Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

11
Abr 14

 

Rush Limbaugh e Stephen Colbert

 

Apesar dos Estados Unidos da América “serem o que são”, nem todos os profissionais de comunicação social norte-americana – mesmo trabalhando para órgãos de comunicação social subsídio-dependentes da iniciativa privada (por controlada pelas grandes corporações e/ou conglomerados) – se prostituem invariavelmente ao sistema, até porque muitas das vezes isso não lhes é solicitado (interessa manter uma oposição consolidante).

 

Veja-se o caso da nomeação por parte dos responsáveis da cadeia televisiva CBS de Stephen Colbert como próximo substituto de David Letterman no seu “Late Show”: isto apesar da irreverência já demonstrada pelo mesmo no seu programa “The Colbert Report” (com a sua crítica dirigida ao conservadorismo de certos Republicanos e à estação FOX News) e nas suas não menos irreverentes participações no programa de Jon Stewart “The Daily Show” – uma das personalidades mais conhecida, respeitada e com maior share de audiências da televisão norte-americana (e um dos maiores críticos de Bush).

 

Ao contrário de talk-shows como o de Ellen DeGeneres, apresentadora de Óscares e promotora de Pizzas – e apresentando um share muito inferior (por coincidência ou acaso tão respeitada por Goucha – que mesmo assim ainda deve ser respeitado por original – e muitos outros que tais – simples imitadores e oportunistas mas no mau sentido).

 

Mas como é habitual – e isso até é considerado muito saudável excepto em países do “quarto-mundo” como o nosso, em que tudo deve ser “igual e limpinho” – existem sempre contestatários a esta opção mesmo que as justificações apresentadas sejam um pouco incompreensíveis. Como é o caso de Rush Limbaugh comentarista político e apresentador dum conhecido programa de rádio (defendendo ideias da direita Republicana) – The Rush Limbaugh Show considerado o maior radio talk-show dos Estados Unidos da América:

 

“CBS has just declared war on the heartland of America. No longer is comedy going to be a covert assault on traditional American values, conservatism. Now it's just wide out in the open. What this hire means is a redefinition of what is funny, and a redefinition of what is comedy. They're blowing up the 11:30 format... they hired a partisan, so-called comedian, to run a comedy show." (Rush Limbaugh)

 

É claro que Stephen Colbert ao aceitar este desafio lançado pela CBS – e como apesar de tudo não é louco nem irresponsável – irá adaptar o seu perfil ao programa do consagrado David Letterman, que por acaso via nele um dos melhores candidatos à sua substituição no programa por ele transformado num êxito “Late Show With David Letterman” (já com mais de trinta anos de vida). Isto tudo a partir de 2015.

 

(dados e imagem – huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:48

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO