Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

04
Abr 19

Extinção em Massa do Ordoviciano, Devoniano, Permiano, Triássico e Cretáceo, seguindo-se o Holoceno, tempo em que nós vivemos e em que poderemos ser os grandes protagonistas – da Extinção (do Homem) e sucedendo aos nossos queridos Dinossauros (então com o Homem a perpetuar-se nas prateleiras de um novo Toys "R" Us e nas mãos de um outro animal).]

 

Fanerozóico

(últimos 542 milhões de anos)

 

531px-Extinction_intensity.svg.png

(% de Extinção Marinha/Milhões de anos)

 

Num momento da História da Terra em que poderemos já estar a viver a 6ª Maior Extinção Maciça um recordar dos seis Eventos de Extinção (para já conhecidos): (1) há quase 450 milhões de anos o fim do Ordoviciano com a extinção de cerca de 85% das espécies (como os graptólitos), (2) há 375 milhões de anos já avançado no Devoniano com a extinção de 75% das espécies (entre elas as trilobites), (3) há 250 milhões de anos no fim do Permiano com a extinção de mais de 95% das espécies (caso dos tabulate coral) a maior de todas as extinções, quase erradicando todo o tipo de vida do nosso planeta (4) há 200 milhões de anos no fim do Triássico com a extinção de 80% das espécies (como os Conodanta) e finalmente (5) há 66 milhões de anos no fim do Cretáceo com a extinção de 76% das espécies (caso da amonite e podendo Já em terra circularem os dinossauros). E iniciada a 6ª Maior Extinção Maciça, depois dos Dinossauros seguindo-se (com grandes hipóteses de se acertar, caso não partamos para o espaço) o Homem. (fonte: Viviane Richter/COSMOS)

 

toolkit-01.jpg

 

Num momento em que em Portugal o delfim de Marcello Caetano (1906/1980) se não governa pelo menos é Rei (desde o ano de 2016)

 

– Marcelo Sousa o homem que foi capaz de passar de forte apoiante do Estado Novo (inicialmente até pensado pelo próprio Marcello para seu sucessor) a protagonista do regime Democrata (que lhe sucedeu hoje sendo o seu Presidente)

 

Corporizando através do seu carisma bipolar (adorou/atraiçoou o Padrinho que o iria tornar seu Delfim) uma região particular do planeta Terra (no presente micro) que para determinados observadores aparenta ter parado no respetivo espaço/tempo (veja-se o que Portugal já foi no Mundo e no Passado),

 

Eis que do Outro Lado do Oceano Atlântico os sucessores de um antigo contingente de europeus expulsos das suas terras (de família e de nascimento) e levados pelo mar fora para outro continente distante e ainda no início do seu processo de desenvolvimento e de consolidação

 

– Obviamente tratando-se da América do Norte e particularmente dos EUA

 

Nos prometem de novo a LUA e como se já não bastasse MARTE:

 

Uns (Portugal) alegremente deixando-se ficar (pelo apeadeiro)

 

“Felizmente temos o Algarve, dirão alguns”

 

E vendo sem perceber os outros (EUA) seguir (para a seguinte Estação).

 

foo-02.jpg

 

No final da segunda década do 2º milénio e a caminho de se perfazer meio-século (este ano fazendo 47 anos no mês de Dezembro) sobre o último voo espacial tripulado levando o Homem à LUA e aí fazendo-o pisar (algo de impensável mesmo na altura e em que muitos ainda não acreditam) o seu primeiro Mundo Extraterrestre (o nosso único satélite localizado a cerca de 384400Km da Terra),

 

Com a Agência Espacial Norte-Americana (e governamental) NASA colocada perante o ambicioso projeto e o trabalho já levado a cabo (e tendo a vir a ser concretizado com sucesso) pela empresa privada do multimilionário Elon Musk, a privada SPACE X

 

– Com o seu alvo estratégico apontando o planeta Marte (mais distante de nós, mas supostamente mais interessante), utilizando ainda o nosso satélite natural a Lua (muito mais próxima de nós e já visitada) como forma de financiamento (com voos privados pagos) e desenvolvimento da nave espacial SPACE X STARSHIP que os levará ao seu “Destino-Marte

 

A apresentar finalmente o seu Programa Espacial a ser cumprido nos próximos anos, tendo como objetivo o regresso à Lua e o lançamento da missão Marte (num projeto apoiado pela atual Administração Norte-Americana): não levando milionários em passeios privados e turísticos até à Lua (para o usufruto e o prazer de um só) mas aí alunando, criando uma base e utilizando a Lua como uma plataforma para alcançar com maior fiabilidade (cientifico-tecnológica e não contabilística) Marte e a partir daí e da consolidação de todos os fatores e conhecimentos adquiridos, atirando-se então e decisivamente para o lançamento de um maior e mais arriscado empreendimento espacial, dirigindo-se então para Marte e aí colocando o primeiro ser humano.

 

foo-03.jpg

 

E assim respondendo por necessidade e no presente (sentindo-se abandonada e podendo ser ultrapassada) ao nítido avanço da iniciativa privada na área da conquista do Espaço (igualmente financiada por verbas governamentais) – privados mais que nunca desejosos de tomar as rédeas da Exploração (em todos os sentidos sobretudo comerciais) do Espaço (com a maior abertura da nova Administração norte-americana à iniciativa privada, diminuindo impostos e facilitando o financiamento privado) – com a NASA respondendo ao pedido do atual presidente Donald Trump (da sua Administração e contando ainda com o total apoio de alguns dos seus maiores oposicionistas nas primárias republicanas de 2016) a assumir o desígnio proposto e a apresentar recentemente a sua versão do projeto LUA/MARTE (respondendo assim à apresentação alternativa da privada Space X):

 

“President Donald Trump has asked NASA to accelerate our plans to return to the Moon and to land humans on the surface again by 2024. We will go with innovative new technologies and systems to explore more locations across the surface than was ever thought possible. This time, when we go to the Moon, we will stay. And then we will use what we learn on the Moon to take the next giant leap - sending astronauts to Mars.” (Jim Bridenstine/ NASA)

 

Propondo-nos a LUA em 2024 e Marte para lá de 2030, nesses anos com o Homem voltando a pisar a superfície da Lua e pouco tempo depois a pisar o solo do primeiro planeta para além do nosso o vizinho exterior o Planeta Vermelho: explorando e lá tentando construir a sua primeira base/colónia marciana e com mais esse passo talvez ajudando a abrir mais uma porta para as próximas visitas interplanetárias, interssistemas e intergalácticas. Mas até lá havendo ainda muito que fazer na Terra (cá dentro) e fora dela (no Espaço exterior).

 

(imagens: wikipedia.org e nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:18

02
Abr 19

[Com o metano a poder ter um papel fundamental, no aparecimento de Água em Marte. No caso da Terra e como todos nós sabemos, sendo um indicativo adicional da presença de Vida. Que o digam as vacas, tão famosas pela sua digestão & expulsão − de dejetos (e traques) ricos em Metano.]

 

MarsCraterWalls.jpg

This image

shows large gullies

on both the pole- and equator-facing slopes

of a crater on Mars.

(Image: NASA/JPL-Caltech/University of Arizona)

 

Passado o Equinócio da Primavera (ocorrido a 20 de Março, pouco antes das 22.00) e lendo o SPACE JOURNAL (room.eu.com) relativo ao início da primeira semana do mês de Abril (Primavera no Hemisfério Norte e com a Mudança da Hora já efetuada, de sábado para domingo em Portugal), duas notícias bastante interessantes (pela presença de metano e pela presença de água) envolvendo o ainda misterioso (terá alguma vez tido vida, água, atmosfera?) planeta Marte (assim como o seu meio ambiente hostil) e podendo contribuir para o tão desejado êxito de futuras missões (de exploração espacial) desde sempre cobiçadas por Governos (EUA, Rússia, China) e agora até por Entidades Privadas (como a norte-americana SPACE X):

 

Falando-se da primeira confirmação da presença de METANO em Marte (com uma sonda confirmando os resultados da outra), efetuada por um grupo de cientistas utilizando dados obtidas pela sonda MARS EXPRESS e aí confirmando (relativamente ao mesmo período de tempo) anteriores dados fornecidos pelo ROVER da sonda CURIOSITY mas nunca completamente confirmadas e como consequência levadas a sério (pela restante comunidade científica) e como se já não bastasse (para alegria de ELON MUSK e do seu ambicioso projeto de Colonizar Marte)  da presença ainda hoje (como já poderá ter ocorrido no passado da História Geológica do planeta com mais de 4,6 biliões de anos) de água na superfície marciana − no seu subsolo.

 

Com novos estudos a afirmarem que o planeta “não será tão seco como se pensava” mas na realidade e nalgumas regiões algo húmido não só nos Polos (congelada) como até no Equador (chegando à superfície através de fendas, existentes nas suas inúmeras crateras). Tal como se pode constatar com “New evidence of a planet-wide groundwater system on Mars”:

 

“Earlier this month, scientists suggested Mars once had an ancient planet-wide system of channels that connected underground lakes with an extensive ocean that covered much of the martian surface. Impressive as this sounds, it might only be half of the story.”

(Kerry Hebden/room.eu.com)

 

MarsExpress.jpg

An artist's impression of the Mars Express spacecraft

which has just helped a team of scientists

make the first independent confirmation of a methane spike

recorded by Curiosity in 2013.

(Image: ESA)

 

Deixando no ar a ideia parcialmente confirmada e situando-se para além de uma mera hipótese teórica (ou não se baseasse em resultados práticos obtidos por aparelhos de medição instalados em duas sondas automáticas colocadas no local − uma em órbita/Mars Express outra à superfície/Curiosity Rover) de que no presente Ainda Existirá Água em Marte manifestando-se à superfície por intrusão da mesma (água e com a mesma a ser impulsionada devido a reações físico-químicas) desde o subsolo até mais acima (crosta marciana):

 

“We propose an alternative hypothesis that they originate from a deep pressurised groundwater source which comes to the surface moving upward along ground cracks."

(Essam Heggy/in Nature Geoscience).

 

E para além da presença de Água em Marte (no presente), sabendo-se da sua importância na existência de Vida (veja-se o caso do nosso planeta) e sendo nós seres (e como seu produto) Inteligentes e Organizados (tal e qual numa Linha de Montagem) − ou não fosse a Terra coberta em 70% por água e aproximadamente dentro dos mesmos valores o nosso corpo fosse (maioritariamente) por ela constituído – com a presença de um gás como o Metano (o mais simples hidrocarboneto) que na Terra poderá significar uma grande variedade de coisas (desde objetos a sujeitos): olhando apenas para as informações inseridas na Wikipédia podendo ser originado (o Metano) por ação de Gás e Carvão, de Vulcões e Falhas Geológicas, de Decomposição Orgânica, de Pântanos, de Digestão dos Animais, de Bactérias e etc., entre material mineral e material ORGÂNICO, possivelmente BIOLÓGICO, VIVO, ORGANIZADO.

 

(legendas/imagens: Kerry Hebden/as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:09

25
Mar 19

"Mesmo que não a vejamos a Verdade anda sempre por aí"

 

issue17-A-panorama-combining-images-from-NASAs-Cur

Aqui estando bem exposta

a diversidade geológica

verificada no monte Sharp

(Marte)

 

Num artigo (publicado em room.eu.com) de Eriita Jones (Universidade do Sul da Austrália) relativo ao ano de 2018 e contando (na investigação) com a colaboração (no terreno) do módulo de aterragem da sonda PHOENIX e do laboratório científico-marciano do ROVER CURIOSITY (recolha de dados), o lançamento da hipótese de que a possível solução para a já tão antiga questão da existência de Vida no planeta Marte (talvez ainda hoje), poderá residir nos fluxos salgados líquidos ainda escorrendo por extensas regiões da subsuperfície marciana: e neles podendo albergar Vida Microbiana. Tentando com este estudo levar os cientistas a abandonarem a ideia (errada) de que Marte se resume apenas a um planeta seco e sem vida, até pela diversidade (extensa) de solo (apresentado) e de alguns meios ambientes temporários − instalados no subsolo − podendo obviamente sugerir o contrário: aparentemente seco mas ainda com Vida.

 

(imagem: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:30

08
Jan 19

Neste Milénio com o Homem já nas luas de Júpiter/Saturno – ou mesmo muito mais além!

(ou então nos arredores como Europa/Ganimedes/Calisto)

 

Apresentando o Mundo mais intenso a nível de Atividade Vulcânica em todo o Sistema Solar (incluindo nele todos os corpos celestes aí se movimentando): uma das 79 luas do maior planeta do nosso Sistema (Júpiter) IO (de dimensão ligeiramente maior que a nossa LUA). Falando um pouco de nós deixando a grande distância (e em termos comparativos) o Anel de Fogo do Pacífico (a região geologicamente mais ativa do nosso planeta a Terra).

 

JunoCam-Juno-Io-volcano-Dec-21-2018.jpg

1

Pluma vulcânica ejetada da superfície da lua de Júpiter IO

(ao centro/câmara da sonda JUNO/21 de Dezembro de 2018)

 

Uma imagem (1) registada pelas câmaras da sonda JUNO numa das suas várias passagens (previstas) em torno do planeta JÚPITER (orbitando-o a maior ou menos distância e aproximando-se/afastando-se de outros corpos celestes próximos, como as luas do planeta), mostrando-se ao centro uma erupção registada na sua lua IO (no ponto de separação entre a parte iluminada e a de sombra provocada pelo gigante-gasoso). Em dimensão a 3ª.

 

Galileo-Io-volcano-Jan-4-2019-800x450.jpg

2

Erupção vulcânica capturada pela sonda Galileu

(na sua passagem por IO no ano de 1997)

 

Como se pode ver com esta erupção vulcânica devido à sua grande intensidade (e brilho) a ser vista a grande distância no Espaço (do objeto observado), podendo-se com a melhor compreensão deste fenómeno (de ejeção de material da superfície da lua) entender todo o mecanismo envolvendo a influência do planeta Júpiter, não só com IO como com outras das suas muitas luas (como por exemplo EUROPA). Tal como já registado pela Galileu (2).

 

Voyager-1-Io-south-pole-1979-793x1024.jpg

3

Planícies vulcânicas na proximidade do polo sul de IO

(registado pela VOYAGER 1 no ano de 1979)

 

Aproveitando para referir que nas missões de exploração entretanto tendo vindo a ser desenvolvidas no Sistema Solar (na procura de outros Mundos/que não a Terra, de preferência com alguma forma de vida orgânica), têm sido cada vez mais fortes as evidências não só da evolução registada em Mundos ainda jovens como por exemplo IO (3) – através de fenómenos geológicos – como simultaneamente tem surpreendido o número de (Mundos) potenciais candidatos à existência de Água: esse bem tão precioso para a existência do Homem, como poderá ocorrer no caso de outra lua (de Júpiter) como por exemplo Europa.

 

Construída a Estação Espacial (ou outra plataforma móvel nas proximidades da Terra) e atingida a Lua e Marte (prevendo-se para a década de vinte), com o Homem a estar pronto (ultrapassado o protótipo) para as Viagens Interplanetárias: aí atingindo as luas de Júpiter e de Saturno e abrindo novos caminhos na Exploração Espacial.

 

(imagens: NASA em earthsky.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:16
tags: , , ,

05
Nov 18

Porque não considerar por muito estranho que pareça

Que um outro tipo de Vida exista num planeta como Marte?

 

CR0_594397295PRC_F0730000CCAM02218L1.jpg

Superfície de Marte

CURIOSITY ROVER – SOL 2218

02-11-2018

(aproximadamente pelas 03h UTC)

 

Cenário do que poderia muito bem ser uma concentração orientada

(centro urbano/rede de comunicações)

De um determinado aglomerado populacional

(neste caso alienígena)

De características aparentemente organizadas

(tomando a nossa civilização e a de outros seres – por exemplo o Homem e as Formigas – como termo de comparação)

 

– Tal como observado a partir do Espaço –

 

Proporcionando-nos um espetáculo tão comum de se ver na TERRA

(um corpo celeste irmão e vizinho)

E aí confirmando

(no nosso planeta)

A existência de VIDA

(à vista e à sua superfície)

 

– Sob uma forma colorida

(devido a todas as reações físico-químicas e ao omnipresente eletromagnetismo)

 

Da alternância CAOS/ORDEM, das respetivas TRANSFORMAÇÕES e do MOVIMENTO Associado (juntando Massa e Energia):

 

5700.jpg

Superfície da Terra

Vista aérea de casas no estado da Florida

Cities part of the system we’ve invented to keep people alive on Earth

(K.S.Robinson/theguardian.com)

 

E Transportando-o para Marte

 

– Este Cenário já tão visto (aqui)

 

Teoricamente

(como em Mundos Paralelos)

Coincidindo e podendo ser um caso prático e eficaz

(da sua replicação)

Noutro Lugar que não este

(a TERRA)

Até hoje considerado Único.

 

Mantendo-se esta dúvida (Presença do Mundo Mineral ou em simultâneo Presença do Mundo Mineral e do Mundo Orgânico – tal como na Terra coexistindo em Marte)

E aumentando

(como se tem verificado)

A possibilidade da existência de Água no planeta

(em depósitos subterrâneos),

 

Com mais este nosso Problema (Existencial e de mudança de Armário) a poder ser mais um incentivo para partirmos à Aventura: tal como já no Passado (com os Navegadores e os Descobrimentos) por Necessidade e Sobrevivência (só os mortos não se mexem).

 

(imagens: nasa.gov – Alamy/theguardian.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:55
tags: , ,

04
Nov 18

O que se vê – a Superfície do Planeta – nada revela (já que nada se cria) e tudo envolve (já que nada se perde): aparentemente nada existindo

(tal como os desertos o fazem, ocultando imensos segredos)

 

A partir do instrumento HiRISE equipando a sonda orbital MRO, uma imagem do Polo Sul da superfície marciana, revelando-nos um cenário pouco usual para esta região do planeta:

 

“With a set of curved ridges of unknown origin”.

(nasa.gov)

 

PIA22803.jpg

Marte

Pontes e Poços Encurvados

(Curving Ridges and Pits)

PIA 22803

 

Deixando-nos aqui a pensar no interior do nosso Ecossistema (de cariz protetor, certamente temporário e direcionando-nos para o Nomadismo = Movimento)

 

– Habituado como ainda estamos a poder projetar o TEMPO no ESPAÇO (o nosso FUTURO)

 

Que se um dia a VIDA pegou neste nosso planeta

 

– Ainda como um grande Calhau, em convulsão e efervescente

(num Reino Mineral, líquido, pronto e evolutivo/a coluna vertebral)

E posteriormente inseminado

(dando suporte à estrutura – central/mineral – e à Origem ao Mundo Orgânico)

 

Porque não o poderá fazer noutro Mundo (como Marte) que não este (a Terra):

 

ESP_056311_0940.jpg

Marte

Um terreno pouco comum

(nesta região marciana)

ESP_056311_0940

 

No Futuro ou no Passado tendo a TERRA ou tendo MARTE como Objeto ou como Imagem (de uma mesma Projeção), podendo-se facilmente sugerir que o que se passa com um também se passará com o outro.

 

Nas profundezas de Marte abrigadas e protegidas podendo-se encontrar ÁGUA e mesmo Vida Orgânica (tal como nos locais mais inóspitos da Terra e até do Espaço).

 

“Small pits are present, often concentrated on the ridges, that may have resulted from sublimation of ice”.

(nasa.gov)

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:30
tags: ,

12
Ago 18

[Em excesso e na cabeça]

 

Chegará o dia em que ultrapassados todos os limites (na nossa cabecinha implantados), bateremos com a cabeça na casca do nosso ovo (daí surgindo a clareza ou de novo a escuridão).

 

240_F_129160441_Jk7amnDnHah9SHDFLHggG1sILdsWKVQU.j

A última matrioska solar será feita de hidrogénio

 

Para todos aqueles seres Humanos ainda obcecados pela contínua e infinita descoberta da Origem e do Fim de tudo – por exemplo do Sistema Solar o seu Centro e os seus Limites – um dos objetos dessa mesma obsessão será sempre o de definir o Modelo como um Conjunto Fechado, de modo a desse modo tentar impor-lhe (o mais cientificamente possível) propriedades e leis adaptáveis (refletindo como num Espelho o Conjunto por nós Idealizado) que permitam compreender minimamente o funcionamento e o desenvolvimento (ao longo do Tempo e do Espaço disponibilizado) do Organismo Cósmico onde vivemos. Desde sempre com o Homem à procura do Centro como explicação para o aparecimento da Vida, da sua existência e da sua expansão (a caminho da Perfeição/na componente física e de Deus/na componente espiritual) – na altura certamente (a existir) uma Barriga de Aluguer ou ainda hoje não persistisse a dúvida, entre “a primazia do Ovo ou do seu criador a Galinha” – ou não fosse ele Único e o expoente Máximo da Vida Orgânica Conhecida. À falta de Espelhos (para se ver e adorar) procurando proteção nos Deuses, falhados estes (entregue à autogestão os centros de reprodução) procurando-a na Natureza (sempre em movimentação e rebelde) – algo impossível de encontrar (ou não estivesse a mesma sempre em Transformação) – desistindo sem sequer pensar (nas consequências) violando-a de imediato (na ânsia de obter mais-valia), face à sobrelotação e ao situacionismo (com os 7,5 biliões a assistirem à guerra representativa Milionários/Súbditos) reestabelecendo a Lei da Selva, para final e irremediavelmente (colocado perante o abismo) e mesmo assim sendo incapaz de olhar (mesmo sendo a Terra redonda e indo-se ter sempre ao mesmo lugar – daí a nossa necessidade incessante – como nómadas – de viajar e sobreviver), não querer espreitar nem ver talvez pela simplicidade de compreender. Um ser Humano podendo ser definido como a única Máquina até ao momento conhecida como sendo capaz de se identificar como algo diferenciado das outras espécies com ela convivendo e partilhando as mesmas coordenadas (de Espaço/Tempo), num Evento pela mesma Máquina considerado único e só sendo possível de ocorrer por intervenção exterior (ou Divina, de comando/superior) do Molde Original (esse sim) 100% Biológico. Recentemente com os nossos cientistas a descobrirem eventualmente mais uma nova e virtual fronteira para todo este subconjunto (o Sistema Solar) – como o poderia ser o Cinturão de Kuiper ou até a Nuvem de Oort – agora podendo ser delimitado por uma grande Muralha de Hidrogénio (talvez um depósito de combustível para viagens interestelares). E por onde anda o oxigénio?

 

(imagem: WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:17

30
Jul 18

[E Outras Merdas]

                                                                             

-  Água Não … -

 

mars-rover-opportunity-Wdowiak-Ridge-Sol-3786B-pia

Marte – Wdowiak Ridge

(Opportunity Rover – 17.09.2014)

                                                                                                           

“Sendo um planeta extremamente seco (um verdadeiro Inferno para os Humanos maioritariamente H₂O) mas com Água sob as suas calotes polares (importante para a subsistência de uma possível colónia de Humanos).”

 

Apesar da notícia no mínimo entusiasmante e ainda há pouco tempo emitida de que Marte teria água (na base das suas calotes polares),

 

Underground Liquid Water Found on Mars!

(Matt Williams/universetoday.com/26.07.2018)

 

Publicada num estudo dirigido por Roberto Orosei (e pela sua restante equipa),

 

Radar evidence of subglacial liquid water on Mars

(sciencemag.org/25.07.2018)

 

Levado a cabo pelo INAF (Instituto Nacional de Astrofísica) e incluindo entre outros a ESA (Agência Espacial Europeia),

 

- Água Sim … -

 

snapshot MARS.jpg

Um lago subterrâneo descoberto em Marte

(de água, salgada e localizado sob as calotes polares)

 

Logo a seguir somos informados (agora pelos cientistas da NASA) de que Marte seria extremamente seco tal como nunca visto na Terra,

 

Mars is 1000x Drier Than the Driest Places on Earth

(Matt Williams/universetoday.com/27.07.2018)

 

Num estudo publicado no jornal Astrobiology por uma equipa (entre outras) de cientistas do centro de pesquisa Ames da NASA (localizado em Silicon Valley na Califórnia) e colocando (no fundo) a questão há muito por responder,

 

Is Mars’ Soil Too Dry to Sustain Life?

(Frank Tavares/nasa.gov/23.07.2018)

 

Aí Intitulado (na publicação científica),

 

Constraints on the Metabolic Activity of Microorganisms in Atacama Surface Soils Inferred from Refractory Biomarkers: Implications for Martian Habitability and Biomarker Detection.

(liebertpub.com/Astrobiology/2018)

 

- E Outras Merdas ... -

(como se o Homem fosse a Mosca, a Terra o Excremento e o conjunto formado, o nosso destino de Vida)

 

“No nosso país, o Algarve e o Alentejo encontram-se entre as regiões do planeta que irão sofrer as maiores reduções percentuais de precipitação no final deste século. É por aqui que o deserto vai entrar na Europa.”

(AMCD/trabalhosedias.blogspot.com/2010)

 

agricultura_seca-925x578.jpg

Com mais de 50% do território em risco de desertificação

(no Algarve e numa geração com um deserto à porta de casa)

 

[Enquanto assistimos à Evolução da Terra e ao desenvolvimento do Ecossistema (pela sua extrema eficácia paralelo e coincidente) que à mesma se agarrou – no Mundo Subaquático recordando-nos logo dos Recifes de Corais (agregando carbonato de cálcio, organismos como algas e moluscos e com o próprio coral a ser um animal cnidário) um subsistema do Sistema Global – será de imediata constatação pelo menos para quem aqui chega (vinda do exterior ou oriunda da nossa imaginação) e efetua uma primeira (mas atenta) observação, que o Meio Ambiente (terrestre) que nos sustenta como Raça Dominante (exercendo o seu poder sobre outras raças/espécies) criadora de uma Civilização –

 

aquecimento global - cenários.jpg

Previsão dos aumentos de temperatura na Terra

(tendo com referência o ano 2000)

 

Permitindo-nos sobreviver numa camada exclusiva e estreita envolvendo todo o nosso planeta (estendendo-se da crosta terrestre até à atmosfera – mais rigorosamente a 1ª camada a troposfera/a respirável entre 7/17Km) – está num trajeto irreversível, bem visível no Aquecimento Global e nas Alterações Climáticas, criando um Cenário Global para o Futuro (da Terra, do Homem e de toda a Vida) talvez não muito recomendável para a nossa Sobrevivência: incrivelmente com o Homem a colaborar na criação de todas as condições para a sua própria (e certa) extinção, virando-lhe no entanto as costas (à Terra e ao Homem) – apesar do Perigo Eminente – e fixando-se no máximo aproveitamento (Económico) de Ambos e do Momento.

 

Aquecimento Global - variação percentual do aque

Variação da precipitação na Terra em % de 2080/99

(tendo como referência o período 1980/99)

 

E com os nossos Homens ditos Sábios (muitos deles afirmando-se Excecionais) a fazerem o quê? Descobrindo Água Salgada num local distante, tóxico e mortal (MARTE) e enviando para já um terrestre (o HOMEM das ESTRELAS) nesse sentido e direção, tripulando a novidade de um dos últimos salões automóveis (realizado na Terra): com o Homem das Estrelas a ser um boneco insuflável vindo da Feira popular (vestido de astronauta e com um auricular dando música de Bowie) e com o carro tripulado a ser comandado de casa (do menino com comando) por uma criança-gigante conhecido por Melão (ou Elão acho eu).]

 

(imagems: nasa.gov – nasaspaceflight.co – jornaleconomico.sapo.pt – [trabalhosedias.blogspot.com])

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:33

11
Jun 18

Através da utilização do instrumento SAM (um detetor atmosférico) equipando o Rover CURIOSITY (movimentando-se na cratera GALE) os cientistas da NASA detetaram emissões e variações da percentagem de metano emitido (ao longo do ano e atingindo um pico no Verão) da superfície marciana para a sua atmosfera. Certamente que não tendo origem em vacas ou em ovelhas nem na circulação automóvel, na Terra sendo responsáveis por mais de 30% dessas emissões (de metano).

 

PIA22328.jpg

Presença de Metano em Marte

(Curiosity Rover ‒ PIA 22328)

 

Organic matter preserved in 3-billion-year-old mudstones at Gale crater, Mars

Establishing the presence and state of organic matter, including its possible biosignatures, in martian materials has been an elusive quest. We report the in situ detection of organic matter preserved in lacustrine mudstones at the base of the ~3.5-billion-year-old Murray formation at Pahrump Hills, Gale crater.

(coletivo/sciencemag.org/Junho 8, 2018)

 

Depois do abandono da Lua pelo Homem (em 1972) e com o único artefacto artificial claramente visível e simbolizando ‒ como um ÍCONE ou FAROL ‒ o seu poder cientifico-tecnológico a ser a Estação Espacial Internacional (ISS);

 

Depois de anos sucessivos enviando em direção a objetos próximos (Marte) ou longínquas (para lá dos limites do Sistema Solar) sondas automáticas não tripuladas, atingindo os seus alvos mas não presencialmente (usufruindo sensorialmente da sua presença e dele extraindo sem intermediação conhecimento);

 

Depois de notícias sucessivas da possível descoberta de Vida noutros Mundos próximos que não a (até aí exclusiva) Terra ‒ desde o nosso vizinho interior (à Cintura de Asteroides) o planeta Marte até às luas geladas como a de Europa (um dos satélites de Júpiter) ‒ detetando a presença de Matéria Orgânica e sugerindo Algo mais (nem que tal se tivesse verificado num passado bastante remoto, de uns quantos biliões de anos) como a presença de Água e de Algo supostamente Vivo (mas nunca se saindo para tal conclusão da possível existência de Vida, da presença imprescindível de compostos orgânicos incluindo Carbono/C);

 

pia17944-1-800x533.jpg

 

pia16936-1_3541618.jpg

Sinais de Vida em Marte

(retratados no rodado de um veículo e num furo aberto à superfície)

 

Organic Compounds Found in Martian Soil

Researchers also found seasonal variations in atmospheric methane on the planet that may have a geological or biological origin.

(Sukanya Charuchandra/the-scientist.com/Junho 11, 2018)

 

Eis que os cientistas da NASA vêm agora afirmar (mais uma vez e tal como com a Água) poder existir Vida em Marte:

 

Apenas por terem detetado vestígios antigos de matéria orgânica em rochas localizadas na cratera de Gale (uma possível bacia hidrográfica) ‒ moléculas constituídas por Hidrogénio, Enxofre e Carbono (um dos Elementos da Vida) não necessariamente relacionadas com atividade biológica (mas envolvendo um processo de reações químicas entre água e minerais);

 

E por terem registado (ao longo de um período de seis anos e na respetiva sequência de Estações) uma variação da percentagem de metano presente na (débil) atmosfera marciana: na Terra sabendo-se ser um resultado explicado pela atividade animal e humana (em constante movimento), em Marte faltando confirmar a origem apesar de aí nada se mexer.

 

PIA22329.jpg

Tempestade de areia em crescimento registada em Marte a 6 de Junho e iniciada a 1

(podendo durar semanas/meses e criando mais vento ‒ devido a diferença de temperaturas entre camadas ‒ levantando ainda mais poeira; e a azul a localização de Opportunity)

 

Did ancient life exist on mars? NASA’s Curiosity finds evidence.

Curiosity Rover has found organic molecules and methane releases on the planet Mars. He has been drilling the surface of the Gale Carter on Mars for a long time and now when the rock samples were analyzed, they were found to be composed of organic matter. Scientists also found mysterious variations in the methane in the Martian atmosphere.

(Purnima/theindianwire.com/ Junho 11, 2018)

 

E verdadeiramente com o diário Online israelita HAARETZ (haaretz.com) a fazer a melhor tradução (desta nova situação):

 

“Hold the Bubbly: The Only Signs of Life Found on Mars Are Rover Tracks”

(Ruth Schuster/haaretz.com/10.06.2018)

 

E assim (segundo Ruth Schuster) com outros processos que não o de origem biológica a estarem na origem do aparecimento de metano (um gaz) na atmosfera de Marte (mais de 95% de CO₂ e traços de metano), nesse outro mecanismo podendo fatores físico-químicos inerentes ao ambiente (definindo esse ecossistema) interferir na elaboração de material orgânico (não Vivo), aqui devido à influência de aspetos (proporcionando transformações) como luz, temperatura, pressão e muitos outros (marcadores e condicionantes): com o metano a ficar preso ‒ em caixas geladas subterrâneas ‒ e descongelando, a libertar-se (de seguida) no Verão.

 

(imagens: nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:07

28
Mai 18

Só a ausência total de movimento e de presença eletromagnética (consubstanciadas na Matéria e na Alma) ‒ seja o objeto/imagem de base Mineral ou Orgânica uma certa impossibilidade dado o contexto Infinito ‒ poderá levar-nos a pensar o contrário de Lavoisier: ou seja “Na Natureza tudo Nasce e tudo se Morre, nada Evolui”.

 

Dispostas como folhas secas de uma árvore

Suspensas provisoriamente no ar

Mas prestes a quebrar e a tombar,

 

Estas finas camadas de rochas

Sobrepostas sobre uma estrutura central

E aqui numa sua visão superficial,

 

Sugerem-nos um Outro Mundo

Não de Base Orgânica

Mas de Base Mineral.

 

2056MR0109020000903636E01_DXXX.jpg

MARTE ‒ CRATERA GALE

OPPORTUNITY ROVER ‒ SOL 2056

MASTCAM RIGHT ‒ 19 MAIO 2018

 

Quando nos pomos a olhar para uma imagem distante de um mundo situado no Espaço para além dos domínios da Terra (do nosso Ecossistema Terrestre e da nossa acompanhante a Lua),

 

‒ Como é o caso do mais distante Planeta (Interior) Marte localizado a uma distância média do Sol de 230 milhões de Km

 

A primeira coisa que procurámos (talvez sendo algo de inato e de profundo e ligando-nos às nossas origens) é sempre algo que associe essa imagem em questão (e certamente impressa na nossa Imaginação) com uma outra imagem mas numa outra projeção, tendo como cenário a Terra mas aí com uma (grande) intrusão: a Vida.

 

frase-na-natureza-nada-se-cria-nada-se-perde-tudo-

 

E se na Terra o aparecimento da Vida (orgânica) teve obviamente origem numa Estrutura Central de base Mineral,

 

(que conjuntamente com a Água ‒ o dissolvente ‒ se traduziu na constituição da esmagadora percentagem do corpo da maioria dos seres vivos ‒ incluindo o Homem ‒ movimentando-se num Espaço/Tempo sucessivamente replicado e gerido por Impulsos Eletromagnéticos)

 

Porque não pensar que em Marte mesmo vendo-o hoje (século XXI) como um planeta seco, morto e sem vida, num passado remoto (talvez de 2/3 biliões de anos) e numa outra fase da sua evolução,

 

‒  Não coincidente (cronologicamente) com a nossa ‒

 

O mesmo (Marte) terá dela (Vida) usufruído num Testemunho Idêntico (ao nosso) ou então algo diferente, no mínimo (por associação) semelhante. Podendo um deles ser o Objeto, o outro a Imagem e o Espelho sendo a Tela.

 

(imagem: nasa.gov e kdfrases.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:27
tags: , ,

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO