Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

10
Mai 19

"Victory Day"

 

1024x1024.jpg

 

Russia celebrates 74th end of WWII in Europe

9 Maio 2019

(Dimitri Lovetsky/AP Photo/newstimes.com)

 

No dia 9 de Maio de 1945 e após a conclusão da última grande batalha travada em território Europeu − a Batalha de Berlim (fim de Abril/início de Maio) finda a qual e com derrota total da Alemanha Adolf Hitler se suicidou – a dar-se a capitulação do Terceiro Reich (Alemanha Nazi) às mãos das forças Aliadas e do poderoso Exército Soviético. Na Europa (tal como os chineses na Ásia) com o destino desta II Guerra Mundial a ficar decidido não à mão dos norte-americanos (com as suas bombas atómicas matando milhares e milhares de civis inocentes) mas à custa do  sacrifício, da doença, da fome e da morte, de milhões e milhões de cidadãos,  sob as ordens (assumidas) do TIO JOE e a solidariedade (mais contida) do TIO SAM −  e com o Exército Vermelho de facto a vencer a Guerra (tal como a China na Ásia) como o dizem e comprovam (pelo seu sacrifício/comprometimento) o número (total) de mortos. E em cada 100 mortos sendo 15 apoiantes do Eixo e dos restantes 85, apoiantes dos Aliados esmagadoramente Russos ou Chineses: destacando-se aí os russos (maior contingente de vítimas mortais) com o seu natural e obrigatório (até por respeito aos seus antepassados) “Dia da Vitória”. Despercebido no Ocidente, não fossem as paradas militares.

 

soviets-allies-wwii.jpg

TIO JOE

WWII Soviet Allies (L) Life Magazine cover 3/29/43 featuring warm and fuzzy Joseph “Uncle Joe” Stalin (R) Life magazine cover 2/12/45 featuring our brave ally a Soviet Soldier courageously driving on to Berlin

(Sally Edelstein/Cold War Defrosted/envisioningtheamericandream.com)

 

Iniciada há quase 80 anos (1 de Setembro de 1939) e com uma duração de 6 anos (fim a 2 de Setembro de 1945) a II GUERRA MUNDIAL pondo frente-a-frente os Países do EIXO (Alemanha, Japão e Itália) e os Países ALIADOS (URSS, EUA, Grã-Bretanha e China) − com PORTUGAL durante esse período sob o regime do ESTADO NOVO e sob o governo de SALAZAR declarando o estatuto de NEUTRALIDADE – teve do lado dos Vencedores três figuras carismáticas que só pela sua Figura, Presença e Força, contribuíram fortemente para um esforço final e decisivo (não só deles como de todos os outros Povos do Mundo) na direção da conclusão deste prolongado e terrível conflito com consequências (como todos deveríamos saber e para sempre recordar, sendo isso o que sustenta a nossa Memória solidificando a nossa Cultura e sendo a base da nossa Civilização) tão catastróficas:

 

Na Vitória Final dos ALIADOS (representando as forças pela LIBERDADE e pela DEMOCRACIA) sobre as forças do EIXO (representando as forças OPRESSORAS e FASCISTAS) − estas últimas lideradas por ADOLF HITLER (pela Alemanha) com este sendo acompanhado de perto por BENITO MUSSOLINI (pela Itália) – sendo inimaginável não mencionar para além do Homem-do-Charuto (sempre com um charuto aceso entre os dedos e quando possível com um copo de whisky na mão) WINSTON CHURCHILL (1ºMinistro da Grã-Bretanha de 1940/45 ou seja no período da II GM), os então mundialmente conhecidos, famosos (pela sua constante presença nas notícias de Guerra, retratando os seus esforços e dos seus povos pelo fim da guerra e pelo estabelecimento da PAZ) e familiares (sendo tratados como Tios) TIO SAM e o TIO JOE.

 

uncle-sam-wants-you-photo-u1.jpg

TIO SAM

Maybe the most famous recruitment poster in American history, JM Flagg designed the famous picture of Uncle Sam in 1917, based on a poster of British high-ranking officer Lord Kitchener. Flagg used his own face as the model for Uncle Sam and veteran Walter Botts sat for the pose. It made the war a personal crusade, denoting that the US doesn't want someone else to fight, it wants YOU to fight.

(Mike Rothschild/ World War 2 Propaganda Posters, Explained/ranker.com)

 

Nesse período da II Guerra Mundial com o TIO SAM a ser personificado na figura do presidente norte-americano (de então) o Democrata FRANKLIN D. ROOSEVELT (presidente entre 1933/45), tendo como seu “irmão-querido” (neste caso num esforço de guerra pela Paz) mesmo que residindo lá longe do outro lado do oceano (depois e ainda hoje “quase do outro lado do planeta”) o TIO JOE, personificado em JOSEF STALIN pela mesma altura presidente da (extinta) URSS (agora Confederação Russa). Como se pode constatar no presente e tendo sido já educado por camadas (dispostas sucessivamente sobre outras camadas, de forma a desse modo nos afastar e esconder a verdade) de revisores da história (em último caso de fazedores-de-opinião) adaptados a versões de países e de regimes (expressos pelos intermediários os Políticos) − que não às do povo que os elegeu e deveriam representar − com Churchill morto há muito (já lá vão 54 anos) e Estaline já bem enterrado (pelo menos nos livros de História ocidentais), por um lado falando-se por vezes do CHARUTO, pelo meio exorcizando-se o DEMÓNIO VERMELHO para finalmente e elogiando-se até à Eternidade o papel fundamental dos EUA (o SALVADOR) na resolução do conflito e fim desta Guerra Brutal (acabando por envolver direta ou indiretamente todo o Mundo) transformar um dos dois TIOS num ÍCONE (o mito do UNCLE SAM) fazendo simplesmente desaparecer o outro (revelando-se má rês o UNCLE JOE).

 

2E668208_EAB5_4740_9A02_C4C979362ED1_master.jpeg

HOMEM-DO-CHARUTO

Unknown

Winston Churchill Portrait

On WW2 Battleship

Signed oil painting c.1970's

(1stdibs.com)

 

Hoje dia 9 de Maio de 2019 a caminho dos 74 anos após o fim da maior Guerra conhecida e registada à superfície da Terra e acabando de uma forma ou de outra por envolver todo o planeta e Humanidade (mesmo Portugal pretensamente neutro, mas mantendo contacto com os dois lados beligerantes, ou não fosse Aliado da Grã-Bretanha e vizinho fronteiriço da Espanha) – a II GM (1939/45) sucessora da I GM (1914/18) e tendo como protagonista-agressor a mesma região e o mesmo povo – sendo interessante analisar as perdas materiais assim como a perda em Vidas Humanas de todos os países à força ou não aí “inseridos” (até para se ver quais foram os mais envolvidos e sacrificados neste conflito) de modo a assim e “Numa Próxima e pelos vistos inevitável Revisão Histórica” não serem eliminados definitivamente do “Mapa da nossa Memória e da nossa Cultura”: precisamente aquilo que nos dá conteúdo, nos dá forma, confirmando a nossa Existência. Até por respeito aos nossos antepassados (e Familiares), com muitos deles (aos Milhões) sendo vítimas (mortais) desta Grande Guerra (de outros/os criminosos nunca julgados, não nossa/as vítimas jamais ressarcidas).

 

E assim vejamos os resultados (MORTAIS) deste II Guerra Mundial (ENTRE ELITES) opondo ALIADOS ao EIXO (que é isso? diriam na altura alguns!) e servindo-se sobretudo (para a “matança” − como sempre foi e pelos vistos como sempre será) da Base da Pirâmide Social: numa lista englobando cerca de 3% da população Mundial (início da década de 40) ou seja cerca de 80 milhões de VÍTIMAS (entre militares e civis) mortais (originadas na guerra, na doença e na fome).

 

Top 20

Vítimas Mortais − 2ª Guerra Mundial

(1939/45)

 

Ranking

País

Observações

Continente

Mortos

(milhões)

1

URSS

ACR

EUR/ASI

20,0/27,0

2

China

-

ASI

15,0/20,0

3

Alemanha

-

EUR

6,9/7,4

4

Polónia

-

EUR

5,9/6,0

5

Japão

-

ASI

2,5/3,1

6

Indonésia

ACA

ASI

3,0/4,0

7

Índia

-

ASI

2,2

8

Vietnam, C & L

ACF

ASI

1,0/2,2

9

Jugoslávia

A

EUR

1,0/1,7

10

Grécia

-

EUR

0,5/0,8

11

França

-

EUR

0,6

12

Filipinas

-

ASI

0,6

13

Coreia

ACJ

ASI

0,5

14

Itália

-

EUR

0,5

15

Roménia

-

EUR

0,5

16

Hungria

-

EUR

0,5

17

Reino Unido

-

EUR

0,5

18

EUA

-

AME

0,4

19

Lituânia

AIU

EUR

0,4

20

Checoslováquia

A

EUR

0,4

Perfazendo um total (semioficial)

De 70/85 milhões de mortos (como tal podendo ser o dobro)

[C & L: Camboja e Laos ACR: Atual Confederação Russa ACA: Antiga Colónia Alemã ACF: Antiga Colónia Francesa ACJ: antiga Colónia Japonesa AIU: Antes Integrando a URSS A: Antiga]

(Dados da tabela − wikipedia.org)

 

Numa lista com mais de 60 países (no mínimo registando 100 vítimas mortais como Cuba, Republica da Irlanda, México e Suiça) e com 2 Continentes bem presentes (Europa e Ásia) – e a América bem distante com os seus mais de 460.000 mortos (EUA + Canadá) − com a Austrália (Oceânia) com os seus mais de 40.000 mortos e a Etiópia (África) com os seus 100.000 a liderarem (em vítimas mortais civis/militares) os respetivos (e restantes 2) continentes. E Portugal mesmo sendo neutro acabando por registar 40.000/70.000 mortos, proveniente da sua ex-colónia (asiática) de Timor Português (Timor-Leste), tomada pelos Aliados e acabando (os timorenses) por lutar (e morrer) ao lado deles.

 

No contexto Geral do número, total de vítimas mortais, registadas durante a GUERRA (70/85 milhões), do lado dos LIBERTADORES surgindo os (quase) 500 milhares do TIO SAM, os 20 a 27 milhões do TIO JOE e ainda os 15 a 20 milhões de chineses (e os 500.000 britânicos); e do lado dos OPRESSORES “Alemanha/Japão/Itália” com os valores a apontarem (em média) para 7,2/2,8/0,5 milhões, bem longe da mortandade registada entre Russos & Chineses e atingindo os 35 e 47 milhões (hoje e apagada a História, considerados eles os opressores). Ou seja e falando dos Vencedores, para cada vítima (mortal) de origem norte-americana (EUA e Canadá), sendo uma outra britânica, em média 35 chinesas e ainda (em média) 47 russas – numa estratégia “1+1/35+47” pelos vistos resultando e com evidente sucesso, para os que menos sacrificaram (durante a Guerra) e no fim mais colheram (concluída a mesma): à cabeça com os EUA e as suas pouco mais de 400.000 vítimas, postos perante Russos e Chineses o maior e mais sacrificado contingente na 2ª Guerra Mundial (com os seus 35/47 milhões de mortos, por cada 1 norte-americano podendo morrer até 100 russos e/ou chineses), não tendo problema (com os seus ex-amigos e ex-aliados) ou vergonha em esquecer, atacar e até subverter.

 

hitler-at-dortmund-rally.jpg

THE FÜHRER

Germany’s invasion of Poland in 1939 led to the outbreak of World War II, and by 1941 Nazi forces had occupied much of Europe. Hitler’s virulent anti-Semitism and obsessive pursuit of Aryan supremacy fueled the murder of some 6 million Jews, along with other victims of the Holocaust. After the tide of war turned against him, Hitler committed suicide in a Berlin bunker in April 1945.

(history.com)

 

holocaust-concentration-camps-500634969.jpg

O NAZISMO

Beginning in 1933, the SS had operated a network of concentration camps, including a notorious camp at Dachau, near Munich, to hold Jews and other targets of the Nazi regime. After war broke out, the Nazis shifted from expelling Jews from German-controlled territories to exterminating them. Einsatzgruppen, or mobile death squads, executed entire Jewish communities during the Soviet invasion, while the existing concentration-camp network expanded to include death camps like Auschwitz-Birkenau in occupied Poland. Though the Nazis also imprisoned and killed Catholics, homosexuals, political dissidents, Roma (gypsies) and the disabled, above all they targeted Jews—some 6 million of whom were killed in German-occupied Europe by war’s end.

(history.com)

 

Daí se perguntarmos a um JOVEM norte-americano, alemão ou mesmo português, qual foi o país que fez alterar decisivamente o rumo da II Grande Guerra evitando a instauração do FASCISMO e fazendo assim vencer a LIBERDADE e a DEMOCRACIA, a resposta será porventura imediata e esmagadoramente dirigida: os EUA. Já o mesmo não se passando tanto entre os sobreviventes e mais velhos (tendo vivido o momento ou retido o mesmo na memória), com os próprios Alemães (e sem hesitação) não apontando para ocidente (EUA) mas sim para leste (Rússia). Consequência – entre as Novas Gerações − de anos e anos de manipulação e intoxicação iniciadas na Guerra Fria e prosseguindo ainda hoje com o deprimente e perigoso espetáculo interno em curso nos EUA (desde fins de 2016 e podendo estender-se mesmo para lá do início de 2021): tendo repercussões externas e ao nível Global, consequência da luta sem tréguas Democratas/Republicanos. Forçando Trump (persistentemente atacado pelos Média dizendo-se representantes da Sociedade Civil) a virar-se de vez para os Militares (e para o seu poderoso Complexo Industrial-Militar) e assim podendo se o desejando iniciar uma Nova Guerra Algures (talvez invadindo ou então atacando outra fonte de energia/petróleo, ainda fora de seu controlo e sobrando apenas 4 − Rússia/China/Irão/Venezuela é só escolher).

 

(imagens: newstimes.com − LIFE − ranker.com − 1stdibs.com − history.com − history.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:39

09
Set 12

“A nossa vida depende da partilha de espaços. Caso contrário – se não aceitarmos esse facto – resta-nos invocar a vida e a morte, justificando todos os nossos atos com a passagem do tempo, esse parâmetro abstrato e irreal, que apenas limita o nosso horizonte: e nem o burro aceita as palas como reflexo da realidade visual!”

 

Universo Vivo e em Movimento

Burro-Livre, Homem-Livre, Terra-Livre

Sem Palas nem outros Condicionantes

 

Pertencemos todos – conjuntamente com a Terra onde habitamos – a um sistema vivo centrado numa estrela Mãe o Sol, à volta da qual circulam todos os seus descendentes mais próximos, procurando naturalmente a proteção maternal e indicações instrutórias de viagem, para o seu futuro planetário e dos seres vivos que transportam. Como um simples ponto, como uma simples partícula, como uma simples célula, seja como for que nos apareça, vivemos num Universo Vivo em constante transformação e reprodução, em que tudo interage entre si e em que nada se cria nem nada se perde, apenas porque nada existe no tempo apenas se movimenta no espaço.

 

20.07.1969

Foi há mais de 43 anos!

 

O Homem Pisava um Solo Não Terrestre

Um Mundo Alienígena

Ilustração – DN

 

O Homem chegou à Lua nos finais dos anos sessenta, em plena Guerra Fria entre os EUA e a URSS e com as duas grandes potências da altura, a lutarem entre si pela hegemonia mundial. Os desejos de dominação e preponderância económica e militar a nível global, levou-os a estenderem as suas ambições geoestratégicas para fora do próprio planeta Terra, lançando-os para a conquista do espaço envolvente e mais para além, como foi o caso das missões enviadas na direção do nosso satélite a Lua. A proeza alcançada pelos EUA de enviarem uma nave tripulada à Lua, incluindo a alunagem e a viagem de regresso, ainda hoje está registada na minha memória de infância, com horas seguidas pela noite fora a assistir na televisão a imagens fantásticas ainda a preto e branco e a ver os dois astronautas norte-americanos a passearem por um território estranho, misterioso e alienígena, enquanto o terceiro astronauta circulava em orbita do satélite, aguardando o regresso dos seus companheiros da sua incrível aventura lunar. Na altura muitos norte-americanos e observadores de muitas outras nacionalidades duvidaram da veracidade das imagens que iam recebendo da Lua, pretendendo com esta sua atitude afirmar que tais imagens teriam sido pormenorizadamente elaboradas em estúdios cinematográficos preparados para o efeito e destinados a iludir o povo e a confundir os seus adversários e inimigos soviéticos. No entanto o que “sobrou” disto tudo foi a enorme capacidade que o Homem tem de ultrapassar constantemente os seus limites e de criar novas fronteiras e possibilidades, que ele e a Humanidade em conjunto possam atingir, conhecer e desvendar. E a aventura ainda agora começou e os mistérios desta viagem há muito iniciada e desde sempre desejada – somos essencialmente nómadas aventureiros – já nos rodeiam com incrível persistência, transformando-nos em investigadores frenéticos e ávidos de conhecimento.

 

(imagem – WEB e DN)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO