Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Ago 19

Num momento da ainda tão curta “História conjunta da Terra e do Homem” em que poderemos estar em direto e ao vivo a assistir à “Queda de um Império” (tal como anteriormente terá sucedido com o “Império Romano”) − o “Império Norte-Americano” – e ao surgimento de outro − o “Império Chinês” – sendo de considerar ser nestas mudanças de ciclos (antes de se atingir de novo o equilíbrio) que se verificam (tal como com o nosso Astro-Rei o SOL, ao passar de um ciclo para o seguinte) certos Eventos − relevantes e por vezes determinantes: como uma III Guerra Mundial.

 

46367097991_eaf9c61fd3_o.jpg

 

Face ao clima extremamente intimidatório (tanto psíquica, como fisicamente) em que no presente se vive nos EUA (no seu interior), afetando igualmente maiorias e minorias, homens e mulheres, nacionais e emigrantes e todos aqueles vistos individual ou coletivamente pondo em causa o sistema Estalinista de partido único vigente (um partido bipolar, pretensamente aberto a Republicanos e Democratas) nos seus 50 Estados e restantes Territórios, sendo necessário acrescentar à previsão do THE NATIONAL INTEREST (revista norte-americana fundada em 1985 e dedicando-se à política internacional) − sobre os 5 locais mais suscetíveis de início da WW3 − uma 6ª hipótese cada vez mais credível, por aparentemente mais próxima (no tempo, conhecido já o espaço) e dada a sucessão de evidências e mesmo factos (com alertas coletivos e sinais individuais): com os locais considerados pela revista The National Interest (nationalinterest.org) a serem, (1) o MAR do SUL da CHINA, (2) a UCRÂNIA, (3) o GOLFO PÉRSICO, (4) a PENÍNSULA da COREIA e “devido à imprevisibilidade” e até como alternativa (falte algum território na hora da partida) outro local como (entre outros sempre disponíveis) (5) a Venezuela – todos pondo em causa os interesses da Rússia e da China, logo sendo um ataque direto e aos mesmos dirigido (provocatório) – aos quais deveríamos obrigatoriamente e sendo honestos (“Qual o Território detentor de todo o Dinheiro e de todas as Armas?”) acrescentar (6) os EUA, dada a possibilidade existente do eclodir de mais uma Guerra Civil podendo tomar contornos (dado os EUA serem a Grande Potência Dominante e Global) de uma III Guerra Mundial.

 

cdbe4e8b-c8f6-411f-8bf9-9281b78777ef.jpg

ÚLTIMA HORA:

(US Civil War)

Multiple people were killed Saturday in a shooting

at a shopping center in El Paso, Texas.

One suspect is in custody.

At least 22 people were injured.

Eleven victims were transported to the Del Sol Medical Center.

Another 11 victims were taken to the University Medical Center of El Paso.

(CNN/cnn.com/03.08.2019)

 

(imagens: nationalinterest.org e cnn.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:48

26
Jun 19

“Any attack by Iran on anything American will be met with great and overwhelming force.

In some areas, overwhelming will mean

OBLITERATION.”

(Donald J. Trump/@realDonaldTrump)

 

con_wallpaper_airforce_europe.jpg

WW3

Jogos de Guerra

(de Virtuais a Reais)

Com o Presidente dos EUA a ameaçar

OBLITERAR o Irão

 

Face à “não compreensão” por parte da liderança do Irão das “palavras bonitas e expressas com compaixão por parte dos EUA”, a ameaça feita por Donald Trump – pondo de lado acordos e diálogos e recorrendo à Força (das Armas) e ao Poder (do Dólar) − de “fazer avançar de imediato o seu fabuloso investimento (feito nestes últimos dois anos) de 1,5 Triliões de Dólares (na sua Poderosa Força Militar)”. Depois de Barack Obama com Donald Trump a arriscar-se a ser reeleito (para um 2º mandato Presidencial) e talvez mesmo (porque não, se até Obama o conseguiu) a ganhar o prémio Nobel da Paz.

 

Então sim deixando os Falcões (como John Bolton) − ligando o Estado Profundo à Administração da Casa Branca, através do Complexo Industrial-Militar − de mãos-livres e prontos a entrar em ação: podendo terraplanar o Irão, cometer mais (um Genocídio) um Crime de Guerra e partir definitivamente para a (de momento com o arranque temporariamente suspenso) WW3.

 

(imagem: conflictnations.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:49

Depois de ataques a 2 PETROLEIROS e do abate de 1 DRONE (aparentemente da iniciativa de uma das partes, conforme afirmação da outra parte e não provocando vítimas), não estando ainda reunidas as condições mínimas (segundo TRUMP) para o início da WW3.”

 

world-war-3-usa-iran-nuclear-deal-sanctions-donald

EUA Vs. IRÃO

(Donald Trump Vs. Ayatollah Khamenei)

 

Utilizando uma balança e colocando num dos seus pratos 150 IRANIANOS (inicialmente considerados sem custos para o Utilizador) e no outro 1 DRONE − no valor de mais de 130 MILHÕES de DÓLARES − a cerca de 10 minutos do início do ATAQUE ao IRÃO e já com os aviões no ar e os misseis prontos a serem lançados, eis que o Milionário DONALD TRUMP atualmente o Líder Global por Presidente dos EUA (o Estado com mais Dólares & Pistolas), surpreende os seus FALCÕES (de Guerra, como John Bolton) não autorizando e abortando o ataque e não carregando no (dito cujo) BOTÃO:

 

190620082425-03-rq-4-global-hawk-file-exlarge-169.

Veículo aéreo não tripulado RQ-4 Global Hawk

(idêntico ao drone norte-americano abatido pelo Irão)

 

Nestas circunstâncias concluindo-se que segundo DONALD TRUMP cada IRANIANO (cada sujeito) lhe sairia (à peça) acima dos 1 milhão de dólares, mais dispendioso (a todos-os-prazos) do que o custo, de (um objeto como) um DRONE. Com a WW3 a não se iniciar ainda este mês (mas com o “Programa a Seguir Dentro de Momentos”) devido a algumas “anomalias técnicas verificadas” a que “alguém dirá ser totalmente alheio”.

 

page_1.jpg

EUA em rota de colisão com o Irão

(grande produtor e detentor global de reservas de Petróleo)

 

[Já no que diz respeito ao Iémen e à Guerra Civil aí em curso (desde 2015) – com 80.000 mortos, 50.000 feridos e mais de 3.000.000 de deslocados – contando com a presença de um lado com os rebeldes Houthis (apoiados indiretamente pelo Irão e pelo Hezbollah) e do outro com as forças Governamentais (apoiadas diretamente e no terreno pelo regime da Arábia Saudita, pela Al-Qaeda e pelo Estado Islâmico), apesar do Genocídio tratando-se de um Negócio diferenciado e bem lucrativo (se comparado com o anterior) desde logo pela posição dos EUA perante a “troca” antes pagando o “esforço de guerra” mas agora recebendo pelo material (armamento) mas pondo outros a combater e sobretudo a pagar: e quanto mais se vendendo maior o lucro.

 

yemen-war.jpg

Com bombardeamentos indiscriminados levando tudo à sua frente

(terraplanando infraestruturas básicas e matando tudo o que mexe)

 

Só nos últimos anos e com o desenvolvimento da ação (Intervenção Armada) saudita no Iémen (em mais um Crime de Guerra promovido por um Estado) com o número de vítimas mortais (sobretudo civis, mulheres, velhos e crianças) a caminho da centena de milhar e com as vendas de armamento dos EUA à Arábia Saudita podendo ascender no final e no total (cumprindo-se o “Negócio”) a uns 110 biliões de dólares (para já não falarmos da Grã-Bretanha, da França e até do Canadá). Num “Festim Canibal Saudita” em que cada iemenita morto ficaria por 1 milhão de dólares, ao mesmo preço que no (anteriormente focado) ataque ao Irão, mas aqui com muitos mais (civis iemenitas) candidatas ao seu próprio míssil (pessoal).]

 

(imagens: GETTY/express.co.uk – CNN/cnn.com – The Economist/issuu.com – wsi.co)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 09:31

14
Abr 17

Ou então do Chocolate.

[Já que alienados, somos todos nós.]

 

“O chocolate contém um aminoácido chamado triptofano, responsável pela produção de serotonina no cérebro. A serotonina recebe quimicamente o nome 5-hidroxitriptamina e é representada pela fórmula molecular N2OC10H12, é a "substância química do bem-estar", é responsável pela sensação de felicidade e prazer.” (Líria Alves/brasilescola.uol.com.br)

 

Trump-cake.jpg

Donald Trump

45º Presidente dos EUA

Envolvido num novo escândalo ‒ o Russia Gate Chocolate Cake

(confundindo Síria com Iraque como se os dois tivessem algo em comum)

 

Depois da chegada surpreendente do Milionário da Hotelaria, dos Casinos e das eleições de Misses DONALD TRUMP a Presidente dos EUA ‒ retirando o cetro antecipadamente entregue à predestinada HILLARY CLINTON ‒ muitos norte-americanas pensaram que com a chegada de um novo líder privilegiando a política interna (a América Primeiro) face à política externa (evitando o envio de tropas, tentando dialogar e assim evitando novos conflitos e guerras), não só a sua situação económica tenderia a melhorar (como os primeiros indicadores financeiros pareciam querer sugerir) como finalmente e depois de anos e anos de conflitos, de guerras e da morte de milhares de norte-americanos (civis e militares), a fúria pela reprodução de sucessivos cenários de Guerra (interessando apenas ao diversificado Complexo Militar Norte-Americano & Seus Subsidiários) terminaria de vez: nem que fosse por um curto-prazo para se pensar livremente, refletir e só depois se decidir.

 

Interrompendo de vez a iniciativa terrorista levada a cabo a 11 de Setembro de 2001 nos EUA e que teve como consequência, o encobrimento de Estados autores do atentado (com a Arábia Saudita e os seus pilotos e demais terroristas à cabeça), o desviar das atenções para dois alvos colaterais apenas a serem utilizados em último recurso (e desde que pelo menos um deles fosse possuidor de matéria-prima, um ópio o outro petróleo, de acordo com os gastos militares envolvidos), a destruição total de 2 Estados reconhecidos pela ONU (o Iraque e depois a Síria para já não falar da Líbia e do Iémen) acompanhados num total (talvez mesmo mais) por 1 milhão de mortos (entre militares e civis, muito mais dos últimos) e sobretudo o apoio à estratégia de difusão do terrorismo mas agora a nível global e logo numa tentativa nunca imaginada mas que pelos vistos até poderia ter sido bem-sucedida, da criação de um Estado de Mercenários denominado como Estado Islâmico, com território, com capital e até com um futuro mapa de expansão (que chegaria à Península Ibérica):

 

moabrelease_4.jpg

MOAB

A maior bomba não nuclear ao serviço das forças militares dos EUA

Inicialmente produzida para ser utilizada na Guerra do Iraque

(e logo suplantada pela maior bomba não nuclear atual de origem russa o FOAB)

 

Tão bem representado por um Boneco chamado George (pai e filho);

No intermédio copiado por outro Boneco chamado Bill;

Por momentos tentando ser seguido por outro Boneco chamado Hillary (que BO não deixou limitando-se a brincar com drones e deixando cair Hillary);

Mais uma vez com o Boneco Hillary pondo-se em bicos de pé tentando chegar lá chegar (caindo com estrondo e ainda hoje com muita gritaria).

 

E agora com Donald Trump, o candidato antissistema, o militante antiguerra e o profeta propulsionador do ressurgimento da América, tal como BO diria Excecional, completamente cercado por Democratas, Republicanos e até Militares, a ser obrigado face ao seu eleitorado a contradizer-se e a negar tudo tal como o fez Judas (3 vezes, sendo a 1ª atacando a Síria, a 2ª atacando o Afeganistão e a 3ª atacando a Coreia do Norte) carregando mesmo no botão (o sonho do Boneco Hillary) e personificando finalmente o seu papel de Boneco: conformado, bem pago mas descaracterizado e desde já derrotado. E com o artista (aquele que manipula o Boneco) obviamente a não ser Putin. Um boneco ainda com sorte face ao que aconteceu no passado e em circunstancias muito semelhantes com J. F. Kennedy (o problema sendo que este ainda tinha algo dentro da cabeça para além do cabelo observado de fora).

 

ufo1.jpgufo 2.jpg

I-II

 

ufo 3.jpgufo6.jpg

III-IV

 

Alienas amigos

(e tentando evitar a WW3)

Nesta sequência de imagens (simulação do sucedido) com um UFO aproximando-se de um míssil em movimento, atingindo-o de seguida e originando a queda e a destruição do mesmo

 

E nestes momentos de pura indefinição política com dois blocos poderosos (um virtual e outro real) num duro conflito no interior dos próprios EUA (de longe a maior potência militar à face da Terra) ‒ perspetivando-se que algures no Mundo alguém irá pagar por isso, até como desresponsabilização antecipada para os dois blocos em conflito (apenas e somente numa luta de lugares e hierarquia) ‒ com os seus cidadãos acompanhados pelos de todo o mundo (cerca de 7 biliões), perdida mais uma vez a Esperança depositada nos seus representantes eleitos (adaptando-se e se necessário fazendo o oposto do anteriormente prometido), a virarem-se de novo para o Céu talvez à espera de mais um Milagre. E com a Igreja já ocupada noutras atividades como o da consagração do Milagre de Fátima (para os portugueses recordar já é viver), restando a todos nós (1) a via do nosso imaginário (ainda tão desconhecido) ou (2) de outra realidade entretanto (sendo) projetada ‒ e muitas das vezes mal interpretada (talvez pelo fascínio político da pura conspiração, sendo como é um dos maiores instrumentos de manipulação ‒ que o digam os média). Mas face ao perigo de se expor optando-se sempre pela mesma (2).

 

E com o Imaginário toldado e rodeado por muitas dúvidas (Reais), vendo-se o Homem a olhar para cima perscrutando atentamente os Céus e num número sempre crescente (natural devido à persistente observação) detetando anomalias: talvez procurando em desespero a chegada do Salvador, temendo estar por aí o início da Terceira Guerra Mundial. Só podendo ser estrangeiros oriundos de Outros Mundos ‒ naturalmente bem recebidos por Trump/Presidente se com a devida autorização de toda a Administração ‒ e nunca emigrantes clandestinos já residentes nos EUA (como os mexicanos e vejam-se as consequências). Nesse sentido e em conformidade com o desenrolar natural de todos estes acontecimentos, com os avistamentos de objetos voadores desconhecidos sobrevoando o nosso planeta, rodeando a ISS, circulando nas nossas imediações (espreitando as nossas atividades na Lua e em Marte) e até atuando misteriosamente nas proximidades da nossa estrela (como se estivessem lá com algum tipo de objetivo, bom ou nem tanto), sugerindo que algo se poderá estar mesmo a passar tendo a Terra como foco e uma possível intervenção (não visível ou verificável podendo-se catalogar como milagre). E assim evitando (mais uma vez e talvez por definitiva) a WW3!

 

1-trump-doll-2.w529.h352.2x.jpg

O Boneco

Na realidade ao serviço de quem (obviamente para além dele)?

E tendo atrás si e como sempre uma Grande Mulher

Utilizando chocolate para dar felicidade e prazer

 

Muito dependendo de quem controla o botão: pelos vistos não sendo certamente DT (e passando às revelações), passando o seu tempo-livre no Twitter, mais de 6 horas à frente da televisão, muito tempo a jogar golfe e ainda-por-cima comendo (sem controlo) muito bolo de chocolate ‒ enquanto vai viajando, gastando o dinheiro dos outros e aparecendo aqui e ali (na televisão) apenas para mostrar o Dedo do Botão. Ou não fosse ele o Novo Boneco só não se sabendo quem o controla.

 

Qualquer um de nós sabendo que a melhor forma de (com um comando) se controlar eficazmente um boneco à distância, é estarmos o mais perto possível dele (senão mesmo no seu interior) para desse modo se evitarem as inevitáveis interferências: tal como o fez a mulher de DT ao dar-lhe uma fatia de bolo de chocolate (à Bela Adormecida fora uma maçã) induzindo-o a atacar o Iraque ou então talvez a Síria. Com este certamente a não estar a dormir.

 

(imagens: sickchirpse.com/armaholic.com/ufosightingshotspot.blogspot.pt/ nymag.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:27

05
Mai 14

What’s the real story?

May 04, 2014

T Anthony Michael

 

 

There have been many wars — terrible wars — fought on Planet Earth over the past 100 years.  However, the greatest war of them all could literally be around the corner, unless it is stopped by the people of this planet. The epic confrontation in the Ukraine presents the most dangerous and unprecedented conflict between the world’s superpowers since the breakup of the Soviet Union.  Truly, this clash between East and West represents an economic, political and religious battleground that will dwarf every other war save WWI and WWII.  If the conflict in the Ukraine is not resolved peacefully, it has the potential of evolving into a full blown World War III scenario.

 

(marketoracle.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:59
tags: ,

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO