Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Mar 21

“Com o Planeta Vermelho a colaborar

(com poeiras marcianas)

na composição colorida do Cenário

(que é o nosso Céu Noturno).”

 

Quando por vezes ao sair de casa olhamos para o céu noturno e limpo sem a presença refletora da Lua, reparamos numa determinada localização do mesmo (céu) que nos é aí apresentado, na presença de um brilho de origem desconhecida (o Zodiacal) dando-lhe outro colorido ─ ao céu, já por si cheio de estrelas (vistas como pontos brancos e coloridos, cintilantes): constituído por pequeníssimas partículas, refletindo o Sol e brilhando para nós.

 

zodiacallight_rba.jpg

No Céu da Terra, Sinais de Marte

 

Um tipo de fenómeno celeste sujeito a várias averiguações, evoluindo a sua explicação ao longo, não só de factos como do tempo e de todas as exposições publicadas, podendo desde já apresentar duas (por conhecidas): sendo obviamente partículas de poeiras orbitando como a Terra o Sol, originadas nos asteroides/1ª opção (vindos do respetivo Cinturão, situado entre Marte e Júpiter) ou então nos cometas/2ª opção (vindo de locais mais afastados como a Nuvem de Oort). No entanto e agora não sendo bem assim e às duas opções adicionando-se ainda outra (a 3ª opção): a de que as poeiras brilhando no céu noturno ─ do Zodiacal ─ teriam origem em Marte (usando como prova dados recolhidos pela sonda automática Juno fazendo o seu cálculo de poeiras ao longo da sua viagem ─ da Terra passando por Marte até chegar a Júpiter ─ pela densidade/concentração detetada sugerindo a fonte ser o Planeta Vermelho).

 

[E se viajando poeiras de Marte, porque não naves espaciais, marcianos ou outros seres estranhos: agora, depois ou antes e até podendo ser nossos ascendentes (já agora fugidos de Marte, há milhões e milhões de anos ─ tendo Marte mais de 4 biliões deles ─ e antes que as poeiras os engolissem).]

 

(imagem: Rogelio Bernal Andreo/syfy.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:39

26
Abr 14

Nesta imagem obtida a partir da sonda LADEE na altura numa trajectória em órbita do nosso satélite a Lua (em 12.04.2014), pode-se ver no horizonte da superfície lunar o nascimento da nossa estrela o Sol.

 

Lua – Luz Zodiacal

 

Esta visão fantástica obtida a partir das vizinhanças da Lua é ainda mais extraordinária já que ao contrário do que acontece na Terra ao amanhecer, não existe atmosfera para potenciar o efeito da luminosidade solar.

 

A sonda da NASA acabou por se despenhar propositadamente – cinco dias depois (a 17.04.2014) – sobre a superfície do “lado escuro da Lua”: talvez com a intenção de se aprofundar o conhecimento sobre a geologia lunar, através do registo e da análise das ondas sísmicas aí provocadas.

 

(imagem – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:10
tags: , ,

Abril 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO