Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Vaca Sagrada ─ Índia e Covid-19

Quarta-feira, 12.05.21

Não sendo com aguarrás ou com lixívia, não sendo com aguardente ou com vinho tinto, não sendo com fezes ou com urina, não sendo com outras feitiçarias ou até com convencimentos, que se combate com eficácia e sucesso o Covid-19.

55b9df1e9cf9d8d087b04e03a0b3b70f.jpg

Para se protegerem do vírus, cobrindo-se de fezes e urina de vaca.

(animal sagrado no Índia)

 

Transformando-se (evoluindo) mais depressa para notícia um acontecimento como o descrito a seguir (surgindo como um “relâmpago”) ─ podendo ser considerado por nós os ocidentais e desenvolvidos, como inapropriado, símbolo de ignorância e até mesmo ridículo ─ do que o próprio facto de que sendo este oriundo do exterior, lhe deu na realidade e efetivamente origem (este, o vírus SARS CoV-2, surgido há mais de um ano na vizinha China) ─ demorando neste caso ainda algum tempo a ser notícia não local ou regional (apesar de todos os indícios que se iam acumulando), mas Global.

Sendo a mesma (notícia) uma descrição de como em estado de desespero muitos indianos se tentavam livrar do (para uma imensidade deles) mortal coronavírus, sem recursos a vacinas, a hospitais e a qualquer tipo mesmo que básico de tratamento, socorrendo-se das suas religiões e superstições para acreditarem em táticas curativas mais de oportunistas e de falsos curandeiros, aproveitando-se para se tornarem protagonistas e profetas nestes tempos apocalípticos desta Pandemia, provocando diariamente (e oficialmente) milhares de mortos (muitas vezes e nestes últimos tempos perto dos 4.000 mortos/dia).

snapshot2.jpg

E de seguida estando bem secos e purificados, lavando os restos com leite.

(limpando o físico e a alma e no final passando-se por água)

 

Para tal com os indianos a terem de barrar-se e cobrir completamente o seu corpo com dejetos e urina de vaca (bem misturados e sabendo-se ainda ser a vaca e na Índia, um animal sagrado), deixar de seguida tudo aquilo secar sobre o seu corpo e finalizada essa fase para uma limpeza final e definitiva (do corpo e da alma), levando um banho de leite para limpar todas as impurezas restantes, assim se livrando de vez (rio abaixo) do vírus. É certo que essa mistura (urina/fezes de herbívoro) até poderá ter algumas indicações antissépticas (acho que já vi isso nalguns filmes) mas não descortinando a ligação (que aqui interessa) com a eliminação/morte do vírus. Não se curando o Covid-19 (apenas servindo como amortecedor) com Aspirina ou Paracetamol.

Dada a situação completamente descontrolada que se verifica no país (com o setor da Saúde podendo ser considerado, por implosão, inexistente) com piras funerárias colocadas um pouco por todo o lado, estimando-se o nº de infetados e de vítimas ser muito maior, talvez 5X a 10X, uma Catástrofe ainda em curso e podendo superar a dos EUA e a do Brasil.

(imagem: Reuters/yahoo.com ─ nypost.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:31

Século XXI ─ Volta ao Covid-19 em 80 dias

Domingo, 21.03.21

Relativamente à Pandemia e neste 1º fim-de-semana da estação da Primavera, com os parâmetros dedicados ao vírus continuando em aparente e consistente descida. Apesar de depois de 20 dias consecutivos de descida no nº de internados, estes subirem hoje de novo e de depois de 36 dias consecutivos de descida do nº de doentes em UCI, o nº não descer hoje ─ de momento mantendo-se (deixando-nos logo desconfiados).

 

Imagem1.jpg

Sendo importante tomar em atenção

(como uma bússola indicando-nos a direção)

a evolução do nº de infetados

 

Apenas se tendo de prestar alguma atenção (preventiva) à evolução do número de pessoas infetadas por dia, dado outros países mais adiantados do que nós nesta nova fase ─ da vaga ─ depois de estarem em descida apresentarem-se de momento em ligeiro crescimento. Pela via das dúvidas (sobre o comportamento do “bicho”) devendo-se “parar, escutar e olhar” e saindo-se de casa devendo-se saber que “há mar e mar há ir e voltar”.

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:51

Covid-19 ─ Internados e UCI (7 Semanas)

Segunda-feira, 15.03.21

“No dia (15 de março de 2021) em que o Mundo já ultrapassa os 120,5 milhões de infetados e os 2,6 milhões de mortes (taxa de mortalidade ─ sobre a amostra de infetados ─ de 2,2%). Em mortes mais de 0,034% da população global.”

 

A caminho do próximo Desconfinamento (o primeiro ─ apesar do vírus continuar ativo ─ ocorrido no passado Verão), esperando que os responsáveis de hoje (os mesmos de ontem), saibam o que fazer amanhã (atuando e deixando-se de números e de retórica): caso contrário e rapidamente (o vírus andará sempre por aí) voltando-se ao cenário anterior (previsivelmente ainda pior), deparando-nos então com as variantes tendo apenas nas mãos e para nos defendermos, “a vacina anterior” (como se tomássemos em 2021 a vacina da gripe de 2020).

 

Imagem1.jpg

S1-25/31J ─ S2-01/07F ─ S3-08/14F ─ S4-15/21F

S5-22/28F ─ S6-01/07M ─ S7-08/14M

(S: Semana)

 

Em Portugal com a epidemia Covid-19 a apontar esta segunda-feira (15/03) para +256 Infetados e +10 óbitos, com 996 doentes Covid-19 Internados ─ a subida (negativa) deste dia ─ e 231 em cuidados intensivos (UCI).”

 

Tendo-se que reconhecer e interiorizar que desde que o vírus por cá apareceu ─ vírus infecioso-respiratório SARS CoV-2 provocando a doença COVID-19 ─ infetando os primeiros portugueses e posteriormente (na 1ª vaga) originando um nº crescente de mortes (bem visível em março de 2020) atingindo um máximo de 37 óbitos/dia (aí o pico da denominada 1ª vaga), a propagação e contágio do vírus não terminou mas prosseguiu, como se verificou e sentiu depois (do Verão) com um ligeiro aumento dos números (Covid-19) levando ao soar do alarme perto do fim de 2020 e (nada se tendo feito) à “explosão” no início de 2021. Logo mais de um ano depois, podendo-se afirmar continuarmos ainda numa 1ª vaga, mas numa fase mais adiantada: faltando-se apenas saber, “levando-nos para onde”?

 

[Adicionando aqui as “vacinas” (contra o vírus SARS CoV-2) colocadas em tempo record no mercado (em meses em vez de anos), transformando a fase experimental (por sobreposição) em fase de comercialização ─ utilizando-nos como “puras cobaias”, testando-as no Homem. E os possíveis (e sempre presentes) efeitos secundários (como já sucede hoje com a vacina inglesa ASTRAZENECA)? Levando um grupo de médicos e cientistas a enviar uma carta aberta ao diretor executivo da Agência Europeia de Medicina, questionando-os sobre a real eficiência das vacinas, quando aplicada em humanos (Doctors for Covid Ethics/médium.com):

 

Screenshot_2021-03-15 Urgent Open Letter from Doct

Doctors and Scientists Write to European Medicines Agency

Warning of COVID-19 Vaccine Dangers

28.02.2021

 

Aguardando-se pela urgência, resposta imediata.]

 

(dados/texto em inglês: dgs.pt e médium.com ─

imagens: Produções Anormais e medium.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:39

O papel das crianças na transmissão do vírus SARS CoV-2

Domingo, 14.03.21

E servindo de cobaias ─ “Linha da Frente” ─ para um melhor estudo do vírus (sendo mais resistentes à ação infeciosa do mesmo).

 

France-School-Children.jpg

 

Março

2020

“The most important finding to come from the present analysis is the clear evidence that children are susceptible to SARS-CoV-2 infection, but frequently do not have notable disease, raising the possibility that children could be facilitators of viral transmission. If children are important in viral transmission and amplification, social and public health policies (eg, avoiding interaction with elderly people) could be established to slow transmission and protect vulnerable populations. There is an urgent need to for further investigation of the role children have in the chain of transmission.”

(COVID-19 in children: the link in the transmission chain/

Alyson A Kelvin e Scott Halperin/25.03.2020/thelancet.com)

 

Apesar de possuírem um sistema imunológico mais imaturo (se comparado com o dos adultos) o que poderia contribuir para o aparecimento de infeções respiratórias, o que na realidade (com o mecanismo de proteção, a não ser ainda bem compreendido pelos investigadores) não acontece.

 

Pelo menos para já, esperando-se pela chegada das variantes (como a sul-africana e brasileira).

 

Mas não sendo visivelmente (pelo seu aspeto exterior) afetada (por apresentar sintomas ligeiros/indetetáveis ou sendo assintomática), com a criança a ser sem dúvida (um “anjo agindo de forma inocente”, logo sendo-o, aceitando-se o sacrifício) um dos “modelos ideais de transmissão”.

 

mm6937e3_COVID19OutbreaksChildCare_IMAGE_11Sept20_

 

Março

2021

“There is limited information comparing SARS-CoV-2 RNA load in the upper respiratory tract (URT) between children and adults, either presenting with COVID-19 or asymptomatic. We conducted a study involving a large cohort of SARS-CoV-2 infected individuals to address this issue (a total of 1.184 consecutive subjects, 256 children and 928 adults). Median SARS-COV-2 RNA loads were comparable between adults and children with COVID-19. Suggesting that children may be drivers of SARS-CoV-2 transmission in the general population at the same level as adults.”

(Upper respiratory tract SARS-CoV-2 RNA loads in symptomatic and asymptomatic

children and adults/Group of Spanish researchers/03.03.2021/medrxiv.org)

 

Passado um ano não se sabendo bem qual “o peso das crianças” (nas cadeias de transmissão) mas pelos estudos já efetuados sendo muito semelhante: nos índices de transmissão/contágio/infeção (criança ≈ adulto) mas não no de vítimas mortais (adulto >>> criança).

 

Daí esta comparação (estudo) com um ano de diferença (início da 1ª vaga/fim da última vaga) tentando descobrir de vez (nesta cadeia de contágio) qual o papel real (e total) nisto tudo (na Pandemia) da criança: ou não fosse mais uma vez atirada (esperando-se “nada contra”) ao encontro da “fera”.

 

(imagens: iharare.com ─ cdc.gov)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:21

Há 4 Semanas a Descer

Terça-feira, 09.03.21

[Conselho Covid-19:ao abrirmos a porta esperando não o fazer a correr, tropeçando logo no primeiro obstáculo ou então sendo atropelado.”]

 

Como o gráfico (1) o comprova, uma descida do nº de Internados/dia, registada durante as últimas quatro semanas.

 

Imagem1.jpg

Gráfico 1

 

E na evolução do nº de óbitos/dia, registada no mesmo intervalo de tempo, com o gráfico (2) igualmente a comprovar, a descida anterior.

 

Imagem2.jpg

Gráfico 2

 

Apontando em direção de uma inversão na tendência de contágio, com a generalidade dos parâmetros a apontarem sucessivamente para baixo, restando apenas saber se o vírus está de acordo, podendo tal como as vagas (indo e vindo) não desaparecer, reaparecendo: voltando periodicamente.

 

[Hoje 9 de março de 2021, registando-se +847 Infetados e +30 Mortes, com 1.278 Internados (-125) e 312 em UCI (-30).]

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:40

2021 ─ Nove Semanas de Covid-19

Quinta-feira, 04.03.21

Tendo de se recuar a 6 de outubro de 2020 (com 429 Infetados/dia) para se obter um nº de Infetados menor que o nº registado hoje (com 830 infetados/dia) ─ máximo na 1ª vaga atingido em 10 de abril de 2020 com 1726 Infetados/dia

 

Imagem1.jpg

 

E tendo de se recuar a 28 de outubro de 2020 (com 24 óbitos/dia) para se obter um nº igualmente inferior ao registado hoje (com 28 óbitos/dia), podendo-se teorizar estarmos no presente no caminho descendente do trajeto de mais uma vaga do vírus SARS CoV-2, sugerindo entre várias opções para o futuro (ainda em aberto) ou (1/99,9%) estarmos perante uma nova e aparente acalmia regressando depois da “bonança a tempestade” como um facto lógico e inevitável (4ª vaga sucessiva) ─ encaminhando-nos para o fim de um ciclo, repetindo-se periodicamente ─ ou então (2/0,1%) perante um pesadelo artificialmente criado e exponenciado (não tendo acontecido tal com a gripe, não usufruindo do poder supremo dos média) do qual ninguém conhece para já as regras para o interromper, nos conseguir tirar dele, no mínimo criando um repelente ou então um antídoto: que nos deixe acordar e abandonar o Novo Normal ─ “em busca da felicidade e seu usufruto” ─ pois algo ainda nos transporta (se o real não funciona, utilizando a imaginação) ao nosso passado Normal. Apesar da Covid-19 os nossos órgãos dos sentidos não estão mortos e o cérebro ainda funciona, faltando trocar a projeção e compor o holograma.

 

[Neste jardim aqui plantado podendo ser do Céu ou do Inferno (na realidade Purgatório Vs. Inferno) ─ ou seja e na disputa, ganhando o Homem ou o Vírus ─ devendo-nos agora preocupar o ponto de desconfinamento (apontado para meados de março) e o obstáculo que aí vem (apontando para a Páscoa): não se acautelando e abrindo podendo iniciar-se a muito curto-prazo uma nova vaga Covid-19 (com outras variantes/estirpes).]

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:11

Confusão ─ Governo & Covid-19/Estar em dois sítios ao mesmo tempo

Sábado, 20.02.21

[Dito e desdito.]

 

"Já com a cabeça a andar à roda (ficando-se cada vez mais ourado)

e por pressão mais próxima de explodir (ficando-se alienado)."

 

spin.jpg

 

Não querendo falar:

(pela nossa saúde/dadas as capacidades do vírus)

 

"Parece-nos PREMATURO falar para esta próxima quinzena de desconfinamento e nomeadamente em matéria de ESCOLAS." (Mariana Vieira da Silva/quinta-feira, 18)

 

Logo fechando (contra a vontade).

 

Mas não resistindo:

(pela pressão económica/por pressão dos lobbies)

 

"Eu queria dizer que me revejo nesse problema (o encerramento das escolas para conter a propagação da covid-19). Não é por acaso que se procurou evitar o encerramento de escolas até ao limite do possível e que o Governo também já disse que é precisamente pelas ESCOLAS que recomeçará o DESCONFINAMENTO." (Mariana Vieira da Silva/sábado, 20)

 

Logo abrindo (conforme a vontade).

 

[Achando-se prematuro falar-se neste momento sobre desconfinamento (destacando as escolas e a razão do seu encerramento), mas não resistindo à tentação (dela e de outros como ela) e horas depois regressando de novo ao tema (invocando de novo as escolas e subliminarmente apontando para a sua abertura).]

 

(imagem: tangentology.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:47

Nova Iorque 2020

Terça-feira, 21.04.20

Não sendo uma imagem de uma cidade deserta invadida por mutantes vítimas de um vírus ou por outras criaturas tipo Zombies, nem sendo um registo do filme “Eu Sou a Lenda” com o protagonista do filme “Will Smith” a correr num cenário pós-Apoclítico. Sendo em tudo semelhante, mas tratando-se de algo de real (não de SCI-FI).

 

37859919-5577-4101-9e36-e11e03a0da0a-AP_Virus_Outb

 

Tratando-se apenas da cidade norte-americana de Nova Iorque em pleno surto Pandémico do SARS-CoV-2 e da doença pelo mesmo provocado (Covid-19): com todos fechados em casa enquanto o vírus vai percorrendo o seu caminho e com o número de vítimas mortais (pelas 15:14 TMG de 21 de abril) perto dos 19.000 (44% de todo os EUA).

 

(imagem: usatoday.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:24

Australianos na Praia (já com o Covid-19 em ação)

Domingo, 12.04.20

Perth breaks 110-year record for hottest April day ever, Australia

(Julie Celestial/11.04.2020/watchers.news)

 

perth-hottest-april-day-april-11-2020.jpg

Na praia, ao Sol e talvez com o vírus por perto

 

Não resistindo a uma vaga de calor inesperada, agora que no Hemisfério Sul a estação do Outono já decorre (no Hemisfério Norte onde se situa Portugal, estando já em curso a Primavera), nas proximidades dos antípodas do nossos país (Nova Zelândia e mar da Tasmânia), ou seja, na maior ilha da Oceânia a Austrália, alguns australianos optaram perante temperaturas atingindo os 40°C, em dirigirem-se para a praia apesar dos avisos sobre a Pandemia (do novo coronavírus Covid-19): como será o caso de Perth localizada na costa ocidental da Austrália (e com cerca de 2 milhões de habitantes), com os seus habitantes sob temperaturas mais próprias de ocorrerem no Verão, a deslocarem-se até à praia para se refrescarem um pouco mais.

 

Num território situado (Hemisfério Sul Oriental) muito próximo do “Quadrante Hemisférico” (Hemisfério Norte Oriental) onde se iniciou este surto agora Global − com o vírus Covid-19 já tendo percorrido de uma ponta à outra todo o Hemisfério Norte, a parte “Rica” (instalado de momento na América do Norte e caminhando para a América do Sul) – agora continuando a sua viagem para o Sul do Globo Terrestre e preparando-se para atacar (em força) o Hemisfério Sul, a parte “Pobre” do planeta Terra: e no seu caminho para além da América do Sul (e Central), tendo parte do continente Africano e ainda a Oceânia (e restos da Ásia como a Indonésia e até Timor-Leste). No entanto fazendo-o com contenção (vendo o que se passa no Mundo) para satisfação (e sossego) das autoridades.

 

Com os responsáveis pelo controlo da ação deste vírus mortal (um “agente Infiltrado-Invisível”) em território australiano, a elogiarem as pessoas por seguirem as orientações (e cuidados) indicadas, respeitando todos os conselhos divulgados pelas autoridades no terreno (sobre este novo coronavírus) − por exemplo respeitando as distâncias mínimas e não se juntando em grupos – e dessa forma evitando que se fechassem os acessos às praias: colocando para já “em espera” a tomada de tal medida, até pela aproximação da Páscoa e pela chegada (esperada, em principio já em curso, mas ainda com leve impacto) do vírus − podendo até ser bom ou mau dependendo da implantação do mesmo (mas para já aparentemente resultando).

 

Uma Ilha-Continente com mais de 7,5 milhões de Km² de área (83,4X Portugal) e com mais de 25,5 milhões de habitantes (2,4X Portugal), no presente e quanto à pandemia (covid-19) já sendo tocado (levemente) pelo “bicho”, no dia de hoje (domingo, 12 de abril de 2020) com mais de 6.000 infetados (6.313), cerca de 60 vítimas mortais  (59) e  cerca de 80 em estado grave/crítico (81) − numa média de 2 mortes por cada milhão de pessoas (Portugal 49/1 Milhão) − e com pouco mais de 350.000 testes realizados (pouco mais de 0,01/pessoa). E com uma taxa de mortalidade (provisória/em evolução) menor que 1% (0,9%). Esperemos que resulte − num Hemisfério Sul liderado (para já, bem de longe) pelo Brasil do “Louco Bolsonaro”: hoje (dados das 17:19 TMG) com 21.065 infetados e 1.144 mortos (e ainda outros 296 em estado crítico/grave), uma taxa de mortalidade de 5,4%.

 

(imagem: watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:12

A Língua Portuguesa e o Covid-19

Sexta-feira, 20.03.20

Esta sexta-feira (março, 20) por volta das nove e meia da noite,

 

Screenshot_2020-03-20 Covid-19 Países africanos d

Covid-19

Países africanos de língua portuguesa multiplicam restrições

(17.03.2020/RTP)

 

Com o panorama (conhecido) dos países ou territórios com alguma ligação a Portugal (e à Língua Portuguesa) − escolhidos 11 – a ser o seguinte (tabela indicada abaixo):

 

País

I

NI

VM

NVM

R

A

G/C

C/1M

Brasil

904

+264

11

+4

2

891

18

4

Portugal

1.020

+234

6

+2

5

1.009

26

100

Índia

249

+55

5

+1

23

221

 

0,2

Marrocos

77

+14

3

+1

2

72

1

 

Macau

17

 

 

 

10

7

 

26

Cabo Verde

1

+1

 

 

 

1

 

2

Angola

1

+1

 

 

 

1

 

0,03

Moçambique

-

-

-

-

-

-

-

-

-

S. T. Príncipe

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Timor

-

-

 -

-

-

-

 -

-

-

Guiné-Bissau

-

-

 -

-

-

-

 -

-

(11 P)

(Total)

(2.269)

(+569)

(24)

(+8)

(42)

(2.202)

(45)

(-)

worldometers.info

(I: Infetados NI: Novos Infetados VM: Vítimas Mortais NVM: Novas Vítimas Mortais

R: Recuperados A: Ativos G/C: Graves/Críticos C/1M: Casos/1 Milhão P: Países)

20.03.2020

21:39 TMG

 

Dos 11 países escolhidos não existindo dados sobre 4 (todos ex-colónias portuguesas) e dos 7 restantes (Portugal, 4 ex-colónias suas, índia e Marrocos), com o Brasil (localizado no outro Hemisfério, o Sul) agora a entrar no Outono (deixando o Verão, quando segundo se diz “o bicho não gosta de calor”) e sob o comando do louco Bolsonaro a liderar já o Top de Vítimas Mortais (com 11) ultrapassando Portugal (com 6). Dos restantes com a índia e Marrocos a sofrerem já na pele a ação do coronavírus (5 e 3 mortes respetivamente) e com Macau/Cabo Verde e Angola ainda sem vítimas mortais (coisa rara). Entretanto (números já tendo sido atualizados) com o número total das vítimas mortais em 11.355 (e dos casos ainda ativos, graves ou críticos, sendo 7.974) pelas 22:20 TMG.

 

(imagem: RTP)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:56