Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

21
Abr 20

Não sendo uma imagem de uma cidade deserta invadida por mutantes vítimas de um vírus ou por outras criaturas tipo Zombies, nem sendo um registo do filme “Eu Sou a Lenda” com o protagonista do filme “Will Smith” a correr num cenário pós-Apoclítico. Sendo em tudo semelhante, mas tratando-se de algo de real (não de SCI-FI).

 

37859919-5577-4101-9e36-e11e03a0da0a-AP_Virus_Outb

 

Tratando-se apenas da cidade norte-americana de Nova Iorque em pleno surto Pandémico do SARS-CoV-2 e da doença pelo mesmo provocado (Covid-19): com todos fechados em casa enquanto o vírus vai percorrendo o seu caminho e com o número de vítimas mortais (pelas 15:14 TMG de 21 de abril) perto dos 19.000 (44% de todo os EUA).

 

(imagem: usatoday.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:24

12
Abr 20

Perth breaks 110-year record for hottest April day ever, Australia

(Julie Celestial/11.04.2020/watchers.news)

 

perth-hottest-april-day-april-11-2020.jpg

Na praia, ao Sol e talvez com o vírus por perto

 

Não resistindo a uma vaga de calor inesperada, agora que no Hemisfério Sul a estação do Outono já decorre (no Hemisfério Norte onde se situa Portugal, estando já em curso a Primavera), nas proximidades dos antípodas do nossos país (Nova Zelândia e mar da Tasmânia), ou seja, na maior ilha da Oceânia a Austrália, alguns australianos optaram perante temperaturas atingindo os 40°C, em dirigirem-se para a praia apesar dos avisos sobre a Pandemia (do novo coronavírus Covid-19): como será o caso de Perth localizada na costa ocidental da Austrália (e com cerca de 2 milhões de habitantes), com os seus habitantes sob temperaturas mais próprias de ocorrerem no Verão, a deslocarem-se até à praia para se refrescarem um pouco mais.

 

Num território situado (Hemisfério Sul Oriental) muito próximo do “Quadrante Hemisférico” (Hemisfério Norte Oriental) onde se iniciou este surto agora Global − com o vírus Covid-19 já tendo percorrido de uma ponta à outra todo o Hemisfério Norte, a parte “Rica” (instalado de momento na América do Norte e caminhando para a América do Sul) – agora continuando a sua viagem para o Sul do Globo Terrestre e preparando-se para atacar (em força) o Hemisfério Sul, a parte “Pobre” do planeta Terra: e no seu caminho para além da América do Sul (e Central), tendo parte do continente Africano e ainda a Oceânia (e restos da Ásia como a Indonésia e até Timor-Leste). No entanto fazendo-o com contenção (vendo o que se passa no Mundo) para satisfação (e sossego) das autoridades.

 

Com os responsáveis pelo controlo da ação deste vírus mortal (um “agente Infiltrado-Invisível”) em território australiano, a elogiarem as pessoas por seguirem as orientações (e cuidados) indicadas, respeitando todos os conselhos divulgados pelas autoridades no terreno (sobre este novo coronavírus) − por exemplo respeitando as distâncias mínimas e não se juntando em grupos – e dessa forma evitando que se fechassem os acessos às praias: colocando para já “em espera” a tomada de tal medida, até pela aproximação da Páscoa e pela chegada (esperada, em principio já em curso, mas ainda com leve impacto) do vírus − podendo até ser bom ou mau dependendo da implantação do mesmo (mas para já aparentemente resultando).

 

Uma Ilha-Continente com mais de 7,5 milhões de Km² de área (83,4X Portugal) e com mais de 25,5 milhões de habitantes (2,4X Portugal), no presente e quanto à pandemia (covid-19) já sendo tocado (levemente) pelo “bicho”, no dia de hoje (domingo, 12 de abril de 2020) com mais de 6.000 infetados (6.313), cerca de 60 vítimas mortais  (59) e  cerca de 80 em estado grave/crítico (81) − numa média de 2 mortes por cada milhão de pessoas (Portugal 49/1 Milhão) − e com pouco mais de 350.000 testes realizados (pouco mais de 0,01/pessoa). E com uma taxa de mortalidade (provisória/em evolução) menor que 1% (0,9%). Esperemos que resulte − num Hemisfério Sul liderado (para já, bem de longe) pelo Brasil do “Louco Bolsonaro”: hoje (dados das 17:19 TMG) com 21.065 infetados e 1.144 mortos (e ainda outros 296 em estado crítico/grave), uma taxa de mortalidade de 5,4%.

 

(imagem: watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:12

20
Mar 20

Esta sexta-feira (março, 20) por volta das nove e meia da noite,

 

Screenshot_2020-03-20 Covid-19 Países africanos d

Covid-19

Países africanos de língua portuguesa multiplicam restrições

(17.03.2020/RTP)

 

Com o panorama (conhecido) dos países ou territórios com alguma ligação a Portugal (e à Língua Portuguesa) − escolhidos 11 – a ser o seguinte (tabela indicada abaixo):

 

País

I

NI

VM

NVM

R

A

G/C

C/1M

Brasil

904

+264

11

+4

2

891

18

4

Portugal

1.020

+234

6

+2

5

1.009

26

100

Índia

249

+55

5

+1

23

221

 

0,2

Marrocos

77

+14

3

+1

2

72

1

 

Macau

17

 

 

 

10

7

 

26

Cabo Verde

1

+1

 

 

 

1

 

2

Angola

1

+1

 

 

 

1

 

0,03

Moçambique

-

-

-

-

-

-

-

-

-

S. T. Príncipe

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Timor

-

-

 -

-

-

-

 -

-

-

Guiné-Bissau

-

-

 -

-

-

-

 -

-

(11 P)

(Total)

(2.269)

(+569)

(24)

(+8)

(42)

(2.202)

(45)

(-)

worldometers.info

(I: Infetados NI: Novos Infetados VM: Vítimas Mortais NVM: Novas Vítimas Mortais

R: Recuperados A: Ativos G/C: Graves/Críticos C/1M: Casos/1 Milhão P: Países)

20.03.2020

21:39 TMG

 

Dos 11 países escolhidos não existindo dados sobre 4 (todos ex-colónias portuguesas) e dos 7 restantes (Portugal, 4 ex-colónias suas, índia e Marrocos), com o Brasil (localizado no outro Hemisfério, o Sul) agora a entrar no Outono (deixando o Verão, quando segundo se diz “o bicho não gosta de calor”) e sob o comando do louco Bolsonaro a liderar já o Top de Vítimas Mortais (com 11) ultrapassando Portugal (com 6). Dos restantes com a índia e Marrocos a sofrerem já na pele a ação do coronavírus (5 e 3 mortes respetivamente) e com Macau/Cabo Verde e Angola ainda sem vítimas mortais (coisa rara). Entretanto (números já tendo sido atualizados) com o número total das vítimas mortais em 11.355 (e dos casos ainda ativos, graves ou críticos, sendo 7.974) pelas 22:20 TMG.

 

(imagem: RTP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:56

E com mais uma sessão pedagógica (e de esclarecimento) sobre o COVID-19  agora que fechados em casa temos muito tempo para aprender, mais um pequeno vídeo da autoria de KURZGESAT (Philipp Dettmer/conteúdo educacional) – IN A NUTSHELL (canal YouTube) − tendo como título “O Coronavírus Explicado & O Que Deve Fazer”. Depois do vídeo “Achate a Curva (aqui inserida a ligação em 19.03.2020) em “Covid-19 – Achata A Curva”, este outro e já agora (para abrir o apetite) com uma ligeira introdução (daí transcrita e aqui exposta):

 

maxresdefault.jpg

O Coronavírus Explicado & O Que Deve Fazer

 

“Em dezembro de 2019 as autoridades Chinesas noticiaram ao mundo que um vírus se estava espalhando nas suas comunidades. Nos meses seguintes o vírus espalhou-se para outros países, com os casos a duplicar em poucos dias. Esse vírus é o "Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2", que causa a doença chamada COVID-19, que todos chamam simplesmente "Coronavírus". O que é que realmente acontece quando ele infecta um humano e o que devemos fazer?” (Kurzgesat – In a Nutshell/youtube.com)

 

boingboing.net/2020/03/20/heres-kurzgesagt-in-a-nu.html

 

ou

 

youtube.com/watch?time_continue=175&v=BtN-goy9VOY&feature=emb_logo

 

 

Num vídeo de Kurzgesat (na Wikipédia referido como do género “Educação, Animação, Ciências”) durando 8 minutos e  34 segundos (8:34).

 

(imagens: boingboing.net/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:10

09
Mar 20

Estratégia Única Europeia:

Casa roubada, trancas à porta.

 

Como se pode verificar no gráfico abaixo indicado (gisanddata.maps.arcgis.com) abrangendo um período de quase 7 semanas, após uma 1ª fase (iniciada a 20 de janeiro) em que a partir de um determinado momento o vírus (depois de ter aparentemente atingido um pico máximo de atividade) parecia estar já em regressão, surpreendentemente disparando de novo os números (por volta de 13 de fevereiro) de 419 para 15.100 novos casos (de um dia para o outro, de 12 para 13) registados por dia − 36X mais – eis que numa 2ª fase a evolução contágio/infeção do COVID-19 parece estar a estabilizar e a regredir: (hoje, 9 de março) GLOBALMENTE com o número de indivíduos recuperados se não maior que o de contaminados andando ela por ela, sendo por vezes mesmo maior (nº recuperados/nº contaminados > 1) e reforçando a esperança – de que na CHINA a atividade do novo coronavírus já tenha atingido o seu pico máximo, estando já a sua ação em decrescimento.

 

Screenshot_2020-03-09 Coronavirus COVID-19 (2019-n

Evolução do número de casos globais e por dia do novo coronavírus COVID-19

(de 20 de janeiro a 8 de março)

Vermelho: Novos Casos Verde: Recuperados

 

E com medidor mundial referindo-nos ao COVID-19 a apresentar neste dia (9 de março) os seguintes valores (pelas 14:30) em constante atualização:

 

Casos de Covid-19:

111.648 (100%)

Casos Ativos:

45.081 (40%)

Casos Fechados:

66.567 (60%)

Condição Média:

39.101 (87%)

Condição Grave:

5.980 (13%)

Vít. Mortais:

3.884 (6%)

Recuperados:

62.683 (94%)

Países afetados:

110 (+ barco de cruzeiro "Diamond Princess")

Taxa de Mortalidade

3,5%

(Dados de 09.03.2020 14:30: worldometers.info)

 

Relativamente ao que se passa (não incluindo a CHINA) no Resto do Mundo e na EUROPA (e cingindo-nos agora aos dados Johns Hopkins CSSE) sendo de registar negativamente (pelo nº de vítimas mortais já provocadas), os casos extremos da ITÁLIA (7.375 casos/366 mortos/taxa de mortalidade=5,0%), do IRÃO (7.161 casos/237 mortos/taxa de mortalidade=3,3%) e da COREIA do SUL (7.478 casos/53 mortos/taxa e mortalidade=0,7%). E integrando a EUROPA podendo ser o caso da ITÁLIA extremamente grave para todos os seus vizinhos, mais ou menos próximos (ou distantes) e nos quais se incluiu Portugal: com a nossa próxima Itália batendo até o Irão (sujeito a um nº infinito de sansões e asfixiado pelos EUA) no número de vítimas mortais 366/237 − algo no mínimo estranho comparado o estado (social-económico-financeiro-sanitário-etc.) do Irão e da Itália e com esta última a ser recordista na mortalidade.

 

Screenshot_2020-03-09 Coronavirus Update (Live) 11

Evolução do nº de casos e do nº de mortos

(de 2 fevereiro a 5 de março)

Verde: Recuperados Laranja: Vítimas mortais

 

Certamente que preocupando e olhando apenas para ocidente (da Itália), a Alemanha, a França, a Espanha e Portugal. E ainda nos questionando sobre qual será a verdadeira atividade do vírus COVID-19 no interior do território dos EUA. Entretanto com a Alemanha com 1.151 casos e 0 vítimas mortais (t.m.=0%), a França com 1.209 casos e 19 vítimas mortais (t.m.01,6%), a Espanha com 979 casos e 25 vítimas mortais (t.m.=2,6%) e Portugal com 30 casos e 0 vítimas mortais (t.m.=0%). No caso de Portugal com os casos (30) a concentrarem-se a norte e estendendo-se até Lisboa, para no caso do Sul e particularmente no Algarve com o 1º caso (na região) a ser confirmado em Portimão. Finalmente nos EUA (com os testes de diagnóstico a custarem uma “fortuna”) e com poucos tendo sido os testes realizados, com os números a crescerem em casos confirmados/vítimas mortais (VM)/recuperações (R), de momento nos 565 confirmados nos e 22 VM/8 R (no interior e exterior do território) números da [Johns Hopkins CSSE]. Mas com muitos a insistirem que a epidemia de Covid-19 no interior dos EUA (e á falta evidente de estratégia mesmo por parte do CDC no combate ao surto epidémico) poderá vir a ter consequências muito mais graves.

 

E se o novo coronavírus levantou logo a suspeita em novembro/dezembro 2019 na China – disparando em janeiro/fevereiro 2020 , parecendo querer estabilizar/descer em março e confirmando-se tal, desaparecendo no decorrer de abril (assim se espera, se deseja) – se aprendemos algo com eles (os chineses) e seguindo um mesmo percurso (temporal) poderemos vermo-nos livres disto lá para o mês de Abril (se formos melhor que eles) ou então de Maio. O pior seria se não o conseguíssemos (como parece e para já, sugerir a Itália).

 

[Às 16:00 horas de hoje noticiando-se 30 a 31 casos confirmados (de Covid-19), sendo 1 a 2 desses casos no Algarve (oriundos de Portimão e importados de Itália).]

 

(imagens: arcgis.com − worldometers.info)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:49

06
Mar 20

[WHO: 2020-03-06 23:40:03 UTC]

 

Numa tabela incluindo os 96 países já infetados pelo vírus (COVID-19) e com PORTUGAL em  43º lugar (13 casos confirmados), com os líderes em vítimas mortais a serem a CHINA (com 3.042), a ITÁLIA (com 148) e o IRÃO (com 124) − com a Coreia do Sul (43) e os EUA (14) logo a seguir e a França (9),  perto deste último.

 

Screenshot_2020-03-06 Coronavirus 2019-nCov Statis

 

Casos de Covid-19:

100.776

Casos Ativos:

41.367 (41%)

Casos Fechados:

59.409 (59%)

Condição Média: 35.081 (34,8%)

Condição Grave: 6.286 (6,2%)

Vít. Mortais:

3.412 (3,4%)

Recuperados:

55.997 (55,6%)

Países afetados:

96

Taxa de transmissão

1 individuo infetando 2/3

Período de Incubação

0 a 14 dias (0/27)

Taxa de Mortalidade

3,4%

 

Procurando compreender melhor a evolução ao longo do tempo do surto epidémico associado ao aparecimento do novo coronavírus COVID-19 (entrados no terceiro mês e com os avisos e alertas a serem lançados logo no início deste ano de 2020) − como é o caso da evolução dos parâmetros Infetados/Vítimas Mortais/Recuperados registados até ao momento na China (o centro do surto), comparando-os com os agora registados no Resto do Mundo (a periferia de seguida sendo infetada) – sendo interessante consultar o site [virusncov.com COVID-19 Coronavirus] até para termos uma perceção mais completa da grandeza daquilo com que se está a lidar (dados na tabela acima): mais uma versão do coronavírus nas suas versões anteriores (como o MERS e o SARS) já tendo sido responsável por outros surto epidémicos e muitas e muitas vítimas mortais − para além do que por cá ficou e que nos acompanha até ao presente, desde que apareceu o vírus INFLUENZA (a GRIPE).

 

Screenshot_2020-03-06 Coronavirus 2019-nCov Statis

 

Acompanhados por três gráficos (indicados acima) indicando-nos a evolução (num determinado intervalo de tempo) do número total de casos, de mortes e numa sobreposição, de casos/mortes (com as respetivas curvas). E das tabelas e dos gráficos logo se concluindo a taxa de mortalidade andar ainda pelos 3,4%, mas com as taxas de recuperação a estarem já a caminho dos 60%: mas com a curva (da evolução negativa da doença) continuando a subir, apesar de parecer querer abrandar mas ainda lentamente, esperando-se que ainda este mês (o mais cedo possível) atinja o seu pico máximo (estabilizando, descendo, desaparecendo) − pelo menos na China, esperando para se ver o que sucederá agora, que ele já está (pelos vistos em força) na EUROPA (entre nós).

 

(imagens: virusncov.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:17

02
Mar 20

No ano em que um novo vírus ataca no continente asiático (com epicentro na cidade de Wuhan, localizada na China) provocando até ao momento − e a nível Global – mais de 87.500 infetados e quase 3.000 vítimas mortais (taxa de mortalidade hoje nos 3,4%, atingido o pico máximo de contágio, tendo tendência para descer),

 

270220koontz.jpg

Dean Koontz e a sua novela-previsão

(prevendo em 1981 uma pandemia global

provocada artificialmente pelo Homem

e com centro em Wuhan)

 

Surgindo no pandemónio informativo (com as mais diversas intenções, desde áreas ligadas à saúde, como à área política)  global rodeando este surto epidémico (ainda não considerado uma pandemia), algumas notícias alternativas que habitual e facilmente (nestes casos extremos e por necessidade de integração) todos nós (pelo menos um pouco) consumimos: aqui com a presença de 2 Videntes prevendo um Evento Viral a nível de uma Pandemia Global, um profetizado para  WUHAN (o de Dean Koontz) o outro para o ano 2020 (o de Sylvia Browne).

 

No caso do profeta Dean Koontz (74 anos de idade) num livro seu publicado em 1981 (39 anos antes) The Eyes of Darkness – no caso do profeta Sylvia Browne (1936/2013) num seu livro publicado em  2008 (12 anos antes) −  End Of Days: Predictions And Prophecies About The End Of The World. Um deles,

 

An American author

His novels are billed as suspense thrillers, but frequently incorporate

elements of horror, fantasy, science fiction, mystery, and satire.

(wikipedia.org)

 

O outro,

 

An American author

Who claimed to be a medium

with psychic abilities.

(wikipedia.org)

 

No Evento previsto por Koontz e descrito na sua novela (de 1981) com um vírus com origem em Wuhan − o Wuhan-400 (inicialmente Gorky-400, mais tarde alterado), muito mais mortífero que o Covid-19 − a provocar uma pandemia global, como resultado da produção e experimentação de uma Arma Biológica − com o objetivo (militar) de “limpar do mapa” uma cidade ou mesmo um país: opção explicativa igualmente escolhida para esta nova versão do coronavírus por um influente político norte-americano, o senador republicano pelo estado do Arkansas, Tom Cotton.

 

2268c192cb20a64a4bcf1c7b75fe81eb.jpg

Senador REP Tom Cotton

(afirmando categoricamente em 2020 sobre o vírus Covid-19

ter sido criado em laboratórios biológicos governamentais

com objetivos estritamente militares)

 

Já no Evento previsto por Browne e descrito no seu livro (de 2008), com um tipo de pneumonia (numa versão extremamente mortal) a varrer literalmente todo o Mundo (como afirmado no livro):

 

In around 2020

a severe pneumonia-like illness will spread throughout the globe

 attacking the lungs and the bronchial tubes

and resisting all known treatments.

Almost more baffling than the illness itself

will be the fact that it will suddenly vanish as quickly as it arrived,

attack again 10 years later, and then disappear completely.

(Sylvia Browne/End Of Days: Predictions And Prophecies About The End Of The World/summit.news)

 

Tal como com as máscaras (esgotadas apesar de não servirem para nada) aproveitando a ocasião (“a ocasião neste mundo liberal permite e faz o ladrão”), recuperando duas obras e com elas dois autores esquecidos e certamente que aumentando, as (deles) respetivas tiragens. E apenas servindo − no que deveria ser encarado, como uma epidemia vulgar − para a instalação de um maior caos e uma grande confusão (entre os potenciais infetados). Pelo menos dando e adquirindo experiência (com tudo isto) e sem necessidade de recorrer a “temporariamente iluminados” para aprender.

 

(imagens: summit.news − yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:12

08
Jan 20

“A Solução Anda Algures, Por Aí.”

 

geringonça 1.jpg

Geringonça

(o vírus português)

Sob a direção do líder do PS António Costa

 

Enquanto em PORTUGAL mesmo sendo segundo o PS subverteu o exercício considerado normal por tradicional aliando-se à esquerda e formando Governo (maioritário, mas apenas com 16 votos de diferença) – a denominada e eficaz GERINGONÇA, cumprindo integralmente o mandato  (2015/19) – eis que agora em ESPANHA (2020) e aproveitando a experiência pioneira levado a cabo pelo seu vizinho ocidental, ganhando as eleições mas fazendo-o sem maioria, o PSOE subvertendo igualmente o sistema e os procedimentos respetivos e usuais, acabou aliando-se à esquerda e formando Governo (maioritário, por uns escassos 2 votos de diferença) − com a hipoteticamente denominada CARANGUEJOLA:

 

geringonça.jpg

Caranguejola

(a mutação espanhola)

Sob a direção do líder do PSOE Pedro Sánchez

 

Para aqueles (particularmente portugueses) nunca tendo querido acreditar na experiência portuguesa − na “Geringonça” – e ainda para aqueles muito menos tendo querido acreditar na sua reedição ainda-por-cima no seu território (caso dos espanhóis) − a “Caranguejola” − sendo de destacar que se no caso do PS a eleição seguinte deu origem a um Governo seu aparentemente mais reforçado (dependendo a sua estabilidade dos seus colegas da Ex Geringonça), no caso do PSOE o próximo resultado poderá ser idêntico, até alcançando a maioria absoluta; e ainda que perante tal pioneirismo e resultados iniciais obtidos − tão interessantes, por darem um maior acesso ao poder (o terror de ditos democratas-conservadores, mas sendo liberais-extremistas) – num processo iniciado em Portugal e já se estendendo a toda a Península Ibérica (Portugal e Espanha), podendo-se desde já assumir até pelas consequências visíveis do Perigo de Contaminação e rápida Propagação (podendo ser um vírus).

 

good-virus-thumb.jpg

Vírus Ibérico Vs. Vírus Norte-Americano

(Geringonça e Caranguejola contra Deep State)

Good Virus Vs. Bad Virus

 

Podendo rapidamente atingir toda a Europa (além de Portugal e de Espanha atingindo já, por Andorra a França e por Gibraltar o Reino Unido) e a partir daí alcançar o Mundo (sendo um vírus biológico, suficientemente intrusivo) − os portugueses e os espanhóis (credíveis por eficazes) já tendo sido aí pioneiros − agora que se prevê cada vez com maior certeza (tal o trabalho do Clã DEM/CLINTON, começando a inverter a favor do Clã  REP/TRUMP, as intenções de voto para as Presidenciais EUA 2020) a reeleição (não aparecendo um milionário antissistema DEM) do milionário (REP e eleito à 1ª vez como antissistema) Donald Trump (caso não se deixe entusiasmar com o Irão): possuidor de um vírus terrível por assente na impossibilidade de cura, enquanto a luta pela vida se centrar na utilização exclusiva do duo (em processo irreversível de fossilização) “Dólar & Bala”.

 

(imagens: quartarepublica.blogspot.com − entreasbrumasdamemoria.blogspot.com − nakedsecurity.sophos.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:18

07
Jan 17

"Acredito que segundo a nova corrente Democrata adepta das Teorias da Conspiração (desde que perderam não o tendo entendido), faltam apenas 13 dias para a chegada do Anticristo (um Boneco ao serviço do Diabo) e 113 até à nossa completa extinção."

 

ISS_5112_01855.jpg

 

Talvez como consequência do título Inglês conquistado (no ano passado pela equipa de futebol do Leicester) seguido de imediato pelo sim Inglês a favor do abandono da UE (com a opção da maioria da sua população pelo Brexit), estudantes da Universidade da mesma cidade certamente preocupados com o seu futuro e com o possível semi-isolamento das Ilhas Britânicas (fechando-se à Europa mas por outro lado abrindo-se mais ao Resto do Mundo), tomaram em perspetival a sua atual situação (de maior abertura aos 7 biliões) e num estudo comparativo e profundo (atingindo para tal os extremos dos efeitos mais doentios) chegaram a uma conclusão (considerando o gosto dos britânicos pelos filmes de terror e no fundo proporcionando-lhes mais umas horas do mais puro prazer mental): nem sequer se restringindo à sua pequena Ilha, afirmando que se por acaso o Mundo fosse atacado por hordas de Zombies contaminados pelo seu vírus-zombie (um vírus que após a nossa morte nos transforma em mortos-vivos) em menos de 100 dias a nossa raça estaria praticamente extinta – em 7 biliões restando apenas uns míseros 273 (e sabe-se lá como).

 

Se nos lembrarmos bem e tal como o diz Stephanie Pappas a 6 de Janeiro deste ano (livescience.com) não sendo esta a primeira vez que a comunidade científica Britânica aborda este tema, não como algo de supérfluo (inútil) ou até mesmo político (associando-o ao Brexit) mas como um tema prioritário e até mesmo de saúde (ambiental):

 

“It's not the first time zombies have been used as a public health metaphor. In December 2015, for example, the British medical journal The Lancet published a tongue-in-cheek paper titled "Zombie infections: epidemiology, treatment, and prevention." And a viral blog post from the Centers for Disease Control and Prevention urged zombie-apocalypse preparations as a a metaphor for real-life disaster preparedness.”

 

zombies-598393_640.jpg

 

Um vírus de tal forma fácil de transmitir e como tal extremamente contagioso (fazendo-nos lembrar o vírus Ébola mas ainda pior), que o seu portador (podendo viver 20 dias mesmo sem o seu cérebro a funcionar) teria uma taxa de eficácia em torno de uns fantásticos 90% apenas com uma simples dentada (uns dizendo até pelo ar) deixando a sua vítima infetada. Segundo Pappas duas vezes mais contagioso e mortal se comparado com o vírus da Peste Negra que dizimou a Europa há mais de 700 asnos. Imaginando-se um Mundo pós-Apocalipse Zombie em que pouco mais de uma centena de sobreviventes teriam que lutar todos os dias do resto das suas vidas (e logo no início deste episódio final de terror) contra uns 190 milhões de zombies vagueando por aí perdidos (como as suas presas) e só pensando em comer o supremo-alimento o alimento-integral – o último de nós ainda vivo.

 

Mas sempre com a certeza de que conhecendo-se bem o Homem e a sua capacidade de resistência (e de sobrevivência) antes dos Zombies chegarem já os poderemos ter morto (sendo nós muito bons nisso matando por antecipação) – como o dizem os universitários:

 

"We have also not included the possibility for the humans to kill the zombies."

 

[Nestes tempos de Guerra e de Crise agora reforçados na composição do cenário com a chegada dos Republicanos à Presidência da Casa Branca liderados por Donald Trump (controlando também os Representantes e o Senado), não se prevendo grandes hipóteses para os Zombies com tantas armas na mão (ou não fossem os norte-americanos apologistas das armas).]

 

(dados: livescience.com – imagens: devlinblake.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:53

04
Out 14

“Possível segundo caso de vírus EBOLA diagnosticado em território norte-americano”

 

 

A poucos dias do fim do mês de Setembro os Estados Unidos da América ainda se encontravam na Fase 1 (nível de alerta mínimo): o vírus EBOLA estava contido ao continente africano.

 

Depois chegou o caso de Dallas com um viajante oriundo da Libéria a ser distinguido com o título do primeiro doente a ser diagnostico em solo dos EUA com o vírus EBOLA (sendo isolado passados já oito dias depois dos antibióticos não terem surtido efeito); e agora como se já não bastassem os possíveis contágios com origem no paciente anterior, eis que surge novo caso suspeito agora em Washington DC.

 

Fase 2!

 

 

Mais um possível caso de internamento de um doente apresentando compatibilidade com os sintomas característicos duma infecção provocada pelo vírus EBOLA, a ser diagnosticado (e posteriormente hospitalizado) já no interior de território norte-americano.

 

Neste caso com o doente previsivelmente infectado a ser internado no Hospital Universitário Howard sediado em Washington DC. E desconhecendo-se para já as hipóteses (reais) de ter infectado outros indivíduos (isso se os sintomas do vírus no doente entretanto se confirmarem).

 

O indivíduo em causa terá estado recentemente na Nigéria – um dos países menos afectados pelo vírus e onde parece que a acção do mesmo poderá ter sido suspensa. Mas se na Nigéria a acção do vírus foi mesmo contida (não se registam novos casos há várias semanas) nos países da linha da frente como a Guiné, a Serra Leoa e a Libéria a história (terrível) já é outra: mais de três milhares de mortos, muitos outros milhares de infectados e um país inteiro de quarentena.

 

Nos EUA e até ao momento apenas foi registado um caso confirmado no Texas (Dallas), com outros testes realizados noutros indivíduos suspeitos a darem sempre negativos.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:51
tags: , ,

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO