias os pais e os avós, neste caso os nossos filhos – e se fosse o meu? E se fosse o teu”?

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:43

30
Mai 12

Sinais de invasão

 

A minha ideia era que a autarquia era controlada por alienas, como o provava a presença descarada do disco voador, estacionado na parte central do edifício camarário. Mas a partir desta imagem fornecida recentemente por um blogue da terra e da afirmação que os chineses também aí estariam em força, fiquei então um pouco atónito e ao mesmo tempo muito receoso do futuro que aí vem, face à possível e invencível aliança, entre a força chinesa e a tecnologia aliena. Que pior tragédia nos podia acontecer se milhares de discos voadores invadissem a nossa terra e nos bombardeassem continuamente com toneladas e toneladas de artigos das lojas chinesas?

 

(imagem do blogue - Passeio dos Tristes)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:30

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO